O Seguro Saúde Pet é a sua rede de segurança para te proteger contra gastos inesperados relacionados aos seus animais de estimação.

A principal razão para contratar um seguro pet ou plano de saúde para cachorro ou gato é para ajudar nos gastos com as consultas veterinárias.

No entanto, muitos tutores ainda acham ser uma despesa desnecessária. Assim, quanto pode custar no mês, o que uma boa apólice pode cobrir, como encontrar as melhores opções e quais são as alternativas disponíveis, são algumas das questões a considerar.

Leia tudo sobre o assunto abaixo antes de tomar a sua decisão!

Seguro saúde pet, vale mesmo a pena?

Optar por um seguro saúde pet pode valer a pena a longo prazo.

A média de valores para os sinistros de seguro saúde pet gira em torno de R$ 5.900, mas esse valor pode chegar a ser muito mais alto se o seu animal desenvolver alguma condição contínua.

Se você não tem certeza de que vale a pena contratar, considere como você lidaria com uma conta inesperada dessas.

É preciso equilibrar isso com o custo da sua franquia e com a probabilidade de você ter que acionar o seguro.

Por exemplo, animais mais velhos podem custar mais em uma apólice, mas costumam adoecer e precisar de cuidados médicos com mais frequência.

O autosseguro, uma técnica de assumir riscos através da separação de economias para serem usadas em situações médicas, remédios ou perdas, é uma alternativa válida.

Porém, isso exige muita disciplina para garantir que esse “dinheiro extra” estará sempre disponível para poupar.

Por isso, é fundamental pensar a respeito do seguro saúde pet, mas sempre considerando todos os aspectos envolvidos.

Qual o seu animal de estimação?

A maioria das apólices de planos de saúde pet no mercado é direcionada aos gatos e cachorros, sendo mais fácil encontrar seguradoras para esses animais.

Existem planos de saúde para animais menores, como coelhos, porquinhos da índia e hamsters, mas por conta da expectativa baixa de vida, o valor é discutível.

Animais de estimação exóticos, como os calangos, iguanas, cobras e papagaios, são mais difíceis de assegurar, não havendo muitas companhias que oferecem esse serviço ainda.

Mas por serem animais incomuns, vale apena considerar os custos em cobri-los. Você não vai poder assegurar animais venenosos, mas pode analisar seguro de responsabilidade civil.

Quais os riscos que os animais de estimação oferecem?

Cada animal de estimação vai oferecer um risco diferente, mesmo sendo da mesma espécie. Por exemplo, cachorros com pedigree e gatos podem ser mais suscetíveis a:

  • doenças específicas da raça/criação;
  • doenças congênitas;
  • condições hereditárias;
  • roubo.

Além disso, algumas raças são mais vulneráveis a problemas específicos. Por exemplo, os cachorros de porte grande costumam sofrer de problema nas articulações ao longo da vida, e os Buldogues podem vir a ter problemas cardíacos e dificuldades respiratórias.

Tipos de coberturas para seguro saúde pet

Para contratar um bom seguro saúde pet, você tem que entender as coberturas em cada apólice.

Existem vários tipos de seguro saúde pet, e cada plano vai oferecer uma cobertura diferente, que incluirá diferentes serviços, como as a seguir:

  • Vitalícia: cobertura mais abrangente e completa, paga todos os anos durante a vida inteira do animal para garantir que ele esteja coberto, independente da idade ou qualquer condição existente (sujeita a certas condições), porém sobe de preço ao passo que o animal vai envelhecendo.
  • Anual: você paga 12 meses de cobertura, com a opção de mudar de apólice a cada ano. Normalmente custa menos, mas oferece menos benefícios, como não cobrir doenças pré-existentes.
  • Acidental: cobertura mais básica e mais barata, cobrindo apenas acidentes, como atropelamentos, e não doenças. No entanto, praticamente 70% de todas as franquias acionadas, são para doenças e não acidentes.

Fatores a se considerar ao contratar seguro saúde pet

ë preciso considerar todos os fatores envolvidos na contratação de um seguro saúde pet.

Mesmo escolhendo uma cobertura adequada, é preciso ficar atento aos detalhes em cada apólice, pois nem sempre fica tudo claro durante a contratação. A maioria das coberturas possui cálculos semelhantes quanto a alguns fatores específicos.

Veja a seguir:

Idade do animal

Encontrar um seguro saúde pet para animais mais velhos é muito difícil, pois na idade mais avançada eles começam a ser mais suscetíveis a doenças e a exigir tratamentos.

Algumas seguradoras só oferecem apólices para animais com até 8 a 9 anos de idade – ou mais novos, caso sejam de raças especiais.

A forma mais fácil de contratar um plano de saúde pet é pela cobertura vitalícia, quando ainda são jovens. Embora não seja a opção mais barata, ela vai garantir a cobertura do animal pelos resto da vida, até mesmo em casos de doenças de longo prazo

Condições pré-existentes

Durante o preenchimento do contrato, você deve listar qualquer condição pré-existente para adequar melhor a cobertura ao animal, ou senão ela pode ser negada.

Se o animal tiver uma doença pré-existente, é possível encontrar uma seguradora com uma cobertura para ele, mas na maioria dos casos, os seguros não costumam ter cobertura para isso.

Troca de apólice

As regras para condições pré-existentes torna mais difícil a troca de apólices. Se você estiver com uma apólice anual ou vitalícia, uma das maiores razões para querer trocar é o aumento no valor da franquia.

No entanto, a principal razão para ter aumentado é o fato de ter sido acionada, o que dificulta ser aceita por outra seguradora ou ser coberta por algum tratamento relacionado a uma condição existente.

Excedentes

O excedente é o valor de sinistros que você concorda em pagar adiantado. Algumas seguradoras oferecem porcentagens assim como taxas fixas.

É também chamado de “co-pagamento excedente”, podendo ficar bem caro se você estiver arcando também com consultas veterinárias.

Portanto, tente encontrar uma seguradora que cobre apenas uma taxa excedente entre R$ 300 a R$ 750.

Além disso, evite apólices que aumentam o valor excedente ao passo que o animal vai envelhecendo, a não ser que você prefira um excedente mais alto em troca de franquias mais baixas.

Mas e as consultas veterinárias?

Contas veterinárias caras e inesperadas são as principais razões para que tutores decidam contratar um seguro saúde pet.

Geralmente, as apólices cobrem uma variedade de tratamentos veterinários, mas você deve observar atentamente a apólice para entender exatamente o que pode estar incluído, quanto você é reembolsado e por quanto tempo.

Alguns tratamentos que podem ser cobertos incluem:

  • Custos veterinários em geral: inclui uma variedade de tratamentos por acidentes, lesões e doenças.
  • Condições hereditárias e congênitas: cobre problemas de saúde desenvolvidos por hereditariedade ou que existem desde o nascimento, que não sejam classificadas como condições existentes e contínuas. No entanto, observe se a cobertura é irrestrita ao invés de apenas em certas circunstâncias.
  • Condições contínuas e a longo prazo: normalmente somente cobertas em apólices vitalícias.
  • Cuidados dentários: apenas incluídos em algumas apólices, mas não em todas. Na maioria das vezes a cobertura se restringe a acidentes, doenças ou lesões, mas não para o trivial ou cosmético.
  • Tratamentos alternativos: como homeopatia, acupuntura e fisioterapia, quando recomendados pelo veterinário.
  • Riscos ou custos de reprodução: cobertura relacionada à gravidez, nem sempre é inclusa. Se você planeja reproduzir filhotes, vai precisar dessa cobertura específica. Já a castração resulta em diminuição do valor da franquia.

Base de sinistros para consultas veterinárias

A base de sinistros para consultas veterinárias em um seguro saúde pet determina como as faturas serão cobertas. A cobertura pode ser aplicada por ano, por condição, por condição por ano ou por condição, sem limite de tempo.

Veja a seguir:

  • Por ano: oferece uma determinada quantia destinada a tratamentos veterinários a cada ano da apólice. Quando o limite é atingido, a cobertura é interrompida até renovar novamente no próximo ano. Quando a apólice é renovada, renova-se também a cobertura para os tratamentos.
  • Por condição: oferece uma determinada quantia destinada a tratamentos veterinários por cada condição ou doença no ano da apólice. Uma vez atingido o limite, a cobertura cessa e não cobre mais para as mesmas condições nos próximos anos.
  • Por condição, por ano: oferece uma determinada quantia destinada a tratamentos veterinários para todas as condições e doenças, a cada ano da apólice. Quando o limite é atingido no ano, a cobertura cessa até que a apólice seja renovada no ano seguinte.
  • Por condição – sem limite de tempo: ao contrário das apólices “por condição” tradicionais, esta cobre os tratamentos de condições nos próximos anos.

Taxas máximas para consultas veterinárias

Antes de escolher uma apólice de cobertura, observe se a quantia máxima de cobertura vai dar para as consultas veterinárias.

Lembre-se que a maioria dos seguros saúde pet não cobrem condições pré-existentes, e tratamentos preventivos e não essenciais.

O valor máximo de cobertura que diferentes tipos de apólices oferecem para contas de veterinário geralmente fica entre:

  • R$ 45.000 por ano, pela vida inteira
  • R$ 38.000 por condição, pela vida toda
  • R$ 38.000 ou mais por condição no total

Por Equipe Editorial

O Vidanimal.com.br acredita que compartilhar um bom conteúdo é a melhor maneira de fazer com que a informação chegue ao seu destino ou público alvo. Educar e conscientizar as pessoas é a nossa missão. Procuramos criar parcerias com profissionais empenhados em fazer parte dessa missão. Contamos com uma equipe de colaboradores que amam aquilo que fazem e se dedicam todos os dias para levar até você um conteúdo informativo de qualidade.

Deixe uma resposta