Primeiramente, os cavalos são animais conhecidos e admirados pela vitalidade, força, beleza e versatilidade. Essa admiração independe da raça de cavalo.  De fato, esses animais acompanham o ser humano desde tempos muito antigos facilitando a vida das pessoas em muitos aspectos.

O cavalo teve, durante muito tempo, papeis muito importantes para o ser humano. Foram, sem dúvida, primordiais nos seguintes setores:

  • Transporte – através da montaria, puxando carruagens e carroças, entre outros.
  • Trabalho no campo – por exemplo, o uso de cavalos para arar os campos.
  • Alimentação – a carne de cavalo já foi amplamente consumida. Na Europa, inclusive, ainda é muito comum encontrar a carne de cavalo no cardápio.

Cavalos são, sem dúvida, animais sociais e vivem em grupos liderados por matriarcas. Esses animais usam uma elaborada linguagem corporal para comunicar uns com os outros. Todavia, com um pouco de convívio, os humanos podem aprender e compreender a linguagem.

Equinocultura no Brasil

Engana-se quem acha que a equinocultura, ou seja, a criação de cavalos, não é rentável. De fato, segundo um artigo da EM, a equinocultura movimentou R$ 16,5 bi em 2018. Ou seja, a atividade responde por nada menos que 3,2 milhões de empregos. Isso faz com que o Brasil se destaque em terceira posição no ranking mundial.

Ainda segundo o artigo da EM, os negócios em torno da equinocultura não se limitam à compra e venda dos animais. Hoje em dia, de fato, vários segmentos de trabalho estão relacionados com a criação das raças de cavalo, como:

  • Medicamentos e serviços veterinários,
  • Associações,
  • Fábricas de ração, selaria e acessórios,
  • Escola de ferrageamento,
  • Leilões,
  • Produtoras de vídeo, gráficas,
  • Competições, exposições e muito mais.

Um artigo publicado no site da Expointer informa, enfim, que o Brasil possui o quarto maior rebanho equino do mundo. São, de fato, 5.496.817 cabeças, segundo dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Principais raças de cavalo no Brasil

Primeiramente, é importante dizer que há tantas raças de cavalos que seria necessário um livro inteiro para tratar o assunto. Assim como acontece com os cachorros, cada raça de cavalo tem afinidades para determinadas finalidades, como por exemplo corrida, exposição, trabalho no campo.  Além disso, cada raça de cavalo tem uma característica física, tamanho e cor de pelagem que as difere.

Conheça, enfim, 9 das principais raças de cavalo conhecidas no Brasil.

1. Mangalarga Marchador – a raça de cavalo mais popular do Brasil

Segundo os artigos mencionados acima, essa é a raça de cavalo que está, sem dúvida, em primeiro lugar entre as raças registradas.

O Mangalarga Marchador, também conhecido como Mangalarga Mineiro, é uma raça de cavalo brasileira descendente de cavalos Alter-Real (uma estirpe do Cavalo Lusitano).  Esses, chegaram ao Brasil no início do século XIX por meio da Corte portuguesa, e depois foram cruzados com cavalos crioulos marchadores formados pelos fazendeiros da região sul de Minas Gerais.

A base de formação dos cavalos Alter é a raça espanhola Andaluza, cuja origem étnica vem de cavalos nativos da Península Ibérica, germânicos e berberes. Os cruzamentos dessas raças deram origem, enfim, a animais de porte elegante e beleza inquestionável. O temperamento dócil torna esse animal, sem dúvida, próprio para a montaria.

Os primeiros exemplares da raça Alter chegaram ao Brasil em 1808, com D. João VI, que se transferiu para a Colônia com a família real. Os cavalos dessa raça eram muito valorizados em Portugal. Por isso, a família real investia em coudelarias (haras) para o aprimoramento da raça.

A Coudelaria de Alter foi criada em 1748 por D. João V e viveu momentos de glória durante o século XVIII, formando animais bastante procurados por príncipes e nobres europeus para as atividades de lazer e serviço.

Características dessa raça de cavalo

Trata-se de uma raça de cavalo de porte médio, de aparência calma. A pele é fina e suave.  O peito é fundo e os membros são musculosos. Os machos, geralmente, medem cerca de 1,52 metros. Já as fêmeas, cerca de 1,46 metros.

A pelagem é sedosa e quanto à coloração, podem ser de várias cores como cinza, baio e castanho.

Quanto ao temperamento, eles são tipicamente ativos e dóceis.

2. Puro Sangue Árabe

O cavalo Árabe, também chamado Puro Sangue Árabe, é uma raça equina originada na Península Arábica. Trata-se, sem dúvida, de uma das raças de cavalo mais antigas e apreciadas do mundo.

As tribos beduínas do deserto foram as grandes responsáveis pela domesticação e seleção genética das qualidades e da preservação da pureza racial do Cavalo Árabe.

Genghis Khan, Napoleão, George Washington e Alexandre, o Grande, estão entre as inúmeras  figuras históricas que possuíram e montaram árabes.

No século VII DC, o profeta Maomé exortou seus seguidores a tratarem seus cavalos árabes com gentileza e respeito, particularmente as éguas que asseguraram a qualidade e a continuidade da raça. Ele ensinou que o a raça de cavalo Puro Sangue Árabe era um presente do próprio Alá, e tratar bem esses cavalos ajudava a garantir a felicidade na vida após a morte.

Características dessa raça de cavalo

O puro sangue árabe é uma raça de cavalo com altura média de 1.50 m, podendo atualmente chegar até 1.58 m. Possui cabeça em formato triangular com perfil côncavo, orelhas pequenas, olhos grandes arredondados e muito salientes, narinas dilatadas, maxilas arredondadas, boca pequena, pescoço alto e curvilíneo em sua linha superior.

O  tórax é amplo, dorso e lombo médios, garupa horizontal e saída de cauda alta que permanece elevada durante o movimento.

Seu trote e galope são rasteiros, amplos e cadenciados, com muito garbo, tendo temperamento muito vivo e grande resistência. As pelagens básicas são alazã, castanha, tordilha e preta.

Pelas suas características, são aptos aos esportes hípicos de salto e adestramento em categorias intermediárias, hipismo rural, enduro e trabalhos agro-pecuários.

3. Puro Sangue Inglês

O Puro Sangue Inglês é uma raça de cavalo mais conhecida por seu uso em corridas. Embora a palavra puro sangue seja às vezes usada para se referir a qualquer raça de cavalo puro sangue, ela se refere tecnicamente apenas à raça Puro Sangue Inglês.

O Puro Sangue Inglês foi desenvolvido durante os séculos XVII e XVIII na Inglaterra, pelo cruzamento de éguas locais com garanhões árabes e berberes. A necessidade da melhora do desempenho em pistas dos animais existentes nas ilhas britânicas derivou do gosto popular crescente pelas competições, originalmente restritas às propriedades rurais para distração dos senhores de terras.

Durante os séculos XVIII e XIX, a raça Puro Sangue se espalhou pelo mundo.  De fato, foram exportados para a América do Norte a partir de 1730 e para a Austrália, Europa, Japão e América do Sul durante o século XIX.

Características dessa raça de cavalo

A raça de cavalo Puro Sangue Inglês tem porte médio para grande, com altura variando entre 1,62 a 1,67 metros. A cabeça é reta ou levemente ondulada. Os olhos são grandes, as orelhas médias e as narinas elípticas. Os animais possuem pelagem castanha, alazão e negra.

Os animais da raça são selecionados especialmente para corrida por serem considerados a raça mais veloz entre os equinos, e por possuir grande capacidade atlética. As principais habilidades se relacionam às corridas planas ou com obstáculos de média distância, salto e adestramento.

Essa raça de cavalo é também forte. Possui, de fato, um corpo proporcional e robusto. Um das desvantagens da raça  é o seu temperamento nervoso e difícil.

4. Lusitano – a raça de cavalo Portuguesa

O Lusitano, também conhecido como Puro Sangue Lusitano, é uma raça de cavalo com origem em Portugal e é considerado cavalo de sela mais antigo do mundo.

O Puro Sangue Lusitano apresenta aptidão natural para alta escola. O Lusitano revela-se não só no toureio e equitação clássica, mas também nas disciplinas equestres federadas como dressage, obstáculos, atrelagem e, em especial, equitação de trabalho, estando no mesmo patamar que os melhores especialistas da modalidade.

Características dessa raça de cavalo

Sua característica mais marcante é, sem dúvida, a fronte levemente abaulada. Os olhos são grandes e vivos, expressivos e confiantes. As orelhas são de comprimentos médio, finas, delgadas e expressivas.

É uma raça de cavalo de tamanho médio. Machos chegam a medir 1,60 e fêmeas 1,55. As duas cores mais comuns dessa raça são castanha e tordilha. Contudo, podem ser encontrados cavalos com pelagem de outros tons, como o alazã, palomina, baio e preto.

Seu temperamento é dócil.

5. Andaluz

O Andaluz deu origem à maioria das raças de cavalo modernas, como o Puro Sangue Inglês, entre outras. Embora não esteja entre os cavalos mais velozes, o cavalo Andaluz é atlético, ágil, forte e resistente.

Trata-se de uma raça de cavalo nobre e dócil, com temperamento vivo, originária da Península Ibérica, mais especificamente da região da Andaluzia, na Espanha, e do Alentejo, em Portugal.

Durante muito tempo foi, sem dúvida, uma das raças de cavalos mais apreciadas no mundo, especialmente por seu porte e notável aptidão pelas disciplinas da Alta Escola.

Características dessa raça de cavalo

O Andaluz é uma raça de cavalo de grande presença. De fato, é forte e rústico. Embora não seja muito veloz, é ágil e atlético.

Tem uma cabeça de extraordinária nobreza, o perfil característico, crina e cauda longa e exuberante.

É o mais antigo cavalo de sela do Ocidente. Sua versatilidade lhe permite ser treinado para o Adestramento Clássico, Salto, Alta Escola, Tração Ligeira e Doma de Campo

6. Percheron

O seu nome deriva da província Francesa de que é originário: Le Perche.

O uso deste cavalo foi principalmente de tiro, transportando cavaleiros armados durante a batalha das Cruzadas, ou como animais de carga de correio pesado ao serviço dos mensageiros Franceses no século XIX.

É um animal utilizado para carruagens e trabalho agrícolas ou urbanos.

Características dessa raça de cavalo

A raça de cavalo Percheron se caracteriza por ter uma cabeça elegante, que se alarga entre os olhos. Possui pescoço largo e forte, patas curtas mas muito fortes, e cascos muito duros. Além disso, são resistentes à maioria das condições climáticas e adaptam-se com facilidade e rapidez.

Devido à sua impressionante corpulência, pode puxar pesadas carruagens, transportar mais de 25 pessoas e arrastar toneladas de peso. Além disso, graças à sua resistência, pode percorrer uma média de 60 quilômetros por dia.

Apesar de suas impressionantes medidas, não falta graça aos movimentos do Percheron. Sua flexibilidade e agilidade são notáveis. Mostram numerosos espetáculos nos quais realizam todo o tipo de saltos, passos e piruetas. Muitos Percherons são utilizados para passeio por sua grande docilidade e temperamento tranquilo.

7. Quarto de Milha – uma raça de cavalo trabalhadora

O Quarto de Milha é uma raça de cavalo originária dos Estados Unidos. Começou a formar-se com a chegada dos europeus ao continente norte-americano, por volta de 1611, pelo cruzamento dos cavalos trazidos pelos ingleses e espanhóis, e cavalos de indígenas (mustangues), também de ascendência ibérica.

No Brasil, o cavalo quarto de milha chegou em 1955 e, atualmente, possui um plantel de mais de 360 mil animais, espalhados por todos os estados do país.

Características dessa raça de cavalo

A raça de cavalo Quarto de Milha é, certamente, muito conhecida pela agilidade. Sua principal característica é a velocidade, além da capacidade de fazer paradas bruscas. Esta raça de cavalo possui andamento trotado, musculatura bem desenvolvida. Por isso, o quarto de milha é muito usado para exposições, rodeio e cavalos de corrida.

Todavia, possui a mesma habilidade para arrebanhar o gado, puxar carroças e demais a fazeres da fazenda. Militares, além disso, usam os cavalos para marchas devido à flexibilidade e docilidade dos cavalos quarto de milha.

8. Appaloosa – a raça de cavalo dos pele-vermelhas

O Appaloosa é o cavalo que, montado pelos pele-vermelhas, sempre chamou atenção pela força, agilidade, coragem e pelagem de rara beleza. Trata-se de uma raça que remonta à antiguidade, conforme inscrições em cavernas europeias da ordem de 18 mil anos antes de Cristo.

Apesar dos Espanhóis terem trazido o Appaloosa para a América, foi uma tribo de índios a responsável pelo desenvolvimento da nova raça no continente americano. Essa tribo habitava a região conhecida como “Palouse”, por onde passa o rio de mesmo nome e ocupa o estado de Washington. Daí o nome da raça.

Em 1974 foi registrado o nascimento do primeiro animal no Brasil.

Características dessa raça de cavalo

A raça de cavalo Appaloosa é composta, sem dúvida, por animais ágeis, rústicos, velozes e resistentes. Por isso, ou seja, devido à essas características, são animais muito usados em longas distâncias e travessia de regiões íngremes e áridas. Têm pelagem exótica, sendo que sob sua cor básica aparecem pintas salpicadas, mais intensas na anca.

Possuem altura média de 1.50m, temperamento vivo, bom caráter, cabeça com fronte ampla, perfil reto, orelhas pequenas, olhos grandes, boca pouco profunda, pescoço médio em linha superior e inferior retas. O dorso e lombo são curtos e garupa levemente inclinada, membros fortes bem musculados, e cascos médios.

É utilizado, enfim, em atividades de trabalho no campo e em provas de trabalho como laço, rédeas, tambor e baliza, apartação, ‘working cow horse’ e muitas outras.

9. Campolina

A raça de cavalo conhecida como Campolina é brasileira. De fato, a raça foi criada em Minas Gerais por Cassiano Campolina. Para isso, foi usado o garanhão Monarca, filho de uma égua cruzada com o garanhão Puro Sangue Andaluz-Lusitano da Coudelaria Real de Alter, pertencente ao criatório de D. Pedro II. Além disso, os descentes de Monarca sofreram a infusão de sangue Percheron, Orloff e Oldenburger e mais tarde do Mangalarga Marchador e Puro Sangue Inglês.

No Brasil, estão registrados atualmente cerca de oito mil animais de mil e 500 criadores.

Características dessa raça de cavalo

Trata-se de uma raça de cavalo com altura média de 1.55 m, cabeça com fronte ampla, perfil retilíneo ou subconvexo. Suas orelhas são de tamanho médio. Além disso possui olhos médios, narinas elípticas, pescoço forte e rodado em sua linha superior. O peito é amplo, o dorso e lombo são médios, garupa levemente inclinada com saída de cauda não muito alta, sendo admitidas todas as pelagens.

Seu temperamento é dócil, mas ativo e orgulhoso. Por isso, é uma raça de cavalo indicada para passeio, enduro, tração ou lida com o gado.

A escolha da raça de cavalo ideal

As informações transmitidas acima podem, sem dúvida, ajudar a escolher a raça de cavalo mais apropriada para as necessidades de cada um.

Em caso de dúvidas, sugere-se o contato com criadores de raças de cavalo para buscar mais informações e conhecer melhor os animais. É importante, enfim, esclarecer também que quando falamos de índoles de raças, falamos de características comuns. No entanto, nada impede que um animal de uma raça considerada ‘arisca’ possa ser dócil, por exemplo.

Visitas aos criadores podem, portanto, ser experiências extremamente facilitadoras e enriquecedoras. Além disso, é importante estudar bem o investimento que o animal irá requerer ao longo da vida, já que irá precisar de alimentação, local para ficar e, enfim, cuidados veterinários.