porque-cachorros-comportam-mal
(Crédito/Copyright: “Por Jaromir Chalabala/Shutterstock”)

Porque os cachorros se comportam mal

Uma surpreendente proporção alta de cachorros se comporta mal: um estudo recente mostrou que mais de 90% dos cachorros de estimação não se comportam perfeitamente, e mais de 50% não se comportam tão bem quanto seus donos gostariam.

Embora seja mais fácil atribuir o mau comportamento dos cachorros à traços do temperamento “independente”, “mal treinado” ou “excessivamente excitado”, quando os detalhes das situações e ambientes que provocam o mau comportamento são analisados, há uma ligação em comum. O stress ocasionado pela exposição a sons específicos pode ser uma das principais razões para os cães começarem a se comportarem mal.

Cachorros possuem audição ultra-sensível

porque-cachorros-comportam-mal2
Daschhund envergonhado depois de rasgar toda a almofada do sofá de seu dono. (Crédito/Copyright: “Por holbox/Shutterstock”)

Cachorros podem ouvir sons mais agudos que seres humanos (mais de 45000Hz comparado a apenas 23000Hz de um jovem adulto) e eles podem ouvir volumes mais baixos também (eles podem ouvir sons 4 vezes mais distantes que um ser humano). Esta diferença em sensibilidade auditiva significa que os donos na maioria das vezes não tem ideia do bombardeio de sons que os cães são submetidos e o stress que estes sons podem induzir.

Cachorros se comportam mal em ambientes onde há barulhos que percebem como estressantes

porque-cachorros-comportam-mal5
Filhote roendo o cordão do tênis do seu dono. (Crédito/Copyright: “Por Anna Hoychuk/Shutterstock”)

Uma pesquisa em andamento – feita por John Bowen no Royal Veterinary College (faculdade de veterinária em Londres) – tem analisado dois aspectos do comportamento canino: primeiro, ambientes onde cachorros mostraram comportamentos medrosos, e depois, os sons específicos que causaram o medo nos cachorros. O estudo, talvez de forma previsível, mostrou que os cachorros eram mais suscetíveis a ter medo em ambientes onde há barulhos que eles não gostam. Embora isso pareça óbvio, a informação pode ser usada para ajudar cães a superar algumas situações inevitáveis (como andar de carro ou ficar na sala de espera do veterinário). Se o medo dos sons associados a estes ambientes ou locais é abordado, o stress dessas experiências pode ser diminuído, e os cachorros podem depois passar a se comportar de maneira mais relaxada, ou sej, de uma forma melhor.

Exemplos de situações em que os cães podem se comportar mal, incluem:

  • Durante o passeio ou caminhada, se tiver gatos ou outros animais por perto;
  • A sala de espera da clínica veterinária;
  • Em casa durante festas;
  • Locais onde há barulhos que ele não gosta (fogo de artifícios, por exemplo)
  • Sons impregnados com tons emocionais.

O estudo observou 58 tipos de barulhos, revisando o quanto os cães mostraram sentir medo quando expostos ao som de duas amplas fontes:

  1. Uma origem social, de uma pessoa ou animal (e.g. latido ou grito)
  2. Uma origem inanimada ou não social (e.g. fogos de artifício ou aspirador de pó)

porque-cachorros-comportam-mal3
Golden Retriever com cara de quem não se comportou nada bem. (Crédito/Copyright: “Por Jaromir Chalabala/Shutterstock”)

Os resultados mostraram que os cachorros eram mais sensíveis ao tom emocional de barulhos sociais: mais de 35% dos cães mostraram medo de vozes de raiva, 25.4% reagiram a gritos, enquanto apenas 12.7% reagiram a vozes altas. Isto significa que vocalizações emocionais humanas são uma causa comum de stress para os cachorros, e pequenas reuniões sociais podem ser uma fonte significativa de stress também para os cães, principalmente se as pessoas começarem a ficar muito agitadas e discutirem.

Vozes altas ou raivosas são comuns quando, por exemplo, uma família ou um grupo de amigos assistindo à um jogo de futebol ou qualquer outro esporte que envolva torcidas, principalmente se tiver junto times adversários, ou alguma discussão política ou qualquer outro assunto que gere polêmicas.

Choro e gritos, vozes altas, são mais frequentes em reuniões sociais onde há crianças presentes. Ou ambientes abusivos onde há muita briga e discussão em família. Cachorros costumam achar estes episódios estressantes, e isto pode acabar resultando em “mau comportamento”.

Barulho de animal também afeta os cães: latidos e ganidos são barulhos com um significado social para os cachorros, sugerem angústia e alarme. Cerca de 17.8% dos cachorros reagem com medo a latidos, e 16.9% a ganidos. Com isso, podemos concluir que os cães acham estressantes locais onde há muitos latidos ou ganidos, como na clínica veterinária (sala de espera ou canil) ou em aulas de treinamento que tenham cães muito barulhentos, por esta razão provavelmente é comum cachorros possuírem “mau comportamento” nestes ambientes.

Cachorros também reagem fortemente a ruídos altos repentinos

porque-cachorros-comportam-mal4
Filhote rouba pé de T6enis do seu dono e faz bagunça na sala pra chamar a atenção para o que está sentindo. (Crédito/Copyright: “Por radFX/Shutterstock”)

Quando sons inanimados foram investigados, o mais aterrorizante foi causado por fogos de artifícios (37%), trovões (29%) e tiros (24%), assim como barulhos comuns do dia a dia como aspirador de pó (25%), barulhos de construção e obras em geral (16%) e trânsito barulhento como ônibus ou caminhões (15%). Portanto, qualquer experiência que inclua exposição a estes sons provavelmente poderá levar a ansiedade por barulho, com consequências comportamentais subsequentes.

Proteger os cachorros de stress por causa de barulho pode melhorar o comportamento deles

Enquanto é impossível manter os cachorros em uma “bolha à prova de som”, a consciência do impacto do barulho no comportamento do cachorro significa que dois passos podem ser seguidos para abordar o problema.

1. Deve-se dar mais atenção a prevenção de medos de barulho através da exposição deliberada e precoce dos filhotes a uma variedade de barulhos desde pequenos para que eles cresçam acostumados e se tornem adultos mais “tolerantes a barulhos”;

2. Deve-se dar mais atenção ao fato de se ter mais consciência com relação ao estado emocional dos cachorros em ambientes barulhentos, particularmente em reuniões sociais e festas em casa ou na vizinhança, ou nas salas de espera das clínicas veterinárias, ou quando crianças estarão ao redor deles. Estas são situações comuns em que o comportamento do cachorro poderá ser fortemente influenciado pelo medo do barulho. Se os donos possuem consciência de que o estado comportamental de excitação do cachorro está relacionado ao medo de barulhos como estes, pode-se fazer algo a respeito (e.g. providenciar um local para o cachorro se retirar, organizar períodos de tempo em que o cão possa ”dar um tempo” do barulho ou até mesmo uso estratégico de medicamentos anti ansiedade).

É muito fácil culpar os cachorros pelo mau comportamento, como se isso fosse algo inevitável. A verdade é que os cachorros são criaturas sensíveis. Se pudermos entender mais e melhor o que vai na cabeça de cada um deles, será bem mais fácil adaptar nossas interações para que seres humanos e seus cães vivam juntos felizes em harmonia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *