Placa de identificação animal – por que é um item tão importante? É muito comum ver anúncios de animais perdidos nas ruas ou nas redes sociais. Por esse motivo, a identificação é tão importante.

De fato, uma placa de identificação animal pode ajudar muito a reduzir o tempo de separação angustiante entre o cachorro e seu tutor.

Infelizmente, ao longo da vida com nossos animais, não há como garantir que eles não se percam. Podem ocorrer fugas de casa por uma porta ou janela aberta; o cachorro pode se soltar de uma guia mais frouxa durante o passeio; podem fugir desesperadamente induzidos por medo (por causa do veterinário ou de uma tempestade, por exemplo).

Enfim, perder um animal de estimação é algo que pode ocorrer com qualquer um e a qualquer momento.

Além da grande angústia de não saber onde está seu pet, há riscos reais que os animais correm na rua. De fato, infelizmente, há um enorme risco de acidentes, brigas com outros animais, perigo de contrair doenças.

É por esse motivo que não é recomendado deixar seu animal solto na rua como ainda acontece muito hoje em dia, principalmente em cidades do interior. Vejamos mais sobre isso a seguir:

Qual é a probabilidade de encontrar um cachorro perdido?

Uma pesquisa realizada pelo Departamento de Medicina Preventiva Veterinária da Universidade de Ohio, publicada no AVMA Journals, revelou alguns números que ilustram bem a situação.

De fato, foram avaliados 187 tutores de cães perdidos entre 1 de Junho e 30 de Setembro de 2005, em Ohio. Os resultados foram os seguintes:

  • 71% dos cães, ou seja, 132 dos 187 animais, foram recuperados.
  • O tempo médio de recuperação foi de 2 dias, entretanto houveram casos que levaram até 21 dias.
  • 34% dos cães foram recuperados através de telefonemas ou visitas a abrigos de animais.
  • 18,2% foram recuperados graças à placa de identificação animal;
  • 15,2% voltaram para suas casas graças a fotos e anúncios distribuídos na vizinhança.
  • Apenas 46%, ou seja, 89 animais tinham algum tipo de identificação como placa de identificação animal ou microchip.

Deve-se considerar, entretanto, que o estudo foi realizado em Montgomery County, em Ohio. Não há estudos no Brasil que informem o percentual de cachorros perdidos que retornam às suas casas

Como achar um cachorro perdido?

Em caso de perda, a placa de identificação animal ajuda a encontrar seus donos.

Em caso de perda, a placa de identificação animal ajuda a encontrar seus donos.

Em caso de perda, é muito importante tomar imediatamente algumas atitudes:

Verifique na vizinhança

Primeiramente, procure pelo seu cachorro nos locais próximos à sua casa. Entre em contato com amigos, clínicas veterinárias e pet shops do bairro. De preferência, vá pessoalmente entregar um anúncio com foto do animal e seus dados de contato. Muitas pessoas que encontram animais desaparecidos levam os mesmos para as clínicas, seja para procurar pelo dono ou até mesmo para cuidar do animal.

Hoje em dia, por questões de segurança, existem grupos de vizinhança solidária. Ou seja, grupos de whatsapp com membros que fazem parte do seu mesmo bairro. Utilize essa tecnologia a seu favor. Informe a vizinhança sobre o ocorrido e aproveite para enviar uma foto do seu pet.

Além disso, coloque cartazes ou faixas em locais bem movimentados de seu bairro, como postos de gasolina, áreas comerciais, padarias, supermercados, bancas de jornais. Não esqueça de descrever bem as características do cachorro. Lembre-se: é primordial colocar uma foto do animal e deixar um telefone para contato.

Centro de Zoonoses

Outra opção é entrar em contato com o centro de Zoonoses e as organizações de defesa animal da cidade onde mora. Caso não tenham visto seu pet, descreva suas características e deixe um telefone para contato. Se possível, vá pessoalmente e deixe uma foto do seu animal de estimação.

Internet

Utilize as ferramentas da internet a seu favor. Nos últimos anos, nasceram vários sites, aplicativos e plataformas que auxiliam a cruzar informações facilitando a localização de um animal de estimação perdido.

Uma das formas mais eficientes é, certamente, a divulgação e cadastro em páginas próprias do Facebook. Existem centenas de páginas específicas para divulgação de desaparecimento de animais por bairro e/ou cidade.

Sempre falando em redes sociais, nasceu há pouco tempo uma específica para animais perdidos: a Puppyfi. Trata-se de rede social que divulga e ajuda a localizar animais perdidos. Na plataforma é, de fato, possível cadastrar informações, notificar desaparecimento, criar anúncios para ampliar as buscas e imprimir cartazes.

Além disso, é possível receber avisos de comentários e compartilhamentos via rede, celular e e-mail, discutir temas, entre outras opções.

Outra ferramenta é o aplicativo Petts.me. Trata-se de app que, através da geolocalização e das redes sociais, permite que o usuário registre animais perdidos, achados ou disponíveis para adoção. Com ele, é possível não somente ajudar uma pessoa a encontrar seu bicho perdido como também encontrar um lar para diversos animais. Disponível gratuitamente para iOS, o aplicativo oferece uma interface bastante intuitiva para quem não domina a língua inglesa.

Além disso, utilize portais como Procura-se Cachorro, que tem como objetivo divulgar e ajudar a encontrar cães perdidos. O portal, inclusive, fez uma campanha conhecida como #animalprotegido, promovida pela BIKE ID do Procura-se Cachorro.

O intuito da campanha foi o de identificar 1.500 animais resgatados de ONGs de proteção para evitar que voltem a viver nas ruas, promovendo, dessa forma, a posse responsável a partir do uso das placas de identificação animal.

Como identificar um animal?

A forma mais fácil de identificar o seu cachorro é com a placa de identificação animal

A forma mais fácil de identificar o seu cachorro é com a placa de identificação animal

A maneira mais eficaz de unir um dono a seu cão e promover a guarda responsável de animais de estimação é através da identificação e do registro. Existem alguns métodos diferentes de identificação que podem ser semi-permanentes (por exemplo, coleira e plaqueta) ou permanentes (por exemplo, microchip).

Esses métodos, inclusive, podem ser usados individualmente ou em conjunto. Porém, um sistema de identificação permanente ligado a um banco de dados de registro central pode ser muito valioso.

Contudo, é sempre importante selecionar o método que melhor se adapta à situação local em termos de praticidade e custo.

Veja as principais formas de identificar seu animal de estimação.

Placa de identificação animal

A placa de identificação animal é um clássico. De fato é eficiente, pode ser bonita e é, sem dúvida, a opção mais barata.

Há centenas de modelos no mercado, em diversos materiais, formatos, cores e preços. Mas o importante mesmo é ter e usar! Independentemente do tamanho ou cor, é imprescindível que a placa de identificação animal possua o nome do pet e o número de telefone do tutor.

O uso da placa de identificação animal é de tamanha importância que Prefeituras de alguns municípios, de fato, impuseram a obrigatoriedade da identificação animal. Ou seja, os tutores são obrigados a registrar o pet no sistema da prefeitura informando nome do animal, nome do tutor, telefone e características físicas do animal.

No fim, além de entregarem ao tutor um documento chamado RGA (ou seja, registro geral animal), a prefeitura fornece uma placa de identificação animal com o número do documento. Esse número, por sua vez, permite que a prefeitura localize o proprietário do animal caso o animal seja resgatado na rua.

É não há desculpas pois esse serviço é GRATUITO.

Em São Paulo, de fato, o Registro Geral Animal (RGA) é obrigatório por lei para cães e gatos (Lei Municipal 13.131/2001). Ou seja, ao adotar ou comprar um cachorro (ou gato) o tutor deve ir ao Centro de Controle de Zoonoses ou estabelecimentos veterinários credenciados (veja a listagem), e deve apresentar:

  • CPF;
  • RG;
  • Comprovante de residência;
  • Atestado de vacina contra raiva emitido e assinado por médico veterinário ou comprovante do Centro de Controle de Zoonoses do município expedido nos 12 meses anteriores ao RGA.

Placa de identificação animal é suficiente?

Além da placa de identificação animal, há outras formas eficientes de identificar o seu cachorro.

Além da placa de identificação animal, há outras formas eficientes de identificar o seu cachorro.

Infelizmente não. A placa de identificação animal é essencial, entretanto pode ser perdida. O mais indicado, portanto, é providenciar mais de um método de identificação para garantir a localização do seu filho de quatro patas. Algumas formas alternativas são:

  • Microchipagem
  • Coleira com GPS
  • Coleira Bordada

Microchip

Trata-se de um chip minúsculo, do tamanho de um grão de arroz, que vem aplicado com uma seringa entre as escapulas do animal. Dessa forma, o microchip não pode ser perdido.

Uma vez aplicado é ativado por um scanner que faz a leitura do número com o qual é possível acessar a ficha cadastral do animal, que estará inserida em um banco de dados (SIRAA) que, por sua vez, possibilita identificá-lo pela internet.

Portanto, em caso de necessidade, basta passar o leitor de microchip nas costas do animal, para ler o número de identificação.

O microchip, além disso, é um item obrigatório em animais que tenham que enfrentar viagens ao exterior. Leia mais sobre esse assunto específico em ‘Como programar uma viagem com animal de avião?’.

É, enfim, um método extremamente eficiente de identificação, porém é invisível. Ao mesmo tempo que isso é desejável é também um problema, já que não é uma forma comum de identificação no Brasil. De fato, como ainda não é obrigatório em nosso País, se alguém achar seu animal perdido, é improvável que busque um veterinário com leitor para verificar seus dados.

Coleira com GPS

O chip de GPS é um aparelho que pode ser aplicado à coleira. Segundo os fabricantes é resistente à agua e sujeiras. Com ele, é possível localizar seu cachorro onde quer que ele esteja através de um sistema que pode ser visualizado até mesmo no celular.

Além disso, se o animal sair da área determinada pelo dono, uma mensagem é enviada automaticamente para o computador ou o smartphone cadastrado no sistema.

Entretanto, o GPS ainda tem muitos lados que precisam ser aperfeiçoados. De fato, aqui no Brasil ainda é muito caro e é difícil de achar. Além disso, tem um formato muito grande e pesado, precisa ser recarregado e, enfim, pode ser facilmente perdido.

Coleiras Bordadas

As coleiras bordadas são uma ótima alternativa de identificação animal. Trata-se de coleiras de tecido feitas sob encomenda. Ou seja, é possível escolher cor e tamanho desejado, inclusive para cachorros de porte gigante.

Nelas escrevem-se, com bordado ou estampa, o nome do pet e o número de telefone do tutor. É importante ressaltar que este tipo de coleira tem utilidade apenas de identificação, sendo necessário o uso de uma coleira mais resistente durante os passeios, principalmente em cães de porte grande ou gigante, ou cães com temperamento mais agressivo.

São encontradas facilmente na internet, já que vários sites disponibilizam este produto. Podem ser achadas, inclusive, em plataformas como Mercado Livre, Elo7, VegPet ou até mesmo no Instagram.

Tatuagem

A tatuagem é uma forma de identificação permanente que não é recomendada por ser mais invasiva, já que é necessário aplicar anestesia geral no animal para poder realizá-la. Além disso, não é facilmente visível e pode sofrer alterações com o tempo.

Conclusão:

No artigo, foi possível entender a dificuldade de achar um animal perdido. Portanto, ficou clara a importância de todas as formas de identificação de animais de estimação como cães e gatos.

Recomenda-se, que o tutor deixe o animal seguro em casa, ou seja, que não permita que o animal passeie livremente pelas ruas. Além de ser um fator que aumenta muito o risco de acidentes e contaminações por doenças infecciosas e parasitas, pode também provocar a perda definitiva do animal.

Portanto, é imprescindível identificar seu pet, se possível utilizando duas formas conjuntas. Ou seja, mesmo que seu pet tenha microchip, coloque uma identificação externa como placa de identificação animal ou coleira bordada. Essa atitude, certamente, facilitará e agilizará o contato em caso de perda, já que uma vez perdido, pode ser tarde demais.

Referências Bibliográficas

Linda K. Lord, DVM, PhD; Thomas E. Wittum, PhD; Amy K. Ferketich, PhD; Julie A. Funk, DVM, PhD; Päivi J. Rajala-Schultz, DVM, PhD – Search and identification methods that owners use to find a lost dog – Journal of the American veterinary Medical Association. 2007.

Trackimo – 5 Years Old Study Reveals Shocking Statistics on Lost Pets