Ver um periquito voando solto na natureza é uma das imagens mais emocionantes que um apreciador de animais pode presenciar. A beleza das cores dessas aves é simplesmente deslumbrante e atrativa. Seu voo é tranquilo e preciso. Parece mesmo um manto de diversas cores sendo levado pela brisa.

Entretanto, ter um periquito como ave doméstica é a mais interessante experiência pela qual um apreciador de animais pode passar. Ele é brincalhão, amigável, inteligente. Dentre as aves doméstica, é a mais procurada no mundo inteiro; dentre todos os animais, perde somente para gatos e cães.

Veja neste artigo dados importantes tanto para que você, criador experiente, como criadores inexperientes.

O periquito no reino doméstico

O periquito é uma ave de estimação muito popular.


Ele é uma das aves mais conhecidas no mundo inteiro. Por sua astúcia e inteligência, não é de se estranhar que rivalize com cães e gatos por preferência de criadores. Afinal, é pequeno – não ocupa espaço; é barato – por volta de 100R$ em média; a manutenção é simples – não requer muitos cuidados.

Assim, analisando o custo-benefício, os benefícios são em número muito maior, claro – razão por que o periquito é tão bem-quisto. São companheiros fantásticos, mas é importante entender algumas de suas manias para oferecer vida longa, saudável e feliz a seu periquito.

Importante: apesar de não requerer muitos cuidados, consulte sempre um veterinário periodicamente. É sempre muito bom ter avaliação desse profissional. Sempre.

Periquito faz gracinhas

Periquito é altamente socializável tanto quanto com relação a humanos quanto a semelhantes. Dá-se bem não apenas com os de sua espécie, mas também com animais parecidos – como, araras, cacatuas etc. Dessa maneira, quando em companhia de humanos ou de outros animais, faz de tudo para chamar a atenção.

Assim, interaja com seu periquito sempre. Brinque com ele. Quanto mais exemplos ele tiver, mais rapidamente e mais gracinhas ele vai fazer. Afinal, como a gente disse, periquito é ave tranquila, de manejo fácil.

Consequentemente, ele vai gorjear, gritar, cantar e até mesmo falar, dependendo da espécie.
Algumas delas não repetem palavras como outros tipos de papagaios, mas, com o tempo, você consegue identificar muitas palavras emitidas por ele.

Assim, se você tiver hábito de ouvir músicas em sua casa, não se espante se ele começar a cantar junto.

Estando na natureza, solto, o periquito vai acomodar seus gorjeios e “falas” ao costume do bando em que estiver inserido. Porém, uma vez em sua residência, vai aprender com você. Então, atente-se para suas próprias palavras, pois é muito provável que ele vai repeti-las.

Interessante: Bem, a gente acha que as leitoras deste e de outros artigos deste site vão gostar de saber disso: no universo dos periquitos, o macho é muito mais tagarela que as fêmeas.

Amizade por muito tempo

O periquito pode viver por muitos anos.


E compromissos por muito tempo também. Um periquito saudável pode viver por mais de 20 anos dependendo do tipo de ave ou até o dobro disso. Ou seja, você vai chegar em casa durante mais de 7 mil dias e notar a alegria dele com sua chegada. Vai ouvi-lo emitir sons dos mais diversos para agradar você, para suavizar seus problemas e angústias.

Entretanto, note que, a paralelo, vai ter igualmente tarefas. Apesar de o periquito não precisar de muitos cuidados, há ações básicas das quais você não pode esquecer. Em especial as voltadas à saúde da ave.

Um dos compromissos seus para com seu periquito é justamente a interatividade. Veja mais abaixo.

Periquito precisa de estímulo

Ele é naturalmente inteligente. É capaz de analisar situações e, guardadas as devidas proporções, tomar alguma decisão. Isso é comprovado por experiências sérias feitas em laboratório.

Mas o que essas pesquisas descobriram também é que essa inteligência é dependente de estímulos dos proprietários. Periquito tem forte tendência a unir-se emocionalmente com a pessoa da família mais presente em sua vida. E é nessa pessoa que ele vai se espelhar.

Assim, não deixe de instalar brinquedos em sua gaiola. E, primordialmente, brinquedos com partes móveis, desses que precisam se impulsos, como gangorras, balanças, bolas etc. Também outros que emitam sons, como sinos, buzininhas etc. Em pouco tempo, você vai perceber que ele brinca com todos.

Assim, a localização da gaiola do periquito é importante para que assuma comportamento normal de ave ativa. Mantenha-a em local em que ele veja você e sua família – na sala, por exemplo. Assim, vai se habituar mais facilmente com todos e com a pessoa que mais interagir com ele em princípio.

Importante: Entretanto, jamais instale a gaiola na cozinha. A fumaça dos cozimentos, o cheiro de temperos, o calor emitido pelo fogão certamente acabam criando ambiente desfavorável a ele.

Ainda, mesmo com as asas cortadas (para que não fuja), convém levá-lo a sessões de voos no quintal. Assim, ele não vai perder o instinto de voo para usar ocasionalmente. E também vai mover os músculos desses membros.

E de gaiola com bom espaço também

Periquito precisa de espaço.


Como eles são bastante ativos – você vai perceber isso já nos primeiros dias -, precisam de muito espaço. Alguns criadores inexperientes acabam mantendo a ave em gaiolas pequenas. Depois, se perguntam o porquê de ela não apresentar comportamento normal.

Ele é bom de exercícios. Vai se movimentar pela gaiola. Então, juntamente com brinquedos que a gente mencionou acima, obtenha poleiros em formato de escadinha. Assim, ele subir e descer constantemente e manter a boa forma física. E mental.

Dessa maneira, consiga uma gaiola pelo menos 5 a 6 vezes maior que seu periquito.

Periquito come bem

Por ser ave, criadores normalmente imaginam que somente alpiste é suficiente para o periquito. Engano. Seu organismo busca grande variedade de nutrientes em diversos tipos de alimentos.

Quando na loja ou solto na natureza, o periquito tem à disposição essa variedade. Ao ser levado para residências, qualquer alteração na dieta pode causar alguns problemas de saúde. Apesar de cercado de cuidados, é preciso atentar para o detalhe da alimentação.

Assim, disponha pratinhos com frutas e vegetais frescos, além de água, claro. E também sementes apropriadas para esse tipo de ave. Os funcionários das lojas de ração estão devidamente orientados para dar detalhes. Ou, pelo menos, devem estar.

O periquito no reino da Biologia

O periquito é do grupo dos papagaios.


É inserido no grupo dos papagaios, ao qual também pertence a cacatua e a arara. A espécie chama-se oficialmente Psitaciforme; a família, Psittacidae; quanto ao gênero, é chamado Melopsittacus.  Alimenta-se de sementes e de outras matérias. A Biologia registrou o primeiro indivíduo apenas em 1805.

Quando o periquito está livre na natureza, está sendo acompanhado de centenas de outros da espécie. Juntos, promovem voos fantásticos durante os quais emitem todo tipo de som. O periquito está sempre à procura de ambiente fresco e com alimento suficiente para o bando.

Imaginava-se que houvesse ligação genética entre o periquito e os gêneros Neophema e Pesoporus, de forma que ele fosse uma espécie de elo entre ambos. Entretanto, diversas observações em experiências com análise de DNA demonstraram que há mais elos entre ele e o papagaio-do-figo.

Algumas características são comuns a todas as espécies:

  • Os bicos são grandes para o tamanho geral, com pontas em gancho. Ele o usa, inclusive, como apoio em escaladas
  • Os olhos são redondos e muito pequenos
  • A cauda é longa e plana
  • As asas são largas e apresentam muitas cores; os músculos delas propiciam “braçadas” fortes e eficazes
  • Assim como o bico, as patas são apropriadas para agarrar objetos, também usadas como apoio para deslocamento

Ave sem ninho

Periquito não se preocupa com ninhos. É uma das poucas aves que não cria os seus. Em natureza, os ovos são postos em locais protegidos, mas não produzidos. Então, como aves domésticas, ele vai precisar que você construa uma caixa com algum material macio para que a fêmea ponha seus ovos.

O ideal é que a caixa tenha pequeno desnível para que os ovos permaneçam agrupados. Assim, todos serão devidamente chocados.

A Ninhada

Uma fêmea pode depor até 6 ou 7 ovos. Ela vai chocá-los por mais ou menos 18 dias. O casal, e não apenas a fêmea, se incumbe de alimentar os filhotes por 5 semanas. Uns 50 dias antes disso, a plumagem já começou a surgir e precisa de duas semanas para iniciar o processo de coloração.

Por volta de 6 semanas, os filhotes estão prontos para dar prosseguimento à própria vida e passam a se distanciar um pouco mais dos pais.

A estrutura orgânica do periquito

Ele se adapta bem ao ambiente, seja em residências ou na natureza. Entretanto, prefere locais sem corrente forte de ar e sem raios solares intensos. Assim, ao manter um periquito em casa, certifique-se de que a gaiola esteja protegida dessas condições.

Apesar de ser adaptável a ambientes, seu organismo é sensível como o de qualquer ave doméstica. Você tem alguns cuidados especiais com que se preocupar. Quando você altera o fluxo ou quantidade ou ainda tipos de alimentos, atente-se para alterações visuais e comportamentais.

Então, observe a intensidade das cores nas penas, a quantidade de vezes que procura o pote de alimento e consequente a quantidade de vezes que evacua, a força de seus gritos e em especial se mudou o tipo e as situações dos gritos.

Importante: até aqui, este artigo pode até estar dando impressão de que você vai ter muito trabalho com seu periquito. Entretanto, é somente impressão. Na verdade, esses cuidados acabam sendo automáticos com o passar das semanas de relacionamento entre você e sua ave de estimação.

Trata-se da tal relação custo-benefício de que a gente fala mais abaixo. Então, uma dica legal é, antes de adquirir um indivíduo periquito, verifique se há veterinários aviários nas proximidades de sua casa. Se possível, peça informações a ele.

Cores naturais

Há duas cores de penas que especialistas e biólogos consideram “reais e normais” num periquito: verde e amarelo. As lojas de pets estão repletas dessas aves com todas as cores possíveis. Porém, elas foram alteradas por mistura genética com objetivo exclusivo de comércio.

A Biologia e a Veterinária veem periquitos de outras cores com bons olhos e alegam que são aves normais. Estão, inclusive, inscritas na taxonomia oficial (taxonomia é a parte da Biologia que classifica e registra todos os seres vivos conhecidos e os a serem descobertos). Porém, para efeito de estudos, é necessário que essa observação seja feita.

Veja as versões mais interessantes

Há vários tipos de periquito.


Existe uma infinidade de tipos de periquitos, todos encantadores, barulhentos e principalmente amigáveis.

Periquito Australiano

É um dos menores da espécie. Do bico à cauda, tem entre 18cm e 20cm. É em geral verde, mas pode apresentar nuances de azul e amarelo em meio a essa cor. Porém, há indivíduos com combinação de mais de 100 cores.

Seu ciclo de vida é entre 10 e 14 anos. Dentre as versões de periquito, é a mais conhecida no mundo. O que caracteriza bem esse periquito é uma pequena mancha colorida nas laterais da face.

Alguns criadores apreciadores de aves dizem que pode apresentar algum nível de agressividade. Entretanto, isso não é normal. Na natureza, apoia-se em bandos com entre 60 a 80 elementos, pois gosta muito de interação. Desta maneira, se você tiver um periquito australiano em casa e precisar se ausentar por alguns dias, convém deixá-lo em companhia de outra ave, mesmo que não seja da espécie.

Barraband

A nuca de cor azul e as laterais da face amareladas se constituem no charme dessa ave. Já o macho dispõe de uma faixa vermelha no pescoço. Entretanto, é esverdeado em geral. O bico vermelho também chama a atenção.

É tido como um dos tipos de porte médio, podendo chegar a pouco mais de 40cm de comprimento.

O país de origem do periquito barraband é a Austrália, que, aliás, é forte fornecedor desse tipo de ave para o mundo inteiro. Apresenta bom ciclo de vida, pois atinge até 30 anos de existência.

Quando na natureza, não tem costumes territoriais. Está sempre à procura de locais com alimento abundante. Quando em cativeiro, é bastante sociável com qualquer animal de tamanho semelhante.

O periquito barraband é prioritariamente monogâmico, isto é, substitue o parceiro somente com a morte ou desaparecimento deste.

Periquito Ringneck

Esse tipo de periquito é mais conhecido na Europa e Ásia, além de também estar muito presente na África. Chega a 40cm de comprimento e vive por volta de 30 anos.

Sua cauda e seu bico são grandes. É possível diferenciar fêmeas de machos por uma faixa anelada no pescoço que este mostra, nas cores preto e rosa.

Periquito Rei

É uma das versões de periquito mais comercializada, em especial na América do Sul. Por isso, é alvo constante de caça irregular. Isso ocorre porque o colorido de suas penas é abundante e chamativo. O topete alaranjado é o ponto alto de seu visual.

É de porte médio, ou seja, mais ou menos 30cm de comprimento. O tempo de vida é grande, o que significa que você vai ter companhia por longo período, mais ou menos 30 anos.

O sentido de monogamia é até mais forte que nas outras versões. Há indivíduos que, mesmo perdendo o parceiro, não se dispõe a constituir novo casal nunca.

Apesar de ter capacidade de fala, o som que mais o caracteriza é o assobio. É capaz de passar o dia inteiro produzindo esse som agudo que, ao contrário do que pode parecer, não é entediante para os presentes no recinto.

Príncipe Negro

É bem presente no Brasil, mais fortemente na região sudoeste, além de na Argentina e Bolívia. O verde é a cor mais evidente em todo o corpo, que acaba se tornando boa camuflagem em meio à vegetação. Gosta de companhia, aliás, até mesmo se esforça para ter.

Com porte médio, mais ou menos 30cm, se apresenta nas cores verde bem amarelado e a cabeça é sempre enegrecida. Vive mais ou menos 30 anos.

Escola de fala

Certamente você gostaria de conhecer algumas estratégias para ensinar seu periquito a falar. Lembre-se de que a fala não é característica geral. A boa maioria dos periquitos pode emitir sons compreensíveis, mas isso não é regra.

Vamos lá.

  • Paciência é a primeira preocupação que você deve ter. Assim, respeite a individualidade dele
  • Retire espelhos ou qualquer outro objeto que reflita imagem. Ele pode confundir com um semelhante e não focar atenção em você
  • Observe no dia a dia o momento em que ele mais parece confortável. Isso ajuda no humor do rapazinho
  • Claro, comece com palavras curtas, sem consoantes e sons que exijam esforço, como “T”, “P”, “EX” etc. Prefira palavras que a família repita com certa constância, como apelido de alguém ou o nome de outros pets. Criadores experientes iniciam a lição com o próprio nome do periquito
  • Pronuncie a palavra lenta e claramente. Demonstre entusiasmo no som dela
  • Use a estratégia do prêmio. Dê comida ou bolachinha sempre que ele repetir a palavra
  • Entretanto, jamais dê bronca. Nunca. Mesmo que ele não fale nada durante os primeiros dias ou semanas
  • Atenção ao tempo da aula: tão logo sinta que ele está cansado, pare
  • Não mude a palavra imediatamente após a primeira vez que ele a pronunciar. Permaneça com ela durante mais algumas oportunidades
  • Mesmo fora das sessões de aula, converse com ele (bem, essa dica é praticamente desnecessária, pois você vai se sentir impelido a conversar com ele de qualquer maneira)
  • Vá inserindo frases mais longas assim que ele pronunciar entre 6 e 10 palavras diferentes

Então, é isso

Bem, assim é a vida de um periquito. É ave que alegra qualquer ambiente em qualquer lugar do mundo. Você, que é admirador entusiasta de animais em geral, pode ajudar muito para difundir o sentido de respeito e carinho para com eles. Converse com amigos e conhecidos, participe de grupos em redes sociais. Isso é altamente saudável para nossa civilização.

E, tendo alguma dúvida sobre a vida e hábitos de periquitos, expresse-a no campo de comentários abaixo.

Por Serg Smigg

Serg Smigg é jornalista, redator, revisor e analista textual, além de roteirista e escritor. Extremo defensor das causas animais, cria seus textos apresentando conceitos claros sobre a importância desses para a humanidade e caminhos para sejam cada vez mais respeitados. A paralelo, ministra palestras inspiracionais corporativas na área de comunicação interna, externa e interpessoal social. Oferece dicas de gramática e expressividade em seu site smiggcomcorp.wordpress.com.

Deixe uma resposta