O Pastor alemão ou Lobo-da-alsácia (em alemão: Deutscher Schäferhund) é uma raça canina de grande porte proveniente da Alemanha. É uma raça relativamente nova, de origem que data do final do século XIX, por cerca de 1899.

Pastor alemão ou Lobo-da-alsácia (em alemão: Deutscher Schäferhund) é uma raça canina de grande porte proveniente da Alemanha. É uma raça relativamente nova, de origem que data do final do século XIX, por cerca de 1899. Foi desenvolvida para ser utilizada como cão pastor de rebanhos, e mais tarde para ajudar a polícia e soldados.

Desde então, devido à sua força, inteligência, lealdade, treinabilidade, obediência e instintos protetores naturais, o Pastor alemão é a raça preferida para muitos tipos de trabalho, incluindo assistência e guia para surdos e cegos, busca e salvamento, tarefas policiais e militares e até atuar.

Atualmente é mais utilizado como cão de guarda e companhia, sendo considerada umas das raças mais numerosas e estudadas no mundo inteiro. A raça foi originalmente encontrada em fazendas alemãs, sendo padronizada em 1.890 por um oficial da cavalaria alemã, Capitão Max Von Stephanitz, cujo ideal era aperfeiçoar um cão pastor superior e de aparência elegante.

Saiba mais sobre o Pastor Alemão abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Pastor Alemão

Origem: Alemanha
Data de origem: 1899
Grupo de Raças: FCI – Grupo 1 – Cães pastores e boieiros (excepto boieiros suíços) / AKC Herding
Função original: cão pastor
Função atual: cão policial, militar, pastor e companhia.
Outros nomes ou apelidos: Deutscher Schäferhund, Lobo-da-alsácia
Tamanho: grande porte
Altura: Machos de 30 cm a 40 cm / Fêmeas de 22 cm a 32 cm
Peso: Machos de 60 kg a 65 kg / Fêmeas de 55 kg a 60 kg
Cores: castanho com capa preta, preto e castanho, totalmente preto e cinza.
Pelos: lisos, compridos ou curtos.
Manutenção: fácil, escovações semanais.
Expectativa de vida: cerca de 10 a 14 anos.
Filhotes:
Reconhecimento (Canil): ACA; ACR; AKC; ANKC; APRI; CKC; CKC; DRA; FCI; GSDCA; KCGB; NAPR; NKC; NZKC; UKC.

Introdução à raça Pastor Alemão

Trio de Pastores alemães junto em uma floresta. (Créditos/Copyright: “Nikolai Tsvetkov/Shutterstock”)

O Pastor alemão foi importado para os Estados Unidos no início de 1.900 e se popularizou ainda mais após a Primeira Guerra Mundial, quando um pequeno filhote da raça foi encontrado pelo Cabo Lee Duncan em um canil crivado de bombas na França.

Ele foi trazido para Los Angeles, onde foi treinado e transformado em um dos cães mais famosos do show biz: Rin Tin Tin – que estrelou em dúzias de filmes, transformando a raça em uma das mais famosas do mundo.

Criado especificamente para trabalhar com humanos, a raça é fácil de ser treinada e aprende comandos rapidamente. Mas embora o Pastor alemão possua algumas das melhores características caninas, não é uma raça para qualquer um, tanto é que está entre as raças mais abandonadas devido a dificuldade a criá-lo e treiná-lo da forma adequada.

O seu treinamento deve começar cedo, e se não lhe for dado uma tarefa, o Pastor alemão irá procurar por si próprio. Como foi feito para pastorear o dia todo, ele possui muita energia e precisa de muitos exercícios e atividades.

Sem isso, o Pastor-alemão é capaz de demonstrar todo o seu tédio e frustração de formas desagradáveis, como latindo em excesso e roendo coisas.

Pastores precisam de convívio

Por causa do seu tamanho e níveis altos de energia e necessidade de atividade, eles são mais adequados aos lares com jardim, para que tenham oportunidades para se exercitar livremente.

Apesar disso, não costumam se adequar a viver fora de casa ou canil, pois preferem ficar dentro de casa como parte da família.

A raça é capaz de ser um cão leal a sua família e um guardião corajoso para o lar. Ele costuma criar um vínculo forte com a sua família, podendo ser muito protetor. Mas, também são reservados e até desconfiados, principalmente de estranhos.

Pode também ser agressivo com outros cães, mas geralmente é tranquilo com outros animais de estimação de seu convívio. Se for exposto a diferentes situações e pessoas desde filhote, é capaz de aprender a conviver com novas pessoas e situações.

Além de um cão trabalhador energético, leal, versátil, atlético, corajoso e companheiro devotado, o Pastor alemão não é uma raça, mas um estilo de vida!

Origem da raça Pastor Alemão

Dupla de Pastores Alemães lado a lado na pradaria. (Créditos/Copyright: “Nikolai Tsvetkov/Shutterstock”)

Apesar da sua aparência ligeiramente parecida com o lobo, o Pastor alemão é uma raça desenvolvida recentemente, e ao contrário de crenças nativas, ele não é mais relacionado com este animal do que qualquer outra raça canina.

Esta raça é o resultado de esforços conscientes em produzir o pastor ideal, capaz de pastorear e proteger rebanhos. Talvez, nunca na história de qualquer outra raça tantos esforços foram feitos para o aprimorar um cão como foi com o Pastor Alemão.

Os primeiros cães pastores

Durante 1.850 na Europa, foram feitas inúmeras tentativas para padronizar raças caninas. Os cães eram cruzados para preservar suas características que auxiliavam no trabalho de pastoreio de ovelhas e de proteção do rebanho de predadores.

Na Alemanha, tal prática era feita em comunidades locais, onde pastores selecionavam e criavam estes cães. Todos reconheciam que a raça possuía as qualidades necessárias para pastorear ovelhas, como inteligência, velocidade, força e faro apurado.

Os cães resultantes destes cruzamentos eram capazes de desempenhar o trabalho, mas se diferenciavam, significativamente, tanto na aparência quanto na habilidade, de acordo com cada local de origem.

Para combater estas diferenças entre a mesma raça, formou-se a Sociedade Phylax em 1.891 com a intenção de criar planos de desenvolvimento para raças caninas nativas da Alemanha.

A sociedade foi dissolvida depois de três anos devido a conflitos internos com relação às características caninas que a sociedade deveria promover; alguns membros acreditavam que os cães deveriam ser criados exclusivamente para fins de trabalho, enquanto outros acreditavam que os cães poderiam ser criados também pela aparência.

Embora tenha fracassado no seu objetivo, a Sociedade Phylax inspirou muita gente a buscar raças padronizadas de forma independente.

O primeiro cão Pastor alemão

Com o aumento das grandes cidades industrializadas na Alemanha, a população de predadores começou a diminuir, fazendo com que cães pastores passassem a ser desnecessários. Ao mesmo tempo, a consciência de que eles eram uma classe de cães versáteis e inteligentes começou a aumentar.

Foi quando Max von Stephanitz, um ex-capitão da cavalaria alemã e estudante de veterinária de Berlin, além de ex-membro da Sociedade Phylax, passou a apostar firmemente na raça e acreditar que fosse perfeita para o trabalho, seja ele qual fosse.

Em 1.898, Von Stephanitz aposentou-se e passou a experimentar com cruzamentos caninos para criar um cão pastor ainda mais superior. Stephanitz estudou as técnicas de cruzamentos dos ingleses, famosos pelos seus cães pastores excepcionais, e viajou por toda a Alemanha, indo a exposições e observando cães do tipo pastores alemães.

Ele admirava a inteligência, força e habilidade dos cães pastores alemães, mas não conseguia achar uma única raça que pudesse satisfazê-lo por completo.

Problemas com a raça

Na década de 1.970, já visto como um dos caninos mais difundidos do mundo, o Pastor alemão começou a passar por cruzamentos levianos, que geraram animais problemáticos e mais propensos às doenças comuns da raça, como a mielopatia degenerativa e a displasia coxofemoral.

Contudo, em Karlsruhe, Max von Stephanitz junto a outros criadores dedicados começaram a produzir um Pastor alemão responsivo, obediente e bonito usando cães pastores locais de pêlos longos e p los curtos de Wurtemberg, Thurginia e Bavaria.

Estes cães foram apresentados em Hanover em 1.882, e a variedade de pelo curto foi apresentada em Berlin em 1.889.

Neste mesmo ano, Von Stephanitz estava atendendo a uma exposição canina quando conheceu um cão de nome Hektor Linksrhein – o produto de algumas gerações de cruzamentos seletivos provavelmente descendente de cães pastores do noroeste deste país europeu cruzados com lobos da região – que preencheu completamente todos os requisitos que Von Stephanitz acreditava que um cão perfeito deveria ter.

Ele ficou muito satisfeito com a força do cão e ficou tão impressionado pela sua inteligência, lealdade e beleza, que o comprou imediatamente e mudou o seu nome para Horand von Grafrath fundando em seguida a Verein für Deutsche Schäferhunde (Sociedade Cão Pastor Alemão).

Horand foi declarado o primeiro cão Pastor alemão e o primeiro cão a ser registrado pela sociedade como Deutsche Schäferhunde, que significa literalmente “Cão Pastor Alemão” em inglês.

Horand se tornou o foco central de programas de cruzamentos e foi cruzado com cães que pertenciam a membros de outras sociedades que apresentavam características desejáveis e com outros cães da Thuringia, Franconia e Wurttemberg.

O Pastor alemão policial e militar

Embora a intenção de Von Stephanitz fosse que a raça desempenhasse a função de pastor, a Alemanha ia se tornando cada vez mais industrializada, e a necessidade de um cão com esta função foi ficando ainda mais desnecessária. Ele estava determinado de que a raça deveria continuar como cão trabalhador, e decidiu que o seu futuro estaria no trabalho policial e serviço militar.

Tirando proveito de suas conexões militares, Von Stephanitz convenceu o governo alemão a usar a raça. Durante a Primeira Guerra Mundial, o Pastor alemão serviu como mensageiro, batedor, carregador de suprimentos, ajudou na Cruz Vermelha, em buscas e salvamentos, cães de guarda e sentinela.

O Pastor alemão super-star pelo resto do mundo

Embora os Pastores alemães tenham chegado aos Estados Unidos antes da guerra, só se tornaram populares ao fim dela quando soldados dos exércitos aliados notaram a bravura e inteligência da raça trazendo alguns exemplares consigo quando a guerra terminou.

Um deles foi um filhote resgatado de um canil crivado de bombas na França por um Cabo Americano de Los Angeles, que trouxe o filhote para casa, treinando-o e transformando-o em uma das estrelas mais famosas de Hollywood.

Rin Tin Tin, foi um personagem cão-herói que estrelou em 26 filmes diferentes e programas de TV ajudando a disseminar a popularidade da raça pela América e pelo resto do mundo.

O primeiro Pastor-alemão foi exposto nos Estados Unidos em 1.907, a raça foi reconhecida pela AKC em 1.908 e registrada em 1.912. No ano seguinte, pessoas interessadas na raça formaram o Clube do Pastor Alemão da América. Mas, embora os aliados estivessem impressionados pelos cães alemães, não estavam muito felizes com as suas raízes alemãs.

Durante o período de guerras, tudo que estava associado a Alemanha era estigmatizada, e em 1.917, a AKC mudou o nome da raça para apenas Cão Pastor. Na Inglaterra, o cão foi chamado de Cão Lobo da Alsácia, em virtude da área de fronteira entre Alemanha-França, Alsácia-Lorraine. A AKC voltou a usar o nome original de Pastor Alemão apenas em 1.931; e em 1.977 o Clube de Canil Inglês fez o mesmo.

Pastores alemães Vs Pastores alemães “americanos”

Von Stephanitz sempre permaneceu involvido de perto no desenvolvimento da raça, e no início de 1.922, ele ficou ciente de algumas características que estavam dominando a raça, como temperamento fraco e tendência a cáries.

Ele então desenvolveu um sistema rígido de controle da raça: antes que qualquer Pastor alemão fosse criado, ele teria que passar em inúmeros testes de inteligência, temperamento, atleticismo e boa saúde. Por outro lado, criadores americanos não eram tão regulados.

Nos Estados Unidos, os cães eram criados para vencer exposições, e sendo assim criadores colocavam mais ênfase na aparência e na forma com que o cão se movia. Depois da Segunda Guerra Mundial, os Pastores alemães e americanos começaram a divergir dramaticamente.

Até que um certo ponto, os departamentos de polícia e do exército americanos começaram a importar os Pastores alemães criados na Alemanha, pois os locais, ou seja, criados nos Estados Unidos, estavam falhando nos testes de desempenho e disseminando condições genéticas de saúde.

Mas, há algumas décadas, criadores americanos começaram a colocar mais ênfase em suas habilidades ao invés de apenas aparência, importando exemplares alemães para fazer parte de seus programas de criação.

O Pastor alemão atual

Hoje, é possível comprar Pastores alemães criados nos Estados Unidos a altura da reputação original da raça. Assim, estes cães atraentes e versáteis começaram a atrair outros admiradores em outros países, aumentando ainda mais a sua popularidade no mundo inteiro.

Embora ainda hoje o Pastor alemão não esteja entre os primeiros no topo da lista, ele permanece como um dos cães mais versáteis já criados, e ainda entre as raças mais populares e mais vendidas, servindo ainda como cão policial, cão guia, cão de busca e salvamento, cão de detecção de narcóticos ou explosivos, cão de exposição, cão de guarda, animal de estimação — e até pastor.

Aparência do Pastor Alemão

Pastor Alemão deitado sossegado no gramado do jardim de sua casa.(Créditos/Copyright: “Marcelo Rodriguez/Shutterstock”)

A primeira impressão de um bom Pastor alemão é a de um animal forte, ágil, bem musculoso, alerta, cheio de vida com uma aparência geral que denota uma certa nobreza e qualidade – difícil de definir, mas inconfundível quando presente. Ele é bem equilibrado, com um desenvolvimento harmonioso das partes dianteiras e traseiras.

O Pastor alemão é mais comprido que alto e apresenta um contorno de curvas suaves ao invés de ângulos. Eles são substanciais, em forma e sólidos, mas não são volumosos ou pesados, dando sempre a impressão, tanto parado quanto em movimento, de aptidão muscular e agilidade, sem qualquer aparência de desajeitado ou lento.

Suas características sexuais secundárias são fortemente marcadas, e cada animal dá a impressão definitiva de masculinidade ou feminilidade de acordo com o seu sexo. Por exemplo, os machos possuem características faciais distintas, enquanto as fêmeas possuem suas características faciais distintas.

Estrutura

O seu pescoço é bem musculoso, firme e preciso, de comprimento em proporção direta com o tamanho da cabeça em proporção ao tamanho do seu corpo. Seus olhos de tamanho médio em formato de amêndoa, são de cor escura. Eles possuem orelhas moderadamente pontudas, largas na base, eretas e paralelas uma a outra, dobrando na ponta. A sua testa é arcada, e o seu crânio desce até o seu focinho.

A parada é abrupta e pronunciada, e o seu nariz é preto. Eles possuem mandíbulas fortes, bem desenvolvidas com os dentes de fechando em mordida de tesoura. Eles possuem costas fortes, retas, curtas em comparação, e sua cernelha alta inclina suavemente em sua linha superior nivelada. O peito é profundo e capacitado e suas costelas bem arcadas são longas e levadas até ao esterno. O abdômen é firme e moderadamente esgalgado até o lombo. Eles possuem ombros longos, obliquamente angulados com braços musculosos.

As patas acolchoadas são curtas, compactas com dedos bem arcados e unhas escuras. As coxas são largas e fortes, e a garupa é gradualmente inclinada. Sua cauda felpuda alcança abaixo da jarrete quando parado. A pelagem ideal do Pastor alemão é de dupla camada de pelos de comprimento médio que consiste em uma camada externa densa, lisa ou levemente ondulada, dura e rente ao corpo.

Pelagem

A cabeça, pernas e patas são cobertas por pelos curtos, enquanto os pelos em volta do pescoço é mais comprido e mais grosso. Há três variedades de Pastores-alemães: de pelagem dupla, pelagem plush e pelagem comprida. As cores variam, mas cores sólidas e fortes são as preferidas.

O Pastor alemão mais comum é preto e castanho, zibelina ou todo preto, mas também branco, cinza e vinho, porém consideradas um defeito de acordo com a maioria dos padrões. A maioria das variações de cores possuem máscaras negras e marcas pretas pelo corpo que variam entre a clássica “sela” e a “capa” como o popular Pastor-alemão “capa preta”.

Ambiente Ideal para o Pastor Alemão

Filhote de Pastor Alemão deitado sobre a grama do jardim. (Créditos/Copyright: “Lurin/Shutterstock”)

O Pastor alemão pode viver em um lar pequeno ou apartamento apenas se for exercitado suficientemente. Eles são uma raça relativamente inativa dentro de casa, mas adoram ter acesso a um jardim de tamanho médio a grande para ter oportunidades de extravasar toda a sua energia e se exercitar.

Caso não aconteça, pode ficar solitário, entediado e destrutivo. Por ser do tipo que desenvolve fortes laços com seus donos, é um cão muito leal que adora estar na companhia deles, em todos os momentos e atividades.

Por esta razão, ele não é do tipo para ficar isolado no quintal ou no canil – prefere ficar do lado de dentro da casa próximo aos donos, porém com acesso ao lado de fora. Sem a companhia que precisa — assim como exercícios e chances de colocar sua inteligência em uso — ele se torna entediado e frustrado.

O Pastor alemão que não se exercita ou é ignorado pelo seus familiares ou donos costuma expressar sua energia acumulada de formas desagradáveis, como latindo em excesso, mastigando coisas e até ficando agressivo.

Temperamento & Personalidade do Pastor Alemão

Pastor Alemão dando carinho para o seu filhote. (Créditos/Copyright: “Hysteria/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas.

Como todo cão, o Pastor alemão precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Pastor-alemão cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

Atente-se aos temperamentos diferentes

Ao cogitar a raça, antes de tudo, é preciso ter em mente que o temperamento do Pastor alemão pode variar dependendo do seus antecedentes familiares. Pastores alemães de linhagem trabalhadora possuem um forte impulso ou instinto para o trabalho e podem ser mais difíceis de lidar. Se você quer um cão de companhia, deve procurar por um criador de conformação.

Ao comprar um filhote, podem existir dois tipos de cães Pastores alemães que diferem levemente dependendo do seu criador: americano ou alemão. No geral, criadores americanos costumam criar campeões de exposições, que são criados mais pela aparência do que pelas suas habilidades.

Alguns dizem que os Pastores alemães americanos são mais calmos, outros criticam a falta dos talentos originais para desempenhar trabalhos, e que são mais suscetíveis a problemas de comportamento, como ansiedade de separamento.

Por outro lado, os criadores alemães, criam um Pastor alemão mais voltado para as suas habilidades, assim como para se adequar a sua aparência tradicional. Para criar um Pastor alemão na Alemanha ele antes tem que passar por inúmeros testes para provar que alcançava todos os parâmetros de padrões físicos e mentais tradicionais da raça. Estes filhotes tendem a ser mais energéticos e de personalidade mais determinada.

A inteligência como principal característica

Ambas variações de Pastores alemães foram sempre criados especificamente por causa da sua inteligência, uma característica da qual são famosos. O livro “A Inteligência dos Cães”, de Stanley Coren classificou a raça em terceiro lugar em inteligência, logo atrás dos Border Collies e Poodles.

Junto à sua força e obediência, esta característica faz com que a raça seja extremamente útil para a polícia, guarda e cão de busca e salvamento, pois eles são capazes de aprender várias tarefas e interpretar instruções melhores que outras raças.

De qualquer forma, os Pastores-alemães são todos altamente ativos e descritos em padrões de raça como seguros de si. A raça é conhecida pela sua vontade de aprender e ter um propósito. Muitas vezes usados para trabalhar, eles são corajosos, perspicazes, alertas, destemidos, tranquilo, confiantes, sérios, espertos, extremamente leais, profundamente devotados aos seus donos e ao trabalho que tiverem que desempenhar.

Eles não pensarão duas vezes em dar a vida pelos seus donos. Apesar de naturalmente protetores do lar e sempre capazes de alertar sobre estranhos e invasores, eles podem se tornar superprotetores com relação a sua família e território, especialmente se não for socializado da forma correta.

Socialização é fundamental

É extremamente necessário que esta raça seja socializada desde filhote. Agressividade e ataques à pessoas são devido ao tratamento inadequado e falta de treinamento.

Problemas aparecem quando o dono permite que o cão acredite ser o líder sobre os humanos e/ou não fornece estímulos físicos e mentais que ele precisa para ficar estável. Nunca trate o seu cão como gente. Aprenda sobre instintos caninos e trate o seu cão de acordo.

Esta raça precisa de um dono que seja naturalmente autoritário de uma forma calma, mas firme, confiante e consistente. Eles precisam ser treinados desde pequenos. Um cão estável e bem treinado é capaz de se dar bem com outros animais domésticos e ser excelente com crianças na família.

Pastores-alemães com donos passivos podem se tornar tímidos, irrequietos, podem morder por medo e desenvolver problemas territoriais. Eles não irão ouvir se pressentirem que são mais fortes que seu dono.

Com este cão altamente qualificado vem também um desejo enorme de ter um trabalho para fazer e de um líder consistente capaz de guiá-lo nessa tarefa. Eles precisam canalizar todo as sua energia física e mental. Esta não é o tipo de raça que ficaria feliz apenas em deitar no chão ao seus pés ou ficar isolado no quintal, ele precisa da companhia do seu dono.

Lealdade extrema

A sua personalidade pode até ter um ar de indiferença, mas nunca agressiva. Ele é reservado; não costuma fazer amigos imediatamente, mas uma vez confortável, é extremamente leal.

Com a sua família ele é super tranquilo e acessível, mas quando ameaçado pode ser forte e protetor, um verdadeiro cão de guarda. São altamente territoriais, e nunca fogem de uma luta. Não gostam de estranhos e são capazes de frear pessoas indesejáveis.

Muitas pessoas desejam um Pastor alemão para proteção. Mas quase ninguém precisa mesmo de um cão de guarda treinado – a maioria das pessoas ou famílias simplesmente precisam de um cão de guarda que funcione como intimidação.

O tamanho, movimento corporal, reputação e instinto protetor do Pastor alemão já é mais que suficiente para esta tarefa, portanto não compre um “cão de guarda treinado” que não precise e provavelmente não saiba lidar. Um Pastor alemão bem socializado, educado e obediente que mora com a sua família irá protegê-los como parte da sua natureza.

Ele sempre terá a todos sob sua vigília. Ele pode até deitar sob seus pés ou se posicionar a alguns metros mais longe, mas nunca o perderá de vista. Isso é parte da sua ancestralidade de cão pastor. Se você não deseja um cão que guarda os seus passos, não tenha um pastor-alemão.

Pastores alemães são inteligentes, ativos e serão mais felizes com donos igualmente ativos, inteligentes que serão capazes de dar a eles atenção, exercícios, treinamento e muito tempo com ele.

Saiba escolher o seu filhote

Qualquer cão pode ser um desafio de conviver durante a sua adolescência, e no caso do Pastor alemão, seus anos “teen” começam aos 6 meses e podem durar até 2 anos de idade. O Pastor alemão perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação.

Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos.

Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Pastor Alemão

Grupo de Pastores alemães filhotes juntos no parque. (Créditos/Copyright: “Grigorita Ko/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Pastor-alemão à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas.

Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar.

Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde.

Dentes, unhas e orelhas

Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento de dentes precoce.

Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. E cheque suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mal cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

Pelagem

Esta raça costuma soltar pelos constantemente, soltando ainda mais sazonalmente, durante a primavera e outono. Incluir carne crua e ossos na dieta deles pode ajudar a reduzir isso drasticamente. Eles devem ser escovados diariamente, ou pelo menos semanalmente, ou senão você terá pelos por toda a casa.

Banhos devem ser apenas quando necessários, uma ou duas vezes ao ano; banhos demais podem causar irritação na pele e perda de seus óleos naturais. Os Pastores alemães gostam de mastigar e suas mandíbulas poderosas podem destruir muitos materiais.

Se eles escolherem algo errado para mastigar, eles podem machucar os dentes, engolir algo que possa fazer mal, ou até engasgar. Proteja o seu cão e seus pertences dando à ele brinquedos apropriados para que ele possa se entreter sozinho.

Atividade & Exercícios do Pastor Alemão

Pastor Alemão em plena vitalidade correndo pela floresta. (Créditos/Copyright: “Runa Kazakova/Shutterstock”)

Pastores alemães adoram atividades vigorosas, e eles precisam de muitos exercícios diários, de preferência combinados a algum tipo de treinamento, pois adoram um desafio. Eles precisam ser levados para longas caminhadas, corridas ou passeios ao lado da sua bicicleta por pelo menos uma a duas horas por dia.

Enquanto estiver na coleira, ele deve estar sempre ao seu lado ou atrás, nunca na frente, pois na sua mente quem está na frente lidera e quem lidera deve ser sempre o humano.

A maioria dos pastores adoram jogar bola ou Frisbee. Dez ou quinze minutos de brincadeira de buscar aliada a caminhadas irá cansá-lo, assim como dar à ele um senso de propósito.

Seja correr atrás de bola, buscar um Frisbee, treinamento de obediência, participar em parquinho canino ou longas caminhadas e corridas, seu dono deve fornecer alguma forma de exercício para satisfazer os seus instintos. Se ele não for exercitado de forma suficiente e desafiado mentalmente, ele pode ficar incansável e destrutivo.

O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro.

Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Pastor Alemão

Pastor Alemão filhote deitado relaxando. (Créditos/Copyright: “Grigorita Ko/Shutterstock”)

Sabe-se que cada raça de cachorro tem predisposição a determinadas doenças. O Pastor Alemão, não passa ileso à essa regra. Isso, porém, não significa que todos os indivíduos da raça terão as patologias descritas no artigo, e sim que há chance de desenvolvê-las ao longo da vida.

Por isso, é muito importante que o tutor conheça os riscos de condições de saúde e doenças comuns, para preveni-los ou tratá-los o quanto antes.

Primeiramente, quando decidimos comprar um cão de uma raça específica, é muito importante comprá-los de criadores éticos e responsáveis. Por isso, procure conhecer o trabalho do criador e os pais do seu filhote. Verifique se os pais possuem alguma doença que possa ser eventualmente transmitida à próximas gerações. Questione o criador sobre isso.

Problemas oculares

O Pastor Alemão tem tendência a desenvolver os seguintes distúrbios oculares:

  • Atrofia Progressiva da Retina – Doença de origem hereditária que leva à cegueira, normalmente de ambos os olhos do cão. Infelizmente não tem cura.
  • Catarata – O Pastor Alemão possui tendência ao desenvolvimento de catarata herdada ou familiar, portanto, torna-se necessário um controle periódico no veterinário de confiança já que é uma condição que pode ser tratada.
  • Dermóide – Tecido cutâneo ectópico com crescimento circunscrito ou focal, localizado no limbo, córnea e/ou conjuntiva. O tecido é formado por elementos da pele normal como epiderme, derme, gordura, glândulas sebáceas, vasos sangüíneos, cartilagem e, enfim, folículos pilosos.

Displasia coxofemoral

A displasia coxofemoral é o distúrbio mais comum em cães de grande porte, que tem crescimento muito rápido. Trata-se de uma instabilidade causada pela alteração no acetábulo, colo e cabeça do fêmur.

Hereditariedade e o ambiente em que o cachorro vive influenciam, certamente, o surgimento da enfermidade. Por ser transmitido geneticamente, machos e fêmeas que tenham esse problema de saúde não são recomendados para reprodução.

O animal pode começar a desenvolver essa complicação ainda quando jovem. Normalmente surge entre quatro meses e um ano de idade.

Displasia do cotovelo

A displasia do cotovelo é uma doença degenerativa muito frequente em cães jovens. É transmitida geneticamente, todavia pode estar relacionada também à alimentação, manutenção do peso, ambiente, qualidade dos ligamentos, excesso de exercício físico ou traumatismos.

Os primeiros sintomas podem começar a aparecer aos 4-5 meses. O cachorro pode, então, mostrar intolerância ao exercício e claudicação ao iniciar um movimento ou depois de um exercício prolongado. Entretanto, alguns cachorros podem não apresentar sinais até a idade avançada. Nestes casos, é comum que a condição seja acompanhada de osteoartrite.

Panosteíte

Inflamação de ossos longos caracterizada que provoca claudicação em animais jovens. De fato, normalmente afeta animais de 5 a 18 meses.

O distúrbio ocorre em cães de crescimento rápido, mesmo sem histórico de trauma ou exercício excessivo. Os sinais são claudicação intermitente de um ou mais membros e é auto-limitada, ou seja, pode desaparecer com ou sem tratamento. A causa da doença é, entretanto, desconhecida.

Osteodistrofia Hipertrófica

Também conhecida como Doença de Moeller-Barlow, é uma doença que causa destruição das trabéculas metafisárias nos ossos longos de cães jovens que apresentam crescimento rápido.

Os sinais clínicos surgem, geralmente, por volta dos três a quatro meses de idade. A causa da doença, entretanto, é desconhecida.

Torção Gástrica

A torção gástrica, também conhecida como dilatação vólvulo gástrica, é um distúrbio comum em cães de portes grandes e gigantes. É um quadro considerado emergência veterinária pois seu desenvolvimento é repentino e pode levar à morte em poucas horas (6-12 horas).

É uma condição na qual o estômago do cachorro vira, torcendo, assim, os canais de entrada e saída do órgão, além dos vasos sanguíneos. Por isso ocorre com mais frequência em cães de porte grande, já que possuem tórax profundo.

Dessa forma, o alimento contido no estômago fica retido e fermenta. A fermentação produz gás que fica aprisionado e, por isso, aumenta consideravelmente o volume estomacal, o que acaba comprimindo ainda mais os vasos e canais.

Portanto, o animal além de não conseguir eliminar o gás e/ou alimento retido por via oral ou intestinal, também não tem mais uma circulação sanguínea adequada podendo ocorrer necrose por estrangulamento da parede gástrica e de outros órgãos.

Megaesôfago

O Pastor Alemão tem tendência ao desenvolvimento de megaesôfago. Trata-se de uma dilatação indesejada do esofago que pode ocorrer por três razões:

  • Falha da contração dos músculos do tubo esofágico, prejudicando a função de enviar o alimento para o estômago;
  • Redução do tônus muscular e desenvolvimento de bolsa flácida aprisionando, assim, o bolo alimentar;
  • Restrição do esôfago em algum ponto de sua extensão, impedindo que o alimento vá para o estômago.

O sinal clínico mais freqüente é a regurgitação, acarretando em um quadro de perda de peso e caquexia. O tratamento até, ao presente momento, não é eficiente para a fraqueza esofágica. Recorre-se, portanto, a dieta pastosa para tentar evitar mais dilatação e pneumonia por aspiração.

Miastenia Grave Adquirida

Doença causada por uma falha na transmissão da sinapse neuromuscular. Os sinais clínicos são: fraqueza muscular generalizada, fadiga, ventroflexão da cabeça após exercícios, passos instáveis e curtos, regurgitação de massas cilíndricas decorrente de megaesôfago.

Super crescimento bacteriano

A síndrome de proliferação bacteriana é uma condição digestiva que se manifesta através do crescimento excessivo de bactérias no intestino delgado. Em cães, esta síndrome causa diarréia crônica e má absorção dos nutrientes ingeridos com dieta.

Cardiomiopatia Dilatada

Trata-se de uma dilatação ventricular progressiva, com redução de função ventricular esquerda ou de ambos os lados. Em cães afetados por esta anomalia, os ventrículos do coração se dilatam e o músculo cardíaco enfraquece na hora de contrair e bombear o sangue. Isso leva a insuficiência cardíaca e acúmulo de líquido no pulmão.

Persistencia do arco aortico

Anomalia cardíaca congênita que leva à constrição do esôfago com regurgitação pós-prandial em filhotes no período de desmame. Além disso, a afecção causa grave sobrecarga de volume sanguíneo podendo levar à insuficiência cardíaca congestiva no átrio e ventrículo esquerdos, além de edema pulmonar no primeiro ano de vida.

Abiotrofia cerebelar

Considerada uma doença rara, de origem congênita e hereditária. Caracteriza-se por alterações degenerativas e progressivas dos neurônios de Purkinje, que podem ser observadas após o nascimento. Os sinais clínicos podem ocorrer logo após o nascimento ou mais tardiamente, caracterizados principalmente por tremores, hipermetria, espasticidade, ataxia e crises epiléticas.

Mielopatia

Doença degenerativa da medula espinal também chamada de “mielopatia degenerativa do Pastor Alemão” em virtude da ocorrência de casos particulares nesta raça. No entanto, é uma doença descrita em outras raças. Os primeiros sinais clínicos aparecem entre os 5 e os 14 anos de idade.

Neoplasias

O Pastor Alemão infelizmente tem predisposição racial a determinadas neoplasias. As que ocorrem mais frequentemente na raça são:

Neoplasias Pancreáticas

Tumores que provocam hiperinsulinemia, causando consequentemente hipoglicemia. Os principais sinais deste tipo de tumor incluem convulsões, fraqueza, colapso, ataxia e, eventualmente, comportamento bizarro.

Neoplasias Nasais

Os tumores nasais são mais comuns em animais idosos, ou seja com idades entre 7 a 12 anos. Geralmente são malignos e ocorrem mais facilmente nas raças Airedale Terrier, Basset Hound, Old English Sheepdog, Pastor Alemão, Pointers e Collies.

Osteossarcoma

Este é o nome de um tumor maligno ósseo muito comum em cães de porte grande e gigante.

Na maioria dos casos, começa a se desenvolver na região dos joelhos e/ou cotovelos dos cães e, embora possa afetar animais de todas as idades, é mais frequente em cachorros adultos e idosos.

Além disso, este câncer causa metástase de maneira extremamente rápida. Por isso, muitos dos cães, ainda no momento do diagnóstico, já podem apresentar chances baixas de sobrevida.

Seborréia idiopática primária

A seborreia é uma afecção, sem dúvida, muito comum que afeta a pele dos cães. As glândulas sebáceas da pele, neste caso, produzem uma grande quantidade de sebo, favorecendo o aparecimento de escamas, crostas e excesso de gordura. Essa condição pode causar odor desagradável e prurido.

Foliculite Furunculosa

Piodermite profunda causada frequentemente por bactérias Staphylococcus pseudintermedius. É um distúrbio comum em raças puras de Pastores, em cães mestiços e de outras raças de pastoreio, como Dálmatas e Bull Terrier. A causa da infecção é desconhecida. Entretanto, acredita-se que haja predisposição genética.

Outras observações

Certamente, o Pastor Alemão pode desenvolver outras doenças ao longo da vida, mesmo não tendo predisposição racial.

Por isso, o acompanhamento do médico veterinário, assim como conhecer bem seu próprio cachorro, é essencial para detectar precocemente a presença de alguma patologia.

Criadores responsáveis costumam investigar e testar seus cães para evitar a transmissão de doenças genéticas a outras gerações. O certo seria reproduzir apenas os indivíduos saudáveis. Entretanto, um filhote pode desenvolver uma destas patologias mesmo em reproduções cuidadosas.

Esta raça vive por cerca de 10 a 14 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Todavia, qualquer cachorro pode ter sua longevidade estendida desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde.

Treinamento do Pastor Alemão

Pastor Alemão sendo treiando pela sua dona no parque. (Créditos/Copyright: “Dolunay_Sara/Shutterstock”)

O Pastor alemão são pupilos ávidos e são muito rápidos para aprender truques. Eles são muito responsivos ao som da voz de seu dono e exigem socialização intensa e extensa, além de treinamento de obediência.

Eles não respondem bem a métodos duros ou pesados. O seu treinamento deve ser feito com respeito, firmeza, recompensa e consistência. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando.

A sua versatilidade faz com que ele seja adequado para uma variedade de atividades incluindo esportes caninos, sendo excepcionalmente talentosos em uma enorme variedade deles.

O Pastor alemão é também muitas vezes usado em trabalhos policiais, busca e salvamento, guia para cegos e trabalho militar. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar parado é vital para o treinamento dele. Há vários métodos aceitáveis para treiná-lo a conviver dentro de casa.

Considere o treinamento de caixa se for preciso adaptar o seu cão a um ambiente confinado e seguro por razões de segurança e conforto.

Como muitas outras raças pastoras, o Pastor alemão também late bastante, o que não é necessariamente um problema, mas pode vir à ser se ele estiver entediado. Aprender o comando “quieto” deve ser parte do seu treinamento de obediência diariamente.

Nota aos leitores!

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Por Equipe Editorial

O Vidanimal.com.br acredita que compartilhar um bom conteúdo é a melhor maneira de fazer com que a informação chegue ao seu destino ou público alvo. Educar e conscientizar as pessoas é a nossa missão. Procuramos criar parcerias com profissionais empenhados em fazer parte dessa missão. Contamos com uma equipe de colaboradores que amam aquilo que fazem e se dedicam todos os dias para levar até você um conteúdo informativo de qualidade.

Perguntas & Respostas

    1. Impressioante não? Mas é um dado verdadeiro, Luiz Felipe, pode checar! Animais podem pesar o mesmo que seres humanos, são muitos músculos e massa corporal em portes como esses do Pastor Alemão.

  1. Com certeza é uma das melhores e mais populares raças. É perfeita par pessoas e familias com estilos de vida completamente diferentes, que ela se adapta nas diversas situações. Conheço pessoas que inclusive moram em apartamentos e conseguiram se adaptar tranquilamente sem o cachorro sofrer. Claramente nesses casos é necessário que alguém desça com o animal pelo menos umas 2 a 3 vezes por dia para um passeio ao ar livre. Uma raça muito inteligente que pode ser muito mais que apenas um cão de guarda, ainda mais se tiver um adestramento correto.

    Eles podem se dar super bem com outros cachorros, mesmo se não forem da raça pastor alemão também, ou tiverem sido criados juntos desde pequenos. Nesses casos as vezes é válido ir fazendo alguns testes para os cachorros irem se acostumando um com o outro, mas um pai de um amigo meu que tem uma pastora fêmea se casou com uma mulher que já possuia 2 cachorros machos e adultos, de alguma raça pequena. O pastor alemão deles sempre foi super tranquilo em relação aos outros dois cachorros e nunca tiveram nenhum tipo de problema relacionado a isso. Lógico que alguns fatores são importantes como se o pastor é macho ou fêmea, por motivos de marcar território, personalidade dos outros animais, treinamento etc. Mas como eu disse é uma raça ótima que eu sempre recomendo para pessoas que estão procurando um animal companheiro, inteligente, independente, que pode se dar bem com crianças e outros animais, além de ser perfeito para fazer sua segurança.

Deixe uma resposta