O jacaré, conhecido também como aligator ou caimão, é um crocodiliano da família Alligatoridae. São, portanto, répteis carnívoros muito semelhantes ao crocodilo. O que os diferencia é que os jacarés possuem a cabeça mais curta e larga e também possuem membranas interdigitais nos polegares traseiros. Além disso, há uma diferença relevante em relação à distribuição geográfica. Os crocodilos, de fato, são nativos das Américas, África, Austrália e Ásia, enquanto os jacarés são tem ampla distribuição global.

De fato, O aligátor-americano (Alligator mississippiensis) é uma espécie típica dos Estados Unidos, já o aligátor-chinês (Alligator sinensis) é encontrado no leste da China. Os jacarés da subfamília Caimaninae, no entanto, são encontrados na América do Sul, enquanto o jacaretinga (Caiman crocodilus) também é encontrado na América Central e sul do México.

O surgimento do jacaré na Terra aconteceu há aproximadamente uns 200 milhões de anos. Dessa forma, é um contemporâneo dos grandes dinossauros conseguindo sobreviver às grandes transformações do Planeta.

Espécies de Jacaré

A família do jacaré é dividida em 4 gêneros diferentes.

A família do jacaré é dividida em 4 gêneros diferentes.

A família Alligatoridae está dividida em quatro gêneros:

Gênero Alligator

Possui duas espécies:

  • Jacaré-americano (Alligator mississippiensis);
  • Jacaré-da-china (Alligator sinensis).

Gênero Caiman

Inclui as espécies:

  • Jacaretinga (Caiman crocodilus) – Nativo do Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Guiana Francesa, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Peru, Suriname, Trinidad e Tobago e Venezuela; e introduzido em Cuba, Porto Rico e Estados Unidos.
  • Jacaré-de-papo-amarelo (Caiman latirostris) – um dos jacarés mais comuns no Brasil. Possui em torno de 3 metros de comprimento e o ventre é amarelo. É encontrado do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte. Ocorre também na bacia do rio Paraná, chegando até o Pantanal. Alimenta-se de peixes, caranguejos, caramujos e insetos.
  • Jacaré-do-pantanal (Caiman yacare) – habita lagoas, rios e brejos principalmente do Pantanal. Alimenta-se de peixes e insetos.

Gênero Melanosuchus:

Possui apenas a espécie Jacaré-açu (Melanosuchus niger). Trata-se de uma espécie exclusiva da América do Sul, sendo encontrado em toda a bacia amazônica, incluindo Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Peru e algumas áreas da Guiana e Guiana Francesa. Pode medir 6 metros de comprimento e alimenta-se de diversos animais, como tartarugas, peixes, capivaras e veados.

Gênero Paleosuchus

O gênero inclui duas espécies:

  • Jacaré-anão (Paleosuchus palpebrosus) – considerado um dos menores crocodilianos do mundo. De fato possui apenas 150 centímetros de comprimento, no máximo. Pode ser encontrado em diversos países da América do Sul, inclusive no Brasil.
  • Jacaré-coroa (Paleosuchus trigonatus)- habita a Amazônia e mede cerca 1,5m de comprimento.

Etimologia do nome

O termo “jacaré” se origina do termo tupi “îakaré”, ou “jaeça-karé”, que significa “aquele que olha de lado”. O termo “aligátor” se origina do termo inglês “alligator” que provavelmente é uma adaptação do espanhol “el lagarto”. Algumas variações antigas da grafia em inglês incluem “allagarta” e “alagarto”. Já o termo “caimão” se origina do termo taino “kaiman”. Caimão é um nome comum a diversos jacarés americanos do gênero CaimanClassificação do Jacaré

  • Nome científico:Alligatoridae
  • Reino: Animalia
  • Filo: Chordata
  • Classe: Reptilia
  • Ordem: Crocodylia
  • Família: Alligatoridae
  • Expectativa de vida: 80 a 100 a
  • nos.

Características Físicas do Jacaré

O jacaré é muito confundido com o crocodilo.

O jacaré é muito confundido com o crocodilo.

Primeiramente, sabe-se que os jacarés são muito confundidos com os crocodilos, entretanto apresentam algumas diferenças físicas.

  • Os jacarés apresentam a cabeça mais curta e mais larga, com formas mais arredondadas do que as do crocodilo.
  • Além disso, ao contrário do que ocorre com jacarés, os dentes dos crocodilos são perfeitamente alinhados. O quarto dente canino da mandíbula inferior do jacaré encaixa num orifício da mandíbula superior. Entretanto, todos os crocodilos apresentam o quarto dente do maxilar inferior hipertrofiado e encaixado numa cavidade lateral na parte externa da boca. Mesmo com a boca fechada, fica visível.
  • O jacaré pode trocar a dentição até 40 vezes, podendo chegar a ter 3000 dentes, ao longo da vida. Isso por que cada dente que eles perdem é reposto.
  • No ventre, os crocodilos apresentam escamas com poros glandulares, o que não aparece no ventre dos jacarés.
  • O jacaré possui uma membrana interdigital nas patas posteriores, o que os ajuda a ter mais agilidade dentro da água.

Muitas pessoas acreditam que o crocodilo seja maior do que um jacaré. Essa informação, não está incorreta, já que o maior réptil do mundo é o crocodilo-de-água-salgada. No entanto, há algumas espécies de jacaré que apresentam tamanho maior do que algumas espécies de crocodilo. O tamanho de um jacaré pode variar de 1,2 metros (jacaré-anão) até 5,5 metros (jacaré-açu), podendo pesar de seis a seiscentos quilos.

Comportamento

O jacaré é uma nimal sociável e geralmente fica em grupos.

O jacaré é uma nimal sociável e geralmente fica em grupos.

Os jacarés são criaturas sociais e geralmente ficam em grupos. São animais de hábitos noturnos, no entanto geralmente são vistos tomando sol ou nadando. Isso acontece porque os jacarés, assim como os outros répteis, não podem termorregulação, ou seja, precisam de uma fonte de calor externa para poder se aquecer.

Além disso, o jacaré hiberna durante 4 meses. Nesse período, ele não se alimenta e aproveita o período para tomar bastante banho de sol e se aquecer. De fato, possui um órgão peculiar de gordura dentro do abdômen que permite que fique sem comer por um período prolongado.

Em terra eles são desajeitados, mas na água eles podem nadar muito rapidamente usando suas caudas, por isso costumam caçar quando estão na água, já que a captura de presas é facilitada.

Ao contrário do que se pensa, o jacaré não ataca o ser humano a não ser quando estiver se sentindo ameaçado. Ele não morde de frente como as cobras, morde apenas pelas laterais.

Reprodução

o jacaré se reproduz no verão.

o jacaré se reproduz no verão.

Seu período de reprodução é no verão. Ou seja, no Brasil ocorre entre janeiro e março, época das grandes enchentes dos rios. As fêmeas botam de 30 a 60 ovos por ninhada.

O macho costuma cruzar com várias fêmeas, enquanto as fêmeas tem apenas um parceiro por estação.

Depois da cópula, a fêmea constrói o ninho perto da água usando folhas secas e pedaços de plantas, cobrindo-o com folhas e areia. Nesta época, a fêmea fica bem mais agressiva permanecendo perto do ninho para evitar o ataque de predadores como o lagarto teiú e o quati.

O sol e a fermentação dos vegetais no ninho geram o calor necessário para que os ovos sejam chocados entre 70 a 90 dias.

O gênero dos filhotes, antes do nascimento, depende da temperatura do ninho. De fato, temperaturas abaixo de 28 graus Celsius produzem fêmeas, acima de 33 graus, machos. No entanto, uma temperatura média de 31 graus produz machos e fêmeas.
Próximo do nascimento é possível ouvir o som dos filhotes, ainda dentro dos ovos, chamando a mãe. Ela então, desmancha o ninho usando as patas e o focinho. Caso algum filhote tenha dificuldade ao nascer, a mãe o ajuda mordendo cuidadosamente os ovos e posteriormente ela carrega cada um na boca até a água.

O macho cuida dos recém-nascidos que já estão na água e ambos os pais permanecem próximos aos filhotes, por um tempo.

Alimentação

Jacarés são ótimos caçadores aquáticos, já que nesse ambiente conseguem exteriorizar sua máxima performance. Alimentam-se, principalmente de peixes, aves e mamíferos. O jacaré não mastiga, e sim, morde a presa. Costumam carregá-la para o fundo da água, onde a despedaçam fazendo um giro de 360 graus. Quando caçam aves ou mamíferos, costumam afogá-los antes.

O jacaré tem capacidade de engolir pedaços de carne submersos, sem engolir água. Isso deve-se a um sistema de válvula muscular que possuem na boca. Além disso, esses animais podem engolir pedras e ou lascas de madeira, que permanecem no estômago para auxiliar na digestão e na flutuação.

A digestão é totalmente enzimática, como nas cobras, pois engolem as presas inteiras, com ossos e penas.

Pode, também, ocorrer canibalismo, no entanto apenas quando o alimento é escasso, numa área de alta densidade populacional.

Habitat dos jacarés brasileiros

O jacaré brasileiro vive em diversos habitats diferentes.

O jacaré brasileiro vive em diversos habitats diferentes.

O Jacaretinga vive em água doce. Podem, portanto, viver em lagos, riachos próximos a igarapés e até mesmo rios grandes. Pode ser encontrado em diversos lugares da América do Sul. Há mais incidências desse animal no Peru, Colômbia, Venezuela e no Brasil. No nosso País, ele é muito encontrado na região norte do Amazonas e também na região Centro-Oeste no rio Tocantins e Araguaia. Muitas vezes esse animal é encontrado perto de áreas urbanas, e tornam-se problema.

O jacaré-de-papo-amarelo é encontrado em pântanos, rios, charcos e riachos, que oferecem grande quantidade de vegetação aquática. No entanto, é encontrado também em regiões com água salobra ou salgada (áreas de mangues). Atualmente, no Brasil, é difícil encontrar um jacaré-de-papo-amarelo “velho”. Isso porque são atacados por caçadores para a retirada de sua pele para comercialização, infelizmente.

O jacaré-do-pantanal, como o nome bem diz, tem sua morada nas águas. Em terra, quase sempre, é desajeitado e perde o seu famoso poder de reação, fugindo à primeira ameaça que vê pela frente.

Importância do jacaré para o meio ambiente

O jacaré tem grande importância ecológica e está em perigo de extinção.

O jacaré tem grande importância ecológica e está em perigo de extinção.

Os jacarés são animais ecologicamente importantes, pois fazem o controle biológico de outras espécies de animais. De fato, se alimentam de animais mais velhos e fracos que não conseguem escapar de seu ataque.

Além disso, suas fezes servem de alimento para peixes e outros seres vivos aquáticos.

Predadores e formas de defesa do Jacaré

O jacaré é um predador do topo da cadeia alimentar. Seu maior perigo, entretanto, permanece o humano.

Jacarés, de fato, são vítimas de caça devido ao valor comercial de seu couro. Além disso, estão ameaçados pela poluição de seu habitat.

Risco de Extinção do Jacaré

Hoje, os jacarés-de-papo-amarelo fazem parte da lista de animais em extinção do IBAMA. Isso se deve, principalmente, pela destruição de seu habitat e à poluição dos rios.

Já o Caiman crocodilus, segundo o site da IUCN (International Union for Conservation of Nature), encontra-se estável, sem risco de extinção no momento.

O jacaré-açu (Melanosuchus niger) é uma espécie que esteve à beira da extinção devido ao valor comercial do seu couro de cor negra e da sua carne. Atualmente, todavia, encontra-se protegido e sua população encontra-se estável no Brasil.

A mesma situação foi constatada em relação ao jacaré do pantanal. De acordo com os levantamentos aéreos realizados pela equipe da EMBRAPA Pantanal, existem 3 milhões de jacarés adultos nos mais de 140 mil km2 de área ocupada pelo Pantanal. Isso significa, portanto, que a população está estável e não corre risco de extinção.

Referências Bibliográficas

EMBRAPA – Comportamento de termorregulação do jacaré-do-pantanal, Caiman crocodilus yacare.
Greenme – Jacaré: Características, alimentação e curiosidades
Zooassessoria – Jacaré de papo amarelo