caes-merle-pastor-australiano
(Crédito/Copyright: “/Shutterstock”)

O que são Cachorros MERLE

Cachorros de raça Merle estão cada vez mais populares

Você já deve ter pelo menos ouvido falar ou talvez tenha lido em algum lugar anúncios de criadores vendendo “cachorro de raça merle”. Este assunto está cada vez mais comum, a procura por esses animais mais popular e a quantidade de cachorros “merle” só vem aumentando.

Mas você realmente sabe o que significa o termo “merle”? O que há por trás deste assunto tão polêmico que anda dividindo opiniões e despertando tanto o interesse das pessoas?

O termo “merle” é vendido como um padrão de pelagem canina, comumente referido de modo incorreto como uma cor. Mas na verdade, “merle” é um heterozigoto de um gene dominante incompleto que, quando cruzados entre si, dá-se uma mutação genética gerando em média, 1/4 dos filhotes “merle duplo”, ou seja, homozigotos para Merle, o que não é exatamente ideal para o cachorro, pois uma alta porcentagem desses filhotes são afetados por uma série de problemas de saúde por causa deste gene.

A genética “merle” e suas consequências

O gene “merle” provoca uma diluição irregular sobre a cor da pelagem visível do cão modificando a cor da base de pêlos esbranquiçando-a e criando manchas. A irregularidade da diluição produz aquilo que parece ser uma série de amostras de cores escuras em um campo de cor mais clara. O gene merle também modifica a coloração escura dos olhos mudando para azul ou a parte do olho que for azul, mancha de rosa e preto o nariz e almofadas das patas e, no pior das hipóteses, causa defeitos oculares afetando a visão e surdez congênita. Defeitos oculares incluem microphthalmia, condições que causam aumento da pressão ocular, e colobomas, entre outros. Cães duplo merle podem ser surdos ou cegos, ou até ambos e muitas vezes com outros problemas físicos como completamente sem olhos.

cachorros-merle2
Pastor Australiano com as manchas na pelagem típicas de uma Merle e olhos azuis. Crédito/Copyright: “Por Bildagentur Zoonar GmbH/Shutterstock”

Criadores responsáveis e respeitáveis, no mínimo, não deveriam produzir filhotes merle, mas caso desejem reproduzir estes filhotes, cães merle não devem ser cruzados entre si, ou recomenda-se a cruza de um merle com um cão de pelagem sólida para evitar possíveis problemas de saúde. Assim, cerca da metade dos filhotes será merle sem o risco de problemas de visão ou audição e a outra metade não merle.

O problema é que a maior parte das pessoas que costumam comprar filhotes de raça procuram quase sempre por um mesmo padrão: um filhote de cachorro raro, de pêlos brancos e olhos azuis. E onde a procura é grande, sempre haverá muita oferta. Por esta razão, criadores nem sempre confiáveis acabam ignorando certos padrões de cruzamento a fim de contabilizar em cima de tanta procura dando pouca importância à saúde destes animais, passando a reproduzir em larga escala sem o cuidado necessário e acabando por disseminar o gene merle que por consequência, gera uma série de complicações genéticas.

Raças com padrão Merle

Existem muitas das raças com pelagem merle em seus padrões, principalmente as raças de pastoreio como o Pastor Australiano, o Pastor de Shetland, Collies de todos os tipos (de pêlos ásperos e lisos), o Pastor dos Pirinéus, Border Collies, o Welsh Corgi, o Bergamasco Sheepdog, Sheepdog, Pembroke, Cardigan Welsh Corgi, Cães Leopardo da Louisiana Catahoula, entre outros.

A pelagem merle também aparece em outras raças como o American Pit Bull Terrier e em raças inesperadas, como Dachshunds (onde é conhecido como “ruço”) e igualmente presente no Lulu da Pomerânia, Chihuahuas e Papillons, mas é um indicador de cruzamento entre raças diferentes e uma inibição de acordo com as normas da FCI. Já na raça Cocker Spaniel, é um padrão reconhecido, embora esteja listado incorretamente como uma “cor”. O gene merle também desempenha um papel na produção de Dogue Alemão harlequin.

Os diferentes tons de Merle

Merles podem ter diferentes tons já que existem base de pêlos diferentes para cada raça. Cachorros de pêlos pretos se tornam merles “azul”, cães de pêlos azuis tornam-se merles “azuis ou lilás”, pêlos marrom ou chocolate tornam-se merles “fígado ou vermelhos”, e assim por diante.

Outros padrões

Embora o gene merle tenha uma expressão única, alguns outros padrões produzem efeitos semelhantes. O Glossário da AKC cita o Harlequin (remendado, geralmente presente em Great Danes e Dogue Alemão), mosqueado (padrão de manchas arredondadas escuras sobre um fundo mais claro) e “Ruão” ou “salpicado” (mistura fina de cabelos coloridos com cabelos brancos), às vezes presente em Pit Bulls e em cães de raças como o Braco Alemão de pêlo curto. Alguns cães com marcações “Ruão” também têm outras manchas de cor, como visto em Ponteiros de cabelos curtos alemão e cães pastores australianos, que normalmente se confundem com cães merle.

Para saber mais sobre o assunto, acesse os links externos abaixo:

Dog GeneticsO que é MERLE
Dog GeneticsO que é RUÃO (Roan and ticking)
ExaminerO que determina a coloração “ruão”
Dog LoverComo identificar o merle
eHowPelagem de cães

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *