Você sabe qual a real importância das brincadeiras na rotina de um animal de estimação? Ou, saberia dizer quais os melhores brinquedos para gatos?

A maioria dos gatos gostam de interagir com os seus donos ou costumam se entreter sozinhos. Mas brincar com eles é uma excelente forma de desenvolver uma ligação mais forte com o animal.

Para um filhote, como para qualquer outro animal, brincar é essencial para o desenvolvimento da maturidade e para a maioria dos gatos adultos, é uma parte prazerosa da vida doméstica.

Ao crescer, a mobilidade e nível de energia vai diminuindo, mas muitas brincadeiras e jogos podem continuar fazendo parte da rotina do gato.

O envolvimento do dono nas brincadeiras pode variar entre brincadeiras simples com bolinhas e outros brinquedos a um treinamento mais focado em reforço de comportamentos e recompensas em um período de meses. Tudo vai depender da natureza do bichano e do tempo que o tutor possui para devotar a ele.

Como existem muitos designs diferentes e estilos de brinquedos disponíveis para gatos, pode ser difícil escolher os melhores ou aqueles que ele vai gostar de brincar.

Na verdade, não se sabe ao certo! Mas entendendo um pouco das preferências do seu gato, personalidade e jeito de brincar, você vai conseguir escolher os melhores brinquedos para gatos, e ainda ter muitas oportunidades para brincar com ele!

Continue lendo abaixo!

A importância dos brinquedos na rotina do gato

os melhores brinquedos para gatos devem estimular seus instintos naturais de predador.

Brincar explora todas as partes da sequência predatória dos gatos: buscar, perseguir, correr atrás, atacar, pegar e manipular.

No entanto, não há pesquisas que estabeleçam se a ordem ou a completude da sequência são importantes ou não.

O que se sabe é que algumas brincadeiras ou brinquedos podem causar certa frustração caso partes da sequência, como atacar/pegar, estejam faltando.

Como por exemplo, instigar o animal com canetas a laser ou outros reflexos: o gato vai perseguir o feixe de luz, atacar e nunca vai pegar.

Portanto, o ideal é que as brincadeiras e os brinquedos estimulem e respeitem as sequências predatórias, ou seja, as circunstâncias naturais, da melhor forma possível.

Os bichanos que não têm acesso ao ambiente externo, precisam de mais estímulos ainda, principalmente quando ainda jovens, para prevenir o tédio.

Assim, o tutor tem a responsabilidade de garantir que as necessidades mentais e físicas do animal sejam supridas.

Já os gatos que podem sair, vaguear pela rua ou passear no jardim, já tem mais oportunidade de estímulos – subir em árvores e muros, perseguir pequenas presas e folhas e até interagir com outros felinos.

Mesmo assim, com ou sem acesso ao ambiente externo, os jogos, brincadeiras e brinquedos são essenciais para o desenvolvimento mental e físico do gato, bem como para a sua interação com o seu dono.

Diferentes estilos e motivações para brincar

Os bichanos possuem diferentes motivação para se engajarem em atividades.

Você vai ter a oportunidade ou já pode observar que os gatos variam em motivação para brincar, mas todos eles, com as oportunidades certas, são capazes de se engajar em alguma atividade e se beneficiar com elas, não importando a idade.

Essa receptividade às brincadeiras vai depender da sua rotina e do ritmo natural das atividades. Isso porque cada gato é único, tendo suas preferência pelo estilo de brincadeira.

Por exemplo, há gatos que deitam de lado para morder e agarrar um brinquedo usando seus patas da frente, chutando com as de trás.

Já outros se agacham no chão atacando o brinquedo em sobressalto, enquanto alguns preferem se pular ou se esticar para pegar o brinquedo no ar ou que esteja pendurado no alto.

Para saber qual a hora certa de brincar, é preciso observar o seu comportamento que vão apresentar sinais evidentes como: brincar espontaneamente com objetos, fazer movimentos repentinos de ataque, pupilas dilatadas, orelhas achatadas lateralmente, posturas congeladas, patas dobradas, vocalização.

Ao compreender a motivação do seu bichano para brincar permite adequar as brincadeiras e brinquedos às necessidades dele. Por exemplo:

Alta motivação para brincar de igual pra igual

  • Brinca com frequência e espontaneamente, sem objetos;
  • Receptivo a qualquer hora do dia;
  • Pouco discriminativo sobre objetos escolhidos para brincar;
  • Raramente cansa ou desiste;
  • Destrutivo, rasga ou mastiga os brinquedos;
  • Responde a estímulos condicionados (som da caixa de brinquedo se abrindo).

Baixa motivação para brincar de igual pra igual

  • Não brinca de forma espontânea com objetos;
  • Receptivo em momentos específicos e circunstâncias;
  • Discrimina entre quais brinquedos vai brincar;
  • Se cansa rapidamente e precisa de persuasão para começar a brincar.

Dicas para escolher os melhores brinquedos para gatos

O ideal na hora de escolher os melhores brinquedos para gatos é observar a personaldiade do animal e suas preferências.

Os gatos são criaturas sensíveis e bastante temperamentais, principalmente em relação ao seu pertences e território. Cada um possui suas preferências específicas, incluindo aquilo que não gosta, em relação aos seus brinquedos.

Normalmente, as preferências são baseadas em textura, formato, tamanho, cheiro, gosto, barulho, movimento, velocidade, hora do dia, localização, presença de outros gatos, etc.

No entanto, determinar o que vai estimular ou não o seu gato faz parte de um processo de tentativa e erro, apesar do mercado oferecer produtos muito atraentes. Até mesmo os mais simples, como uma bola de ping pong, podem oferecer horas de entretenimento.

Até utensílios e objetos domésticos podem virar brinquedos, bolas de papel amassado, cordão com rolha amarrada na ponta ou uma pena.

Ao comprar um brinquedo para gato, por por algo que ele possa carregar ao redor ou brincar no estilo que mais gosta. Veja como escolher os melhores brinquedos para gatos abaixo:

Considere o estilo do brinquedo

Os brinquedos do tipo “varinha de pescar” permitem interagir com o animal movimentando a varinha para ele vir atrás do objeto pendurado na ponta para imitar os movimentos naturais de alguma presa.

Os brinquedos que estimulam brincar sozinho também são ótimos, sem o nosso envolvimento. Eles variam entre simples bolinhas a brinquedos elétricos.

Seja qual for o estilo, lembre-se de sempre terminar a brincadeira com alguma recompensa, tipo um petisco ou alimento, para que a “caça” resulte sempre em algo positivo.

Não esqueça do tamanho do brinquedo

Os gatos costumam preferir brinquedos pequenos, semelhantes ao tipo de presa que são atraídos, como os camundongos e passarinhos. Os brinquedos maiores e macios também são ótimos para aqueles que gostam de agarrar, arranhar e morder.

Aposte nas texturas

Os melhores brinquedos para gatos vão trazer texturas diferentes que encorajam o animal a arranhar com as garras ou se esfregar no brinquedo com o pescoço.

Eles costumam gostar de brinquedos que imitam pele falsa, pena, pluma, justamente por lembrar essas presas. Materiais porosos e ásperos também são atraentes.

Catnip or not

Catnip ou Erva-gateira, uma substância encontrada em uma planta calmante, muito usada em brinquedos para atrair o animal pelo cheiro e encorajá-lo a engajar em uma atividade. No entanto, é normal alguns gatos não se interessarem, pois apenas 50 a 70% respondem ao catnip, segundo pesquisas.

Movimento e barulho

Movimento é um excelente estímulo e a maioria dos brinquedos são desenvolvidos para serem usados ativamente de alguma forma ou de outra.

Sons mais suaves, como sinos podem ser muito atraentes, porém outros podem ser estridentes demais e assustar.

Atente-se ao tipo de brincadeira

Obviamente, para cada tipo de brincadeira existe um tipo de brinquedo mais adequado, que vai estimular um estilo de brincar. Como por exemplo:

  • Brincadeira solitária: correr, saltar e escalar ao redor;
  • Brincadeira com objetos: brinquedos elétricos ou não;
  • Interação c/ outros gatos: perseguir, brincar de lutar;
  • Interação c/ humanos): buscar objetos, varinhas, lasers;
  • Explorar, pesquisar, se esconder: caixas de papelão, centros de atividades, nichos, cestos.

Mas existem regras para os jogos?

Pode ser que seja possível identificar, principalmente se o seu gato possui uma alta motivação para brincar, um brinquedo favorito com esse poder motivacional, que promove uma resposta instantânea sempre.

Caso você tenha percebido que há brinquedos favoritos, eles devem ser usados apenas de vez em quando para manter o animal interessado.

Os gatos são neofílicos (se interessam por novidades), portanto se você deixá-lo pela casa jogados, para ele ter acesso sempre, vão perder o apelo.

Assim, todos os brinquedos devem ser alternados, e guardados quando não estiverem em uso.

Já as brincadeiras devem terminar sempre de forma positiva, antes que o animal fique entediado; assim como um sinal mais forte que que a brincadeira acabou é essencial, principalmente se ele for entusiasmado.

Se o gato parecer ficar muito excitado e super estimulado em relação a um brinquedo específico, pare com a atividade e redirecione a atenção dele para outra coisa.

Além disso, qualquer brinquedo interativo que exija o seu envolvimento, não deve ser largado pela casa.

E em relação às brincadeiras, aquelas que imitam comportamentos predatórios naturais, como pequenos rompantes de atividade em pequenos intervalos, são muito benéficas.

Como deve-se tratar os filhotes durante as brincadeiras

Os filhotes devem ser ensinados a ter boas maneiras para brincar com os melhores brinquedos para gatos.

Se você tem um bichano ainda filhote, é importante saber que ele precisa aprender boas maneiras – eles precisam ser desencorajados a arranhar, pressionar as garras e morder.

Isso pode até ser mais tranquilo quando eles são menores, mas as garras vão ficando maiores e afiadas à medida que eles vão se fortalecendo, podendo causar estragos e dor.

Portanto, evite brincar com as suas mãos e permitir que eles as agarrem e mordam os dedos. Se eles tentarem fazer isso, direcione-os a um brinquedo macio, que eles possam morder e esfregar as patas.

Além disso, já está provado que quando o gato aprende a brincar com as mãos do tutor ainda filhote, e de repente começa a ser punido por isso, pode ser frustrante e aterrorizante para ele, bem como confuso.

Isso pode provocar conflitos e prejudicar a ligação com o tutor. Também não é legal para as crianças se o gato começar a morder a mão delas ou fincar as garras, por não ter aprendido a ser gentil durante as brincadeiras quando filhote.

Portanto, é importante ensinar os filhotes o quanto antes.

Ah, não vamos esquecer dos gatinhos de mais idade. Eles também podem se beneficiar com os estímulos e atividades, mas as brincadeiras devem ser adaptadas para o nível de mobilidade deles. Mesmo que ele tenha que deitar para brincar é benéfico, mentalmente e fisicamente.

Brincar com mais de um gato em casa

A interação durante as brincadeiras com mais de um gato em casa devem receber mais atenção do tutor.

A hora de brincar pode ser mais complicado em lares com mais de um gato, onde um pode estar mais motivado a brincar que outros ou há alguma tensão entre eles.

Se o gato estiver sofrendo de estresse pelo convívio social, então as brincadeiras, consideradas uma atividade de lazer, serão evitadas pela necessidade de maior vigilância.

É essencial nesse caso monitorar cada um individualmente quando em grupo e considerar brincar isolados em alguma parte do dia.

Encorajando interação social entre gatos

Os gatos serão mais propensos a interagir socialmente brincando uns com os outros se o ambiente também for propício e encorajador, de forma segura.

Caso não tenha observado, eles gostam de oportunidades para brincar em ambientes que tenham obstáculos e vários níveis de alturas, locais para se esconder e pular de um lugar para outro, como prateleiras, nichos, armários, etc.

Parece que essa oportunidade de quebrar a rotina através da interação diminui a tensão e evita que os níveis de excitação subam exageradamente a ponto de ser agonizante, o que seria inapropriado em qualquer brincadeira.

As áreas internas criadas para que eles brinquem podem conter os seguintes itens, para que eles se beneficiem: caixas de papelão com entrada/saída ou buracos, móveis de diferentes alturas, mesas, prateleiras, nichos e brinquedos do tipo centros de atividades.

Todos esses itens devem estar posicionados de forma que eles possam se movimentar ao redor e alcançar em todos os ângulos.

Intervenções podem ser necessárias

Pode ser necessário, em algumas ocasiões, intervir nas interações sociais entre gatos, caso haja riscos de lesões.

No entanto, nunca intervenha fisicamente, pois no calor do momento, os gatos podem não distinguir entre eles e você, causando maiores lesões.

Se a interação não culminar em luta física, mas atingir um ponto em que ambos comecem a se encarar diretamente, esta é uma oportunidade de intervir, evitando o contato visual entre eles.

Você pode distraí-los com algum tipo de brinquedo e atrair a atenção deles para outro engajamento, provocando a visão periférica deles com rápidos movimentos.

Caso a interação tenha partido para agressões físicas, o contato deve ser interrompido com o uso de uma toalha ou cobertor jogada sobre eles.

Se o problema persistir, e eles engajarem em brigas frequentes, o ideal é entrar em contato com um veterinário para indicar um especialista em comportamento animal, capaz de indicar uma melhor abordagem para resolver a situação.

Por Equipe Editorial

O Vidanimal.com.br acredita que compartilhar um bom conteúdo é a melhor maneira de fazer com que a informação chegue ao seu destino ou público alvo. Educar e conscientizar as pessoas é a nossa missão. Procuramos criar parcerias com profissionais empenhados em fazer parte dessa missão. Contamos com uma equipe de colaboradores que amam aquilo que fazem e se dedicam todos os dias para levar até você um conteúdo informativo de qualidade.

Deixe uma resposta