Com toda certeza, você sabe que é impossível haver um artigo que contenha tudo sobre macaco. É humana e animalmente impossível, se nos permite a piadinha em trocadilho. Há tanta coisa a falar sobre macaco, esse animal-humano, que a gente nem sabe por onde começar.

Assim, a gente resolveu avaliar tudo o que já foi descoberto, dito e escrito sobre macaco e destacar o que for de mais interessante e importante. É, em verdade, algo muito difícil, mas a gente tentou.

Por exemplo:

  • O macaco passa por crise de meia idade;
  • O macaco aprende por analogia, como humanos;
  • Um macaco pode saber o que há na “mente” de outro macaco;
  • Qual é o maior macaco do mundo? Seria o gorila? Vamos descobrir a seguir.

Esse ser (a gente quase não consegue chamar de “bicho”) está em toda parte. E, quando a gente diz “toda parte”, está se referindo até mesmo às regiões psicológicas e filosóficas das sociedades. Não apenas às questões regionais.

Chita foi uma espécie de alter-egode Tarzan. Na verdade, pode-se dizer que foi alter-ego do próprio escritor, o americano Edgar Rice Burroughs. King Kong foi considerado a animalização do sentimento amor, tratado pelo animal como instinto.

O macaco está no horóscopo oriental. Não está na Bíblia cristã, mas é o elemento mais controverso da religiosidade. Pelo menos no mundo ocidental. No oriental, representa inclusive uma das divindades.

Mesmo ateus se confundem ao discutir a origem da humanidade. Parte acha que somos descendentes do macaco. Há uma linha genética comum entre esses seres que não é exatamente a do macaco.

Bem, a gente vai tratar primeiro do lado prático de animal-quase-humano. Depois, vai ver curiosidades e experiência muito, muito interessantes.

Questões normais sobre o macaco

O macaco está em toda parte do Planeta.

O macaco está em toda parte do Planeta.


O mundo é do macaco. Assim, ele está em toda parte do Planeta. Se fosse um produto, o material publicitário diria que há macaco para todos os gostos: pequenos, enormes, magros, gordos; de qualquer cor; de todos os temperamentos.

São inteligentes e falar isso é também o mesmo que chover no molhado, pois você já ouviu muito sobre a esperteza do macaco.

Então, muitos biólogos evolucionistas dizem que parte dessa inteligência se firmou porque ele dispõe de polegares opositores sobre aos outros dedos. Assim, esse fato instigou desenvolvimento de parte do cérebro responsável pela inteligência.

O macaco se mantém assim

O consenso humano prevê que macaco só coma banana. Ledo engano! Em verdade, sua alimentação é onívora, o que quer dizer que come de tudo. Dessa maneira, de carne a vegetais em geral, nada escapa à fome. Bem… em relação a isso, é, sim, muito mais semelhante a nós, humanos.

Assim, nozes, sementes, raízes, flores, pequenos insetos, larvas, ovo (inclusive com embriões) etc. fazem parte da mesa do macaco. E banana, claro!

Categorias do macaco

Há diversas espécies de macacos que se encaixam em muitas categorias.

Há diversas espécies de macacos que se encaixam em muitas categorias.


Eles são tão especiais que a gente prefere dividir em categorias e não em espécie, como os outros animais. Há duas delas: a do Novo Mundo, que habita regiões das américas, e a do Velho Mundo, habitantes da Ásia e África.

Diferenças entre as categorias

Ambas as categorias se diferenciam porque o macaco da primeira, Novo Mundo, não possui rabo preênsil. Ou seja, a estrutura da cauda não é adequada para funcionar como garra. Já o do Velho Mundo dispõe desse artifício.

O representante do Velho Mundo é capaz de armazenar alimentos nas bochechas, que servem de bolsa semelhante à do esquilo. Além disso, possui mais carne na região lombar (alcatra).

Outro fator que o diferencia é o formato do nariz. As narinas se mostram pequenas em relação ao tamanho da cabeça e perto uma da outra.

O macaco do Novo Mundo não tem bochechas-bolsas nem alcatra. E as narinas são mais arredondadas e afastadas entre si.

Habitat e hábitos

Outro lugar-comum é dizer que macaco gosta de permanecer em árvores. Em algum momento de sua vida, leitor, você já ouviu a frase “desça daí, menino. Parece um macaco”. Porém, nem todos gostam disso.

Dessa maneira há tipos de macaco que preferem o chão das florestas, savanas e até montanhas. Afinal, o bando (agrupamento de macacos) caminha bastante à procura de alimentos. Portanto, não permanece em um local específico.

A maioria dos tipos de macaco e dos indivíduos de um tipo é pacífica e sociável. Claro que se irrita em alguns momentos, como humanos, aliás. Vive em grupos que são conhecidos como tropas, tribos, missões etc.

Interessante: Todo o grupo trabalha em prol do próprio grupo. Há registros de grande atividade em favor dos jovens e crianças. Assim, o grupo brinca, protege, abraça, entretém e educa bebês e crianças.

Esse comportamento amigável se estende às demonstrações de “perdão”. Então, um indivíduo pode esquecer um insulto se o oponente apresentar comportamento menos agressivo.

Quase todos os tipos de macaco têm atividade diurna, exceto talvez por alguns indivíduos. Porém, o conhecido como macaco coruja tem esse nome exatamente porque seus hábitos são noturnos. Há outra característica que o distingue dos demais: pode ser vítima de malária.

Quanto ao ambiente em si, o macaco-japonês suporta climas dos mais setentrionais. Sobrevive sem grandes problemas à temperatura de mais de -15 graus. Por outro lado, os outros tipos estão em todos os lugares do Planeta, exceto na Austrália e na Antártida.

Tipos de macaco

Você sabia que o gorila não é  um macaco, mas um primata.

Você sabia que o gorila não é um macaco, mas um primata.


Há de todo tipo, como a gente mencionou acima. Ou seja, fato muito parecido com a humanidade também. O maior deles é macaco mandril. Você pensou que fosse o Gorila?

Bem, é preciso esclarecer o seguinte: gorilas não são macacos, são primatas. A diferença trata de questões genéticas de maneira geral. Porém, a diferença visual está no rabo. A esmagadora maioria dos macacos possui rabos; primatas não.

Sagui-pigmeu

O menor deles é o sagui-pigmeu. Veja: sagui já é pequeno; pigmeu, então, é ainda menor. Tem apenas uns 120gr de peso e por volta de 13cm de altura. Isso é menos de meia régua escolar.

Macaco Mandril

O mandril é o maior. Tem por volta de 35kg de peso e quase 1m de altura.

Reprodução do macaco

O macaco se reproduz de maneira sexuada.

O macaco se reproduz de maneira sexuada.


Claro, guardadas as devidas proporções de atitude, o macaco cria descendências exatamente como o homem. Ou seja: de maneira sexuada.

Os tipos com comportamento poligâmico têm o chamado macho alfa, que é líder do grupo por ser o mais forte. Nesse caso, é ele que vai copular com todas as fêmeas do bando. Em tipos monogâmicos, o macho ajuda a cuidar da prole.

Interessante: a fêmea de muitos tipos de macaco se deixam acasalar somente se houver condições básicas para manter a gestação e a prole. Assim, caso não haja comida suficiente, por exemplo, ela vai rejeitar o macho até que a situação melhore. (Talvez isso possa servir de exemplo para muitos humanos.)

Por outro lado, o macaco do tipo prego também dispõe de forma inusitada para atrair sua fêmea preferida. Ele simplesmente esfrega as mãos no corpo todo molhadas com a própria urina.

O tempo de gestação da fêmea depende do tipo a que ela pertence. A do tipo Rhesus gesta por pouco mais de 5 meses e a fêmea babuína um pouco mais: vai além de 6 meses. Já os chimpanzés vai a até quase 8 meses. Porém, há apenas uma gestação a cada dois anos.

O comportamento social em relação a filhotes é semelhante ao comportamento humano. As mães se responsabilizam pelos primeiros cuidados. No caso de sociedade monogâmica, ambos os pais são responsáveis pelos primeiros meses de vida, como já mencionamos acima.

O filhote fica literalmente agarrado à mãe por muitas semanas, pendurado em seu pescoço. É considerado adulto pelo grupo quando chegar a 5 anos de vida.

Quanto à expectativa de vida, varia bastante em função da quantidade de tipos. Alguns podem viver por 10 anos e outros por 50 anos.

Preservação de vida

Muitos tipos de macaco não correm risco de extinção. Nem mesmo estão na lista vermelha, o que é ótimo. Porém, outros já estão em fase quase final no processo de desaparecimento, o que é lamentável.

O tipo Tonkin Snub-Nosed conta com apenas 150 indivíduos em seu habitat; o Colobo Vermelho do rio Tana, com menos de mil. Tanto um quanto outro estão na lista dos 25 tipos mais ameaçados. No topo dessa lista, está o Gibão-de-crista-negra de Hainan. Até poucos anos, havia apenas 20 indivíduos desse tipo no mundo inteiro.

Questões anormais sobre macaco

O macaco tem características e comportamento extraordinárias.

O macaco tem características e comportamento extraordinárias.


A existência desses seres extraordinários é tão fantástica que a gente precisou dividir este artigo em informações normais e informações anormais. Ou seja, as que são divulgadas em geral e aquelas menos, digamos, conhecidas.

Atenção: macaco em crise existencial

Uma equipe de cientistas da Universidade de Edimburgo, na Escócia, encontrou evidências interessantes sobre chimpanzés e orangotangos. Eles passam por crise de meia idade tanto quanto humanos.

Nota importante: Explicamos acima que chimpanzés e orangotangos não são exatamente macacos, mas primatas em si. Entretanto, uma vez que o consenso os vê como macacos – inclusive o gorila -, resolvemos incluir esse fato neste artigo por ser altamente interessante.

Então, descobriu-se que esses animais são vítimas de desconfortos no período chamado meia idade. Aliás, este corresponde ao período de 45 a 60 anos de vida humana.

Nos chimpanzés, essa fase está entre os 25 e 28 anos de vida; já para os orangotangos, está por volta dos 35. Os sintomas são muito semelhantes aos captados por humanos. Semelhantes demais para serem descartados.

Nesse contexto, a mecânica da experiência foi razoavelmente simples. Tratadores e pessoas envolvidas no dia a dia dos macacos responderam a um questionário sobre o comportamento dos animais. Estes foram divididos em grupos por faixa etária.

Posteriormente, o mesmo questionário fora respondido tanto pelos próprios tratados e envolvidos quanto por pessoas à parte deles. O resultado foi transferido para um gráfico. O comportamento da linha gráfica dos primatas foi extremamente próximo do da linha dos humanos.

Concluiu-se, portanto, que os animais têm das mesmas dificuldades comportamentais que os humanos nesse período. São muito mais felizes na juventude e velhice que na meia idade.

O olhar humano do macaco

O Cercopithecus iomamiensis, ou simplesmente Macaco-lesula, foi descoberto em 2007, ou seja, é nova espécie de macaco. (Macaco mesmo, pois possui rabo.) A catalogação oficial se deu 5 anos depois, após muitos estudos e análises comparativas.

Trata-se da segunda nova espécie descoberta nas últimas 3 décadas. A descoberta ocorreu na África, na Bacia do Rio Congo. Portanto, é da categoria Velho Mundo.

O que tem esse animal de diferente? O olhar. Há uma certa meiguice quase romântica nos olhos do lesula, como é intimamente conhecido. Além disso, forte timidez e quietude se desprende de seu comportamento.

Quem o fita nota de imediato uma onda de ternura inacreditável, capaz de fazer a pessoa desconfiar se o ser é humano ou não. Assim, a vontade que esse macaco insere na alma humana é de abraçar, acarinhar, levar para casa.

Seu “rosto” (não se pode chamar de “cara” ou “focinho”) não apresenta pelos. Por outro lado, a cabeça toda é coberta por pelos aloirados muito atraentes. Parece não gostar muito de árvores, pois prefere o solo.

Quase não é carnívoro, o que, aliás, é bastante condizente com a ternura de sua postura

Ele sabe o que o outro sabe

Muitos indivíduos de alguns tipos parecem avaliar o conhecimento ou a ignorância de seus companheiros em relação a determinada situação.

A experiência foi levada por equipes de pesquisadores comportamentais dos animais, que simularam evento de perigo. Então, sem que um grupo de animais percebesse, colocaram uma réplica de cobra venenosa no caminho estreito. O formato do caminho foi programado para que andassem em fila dupla.

Os primeiros da fila alertaram de maneira bastante evidente sobre o perigo, além de se desviarem dele. O comportamento foi intenso e grave. Dessa maneira, a mensagem ia sendo passado para trás na mesma maneira.

Assim que os mensageiros percebiam que os receptores já estavam informados, a intensidade dos gritos e uivos diminuía gradualmente. Portanto, esse fato dá a entender que, enquanto os receptores eram ignorantes em relação ao perigo, a necessidade de alerta por parte dos mensageiros era sentida de maneira mais forte.

Porém, estando já o receptor informado, não havia necessidade de alertas contundentes.

Outra constatação interessante se refere ao nível de perigo. Se este se originasse de uma cobra, por exemplo, o alarme era enviado com certa frequência e força. Sendo algo mais mortal, como ataque de leopardos, a frequência e força eram mais intensas.

O macaco aprende de forma semelhante ao humano

O macaco tem inúmeras particulridades, como o olhar e ler a mente de outro macaco.

O macaco tem inúmeras particulridades, como o olhar e ler a mente de outro macaco.


As ciências humanas voltadas ao nível de inteligência classificam o processo de aprendizado de duas formas: ativa e passiva. A primeira, o aprendiz absorve com participação efetiva, se testando enquanto aprende. A segunda trata mais de memorização que propriamente de aprendizado.

A experiência com os macacos teve processo mais ou menos complicado. Dois indivíduos do tipo Rhesus foram dispostos diante de fotografias em telas de computador. Elas representam animais em geral, como peixes e répteis.

Eles precisavam seguir determinada sequência de imagens. Então, quando o faziam corretamente, recebiam guloseima de que gostavam; caso contrário, o alimento era menos convidativo.

Por complemento, quando acertavam, a fotografia era envolvida por borda verde. Ao errar, a borda era vermelha. Porém, podiam ser ajudados arrastando a fotografia para um canto da tela. Nesse caso, as cores das bordas indicavam acerto ou erro. Ao soltar a fotografia, esta retornava para seu lugar já sem as bordas.

Análises do comportamento dos animais indicaram algo interessante. Eles evitavam lançar mão da ajuda. Preferiam ou descobrir ou analisar a sequência correta. Nesse caso, aprendiam por inferência de erros e acertos.

Veja que interessante

Macaco tem comportamento curioso e surpreendente.

Macaco tem comportamento curioso e surpreendente.


Há situações no dia a dia do macaco que surpreendem até mesmo pesquisadores experientes. Veja aqui algumas delas.

Estratégias físicas

O macaco do tipo narigudo não ingere frutas maduras. Os açúcares dessas frutas causam sérias complicações estomacais por conta da fermentação. Frutas verdes não apresentam esse empecilho.

As cores da face do macaco mandril se tornam mais brilhantes quando ele está excitado. Com isso, ele tenta ser mais atraente.

O grito do macaco bugio é o tipo mais barulhento entre todos. Atinge distâncias maiores de 4.800m. Entretanto, há um contratempo nisso: por alguma razão ainda desconhecida, quanto maior o indivíduo desse tipo, menores são seus testículos e menos espermatozoide produz.

Comunicação

Quando o macaco estica os lábios, trata-se de espécie de violência ou informação de agressividade e não de sorriso propriamente dito. Aliás, até mesmo o “sorriso” tem essa finalidade.

Já os babuínos se comunicam por gestos (encolher de ombros e bater de lábios) e por mais de 30 sons diferentes.

O macaco-prego criou uma maneira de identificação social. Esfrega comida na cauda a fim de fixar o cheiro.

Oportunismo

A Nasa enviou um macaco Rhesus como a primeira criatura viva ao espaço. Era chamado Albert I e ocupou cadeira no lançamento de uma nave em 1948, no Novo México.

Macaco tipo capuchinhos parece ser o mais inteligente. Por isso, cientistas o usam com frequência em experiências cognitivas. Para extrair a polpa das nozes, ele sabe que esmagá-las com pedras é eficaz. Ainda, lançam mão de galhos maiores para apanhar cobras grandes ou enfiá-los em frestas de árvores para apanhar algum alimento.

Houve um macaco na Tailândia que aproveitou demais as guloseimas deixadas por turistas. Empanturrou-se tanto que se tornou obeso. Sendo o maior do bando, adquiriu o status de chefe e foi servido constantemente por subordinados. Tio Fat – assim foi apelidado pela comunidade – foi capturado e obrigado a entrar em dieta alimentar.

Há um deus hindu chamado Hanuman que é representação de um macaco humanizado. Segundo as lendas, foi senhor de um exército de subalternos por muito tempo. Não se sabe exatamente o motivo, mas indianas eram proibidas de adorar o deus.

Coisas terríveis

O macaco também pode ser portador de doenças.

O macaco também pode ser portador de doenças.


Em certas regiões da China, um prato considerado sofisticado é servido com cérebro cru ou cozido de macaco.

Por outro lado, ele pode levar algumas doenças ao ser humano. Algumas são tuberculose, varíola, ebola e outras.

Há fortes relatos de que o HIV teve origem no estômago de um macaco. Ele havia ingerido restos de alimentos com dois tipos diferentes de vírus. Ali, ambos se combinaram na reação estomacal, o que resultou no vírus que destruiu boa parte dos humanos. E ainda é pesadelo para boa outra parte.

Velocistas

O macaco pata chega a quase 60km/h, o que o torna o mais veloz dos macacos.

O mundo do macaco é isso, então. Aproveite todas estas informações e envie mensagens a conhecidos seus sobre conscientização de proteção animal. A natureza tem pedido ajuda há muito tempo e chegou o momento de o ser humano fazer alguma. Faça o que estiver ao seu alcance: compartilhe este artigo em suas redes sociais.

Por Serg Smigg

Serg Smigg é jornalista, redator, revisor e analista textual, além de roteirista e escritor. Extremo defensor das causas animais, cria seus textos apresentando conceitos claros sobre a importância desses para a humanidade e caminhos para sejam cada vez mais respeitados. A paralelo, ministra palestras inspiracionais corporativas na área de comunicação interna, externa e interpessoal social. Oferece dicas de gramática e expressividade em seu site smiggcomcorp.wordpress.com.

Perguntas & Respostas

  1. Quanto mais eu assisto ou vejo o comportamento dos macacos .mais apaixonada eu fico por esses seres . Que mais parecem com humanos eu amo esses e todos os animais me emocionei. Obrigada .

    Responder

Deixe uma resposta