Louva deus? Louva-a-deus? Cavalinho-de-deus? Cavalo-de-oração? Bem, não importa muito o nome pelo qual você conhece esse insetozinho. De qualquer maneira, ele é um dos mais intrigantes e fantásticos do universo dos insetos.

A começar pelo nome. As patas dianteiras se colocam como se estivessem fazendo uma oração. Daí seu nome popular. Bem, não foi difícil que sociedades mais supersticiosas, mais antigas, criassem lendas e crenças sobre esse bichinho. Isso ocorreu na Grécia (foi até prensada em moedas gregas milenares) e Egito antigos, Assíria e outros.

Até mesmo a cibernética já se aproveitou dos louva deus. Sua postura verticalizada foi modelo para desenvolvimento de robô cujo objetivo era estudar a cinética dos movimentos robóticos. Mas também já serviram à filosofia e às artes marciais – há um tronco da arte chinesa baseada na postura e movimentos desses insetos.

Você não precisa ser amante incondicional de insetos para gostar desse estranho ser. Tudo do que precisa é conhecer um pouco de seus hábitos para apreciar e se apaixonar.

E se surpreender!

Dia a dia do Louva deus

O louva deus é um dos maiores insetos que existe.

Apesar do tamanho – se bem que são enormes para a classe de insetos -, apesar do nome – ele instiga paz, não é mesmo? -, apesar do porte soberbo – observe bem -, esse ser vivo é verdadeiro facínora a partir de seu instinto predador.

Pode permanecer por muito tempo à espera de alimento ou emboscando algum inseto desprevenido. Contudo, também tem faro para perseguição e captura. Uma vez identificado o alimento, suas patas dianteiras se lançam com tal velocidade que é quase impossível que o incauto se livre – aliás, as mesmas patas que “rezam para Deus”.

Contudo, um dia da caça, outro do caçador. Assim como são predadores, louva deus são também predados. Passam o dia fugindo de lagartos, aranhas, aves, vespas e algumas espécies de formigas.

Como se alimenta o louva deus

Usando a velocidade que a gente mencionou acima, os louva-a-deus buscam via de regra gafanhotos, mariposas, grilos e insetos diversos de seu porte. Até mesmo pássaros pequenos, como beija-flores. Mas a gente também falou sobre você se surpreender.

Além de “rezar”, eles também têm atitude pós-refeição que, a quem os observa sem pretensão de estudos, parece higiênica: esfregam uma pata na outra e ambas na boca como se quisessem limpá-las.

Mas eles não são predadores comuns. Não, não senhor! São exigentes: apenas alimentos frescos. Por isso, consomem somente presas vivas. Entretanto, isso tem certa explicação e você pode ver mais no capítulo abaixo sobre visão 3D.

Isso é interessante: louva deus não se alimentam apenas de insetos de outros tipos. Podem se alimentar dos da própria espécie. Sim. Surpreenda-se. Isso acontece mais em ocasiões especiais, como você pode ser abaixo.

Hábitos e reprodução

O louva deus tem hábitos diurnos

Posto que os olhos trabalham com incidência de luz, o louva deus tem hábitos diurnos. Há algumas espécies que podem voar à noite atraídas por luzes não naturais e, assim, saem à procura de fêmeas. Além disso, esse período parece oferecer menos riscos de sofrerem ataques por parte de pássaros.

Uma hábito que até pouco tempo podia ser considerado inexplicável é o movimentar lateral constante do tronco e da cabeça, como se dançassem. Porém, cientistas parecem ter chegado a uma ideia aproximada (veja mais abaixo em visão 3D).

Acasalamento perigoso

O período de acasalamento é um perigo para os machos louva deus. Eles são literalmente devorados pelas fêmeas. Mas, antes, elas decapitam os parceiros, talvez para evitar sofrimento, digamos assim. De alguma maneira, algum mecanismo interno informa que houve fecundação e, assim, parece que o macho já não tem mais serventia.

Quase 90% das espécies de louva deus praticam canibalismo pós-coito. Em contrapartida, boa parte dos machos consegue evitar a morte precoce, já que as fêmeas preferem exterminar machos de tamanhos menores.

É bem possível que estudos sobre esse comportamento tenham já dado resposta satisfatória. Dizem eles que, estando a fêmea matando o macho durante a cópula, os movimentos deste se tornam mais vigorosos. De alguma maneira, isso facilita a oferta de espermatozoides à câmara interna dela.

Mata para matar a fome

Porém, contraestudos predizem que a questão é de fome mesmo. Registros regulares demonstraram que há mais canibalismo sexual feitos por fêmeas cuja dieta esteve em baixa concentração. Portanto, é possível que atraiam os machos para manutenção da espécie e, aproveitando, acabem com a própria fome.

Os machos expelem espermatozoides em algo parecido com câmara no corpo da fêmea. Esta libera sua própria massa, que endurece e funciona como cápsula-casulo protetora.

As fêmeas colocam centenas de ovos. Normalmente, isso ocorre no outono e eles se partem na primavera. A espécie chinesa vive mais e produz mais descendentes que outras.

Se atacadas, as espécies aladas expandem o par de asas e também as patas dianteiras, além de verticalizarem ao máximo o tronco. Isso torna os louva deus maiores com finalidade de assustar predadores. Porém, caso não se livrem dos atacantes, emitem som sibilante expondo certa quantidade de ar em seu interior.

Isso é interessante: há espécies de louva-a-deus capazes de detectar ondas de ecolocalização. Quando sentirem vibrações de presença de morcegos, por exemplo, abandonam o voo e se lançam rapidamente para o solo.

Questões físicas do Louva deus

O louva deus tem uma cabeça triangular muito peculiar.

Sua cabeça triangular (em formato puro, não imaginável) é um de seus diferenciais; poucos insetos apresentam esse formato de cabeça. Ele é capaz de observar atrás de si mesmo, girando a cabeça em mais de 180º. Venhamos e convenhamos: é trunfo razoável para quem é predador e precisa estar sempre atento.

Quanto às cores

Podem ser verdes – como camuflagem para espreitar presas – ou marrons. Por outro lado, na África, há tipos de louva deus que adquirem a cor preta após estações secas do ano. De alguma maneira, “sabem” que essa cor ajuda a se camuflar em épocas de queimada em matas.

Antes da fase adulta, podem alterar a tonalidade das cores que assumem.

Cabeça e pescoço

Como visto, a cabeça é triangular a fim de facilitar movimento completo. O pescoço é e precisa ser bastante flexível para suportar o giro tão amplo. Os olhos são saltados e laterais a fim de prerscrutar o máximo possível da área.

Em verdade, têm mais olhos que o normal: três simples e um par nas antenas que funciona como elemento de observação.  

Além disso, pequena área dos olhos oferece visão ainda mais eficaz que o restante, que permite observar mínimos movimentos a grande distância. Inclusive em imagens tridimensionais (leia mais abaixo sobre visão 3D).

Com um “arsenal visual” desse, é mesmo para ser bom predador.

Patas e membros

Dispõem das patas dianteiras, das quais a gente já falou, mais coxas em dois pares de pernas anteriores firmes que contêm pequenas garras para prender as vítimas em definitivo. São ótimos saltadores; têm a exatidão de cálculo de um gato.

Alados ou não

Existem tipos de louva-a-deus que adquiriram asas ao longo da adaptação estrutural. Elas são úteis em especial em momento de defesa.

O que a ciência sabe sobre louva deus

Eles são da ordem de insetos (Mantodea). Há registros de mais de 2400 espécies divididas em 430 gêneros. As primeiras espécies fossilizadas datam de 130 milhões de anos e foram vistas da Sibéria.

Ciclo de vida

Têm vida longa para um inseto: 12 meses.

O louva deus e os humanos

Apesar de tudo – ou talvez exatamente por isso -, louva deus está entre os insetos mais comumente encontrados nos lares, fazendo as funções de animais de estimação. Seu comportamento bizarro, suas estratégias, seu porte físico de altivez parecem agradar a grande número de pessoas.

Há pouco mais de 4 anos, constatou-se que mais de 30 espécies tinham sido ou estavam em fase de doutrinação familiar.

No caso de você passar a admirar esse serzinho a partir desta leitura , saiba que:

  • Precisam de cativeiro cúbico de pelo menos 50cm de largura;
  • É necessário incluir atrativos para insetos a fim de que seu louva deus mantenha seu instinto de predação;
  • É preciso colocar folhagens no cativeiro.

Por outro lado, louva-a-deus são muito úteis em jardins e plantações diversas. Posto que adoram presas vivas, passam muito tempo à procura e espreita de insetos nocivos às plantações.

Mais descobertas sobre a visão 3D

No início desde ano (2018), equipes da Universidade de Newcastle do Reino Unido anunciaram descobertas ainda mais fascinantes sobre o caráter tridimensional da visão dos louva deus. O funcionamento é muito mais eficaz e complexo do que se imaginava ser possível no universo biológico.

Nos seres humanos, a tridimensionalidade ocular permite cálculos instantâneos de distâncias entre objetos reais. Estes chegam à retina e são analisados em microssegundos pelo cérebro de maneira ligeiramente diferente entre si.

Isso permite que a massa cerebral insinue, simule a distância provável e efetue os cálculos necessários. Depois, as imagens são mescladas para definição final do objeto observado.

Essa capacidade já tinha sido notada em alguns animais vertebrados, mas não em insetos. Corujas, cavalos, sapos etc. já foram testados e os estudos são promissores nesse quesito. Entre os insetos, apenas o nosso altivo louva deus apresentou visão 3D.

Multidimensionalidade eficiente

E não é apenas isso. Enquanto a multidimensionalidade ocular dos outros animais não é tão complexa quando à dos humanos, a do louva deus é tão eficiente quanto.

Isso ficou provado a partir de estratégia que aparentemente seria uma brincadeira de cientistas malucos: instalaram óculos 3D nos bichinhos; depois, mostraram ao “carinha” um filminho 3D de uma presa bastante atraente. E o danado tentou agarrá-la rapidamente.

É bem possível que esse fato explique o porquê de os louva deus darem preferência a presas vivas e em movimento. Assim, a tridimensionalidade se mostra mais evidente e detectam e identificam o alimento em questões de milésimos de segundos.

Os louva deus têm costume de movimentar o tronco e cabeça lateralmente. Até então, imaginava-se que fosse ocasional. Entretanto, parece ter a ver com a capacidade de visão descoberta. Ele se movimenta a fim de analisar eventual tridimensionalidade da imagem.

Apaixonou-se ou não? Surpreendeu-se ou não? Esses bichinhos incríveis são carismáticos a ponto de fazer a gente se admirar até mesmo por seu instinto canibal, por seu jeitão arrogante como se tivesse o rei na barriga.

Por Serg Smigg

Serg Smigg é jornalista, redator, revisor e analista textual, além de roteirista e escritor. Extremo defensor das causas animais, cria seus textos apresentando conceitos claros sobre a importância desses para a humanidade e caminhos para sejam cada vez mais respeitados. A paralelo, ministra palestras inspiracionais corporativas na área de comunicação interna, externa e interpessoal social. Oferece dicas de gramática e expressividade em seu site smiggcomcorp.wordpress.com.

Perguntas & Respostas

  1. Boa noite, a ponto de curiosidade eu gostaria de saber, qual velocidade um louva-deus consegue alcançar em seu salto?

    1. Oi Jonatas!
      Não tenho essa informação específica, mas sabemos que alguns exemplares jovens de louva-a-deus ainda sem asas, usam uma técnica especial para dar saltos precisos, balançando a cabeça de um lado para o outro, inclinando o corpo para trás e curvando o abdômen para cima, chegando a apontá-lo para a frente. Enquanto no ar, as patas traseiras, esticadas, são torcidas para cima enquanto o abdômen desce. Enfim, tudo isso ajuda adquirir impulso e mantê-lo no ar percorrendo a distância que precisa para alcançar o seu objetivo com o salto.

Deixe uma resposta