Sim, eles brincam! Para aqueles admiradores de cães sem muito tempo para dar atenção a eles, isso pode parecer estranho. Esses admiradores oferecem todo conforto para seu cãozinho, mas talvez não tenham percebido que ele precisa se divertir também. Então, este artigo vai mostrar também todo o universo dos jogos para cachorro e que brincadeiras são muito importantes para os pets.

Veja bem. Seu cão passa o dia inteiro sozinho? Trancado num apartamento? Ou num quintal restrito? Ainda, se o quintal não for restrito, ele passa o dia observando a liberdade de outros cães brincando na rua? Então, este artigo é para você. Vai descobrir que jogos para cachorro são muito mais importantes que simplesmente momento de descontração para os proprietários.

Por outro lado, também, este artigo é para quem tem um tempinho para brincar com seus cães e gostaria de conhecer todos os tipos de brinquedos disponíveis. Vamos lá!

Para ir mais profundamente, você conhece, por exemplo, o início da criação de jogos para cachorro? E de fabricação de brinquedos para pets? Sabia que essa atividade nem mesmo se destinava a cães?

Porém, antes de listar os jogos para cachorro e brinquedos mais atrativos para ele, a gente deixa uma questão. Que tal conhecer os motivos pelos quais jogos para cachorro e brincadeiras diversas são tão importantes?

Eficácia dos jogos para cachorro

Os jogos para cachorro estimulam fisicamente e mentalmente a saúde dele.

Os jogos para cachorro estimulam fisicamente e mentalmente a saúde dele.

Todo ser vivo sente o ambiente a sua volta. E isso inclui as plantas. Cada indivíduo, racional ou não, reage a esse ambiente. Não à toa, há casos de plantas que se desenvolvem mais facilmente quando em contato com pessoas amorosas. Ou de outras que se mostram sem vitalidade quando em meio a barulhos.

Em relação aos cães, estudos da Universidade de Bristol, do Reino Unido, pesquisaram mais de 4 mil cães. O resultado foi identificação de até 22 distúrbios associados ao comportamento em cães que não eram convidados a brincadeiras. Agressão, erro de liderança, uivos, ansiedade etc. foram alguns deles.

Além de tudo, entreter seu cão evita alguns desarranjos de comportamento. Fazem que ele, por exemplo, deixe de roer tapetes e cortinas, de arranhar móveis, de ingerir substâncias indevidas etc. Afinal, a frase “cabeça vazia é oficina do diabo” pode ser aplicada também a cães.

No universo emocional

Com certeza, você já ouviu o conceito de que pit bulls, rottweilers, doberman, entre outros, não são cães bravos. Ao contrário: são cães que “refletem o ambiente em que vivem”. Os veterinários são unânimes ao acompanhar esse raciocínio. Boa parte do comportamento de qualquer cão, como ser vivo, é produto da maneira como ele é tratado no lar em que vive.

Seja para a negatividade ou para a positividade. Claro, todos têm sua personalidade individual construída no gene, no DNA. Entretanto, em muitas situações, eles refletem as condições em que passam o dia a dia.

Bem, somente por esse raciocínio dos senhores veterinários, já é possível dimensionar a importância dos jogos para cachorro. Eles desenvolvem percepção espacial, estimulam inteligência, criam limites, baixam os níveis de ansiedade e estresse. Além disso, ainda fortalecem elos entre o pet e o proprietário, bem como com a família.

No universo físico-orgânico

Mas, claro, jogos para cachorro, bem como brincadeiras, são bons também para o estado físico do animal. E, venhamos e convenhamos, para o corpo do dono dele também, dependendo da brincadeira.

Certos jogos para cachorro influenciam a corrente sanguínea e o sistema circulatório, alimenta a musculatura, fortalecem também os ossos. Os movimentos a que o cão é estimulado desenvolvem trabalho crucial para manutenção de sua saúde física.

No universo da interação

A história médica veterinária está repleta de casos em que brincadeiras e jogos para cachorros fazem bem também aos seres humanos. Ou seja, não apenas aos animais. A interatividade entre ambos se mostra excelente terapia em diversas anomalias, em especial as psicológicas.

Por outro lado, ao brincar e jogar com seu cachorro, você certamente vai precisar tocá-lo. Nesses momentos:

  • Há oportunidade de sentir se ele reage mal a algum toque, o que prediz que há problemas nessa região corporal
  • Você consegue investigar se há infestação de pulgas e carrapatos
  • Você identifica humores sazonais de seu bichinho
  • Você identifica os limites físicos de seu animal. E o seu também
  • Você melhora sua própria condição física
  • Seu próprio humor melhora consideravelmente
  • Esquece os problemas diários e evita acúmulo de estresse

Portanto, os benefícios são infindáveis.

Evolução dos jogos para cachorro

Os jogos para cachorro e brincadeiras evoluíram muito desde os primeiros

Os jogos para cachorro e brincadeiras evoluíram muito desde os primeiros brinquedos.

Em verdade, tudo começou com a forte relação dos seres humanos com as aves. Ainda na era vitoriana, durante o século 17, deu-se fortalecimento nas relações sociais entre ser humano e animal.

Dizem os sociólogos e antropólogos que isso foi resultado da elevação econômica que a Revolução Industrial promoveu na vida das pessoas. Logicamente, para algumas classes sociais.

Elas passaram a se preocupar mais com seu próprio bem-estar e condições emocionais. Assim, viajavam, brincavam, estudavam. E descobriram a beleza e magia de se ter aves canoras em casa. Dessa maneira, com o passar das décadas, os fabricantes descobriram que podiam produzir brinquedos para aquelas aves. O “marketing”da época se debruçou sobre a ideia de que as aves se entristeciam muito quando cativas em gaiolas.

Primeiros produtos e brinquedos

Portanto, a liberdade das aves era condição contrária à dos cães, pois estes viviam mais soltos nos quintais, fazendas e sítios. Porém, mais algumas décadas depois, também eles entraram no horizonte comercial. Assim, pouco antes do início dos anos 1900, houve intensa demanda de lojas de animais de estimação. Foram abertas nas principais cidades da Europa.

Já naquela época, a atenção com os animais começou a florescer. Algumas lojas de renome mantinham departamentos exclusivos para atendimento a pessoas que queriam adquirir um animal. A procura maior deixou de ser por aves e passou a ser por gatos e cães.

Com isso, a produção de utensílios para cachorro – incluindo brinquedos – aumentou, já que os próprios clientes davam ideias sobre isso. Com o tempo, até mesmo presentes de Natal para cachorros tiveram espaço nas prateleiras.

Brinquedos de borracha e mais jogos para cachorro

Foi a partir da década de 50 que os primeiros brinquedos de borracha entraram nas máquinas das indústrias. Coincidentemente, isso se deu após a Segunda Guerra Mundial, quando novamente houve aumento da renda familiar em função das políticas de reconstrução das nações pós-guerra.

A partir de então, a ideia de variar o máximo possível os tipos de brinquedos para pet e jogos para cachorro foi natural. Muitas peças atendiam a necessidades específicas dos animais, como mastigação e fortalecimento muscular.

Um passo além

Com aumento da procura por animais e consequente aumento da produção de peças e jogos para cachorro, surgiu a necessidade de armazenar as peças. Foi simples questão de tempo passar dessa ação à ideia de se criar uma loja. Assim, em 1960, foi lançada no mercado a primeira franquia de marcas de produtos específicos para cães e gatos. E uma grande loja foi inaugurada alguns anos depois.

Preocupações necessárias

É preciso ter cautela para escolher os melhores brinquedos e jogos para cachorro.

É preciso ter cautela para escolher os melhores brinquedos e jogos para cachorro.

Todo dono de um cão quer que ele viva nas melhores condições possíveis. Assim, brincar com ele e oferecer jogos para cachorro é uma das maneiras para isso. Porém, mesmo que as intenções sejam das melhores, é preciso tomar alguns cuidados com as brincadeiras.

Aliás, essa preocupação é semelhante à que se tem com brincadeiras com crianças. Afinal, se seu cão é de porte médio e pequeno, sua estrutura óssea pode não ser compatível com algumas brincadeiras. Se ele for de porte grande, seu próprio peso pode ser elemento de perigo. E para o dono igualmente.

Assim, verifique se o jogo para cachorro ou brinquedo apresenta o nível de complexidade compatível com o comportamento e inteligência de seu cão. Caso contrário, o evento não vai despertar o interesse e seu cãozinho pode se frustar. Ou você.

Observe a qualidade do brinquedo. A hiperatividade de seu animal pode destruir o objeto em horas. Ou minutos.

Note se a peça não contenha partes que podem ser arrancadas. Isso pode ser um divertimento para ele, mas um perigo também.

Em relação às brincadeiras, talvez a de esconde-esconde seja a mais frequente. Porém, há casos em que o animal se sente esquecido, abandonado. Com certeza, esse sentimento vai interferir no comportamento diário dele. Portanto, desenvolva a brincadeira com parcimônia.

Corre-corre também é brincadeira que precisa de espaço. Lembre-se disso. Ou, então, tudo não vai passar de simples evento de cansaço para dois, você e seu cão.

Assim, antes de iniciar um dos jogos para cachorro com seu animal ou adquirir um brinquedo para ele, avalie bem as condições de ambos.

Algumas questões dos donos de cães

São muitas questões envolvidas na escolha dos jogos para cachorro.

São muitas questões envolvidas na escolha dos jogos para cachorro.

Com qual frequência devo brincar com meu cão?

Sempre que puder e aguentar, dizem os admiradores, criadores e veterinários competentes. O ideal é que os eventos sejam diários. Assim, o animal vai se habituar mais rapidamente e descobrir o prazer de brincar.

Por quanto tempo devo brincar com meu cão?

Simples 15 minutos por dia são eficientes. Entretanto, o ideal é oferecer tempo maior.

Quando devo parar de brincar?

Você precisa prestar atenção nas reações de seu cão. Se estiver doente, evite brincadeiras com movimentos bruscos. Em todo caso, evite brincar. Nessas horas, afagos e carinhos são altamente recomendáveis como substitutos das brincadeiras.

Qual é o tamanho ideal do brinquedo ou o tipo de jogo para cachorro?

Não há exatamente um tamanho ou um tipo único. É preciso de um pouco de “feeling” para isso ou consultar opinião de um bom veterinário.

Quais brinquedos ou jogos podem causar danos?

Em verdade, qualquer um, dependendo do brinquedo e do cão. Por exemplo, se você optar por objetos para mastigação, verifique a condição dos dentes e das gengivas; se o objetivo for movimentação, avalie a postura do animal durante saltos.

Brincadeiras e jogos para cachorro possíveis

Há vários tipos de jogos para cachroro e brincadeiras.

Há vários tipos de jogos para cachroro e brincadeiras.

É importante destacar os conceitos dos termos: a gente considera brincadeira quando não há prêmios envolvidos. Por outro lado, jogo induz o animal a obter alguma recompensa, como guloseimas ou ração.

  • Pega-pega: brincadeira tradicional e excelente exercício para o físico. Porém, exercita também a empatia com o dono e a percepção de espaço.
  • Esconde-esconde: estimula o sentido de curiosidade do animal.
  • Pula-pula: você apanha algum objeto que seu cão queira abocanhar e o eleva ao alto. O pet vai precisar pular para tentar pegar. Com isso, a musculatura das coxas traseiras são exercitadas e a percepção de impulso também.
  • Cabo de guerra: você começa quase sem querer. Basta seu cão abocanhar uma corda qualquer ou um pedaço de pano que lá está você puxando, brincando de roubar dele. É sempre preciso averiguar os dentes de seu animal antes e depois da brincadeira a fim de verificar se não houve danos.
  • Bola Atirada: estimula percepção de tempo e espaço.
  • Bola de guloseimas: ela é feita de material especial para suportar dentadas e não soltar pedaços. Há orifícios dispostos de maneira lógica. O cão é convidado a rolar o brinquedo e, assim, as guloseimas caem. É divertido para o animal.
  • Quebra-cabeças automático: aparelho funcional, mas pode ser considerado um dos melhores jogos para cachorro. Dispõe de compartimento para ração e de sistema de desafios. Alguns modelos, por exemplo, contêm botões que, se acionados em certa ordem, liberam alguns grãos de ração; se acionados em outra ordem, liberam quantidade maior. Já modelos mais avançados contêm aplicativo que altera a sequência dos botões ocasionalmente. Dessa maneira, o animal é induzido a buscar várias sequências para obter seu prêmio.

Como fazer seus próprios jogos para cachorros

É possível criar seus próprios jogos para cachorro e brinquedos sem precisar gastar.

É possível criar seus próprios jogos para cachorro e brinquedos sem precisar gastar.

Mas nem sempre é possível comprar jogos. Afinal, em momentos de crise, a criatividade humana é bastante bem-vinda. Libere-a.

Exemplo 1 – Estimule o uso do olfato com essa brincadeira. Mantenha seu cão sem visão de seus movimentos. Esfregue o alimento preferido dele em diversos locais do quintal, formando um rastro de odores, e esconda a comida. Incentive seu cão a encontrá-lo. Isso pode também ser feito com o boneco de que ele mais goste.

Exemplo 2 – Consiga uma caixa de papelão em que seu cão caiba com certa folga. Recorte uma abertura e esconda guloseimas dentro da caixa. Estimule seu cão a encontrar o alimento. Você pode dificultar um pouco instalando paredes internas (também de papelão) para formar um labirinto. Alterne o esconderijo da guloseima.

Exemplo 3 – Amarre um boneco na extremidade de uma corda e, a outra num cabo de vassoura. Chame a atenção de seu cão e, assim que ele tentar abocanhar, mova o cabo de vassoura. Cada vez que ele conseguir chegar ao boneco, recompense-o com algo de que ele goste.

Então, é isso! As relações entre os animais e o ser humano evoluíram muito. Evoluíram tanto a ponto de haver pessoas que literalmente gastam metade dos recursos mensais em utensílios funcionais, manutenção e brinquedos para cachorro.

Se você tiver mais alguma dúvida, se fizer brincadeiras diferentes com seu cãozinho, se precisar que a gente discorra mais sobre esse assunto, deixe na área de comentários abaixo. A gente vai gostar muito disso.