Você já deve ter lido muitos artigos sobre insetos. Normalmente, esses textos revelam um universo asqueroso, abordagem de problemas causados por eles, doenças etc. Afinal, os artigos devem refletir a natureza em todas as suas arestas. Mas a joaninha chegou para suavizar as aparências.

O formato simpático da joaninha, com sua infinidade de cores e desenhos, está em toda parte. E, quando a gente fala em toda parte, não está se referindo apenas à natureza propriamente dita. Ela está na vida da gente em todos os campos.

No artesanato, no cinema, nos desenhos animados, na literatura – em especial a infantil -, nos panos de prato, nos porta-joias, nas superstições, nas crenças (aliás, você tem mais informações sobre isso na última parte deste artigo), na agricultura… vá contando.

Não é que a gente tenha esquecido de elencar aqui outros tipos de participação desse insetozinho fantástico. É que não há espaço aqui para listar todos.

Com toda certeza, você gosta de joaninha por causa de sua fragilidade e aura de infância. Entretanto, fazendeiros e jardineiros simplesmente amam esse inseto porque ele se alimenta também de micro-organismos nocivos para as plantas.

Desta maneira, em tempos de aumento de consumo de alimentos orgânicos, a joaninha é alternativa fantástica no uso de agrotóxicos.

Além disso, algumas espécies complementam o cardápio com mofo. Isso mesmo! Mofo. Isso é simplesmente fantástico para móveis, roupas e outros utensílios domésticos.

Você saberia tudo sobre joaninha? Ou quase tudo? Ok! Saberia muito? Ou saberia um pouco menos de muito? Então, vamos ver aqui algumas curiosidades sobre a joaninha.

O lado dos detalhes da joaninha

Há bilhões de espécies de joaninha pelo mundo inteiro.


Mais de 5 mil espécies distribuem dezenas de bilhões de joaninha pelo mundo inteiro. A esmagadora maioria das espécies tem o corpo ovalado em forma de cúpula, de abóboda. Ela é muito ativa durante o dia; à noite, se recolhe, pois precisa da luz do dia em suas atividades de busca de alimento.

Não é exatamente solitária, mas se junta a outras somente durante o inverno e, claro, para acasalar. Ou seja, vive só. Convenhamos: esse comportamento ermitão não é compatível com o ar de simpatia, é ou não?

Movimenta-se por meio de 6 perninhas curtinhas que elevam ainda mais a simpatia da aparência. E voa por meio de 2 pares de asas que se dobram sobre si para ser mais bem acomodadas.

Outro aspecto embelezador é sua cabeça. É preta, pequena, com manchinhas bonitinhas nas laterais.

O nome joaninha? De onde veio?

O aspecto simpático e beleza das cores leva a gente a pensar em delicadeza que, por sua vez, faz pensar em fraternidade, amizade, empatia. Ou seja, muitos sentimentos bons. Em culturas religiosos, tais sentimentos são representação da divindade.

Aliás, é por isso que muitas sociedades, mesmo atuais, creem que ela leva sorte por onde vai. O nome Joana provém de Ana e ambos significam “Deus é cheio de graça” ou ainda “agraciada por Deus”. Deriva do latim Iohanna que, por si, nasceu do hebraico Yahokhanan, que é junção de Yaveh (Deus) com Hannah (graça).

Dessa maneira, ainda há crenças de que a joaninha seja mensageira de Deus. Por isso, o nome científico Coccinella é conhecido popularmente em muitas línguas a por meio de palavras que tenham relação com santos ou com a divindade.

Dessa maneira, associar a delicadeza, a beleza, a simpatia e a efetividade de inseto tão amável à Joana foi fácil nos idiomas de Língua Portuguesa. Sendo tão pequenina, o diminutivo fica ainda mais gracioso.

Por outro lado, como reforço, ainda há a questão de uma das espécies de joaninha apresentar sempre sete pontos coloridos. O número “sete” foi associado ao conceito de As Setes Dores de Maria, estigmas muito admirados e venerados no Catolicismo.

A joaninha dramática com seus adversários

A beleza não é o único objetivo das cores e formatos da joaninha. Elas funcionam como estratégia para enganar predadores. Além disso, ela é capaz de se fazer de morta (veja abaixo). Ou seja, usa o drama para enganar adversários naturais.

Por outro lado, as pernas da joaninha excretam uma substância malcheirosa e de sabor horrível quando ela se sente em maus lençóis. Quando aves se aproximam – aliás, aves são o perigo mais mortal para ela – é assim que se defende. E dá certo na maioria das vezes.

E, para excretar a substância, ela se põe de barriga para cima e mantém imóvel, ou seja, “morta”. Pelo menos é o que “pensam” o adversário. Dramática, ela, não?!

Mas não são apenas agricultores que amam a joaninha. Também sapos, aranhas, libélulas, vespas, formigas e mais alguns outros gostam dela. Nesse caso, gostam como alimento, claro.

Entretanto, na natureza, muitos animais que carregam substâncias tóxicas (como veneno) dispõem de muitas cores. E, normalmente, tais cores são fortes, brilhantes. Eis aí a estratégia dramática da joaninha: suas cores servem para que os predadores tenham receio de se aproximar.

Você tem problemas com pulgões?

Acione o “disque-joaninha”. É o que faz grande número de jardineiros ou fazendeiros quando suas plantações estão infestadas de pulgões. Conseguem alguns exemplares de joaninha e espalham pela região. Alguns deles até mesmo importam joaninhas de outros países.

Interessante: até mesmo a Nasa acionou o “disque-joaninha”. Há alguns anos, a fim de pesquisar comportamento de pequenos animais em gravidade zero, enviou diversas joaninhas ao espaço. Elas foram junto com pulgões.

Encontre uma joaninha

A maioria das espécies não tem qualquer problema com o ambiente em que vive. Assim, a joaninha é vista em florestas tropicais, região urbana, em becos, prédios, em área alagada etc. Até mesmo dentro da casa, nas paredes e toalhas de mesa. Vivas, não como decoração.

Quer encontrar uma joaninha? Então, não a procure no inverno. Nesse período, ela vai estar hibernada em algum orifício de parede, debaixo de pedras, em frestas de troncos. Ela se reúne a até milhares de amiguinhas para passar o inverno.

Contudo, da primavera ao outono, você pode encontrá-la em qualquer lugar do mundo.

O lado biológico da joaninha

A joaninha é um coleóptero.


Ela é um coleóptero. Ok! A gente concorda que joaninha é muito mais fácil de falar. É da mesma espécie dos besouros, da família dos Coccinellidae. Isso significa também que tem relação biológica com escaravelhos e vaga-lumes.

O corpo em forma de meia bola é característico da família biológica. Há espécies muito pequenas. A Carinodulinka mede menos de 1 milímetro; já a Megalocaria pode chegar a quase 2cm.

Apesar de não estar ameaçada de extinção – ainda bem para agricultores -, os próprios agricultores têm se mostrado ameaça para a joaninha. Ao usar agrotóxicos, estão minimizando a capacidade de sobrevivência desses insetos altamente úteis a eles próprios.

A “joaninhazinha”

A joaninha nasce a partir de ovos, como é o caso da maioria dos insetos. Normalmente, ela depõe os ovos em partes baixas de folhas de vegetais. É ali que, via de regra, há pulgões. Alguns dias depois, as larvas começam a eclodir. Elas já apresentam alguns detalhes particulares, como cor e forma, dependendo da espécie.

Por exemplo, as larvas da joaninha de 7 pintas, muito comum na América do Norte, são alongadas e finas nas extremidades. Até mesmo a cor alaranjada já está presente.

Elas vão crescer muito rapidamente e, durante dias, perdem a carapaça que as envolve (pele) diversas vezes. Assim que tiverem força o bastante, a larva se fixa em algum local e começa a criar uma espécie de pupa. É dali que, em duas semanas, vai surgir uma linda joaninha para enfeitar a vegetação como um todo.

Como se alimenta, a joaninha

Ela gosta de pulgões, como a gente já comentou, e não há muitas espécies herbívoras.

Porém, o primeiro alimento da joaninha é ofertado pelo instinto materno. A joaninha deposita ovos sem embriões juntamente com ovos fecundados. Esses ovos contêm nutrientes importantes para o desenvolvimento da larva.

Já adultas, buscam variação no cardápio. Em verdade, a alimentação da joaninha é processo especial no controle de diversas pragas de plantios. Ela devora cochonilhas (pequenos insetos parasitas originários do México), pequenos insetos de frutas, até larvas e mais boa quantidade de invertebrados devastadores de vegetação. Mas também buscam algumas frutas como fonte de nutrientes.

Para você ter uma ideia, uma só joaninha come mais de 5 mil pulgões durante a vida. Não à toa, plantadores preferem manter colônias enormes de joaninhas por perto. Além disso, ajudam a polinizar flores, pois ingerem pólen e depois evacuam em outras áreas.

Como se prolifera, a joaninha

Apesar do nome eminentemente feminino, sim, a joaninha é espécie dioica, ou seja, há macho e fêmea. E são diferentes entre si, isto é, apresentam dimorfismo sexual. O “casal” acasala várias vezes por ano e a fecundação é feita no organismo da fêmea e não externamente.

Em cada deposição, a fêmea expõe até uns 200 ovos, porém, a quantidade média é bem menor. Esses ovos vão sofrer metamorfose completa em 4 estágios distintos:

  • Ovos – fase de mais ou menos 4 a 5 dias
  • Larva – nesse estágio, já se movimenta e passa a buscar vegetação a fim de encontrar alimento. Essa fase dura mais ou menos 10 dias
  • Pupa – é algo como casulo. Vai ficar nessa fase por mais 2 semanas. Então, vai se quebrar e expelir a joaninha adulta
  • Adulta – uma vez saída da pupa, as asas da joaninha são complemente amolecidas e vulneráveis. Então, ela permanece quieta, imóvel por alguns minutos. A atmosfera vai reagir com os elementos das asas e endurecê-las. Somente depois disso, a joaninha vai procurar seu próprio território

Uma vez atingida a fase adulta, vive por mais 12 ou 14 meses dependendo da espécie. Entretanto, algumas delas podem chegar a 3 anos de vida.

Espécies de joaninha

Há várias espécies de joaninha.


Em verdade, são mais de 5 mil. Alguns entomólogos (biólogos especialistas em insetos) dizem que há muito mais de 6 mil. Assim, seria impossível elencá-las aqui. Eis algumas delas:
  • Cycloneda sanguinea – vive mais nas américas. No Brasil, é uma das 8 espécies encontradas em grande quantidade. Também é arredondada e é, via de regra, avermelhada. Porém a cabeça e o tórax são pretos
  • Rodolia carinalis – está presente mais na Austrália. Foi amplamente difundida pelo mundo para combater justamente o inseto que mais ataca pomares, o cochonilha
  • Coccinella septempunctata – possui até 7 manchas pretas no dorso vermelho e vive mais na Europa em geral
  • Eurydema dominulus – é alaranjada ou avermelhada com pequenas regiões pretas ou verdes.

A joaninha e as sociedades

A joaninha é o inseto mensageiro de Deus.


Como a gente viu acima, a joaninha é representante e mensageira de Deus na Terra, segundo o que creem milhares e milhares de pessoas no mundo inteiro. Claro, não é para menos. Seu visual carregado de meiguice e amabilidade é apropriado para isso.

As variantes desse sentimento em relação à joaninha é também representar sorte, proteção, prosperidade etc. E há povos em todo o mundo que ainda reforçam tais impressões.

Povos específicos

Por exemplo, se um asiático ou asiática que ainda não encontrou o amor de sua vida se deparar com uma joaninha, fica contente. Ele ou ela vão imediatamente tentar apanhá-la. Conseguindo, vão soltá-la de imediato. Assim, segundo sua convicção, ela vai direto aos ouvidos da pessoa que o destino prometeu.

Então, cochicha o nome de quem a soltou. Dessa maneira, a pessoa prometida vai se esforçar para encontrar a outra parte. Lindo, não?

Já o chinês tem outra intenção para com a joaninha. Ele a mantém no interior de sua casa, pois o inseto é abençoado por Deus. Assim, jamais vai faltar provisão e prosperidade no lar.

Os franceses querem que uma joaninha pouse em si, em qualquer lugar do corpo. Em verdade, eles procuram por joaninhas. Acreditam que, assim, ela vai levar consigo todas as aflições e maus sentimentos quando for embora.

Ou seja, creem que a joaninha seja capaz de fazer uma espécie de higienização espiritual. Indo embora, ela renova as esperanças na felicidade total.

Os americanos também têm uma crença específica na joaninha. Havendo revoada delas na primavera, em especial sobre plantações e jardins, acreditam que a produção agrícola vai ser intensa, farta e altamente valorizada.

Sentimento semelhante impacta dos britânicos de maneira geral. Para eles, a presença da joaninha em casa ou em lugares frequentes de determinada pessoa significa período de sorte e prosperidade.

Quando as cegonhas estão muito ocupadas, pedem ajuda à joaninha para levar os bebês aos respectivos pais. Pelo menos é o que dizem os suecos a seus filhinhos.

Povos em geral

No mundo inteiro, pessoas evitam matar uma joaninha. Isso pode ocasionar período de azares. Um sul-americano que mantiver uma joaninha presa na mão e fizer um pedido, deve atentar à direção que ela tomar quando for solta. É nessa direção que ele vai procurar seu lugar ao sol e seu crescimento pessoal.

Uma joaninha com mais de 7 pintas no dorso é sinal de problemas sérios. Assim, nem olhe para ela. Muitas jovens solteiras pelo mundo gostariam de ter uma joaninha caminhando em sua mão. É evidência de que vão se casar em breve.

Falando em mão, uma pessoa pode saber antecipadamente o número de filhos que vai ter. Basta contar o número de pontos pretos no dorso de uma joaninha que pousar em si.

Quando você entrar em casa, torça para que uma joaninha pouse em sua mão. E torça para que tenha muitas pintas. É a quantidade de dinheiro que você vai ganhar em breve.

Dentistas do século 19 esmagavam joaninhas nas gengivas dos pacientes para aliviar a dor. E médicos achavam que sarampo era curado com caldos de joaninhas.

Minha, sua, nossa joaninha

Todos gostamos de joaninha. Ainda que não a conheçamos, gostamos. É quase possível parodiar aquele belo samba “quem não gosta de joaninha, bom sujeito não é”. Assim, gaste um pouquinho de tempo dando atenção a movimentos em defesa dos animais. Vale a pena.

E, se tiver mais dúvidas sobre joaninha, fale com a gente. Deixe nos comentários abaixo ou envie uma mensagem.

Por Serg Smigg

Serg Smigg é jornalista, redator, revisor e analista textual, além de roteirista e escritor. Extremo defensor das causas animais, cria seus textos apresentando conceitos claros sobre a importância desses para a humanidade e caminhos para sejam cada vez mais respeitados. A paralelo, ministra palestras inspiracionais corporativas na área de comunicação interna, externa e interpessoal social. Oferece dicas de gramática e expressividade em seu site smiggcomcorp.wordpress.com.

Perguntas & Respostas

  1. Aqui na minha quadra tem uma árvore que está cheia de joaninhas, larvas e ovinhos delas, nunca tinha visto tantas. Estão acasalando. Hoje vi umas fazendo ménage, três uma em cima da outra, lindinhas. Descobri há uns 15 dias esta árvore é cheia de um liquido pegajoso que brilha as folhas ficam brilhosas e cheias de pontinhos preto e tem cachos de flores. Estou amando vendo tantas, se vc pega na folha elas continua copulando e não se incomoda. gostei da matéria muito boa.

Deixe uma resposta