Criadores de animais domésticos estão perdendo o interesse por iguana. De certa forma, Biólogos e especialistas comemoram esse fato. Porém, não é nada contra criadores e amantes de pets, claro, nem de criadores de iguana. A satisfação dos profissionais com a queda de interesse tem outro foco. Está mais voltada ao bem-estar do animal que propriamente com a insatisfação dos donos de pets.

Acontece que iguanas não se dão bem em cativeiro. Por mais cuidados que os donos tenham, por mais remédios que ofereçam, por mais iniciativas que tomem, elas não são felizes em ambientes domésticos. Suas necessidades estão além da percepção humana. Pelo menos a percepção de leigos.

Veja: iguana é réptil. Quando se pensa assim, pensa-se em animais razoavelmente pequenos. Entretanto, a iguana pode crescer muito e boa parte dos criadores inexperientes se esquecem de pesquisar sobre esse detalhe. Além disso e justamente por ser dessa espécie, requer alimentação adequada e espaço apropriado.

Ainda assim, dentre os répteis, é o mais procurado por criadores. Veja neste artigo muitos detalhes sobre esse bichinho interessante e muitos motivos para que você não tenha um em casa. Afinal, este artigo traz informações que o fazem ser algo como manual de tratamento de iguana, mas também um incentivo à não aquisição de um exemplar.

Iguana era boa de comércio

A iguana é um animal muito traficado ilegalmente.


Caçadores inescrupulosos, comerciantes inconscientes e criadores impulsionados por modismos lançaram a ideia de que é fácil cuidar de iguanas. De uma hora para outra, comprar esse réptil virou febre. Todos que gostam de animais, mas que não queriam cães e gatos, se voltaram para a iguana.

Então, é falsa a informação de que o trato com iguanas é simples. Além disso, a percepção de que ela é exótica alimentou desejos de se ter uma. Assim, colaborou muito para que comerciantes vendessem quantidade considerável de iguanas. Ainda, para complicar, iguana em tenra idade – portanto, mais frágeis – era procurada mais constantemente.

Entretanto, enquanto o dinheiro fácil entrava, os animais sofriam. Como você vai perceber neste artigo, não é nada simples manter uma iguana como animal de estimação. O ambiente doméstico não é agradável a sua estrutura física nem à comportamental.

Iguana tem aparência exótica?

Essa era também a ideia vendida. Sua aparência de dragão – pelo menos a aparência de dragão cultuada em Hollywood – atraía criadores e, consequentemente, caçadores sem amor. Sim, a iguana é fofa – alguns apreciadores dizem que, em verdade, iguana é tão feia que chega a ser bonita.

Cuidados com a iguana

A iguana precisa de cuidados especiais.


Como todo e qualquer réptil, iguana necessita de cuidados diferenciados daqueles dispensados a mamíferos, por exemplo. Ou aves.

Comportamento da iguana

Como a gente disse acima, iguana cresce bastante dependendo da espécie. Portanto, nem todas são completamente dóceis, mesmo as aparentemente calmas. Assim, adestrá-la talvez não seja tarefa fácil. Além do mais, ela vai ser responsabilidade por muito tempo (veja mais no capítulo sobre ciclo de vida).

Por outro lado, nada disso é confirmação de que uma iguana não seja bom animal de estimação. A maioria dos indivíduos se apega bastante a seu cuidador. Não são raros casos em que ela procura o dono como se fosse cãozinho de estimação.

Bem, isso acima se refere a exemplares que você adquiriu ainda muito jovem. As já adultas mostram certa resistência à familiaridade mesmo com seus cuidadores. Não é comum morder, mas também não é muito incomum (não há indícios registrados de que sua mordida cause algum malefício tóxico). Entretanto, por ser animal silvestre, preocupe-se em consultar um bom médico em caso de ataque.

Além disso, usam a cauda como defesa. Segundo alguns criadores que receberam o golpe, é realmente dolorido. E duplique a atenção com o comportamento de uma iguana prenhe. Elas são muito mais temperamentais.

Além de tudo, hospedam bactérias

A iguana hospeda a bactéria salmonella.


Iguana é hospedeira da Salmonella, bactéria não necessariamente perigosa, mas causadora de problemas bem desconfortáveis. Produz a conhecida salmonelose, distúrbio gastrointestinal acompanhado de diarreia fortíssima, vômito e febre.

Para evitá-la, você deve higienizar constantemente o local habitual da iguana, aliás, mais do que julga ideal. Havendo crianças e idosos no ambiente, os cuidados com higiene precisam ser redobrados.

Como se alimenta a iguana

A iguana é um animal herbívoro.


Se em seu habitat – portanto, livre, leve, solta, serelepe – é iminentemente herbívora, ou seja, alimenta-se apenas de vegetais. Não se tem registro nem mesmo de ingestão de insetos (veja mais abaixo). Dessa maneira, evite ração de gato ou cachorro, como alguns criadores teimavam em oferecer. Isto é, antes de se descobrir que proteína animal causa problemas renais.

Os problemas renais causados por ração à base de proteína animal acabaram sendo usados por comerciantes criminosos. Como tais distúrbios renais diminui a expectativa de vida do réptil, eles imaginavam que assim, comercializariam ainda mais exemplares.  Nesse caso, aconselhavam uso de ração a compradores sem qualquer escrúpulos para, assim, vender serviços veterinários.

Portanto, ofereça a sua iguana apenas plantas frescas. Ela vai ficar satisfeitíssima comendo verduras escuras, frutas (evite as cítricas) e alguns legumes. É possível também oferecer alguma substância à base de cálcio. A estrutura da iguana é favorável.

Importante: a iguana gosta de líquidos açucarados (frutos) e vai preferir se alimentar em temperatura por volta de 30º C. Assim, se a vir comendo demais em determinadas ocasiões, não estranhe. Porém, retire restos de frutas para evitar que a iguana os coma se estragarem. Isso pode ser bastante problemático para ela.

Certa linha de pesquisadores prefere instruir criadores sobre alimentação das iguanas de outra maneira. Segundo seus estudos, a iguana altera a dieta com o passar da vida. Nos primeiros meses, pode até mesmo consumir insetos, o que contraria o plano de observações gerais sobre o comportamento alimentar desse bicho.

Onde vive a iguana

A iguana está mais presente na América do Norte e nas regiões subtropicais da América do Sul. O México e América Central também dispõem de algumas espécies. Há poucas décadas, foram encontrados muitos exemplares também nas Antilhas.

Ainda nessas regiões, é capaz de viver em diversos tipos de ambientes, de aquático a desérticos.

A iguana e a zoologia

A iguana é um animal de muitas espécies.


Ela faz parte da ordem Schuppenkriechtiere; é também da família Iguanidae que é composta por 5 subfamílias, mais de 50 gêneros e mais de 700 espécies. É réptil herbívoro, como já comentado.

Diversas cristas dorsais são a característica mais comum, apesar de existir espécies sem elas. Há cores variadas independentes das espécies: laranja, verde, azul, vermelho. Porém, se você vir uma iguana alterando a cor, não estranhe: poucas espécies têm essa capacidade, como os camaleões – em especial em época de acasalamento.

Há espécies com até 15cm de comprimento e outras com até 2m – inclui-se a cauda em ambos os casos. Pesam entre 3 e 15kg. É capaz de atingir 35km/h quando em fuga. Aliás, seus predadores são as aves de rapina de grande porte e, obviamente, o ser humano com seu costume de destruir habitat da vida selvagem.

Entretanto, por terem atraído atenção de criadores domésticos, cães e gatos passaram a predar a iguana também de forma intensa.

Iguana é adepta do esoterismo

Claro, é brincadeira. Mas nem tanto.

Na prática, a iguana possui o que os esotéricos procuram desenvolver durante a vida inteira: o terceiro olho. No alto da testa, há uma rodéola em que as escamas quase não têm cor e se diferencia visivelmente. Ela deixa passar luz suficiente para que, segundo os cientistas, a iguana tenha um instrumento a mais de orientação e análise do ambiente.

Entretanto, os pesquisadores não conhecem plenamente as funções desse tal terceiro olho.

Mas espere. Não se surpreenda de todo ainda. Isso aqui é ainda mais interessante: Krister Smith é biólogo pesquisador alemão do Instituto Senckenberg. Recentemente, ele próprio ficou profundamente surpreso ao descobrir um fóssil de lagarto – aparentemente muito próximo da iguana – com mais um olho, o quarto.

Até então, apenas uma espécie de vertebrado dispunha de 4 olhos; é a lampreia, uma espécie de peixe. O lagarto encontrado tem por volta de 50 milhões de anos e pertencia a uma espécie já extinta chamada “lagarto monitor”.

Reprodução e ciclo de vida

A iguana assume capacidade de reprodução entre 18 e 36 meses – a maturidade total estrutural se dá por volta de 4 anos. O acasalamento ocorre normalmente no verão. Depois de 3 semanas, a fêmea põe algumas dezenas de ovos em alguma cavidade que ela própria fez. Ela não chega a abandonar a ninhada, mas não oferece qualquer cuidado.

Elas vivem por muitos anos para um réptil: entre 15 e 20 anos; algumas, bem mais. Então, você vai ter companhia por tempo suficiente para, digamos, dar muito trabalho a você. Aliás, esse é outro motivo para que a procura por iguana como animal doméstico esteja decantando.

Se em ambiente doméstico

A gente tem alertado neste artigo que o mais adequado é que a iguana viva em seu habitat. Entretanto, se você pretende ter um indivíduo ou se já o tiver e não souber como cuidar, continue a ler este artigo.

Somente a cauda da iguana cresce mais que o próprio tronco. Então, jamais a mantenha em aquários. Ou gaiolas. Prefira bom espaço no quintal, mas obviamente cercado para que não fuja.

Isso é importante: mesmo que ela viva no quintal, não se despreocupe dos cuidados de higiene conforme a gente comentou no capítulo sobre Salmonella. Em algum momento, crianças ou idosos vão ter contato com o espaço dela.

Se a mantiver em terrários, que criadores chamam de armário de iguana, você vai precisar de sistema de aquecimento eficiente. A iguana tem sérios problemas com temperaturas inferiores a 23º C ou superiores a 40º.C. Para isso, monte esquema de iluminação com lâmpadas incandescentes.

Isso é importante também: criadores pensam em usar aquecimento por pedras. Ou seja; esquentam esse material e o mantêm no ambiente da iguana. Entretanto, é quase certo que ela vai ser vítima de acidente. Acaba queimando as patas e o abdômen.

Além de bom aquecimento, mantenha galhos grandes, compridos e secos no ambiente dela. Assim, ao escalá-los em busca de boa temperatura, vai se exercitar também. Iguanas com hábitos terrestre na maior parte do tempo precisam de terrários mais largos que altos; iguanas de hábitos florestais precisam de terrários mais altos que largos.

É de extrema importância que haja boa corrente de ar no local onde a iguana está, especialmente se viver em terrários. Certifique-se disso porque ela controla a temperatura corporal a partir da exterior. Assim, busca locais diferentes ao longo do dia.

Bate-papo com a iguana

Certamente você sabe que não se trata de programa matutino de TV nem de tema de discussão nesse tipo de programa. Psicólogos dizem que é bom conversar com animais e criadores de iguanas confirmam isso unanimemente. Como o trato com ela é dificultoso, eles aconselham que você emita sua voz quando estiver em tarefas próximas a ela.

Experiências importantes garantem que isso facilita aproximação dela com o dono, especialmente quando este a alimenta. Assim, procure bater papos com sua iguana. Parece haver algum fenômeno no processo de audição dela que grava a tonalidade de sua voz.

Enquanto conversa, aproxime a mão cuidadosamente, mas sempre na horizontal. Seu movimento de cima para baixo pode ser interpretado como agressividade. Além disso, ainda que a iguana rejeite as primeiras investidas, seja persistente. Ela vai precisar de algumas semanas para se acostumar.

O piso do terrário

Em qualquer dos casos, atenção ao piso. É necessário que se assemelhe com o piso do habitat da espécie. Ele vai, inclusive, simular o clima natural do habitat. Afinal, a depender da espécie, a iguana vai preferir deitar-se sobre pedras, em galhos ou próxima à água. De qualquer maneira, vai ser o local adequado para que ela tenha visão ampla sobre o ambiente, que é outra maneira de se proteger.

Não instale plantas artificiais jamais no piso. Podem até ser bonitas, mas a iguana vai mastigar. Com certeza, o material é tóxico para elas. Assim, prefira plantas naturais com as quais a iguana pode conviver ou usar como alimento ocasional.

Ainda em relação às pedras, disponha algumas em forma de caverna. Fêmeas em especial gostam de se ocultar de machos fora do período de acasalamento e também quando estão prenhes.

Algumas espécies de iguana

  • Iguana iguana: É a iguana verde propriamente que, aliás, tem mais cor que unicamente a verde. O nome foi dado por conta dos primeiros indivíduos descobertos
  • Iguana Fiji (Brachylophus Bulabula): trata-se de espécie descoberta recentemente que vem se somar às 03 já existentes nas Ilhas Fiji, localizadas na Oceania. É muito diferente das outras tanto morfológica como geneticamente
  • Iguana Albina: É espécie rara justamente por conta da mutação genética. Entretanto, ao contrário do que pode parecer, o sol não lhe causa mal algum. Com o tempo, determinadas áreas descoloridas podem surgir no corpo de indivíduos dessa espécie
  • Iguana Tailandesa: são também muito raras
  • Hipomelanismo: é valiosíssima no mercado – especialmente no clandestino – por conta de sua cor verde extremamente diferente
  • Iguana cubana da rocha: é uma das maiores espécies e com maior expectativa de vida. Pode chegar a 50 anos, mas há registro de um indivíduo ter vivido por 80 anos
  • Iguana marinha: não vivem na água, apenas se alimentam nela. Seu prato preferido são as algas

Assim é a iguana, esse bichinho com aparência jurássica “tão feia que chega a ser bonita”, como vimos. Você é admirador prudente e amigo dos animais. Então, converse com seus conhecidos sobre a importância de deixar que a iguana viva em seu habitat.

Ter um um exemplar em casa pode ser bom para mostrar para as visitas, mas não é nada bom para ela própria. E, se você tiver mais dúvidas sobre iguanas, deixe na área de comentários abaixo.

Por Serg Smigg

Serg Smigg é jornalista, redator, revisor e analista textual, além de roteirista e escritor. Extremo defensor das causas animais, cria seus textos apresentando conceitos claros sobre a importância desses para a humanidade e caminhos para sejam cada vez mais respeitados. A paralelo, ministra palestras inspiracionais corporativas na área de comunicação interna, externa e interpessoal social. Oferece dicas de gramática e expressividade em seu site smiggcomcorp.wordpress.com.

Deixe uma resposta