Menu fechado

Hamster: como escolher um e cuidar da saúde

hamster

Esses afetuosos, simpáticos e amorosos roedores são diversão para a criançada. Os hamsters estão entre os animais de estimação mais buscados entre as crianças por causa de seu comportamento brincalhão, divertido e interativo. além disso, são altamente inteligentes, o que os torna aprendizes fantásticos de ações diversas. Passam o dia roendo objetos, como você vai ver aqui, além de brincar.

Veja aqui informações importantes antes de entrar na loja e adquirir seus hamsters. A gente sugere que você atente bastante aos capítulos que tratam da saúde do animalzinho.

O lado técnico dos hamsters

O hamster é um animalzinho de estimação muito curioso.
O hamster é um animalzinho de estimação muito curioso.

Dois dados interessantes sobre hamsters é que eles exalam odores estratégicos e guardam seus alimentos.

Isto é, detêm glândulas de odores nos quadris. Quando soltos na natureza, usam essa capacidade para registrar sua passagem e retornar rapidamente quando preciso. É uma espécie de navegação bastante eficaz.

A segunda curiosidade é que mantêm alimentos na bochecha. No caso de haver algum problema no local em que encontram comida, eles a armazenam na boca e transportam para lugar seguro. Algumas fêmeas recém-parturientes podem até mesmo abocanhar seus filhotes e levá-los para local mais adequado.

Quanto ao organismo

O organismo dos hamsters é, vida de regra, sensível (veja mais sobre isso ao longo deste artigo). Assim, você precisa observar bem o animalzinho ainda na loja. Verifique quantidade pelos na gaiola, seus movimentos, olhos lacrimejantes, nariz molhado etc. A transferência do ambiente da loja para sua casa pode ser fator estressante e isso vem a causar terríveis problemas.

Entretanto, não observe apenas o indivíduo pelo qual você se interessou. Analise o comportamento e o corpinho de todos que estão na gaiola. Se houver um mais amuado, menos ativo, mais isolado, é provável que esteja com problemas e, assim, pode ser agente de transmissão para outros.

Cauda molhada

Isso é importantíssimo: uma das doenças mais comuns e seriíssimas em hamsters é a chamada Cauda Molhada. Em verdade, trata-se de problema fatal se não for tratado com efetividade. É conhecida tecnicamente como Ileíte Proliferativa ou Enterite Regional. Consulte um veterinário.

O nome da doença, em si, é referência ao estado que a cauda do animalzinho apresenta durante eventos de diarreia. Por conta de proliferação de um tipo de bactéria, o sistema gastrointestinal entra em deficiência terrível. As fezes saem líquidas e se molham os pelos traseiros e cauda.

Profissionais informam que o estresse, causado por condições ambientais e outros fatores, é o principal veículo de alastramento da bactéria. Isso se dá porque o organismo, que já é sensível, fica ainda mais.

Além de tudo, o estado é bastante contagioso justamente por conta da umidade da cauda. Assim, é altamente importante que você separe o animalzinho vetor tão logo perceba a anomalia. Mas não basta apenas separar o indivíduo: é preciso higienizar muito bem o local em que estava.

Como tratar? Leve ao veterinário. Ele vai identificar se o problema da cauda molhada é mesmo de origem bacteriana. O animal pode ter ingerido algum alimento não habitual e adquirir um simples desarranjo intestinal. Nesse caso, o profissional é a melhor opção de definir a origem do problema.

No caso de você ter dificuldade para levar o animalzinho ao veterinário, experimente o chamado remédio Gotas de Cauda Molhada. É encontrado em casas de pet shops. Porém, convém se certificar antes se a causa é realmente bacteriana.

Como se alimentam, os hamsters

Boa parte dos apreciadores de hamsters imagina que apenas um punhado de sementes variadas é suficiente. Porém, a estrutura orgânica desses animaizinhos é um pouco mais complexa, como você viu no capítulo sobre organismo deles.

Mesmo porque o benditinho pode ficar escolhendo quais sementes vai comer. Isso, claramente, se torna uma dieta pobre. Então, eles necessitam de proteínas diversificadas em frutas, vegetais e granulados em geral.

Alguns alimentos seguros para seus hamsters são maçãs (sem sementes), amoras, bananas, cenouras, brócolis, couve-flor, ervilhas, batata cozida, espinafre, abóbora, pão integral, arroz cozido, grilos, amendoim etc.

E os que você precisa evitar são sementes de maçã, feijão cru, batatas cruas, amêndoas, cítricos, alho, chocolate, alimentos açucarados,

Tamanho e peso

Certamente, variam muito tanto em peso quanto em tamanho. A média é de 10cm de comprimento e 1,5kg de peso.

Raças de hamsters

Há grande variedade de aparência à disposição de todos os gostos. Assim, são muitas as cores e os tamanhos. Algo em comum entre eles é que a cauda é curta e quase oculta, exceto na raça chinês, cuja cauda é até meio longa.

As raças sírio e anã são as mais encontradas no Brasil.

Chineses

Pode-se dizer que sejam mais ou menos raros. Isso se dá porque o processo de reprodução dessa raça sofre alterações associadas ao clima. Assim, a fecundação não é tão fácil em temperaturas baixas, o que resulta em menos nascimentos.

Pelo tamanho, muitas pessoas acabam confundindo com a raça anã. A amizade ou não com outros da mesma raça depende do indivíduo. Muitos parecem bastante cordiais; já outros são mais arredios.

Por outro lado, é possível que seja a raça mais ágil, mais ativa de todas. E podem chegar a 3 anos de vida. Chegam a 10cm de comprimento.

Anãos

Essa raça se divide em duas: anã campbells russo e anã inverno branco. Donos experientes garantem que é a raça mais sociável de hamsters. Dão-se muito bem com semelhantes e, em especial, com humanos.

Mas – parece que sempre tem um “mas” – é ideal que você apresente um ao outro com poucos meses de vida. Assim, vão se conhecendo com o tempo. E também mostram alguma dificuldade de domesticação inicial, mas nada que um pouco de paciência não resolva.

Têm tempo de vida normal: de 18 a 24 meses e, como o nome da raça prediz, têm apenas entre 10cm e 11cm de comprimento.

Sírios

É reconhecidamente a raça mais comum e está espalhada pelo mundo em casa de milhares de apreciadores. Talvez seja porque é a maior das raças. Procure manter um só indivíduo; caso queira mais, separe em gaiolas. Hamsters dessa raça têm hábito de lutar entre si. Porém, são domesticados muito facilmente. Em pouco tempo, tornam-se a alegria da família.

Têm pelos fartos e macios, escuros no dorso e um pouco mais claros na barriga. Um detalhe interessante é que suas bochechas podem se expandir bastante para conter alimentos.

Há registros de alguns indivíduos que chegaram a viver até 3 anos. Quanto ao tamanho, podem ter até 15cm de comprimento.

Roborovski

É a menor raça encontrada. Apresentam pouco mais de 5cm de comprimento já adultos. É tão pequeno que é aconselhável mantê-lo em espécie de aquário a fim de evitar que fuja por entre as grades. Além disso, é a raça mais rápida e serelepe.

Em compensação, o ciclo de vida é o maior das raças: não é raro encontrar elementos com 3,5 anos. Sua origem é Mongólia – daí vem seu nome.

Diferente da raça Sírio, o roborovsky vive muito bem com semelhantes. Entretanto, é preciso que passem a conviver já antes dos 03 meses de vida.

Ciclo de vida e reprodução

Fêmeas que não estão no cio podem ser bastante agressivas com machos assanhadinhos. Então, procure identificar o período adequado para deixar que ambos os sexos convivam. Entretanto, entram nesse período normalmente nos meses quentes. Você pode reconhecer o estado se sentir forte odor de almíscar. O cio dura mais ou menos 4 dias.

A gravidez tem tempo variável de raça para raça, mas a média fica entre 23 3 30 dias. A raça Roborovskyy, por exemplo, tem tempo de gestação entre 20 e 30 dias, obtendo-se ninhada grande – de 5 a 8 filhotes.

E você pode perceber que está no momento do nascimento nos dois últimos dias de gestação. O ventre se dilata muito rapidamente nesse tempo. Nesse caso, separe a fêmea para que ela tenha gestação tranquila e evite conflitos com outros hamster após o parto.

E você pode ajudar higienizando completamente a gaiola. Além disso, mantenha pedaços de papel higiênico na gaiola a fim de que a fêmea se prepare para o parto. Após o nascimento, evite contato com a fêmea e ninhada pelos 10 dias seguintes. Elas gostam de sossego para cuidar das crias.

Ademais, a fêmea é bastante prestativa e protetora. Ela certamente vai defender seus filhotes com unhas e dentes literalmente. Se você precisar mexer em algum filhote por algum motivo, use um objeto de apoio, como colher. Assim, o cheiro humano não vai ser transmitido para o filhote, o que pode causar desconforto para a fêmea e até mesmo rejeição ao filhote.

A ninhada desmama em 3 semanas. Depois, separe os machinhos da ninhada a fim de evitar outra gravidez em breve. Isso é aconselhável porque hamsters atingem condições de procriação em pouquíssimos meses.

Os hamsters têm vida reprodutivo por período de 11 a 18 meses, ou seja, podem procriar entre essas idades. Já o tempo de vida dos hamsters é de mais ou menos 2 anos.

O lado cotidiano dos hamsters

Eles são tranquilos, como já foi dito. Passam o dia brincando, apenar de terem hábitos gerais mais durante a tarde.

Comportamento

Eles gostam muito de crianças e humanos em geral, mas não são lá muito companheiros de semelhantes. Preferem manter o espaço a sua volta para si mesmos a dividir com outros animais. E são muito mais agitados quando encontram algo interessante para fazer.

Eles são adestráveis

Quanto mais jovem, mais facilmente aprende a se socializar com todos da família. Não são agressivos, porém, se adquiridos com certa idade, o processo de adaptação se mostra mais trabalhoso.

Se você tiver crianças pequenas em casa, saiba que a primeira mordidinha ninguém esquece. Então, a criança pode passar a temer o bichinho e vice-versa. Nesses casos, convém que um adulto inicie o processo de domesticação.

Assim, jamais assuste seu amiguinho mesmo que ele mostre algum pequeno nível de agressividade inicial. Isso é normal em animais. Vá conquistando paulatinamente com brincadeiras, carinho, interatividade.

Em pouquíssimos dias, seu bichinho vai estar subindo em sua mão e entrando no bolso de sua camisa. Alguns deles precisam até mesmo de poucas horas para se familiarizar e adquirir confiança.

As gaiolas dos hamsters

Alguns donos de hamsters os mantém soltos pela casa, mas isso não é de todo aconselhável. Como são curiosos e ativos, é possível que passem a explorar o ambiente e se perderem.

Por serem muito populares, há uma infinidade de tipos de gaiolas no mercado. Porém, é preciso compreender que cada raça tem necessidades razoavelmente diferentes. Assim, precisam de certos tipos de gaiolas. A raça chinês, por exemplo, precisa de tipo de gaiola diferente do da raça sírio.

Os fabricantes procuram enfeitá-las bastante. Entretanto, nem sempre isso é ideal. Nem para os hamsters nem para quem vai higienizá-las. Por isso, alguns donos optam pelo tipo aquário. Contudo, é uma das piores opções, exceto para a menor das raças, a roborovsky. Aquários dificultam movimentação de ar.

Por outro lado, qualquer que seja o tipo de gaiola escolhido, é sempre bom manter brinquedos e outros objetos. Eles gostam muito de se movimentar em rodas giratórias, roer pequenos objetos e empurrar bolinhas. Além disso, claro, você deve manter recipientes para alimento e água.

Objetos nas gaiolas

Como já vimos, são extremamente ativos e brincalhões. Assim, precisam de atividades constantes para se manter saudáveis e felizes. Estão sempre à procura de algum objeto para farrear.

Isso é importante: A paralelo, há ainda certa necessidade orgânica. Sendo roedores, seus dentes crescem muito e, então, permanecem mordendo objetos diversos para manter a saúde dental. Assim, mantenha objetos de madeira para que roam à vontade. Porém, jamais inclua objetos com agrotóxicos e outras químicas. Rolos de papelão (de papel toalha e higiênico) também são aconselháveis.

Eles adoram objetos cilíndricos. Assim, brincam de esconder ou caminhar no interior deles. Em complemento, gostam também de escavação. Dessa maneira, sendo possível, deixe uma caixa com areia fina para eles se exercitarem. Além de bom para o esqueleto e músculos, é bom também para os pelos.

O mercado está repleto de brinquedos para hamsters. Entretanto, você deve analisar os ideais para a raça do seu. Verifique se não contêm peças que se soltam facilmente ou partes pontiagudas.

Isso é interessante: é até possível que, com o tempo, você passe a conhecer bem seu animalzinho e comece a produzir brinquedos no estilo do it yourself – ou seja, faça você mesmo.

Você pretende ser criador?

É melhor pensar bem. Isso requer tempo, atenção e cuidados especiais. Além, claro, de dispender alguns custos iniciais. Entretanto, mesmo não querendo ser criador, não é difícil que um casalzinho mais afoito de hamsters dê à luz na gaiola de sua casa. Você pode mesmo ter adquirido uma fêmea já grávida e não ter percebido.

Então, veja algumas dicas importantes para enfrentar esse pequeno problema no capítulo de ciclo de vida e reprodução acima.

Escolhendo a raça certa

Como se viu, há variedade de raças, tamanhos, cores e perfil. Apesar disso, os tipos de cuidados são muito semelhantes entre todas as raças. Porém, é sempre bom averiguar o tipo de raça ideal para as condições de sua casa.

Se optar por adquirir mais de um indivíduo – algumas raças preferem solidão; outras, socialização com semelhantes-, procure ter hamsters do mesmo sexo. Assim, evita procriação inesperada.

Evite também mistura de raças. Isso pode não ser boa ideia porque o comportamento entre elas varia bastante. Assim, atente-se para o capítulo de raças deste artigo.

Hamsters são animaizinhos encantadores, como a gente viu até aqui. Sua rotina é plena de detalhes incontáveis. Se você quiser conhecer outros mais, deixe na área de comentários abaixo.

Pergunte ou Responda

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

>