O Golden Retriever é uma raça originária do Reino Unido, desenvolvida na segunda metade do século XIX por um aristocrata escocês chamado Dudley Marjoribanks, que mais tarde tornou-se Lord Tweedmouth.

É um cão de caça de porte médio a grande, bem equilibrado e simétrico, com um desempenho ativo e aparência poderosa que sempre se destacou no levantamento e recuperação de presas como pássaros e aves selvagens.

Saiba mais sobre o Golden Retriever abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Golden Retriever

Origem: Reino Unido
Data de origem: meados do século XIX
Grupo de Raças: FCI Grupo 8 – Cães Levantadores e Cobradores de Caça e Cães de Água – Retrievers / AKC Grupo de Cães Esportistas / Cão de tiro, Apontadores, Cães de caça.
Função original: cão de caça recuperador e levantador de aves.
Função atual: cão de caça e companhia
Tamanho: porte médio a grande
Altura: Fêmea de 51 cm a 56 cm / Macho de 56 cm a 61cm.
Peso: Fêmea de 25 kg a 32 kg / Macho de 27 kg a 36 kg
Cores: amarelo ao dourado
Pelos: pelagem lisa e comprida, com penugens.
Manutenção: escovar os pêlos diariamente.
Expectativa de vida: de 10 a 12 anos.
Filhotes: 6 a 8 filhotes de Golden Retriever por cria.
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Golden Retriever

Golden Retriever e seus filhotes no jardim. (Créditos/Copyright: “Christian Mueller/Shutterstock”)

O Golden retriever é uma raça atlética, forte, robusta, com um comportamento alerta e autoconfiante, expressão amigável e inteligente, pelagem lisa de coloração dourada, capaz de cobrir duros terrenos e grandes distâncias carregando presas pesadas, tanto na terra como na água.

Este seu temperamento alegre e meigo e sua aparência exuberante o torna uma das raças mais apreciadas, tanto para caça como para cão de companhia. Além disso, o Golden Retriever é uma das raças mais populares e mais vendidas no Brasil.

O Golden Retriever é famoso pela sua natureza devota e obediente como cão de companhia, e embora seja gentil e uma das melhores raças para crianças, eles não foram feitos para ficar parados; precisam de exercícios físicos e estímulos mentais.

Fáceis de serem treinados devido à sua natureza dócil, os Goldens se contentam com qualquer tipo de atividade, sejam corridas, caminhadas, caça, competições caninas como de agilidade ou obediência.

Eles adoram qualquer tipo de interação, desde o convívio social em parques, como caminhadas em família ou longas corridas pelas ruas ou no jardim. Também possuem a tendência a serem excessivamente ativos e efusivos, e o seu entusiasmo às vezes pode atrapalhar o treinamento, porém adoram agradar seus donos e costumam aprender bem rápido.

Hoje, além de serem muito uma das raças mais populares como cães de companhia, os Goldens também são usados em muitas funções diferentes, como cães guia para assistir cadeirantes e cegos, além de trabalharem como cães policiais de resgate e salvamento e para terapia.

Origem da raça Golden Retriever

Golden retriever filhote prestando atenção aos comandos do seu dono. (Créditos/Copyright: “everydoghasastory/Shutterstock”)

O Golden Retriever foi desenvolvido no Reino Unido, nas Terras Altas da Escócia por volta de 1.800, meados do século XIX, durante a Era Vitoriana. O homem responsável por esta raça, Lord Tweedmouth, queria um cão que fosse capaz de ser leal, gentil, espirituoso e energético, mas que também pudesse gostar de atividades na água e tivesse a habilidade de recuperar caça, como aves aquáticas selvagens.

Através de cruzamentos seletivos e elaborados, entre o original Retriever Pelo-liso Amarelo e o extinto Tweed Water Spaniel, mais tarde adicionando o Bloodhound e o Setter Irlandês, surgiu um cão de porte médio, hábil caçador, obediente, inteligente, calmo e fácil de treinar.

Originalmente, ele foi chamado de Golden Flat-Coat (Pelo-liso Dourado) e bem mais tarde de Golden Retriever.

Desse cruzamento bem sucedido, nasceram quatro cadelas: Ada, Primrose, Crocus e Cowslip, sendo os descendentes desta última os principais ancestrais dos retrievers de hoje.

A popularidade e as qualidades desses exímios cães caçadores recuperadores de aves selvagens os tornaram excelentes para o trabalho. Já difundidos, os padrões exigidos geraram duas variantes da raça: uma para exposição e outra para o trabalho.

Os Golden Retrievers são a verdadeira personificação da beleza e da inteligência. Por esta razão, são uma das raças mais populares e mais vendidas atualmente.

Não só por serem excelentes cães de companhia, pela versatilidade e seu temperamento doce e meigo, mas também por serem bons atletas em competições caninas de obediência, caça à pássaros tanto na água como em terra, trabalhadores em serviços de detecção de drogas, serviços de assistência a deficientes, cães de terapia, etc.

Sua energia, entusiasmo e inteligência fazem com que sejam muito adequados a aprender e realizar qualquer tarefa.

Aparência do Golden Retriever

Golden retriever filhote de perto com seu sorriso irresistível. (Créditos/Copyright: “Mat Hayward/Shutterstock”)

O Golden Retriever é um cão robusto de porte médio a grande, poderoso e ativo, que deve aparentar ser ávido, alerta e auto-confiante. Os machos são, no geral, maiores que as fêmeas.

O seu corpo é compacto, e proporcional, com o peito largo e bem desenvolvido. O pescoço é comparativamente longo, e funde-se gradualmente sobre seus ombros. As costas é forte e em nível com a cernelha descendo suavemente até a lombar. Eles têm costelas longas bem arqueadas que se estendem até o quadril, e um lombo curto, musculoso.

Seus membros são retos e bem estruturados, sendo os metacarpos curtos, fortes e levemente inclinados. Suas patas são arredondadas e assemelham-se às patas de patos, que o ajudam a nadar.

O seu crânio é largo e o focinho é reto, largo e afunilado, arcando levemente com uma parada bem definida, se difundindo com o crânio. O nariz é preto ou marrom bem escuro.

Os dentes se encontram em mordida de tesoura. Seus olhos são de tamanho médio a grande e de cor marrom escura, e as suas orelhas relativamente curtas se dobram e se penduram até as bochechas.

Quando puxadas para frente podem cobrir os olhos. O rabo é mais grosso na base com penugens nas laterais. A sua pelagem é resistente à água, densa, com uma camada firme, lisa ou levemente ondulada do lado de fora.

Há penugens na parte de baixo da barriga, atrás das patas, na frente do pescoço e na parte de baixo da cauda. A cor pode variar de tons de creme ao dourado vibrante.

Ambiente Ideal para o Golden Retriever

Filhotes de Golden Retriever na caçamba da caminhonete. (Créditos/Copyright: “framsook/Shutterstock”)

O Golden Retriever não é adequado para ambientes muito pequenos, mas é capaz de ficar satisfeito vivendo em uma pequena casa ou apartamento se for exercitado de forma adequada.

Costumam ser moderadamente ativos dentro de casa, mas seriam mais felizes se pudessem viver em uma residência com um jardim de tamanho médio a grande para correrem livremente e soltos. Precisam receber uma boa quantidade de atividades físicas e exercícios diários.

Por terem sido desenvolvidos para caça, possuem um grande nível de energia, por isso as atividades diárias são necessárias. Precisam viver com famílias ou donos ativos que apreciam longas caminhadas, passeios, corridas e esportes variados para estimulá-lo.

São também do tipo que adoram conviver em família, e se você espera mantê-los do lado de fora da casa o tempo inteiro, é melhor que não tenha um. Um bom conselho é sempre pesquisar sobre a raça e considerar todos os aspectos antes de comprar um cão.

A solidão e o tédio podem levar a comportamentos indesejáveis como latidos, cavações e até agressividade. O Golden precisa viver dentro de casa junto aos seus donos para sentir-se parte da família. A raça também aprecia os climas mais frios e amenos, devido a sua pelagem densa. Em climas mais quentes, forneça atividades na água onde ele possa se esfriar.

Temperamento & Personalidade do Golden Retriever

Golden Retriever mais velho sendo amável com sua dona. (Créditos/Copyright: “Tatyana Vyc/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas.

Como todo cão, os Goldens precisam de socialização desde filhote — os exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Golden Retriever cresça para se tornar um cão sociável.

Principais características

Uma natureza dócil, doce e calma é a principal característica dos Goldens Retrievers. Energéticos e amáveis, os Golden Retrievers foram feitos para trabalhar com pessoas, e estão sempre ávidos para agradar seus donos.

Mas apesar desta disposição toda, como todo cão, o Golden deve ser bem criado e muito bem treinado para dar o melhor da sua raça. Por isso, muitas vezes não são considerados uma boa raça para donos de 1a. viagem.

Isso porque o Golden amadurece mais devagar e retém a sua personalidade brincalhona de filhote até os seus três ou quatro anos de idade, o que pode ser uma delícia ou bem irritante.

Eles costumam ser amáveis, bem educados, inteligentes, devotados, e cheios de charme, mas se não forem bem criados e socializados desde cedo podem botar todo esse temperamento a perder.

A boa notícia é que por terem facilidade a aprender e desejo infinito de agradar, são facilmente treinados, e sempre muito pacientes e gentis com crianças. Costumam ser amigos de todos, incluindo outros cães e outros animais de estimação. Por isso, não servem para ser cães de guarda.

Mesmo com toda esta boa reputação e excelente temperamento, o Golden Retriever também pode se tornar destrutivo e tenso, se não obtiver estímulos físicos e mentais suficientes.

Garanta a sua liderança permanecendo sempre firme, calmo, confiante e consistente para evitar problemas de comportamento.

Cuidados & Manutenção do Golden Retriever

Golden Retriever jovem brincando no jardim. (Créditos/Copyright: “Joop Snijder Photography/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Golden Retriever à ser escovado e examinado desde filhote. Pegue nas suas patas com frequência — eles costumam ser sensíveis com relação às patas — e olhe dentro das orelhas e boca.

Torne isso uma experiência o mais positiva possível com elogios e recompensas para que não sofra toda vez que for ao veterinário.

Ao examiná-lo, procure por machucados, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Os olhos devem estar sempre claros, sem vermelhidão ou corrimentos.

Este exame regular irá prevenir o diagnóstico precoce de qualquer problema ou principais doenças mais comuns no futuro.

Pelagem

A sua pelagem macia e semi-longa é fácil de se manter. Escove e penteie seus pelos com uma escova de cerdas firmes diariamente, ou pelo menos uma vez por semana, prestando bastante atenção na densa camada de pelos de baixo.

Dê banhos somente quando necessários, ou apenas uma vez por mês, e use shampoo seco regularmente. Como todo cão do tipo Retriever, o Golden ama água, quando ele se molhar enxágue-o sempre com água para tirar o cloro, sal ou qualquer outra sujeira que possa ficar agarrada em seus pelos para evitar que fiquem emaranhados e duros.

Eles costumam soltar pêlos em moderação no inverno e no verão, e muito mais durantes as primaveras e outonos.

Dentes, unhas e orelhas

Escove também os seus dentes pelos menos 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactérias que proliferam dentro da sua boca. Escovar diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau-hálito. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente.

Suas orelhas são do tipo que se dobram encobrindo o canal do ouvido, criando assim um ambiente escuro e aquecido muito propício ao crescimento de fungos e bactérias, por isso a raça é suscetível a infecções de ouvido – cheque-as diariamente e as mantenha limpas.

Atividade & Exercícios para o Golden Retriever

Golden Retriever fazendo aquilo que ele mais gosta – nadar! (Créditos/Copyright: “Stanimir G.Stoev/Shutterstock”)

Os Goldens precisam de exercícios diários e interação com humanos. Sendo assim, fica fácil pois a raça simplesmente adora se exercitar e interagir com pessoas. Eles foram feitos para a ação e amam brincar do lado de fora da casa.

Se você curte caminhadas ou corridas, ele vai estar sempre pronto para te acompanhar em praticamente tudo quanto é atividade. Se você tiver vontade de jogar bola no quintal, eles adorarão jogar bola com você, simplesmente são especialistas em trazer a bola de volta para você.

Canse-os com 20 a 30 minutos de exercícios vigorosos duas vezes ao dia, ou longas caminhadas de uma hora por dia, e você os manterá calmos para ficar dentro de casa ao seu lado no sofá e ainda evitará que se tornem hiperativos.

Ensine-o a correr ao seu lado ou te acompanhar enquanto você anda de bicicleta ou skate. Leve-o para nadar em lagos, praia ou piscina. Ele ainda se destaca em vários esportes caninos, incluindo agilidade, obediência, etc.

Os truques e uma variedade de brinquedos desafiam o seu cérebro. Lições desafiadoras de obediência, jogos ativos ou sessões de recuperação de objetos como trazer a bola de volta são excelentes formas de exercitar o corpo e a mente dos cães.

Estímulos constantes são importantes

Eles precisam ser constantemente estimulados, incentivados e mantidos ativos, ou podem ficar ansiosos e se tornarem até destrutivos. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro.

Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro.

Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Eles costumam ser mais ativos pela manhã e à noite, e menos ativos durante o resto do dia. Embora sejam capazes de ficar do lado de fora da casa, preferem e ficam bem mais satisfeitos se puderem ficar junto de seus donos, por isso longos períodos de isolamento devem ser evitados.

Você deve estar preparado para incluí-lo nas atividades familiares. Ele é o tipo de cão “família” e precisa ficar junto ao seu “bando”. Nem pense em adquirir um Golden à não ser que você queira tê-lo dentro de casa junto à você, aos seus pés, todos os dias.

Saúde do Golden Retriever

Golden Retriever filhote no colo do veterinário na sua primeira consulta. (Créditos/Copyright: “Roger costa morera/Shutterstock”)

Sabe-se que cada raça de cachorro tem predisposição a determinadas doenças. O Golden Retriever, infelizmente, não passa ileso a essa regra. Isso, porém, não significa que todos os indivíduos da raça terão as doenças que serão descritas no artigo, e sim que há chance de desenvolvê-las no decorrer da vida.

Para quem compra ou adota um cachorro de uma raça específica, ajuda muito já conhecer os riscos.

É muito importante, também, comprar cães de criadores éticos e responsáveis. Procure conhecer, portanto, o trabalho do criador e os pais do seu filhote. Verifique se os pais possuem alguma doença que possa ser eventualmente transmitida à próximas gerações. Questione o criador sobre isso.

Problemas ortopédicos

O Golden Retriever é um cachorro de porte grande. Por isso, cachorros desta raça costumam ter, com certa frequência, problemas relacionados ao crescimento rápido. De fato, cães de grande porte, ou seja, cães que atingem de 26 a 44 kg na idade adulta, crescem até os 15 meses de idade.

Os problemas mais comuns nestes cães são:
Displasia coxofemoral
Displasia de cotovelo
Osteossarcoma

Displasia coxofemoral

A displasia coxofemoral é o distúrbio mais comum em cães de grande porte, que tem crescimento muito rápido. Trata-se de uma instabilidade causada pela alteração no acetábulo, colo e cabeça do fêmur.

Hereditariedade e o ambiente em que o cachorro vive influenciam, certamente, o surgimento da enfermidade. Por ser transmitido geneticamente, machos e fêmeas que tenham esse problema de saúde não são recomendados para reprodução.

O animal pode começar a desenvolver essa complicação ainda quando jovem. Normalmente, os primeiros sinais surgem entre quatro meses e um ano de idade.

Displasia do cotovelo

A displasia do cotovelo é uma doença degenerativa muito frequente em cães jovens. É transmitida geneticamente, todavia pode estar relacionada também à alimentação, manutenção do peso, ambiente, qualidade dos ligamentos, excesso de exercício físico ou traumatismos.

Os primeiros sintomas podem começar a aparecer aos 4-5 meses. O cachorro pode, então, mostrar intolerância ao exercício e claudicação ao iniciar um movimento ou depois de um exercício prolongado. Entretanto, alguns cachorros podem não apresentar sinais até a idade avançada. Nestes casos, é comum que a condição seja acompanhada de osteoartrite.

O tratamento de ambas as condições (displasia coxofemoral e do cotovelo) pode ser cirúrgico. Entretanto, em alguns casos, pode-se optar por tratamentos paliativos. Ou seja, tratamentos que amenizam a dor e melhoram a qualidade de vida do animal, como: uso de medicamentos, fisioterapia e acupuntura. A opção do tratamento dependerá da gravidade, condição de saúde geral do animal e recomendação do veterinário de confiança.

Osteossarcoma

Este é o nome de um tumor maligno ósseo muito comum em cães de porte grande e gigante. Na maioria dos casos, começa a se desenvolver na região dos joelhos e/ou cotovelos dos cães e, embora possa afetar animais de todas as idades, é mais frequente em cachorros adultos e idosos. Além disso, este câncer causa metástase de maneira extremamente rápida. Por isso, muitos dos cães, ainda no momento do diagnóstico, já podem apresentar chances baixas de sobrevida.

Torção Gástrica

A torção gástrica, também conhecida como dilatação vólvulo gástrica, é um distúrbio comum em cães de portes grandes e gigantes. É um quadro considerado emergência veterinária pois seu desenvolvimento é repentino e pode levar à morte em poucas horas (6-12 horas).

É uma condição na qual o estômago do cachorro pode virar. Por isso ocorre com maior frequência em cães de porte grande, já que possuem tórax profundo. Ao virar, os canais de entrada e saída do órgão são torcidos, assim como os vasos sanguíneos.

Dessa forma, o alimento contido no estômago fica retido e fermenta. A fermentação produz gás que fica aprisionado e, por isso, aumenta consideravelmente o volume estomacal, o que acaba comprimindo ainda mais os vasos e canais.

Portanto, o animal além de não conseguir eliminar o gás e/ou alimento retido por via oral ou intestinal, também não tem mais uma circulação sanguínea adequada podendo ocorrer necrose por estrangulamento da parede gástrica e de outros órgãos.

Problemas oculares

O Golden Retriever possui predisposição racial para o desenvolvimento dos seguintes distúrbios oculares:

  • Atrofia Progressiva da Retina – Doença de origem hereditária que leva à cegueira, normalmente de ambos os olhos do cão. Infelizmente não tem cura.
  • Catarata – Cães desta raça possuem tendência ao desenvolvimento de catarata, portanto, torna-se necessário um controle periódico no veterinário de confiança já que é uma condição que pode ser tratada.

Obesidade

O Golden Retriever tem, sem dúvida, tendência a obesidade. O apetite destes animais é, certamente, grande e, portanto, comem exageradamente se não houver um limite. Por isso, as porções de alimento precisam ser controladas com rigidez.

Além disso, a obesidade canina está se tornando uma doença cada vez mais comum em cães. Se não tratada, pode causar muitos problemas de saúde ao animal.

Sua principal causa é, sem dúvida, o desequilíbrio entre o consumo e gasto energético. Ou seja, consomem-se mais calorias do que se gastam. Consequentemente, este excesso de calorias é acumulado em forma de gordura produzindo aumento de peso.

Diabetes mellitus

Diabetes mellitus é uma doença que pode ser consequência da obesidade. Ocorre quando existe um problema na produção de insulina pelo pâncreas. Se a insulina for insuficiente para processar o açúcar, ocorre um consequente aumento de seus níveis no sangue e urina do cachorro.

É mais comum em cães mais velhos, porém nada impede que ocorra antes. Os sinais clínicos mais característicos são:

  • Aumento da ingestão de água;
  • Aumento da quantidade e frequência de urina;
  • Perda de peso.

É uma doença que não tem cura, porém tem tratamento paliativo. É muito importante ter acompanhamento de um médico veterinário para poder fornecer a quantidade correta de alimento e de insulina.

Atopia

Goldens têm tendência a manifestar esta alergia genética e sem cura. Os animais que têm esse problema de saúde podem apresentar sensibilidade à inúmeros alérgenos ambientais que podem ser ingeridos, inalados e até mesmo absorvidos pela pele do cachorro. Entre estes agentes estão o pó, ácaros, alimentos, bolores e pólen.

A atopia afeta cães de todas as idades e sexos, porém costuma se manifestar entre os três primeiros anos de idade do animal. E apesar de lesionar o corpo todo, aparece com mais evidência nas axilas, rosto, orelhas, virilhas, patas, periocular e perianal. Os sintomas podem variar, mas geralmente são:

  • Prurido intenso sem causa aparente;
  • Pele mais escura do que o normal;
  • Queda drástica dos pelos;
  • Pele ressecada, rachada, machucada e descamada;
  • Vermelhidão nas áreas afetadas.

Fungos

Assim como o Labrador, o Golden Retriever também tem paixão por água. Portanto, é comum que cães dessas raças fiquem molhados frequentemente. Isso pode, portanto, levar ao desenvolvimento de dermatites fúngicas e/ou otite de mesma natureza. É comum encontrar dermatoses fúngicas entre os dedos dedos do cachorro, por ser um local quente que retém umidade.

Outras observações

O Golden Retriever, assim como todos os outros cachorros, pode desenvolver outras doenças ao longo da vida, mesmo não tendo predisposição racial. Por isso, o acompanhamento do médico veterinário, assim como conhecer bem seu próprio cachorro, é essencial para detectar precocemente a presença de alguma patologia.

A raça pode viver de 10 a 13 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde, como oferecer alimentação completa e balanceada, manter o seu peso controlado e estimular corretamente de forma física e mental.

Treinamento do Golden Retriever

Golden retriever adulto deitado no chão do parque descansando. (Créditos/Copyright: “Olena Brodetska/Shutterstock”)

O Golden Retriever é uma das raças mais fáceis de serem treinadas. Se destacam em obediência e são muito populares em terapias e serviços de cães. Possuem muitos talentos incluindo obediência competitiva, detecção de drogas, agilidade e desempenho de truques.

O Golden Retriever é muito sensível à métodos de treinamentos severos, por isso rigor excessivo não é recomendado. Eles aprendem muito rápido e são extremamente adaptáveis.

Podem aprender vários truques divertidos e são capazes de se lembrar deles para o resto da vida. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo.

Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando.

Socialização e obediência são essenciais desde cedo. Além de ser muito importante ensiná-lo desde filhote quem é o líder. Consistência também é importante, por isso o treinamento deve ser feito com firmeza, paciência, consistência, elogios e recompensas.

É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto.

Nota aos leitores!

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Por Equipe Editorial

O Vidanimal.com.br acredita que compartilhar um bom conteúdo é a melhor maneira de fazer com que a informação chegue ao seu destino ou público alvo. Educar e conscientizar as pessoas é a nossa missão. Procuramos criar parcerias com profissionais empenhados em fazer parte dessa missão. Contamos com uma equipe de colaboradores que amam aquilo que fazem e se dedicam todos os dias para levar até você um conteúdo informativo de qualidade.

Perguntas & Respostas

  1. Quem não ama um Golden Retriever? Eles são a personificação canina de um melhor amigo. É verdadeq ue quando filhote são bastante ativos, roem tudo e não param quietos. Mas não tem como não se apaixonar pel sua inteligência, amabilidade, alegria e vitalidade sempre prontos para brincar se ser abraçados.

    É um cachorro pra tudo e qualquer hora. Estão sempre prontos pra brincar, seja no parque ou na praia. Mas também adoram deitar sob os nossos pés no sofá e ficar sendo acariciados. Meus filhos praticamente fazem dele de almofada, e deitam em cima mesmo. Ele não reclama. Fred, adora os meus filhos e não nega fogo nunca – brincar é com ele. É uma das poucas raças que é ativa mas que adora ser abraçado e agarrado por todos.

    Fred é comilão, e não podemos marcar bobeira. Uma vez chegou a comer um bolo inteiro de cima da mesa… sem deixar uma só migalha, acreditam? Eu até achei que tinham roubado. O bolo sumiu… demorei um pouco até desconfiar que era obra do Fred. Ele também não perde o horário das refeições, sempre avisa quando está com fome. Parece gente! Só não pode exagerar. fred tem que estar sempre ativo, senão engorda. Os pelos dele também precisam sercuidados, até porque ele vive dentro de casa – gostamos de cachorro cheiroso e bem cuidado. E ele merece, pois nos dá amor em dobro!

  2. Meu Golden sempre foi um cão maravilhoso e um amigo para todos os que conheceram. Este animal trouxe muita alegria para minha família e para mim, porque ele era adorável, brincalhão e muito atencioso. Tivemos muitos bons momentos e as memórias são muitas. Ele sempre esteve lá para nos cumprimentar na porta quando chegamos em casa com um sorriso no rosto. Ele era muito enérgico e gostava de jogar. Ele também adorava caminhar e de atenção, mas quando você não conseguia, ele sempre encontrava uma maneira de se manter ocupado. Ele encontraria uma de suas bolas e jogaria sozinho, ou ele iria mastigar seu osso. Ele gostava de colocar uma bola de tênis entre suas patas dianteiras, para ver o quão longe ele poderia atirar! Lamentava muito quando ele faleceu na primavera passada. Era como perder um membro da família. Eu realmente sinto falta dele, mas planejo receber um novo logo. Ele viveu onze anos e eu sei que ele gostava de cada minuto. Nós também gostamos de tê-lo aqui conosco.

Deixe uma resposta