O gato siamês é, certamente, um dos gatos mais populares no brasil. Este lindo felino possui um padrão de cor muito característico. Seu focinho, orelhas, cauda e patas são, de fato, mais escuras do que o resto do corpo. Além disso, o gato Siamês possui olhos azuis, cor de safira.

Ficha Técnica do Gato Siamês

Origem: Tailândia
Data de origem: 1700
Temperamento: independente, fiel e sociável.
Tamanho: Médio
Altura: 15 a 20 cm.
Peso: 2 a 6 kg
Cores: castanho escuro, chocolate, azul, lilás.
Pelos: Curtos, finos e densos.
Manutenção: fácil
Expectativa de vida: 15 anos
Filhotes: 4 a 6 filhotes.
Reconhecimento: GCCF, FIFé, CFA, TICA, TCA

Introdução à raça – Gato Siamês

O gato Siamês é, sem dúvida, elegante e muito esbelto. Possui diversas variações de pelagem que contrastam com o azul intenso dos olhos em formato amendoado. É, sem dúvida, uma das raças de gato mais populares.

Por causa de suas características físicas e temperamentais, o gato Siamês já foi, inclusive, protagonista em vários filmes internacionais, como:

  • ‘The incredible Journey, filme de 1963 de Walt Disney baseado no romance de Sheila Burnford. O filme conta a aventura de três animais de estimação, Luath, o Labrador Retriever, Bodger, o Bull Terrier, e Tao, o gato siamês, enquanto viajam 400 km através do deserto canadense para retornar à sua casa.
  • O mesmo gato que atuou no filme descrito anteriormente, chamado Syn, também representou o papel-título do filme da Disney ‘That Darn Cat!’ de 1965. Em português, o filme é conhecido como ‘O diabólico agente D.C’. Nele, uma mulher é sequestrada e, enquanto está no cativeiro, encontra um gato (D.C.) e consegue mandar uma pista do seu paradeiro. Quando a dona do gato encontra o recado, ela entra em contato com o FBI e começa a procurar pela mulher desaparecida junto com seu amigo felino.
  • ‘Bell, Book and Candle’ é um filme norte-americano de 1958, dos gêneros fantasia romântica e comédia romântica, ambientado em Nova York. O filme é sobre a dona de uma loja de objetos de arte, Gillian Holroyd, que é uma bela bruxa, e mora com um gato siamês, Pyewacket, que indiretamente a ajuda em seus feitiços.
  • Enfim, a inesquecível presença dos gatos siameses Si e Am do filme ‘A Dama e o Vagabundo’, a famosa animação de Walt Disney, de 1955.

Origem da Raça- Gato Siamês

Originário da Ásia, esta raça era mascote da corte do reino de Sião, atual Tailândia, até o seculo XVI. Conhecido na antiguidade como o Gato Real do Sião, também aparece em algumas placas que ilustram os “Poemas do Gato”, um antigo volume recuperado nas ruínas de Ayuthia (antiga capital do Sião) e ainda preservado na biblioteca nacional de Bangkok.

Ninguém sabe ao certo quando os siameses foram importados para a Grã-Bretanha ou para a América. O mais antigo relato documentado, de fato, fala de um par de gatos siameses dado à irmã do cônsul geral britânico em Bangok em 1884, que exibiu os gatos no ano seguinte em Londres.

No entanto, os gatos siameses foram expostos 13 anos antes (em 1871) no primeiro show de gatos de estilo moderno em Sydenham, o Crystal Palace de Londres, onde foram depreciativamente descritos como um tipo de gato ‘antinatural’.

Os siameses, todavia, rapidamente se tornaram populares entre os criadores de gatos britânicos. Naquela época, os siameses eram conhecidos por seus olhos estrábicos e rabos torcidos, que só mais tarde acabaram sendo considerados defeitos de conformação.

As lendas sobre o Siamês

Mitos e histórias envolvendo os siameses são abundantes, incluindo contos fantásticos que explicam os traços físicos do gato.

Uma dessas histórias conta como os sagrados gatos dos templos siameses, encarregados de guardar um valioso vaso, enrolavam suas caudas em volta do vaso e olhavam para ele com tanta intensidade que seus olhos se cruzaram.

Outra lenda conta que gatos siameses tinham a função de guardar os anéis de princesas. Portanto, os gatos mantinham os anéis em suas caudas que, já que eram tortas, impediam que os aneis caíssem.

Aparência do gato Siamês

O gato siamês possui, certamente, características físicas marcantes. Seu corpo é esbelto e flexível. Possui cauda longa que afina na ponta. A cabeça é triangular, com focinho alongado. As orelhas são grandes e pontudas e seus olhos são medianos, oblíquos, amendoados e de cor azul safira.

O pelo do gato siamês é curto, fino e macio. No entanto, existem quatro variedades de cores clássicas:

  • Seal-point – Possui pelagem bege-sombreada com marcas marrom escuras.
  • Blue-Point – Sua pelagem é branco-azulada e as marcas são azul-acinzentadas.
  • Chocolate-point – Possui pelagem na cor marfim e as marcas marrom-avermelhadas.
  • Lilac-point – É rosado-claro, e possui marcas em tonalidade cinza-rosada.

Além dessas variedades, existem outras que foram criadas nos Estados Unidos:

  • Red-point – Pelagem branca passando para amarelo-alaranjada. Suas marcas são ruivo-douradas.
  • Cream-point – Também possui pelagem branca, entretanto passa a creme-claro. Suas marcas são camurça-claro.
  • Tabby-point – Pelagem branca com marcas rajadas.
  • Seal Tortie-point – Pelagem bege clara passando a bege escura, com marcas marrom escuras.
  • Blue Tortie-point – Possui pelo branco sombreado de azul acinzentado e marcas de azul mais intenso.
  • Chocolate Tortie-point – Pelagem marfim pálido com marcas marrom chocolate.
  • Lilac Tortie-point – Pelagem cinza-rosada pálida com marcas cinza-rosadas mais intensas.

Ambiente ideal para o gato siamês

Primeiramente, o gato Siamês se adapta a qualquer ambiente. Para ele, é muito importante a presença dos tutores pois adora brincar e chamar a atenção dos humanos.  No entanto, como todos os animais, precisa de itens que estimulem sua imaginação e exercícios físicos, como brinquedos, arranhadores, locais onde ele possa se pendurar.

Temperamento e Personalidade do Gato Siames

Os siameses são, sem dúvida, infinitamente curiosos e inteligentes. Entretanto, não é um gato que deve ser escolhido apenas por sua aparência. De fato, é um gato que tem uma paixão por sua família, adorando observar e estar por perto o tempo todo.

Quando fica muito tempo sozinho pode, portanto, se frustrar e começar a ter um comportamento indesejável pela casa.

O siamês é o tipo de gato que pode andar na coleira e brincar com o mesmo entusiasmo de um cachorro. Além disso, é um gato falante, ou seja, vocaliza bastante durante o dia.

O siamês ama pessoas de todas as idades, incluindo crianças, e necessita de atenção e entretenimento. Ele gosta de ser o centro das atenções, mas pode se dar bem com cães e outros gatos. Na verdade, é uma boa ideia ter um segundo animal para fazer companhia a ele quando não houver nenhum humano em casa.

Cuidados e Manutenção

Os gatos siameses são fáceis de cuidar, no entanto requerem alguns cuidados básicos para que possam viver saudáveis e felizes.

  • Pelagem: O pelo curto do gato siamês é, sem dúvida, fácil de cuidar. Deve ser penteado semanalmente com um pente de aço inoxidável.
  • Apare as unhas conforme necessário, geralmente a cada 10 a 14 dias.
  • Os gatos podem ser propensos à doença periodontal, por isso escove os dentes em casa com um creme dental veterinário aprovado pelo veterinário e programe regularmente limpezas dentárias veterinárias.
  • As caixas de areia devem ser limpas diariamente, evitando que o animal escolha outros lugares para fazer suas necessidades.
  • É uma boa ideia ter dois gatos siameses dentro de casa para que eles ofereçam companhia mútua. Essa raça é muito atlética, ágil e adora brincar, por isso mantenha seu cérebro ativo com brinquedos e jogos para gatos e pratique exercícios com jogos de busca e escalada.
  • Mantenha sempre alguma forma de entretenimento à disposição do seu Siamês quando sair de casa, pois ele pode ser destrutivo se ficar entediado. É melhor se acostumar com rolos de papel higiênico espalhados e rasgados.
  • Apesar de enérgico, evite sair com seu gato na rua para evitar riscos como roubos e acidentes com carros.

Saúde

Todos os gatos podem viver uma vida saudável, assim como podem desenvolver problemas de saúde ao longo da vida. No entanto, gatos de raças específicas possuem predisposições a determinados distúrbios e patologias. Isso não significa que todos os indivíduos da raça terão as doenças que serão descritas no artigo, e sim que há chance de desenvolvê-las no decorrer da vida.

Para quem compra ou adota um gato de uma raça específica, é primordial conhecer os riscos para saber como cuidar melhor do próprio gato. Além disso, é muito importante, também, comprar gatos de criadores éticos e responsáveis.Questione, portanto, o criador. Além disso, peça para ver os pais do gatinho escolhido e pergunte sobre eventuais distúrbios da linhagem. Doenças mais comuns do gato Siamês:

Distúrbios do Trato Respiratório

O gato siamês, com sua cabeça em forma de cunha, pode ser mais propenso a problemas respiratórios. As principais são as doenças respiratórias são a asma e a doença brônquica. Ao notar dificuldade respiratória, recomenda-se entrar em contato com o médico veterinário de confiança.

Doença Periodontal

A doença periodontal é o distúrbio mais comum da cavidade oral de gatos. Inicia-se por acúmulo de bactérias na superfície dos dentes e progride até os tecidos de sustentação que formam o periodonto, que são gengiva, osso alveolar, cemento e ligamento periodontal.

O principal sinal clínico observado pelo proprietário é a halitose. Dependendo do estágio da doença periodontal, esta pode conduzir a conseqüências locais e sistêmicas, como: inflamação e sangramento da gengiva, presença de tártaro, mobilidade dos dentes, salivação excessiva, dentre outras. Além disso, pode levar à perda dos dentes e pode comprometer o coração, pulmão, fígado, rins e outros órgãos vitais.

A melhor forma de prevenir esta doença é, portanto, utilizar alimentos, brinquedos e cremes dentais específicos. Todavia a escovação diária dos dentes é o método mais eficaz para remover a placa bacteriana e manter a saúde clínica do animal.

Transtornos obsessivos compulsivos

Os gatos siameses são animais de estimação sociáveis que precisam da companhia de outros animais ou humanos. A solidão excessiva pode levá-los a um transtorno causado pelo tédio ou a ansiedade pela espera do regresso das pessoas de casa. A compulsão mais comum consiste em uma limpeza excessiva. Os gatos chegam a lamberem-se tanto que podem provocar falhas no pelo.

Este transtorno tem o nome de dermatite psicogênica ou dermatite acral por lambedura. De forma indireta a ingestão de pelo também lhes pode causar problemas intestinais como consequência da ingestão de bolas de pelo.

Síndrome vestibular

Esta doença costuma ser causada por problemas genéticos e, está relacionada com o nervo que conecta o ouvido interno.

A doença vestibular causa no gato tonturas e perdas de equilíbrio, costuma durar pouco tempo e curar-se por si mesma. No entanto, o acompanhamento do médico veterinário é necessário.

Estrabismo

Os gatos siameses também podem sofrer de alterações que não são propriamente doenças, mas sim desvios do padrão do gato siamês. Um exemplo é o estrabismo, o gato vê perfeitamente bem, apesar dos seus olhos estarem orientados de forma estrábica visivelmente.

Nistagmo

O nistagmo é outra alteração do nervo óptico, tal como o estrabismo. Esta alteração provoca uma oscilação dos olhos da direita para a esquerda ou de cima para baixo. Não é frequente mas pode ocorrer em gatos siameses. Como pode ser indicativo de doenças neurológicas, o médico veterinário deve ser chamado.

Porfiria

As porfirias são um grupo de doenças, hereditárias ou adquiridas que envolvem as enzimas da síntese do grupo heme, podendo ser devido à inibição ou insuficiência das enzimas.

Oito enzimas diferentes participam das etapas da síntese do grupo heme, a deficiência de uma destas enzimas gera o acúmulo dos precursores químicos, as porfirinas, que podem se acumular nos tecidos, especialmente na medula óssea e no fígado.

O excesso de porfirinas pode acarretar fotossensibilidade, onde os pacientes se tornam sensíveis à luz solar, ou causar lesões nervosas. Existem diversos tipos de porfirias, cada tipo relacionado com a enzima que apresenta o defeito.Cada tipo de porfiria produz, portanto, sintomas diferentes. Por isso, requerem exames específicos para o estabelecimento do diagnóstico e tratamentos individualizados.

Hidrocefalia

Trata-se do acúmulo excessivo de líquido cefalorraquidiano dentro do crânio, que leva ao inchaço cerebral.

O excesso retido faz com que os ventrículos cerebrais se dilatem, provocando danos nas estruturas encefálicas.

Considerações finais

Quem opta por adotar ou comprar um gato, deve assumir a responsabilidade de cuidar do animal providenciando alimentação de qualidade, higiene, entretenimento, amor e cuidados veterinários sempre que necessário.

Outro fator importante que muitas vezes é esquecido ou até mesmo subestimado pelos tutores de gatos é providenciar o devido confinamento. Ou seja, recomenda-se que os tutores de gatos utilizem telas na residência, providenciem um gatil, mas não permitam que seus gatos passeiem livremente na rua.

Isso é recomendado porque na rua há grande chance de brigas, acidentes, contaminações que podem causar a morte de seu felino. Além disso, um gato da raça siamesa, que tem índole sociável pode, inclusive, ser facilmente roubado.

Referências Bibliográficas:

BICHARD,S. J.; SHERDING,R. G. Manual Saunders: Clinica de Pequenos Animais. 2 ed. Sao Paulo, Roca, 2003.
KINDERSLEY, D. GATOS. Rio de Janeiro: JB indústrias gráficas S.A.