O Gato Sagrado da Birmânia é, certamente, um dos gatos mais populares no brasil. Este lindo felino possui um padrão de cor muito característico. Seu focinho, orelhas, cauda e patas são, de fato, mais escuras do que o resto do corpo. Além disso,  possui olhos azuis, cor de safira.

Ficha Técnica do Gato Sagrado da Birmânia

Origem: Birmânia
Temperamento: Inteligente, meigo e alegre.
Tamanho: Médio
Peso: 3 a 5 kg
Cores: vermelha, azul, creme e lilás ou chocolate.
Pelos: semi longos, macios e sedosos.
Manutenção: fácil
Expectativa de vida: 15 anos
Filhotes: 4 a 6 filhotes.
Reconhecimento: GCCF, FIFé, CFA, TICA, TCA

Origem do Gato Sagrado da Birmânia

Sobre sua origem, há uma lenda segundo a qual, há seculos, esses gatos eram brancos, tinham olhos amarelos e viviam nos templos da Birmânia. Um dia, durante uma guerra, o sumo sacerdote foi encontrado à beira da morte diante da estátua de ouro de uma deusa de olhos safira.

O gato do sacerdote pulou sobre seu tutor e o espirito do homem passou para o animal. Milagrosamente o gato tornou-se dourado com olhos safira. Suas pernas,orelhas e cauda escureceram e apenas os pés, que haviam tocado seu dono, permaneceram brancos.

O milagre, levou os sacerdotes a combater o inimigo e desde então todos os gatos do templo se tornaram iguais ao do sumo sacerdote.

Aparência do Birmanês

Os Sagrados da Birmânia são gatos que reúnem os padrões de beleza do Siamês e do Ragdoll. Sua coloração, de fato, é muito parecida com a do gato Siamês, no entanto sua pelagem é densa e macia como a do Ragdoll. Possui lindos olhos azuis e não possui sub pelo, o que diferencia a raça dos Persas.

O Sagrado da Birmânia possui um corpo de porte médio, alongado e também compacto. Conta com uma cabeça redonda, larga e de formato cuneiforme. Seu focinho é curto e bem pronunciado, tendo sempre presente uma máscara de cor marrom escura. Seu nariz é em formato romano, o que é exigido rigorosamente nas federações e é como um bico de papagaio. A sua cauda é de tamanho médio, robusta e ainda com bastantes pelos de cobertura. Seus olhos são redondos, de coloração azul intensa e brilhante.

Suas orelhas de forma geral são médias, eretas e também bem separadas. Sua pelagem é semilonga e de textura sedosa, ajudando a modular as suas formas com os comprimentos diferenciados que seus pelos possuem.

Existem divergências entre o padrão da raça britânico e o americano, sendo que o americano determina o corpo, a cabeça, os olhos e as patas que são mais arredondadas do que o inglês. As diversas variedades, porém tem em comum uma importante particularidade, as quatro patas são cobertas por luvas que são completamente brancas.

A grande diferença existente se deve aos diferenciados cruzamentos originais da raça, estes que são realizados na Europa e também nos Estados Unidos. O gato nos Estados Unidos vindo da Birmânia teria sido cruzado com um gato Siamês, enquanto que na Europa além do cruzamento com um Siamês, criadores também cruzaram com um Persa branco.

Pelagem e Coloração

Possui pelo sedoso e semi-comprido, sendo mais comprido no pescoço, no corpo, nos flancos e na cauda. Nos membros, a pelagem é mais curta. Além disso, possui camada interna de pelo reduzida.

Apresenta o padrão Siamês, ou colorpoint (máscara, orelhas, patas e cauda mais escuras do que o resto do corpo, sendo este de tonalidade clara, marfim, mas vai escurecendo com a idade). A particularidade do Sagrado da Birmânia são as suas luvas brancas nos pés.

A extensão de branco nestas zonas é bastante rigorosa, sendo um dos aspetos que definem um bom exemplar de exposição. As cores aceitas são seal, azul, lilás, chocolate, vermelho e creme, para além das de concha de tartaruga e das combinações de todas elas com padrões tigrados (tabby).

Ambiente ideal para o Sagrado da Birmânia

Primeiramente, o Birmanês se adapta a qualquer ambiente. Para ele, é muito importante a presença dos tutores pois adora brincar e chamar a atenção dos humanos.  No entanto, como todos os animais, precisa de itens que estimulem sua imaginação e exercícios físicos, como brinquedos, arranhadores, locais onde ele possa se pendurar.

Temperamento e Personalidade

É um gato tranquilo e equilibrado. Não é passivo, mas também não é exuberante. Além de ser sociável com os seus congêneres e com cães, é também brincalhão, sendo, por isso, um bom companheiro para as crianças. Ainda assim, gosta de paz e tranquilidade.

Cuidados e Manutenção

Sua pelagem não é muito difícil de ser cuidada, uma vez que não embaraça com facilidade. Mesmo assim, é recomendável escová-lo diariamente. Esse hábito é particularmente importante pois o Gato Sagrado da Birmânia pode sofrer problemas digestivos derivados da acumulação de bolas de pelo em seu estômago e trato intestinal.

De fato, devido aos seus hábitos de limpeza diários, os felinos costumam ingerir pelos ao se lamber para higienizar o próprio corpo. Além dos cuidados com seus lindos pelos, é necessário cuidar também de sua higiene bucal.

Saúde

Todos os gatos podem viver uma vida saudável, assim como podem desenvolver problemas de saúde ao longo da vida. No entanto, gatos de raças específicas possuem predisposições a determinados distúrbios e patologias. Isso não significa que todos os indivíduos da raça terão as doenças que serão descritas no artigo, e sim que há chance de desenvolvê-las no decorrer da vida.

Para que cresçam fortes e saudáveis, é importante investir em alimentos completos, ou em rações desenvolvidas especialmente para essa raça. Em alguns casos, pode ser necessário a suplementação alimentar, mas para tomar essa decisão converse sempre com um profissional de confiança.

Algumas empresas criaram alimentos industrializados específicos para a raça. Esse tipo de produto pode ser interessante pois possuem nutrientes de primeira qualidade que melhoram a condição da pelagem, evitam o acumulo de bolas de pelo no estomago, possuem quantidade correta de nutrientes e calorias. Além disso, a alimentação adequada pode evitar o aparecimento de algumas doenças típicas da raça.

Doenças mais comuns do gato Sagrado da Birmânia:

Doença Periodontal

A doença periodontal é o distúrbio mais comum da cavidade oral de gatos. Inicia-se por acúmulo de bactérias na superfície dos dentes e progride até os tecidos de sustentação que formam o periodonto, que são gengiva, osso alveolar, cemento e ligamento periodontal.

O principal sinal clínico observado pelo proprietário é a halitose. Dependendo do estágio da doença periodontal, esta pode conduzir a conseqüências locais e sistêmicas, como: inflamação e sangramento da gengiva, presença de tártaro, mobilidade dos dentes, salivação excessiva, dentre outras. Além disso, pode levar à perda dos dentes e pode comprometer o coração, pulmão, fígado, rins e outros órgãos vitais.

A melhor forma de prevenir esta doença é, portanto, utilizar alimentos, brinquedos e cremes dentais específicos. Todavia a escovação diária dos dentes é o método mais eficaz para remover a placa bacteriana e manter a saúde clínica do animal.

Cardiomiopatia hipertrófica

A miocardiopatia hipertrófica felina é a patologia cardíaca mais frequente em felinos domésticos e também está entre as principais doenças do Birmanês.

Trata-se de uma doença do músculo cardíaco na qual uma porção do miocárdio (músculo do coração) está hipertrofiado, ou seja, mais grosso, criando uma deficiência funcional do músculo cardíaco.

Embora possa afetar todos os gatos, é mais comum em felinos machos de idade avançada. Seus sintomas dependem do estado de saúde de cada gato e do progresso da doença, havendo também alguns casos assintomáticos. No entanto, os sintomas mais característicos da cardiomiopatia hipertrófica em gatos são os seguintes:

  • Apatia
  • Respiração dispneica
  • Vômitos
  • Dificuldade para respirar
  • Perda de apetite
  • Perda de peso
  • Depressão e letargia
  • Flacidez nos membros posteriores
  • Morte súbita

Rim Policístico

A doença renal felina, comumente conhecida como a Síndrome dos Rins Policísticos, é uma doença genética que acomete frequentemente os gatos. É caracterizada pelo crescimento de múltiplos cistos nos rins, que acabam por comprometer a função renal e causam falência do órgão, ou seja, causa insuficiência renal.

A doença, no entanto, pode estar presente desde filhote, e pode não apresentar sintomas até os 7-8 anos de idade. Nesse caso, o dano renal já pode ser importante.

Tricobezoar

Tricobezoar é o nome complicado para bola de pelo. De fato, os Gatos Sagrados da Birmânia, por terem um pelo tão denso e uma troca tão frequente, estão propensos a formarem bolas de pelos maiores do que o aceitável que podem se tornar obstruções do sistema gastrointestinal.

Normalmente os gatos regurgitam as bolas de pelo. No entanto, por vezes elas acumulam-se no estômago. Quando isto acontece, o veterinário deve intervir o quanto antes para resolver o problema.

Para prevenir as bolas de pelo deve-se, portanto, escovar o gato persa diariamente, eliminando assim o pelo morto.

Considerações finais

Quem opta por adotar ou comprar um gato, deve assumir a responsabilidade de cuidar do animal providenciando alimentação de qualidade, higiene, entretenimento, amor e cuidados veterinários sempre que necessário.

Outro fator importante que muitas vezes é esquecido ou até mesmo subestimado pelos tutores de gatos é providenciar o devido confinamento. Ou seja, recomenda-se que os tutores de gatos utilizem telas na residência, providenciem um gatil, mas não permitam que seus gatos passeiem livremente na rua.

Isso é recomendado porque na rua há grande chance de brigas, acidentes, contaminações que podem causar a morte de seu felino. Além disso, pode ser facilmente roubado.

Referências Bibliográficas:

BICHARD,S. J.; SHERDING,R. G. Manual Saunders: Clinica de Pequenos Animais. 2 ed. Sao Paulo, Roca, 2003.
KINDERSLEY, D. GATOS. Rio de Janeiro: JB indústrias gráficas S.A.