O Gato Oriental Shorthair é praticamente um gato Siamês, mas sem a coloração característica da raça. De fato, o Gato Oriental Shorthair têm uma ampla variedade de cores de pelos.

O Oriental é membro do grupo siamês e tem dois comprimentos de pelagem: curta e longa. Fisicamente, o gato Oriental Shorthair são gatos longos, esguios e elegantes. Eles são animados, falantes e inteligentes e muito apegados à sua família.

Todos os membros do grupo de raças têm o mesmo padrão físico, exceto pelo comprimento e cor da pelagem. O que distingue o Oriental Shorthair do resto do grupo siamês é sua ampla variedade de cores combinadas com a pelagem curta e elegante, enquanto o Oriental Longhair tem pelagem semi-longa.

Assim como os siameses, eles precisam de muita atenção e cuidado.

Ficha Técnica do Gato Oriental Shorthair

Origem: Estados Unidos/Tailândia
Data de origem: década de 1950
Temperamento: independente, fiel e sociável.
Tamanho: Médio
Altura: 15 a 20 cm.
Peso: 2 a 4,5 kg
Cores: uniforme, sem marcas e unicolor, nas cores branco, azul, preto, chocolate, lilás, canela e camurça. Também encontra-se nas cores escama de tartaruga, com as cores laranja, preto e chocolate; pelagens com base do pelo descolorida, geralmente em tons de cinza e tabby.
Pelos: Curtos, finos e densos.
Manutenção: fácil
Expectativa de vida: 15 anos
Filhotes: 4 a 6 filhotes.
Reconhecimento: CFA, FIFé, TICA, WCF, AACE, ACF, ACFA/CAA, CCA-AFC, GCCF

Introdução à raça – Gato Oriental Shorthair

Nos textos encontrados há uma certa divergência de opiniões em relação ao país de origem do gato Oriental Shorthair. Alguns dizem que essa raça é proveniente da Tailândia (país de origem de seus ancestrais siameses), outros dizem que seja originário dos Estados Unidos e há ainda quem diga que é originário da Inglaterra.

Independentemente do país exato de origem, sabe-se que raça de gatos orientais foi criada cruzando gatos siameses com outras raças a fim de produzir cores diferentes.

Diversos documentos registram que o Oriental Shorthair já existia durante a Idade Média. No entanto, não foi até a década de 1950, quando criadores internacionais de gatos começaram a demonstrar interesse pela raça. Esse felino acabou sendo levado para Europa e Estados Unidos e então, foi reconhecida oficialmente nos anos 1970.

O Gato Oriental é um gato híbrido, desenvolvido  entre as décadas de 1950 e 1960, quando os criadores buscavam um gato que tivesse o comportamento do Siamês com uma variedade maior de cores. Criadores britânicos cruzaram gatos siameses com Shorthairs domésticos e Azuis Russos, enquanto os americanos cruzavam siameses com raças domésticas e Abissínios.

Alguns criadores de raças orientais se ressentiram, pois eram resistentes à ideia de criar mais um híbrido de Siamês. Isso não impediu o Gato Oriental de ganhar terreno, já que em 1972 o CFA aceitou o Oriental Shorthair para registro e concedeu o status completo de campeonato em 1977.

Aparência do Gato Oriental Shorthair

O gato Oriental Shorthair possui, certamente, características físicas marcantes muito similares ao seu ancestral Siamês. Seu corpo é esbelto e flexível. Possui cauda longa que afina na ponta. A cabeça é triangular, com focinho alongado. As orelhas são grandes e pontudas e seus olhos são medianos, oblíquos e amendoados.

Todo o conjunto do corpo do Oriental Shorthair dá a ele um aspecto de felino rápido e ágil, todavia sua aparência engana. De fato, parece pesar menos do que realmente pesa.

A pelagem do Oriental Shorthair é curta, fina e brilhante e cresce em sentido paralelo à pele. Em relação à cor, o pelo dessa raça de gato conta com tons sólidos e com padrões unicolor, tabby e bicolor. Geralmente seus olhos possuem uma cor verde bem viva e forte.

O gato Oriental Shorthair pode ter as seguintes variações de cores:

-Preto (tendo variedades preto-profundo ou sombreado) com olhos verdes;

-Branco com olhos azuis;

-Azul (cinza azulado claro) com olhos verdes;

-Fumaça (pelagem branca e pontas pretas, azuis, lilás, cameo, chocolate ou escama de tartatuga) com olhos verdes;

-Lilás (cinza rosado claro) com olhos verdes;

-Ruivo com olhos verdes ou amarelo ambar;

-Creme com olhos verdes;

-Cameo sombreado (branco com pontas ruivas) e olhos verdes;

-Rajado (marrom, azul, prata, creme, lilás ou ruivo) com olhos verdes;

-Escama de tartaruga (preto com manchas ruivas ou creme) e olhos verdes ou amarelo ambar;

-Azul-creme com olhos verdes.

Ambiente ideal para o Gato Oriental Shorthair

Primeiramente, o gato Oriental Shorthair se adapta a qualquer ambiente. Para ele, é muito importante a presença dos tutores pois adora brincar e chamar a atenção dos humanos.  No entanto, como todos os animais, precisa de itens que estimulem sua imaginação e exercícios físicos, como brinquedos, arranhadores, locais onde ele possa se pendurar.

Temperamento e Personalidade do Gato Oriental Shorthair

Os gatos Orientais são, sem dúvida, infinitamente curiosos e inteligentes. Entretanto, não é um gato que deve ser escolhido apenas por sua aparência. De fato, é um gato que tem uma paixão por sua família, adorando observar e estar por perto o tempo todo.

Quando fica muito tempo sozinho pode, portanto, se frustrar e começar a ter um comportamento indesejável pela casa.

O Oriental Shorthair é o tipo de gato que pode andar na coleira e brincar com o mesmo entusiasmo de um cachorro. Além disso, é um gato falante, ou seja, vocaliza bastante durante o dia.

O gato Oriental Shorthair ama pessoas de todas as idades, incluindo crianças, e necessita de atenção e entretenimento. Ele gosta de ser o centro das atenções, mas pode se dar bem com cães e outros gatos. Na verdade, é uma boa ideia ter um segundo animal para fazer companhia a ele quando não houver nenhum humano em casa.

Cuidados e Manutenção do Oriental Shorthair

Os gatos da raça Oriental Shorthair são fáceis de cuidar, no entanto requerem alguns cuidados básicos para que possam viver saudáveis e felizes.

  • Pelagem: O pelo curto do gato Oriental é, sem dúvida, fácil de cuidar. Deve ser penteado semanalmente com um pente de aço inoxidável.
  • Apare as unhas conforme necessário, geralmente a cada 10 a 14 dias.
  • Os gatos podem ser propensos à doença periodontal, por isso escove os dentes em casa com um creme dental veterinário aprovado pelo veterinário e programe regularmente limpezas dentárias veterinárias.
  • As caixas de areia devem ser limpas diariamente, evitando que o animal escolha outros lugares para fazer suas necessidades.
  • É uma boa ideia ter dois gatos orientais dentro de casa para que eles ofereçam companhia mútua. Essa raça é muito atlética, ágil e adora brincar, por isso mantenha seu cérebro ativo com brinquedos e jogos para gatos e pratique exercícios com jogos de busca e escalada.
  • Mantenha sempre alguma forma de entretenimento à disposição do seu gato Oriental Shorthair quando sair de casa, pois ele pode ser destrutivo se ficar entediado. É melhor se acostumar com rolos de papel higiênico espalhados e rasgados.
  • Apesar de enérgico, evite deixar que seu gato passeie na rua para evitar riscos como roubos e acidentes com carros.

Saúde do gato Oriental Shorthair

Todos os gatos podem viver uma vida saudável, assim como podem desenvolver problemas de saúde ao longo da vida. No entanto, gatos de raças específicas possuem predisposições a determinados distúrbios e patologias. Isso não significa que todos os indivíduos da raça terão as doenças que serão descritas no artigo, e sim que há chance de desenvolvê-las no decorrer da vida.

Para quem compra ou adota um gato de uma raça específica, é primordial conhecer os riscos para saber como cuidar melhor do próprio gato. Além disso, é muito importante, também, comprar gatos de criadores éticos e responsáveis.Questione, portanto, o criador. Além disso, peça para ver os pais do gatinho escolhido e pergunte sobre eventuais distúrbios da linhagem. Doenças mais comuns do gato Oriental Shorthair:

Distúrbios do Trato Respiratório

O gato Oriental Shorthair, assim como seu ancestral Siamês, possui cabeça em forma de cunha e, por isso, pode ser mais propenso a problemas respiratórios. As principais são as doenças respiratórias são a asma e a doença brônquica. Ao notar dificuldade respiratória, recomenda-se entrar em contato com o médico veterinário de confiança.

Doença Periodontal

A doença periodontal é o distúrbio mais comum da cavidade oral de gatos. Inicia-se por acúmulo de bactérias na superfície dos dentes e progride até os tecidos de sustentação que formam o periodonto, que são gengiva, osso alveolar, cemento e ligamento periodontal.

O principal sinal clínico observado pelo proprietário é a halitose. Dependendo do estágio da doença periodontal, esta pode conduzir a conseqüências locais e sistêmicas, como: inflamação e sangramento da gengiva, presença de tártaro, mobilidade dos dentes, salivação excessiva, dentre outras. Além disso, pode levar à perda dos dentes e pode comprometer o coração, pulmão, fígado, rins e outros órgãos vitais.

A melhor forma de prevenir esta doença é, portanto, utilizar alimentos, brinquedos e cremes dentais específicos. Todavia a escovação diária dos dentes é o método mais eficaz para remover a placa bacteriana e manter a saúde clínica do animal.

Transtornos obsessivos compulsivos

Os gatos orientais são animais de estimação sociáveis que precisam, portanto, da companhia de outros animais ou humanos. A solidão excessiva pode levá-los a um transtorno causado pelo tédio ou a ansiedade pela espera do regresso das pessoas de casa. A compulsão mais comum consiste em uma limpeza excessiva. Os gatos chegam a lamberem-se tanto que podem provocar falhas no pelo.

Este transtorno tem o nome de dermatite psicogênica ou dermatite acral por lambedura. De forma indireta a ingestão de pelo também lhes pode causar problemas intestinais como consequência da ingestão de bolas de pelo.

Síndrome vestibular

Esta doença costuma ser causada por problemas genéticos e, está relacionada com o nervo que conecta o ouvido interno.

A doença vestibular causa no gato tonturas e perdas de equilíbrio, costuma durar pouco tempo e curar-se por si mesma. No entanto, o acompanhamento do médico veterinário é necessário.

Estrabismo

Os gatos orientais, assim como acontece com os siameses, também podem sofrer de alterações que não são propriamente doenças, mas sim desvios de padrão originários do gato siamês. Um exemplo é o estrabismo, o gato vê perfeitamente bem, apesar dos seus olhos estarem orientados de forma estrábica visivelmente.

Nistagmo

O nistagmo é outra alteração do nervo óptico, tal como o estrabismo. Esta alteração provoca uma oscilação dos olhos da direita para a esquerda ou de cima para baixo. Não é frequente mas pode ocorrer em gatos orientais. Como pode ser indicativo de doenças neurológicas, o médico veterinário deve ser consultado.

Porfiria

As porfirias são um grupo de doenças, hereditárias ou adquiridas que envolvem as enzimas da síntese do grupo heme, podendo ser devido à inibição ou insuficiência das enzimas.

Oito enzimas diferentes participam das etapas da síntese do grupo heme, a deficiência de uma destas enzimas gera o acúmulo dos precursores químicos, as porfirinas, que podem se acumular nos tecidos, especialmente na medula óssea e no fígado.

O excesso de porfirinas pode acarretar fotossensibilidade, onde os pacientes se tornam sensíveis à luz solar, ou causar lesões nervosas. Existem diversos tipos de porfirias, cada tipo relacionado com a enzima que apresenta o defeito.Cada tipo de porfiria produz, portanto, sintomas diferentes. Por isso, requerem exames específicos para o estabelecimento do diagnóstico e tratamentos individualizados.

Hidrocefalia

Trata-se do acúmulo excessivo de líquido cefalorraquidiano dentro do crânio, que leva ao inchaço cerebral.

O excesso retido faz com que os ventrículos cerebrais se dilatem, provocando danos nas estruturas encefálicas.

Urolitíase

O gato Oriental Shorthair tem predisposição à formação de cálculos urinários (urolitíases). Quatro hábitos ajudam a prevenir e tratar o problema:

  • Consulte um veterinário regularmente;
  • Ofereça apenas alimentos industriais de alta qualidade (Super Premium). Se for um adepto de alimentação natural, peça a um veterinário nutricionista montar a receita.
  • Deixe sempre à disposição do gato, água limpa e fresca. A hidratação é primordial.
  • Estranhe comportamentos diferentes do seu gato. Conhecer bem seu animal de estimação é essencial.

Considerações finais

Quem opta por adotar ou comprar um gato, deve assumir a responsabilidade de cuidar do animal providenciando alimentação de qualidade, higiene, entretenimento, amor e cuidados veterinários sempre que necessário.

Outro fator importante que muitas vezes é esquecido ou até mesmo subestimado pelos tutores de gatos é providenciar o devido confinamento. Ou seja, recomenda-se que os tutores de gatos utilizem telas na residência, providenciem um gatil, mas não permitam que seus gatos passeiem livremente na rua.

Isso é recomendado porque na rua há grande chance de brigas, acidentes, contaminações que podem causar a morte de seu felino. Além disso, um gato da raça Oriental Shorthair, que tem índole sociável pode, inclusive, ser facilmente roubado.

Referências Bibliográficas:

BICHARD,S. J.; SHERDING,R. G. Manual Saunders: Clinica de Pequenos Animais. 2 ed. Sao Paulo, Roca, 2003.
KINDERSLEY, D. GATOS. Rio de Janeiro: JB indústrias gráficas S.A.

TICA