O gato Exotic Longhair é um gato charmoso e amável. A raça foi desenvolvida através de cruzamentos entre o gato Persa e o American Shorthair. De fato, ele compartilha a agradável aparência de urso do persa. No entanto, sua pelagem é macia e mais fácil de cuidar.

Ficha Técnica do Gato Exotic Longhair

Origem: Estados Unidos
Temperamento: Curioso, calmo, brincalhão.
Tamanho: Médio
Peso: 3,5 a 6 kg
Cores: existe uma grande variedade de cores e padrões, como branco, azul, preto, creme, chocolate, entre outros.
Pelos: longos, macios e brilhantes.
Expectativa de vida: 9 a 15 anos
Filhotes: 2 a 6 filhotes.

Origem do Gato Exotic Longhair

O surgimento do Exotic Longhair está vinculado diretamente à história do Exotic Shorthair.

O Exotic Longhair é uma raça de gato desenvolvida para ser uma versão de pêlos curtos do persa.

No final dos anos 1950, alguns criadores de gatos, decidiram cruzar o Gato Persa com o American Shorthair. Isso foi feito a fim de melhorar o corpo do American, tornando-o mais troncudo. Além disso, cruzamentos também foram feitos com o russo azul e o birmanês.

Um criador que viu o potencial do cruzamento entre as raças Persa e  American Shorthair  conseguiu fazer com que a jurada e a criadora americana de American Shorthair, chamada Jane Martinke,  reconhecessem o resultado desse cruzamento como uma nova raça em 1966, sob o nome Exotic Shorthair.

Por causa do uso regular de Persas nos cruzamentos, alguns exóticos adquiriram uma cópia do gene recessivo que confere o pelo longo. Quando dois desses gatos acasalam, existe uma chance de 1 em 4 de cada filhote ser de pelagem longa.

Os Exóticos de pelos longos, no entanto, não são considerados Persas pela Associação de Criadores de Gatos, embora a Associação Internacional de Gatos os aceite como persas. Outras associações, como a American Cat Fanciers Association, reconhecem esses gatos como uma raça a parte, chamada Exotic Longhair.

Aparência do Gato Exotic Longhair

O gato Exotic Longhair possui cabeça extremamente arredondada, focinho muito curto e bochechas bem largas. Trata-se portanto de um gato braquicefálico.

O exótico é um gato robusto, forte, de ossos poderosos e patas um tanto quanto curtas. A variação de tonalidade do seu pelo pode chegar a 100 diferentes tipos, indo de exemplares totalmente brancos até os mais mesclados e tigrados.

Seu rabo tende a ser curto e arredondado, com uma pelagem característica da raça. Suas orelhas são pequenas, redondas e bastante separadas. Vale lembrar que apesar de serem muito parecidos com os persas (já que esta raça faz parte de sua criação), o exótico e o persa são raças distintas, cada um com suas peculiaridades.

Diferente do que acontece com seus também ancestrais de pelo curto, a pelagem do exótico deve ser densa, jamais ficando rente ao seu corpo.

Ambiente ideal para o Gato Exotic Longhair

O Exotic Longhair é um gato animado. Gosta da companhia da família e de brincar, no entanto é um gato que pode viver perfeitamente bem em um apartamento.

É importante que tenha muitos brinquedos à disposição. Inclusive, recomenda-se obter estruturas, prateleiras, brinquedos onde ele possa se pendurar e se exercitar.

Por ser um gato, se tiver a possibilidade, ele sairá para passeios na rua. Este tipo de passeio, infelizmente, não é recomendado devido aos riscos de acidentes, contaminações e até mesmo sequestro do animal.

Temperamento e Personalidade

Meigo, dócil e muito carinhoso. Adoram ficar com a família humana por perto.

Eles têm várias características do gato persa, porém tendem a ser mais ativos. Sendo assim, eles preferem conviver em lares animados.

Não gostam muito de ficar sozinhos, portanto não são recomendados para famílias que ficam o dia todo fora de casa.

Graças à sua personalidade ativa e brincalhona, o gato Exotic Longhair se dá bem com outros animais, sejam eles gatos ou cachorros. Além disso, adoram brincar e podem passar longos períodos de tempo se divertindo com os seus brinquedos, mesmo quando ficam sozinhos.

Costumam ser bastante silenciosos, sendo bons para a vida em apartamento.

Cuidados e Manutenção

Apesar de ser um descendente do gato Persa, o gato Exotic Longhair necessita de menos manutenção do que o Persa. De fato, são suficientes duas escovações por semana em sua pelagem macia a fim de retirar os pelos mortos. Além disso, sugere-se a higiene bucal para evitar o aparecimento de doença periodontal.

Saúde

Todos os gatos podem viver uma vida saudável, assim como podem desenvolver problemas de saúde ao longo da vida. No entanto, gatos de raças específicas possuem predisposições a determinados distúrbios e patologias. Isso não significa que todos os indivíduos da raça terão as doenças que serão descritas no artigo, e sim que há chance de desenvolvê-las no decorrer da vida.

Para que cresçam fortes e saudáveis, é importante investir em alimentos completos e balanceados. Em alguns casos, pode ser necessário a suplementação alimentar, mas para tomar essa decisão converse sempre com um profissional de confiança.

Primeiramente, o gato Exotic Longhair possui uma característica física que o torna mais suscetível a doenças respiratórias. De fato, trata-se de um gato braquicefálico (ou seja, possui focinho achatado). Portanto, o gato Exotic Longhair torna-se predisposto ao desenvolvimento da síndrome braquicefálica, consequência de múltiplas anormalidades anatômicas.

Essas irregularidades impedem o fluxo de ar através das vias aéreas superiores, causando uma sintomatologia clínica característica, ou seja, respiração ruidosa, cianose e, em casos mais graves, síncope.

O fato do nariz da raça ter sido reduzido ao longo dos anos, prejudicou gravemente o seu funcionamento. Além disso, o formato do focinho faz com que os olhos fiquem mais proeminentes e expostos a distúrbios.

Distúrbios Oculares

Os distúrbios oculares mais comuns em gatos  Exotic Longhair são:

  • Epífora – Ocorre quando os canais nasolacrimais estão obstruídos. A lágrima escorre pela face, causando manchas escuras debaixo dos olhos. Em algumas raças, a obstrução pode ser hereditária.
  • Entrópio – Malformação que causa o reviramento da pálpebra para dentro causando sérias irritações que podem levar à graves doenças no olho do animal. O Entrópio pode acometer a pálpebra superior ou a inferior de um olho ou de ambos os olhos. Pode ser de origem congênita ou adquirida.
  • Glaucoma primário. Consiste em uma pressão sanguínea excessivo no olho, cujo efeito se traduz na opacidade e perda de visão.

Doença Periodontal

A doença periodontal é, sem dúvida, o distúrbio mais comum da cavidade oral de gatos. Inicia-se por acúmulo de bactérias na superfície dos dentes e progride até os tecidos de sustentação que formam o periodonto, que são gengiva, osso alveolar, cemento e ligamento periodontal.

O principal sinal clínico observado pelo proprietário é, sem dúvida, a halitose. Dependendo do estágio da doença periodontal, esta pode conduzir a conseqüências locais e sistêmicas, como: inflamação e sangramento da gengiva, presença de tártaro, mobilidade dos dentes, salivação excessiva, dentre outras. Além disso, pode levar à perda dos dentes e pode comprometer o coração, pulmão, fígado, rins e outros órgãos vitais.

A melhor forma de prevenir esta doença é, portanto, utilizar alimentos, brinquedos e cremes dentais específicos. Todavia a escovação diária dos dentes é o método mais eficaz para remover a placa bacteriana e manter a saúde clínica do animal.

Cardiomiopatia Dilatada Felina

A cardiomiopatia dilatada (CMD) é uma doença degenerativa do miocárdio caracterizada por dilatação ventricular e diminuição da contratilidade cardíaca. Nos anos 80, foi associada à deficiência de taurina na dieta dos gatos. A partir daí, a suplementação desse aminoácido nas dietas comerciais de felinos diminuiu muito a incidência dessa doença.

Os sinais clínicos são variados, sendo que a dispneia é o sinal mais comum. O diagnóstico definitivo é definido através do exame eco doppler.

Ocorre mais frequentemente em gatos machos, de 6 a 9 anos, de raças como Ragdoll, Persas e Maine Coons.

Rim Policístico

A doença renal felina, comumente conhecida como a Síndrome dos Rins Policísticos, é uma doença genética que acomete frequentemente os gatos. É caracterizada pelo crescimento de múltiplos cistos nos rins, que acabam por comprometer a função renal e causam falência do órgão, ou seja, causa insuficiência renal.

A doença, no entanto, pode estar presente desde filhote, e pode não apresentar sintomas até os 7-8 anos de idade, quando o dano renal já pode ser importante.

Formação de cálculos de oxalato de cálcio

Cálculos de oxalato de cálcio são formações que podem se desenvolver no trato urinário do gato. Esse tipo de cálculo, no entanto, tende a ser encontrado em gatos machos mais idosos. Ao contrário dos cálculos de estruvita, os de oxalato de cálcio se formam mais prontamente em urina ácida, sendo impossível dissolvê-los quando presentes no trato urinário.

A remoção dos cálculos de oxalato de cálcio, portanto, só é possível por meio de cirurgia. Para evitar seu aparecimento, sugere-se o uso de alimentos que controlem a acidez urinária. Além disso, é primordial oferecer sempre água limpa e fresca para incentivar a hidratação.

Além dos cálculos de estruvita e oxalato de cálcio, também existem cálculos de urato, xantina e cistina. Algumas raças são mais propensas que outras à formação de certos tipos de cálculos. Procure o veterinário em busca de mais informações.

Intertrigo

Intertrigo é o nome dado ao distúrbio causado pelo atrito de dobras cutâneas.

Acomete as regiões de pregas e dobras cutâneas, tais como as pregas da face dos gatos braquicefálicos, como o gato Exotic Longhair. 

O atrito entre as dobras, a umidade acumulada entre elas, a pouca exposição ao ar e sol destas, podem acabar causando uma infecção de pele. Isso, gera um habitat ideal para proliferação bacteriana, pois torna-se úmido, quente e protegido da luz.

Tricobezoar

Tricobezoar é o nome complicado para bola de pelo. De fato, os gatos Exotic Longhair, por terem um pelo tão denso, estão propensos a formarem bolas de pelos maiores do que o aceitável que podem se tornar obstruções do sistema gastrointestinal. Isso acontece durante a rotina de higiene do gato, quando o pelo não é escovado regularmente. Portanto, ao lamber-se, o gato acaba ingerindo muitos pelos.

Normalmente os gatos regurgitam as bolas de pelo. No entanto, por vezes elas acumulam-se no estômago. Quando isto acontece, o veterinário deve intervir o quanto antes para resolver o problema.

Para prevenir as bolas de pelo deve-se, portanto, escovar o gato Exotic Longhair regularmente, eliminando assim o pelo morto.

Considerações finais

Antes de mais nada, quem opta por adotar ou comprar um gato, deve assumir a responsabilidade de cuidar do animal providenciando alimentação de qualidade, higiene, entretenimento, amor e cuidados veterinários sempre que necessário.

Outro fator importante que muitas vezes é esquecido ou até mesmo subestimado pelos tutores de gatos é providenciar o devido confinamento. Ou seja, recomenda-se que os tutores de gatos utilizem telas na residência, providenciem um gatil, mas não permitam que seus gatos passeiem livremente na rua.

Isso é recomendado porque na rua há, sem dúvida, grande chance de brigas, acidentes, contaminações que podem causar a morte de seu felino. Além disso, sendo o gato Exotic Longhair um animal lindo e amigável, pode ser facilmente roubado.

Referências Bibliográficas:

BICHARD,S. J.; SHERDING,R. G. Manual Saunders: Clinica de Pequenos Animais. 2 ed. Sao Paulo, Roca, 2003.

KINDERSLEY, D. GATOS. Rio de Janeiro: JB indústrias gráficas S.A.