Menu fechado

Entidades cinófilas

entidades-cinofilas

Existem várias entidades cinófilas espalhadas pelo mundo inteiro. Cada uma com uma função específica. Os Kennels ou Canis, por exemplo, são orgãos que registram canis e ninhadas, organiza exposições e palestras para todas as raças, realiza ainda treinamentos e cursos. Um exemplo é a AKC.

Já os clubes de raça, são clubes específicos para uma determinada raça. À exceção da Sociedade Brasileira de Criadores de Pastor Alemão, que tem esta autonomia, e nenhum outro registra canil ou ninhadas. As atribuições de um clube de raça, basicamente, são as de organizar exposições, palestras, cursos, todos voltados para o desenvolvimento e controle de uma determinada raça.

entidades-cinofilas
Filhotes de mastifes em cesto de plástico (Crédito/Copyright: “saurabhpbhoyar/Shutterstock”)

A Federação é o órgão que normatiza a cinofilia no estado que tem mais de dois Kennel, organiza o calendário de eventos e promove outras atividades inerentes. O CBKC, por exemplo, é o órgão máximo no Brasil, elabora o calendário nacional, forma juízes, emite Pedigrees, homologa juízes para julgarem qualquer exposição, está em contato com todos os países que são filiados a FCI, e propõe para FCI a inclusão de novas raças.

A FCI, por sua vez é o órgão máximo da cinofilia mundial e regulamenta, através de seus conselhos, as exposições internacionais, as condições mínimas para formação de árbitros, os padrões das raças originárias de todos os países adequando-os de forma a ser atendida internacionalmente.

entidades-cinofilas4
Buldogue francês branco e marrom deitado em pose alerta (Crédito/Copyright: “mala_koza/Shutterstock”)

A única entidade que é reconhecida fora do Brasil é a CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia), portanto, registre seus cães em Kennel Clubes filiados a essa entidade. Existem também os clubes das raças, como Clube do Doberman, do Cocker e outros, que são associados à CBKC. Os clubes também fazem o registro de animais (encaminham a documentação à Confederação Brasileira de Cinofilia), promovem eventos da raça, etc.

American Kennel Club (AKC)

entidades-cinofilas3
Schnauzer miniatura filhote (Crédito/Copyright: “orangecrush/Shutterstock”)

O American Kennel Club ou apenas AKC, é um dos maiores clubes de registro de genealogias de cachorro de sangue puro nos Estados Unidos. Foi fundado em 1884, e só em 2006 já havia registrado mais de 900.000 cachorros, sendo que os maiores números foram da raça de cão de caça Retriever do Labrador e da raça Yorkshire Terrier. Além de manter seu registro de genealogia e ser confederação de Kennels, a AKC promove também eventos para cachorros com pedigree, inclusive o famoso Westminster Kennel Club Dog Show, um evento anual oficial da AKC, e o AKC/Eukanuba National Championship, outro campeonato nacional muito popular no país. A AKC tem a sua própria divisão de raças caninas, dividindo-os em 8 grupos de acordo com suas funções, são eles:

  • Cães Esportistas
  • Cães Hounds ou Farejadores
  • Cães Trabalhadores
  • Terrier
  • Toy
  • Não-esportistas
  • Herding ou Pastores
  • Misturas / sem raça definida

No Brasil, como em praticamente todo o restante do mundo, existem outros órgãos similares, mas que são filiados à uma outra organização, como a FCI.

Federação Cinológica Internacional

entidades-cinofilas6
Papillon francês (Crédito/Copyright: “David Kay/Shutterstock”)

A Federação Cinológica Internacional ou Fédération Cynologique Internationale, ou apenas FCI, é a organização cinológica mundial que rege todos os outros órgãos similares a AKC. A FCI foi fundada em 1911, tem sua sede em Thuin na Bélgica, e possui 84 membros e contratantes (um membro por país) que expedem, cada um, seus próprios pedigrees e formam seus juízes.

A FCI garante o reconhecimento mútuo dos juízes e pedigrees dentro e entre seus países membros. No Brasil, o representante oficial da FCI é a Confederação Brasileira de Cinofilia – CBKC. A FCI divide as raças caninas em 10 grupos oficiais de acordo com a função e tipo físico ou história da raça.

  • Grupo 1: Formado pelos cães pastores e boiadeiros, com exceção dos boiadeiros suíços.
  • Grupo 2: Formado pelos cães tipo pinscher, schnauzer e outros, molossos tipo montanhês e tipo dogue e boiadeiros suíços.
  • Grupo 3: Formado pelos cães terriers de grande e médio porte, terriers de pequeno porte, terriers tipo bull e terriers de companhia.
  • Grupo 4: Formado pelos cães teckels.
  • Grupo 5: Formado pelos cães nórdicos de trenó, cães nórdicos de caça, cães nórdicos de caça e pastoreio, spitz europeus, spitz asiáticos e raças assemelhadas e cães de tipo primitivo.
  • Grupo 6: Formado pelos cães Sabujos, Cães de pista de sangue e assemelhadas.
  • Grupo 7: Formado pelos cães de aponte continentais e cães de aponte britânicos.
  • Grupo 8: ormado pelos cães recolhedores de caça, cães levantadores de caça, e cães d’água.
  • Grupo 9: Formado pelos cães Bichons, poodle, cães belga de pequeno porte, cães pelados, cães do tibete, chihuahua, spaniels ingleses de companhia, spaniels japoneses e pequineses, spaniels anões, Kromfohrländer e molossos de pequeno porte.
  • Grupo 10: Formado pelos cães lebréis de pêlo longo e franjado, lebréis de pêlo duro e lebréis de pêlo curto.

No Brasil existe ainda um outro grupo, o chamado “Grupo 11″ – Raças não-reconhecidas, que inclui as raças que são reconhecidas nacionalmente mas que ainda não obtiveram reconhecimento oficial da FCI.

Confederação Brasileira de Cinofilia

entidades-cinofilas2
Uma ninhada inteira de filhotes de Doberman (Crédito/Copyright: “larstuchel/Shutterstock”)

A Confederação Brasileira de Cinofilia ou CBKC é a confederação que cuida de regras e normas para criação, registro, emissão de pedigrees e exibição de raças de cães no Brasil. Está diretamente filiada a FCI e congrega as federações estaduais e os Kennel Clubes que são mais ou menos noventa associações em capitais e diversos municípios no Brasil.

Pergunte ou Responda

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *