Novos estudos estão sendo conduzidos na Inglaterra para ranquear animais de estimação populares pelo seu impacto no meio ambiente. Chamados de “Liga Ecopet”, os pesquisadores acreditam poder apontar uma nova direção em relação à propriedade de animais de estimação.

Segundo as pesquisas, os cachorros e gatos estão entre os piores infratores, sendo a tartaruga o animal de estimação mais ecológico. Já os animais exóticos como os répteis (cobras e lagartos) são os que possuem menos impacto, comparados aos cachorros e gatos.

Os pesquisadores acreditam que os tutores poderiam trocar seus animais “peludos” de quatro patas por algum outro menos “aconchegante” se quiserem mesmo salvar o planeta.

O que você acha dessa ideia? Você seria capaz de fazer esta troca, passando a fazer parte dessa Liga Ecopet?

Confira abaixo!

O que dizem as pesquisas Ecopet

A liga Ecopet classificou oas animais quanto ao impacto no ambiente.

A pesquisa foi conduzida pelo portal inglês money.co.uk e acabou revelando os animais de estimação mais e menos ecológicos.

As tartarugas conquistaram o primeiro lugar no pódio, enquanto cachorros e gatos ficaram entre os piores agressores ao ambiente.

A pesquisa contou com relatórios sobre a aquisição de pelo menos 1 milhão de cachorros por família durante o isolamento causado pela pandemia no Reino Unido.

Isso significa que a população canina no país pode ter chegado a 11 milhões, seguida por uma quantidade semelhante de gatos.

No entanto, apesar dos cachorro se gatos serem a principal escolha entre tutores no mundo inteiro, eles foram os que ranquearam mais baixo nas pesquisas da Liga Ecopet, fazendo com que os pesquisadores acreditem que o estudo pode apontar uma nova tendência para a propriedade de animais de estimação no futuro, ao passo que o undo se torna mais consciente em relação ao meio ambiente.

Isso significa que as gerações futuras de famílias no Reino Unido podem passar a optar por ter tartarugas em casa, ou pequenos animais mamíferos para lhes fazer companhia.

Principais fatores analizados pela Liga Ecopet

O estudo analisou vários fatores para classioficar oa animasi na categoria Ecopet.

O estudo analisou o impacto de cada espécie de animal de estimação no ambiente, ranqueado cada um deles entre 8 fatores diferentes.

Os especialistas em energia do portal observaram a dieta de cada animal, consumo de água, acessórios que costuma precisar usar, e as químicas utilizadas nos cuidados, limpeza e manutenção que cada um pode exigir.

Eles também examinaram o gasto de energia de cada animal baseado na necessidade de lâmpadas elétricas, aquecedores ou filtros, bem como o possível impacto sobre o transporte e exigências quanto à medicamentos e tratamentos médicos.

Por fim, os pesquisadores observaram o lixo produzido por cada espécie e o quanto os dejetos são tóxicos ao ambiente. Assim, cada animal de estimação recebeu pontos com um máximo de 5 em cada uma das categorias.

E quais foram os resultados obtidos?

O resultado do estudo Ecopet foi surpreendente: cachorro se gatos em último lugar!

Na categoria dieta alimentar, os animais que consomem carne como principal alimento, como os cachorros e gatos, tiveram um impacto maior por conta da natureza de produção e cultivo da carne, recebendo apenas 1 ponto.

Já os animais de dieta vegetariana, por exemplo, que consomem alimentos não-processados, receberam 5 pontos.

Com relação ao transporte, os animais de porte maior, que exigem a prática de exercícios físicos e deslocamentos de carro, também receberam pontos mais baixos, por conta do impacto ambiental do veículo.

Ao acessarem o lixo produzido pelos dejetos de cada animal, os pesquisadores consideraram se os mesmos poderiam oferecer algum benefício ambiental, como no caso dos cavalos, cujas fezes podem virar fertilizante.

Quando os pontos em cada categoria foram somados, os animais de estimação eram ranqueados em uma tabela da Liga Ecopet, sendo que os empates eram decididos pela expectativa de vida de cada animal, sendo os de menor expectativa ficando acima dos que vivem mais.

Tartarugas

As tartaruguinhas, de várias espécies, foram as vencedoras ao receber as maiores pontuações da Liga Ecopet (37 de 40). Segundo os pesquisadores, a razão pela qual elas são mais ecológicas é o fato de terem uma dieta vegetariana e baixa necessidade de itens plásticos ou tratamentos impactantes.

Pequenos mamíferos

Pequenos mamíferos como ratos, hamsters e outras espécies de roedores revelaram ser excelentes opções em relação aos cuidados com o ambiente. Todos eles ranquearam alto no tabela ecopet por conta da dieta simples e necessidades modestas.

Aracnídeos

Aranhas exóticas como as tarântulas também foram razoavelmente bem no estudo, ficando com pontuações melhores que animais de estimação mais convencionais, graças ao tamanho menor e exigências simples.

Porquinhos da Índia e Coelhos

Os porquinhos da índia e os coelhos são escolhas de animais de estimação populares, mas como são maiores, exigem mais recursos, e produzem mais lixo, semelhante aos outros mamíferos.

Peixes

Os peixinhos dourados e outras espécies tropicais ficaram no meio da tabela, embora sejam pequenos. Isso porque a água envolvida e a energia utilizada pelos filtros e aquecedores, bem como a natureza do alimento processado acabaram roubando alguns pontos.

Animais exóticos

Os animais de estimação exóticos, como os lagartos e cobras, foram bem na pontuação, mas as espécies maiores tendem a usar mais energia, resultando em um impacto maior no ambiente que as espécies menores.

Gatos

Ficando quase no fim da tabela ecopet, os gatos ficaram no 13 lugar com 25 pontos. Isso por conta da sua alimentação carnívora, grande necessidade de acessórios e exigências em tratamentos farmacêuticos.

Cachorros e cavalos

No fim da tabela ecopet ficaram os cachorros e os cavalos, por conta do impacto significante no ambiente, porém por razões diferentes.

Os cachorros obtiveram pontuação baixa na categoria da dieta alimentar por conta do consumo de carne vermelha processada, enquanto os cavalos tiveram uma melhor pontuação por conta da dieta vegetariana baseada em grama e grãos.

O cavalo também obteve pontuação alta quanto à produção de lixo, que pode ser aproveitado como fertilizante. Já os cachorros não foram bem nessa área, porque além das fezes serem tóxicas, elas exigem sacolas plásticas para a sua eliminação.

No entanto, os cavalos são maiores que os cachorros, e precisam de mais energia para aquecimento dos estábulos, bem como a produção de acessórios, como selas, ferraduras, rédeas etc.

Em uma análise final, os cachorros foram divididos em quatro categorias e pontuados de acordo com o tamanho – cachorros maiores pontuando menos que todos os outros pets – embora eles sejam as companhias mais populares no Reino Unido e no mundo.

Concluindo…

O Reino Unido é uma nação de amantes dos animais de estimação, mas se quisermos enfrentar a crise climática do Planeta, talvez tenhamos mesmo que começar a pensar na forma como interagimos com os nossos animais de estimação.

Os gatos e cachorros são a escolha mais popular entre todos os animais, mas a dieta carnívora de ambos, juntos a vários outros fatores, resultam em um enorme impacto no ambiente, principalmente por se encontrarem grandes números em todo o mundo.

A pesquisa mostra que existem outras escolhas mais ecológicas para aqueles tutores que desejam minimizar o impacto no ambiente.

Embora a tartaruga não seja tão atraente quanto ter um Labrador, a sua dieta vegetariana e metabolismo lento resultam em menos impacto no Planeta.

As gerações futuras podem ter que se adaptar a ser menos propensos a ter gatos e cachorro como animais de estimação, optando pelas tartarugas.

Ou criar novas formas de diminuir o impacto desses animais no ambiente, como mudar a dieta, colecionar menos acessórios plásticos, etc.

O que você faria se tivesse que optar? Se adaptaria às novas escolhas ou procuraria gerar menos impacto?

Por Equipe Editorial

O Vidanimal.com.br acredita que compartilhar um bom conteúdo é a melhor maneira de fazer com que a informação chegue ao seu destino ou público alvo. Educar e conscientizar as pessoas é a nossa missão. Procuramos criar parcerias com profissionais empenhados em fazer parte dessa missão. Contamos com uma equipe de colaboradores que amam aquilo que fazem e se dedicam todos os dias para levar até você um conteúdo informativo de qualidade.

Deixe uma resposta