Considerado o maior lagarto do mundo hoje em dia, o Dragão de Komodo, também conhecido como Crocodilo da Terra, realmente assusta devido ao seu tamanho e aspecto. Encontrado no Parque Nacional de Komodo, na Indonésia, supõe-se que o grande lagarto é originário da Austrália, onde existem alguns estudos para tentar reintroduzir o animal no país.

Mesmo tendo um parque criado apenas para ele, existem apenas 5.700 espécimes do dragão espalhados pelas 5 ilhas vulcânicas compostas por: Komodo, Rinca, Gili Motang e Flores, que constituem o arquipélago que abriga também outras espécies raras de animais.

Sendo um predador do topo da cadeia alimentar em seu habitat, o Dragão de Komodo é chamado de super-predador, título que ganhou devido não só por seu tamanho, como por conseguir engolir presas como uma cabra, sem mastigar.

Para entender melhor o que é o Dragão de Komodo, seu habitat e caraterísticas, veja o que preparamos abaixo:

Como é um Dragão de Komodo

O Lagarto de Komodo, como também é conhecido, pode chegar até 40 cm de altura, ter de 2 a 3 metros de comprimento, além de pesar até 166kg, considerando os maiores da espécie. Por isso, não é à toa que é tido como o maior lagarto do mundo.

A pele do Dragão de Komodo é composta por escamas que possuem reforço de tecido ósseo que são ligadas a nervos por placas sensoriais, o que deixa o lagarto muito sensível ao tato. As cores variam bastante, indo dede o amarelo e vermelho até o azul, sendo que no lombo as cores podem se misturar.

Com uma audição pouco desenvolvida, ouvindo sons somente entre 400 e 2000 hertz, seu diferencial está no paladar, uma vez que o dragão não sente cheiro pelo nariz e sim, como outros lagartos e cobras, por meio de sua língua bifurcada, que sente o sabor das moléculas captadas no ar.

Do que se alimenta

Capaz de engolir presas como cabras, sem sequer mastigar, o Dragão de Komodo consegue ingerir até 80% de seu próprio peso. Comem em geral carniça e caçam outros animais, como lagartos e répteis menores, pequenos mamíferos, aves e até búfalos.

Essa espécie de lagarto consegue rastrear uma presa em um raio de até quase 10 km. Tudo devido a sua língua amarela bifurcada altamente sensível, que percebe estímulos e também detecta a presença de carniça.

O Dragão de Komodo é normalmente um animal de hábitos solitários, que é só visto junto a outros de sua espécie, se estiver em época de acasalamento ou se estiverem comendo alguma presa de grande tamanho.

Aliás, para poder caçar, o dragão conta com garras perfeitas para atacar, escavar tocas, o que o torna um ótimo alpinista. Além disso, também é um exímio nadador e ainda consegue ficar de pé sobre as patas traseiras, com o apoio da cauda na hora de atacar.

Sendo um animal carnívoro, o Dragão de Komodo, mesmo tendo como principal fonte de alimento a carniça e carcaça de outros animais, caça presas vivas também, por meio de emboscadas.

Com dentes que medem 2, 5 cm e até machucam sua própria boca, consegue arrancar pedaços enormes de suas presas e engolir pequenos mamíferos sem mastigar, pois tem uma mandíbula que se desencaixa, além de um crânio flexível e um estômago que pode se expandir.

Qual o habitat do Dragão de Komodo

Como já dito, o Dragão de Komodo vive em 5 ilhas da Indonésia, que formam o arquipélago que é sua casa. O Parque Nacional de Komodo, que são exatamente as 5 ilhas, foi criado justamente para proteger a espécie, mas no local também é possível encontrar outros animais raros como o Cervo de Timor, que aliás serve de alimento para o dragão, além de outras 72 espécies de aves, como catatuas e outros bichos como porcos do mato, macacos entre outros animais menores.

Sempre prefere climas secos e quentes, como arbustos altos, bosques tropicais, savanas e prados abertos.

Também é possível encontrar o Dragão de Komodo em leitos de rios e praias da região. Um lagarto jovem da espécie, em seus primeiros anos, sendo que só amadurecem após 5 anos de vida, pois podem viver até 50 anos, preferem ficar no alto das árvores, para se protegerem de predadores maiores e principalmente dos adultos de sua mesma espécie, pois são canibais.

Como se reproduzem e crescem

A época de acasalamento do Dragão de Komodo é entre julho e agosto, sendo que os machos brigam entre si para escolher as fêmeas, que por sua vez costumam ser bem hostis com seus parceiros antes de acasalarem.

Em setembro, as fêmeas colocam os ovos, sendo ainda possível uma nova leva antes da chegada do verão. Quem cava as tocas ou se utiliza de ninhos abando nados de outras aves para chocar, são as próprias fêmeas, que tampam os locais com folhas e terras e permanecem sobre eles durante os 7 meses necessários, para que dali saiam novos dragões.

Uma curiosidade interessante, é que a fêmea tem a capacidade de botar e chocar ovos sem o contato com o esperma masculino do Dragão de Komodo.

Um processo que ocorre nessa espécie em ovos não fertilizados, por meio de duplicação celular. Um mecanismo da própria natureza para evitar a extinção, devido à falta de dragões machos na região. E o mais curioso, são que os dragões nascidos desses ovos não fecundados, são apenas machos, que quando adulto servirão para acasalar com as fêmeas e aumentar a procriação.

Dragão de Komodo pode atacar seres humanos

Épocas atrás, os nativos das ilhas onde reside o Dragão de Komodo, costumavam alimentar os lagartos gigantes com carcaças de cabras, o que deixava os lagartões bem saciados. Mas de tempos para cá, após a intervenção de ambientalistas, essa prática foi proibida, o que ocasionou um maior número de ataques a rebanhos domésticos e humanos, principalmente crianças nas regiões mais populosas.

E o pior disso tudo é que é muito difícil sobreviver a uma mordida de um Dragão de Komodo.

Isso porque, o dragão possui em sua língua e boca, uma colônia imensa de bactérias patogênicas, tidas como as mais perigosas e infectas que já se conheceu. Então uma mordida, pode causar uma septicemia, que é a infecção generalizada, que pode fazer com que um ser humano vá a óbito em poucos dias.

Além das bactérias mortais, para o homem, a baba do Dragão de Komodo é também altamente tóxica, o que pode provocar gangrenas e dores insuportáveis.

Com isso, agora você já sabe o que por fim é um Dragão de Komodo, além de ter se inteirado de quais são as caraterísticas dessa espécie exótica de lagarto, que vive nos confins do nosso planeta.

Por Dani Jardim

Dani Jardim é redatora freelancer, contribui com contéudo digital para vários sites diferentes. Amante dos animais, divide o seu tempo escrevendo sobre todos eles neste portal, e nas horas vagas, se divertindo com seus cachorros, o Pug, Bóris e o Buldogue francês, Vasco. Dani também faz parte da nossa equipe editorial como gerente e editora de conteúdo.

Deixe uma resposta