Certamente, nunca falou-se tanto sobre adoção e doação de cachorro. Há diversos motivos para isso:

  • Maior conscientização da população através da mídia;
  • Uso de redes sociais;
  • Criação de Comissões de defesa dos animais
  • Aumento do número de ativistas e protetores.

Número de animais abandonados segundo a OMS

Antes de falar sobre a doação de cachorro, é importante falar sobre o abandono. De fato, apesar do relacionamento estreito entre cães e homens, constata-se um grande número de casos de maus-tratos contra os animais. Entre eles estão: abandono, negligência, espancamentos, queimaduras, tráfico de animais silvestres, zoofilia, promoção de rinhas, esgotamento de matrizes devido à exaustiva reprodução, caça ilegal e uso de animais para fins recreativos, entre outros.

Os casos de abandono de animais representam, sem dúvida, um grave problema. Assim como muitos animais são amados por seus tutores, outros são simplesmente descartados como mercadorias sem valor. Cães abandonados podem sofrer de fome, desnutrição, doenças, envenenamento e outras formas de abuso.

Segundo a World Veterinary Association, há cerca de 200 milhões de cães abandonados no mundo. Os descartes acontecem em parques, praças, estradas, portas de pet shops e clínicas veterinárias. Há, de fato, quem interne o animal doente e não volte mais.

A Organização Mundial da Saúde estima que só no Brasil existam mais de 30 milhões de animais abandonados, entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães.

Doação de cachorro

Pessoas que procuram pelo termo ‘doação de cachorro’ na internet, podem estar buscando informações tanto para doar quanto para adotar um animal.

Existe um enorme preconceito em relação às pessoas que querem doar seus animais, entretanto antes de julgar é preciso entender a motivação de cada um. Pessoas podem querer doar seus animais principalmente pelos motivos abaixo:

  • Problemas financeiros repentinos;
  • Não aceitação de alguém da família;
  • Brigas entre animais sem condições de separação;
  • Mudança de país.

É exatamente por isso que recomenda-se uma boa dose de reflexão e conversa com os membros da família antes de optar pela adoção de um cachorro.

A doação de cachorro segue, em parte, o mesmo caminho que a busca pela adoção. Devem-se divulgar fotos com histórico completo do cachorro (sexo, porte, idade, se é castrado ou não, vacinações e vermifugações), local, motivo da doação de cachorro. Além disso, é possível solicitar ajuda a pessoas que trabalham em ONGs para que indiquem feiras de doações. A doação de cachorro requer, sem dúvida, paciência e empenho.

É, sem dúvida, muito mais fácil a doação de cachorros de raça, sadios e filhotes.

Adoção de cachorro

Não faltam opções para quem decide adotar um cachorro. No entanto, normalmente é muito mais comum achar animais que sofreram abandonos e maus tratos, adultos e sem raça definida. além disso, o amor, carinho e gratidão ao adotar um desses animais são mais que garantidos.

Há algo muito especial na adoção de cachorros abandonados. Portanto, pense muito bem antes de procurar por doação de cachorro. Lembre-se que esses animais merecem uma família que os ame.

Antes de buscar por doação de cachorro

Antes de buscar por doação de cachorro, é necessário parar e responder a si mesmo algumas perguntas.

Condições financeiras

Antes de mais nada, é preciso pensar no bolso. De fato, cães exigem vacinas, visitas ao veterinário regularmente, alimentação, medicamentos, entre várias outras coisas. Isso sem considerar que o cachorro pode ter alguma doença no decorrer da vida e pode precisar, portanto, de tratamento. Adotar um cachorro é assumir a responsabilidade de cuidar do animal por toda sua vida.

Espaço

Pense bem em como é sua vida. Se você tem uma vida muito agitada, quase não para em casa ou vive em um apartamento muito pequeno, deve se perguntar se conseguiria dar uma boa qualidade de vida a um cachorro.

O espaço até pode ser compensado com muitas atividades ao ar livre. No entanto, isso exige tempo ou pelo menos a contratação de um ‘dog walker’.

Apoio de todos os membros da família

Pode parecer bobagem, mas o apoio de todos os membros da família é primordial. Pode ser, sem dúvida, muito desgastante para todos, inclusive para o animal, se alguém não concordar com sua presença.

Presença de outros animais

Se houver outros animais na casa, certifique-se de que possam conviver em segurança. Em caso de brigas, será necessário separar os animais dentro de casa. Outra possibilidade é a contratação de um adestrador ou especialista em comportamento animal.

Planos futuros

Existe a possibilidade de mudança de residencia para outro país? Se sim, verifique se terá a possibilidade de levar seu animal de estimação com você. Considere que, dependendo do país, uma série de documentos serão exigidos.

Em caso de ausência…

Existe alguém de confiança com o qual deixar seu cachorro em caso de necessidade? Caso não haja alguém, existem condições para contratação de uma creche para cachorro ou Dog Hero?

Doação de cachorro – como adotar.

Existem algumas formas de se adotar um cachorro:

  • Através de anúncios de doação de cachorro;
  • Através de ONGs ou protetores;
  • Resgatando um animal na rua.

Primeiramente, cada local de doação de cachorro possui os próprios requisitos na hora de entregar um pet. Esse trabalho é importante porque garante que os futuros tutores são responsáveis e que aquele animal não vai voltar às ruas em breve.

Principais exigências:

  • Ter no mínimo 21 anos;
  • Apresentar documentos como RG, CPF e comprovante de residência;
  • Assinar um termo de responsabilidade se comprometendo a cuidar do pet.

Além disso, alguns lugares exigem também o preenchimento de um cadastro, falando sobre como será o dia a dia do cão, como é sua casa e se você já tem outros cães ou gatos. Isso ajuda as pessoas que trabalham lá a entender melhor o perfil de quem vai adotar e, portanto, os cachorros que melhor se adaptariam.

Tenha paciência com todas essas perguntas e exigências. Entenda que infelizmente há muitas pessoas que abandonam animais.

Doação de cachorro – o que acontece depois?

Cães adotados em ONGs ou em um Centro de Controle de Zoonoses, em geral, são castrados, vacinados e vermifugados. Isso já é muito importante. Portanto, verifique no ato da adoção se o cachorro passou por todos esses cuidados. Caso falte algum deles, consulte um médico veterinário.

Caso tenha resgatado um animal de rua, se possível antes de leva-lo para casa, leve-o ao veterinário. Ele precisará passar, sem dúvida, por uma avaliação clínica geral para identificar eventuais doenças infecciosas e contagiosas. Além disso, o veterinário irá, certamente, prescrever um vermífugo e avaliar o cachorro para saber se já pode tomar vacinas. A castração é altamente recomendada.

Doação de cachorro e período de adaptação

Um cachorro recém adotado precisará, certamente, de alguns dias para se acostumar à rotina da casa, perder o medo de sua nova família ou de outros animais. Portanto, em um primeiro momento, pode ser que ele tenha comportamento assustado e até mesmo agressivo. Procure ter paciência nesse momento.

Podem ser úteis, nessa fase de adaptação, o uso adicional de Florais de Bach e/ou feromônios como o Adaptil. Todavia, verifique as opções com seu médico veterinário de confiança.

Certifique-se, também, de que sua casa está equipada com todo o necessário antes da adoção de cachorro. Veja o que é preciso comprar para que ele se alimente, faça exercícios e fique confortável para dormir e brincar.

Lembrete – abandono de animais é crime.

Caso testemunhe ou saiba de maus-tratos cometidos contra qualquer tipo de animal, vá à Delegacia de Polícia e abra um Boletim de Ocorrência. Abandono e maus tratos à animais são considerados crimes.

A Lei 9605/98 (Lei de Crimes Ambientais) prevê os maus-tratos como crime. O decreto 24645/34 (Decreto de Getúlio Vargas) determina quais atitudes podem ser consideradas como maus-tratos.

Qualquer pessoa que for testemunha de um abandono de animais domésticos ou exóticos, podem ir à delegacia mais próxima. A Promotora de Justiça permite a denúncia anônima. Mas, para que a denúncia seja realizada, você precisa ter certeza do crime, pois, uma acusação falsa é outro crime. Além disso, no momento da denúncia, na delegacia, é preciso passar o maior número de informações possíveis em relação ao infrator, como seu endereço residencial ou comercial.

Além disso, caso o animal esteja abandonado em um terreno baldio ou propriedade particular, por exemplo, não hesite em invadir o local para salvar o bichinho, a sua ação será amparada pela lei. O decreto de lei número 2.848/40, artigo 24, considera a invasão para salvamento de um animal em perigo uma atitude de necessidade e, portanto, não haverá nenhum tipo de punição.