Uma das causas mais comuns de visitas ao médico veterinário é, com certeza, o aparecimento de alguma dermatite em cachorro.

Esse tipo de problema, pode ocorrer por diversos motivos. Por isso, a consulta é tão importante. O diagnóstico correto faz com que se economize muito tempo, dinheiro e, sem dúvida, sofrimento no animal.

As causas mais comuns de dermatite em cachorro são:

  • Alérgicos;
  • Endócrinos;
  • Nutricionais;
  • Emocionais;
  • Predisposições raciais.

Dermatite em cachorro – causas alérgicas.

As dermatites em cachorro são frequentemente de origem alérgica. Conheça algumas das mais comuns.

DAPP – Dermatite alérgica a picada de pulgas

A dermatite alérgica à picada de pulgas é uma das doenças de cachorro mais comuns. Trata-se de uma reação de hipersensibilidade aos alérgenos presentes na saliva das pulgas, caracterizada por intenso prurido.

As regiões afetadas apresentam pelo quebradiço ou ausência de pelo, pele inflamada (avermelhada e irritada), além de outros sinais, como pequenas coleções de pus, crostas, feridas, placas e nódulos. Além disso, pode ocorrer infecção secundária causada pelo autotraumatismo.

As lesões localizam-se caracteristicamente na zona lombar dorsal e junto à cauda. A zona abdominal, virilha e outras também podem ser afetadas, todavia, com menor gravidade.

Os animais com DAPP têm reações de hipersensibilidade muito intensas. De fato, nestes animais, a presença de apenas 1 ou 2 pulgas pode desencadear uma reação de grande intensidade e os sinais clínicos podem manter-se até duas semanas após a última picada.

Atopia ou dermatose atópica

A Dermatite Atópica Canina é uma dermatopatia de origem genética. Os cães acometidos tornam-se sensíveis aos antígenos presentes no meio ambiente, desenvolvendo grave reação alérgica, pruriginosa, o que acaba interferindo na qualidade de vida do animal.

Devido ao seu caráter genético, esta é uma doença que na maioria das vezes não tem cura, apenas controle. O tratamento em geral é para a vida toda.

Há diversos relatos de melhora do quadro de animais atópicos que fazem uso de terapias alternativas como fitoterapia, homeopatia e até mesmo acupuntura.

Alergia Alimentar

A hipersensibilidade alimentar é terceira causa mais comum de alergia em cães, e está ligada a resposta imunológica exagerada do organismo a determinada substância presente na dieta do animal. Aditivos, conservantes e outras substâncias químicas usadas em rações industrializadas podem ser responsáveis, porém sabe-se que o que mais provoca este tipo de reação são as proteínas de alto peso molecular como a carne bovina, seguido de produtos lácteos, frango, trigo, ovos, milho e soja.

Manifesta-se principalmente através de prurido, vermelhidão e descamação na pele, depois apresenta sinais cutâneos diversos: pápulas, placas, pústulas, alopecia, liquenificação, pigmentação, otite externa, seborreia e foliculite. Além disso, pode causar desde ferimentos na pele provocados pela unha do próprio animal enquanto se coça sem parar até quadros gastrointestinais, como diarreia e vômito.

Uma vez detectado o problema, o tratamento é simples. Deve-se, de fato, substituir a ração por fórmulas especiais, chamadas hipoalergênicas. Se preferir, é possível solicitar a um médico veterinário nutricionista uma receita caseira específica para seu cachorro.

Dentre as raças mais suscetíveis às alergias, destacam-se: Shar-Pei, Pastor alemão, Golden retriever, Boxer, West Highland White terrier e Bull terrier, além dos Buldogues inglês e francês.

Outros tipos de dermatite em cachorro.

Como dissemos no inicio, as dermatites em cachorros podem ter várias causas. Entre elas incluem-se problemas emocionais, carências nutricionais e predisposições raciais.

Dermatite por lambedura

A dermatite acral por lambedura, ou simplesmente dermatite por lambedura, é uma síndrome comum, geralmente de origem emocional, caracterizada por automutilação através, portanto, da lambedura obsessiva da pata. Três fatores costumam estar envolvidos na causa desta condição:

  • Predisposição racial – Raças que são mais emocionais e nervosas desenvolvem, por certo, mais dermatoses psicogênicas. Alguns autores, observaram que este distúrbio ocorre com maior frequência em raças definidas e de grande porte como Doberman, Pastor Alemão, Boxer, Labrador, Setter.
  • Estilo de vida- Cachorros submetidos a situações estressantes também podem desenvolver dermatoses psicogênicas. Situações como isolamento, solidão, confinamentos prolongados, presença de um animal rival na mesma residência, são certamente influências negativas.
  • Características individuais do animal- Independente de raça, idade, estilo de vida, o animal pode ser particularmente nervoso, ansioso, amedrontado ou tímido.

No entanto, é importante saber que a lambedura excessiva de um determinado local pode ser sinal de dor. Por isso, devem-se descartar outras doenças ou fatores que estejam possivelmente desencadeando o problema. Torna-se necessária uma avaliação mais aprofundada do médico veterinário.

Veja mais sobre o assunto no artigo “Pata de cachorro: Dicas para cuidar melhor das patas do seu cão“.

Tratamento das dermatites psicogênicas

As dermatites psicogênicas são, certamente, de difícil tratamento e podem ser recorrentes, pois não existe uma forma certa de prevenir, já que são comportamentais. Por isso, para tratar com eficiência, é necessário identificar primeiramente o que está desencadeando a doença. Afinal de contas, não adianta tratar a pele do cão se ele continuar estressado e deprimido, repetindo o comportamento.

Após identificação da causa do problema, devem-se, por fim, incluir atividades desestressantes, como:

  • Passeios diário, bem como outros exercícios;
  • Comprar brinquedos com a finalidade de enriquecer o ambiente;
  • Dedicar, enfim, mais tempo ao próprio filho de quatro patas.

Dermatite em cachorro Responsiva ao Zinco

A dermatose responsiva ao zinco é uma doença nutricionalmente responsiva. É considerada rara, entretanto cães da raça Malamute do Alasca e Husky Siberiano, possuem predisposição ao desenvolvimento do distúrbio.

Os sintomas iniciais são crostas grossas ou escamosas na pele e alopecia, especialmente em volta dos olhos e no focinho. Esse sintoma também pode ser visto nas orelhas, jarretes, sob os coxins e em volta dos órgãos genitais. Além disso, a pelagem pode ficar fosca e dura, e podem ocorrer infecções de pele secundárias.

Esta doença é causada por deficiência de Zinco, e pode ter duas origens: alimentar ou hereditária.

Quando provocada por questão alimentar, geralmente deve-se à dieta pobre em zinco, excesso de suplementos minerais (principalmente cálcio, ferro e cobre), ou alimentação com excesso de fitatos (substâncias encontradas em algumas dietas à base de cereais que interferem na absorção de zinco no intestino).

Em raças caninas como Malamute do Alasca, Husky Siberiano e Samoieda, a origem é hereditária. De fato, cães das raças descritas acima, possuem tendência à má absorção.

Intertrigo

Intertrigo é o nome dado ao distúrbio causado pelo atrito de dobras cutâneas.

Acomete as regiões de pregas e dobras cutâneas, tais como as pregas da face dos cães braquicefálicos (Pug, Pequinês, Bulldog, Boxer) ou pregas labiais, peri-vulvares, caudais, axilares, inter-mamárias ou de outras regiões corpóreas em raças que possuem excesso de pele.

O atrito entre as dobras, a umidade acumulada entre elas, a pouca exposição ao ar e sol destas, podem acabar causando uma infecção de pele, chamada de Intertrigo. São comuns, no entanto:

  • Dermatite da dobra caudal -ocorre na base da cauda graças ao excesso de pele e cauda curta ou enrolada. Pode formar ulceração na pele, sendo muito dolorosa. Além disso, esta pode vir a ser contaminada pela flora fecal e causar infecções. Em casos severos, é preciso, portanto, amputá-la. Em casos mais brandos, é importante manter a área limpa e seca para garantir o conforto do cão.
  • Dermatite da dobra facial (ou nasal) – animais braquicefálicos possuem pregas de pele no focinho, o que gera um habitat ideal para proliferação bacteriana, pois é úmido, quente e protegido da luz.

Outras doenças que podem provocar dermatite em cachorro

A dermatite pode ser o sinal de outras doenças nos animais, portanto nunca devemos nos preocupar somente com a pele. Problemas que provocam dermatopatias e que merecem atenção são:

  • Doenças autoimunes;
  • Problemas na tiroide;
  • Neoplasias de pele.

Portanto, fique atento a sintomas como perda de pelos, prurido, descamação, vermelhidão e ferimentos que não cicatrizam. Além disso, consulte sempre seu médico veterinário de confiança.

 

Fontes bibliográficas:

BIRCHARD, S. J; SHERDING, R. G. Manual Saunders: clínica de pequenos animais. Roca, São Paulo, 2º edição; 2003.

ZANON, J.P., GOMES, L. A., CURY, G.M.M – Dermatite Atópica Canina. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 29, n. 4, p. 905-920, out./dez. 2008