Anatomicamente o cachorro é, sem dúvida, um animal carnívoro. De fato, basta pensar em como é feito o dente de cachorro.

Os dentes de cachorro são longos e afiados. Os molares inferiores e superiores possuem forma de triângulo com bordas serrilhadas que se fecham como as lâminas de uma tesoura quando o animal morde a caça. Além disso, possuem uma enorme abertura oral e ausência da enzima amilase na saliva, aquela que dá início à digestão do carboidrato.

É importante mencionar também que esses animais possuem sistemas digestórios bem mais simples, curtos e bastante ácidos.

Dente de cachorro

Os dentes de cachorro são fortes e afiados e permitem que esses animais mastiguem alimentos muito duros.

Os filhotes possuem 28 dentinhos de leite que começam a cair por volta dos 3 meses e meio de idade. Logo em seguida começam a aparecer os dentes definitivos, que na maioria das raças são 42. Os cães costumam estar com os dentes definitivos totalmente posicionados por volta dos 7 meses de idade.

Assim como os humanos, os cães têm vários tipos de dentes. Cada tipo executa um trabalho diferentes e ajudam cães a quebrar a comida enquanto mastigam. Vamos conhecer quais são os dentes de cachorro.

Dente de cachorro – incisivos

Incisivos são os pequenos dentes encontrados na frente da boca de um cachorro.

Os dentes incisivos tem a função de cortar os alimentos menos rígidos, dando início à preparação da função mastigatória. Eles são usados ​​para raspagem, como sua forma torna ideal para tentar raspar a carne dos ossos.

Além disso, os cães muitas vezes tentam remover pulgas e carrapatos, mordiscando sua pelagem e usando seus incisivos para pegar e matar parasitas.

Caninos

Os dentes caninos são os grandes responsáveis pela perfuração dos alimentos mais fibrosos e resistentes. Por isso, geralmente, eles são os mais pontiagudos e compridos dos dentes. Estes dentes tem a função de rasgar alimentos como a carne. Além disso, também são usados ​​para apreender e matar presas, assim como segurar itens como ossos ou um brinquedos.

Cachorros possuem quatro dentes caninos, dois no maxilar superior e dois no inferior.

Dente de cachorro – Pré-molares

O dente pré-molar tem como principal função esmagar e rasgar os alimentos, durante a mastigação. Estes dentes são também conhecidos como bicúspides, pois têm duas cúspides (pontas aguçadas) na sua superfície.  Eles geralmente são usados ​​para mastigar e destruir os alimentos, mesmo os mais duros. De fato, cachorros roem seus ossos utilizando o lado da boca. É assim que, na natureza, utilizariam os pré-molares para retirar a carne dos ossos.

Os dentes pré-molares são dentes de transição entre os dentes anteriores e os molares. Têm a forma de pentágono e são inferiores aos dentes caninos, apresentando bordas convergentes.

Dente de cachorro – Molares

Os molares são os dentes mais complexos presentes na maioria dos mamíferos. A palavra molar significa mó ou pedra de moinho. Com isto já é possível entender melhor a função deles. Os dentes molares são, de fato, responsáveis por triturar e mastigar os alimentos, possuindo assim várias pontas em sua área de contato com a comida.

Além disso, eles têm como função também determinar a chave de oclusão dentária, pois são os primeiros dentes permanentes a surgirem na arcada. Quando um alimento é ingerido, os caninos são responsáveis por dilacerá-lo. Logo após, os pré-molares trituram, transformando-o em pequenas porções. E, por fim, os molares remoem o restante.

Diferenças entre o dente de cachorro de leite e o permanente.

Além de menores, os dentes decíduos também são mais branquinhos e pontiagudos. Já os dentes permanentes são maiores, brilhantes e mais amarelados, com um tom semelhante ao do marfim.

A quantidade dos dois grupos também é diferente: os cães têm 28 dentes de leite que são substituídos por 42 dentes permanentes.

Quando os filhotes começam a dentição?

Os primeiros dentes de leite do filhote começam a sair em torno da segunda ou terceira semana de vida do cachorrinho. Completará um total de 28 dentes, entre a sexta e a oitava semana, incluindo incisivos, caninos e pré-molares. Os molares, no entanto, surgem em uma segunda etapa, já de forma definitiva.

É importante comentar que uma vez iniciado o processo de dentição, o animal pode sentir muito incomodo. É justamente nessa hora que começará a mastigar tudo que possa proporcionar conforto. Por isso, recomenda-se providenciar brinquedos para cachorro mastigáveis com diferentes texturas e materiais.

Quando os filhotes perdem seus dentes?

Em torno aos 4 – 7 meses, o cachorrinho perderá os  dentes temporários e começarão a sair os novos, até completar um total de 42 dentes. O cachorro com um ano de vida, normalmente já tem toda a dentição definitiva completa.

No entanto, se até os 9 meses ainda faltarem alguns dentes adultos, recomenda-se passar por consulta com um médico veterinário odontologista para uma avaliação mais aprofundada.

Quais os cuidados necessários durante a troca de dente de cachorro.

Recomenda-se olhar com frequência a boca do cachorro ao longo do processo, sobretudo para ter certeza de que os dentes do cachorro estão caindo ao invés de ficarem encavalados nos permanentes.

A troca, no entanto, acontece de forma muito natural, não exigindo muitas providências da parte do tutor.

O que pode dar errado durante a troca de dente de cachorro.

Em alguns animais, o dente decíduo não cai. É a chamada dentição dupla, condição mais comum em raças de pequeno porte, como Maltês, Lhasa Apso e Yorkshire.

A dentição dupla leva ao maior acúmulo de tártaro e ao desvio da mordedura do cachorro, o que prejudica a qualidade de vida do animal. Se isso acontecer com o seu cachorro, converse o quanto antes com um médico veterinário especializado em odontologia, que definirá se é a hora de extrair os dentes de leite teimosos.

Sinais durante a troca de dente de cachorro.

Além de morder tudo o que encontra, podem ocorrer pequenos distúrbios durante a troca dos dentinhos.

Sangramento das gengivas

É normal ocorrer um pouco de sangramento. Mesmo as suas pequenas mordidas poderão favorecer que algum dentinho frouxo se solte e que isso produza um leve sangramento.

Mordidas

Em sua necessidade de levar tudo à boca, para tentar acalmar o incomodo ou a dor, pode ser que o cachorrinho passe de pequenas mordidas a mordidas que podem machucar. O importante é que ele não morda você ou algum membro da família.

É aqui onde você deverá se impor como chefe de sua matilha e fazer o animal entender que ele não deve fazer isso com as pessoas.

Gemidos, apatia, diarreia e até mesmo febre

São sinais comuns durante a troca da dentição. No entanto, se os sinais persistirem ou tornarem-se mais graves, principalmente no caso da diarreia, leve-o ao veterinário.

E não se assuste caso não encontre nenhum dente de leite de seu filhote. É provável e normal que ele os engula.

Como aliviar os incômodos da dentição dos filhotes.

Como mencionamos anteriormente, os filhotes podem sentir muito desconforto e até mesmo dor no momento da troca dos dentinhos. Nesse momento, eles começarão a roer qualquer coisa que provoque alivio ou conforto. Para evitar que roa objetos pela casa, ou sapatos novos, sugerem-se algumas alternativas mais válidas e seguras, como:

  • Comprar brinquedos em borracha resistente com diferentes texturas. Além disso, podem ser de diferentes materiais como nylon, plástico grosso e cordas fortes.
  • Oferecer cubos de gelo ao cachorrinho. Além de ser algo divertido para o cachorro, o gelo ainda ajuda a desinflamar a região das gengivas.
  • Oferecer brinquedos gelados também é uma alternativa.

Dente de cachorro: sinais de doenças bucais

Tutores de animais de estimação devem estar atentos a sinais de doença periodontal em cães.

Muitas vezes, é possível notar que há algo errado com o dente do cachorro através das mudanças de comportamento. De fato, o animal pode começar a recusar comida, mastigar com dificuldade ou até mesmo apresentar coloração diferente ou sangramento na gengiva.

Animais de companhia, assim como humanos, desenvolvem uma enorme quantidade de germes na boca que acumulam sobre os dentes formando a placa. Com o tempo, sem a correta higienização, esta placa calcifica-se devido à ação dos minerais contidos na saliva e transforma-se em tártaro que pode causar problemas dentários como gengivite e doença periodontal.

Quando chega a este ponto, o mau hálito é o menor dos problemas pois o animal pode começar a sentir muita dor, parar de se alimentar e perder alguns dentes. Além disso, caso o animal tenha alguma doença do coração, fígado ou rins, esse quadro pode ser agravado.

Sim. Em casos graves, as bactérias acumuladas podem cair na corrente sanguínea do bichinho e prejudicar ainda mais o estado de saúde do cachorro debilitado.

Dente de cachorro – O que é a gengivite.

A gengivite canina é uma inflamação das gengivas. Trata-se do o estágio inicial de uma doença bucal chamada periodontite, ou doença periodontal.

Assim como nos seres humanos, essa inflamação é causada pelo excesso de tártaro nos dentes, que nada mais é que uma placa bacteriana formada pelo acúmulo de restos de comida.

O tártaro é facilmente identificado, devido ao mau hálito e às manchas amareladas nos dentes dos cães. Quando essas placas não são devidamente removidas, causam irritação e inchaço na gengiva, ou seja, o que é chamado de gengivite.

A gengivite é muito comum em cães, e é tratável. No entanto, se não receber atenção, ao longo do tempo as bactérias atingem a raiz dos dentes, e acabam desenvolvendo a doença periodontal avançada. Essa condição sim é muito preocupante, pois pode levar à perda da dentição.

O que é a doença periodontal.

A doença periodontal é o distúrbio mais comum da cavidade oral de cães, principalmente de pequeno porte. Inicia-se por acúmulo de bactérias na superfície dos dentes e progride até os tecidos de sustentação que formam o periodonto, que são gengiva, osso alveolar, cemento e ligamento periodontal.

O principal sinal clínico observado pelo proprietário é a halitose. Dependendo do estágio da doença periodontal, esta pode conduzir a conseqüências locais e sistêmicas, como: inflamação e sangramento da gengiva, presença de tártaro, mobilidade dos dentes, salivação excessiva, dentre outras.

Dente de cachorro – Prevenção de doenças.

Primeiramente, a melhor forma de prevenir qualquer doença na boca do animal é a observação frequente e hábitos de higiene.

Ou seja, é muito importante escovar os dentes regularmente, de preferência com a pasta de dente para cachorro mais adequada ao seu pet.

Além disso, existem outros produtos no mercado que tem como objetivo proporcionar higiene bucal. Entre eles, podem-se citar brinquedos e snacks. Todavia a escovação diária dos dentes é o método mais eficaz para remover a placa bacteriana e manter a saúde clínica do animal.

Referências Bibliográficas:

BICHARD,S. J.; SHERDING,R. G. Manual Saunders: Clinica de Pequenos Animais. 2 ed. Sao Paulo, Roca, 2003.

KINDERSLEY, D. CÃES. Rio de Janeiro: JB indústrias gráficas S.A.