in

Centopéia: Tudo sobre esse curioso animal

centopéia

A centopéia, conhecida também como lacraia, é um Artrópode, membro de uma classe de invertebrados que inclui insetos, aranhas e crustáceos. Todas as centopéias pertencem à classe Chilopoda, que inclui cerca de 3.300 espécies diferentes.

Esses animais são encontrados em todos os continentes, exceto na Antártida, e possuem a maior diversidade em forma e configuração em ambientes quentes e tropicais.

Espécies de centopeias mais comuns

Como dito anteriormente, há cerca de 3.300 espécies diferentes de centopéias. Entretanto, três se destacam por um motivo um pouco desagradável. De fato, segundo o Hospital do Instituto Butantan (SP), no período de 1980 a 1989, foram registrados 216 acidentes por lacraias, representando apenas 0,5% de atendimentos por animais peçonhentos.

Os agentes causadores identificados pertencem, enfim, aos três gêneros: Otostigmus, Cryptops e Scolopendra.

Etimologia do nome

Centopéia vem no latim centipedia, de centipes, ou seja, “de numerosos pés” ou “de cem pés”.

Classificação da Centopéia

  • Nome científico: Chilopoda
  • Reino: Animalia
  • Filo: Arthropoda
  • Classe: Chilopoda
  • Subclasse: Myriapoda
  • Família: Hyaenidae
  • Tamanho: em média 20 cm
  • Peso: em média 20 a 30g

Características Físicas da Centopéia

A centopéia não possui um número exato de pernas.
A centopéia não possui um número exato de pernas.

Embora seu nome comum signifique “cem pernas”, as lacraias nunca apresentam esse número exato de patas. De fato, dependendo da espécie, uma centopéia pode ter apenas 15 pares de pernas ou até 191 pares. Independentemente da espécie, as lacraias sempre têm um número ímpar de pares de pernas.

Sua estrutura é composta por cabeça e corpo. Possuem olhos simples e um par de antenas. Seu sistema respiratório é aberto e possuem uma glândula venenosa que ajuda a imobilizar suas presas.

São animais carnívoros, que têm 3 mandíbulas, e se alimentam principalmente de larvas e besouros, além de de vermes, insetos, aranhas e pequenos moluscos. Possuem um sistema digestivo completo.

O corpo das centopéias tem formato achatado e alongado. É composto por vários segmentos interligados, e cada um desses segmentos apresenta um par de patas.

Comportamento

Centopéias possuem hábitos noturnos e alojam-se sob pedras, cascas de árvores, folhas no solo e troncos em decomposição. Também constroem um sistema de galerias, contendo uma câmara onde se escondem. Quando andam sob a terra, cavam túneis com as patas da frente, e já vão fechando com as patas traseiras, para não serem seguidas por predadores.

Têm hábitos noturnos. Procuram alimentos ou novas moradias alojando-se sob pedras ou cascas de árvores, folhas no solo e troncos em decomposição, ou constroem um sistema de galerias.

Reprodução

A reprodução das centopéias é sexuada e a fecundação é interna. Ou seja, o macho deposita suas células sexuais no corpo da fêmea. Ela, então, prepara um ninho onde coloca os ovos (15 a 50) que eclodem após algum tempo dando vida às larvas.

Alimentação

A maioria das centopéias é predadora. Os pequenos artrópodos formam a principal parte de sua dieta, contudo existem espécies que se alimentam até mesmo de rãs, sapo, cobras, aves e, inclusive, pequenos mamíferos. Para caçar elas usam uma garra que tem veneno que imobiliza suas presas.

Habitat

As lacraias estão distribuídas em todo o mundo em regiões temperadas e tropicais. Gostam, portanto, de ambientes mais escuros e úmidos. Os esconderijos escolhidos por esses animais proporcionam proteção não apenas contra possíveis predadores mas também contra a desidratação.

Por apresentam também hábitos peridomiciliares e domiciliares, são frequentemente encontradas em hortas, canteiros de jardins, vasos, xaxins, entulhos, sob tijolos.

Predadores e formas de defesa

Embora as centopéias estejam equipadas com garras venenosas, elas também têm outras adaptações para a defesa. De fato, o último par de tergitos possui um aparelho para picar a presa, muitas das vezes sendo o suficiente para matar o animal a ser predado.

A centopéia é venenosa? Centopéias são conhecidas como pragas perigosas já que possuem glândula de veneno e presas inoculadoras que utilizam para imobilizar e matar suas presas. Todavia, não possuem tanta força e potência para causar ameaça à vida humana. As lacraias, ocasionalmente, mordem humanos em legítima defesa, o que pode causar dor localizada e inchaço, semelhante ao de uma picada de abelha.

Portanto, na maioria dos acidentes, o quadro não é grave, variando de acordo com o número de picadas e da hipersensibilidade ao veneno por parte da vítima.

As toxinas da centopéia também as protegem de se tornarem alimento de eventuais animais, uma vez que a substância exalada por elas tem um odor desagradável que afasta os predadores.

Formas de controle

Existem formas práticas que permitem controlar a população de centopéias em área urbana. Além disso, as mesmas medidas servem para evitar acidentes com esse animal. Basta seguir os seguintes conselhos:

  • Manter limpos quintais, jardins, sótãos, garagens e depósitos, evitando, portanto, o acúmulo de folhas secas, lixo e demais materiais como entulho, telhas, tijolos, madeiras e lenha;
  • Ao manusear materiais de construção, usar luvas de raspa de couro e calçados, pois estes materiais podem servir de abrigo;
  • Rebocar paredes e muros para que não apresentem vãos e frestas;
  • Vedar soleiras de portas com rolos de areia;
  • Usar telas em ralos do chão, pias ou tanques;
  • Acondicionar o lixo em recipientes fechados para evitar baratas e outros insetos, que servem de alimento às lacraias;
  • Realizar roçagem de terrenos;
  • Manter berços e camas afastados das paredes;
  • Examinar calçados, roupas e toalhas antes de usá-los.

Referências Bibliográficas

Controlar Ambiental
Prefeitura de São Paulo

Avatar

Written by Dra. Valentina Vecchi (CRMV/SP:21838)

Valentina Vecchi (CRMV/SP: 21838), Médica Veterinária de São Paulo especializada em Acupuntura Veterinária, apaixonada pelos seus pacientes atuais e potenciais. Além de escrever para o Vidanimal, atualmente divide seu tempo atendendo seus pacientes e escrevendo para seus blogs 4Patas Acunputura Veterinária e blog4patas.com.br além de escrever artigos sobre pets para a revista digital “Senhora Atual“.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

panda vermelho

Panda Vermelho: De onde vem e suas curiosidades

calopsita

Calopsita: Tudo o que você precisa saber para cuidar do animal