Castração é, sem dúvida, sempre um assunto polêmico. Existe um conceito de que o animal está sendo mutilado, de que a castração poderá frustrá-lo. No entanto, a castração de gato é muito recomendada por médicos veterinários por diversos motivos que veremos no artigo a seguir.

Castração de gato – é realmente necessário?

Primeiramente, é importante mencionar um hábito muito comum entre os tutores de gatos. Ou seja, o hábito de permitir que o animal saia livremente na rua. Isso é extremamente perigoso por diversos motivos já que aumenta consideravelmente o risco de acidentes, perda definitiva do animal (por roubo, morte ou outros motivos), contaminação com doenças infecciosas e possíveis gestações indesejadas!

Gatos são animais extremamente férteis e se reproduzem com incrível facilidade. Uma gata, de fato, pode entrar no cio a partir dos 4 meses de idade, e continuará ciclando a cada 3 ou 4 semanas até engravidar ou ser castrada.

O período de gestação é de cerca de 9 semanas, e apenas duas semanas após ter seus filhotes, ela pode entrar no cio novamente.

É importante saber também que normalmente as ninhadas têm entre 4 a 5 filhotes, mas pode chegar a 8. Isso quer dizer que um casal de gatos pode gerar, em 7 anos, cerca de 420 mil descendentes.

Gatos machos que andam livremente nas ruas, podem engravidar muitas gatinhas. É importante que o tutor tenha consciência do prolema que isso pode causar. É importante pensar que, infelizmente, não existem lares suficientes para todos os filhotes que nascem nas ruas, e a grande maioria deles irá passar frio, fome, sofrimento, até ter uma morte prematura e violenta.

O abandono de gatos de estimação

É muito importante falar sobre o abandono de animais de estimação, já que é algo muito comum.

Os casos de abandono de animais representam um grave problema, causando prejuízos para a ecologia, economia, saúde pública e bem-estar animal. Assim como muitos animais são amados por seus tutores, outros são simplesmente descartados como mercadorias sem valor.

De acordo com levantamentos realizados pela Organização Mundial da Saúde, há cerca de 30 milhões de animais abandonados no Brasil. Destes, 20 milhões são cachorros, enquanto 10 milhões são gatos.

A Fundação Affinity, por sua vez, realizou, em 2010, uma pesquisa na Espanha sobre animais abandonados, adotados e perdidos. Os dados revelaram que foram recolhidos, naquele ano, aproximadamente, 36 mil gatos.

Eis o perfil dos animais abandonados:

  • 50,8% eram machos e 49,2% fêmeas;
  • 89,1% não tinha raça definida;
  • 59,7% gozavam de boa saúde;
  • 25,3% estavam doentes
  • 15% apresentavam ferimentos por maus-tratos.

Em uma pesquisa conduzida por Salman et al. nos Estados Unidos em doze abrigos de animais, envolvendo 1.984 cães e 1.286 gatos, foram identificadas as principais causas de abandono:

  • Mudança de endereço;
  • Regras que não permitem animais de estimação;
  • Muitos animais em casa;
  • Custo de manutenção dos animais de estimação;
  • Proprietário tendo problemas pessoais;
  • Instalações inadequadas;
  • Falta de lugar disponível para ninhadas.

Nos casos dos gatos, as alergias na família, a sujeira na casa e a incompatibilidade com outros animais de estimação estavam entre as dez principais razões citadas.

Quais são as vantagens ao optar pela castração do gato

De modo geral, gatos castrados são mais dóceis, tornam-se menos briguentos, e apresentam menos problemas de saúde. Entre as vantagens da castração podemos citar:

  • Menos chance de marcar território com urina.
  • Redução do odor da urina.
  • Possivelmente, o gato castrado irá perder a vontade de brigar.
  • Pode reduzir a vontade de escapar, mas não é garantido.
  • Gatos castrados tem menos chance de contrair doenças como FIV, FeLV e PIF.
  • No caso de fêmeas, ocorre redução considerável de chance de câncer de mama e infecções uterinas.
  • Evita gestações indesejadas.

Fêmeas – a vantagem da castração de gato

Além de evitar ninhadas indesejadas, a castração traz benefícios para a saúde da gata. Quando ela entra no cio há uma enorme descarga de hormônios, que ficam circulando pelo organismo até que ela engravide. Existem inúmeros tipos de tumores que são hormônio-dependentes, isso é, que tendem a se desenvolver com o estímulo hormonal.

É, inclusive, por isso que os médicos veterinários não recomendam de jeito nenhum o uso de medicamentos contraceptivos em cães ou gatos, já que provocam inúmeros prejuízos à saúde.

Recomenda-se castrar a gatinha a partir dos 5 meses de idade, ou seja, antes do primeiro cio. Se ela entrar no cio, o ideal é esperar o término do ciclo para realizar a castração, mas lembre-se que a janela entre um ciclo e outro é pequena, então fique atento e deixe seu veterinário de sobreaviso.

Vantagens para a saúde:

  • Diminuição do risco de câncer de mama: para proteger a gata desse mal o ideal é castrá-la antes que entre no primeiro cio.
  • Eliminação do risco de câncer de útero e de ovário, já que a castração envolve a retirada desses órgãos.
  • Eliminação da chance de piometra, ou seja, uma infecção que acomete o útero que pode ser fatal.
  • Eliminação da chance de gestações indesejáveis.

Machos – vantagens da castração do gato.

A castração de gatos machos é mais polemica por uma questão mais machista. De fato, existe a crença de que irá tirar sua masculinidade. No entanto, isso é uma forma de humanização dos animais, já que eles acasalam por instinto e não precisam provar nada a ninguém.

Castrar o gato macho é uma atitude que pode ajudar muito a questão de abandonos. De fato, o macho pode engravidar muitas gatas em seus passeios, e muito provavelmente será pai de muitos gatinhos que serão posteriormente abandonados. É, portanto, uma atitude de responsabilidade.

Os gatos machos podem ser castrados a partir dos 3 meses de idade.

Vantagens para a saúde:

  • A castração do macho reduz a incidência de tumores na próstata e testículos.
  • Diminui a chance de contração de doenças.
  • Diminui a ansiedade, já que ele perderá a necessidade de procurar fêmeas no cio nos arredores.

Como funciona o procedimento cirúrgico?

A castração de gato é um procedimento cirúrgico simples e rápido. No entanto, é sempre um procedimento que precisa de controle anteriores. Portanto, devem ser providenciados alguns exames clínicos antes da cirurgia, para que o veterinário tenha uma melhor ideia do estado de saúde geral do animal, uma vez que o animal será submetido à anestesia.

Nas fêmeas são retirados os ovários e o útero (ovariohisterectomia), e nos machos são retirados os testículos (orquiectomia).

A cirurgia atualmente envolve pouquíssimos riscos, principalmente se feita com anestesia inalatória. No entanto, recomenda-se realizar o procedimento com um médico veterinário de confiança.

A castração realizada por um profissional pouco capacitado, que usa material de segunda linha e/ou não devidamente esterilizado, pode comprometer o resultado da cirurgia e até colocar em risco a vida do seu animal.

Possíveis complicações após castração do gato

A maioria dos gatos lida muito bem com a castração e volta ao normal em 48 horas. O acompanhamento necessário em casa é mínimo e as complicações da cirurgia são incomuns.

É muito importante que o seu gato não lamba a ferida. Isso poderá levar a infecção e causar inchaço e dor.

Cuidados pós-cirúrgicos

O gato tende a se recuperar muito rapidamente desse tipo de procedimento cirúrgico, entretanto, são necessários alguns cuidados.

  • Primeiramente, deve-se respeitar o tempo de recuperação da anestesia, deixando que o animal descanse em local tranquilo;
  • Deve-se colocar uma roupinha cirúrgica e/ou colar elisabetano para evitar que rasgue os pontos;
  • Dar os medicamentos prescritos pelo médico veterinário na hora indicada;
  • Avaliar o comportamento do animal e possíveis alterações como vômito, sangramento no ferimento, urina ou fezes.
  • Depois de algumas horas da intervenção, o gato poderá comer se tiver apetite. A ingestão de comida e bebida deverá ser reduzida para metade. Pode ser útil oferecer nos primeiros dias um alimento úmido.

O que acontece depois da castração do gato

Após a castração do gato, será possível verificar uma série de mudanças no comportamento.

Primeiramente, os gatos se tornarão menos agressivos e territorialistas. A tendência é reduzir o hábito de urinar com o intuito de demarcação de território. Outra vantagem é que o cheiro da urina tende a diminuir muito.

Os animais castrados tendem a ficar mais calmos e a se movimentarem um pouco menos. É por isso que existe a tendência a ganhar um pouco de peso. Por isso, recomenda-se que o tutor incentive exercícios e brincadeiras. Além disso, é muito importante oferecer um alimento de boa qualidade, em quantidade correta.

Alimentação do gato castrado

Alimentar seu gato com uma dieta nutritiva de alta qualidade também é de vital importância após a cirurgia, já que o corpo precisa de nutrientes para ajudá-lo a se recuperar de forma eficaz.

Uma vez que seu gato tenha se recuperado completamente, também é importante considerar a mudança de uma dieta de alta caloria para uma dieta de baixa caloria, já que os gatos castrados têm um risco maior de ganho de peso.

A tendência a ganhar peso está ligada a um estilo de vida mais sedentário. Haverá, de fato, uma combinação de menor necessidade de energia e aumento do apetite. Ambas as alterações são orquestradas pela diminuição da produção e secreção dos hormônios sexuais.

Hoje em dia, é possível achar nos Pet Shops alimentos nas categorias Premium e Super Premium específicos para animais castrados.

Enfim, castrar é um ato de amor e grande responsabilidade. Não provoca sofrimento ou frustração ao animal. Em caso de dúvidas sobre o procedimento, fale com o médico veterinário de sua confiança. Aproveite, além disso, para questionar sobre os cuidados e melhor alimentação para seu gato.

 

Referências Bibliográficas

BICHARD,S. J.; SHERDING,R. G. Manual Saunders: Clinica de Pequenos Animais. 2 ed. Sao Paulo, Roca, 2003.

KINDERSLEY, D. GATOS. Rio de Janeiro: JB indústrias gráficas S.A.

Afiinity Pet Care – Before and after neutering your cat.