Qual o gatinho doméstico não ficaria feliz em ganhar uma casa para gatos. É nela que ele vai exercitar seu esporte preferido: dormir. Assim, o conforto que você já oferece a ele seria bem maior dentro dela. E também sua segurança, claro. Sabe por quê?

Você tem um gato. Portanto, sabe que ele é independente; sabe também que, por outro lado, é preguiçoso. Lembra-se do famoso Garfield? A bem da verdade, a gente precisa te dizer que o comportamento do Garfield, o gato mais manhoso e inativo do mundo, não é assim tão comum entre os gatos.

Nem todos os gatos detestam as segundas-feiras ou adoram lasanha. Em princípio, nem são tão moleirões quanto o astro dos quadrinhos, mas a maioria é, sim, meio preguiçosa. A gente até diria que ”preguiça” não é o termo ideal, mas um certo instinto de ociosidade. Então, nada mais prático que providenciar um abrigo para seu gatinho.

Mas, que tipo de casa para gatos seria o ideal? Antes de a gente te responder a essa dúvida, veja motivos que devem te levar a optar por uma casinha para gatos.

Por que providenciar uma casa para gatos?

casa para gatos é confortável

Casa para gatos pode deixar o seu bichano mais feliz e aconchegado.

Elas existem há muitas décadas. Naquela época, era costume manter os pets fora de casa. O motivo era o ainda grande desconhecimento sobre comportamento e saúde animais.

Além disso, superstições, até mesmo infantis, afastavam os humanos desses pequenos e fantásticos seres. Sabia que ainda há gente que acha:

  • Que gato preto dá azar?
  • Que miados aparentemente fora de hora e uivos de cães antecipam morte certa?
  • Que gato agitado atrai tempestade?
  • Que latidos matinais fazem o dia inteiro ruim?

Saiba que, na China, mandar gatos pra rua é o mesmo que se livrar de azar momentâneo?

Com o tempo e avanço da inteligência humana e da medicina e psicologia veterinárias, o nocivo excesso de desconfiança foi dando lugar ao gostoso excesso de amor.

Assim, gatos, cães e outros bichos passaram a ocupar espaço dentro dos lares. E dos corações. E um espaço bem amplo, diga-se de passagem.

Portanto, por essas e outras é que você deve oferecer mais conforto para seu bichano. Assim, porque passaram muito tempo sendo humilhados por quase todo mundo, merecem uma casa para gatos.

Claro, existem outras razões.

Grau de Independência

A gente já comentou que gatos gostam de autonomia. Você já deve ter visto vídeos com cenas bem-humoradas sobre isso. Uma casa para gatos aumenta ainda mais essa sensação. Com toda certeza, seu gatinho vai se mostrar o mais alegre ser da face da Terra.

Conforto físico

É quesito claro. A gente até brinca dizendo que uma casa para gatos oferece dois níveis de conforto: excelente e super excelente. A depender do tipo, pode ser até ultra-mega-hiper excelente.

Privacidade

O sentido de independência mencionado acima resulta em necessidade de privacidade. Seja qual for a casa para gatos pela qual você optar, a privacidade vai no pacote.

Tipos de casinha para gatos

Assim como nós, humanos, pets em geral – e gatos em especial – desenvolvem relação intensa com seus “lares”. O sentido de territorialidade é um dos mais fortes elos dessa relação. Então, atente-se bastante aos requisitos que a gente te explica mais abaixo.

Em princípio, casa para gatos até parece mesmo apenas luxo. Entretanto, isso é só aparente. É utensílio que, além de melhorar o relacionamento com a família em si, representa muito para o pet, especialmente para aqueles que dormem fora de casa.

Não existem, diretamente, casa para gatos destinadas ao exterior ou ao interior nem para locais específicos. Mas a gente te sugere dar uma olhadinha nas seção “Dicas” abaixo, pois há vários tipos. Evidentemente, alguns podem ser melhores para determinados locais de sua casa.

De forma geral, a gente pode dividir as casas para gatos em dois grupos: tipos fabricados e tipos “faça você mesmo” ou “DIY”, ou seja, “do-it-yourself”.

Tipo “Faça você mesmo”

Exercite suas habilidades manuais construindo uma casinha de gatos para seu pet. Não se esqueça de avaliar muito bem principalmente os itens conforto, segurança e durabilidade. Lance mão de travesseiros, tapetes, carpetes, panos velhos etc.

Importante: se for pintar a casinha, faça experiência antes com o cheiro. Pode ser que seu gato seja alérgico.

  • Madeira (paletes e armação de cama velhos são muito bons para isso)
  • Papelão (embalagens de geladeiras, fogões cama etc. também)
  • Armação de arame revestida com plástico
  • Mala de viagem (acredite: uma leitora nossa fez uma casa muito confortável a partir de uma mala velha)
  • Tambores velhos (acredite também: outro leitor usou um tambor)
  • Vasos grandes (a gente pede que acredite nisso também, pois é verdade)

Além disso, você pode misturar os materiais acima e chegar à casa para gatos que imaginou. Uma leitora criativa enviou pra gente imagem de uma casinha feita de caixa de papelão e camiseta velha. Ela colocou a caixa pela abertura da cintura da camiseta e dispôs de maneira que o colarinho se transformasse na “portinha” da casinha.

Muito legal!

Tipos fabricados

Diversos materiais são usados na fabricação de casas para gatos. De polipropileno a plástico mais maleável, de madeira compensada a tecido. Atente-se obviamente ao material que melhor atender às necessidades do bichano e as suas próprias.

Seja qual for o material, há centenas de formatos que podem até mesmo surpreender você. Por isso, é muito difícil agrupá-los. Contudo, podemos dividir em três grupos amplos:

Tipo básico

Esse tipo é aquele bem simples. Consequentemente, barato. Pode ser em papelão resistente ou madeira. As linhas visuais são duras, normalmente retas, e as cores não são atraentes. Tem acesso lateral ou frontal simples. Disponível em tamanhos pequeno, médio e grande. Entretanto, não dispõe de variedade de formatos.

Portanto, as possibilidades de você adequar ao ambiente são mínimas, bem como os níveis de conforto e segurança.

Tipo Intermediário

É feito de partes em polipropileno e partes em madeira ou tecido. O visual é um pouco mais trabalhado, com linhas curvas contrastando com linhas retas. As cores são dispostas a criar harmonia com a própria peça e com o ambiente em que a casinha vai ser instalada.

Desta maneira, é possível oferecer tanto conforto e segurança em bom nível quanto optar também por beleza.

Interessante: O mercado dispõe atualmente de casinhas feitas de papelão que lembram monumentos conhecidos. Esfinge, Torre Eiffel, castelos indianos, templos religiosos e até mesmo o Parlamento Americano são retratados. Nesses casos, o visual plástico é contemplado com mais intensidade que o conforto propriamente dito.

Há vários outros formatos e tamanhos, não apenas os mais conhecidos. Os preços também variam, claro, de acordo com o visual, material e tamanho.

Tipo artístico

Diferente do tipo intermediário, o tipo artístico pode ser considerado obra de arquitetura e normalmente é feito sob encomenda. Sobrados, castelos, “apartamento duplex”, casa de fazenda, enfim, uma infinidade de visuais dos mais diversos.

Há até mesmo varandas acopladas e quintais (material plástico) com gramado e cerca. A criatividade não tem limites quando se trata de casinha para gatos artística.

Claro, nesses casos, você pode ter tanto conforto como segurança e, além de tudo, visual agradável na peça que adquirir. Afinal, como o próprio diz, trata-se de quase obras de arte. Diversos formatos, tamanhos e visuais estão à disposição.

Requisitos e dicas importantes

A casa para gatos deve obedecer alguns requisitos importantes.

A casa para gatos deve obedecer alguns requisitos importantes.

Você não pode comprar qualquer casinha para gatos pro seu bichano. Há certas características que precisam ser vistas e revistas. Algumas delas são associadas ao próprio gatinho; outras, a você, a sua família e à casa em si.

Em verdade, os requisitos como um todo formam um conjunto de informações para evitar arrependimentos futuros. E, veja bem, tanto quanto à casinha como quanto à relação com o bichano. A relação entre ele e a casinha deve ser tão bem embasada quanto a relação que ele tem com o lar de vocês.

Uma casinha para gatos mal planejada pode alterar o comportamento animal. Alguns instintos dele não exatamente ruins, mas pelo menos desajustados, podem aflorar. Um exemplo é hábito de “roubar” objetos do lar ou buscar na rua e levar para a casinha. Sua intenção é melhorar conforto.

Por outro lado, corre-se risco de ele adquirir hábitos que causem danos a sua saúde. Exemplo é acomodar-se dentro da casinha de maneira incorreta por falta de espaço. Ou excesso.

Portanto, é preciso bastante atenção.

Territorialidade

Gatos não são exatamente um “leão” em questões de domínio territorial; entretanto, lembre-se de que são parentes longínquos. Portanto, são da mesma família e, então, alguma parte do DNA dos gatos protege seu território.

Ademais, gatos têm grande poder de identificar cheiros; seu próprio vai permanecer na casa. Assim, o princípio do domínio de território é forte.

Então, casinha de gatos é para gatos apenas. Certo?

Segurança

Antes de adquirir a peça, avalie pontas perigosas – como pregos, parafusos ou rachaduras -, partes eventualmente soltas, tipo de material, peso etc. Esses itens podem oferecer perigo, ou desconforto no mínimo, tanto para os felinos quanto para seus familiares.

Proteção

Vise sempre a proteção do animalzinho, mas, igualmente, a dos familiares. Se o local de instalação for no interior do lar, evite que atrapalhe movimentação de crianças e idosos. Observe se partes razoavelmente danosas não vão ferir humanos na passagem ou mesmo o próprio animal.

Se a casinha for permanecer na varanda ou no quintal, instale de maneira que a entrada e a saída do animal esteja completamente livre. Como complemento, confirme se a casinha recebe ar e luz solar em intensidade ideal – nem que falte nem que sobre.

Tamanho

Certamente você já identificou que a casinha não pode ser pequena para seu gato. Porém, não pode também ser muito grande em relação a seu próprio tamanho. Especialistas alegam que o bichinho pode perder a noção de espaço ao longo do tempo.

Lembre-se de que gatos são meio preguiçosos. Portanto, gostam de se espreguiçar. Assim, atenção especial ao medir o gatinho para identificar o tamanho da casinha. Ah… e verifique se seu gatinho já atingiu o tamanho máximo da raça.

Manutenção

Como você já sabe e a gente comentou muito aqui, gatos são intensamente limpos. E querem que seu espaço também seja. Então, adquira uma casinha para gatos cuja manutenção seja fácil e rápida, incluindo manutenção de limpeza.

Interiores com muitas reentrâncias ou vincos e exteriores com desenhos em baixo ou alto relevo etc. vão desestimular sua família em manter a limpeza local. O acúmulo de poeira e microdetritos pode ser grande.

Visão exterior

Você vai precisar analisar o comportamento de seu gato. Identifique se seu caráter de explorador é intenso. Se for, adquira uma casinha que ofereça frestas com visão do exterior. Assim, ele não vai se sentir encurralado, preso.

Visual

Procure integrar a “arquitetura” da casa para gatos com a decoração do ambiente em que ela vai ficar mesmo que seja no exterior de sua casa. Cores, formatos, extensão etc. podem quebrar o visual que você considera agradável para seu lar. Dessa maneira, o gatinho pode até permanecer confortável e protegido, mas você não via ficar contente.

Então é isso! Casa para gatos são utensílios que certamente alteram o comportamento dos bichanos. Por consequência, sua relação com eles. Então, toda atenção.

Se você tiver alguma sugestão de construção de casinhas para gatos ou qualquer dúvida, deixe nos comentários abaixo ou envie mensagens para nossas equipes.