A astrologia tem um caranguejo como símbolos de um dos 12 signos. Você já se perguntou o por quê? O que um caranguejo tem a ver com análises astrológicas? Essa é uma das muitas informações que você vai ser neste artigo.

O caranguejo é bonitinho. E velho, muito velho. Há indícios fósseis que datam de 200 milhões de anos, ainda nos períodos jurássicos. Estudos indicam que o caranguejo passou por diversas fases até chegar ao que é hoje.

Um grupo de caranguejos é normalmente chamado de elenco. Pode haver elenco com algumas dezenas ou muitas centenas de indivíduos. Porém, há espécies que preferem a solidão a grupos de semelhantes.

As espécies que vivem em grupo colaboram com determinadas tarefas em comum, inclusive cuidados com a prole. E, de uma ou de outra maneira, há comunicação entre os elementos a partir de batidas que dão nas garras.

O caranguejo pede sua ajuda, pois muitas espécies estão em perigo. Os tipos guaiamum, ucá, o amarelo e algumas outras se encontram no Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Isso tem ocorrido por conta de invasão em áreas naturais por parte dos humanos.

O que é um caranguejo

O caranguejo é um crustáceo invertebrado.


É animal invertebrado, ou seja, não contém estrutura óssea. Pelo menos não interna, como vai ver abaixo. No Brasil, há diversos nomes que identificam esse crustáceo de comportamento estranho (você também vai ver mais sobre isso aqui). Uaçás, auçás e guaiás são alguns deles.

A ordem taxonômica é Brachyura, cuja característica é apresentar-se totalmente protegido por uma espécie de armadura óssea. Trata-se de exoesqueleto, ou seja, esqueleto externo. Ele é uma trama muito bem constituída de carbonato de cálcio e outros nutrientes.

Tem 10 patas (por isso é também classificado como decápode), duas delas são chamadas pinças porque dispõem de garras na extremidade nesse formato. Se você já sentiu uma dor insuportável produzida pela ação de uma tesoura, então você conhece a força que esse bichinho detém nessas pinças.

O desenho estrutural das pernas do bichinho o tornaria alvo constante de bullying se houvesse uma escola de caranguejos. Certos ossos pequeninos que funcionam como apoio dificultam passos para frente. Assim, eles caminham no sentido lateral de seu corpo.

Entretanto, algumas espécies conseguem se locomover para frente ou para trás e até mesmo nadar, se necessário. Isso apesar das dificuldades e, por isso, são lentos quando se deslocam nas laterais. Porém, curiosamente rápidos quando precisam correr pelas laterais.

Além disso, possui o que a zoologia chama de pleópode, membros de locomoção que saem diretamente do abdômen. Aliás, no caranguejo, o abdômen é inserido abaixo do tórax.

Interessante: eles podem recompor uma pata perdida. Se um acidente ou briga quaisquer provocarem a perda, o membro é reconstituído em 10 ou 12 meses. Para caranguejos briguentos, essa capacidade é mais que adequada.

Detalhes da estrutura orgânica do caranguejo

O caranguejo possui muitas características e detalhes na sua estrutura.


São muitos os detalhes que podem ser observados na estrutura do caranguejo, veja abaixo:

Os olhos

Em boa parte das 4500 espécies de caranguejo (muitos dizem haver mais 500 chamadas “falsas”), os olhos se localizam fora do corpo, em algo parecido com duas hastes. Dessa maneira, é capaz de observar tudo ao redor. Mesmo porque a retina e áreas próximas a ela são compostas por microlentes.

O corpo, em si, é plano, apesar de duro – arredondado nas fêmeas e meio oval nos machos. Assim, pode passar por fendas finas em busca de presas.

A respiração

Ele dispõe de guelras semelhantes às dos peixes, dependendo da espécie. Assim, assimilam oxigênio se estas se mantiverem umedecidas. Além disso, poucas das espécies são providas tanto de pulmão quanto de brânquias, o que lhes permite respirar sob dois processos diferentes.

Alimentação

Todas as espécies comem diversos tipos de alimentos, de plantas a animais, passando até mesmo por fungos. Ou seja, elas são onívoras. Algas, colônias de bactérias, moluscos, camarões (que, inclusive, são crustáceos também).

Havendo escassez forte de alimentos, o caranguejo não se faz de rogado. Ataca até mesmo carcaças de grandes animais em decomposição. Para ele, nesses períodos, tudo se parece como banquete.

Mastigação estomacal

Sim, o caranguejo é capaz disso. Sua boca é pequena e não muito forte (afinal, toda a força desse bichinho parece que a natureza fez se concentrar nas garras). Mas, claro, ele precisa de alguma estratégia para triturar os alimentos. O que ele faz?

Interessante: ele engole a matéria e mastiga diretamente no estômago. Este contém duas cavidades distintas. A primeira tem até mesmo dentes que moem os alimentos duros – inclusive conchas o rapazinho tritura. A segunda é o sistema digestivo propriamente dito.

Corpo

É dividido em várias partes. A particularidade do caranguejo é que seu tórax é fundido com o abdômen. Por isso, é chamado de cefalotórax.

É também a partir do formato do corpo que você distingue o macho da fêmea, como visto mais acima. Ela tem corpo arredondado; ele, mais estreito e meio comprido.

Câncer, cancro, caranguejo

O próprio nome do bichinho tem origem intrigante. Faz parte do vocabulário espanhol – cangrejo.

A palavra (câncer) em grego tem também a raíz de cancriculus que, por sua vez, significa pequeno cancro. Esta criou o termo em castelhano cangrejo. Daí o aportuguesamento para caranguejo. Entretanto, sabe-se lá por que da associação de cancro com caranguejo!

Onde está o caranguejo?

O caranguejo pode ser encontrado em toda parte do mundo, no mar e no mangue,


“Em qualquer lugar do mundo” é a melhor resposta para esta pergunta. Você encontra essa crustáceo em rios (água doce), em mares e oceanos (água salgada) e em terra (ou seja, até sem água).

Entretanto, você pode encontrar o caranguejo mais facilmente em águas rasas, seja no oceano ou no rio. Em terra, prefere áreas próximas a qualquer acúmulo de água.

Espécies de caranguejo

Há muitas espécies de caranguejo.


São muitas as espécies, como a gente já viu neste artigo. Mencioná-las aqui seria impossível. Assim, veja abaixo algumas delas e suas características principais.

Callinectes sapidus

Os nomes comuns são siritinga e siri-azul. Vive mais nas costas do Atlântico e no Golfo do México, em especial em toda a margem brasileira. Foi registrado em fins do século 19. Trutas, tubarões, enguias e outros peixes menores são seus predadores naturais. Pode ter até 15cm de uma extremidade da pata a outra.

Macrocheira kaempferi

Essa espécie já foi mencionada acima. Trata-se da maior entre todas, o caranguejo-aranha-gigante, também chamado caranguejo-aranha-japonês e caranguejo-de-pernas-longas. Pode chegar a 19kg. Está presente no Oceano Pacífico, em águas bem submersas, em especial no Mar do Japão.

Uca tangeri

Trata-se de espécie anfíbia de caranguejos, ou seja, vive parte da vida na água e parte em terra. Seus nomes populares são boca-cava-terra e boca-de-cavalete. Está mais presente nas costas da Europa e África.

Aratu

Pertence à família Sesarmidae ou Aratus pisonii. Popularmente, é o aratu-da-pedra ou aratu-marinheiro, além de ter outros nomes. Sua característica mais evidente é o hábito de subir em árvores localizadas nos mangues em que habita. É ali que se alimenta e acasala.

Trichodactylus

Seu habitat são águas doces em rios ou lagos. Pertence à família Trichodactylidae, mais conhecido como caranguejo-do-rio ou caranguejo-de-água-doce e, ainda, guaiaúna. Está em qualquer lugar do Brasil que contenha lago ou rio.

Caranguejola

Ou sapateira. O nome é engraçado, mas é um caranguejo. Vive mais na Europa. Pode ter até 25cm de comprimento somente no corpo. É espécie que não nada. Então, a pesca é feita a partir de armadilhas apostas nas margens de rios e lagos.

Ciclo de vida e processo reprodutivo

Estranhamente, o caranguejo usa o chamado feromônio para atrair parceiros em época de acasalamento – diz “estranhamente” porque essa química é estratégia usada mais por mamíferos.

A fêmea envia sinais químicos diretamente na água que são captados por machos. Caso mais de um os sinta, a briga é feia. O dominante se sexua com a fêmea depois disso.

Infelizmente, tanto fêmea como macho estão aptos à reprodução apenas com 2 ou 4 anos. Isso é muito tempo. Não é suficiente para reposição dos animais pescados ou mortos naturalmente. Isso significa que o risco de extinção de algumas espécie é forte.

O nascimento de caranguejos se dá por ovos, ou seja, ele é ovíparo. Há o ato do acasalamento para fecundação da fêmea. Enquanto embriões, permanecem no interior da fêmea; depois, ela expõe as larvas, que permanecem por duas semanas no fundo do mar antes de eclodir. A fêmea põe até 2000 ovos por fecundação (nota: algumas fontes alegam que a quantidade é infinitamente maior).

“Trocando de roupa”

Diversos estágios posteriores, o caranguejo está pronto para aventurar-se no ambiente. Num dos estágios, ele precisa se livrar da carapaça que o envolve porque esta não cresce junto com o organismo interno.

Dessa maneira, há pressão terrível contra as paredes internas da armadura. É nesse momento que o organismo começa a assimilar parte do cálcio do exoesqueleto e sair dele.

Interessante: depois, a própria pele gera enzimas suficientes que apartam o corpo interno do envoltório. Assim, inicia o processo de reconstrução de novo exoesqueleto, adaptado ao novo tamanho do organismo interno. Esse processo chama-se muda e dura algumas semanas.

No primeiro ano de vida, ele pode ter até 7 mudas; depois, troca o exoesqueleto entre 1 e 2 vezes por ano. Nos anos finais, esse processo não ocorre mais.

Nesse período, o indivíduo está completamente sujeito a ataques de predadores. São aves oportunistas, mamíferos como focas e guaxinins, peixe fortes o bastante para quebrar o casco, além de outros animais, predam caranguejos naturalmente.

Caranguejo vítima do homem

Claro, dentre esses outros animais, encontra-se o homem. De todos os crustáceos consumíveis por humanos, o caranguejo é o mais procurado, pois cerca de 25% de todos eles são desse bichinho que todos dizem ser muito saboroso. Isso é representativo de mais de 1,5 milhão de toneladas/ano.

Aliás, o tipo de caranguejo mais buscado por clientes de restaurantes é maior deles, o caranguejo-aranha japonês.

Importante: Lamentavelmente, uma ação “desumana” alimenta a voracidade dos humanos no consumo de caranguejos. Como você viu acima, suas garras podem ser reconstituídas quando perdidas. Assim, pescadores criminosos arrancam-nas e devolvem o animal vivo à água. Depois, vendem o produto normalmente a restaurantes no mundo inteiro.

Outro absurdo é o costume de se cozinhar o animal vivo. Isso se dá porque há crença popular que diz que ele não sente dor (talvez induzida pela dureza do exoesqueleto). Entretanto, estudos feitos em 2005 e atualizados recentemente declaram que ele reage a estímulos elétricos externos.

Um caranguejo pode viver até 100 anos. Mas, claro, depende da espécie. O caranguejo azul, por exemplo, tem ciclo de vida entre 8 e 10 anos; já o caranguejo-aranha, espécie japonesa, pode chegar a um século de vida.

Além disso, outro fator que interfere na longevidade é o ambiental. Caranguejo que vive em ambiente com excesso de predador não passa de poucos anos de vida. Já os domesticados, tidos como de estimação, certamente têm sobrevida considerável.

Tamanho do caranguejo

Tanto quanto a longevidade, o tamanho também depende da espécie. O Pinnotheres pisum, por exemplo, tem no máximo 13mm – isso é do tamanho de uma unha. Mas o caranguejo-aranha (Macrocheira kaempferi) tem quase 6m de garra a garra – sim, 6 metros.

O caranguejo na astrologia

O caranguejo também está representado na astrologia.


Ele realmente está presente na astrologia. E na astronomia também. Em verdade, trata-se do quarto signo, o de câncer, que é representando pela imagem de um caranguejo. Em verdade, as pinças de um caranguejo. A inclusão da constelação do caranguejo nesses estudos – um esotérico e ou científico – deve-se à mitologia grega.

Hércules, semideus cuja força era descomunal, recebeu a incumbência de desenvolver 12 trabalhos como castigo após ser julgado pelo rei de Micenas, Euristeu, por ter matado a esposa Mégara e seus filhos.

Isso se deu por que Hera, esposa de Zeus, o odiava e acabou deixando-o louco. Ela o odiava porque Hércules era prova cabal da infidelidade do marido, que era pai de Hércules com Alcmena.

Hércules demonstrava todo seu poder se desincumbindo das tarefas. Uma delas era matar Hidra de Lerna, ser maléfico com 9 cabeças que destruía tudo que via pela frente e que tinha capacidade de refazer partes perdidas do corpo. Então, Hera enviou um caranguejo gigante a fim de atrapalhar o êxito do rapaz.

Entretanto, a estratégia não vingou. Hércules derrotou a HIdra com ajuda de Jolau, seu sobrinho. Depois disso, o semideus matou o caranguejo esmagando-o com os próprios pés, mas não sem antes precisar lutar muito contra o enorme bicho.

Como homenagem ao crustáceo que lutou contra Hércules de maneira hercúlea, Hera resolveu mandar criar uma constelação com aparência do animalzinho.

Já para a astronomia, a constelação do caranguejo possui o aglomerado estelar M44. Este é chamado de Presépio (ou Colméia ou ainda Manjedoura). Pode ser avistado mesmo por binóculo em noites escuras.

Um caranguejo para admirar

Como foi visto, o caranguejo é crustáceo cujas curiosidades são inúmeras. E há muito mais ainda. Então, no caso de você precisar de mais informações, exponha-as em mensagens para nossas equipes ou deixe no campo de comentários abaixo.

Por Serg Smigg

Serg Smigg é jornalista, redator, revisor e analista textual, além de roteirista e escritor. Extremo defensor das causas animais, cria seus textos apresentando conceitos claros sobre a importância desses para a humanidade e caminhos para sejam cada vez mais respeitados. A paralelo, ministra palestras inspiracionais corporativas na área de comunicação interna, externa e interpessoal social. Oferece dicas de gramática e expressividade em seu site smiggcomcorp.wordpress.com.

Deixe uma resposta