in , ,

Caixa de areia para pets: dicas e manutenção

caixa de areia para pets

O hábito de enterrar fezes está associado a gatos no imaginário popular. “Então, caixas de areia não servem para cachorros”, diz boa parte dos donos e apreciadores pets.

Contudo, caixa de areia não se destina exclusivamente ao ato de enterrar dejetos. Entretanto, não é bem assim. Esse utilíssimo utensílio se destina tanto a gatos quanto a cães.

Certo, mais para gatos, claro, pois enterrar dejetos já é instintivo deles. Contudo, cães também aprendem a usar a caixa de areia. E aprendem rapidamente, dependendo do tipo de instrução que recebe. Aliás, a gente deixa algumas dicas de como instruir seu cãozinho – ou cãozão – a usar a caixa de areia.

Aliás, caixa de areia serve – e serve muito bem – a não apenas cães e gatos, mas a outras espécies de animal doméstico. Há leitores nossos que adestraram tartarugas e hamsters a irem ao reservado. Então, este artigo fala de caixa de areia como um todo. Ok?

Bem, a palavra areia é exemplificação. Trata-se de continuidade de uso desde as primeiras caixas de areia feitas para pets. Isso significa que a “areia” é especial para pets e, ainda, nem sempre é “areia” mesmo, como você vai notar abaixo.

Aliás, um adendo: a mania de enterrar dejetos vem dos ancestrais felinos. Faziam isso para despistar pedradores.

Por que oferecer caixa de areia ao pet

Em muitos artigos aqui em nosso site, comenta-se sobre comportamento dos pets, em especial cães e gatos. Fala-se muito sobre como gostam de limpeza de maneira geral. Bem, é ruim observar isso, mas é importante: pets que não se preocupam com limpeza ou não foram bem treinados ou apenas refletem o comportamento de seus donos.

Neste caso, manter caixa de areia à disposição deles é atender a seus instintos naturais. Além disso, esse objeto auxilia na manutenção da saúde orgânica, bem-estar emocional e comportamento dos pets. Por outro lado, ainda auxilia também na manutenção da higiene da casa.

Porém, não é aconselhável simplesmente colocar a caixa de areia em algum lugar. Há detalhes que precisam ser observados para facilitar a vida dos pets. E a sua também.

Por exemplo: a caixa de areia deve estar sempre limpa. Caso contrário, eles vão procurar outro local para evacuar.

Tipos de caixa de areia

Há vários tipos de caixa de areia para pets em geral.
Há vários tipos de caixa de areia para pets em geral.

Esse fator está mais associado ao tipo de material no interior da caixa de areia que propriamente à caixa em si. Há aquelas com areia mesmo, outras com pedrinhas e ainda outras com materiais dos mais diversos.

Como a gente comentou acima, a caixa de areia deve ser atraente para os pets e não apenas para os proprietários. E como a gente já comentou em outros artigos, animais domésticos têm sua individualidade. Nesse caso, é conveniente que você teste o material do interior da caixa. Ele até é bom para você, mas o pet é que vai usar, não é?

  • Areia granulada: claro, é o tipo que dá nome ao utensílio e foi o primeiro a ser usado. É o tipo mais barato e comum. Porém, a eficiência no quesito absorção de odor não é muito interessante
  • Areia sílica: o tempo de uso é o fator mais atraente, pois pode ser trocada com mais ou menos 30 dias. Além disso, disfarça bem os odores e torna a retirada dos dejetos bastante fácil
  • Serragem: é o tipo bastante recomendado. Apresenta boa durabilidade e eficiência na absorção de odores
  • Pedrinhas especiais: é mais usada no quintal ou varanda, pois pode apanhar chuva e sereno. Não acumula líquido. Mesmo no interior do ambiente, é capaz de disfarçar mais o odor que a areia granulada

Importante: pets – qualquer espécie e raça – são, claro, seres vivos. Como tal, podem ter reações. Assim, antes de adquirir ou construir caixa de areia, faça testes com os produtos que vão ter contato com eles. Há riscos de adquirir inclusive alergia com efeitos respiratórios ou comportamentais.

Formatos de caixa de areia

O formato da caixa de areia é importante.
O formato da caixa de areia é importante.

Depois que eles registrarem o local onde está a caixa, eles vão aprender a enterrar os dejetos. E quase não é necessário ensinar isso; é automático na maioria dos pets. Então preocupe-se em adquirir ou construir caixa de areia com laterais altas. Assim, a areia não vai se espalhar pela casa ou quintal.

Além disso e quase obviamente, o tamanho é outro fator importante. Caixa de areia inadequada ao tamanho do pet vai comprometer a eficiência do utensílio. Se muito maiores que eles, tornam-se local de repouso; se menores, tornam-se não atraentes.

Assim, especialistas dizem que o ideal é caixa de areia duas vezes maior que o comprimento do animal. Então, eles reconhecem o local como exclusivo para dejetos e, ao mesmo tempo, dispõem de espaço para movimentação.

Gatos normalmente preferem caixas de areia cobertas. Suas necessidades de privacidade são mais intensas. Já os cães, dizem os especialistas, não fazem questão e até preferem as não cobertas.

Quantidade de material

Seja qual for o material pelo qual você (e seu pet) optar, a altura da camada é importante. Como você sabe, gatos gostam de escavar. E cães aprendem a fazê-lo. Nesse contexto, ambos vão querer enterrar os dejetos.

Então, avalie o tamanho e a ansiedade de seu pet. Isso é conveniente para identificar a altura ideal da camada de material. Se muito baixa, eles vão rejeitar a caixa de areia.

Localização da caixa de areia

A caixa de areia deve ficar longe de onde o cachorro e o gato dormem.
A caixa de areia deve ficar longe de onde o cachorro e o gato dormem.

A gente alerta novamente: cães e gatos não gostam de repousar ou se alimentar perto de onde excretam. Seus olfatos são apuradíssimos e o odor interfere no comportamento. Assim, mantenha a caixa de areia distante. O adequado é que nem esteja à vista deles quando estiverem se alimentando ou repousando.

Fixe bem a caixa de areia

Não é agradável aos bichanos e cãezinhos ficarem se equilibrando em caixa de areia. Assim, apoie bem a base de maneira que não fique em falso. Se isso ocorrer, eles certamente não vão se habituar a usá-la.

Higienização e manutenção

É certamente a operação mais incômoda para os proprietários, mas altamente eficiente para os pets. Acúmulo de urina ou de fezes é desestimulante para os animaizinhos. Você vai perceber que, ainda que seja apenas odor de urina – ou seja, dejeto não visível -, incomoda e reflete diretamente no comportamento do bichinho.

Recolha as fezes sempre que ele usar a caixa de areia. Quanto à urina, retire o tufo de material infestado. Ainda que não seja visível, exala odores e o pet vai se ressentir disso. Ainda, você precisa repor o material retirado.

A cada 15 ou 20 dias, troque todo o material de uma vez. Assim, o cheiro da urina que acabou descendo para o fundo da caixa de areia será totalmente eliminado. Já a caixa em si deve ser lavada mensalmente havendo ou não cheiros.

Alguns criadores preferem fazer os dois procedimentos acima (troca de areia e lavagem total) em 7 dias e 15 dias respectivamente. Dependendo da quantidade de vezes que o pet usa a caixa de areia, isso é mesmo necessário.

Adestre seu pet quanto à caixa de areia

Se você colocar a caixa de areia em algum lugar e não fizer mais nada, seu pet pode até descobrir o porquê de ela estar ali. E começar a usar. Entretanto, isso vai demorar mais que o esperado. E a maneira como ele usar talvez não seja adequada.

Interessante: quando você consegue adestrar seu pet a usar a caixa de areia, identifica seu nível de inteligência e, assim, você próprio se incentiva a ensinar outras ações. Então, sua relação com seu animal se torna ainda mais prazerosa, eficiente e saudável.

Dessa maneira, o ideal é que você o instrua a usar. Veja como.

Associação de situações

Toda vez que você pressentir que seu pet vai se aliviar, leve-o à caixa de areia. Aliás, você também vai ser, digamos, adestrado quanto a isso. Vai descobrir trejeitos e postura de seu pet que indicam que ele precisa ir ao reservado. Então, leve-o lá.

Por exemplo: há raças – e indivíduos – que costumam evacuar entre 30 e 40 minutos após as refeições; outras raças, precisam de muito mais tempo. Há indivíduos que passam a cheirar determinado local o chão.

Mesmo que, em algumas vezes, seja alarme falso, não há problemas. Ele vai começar a associar uma coisa com a outra. Contudo, tenha paciência. Nas primeiras vezes, seu pet vai necessitar de muito tempo.

Associação com palavras

Especialistas afirmam que animais não reconhecem o significado das palavras. Isso parece óbvio até mesmo para o mais leigo dos leigos. O que eles conhecem, identificam e avaliam é o tom da voz do adestrador.

Então, não importa que palavra você vai usar para que seu pet associe com o ato de evacuar na caixa de areia. Todavia, deve ser sempre a mesma palavra. Use-a toda vez que começar a acompanhá-lo ao local da caixa.

Importante: seja paciente e demonstre isso. Brigar, ralhar ou demonstrar irritação vai apenas aumentar o tempo até que se habitue.

Local errado

Se você flagrar seu pet evacuando em outro local, brinque com ele, mas o leve até a caixa de areia e aponte-a. Assim, ele não vai se traumatizar com broncas e ainda vai identificar sua ordem.

Comemore

Por outro lado, sempre que ele fizer suas necessidades na caixa de areia, alegre-se (seu pet se alegra com sua alegria). Faça festinhas, brinque com ele. Assim, a associação entre as sessões de evacuação e sua alegria se torna praticamente automática.

Sessão FVM – Faça Você Mesmo

Muitos biólogos e criadores voltados à manutenção do meio ambiente desaconselham uso de areia industrializada. Segundo estes, tais produtos – ou a maioria deles – são nocivos à natureza quando descartados porque contêm produtos químicos. Também por conta do material plástico de que a caixa em si é feita.

Então, eles sugerem que você mesmo construa a caixa de areia para seus pets. Não é difícil e você ainda vai exercitar seu lado marceneiro, artesão e até engenheiro, não é mesmo?

Use madeiras, caixas plásticas velhas anteriormente usadas para outros fins – como baú de roupa suja ou sapateiras. Assim, não vão parar na natureza. Corte no formato e tamanho ideal para seu pet. Encha com areia média (a fina gruda nas patinhas e a grossa não absorve odores adequadamente).

Há proprietários que usaram bolinhas de isopor e a coisa deu certo. Teste com seu pet. Talvez funcione.

FVM funcional

Depois, pinte na cor de sua preferência. Alguns leitores nossos, mais artísticos, chegaram a desenhar figuras de gatinhos e cãezinhos nas laterais. Outros instalaram madeiras que fazem a função de postes.

Interessante: ao usar areia comum, é importante que seja peneirada a fim de separar eventuais resíduos estranhos. Além disso, jogue certa quantidade de bicarbonato no fundo da caixa antes de despejar a areia. Isso ajuda muito a eliminar mau cheiro.

FVM prático e agradável ao pet

Vários leitores nossos informaram que a mistura de pão duro ralado com areia peneirada é excelente opção. A “farinha de pão” retém umidade e cheiros ainda mais eficazmente que outros produtos.

Pois então! Você deve já ter tido alguma experiência com caixa de areia para seu pet. Transmita seu conhecimento na área de comentários abaixo. Isso torna nossos artigos ainda mais ricos e competentes.

Serg Smigg

Written by Serg Smigg

Serg Smigg é jornalista, redator, revisor e analista textual, além de roteirista e escritor. Extremo defensor das causas animais, cria seus textos apresentando conceitos claros sobre a importância desses para a humanidade e caminhos para sejam cada vez mais respeitados.
A paralelo, ministra palestras inspiracionais corporativas na área de comunicação interna, externa e interpessoal social. Oferece dicas de gramática e expressividade em seu site smiggcomcorp.wordpress.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

bicho preguiça

Bicho preguiça: Habitat e Curiosidades

tapete higiênico para pets

Tapete higiênico: tudo o que você precisa saber