Cães e gatos são animais domésticos, por isso não podem ter acesso livre às ruas e locais públicos, quando bem quiserem e sem a supervisão do dono, mesmo dentro de condomínios. Isso não quer dizer também que devam viver trancados dentro de casa, sem acesso à áreas externas, como jardim, quintal ou varanda.

O problema é que por terem sido domesticados, por mais que tenham conservado seus instintos, não são mais capazes de sobreviver aos perigos do mundo “selvagem” lá fora. Na verdade, quando se opta por ter um animal de estimação, supõem-se que você deve tomar todos os cuidados necessários para manter a integridade e o bem estar desse animal.

Isso significa que você deve mantê-lo seguro e saudável dentro e fora de casa, principalmente os gatos, que costumam dar suas escapadas noturnas. Sem supervisão e a segurança necessárias, eles podem fugir para a rua, se envolver em acidentes ou brigas com outros animais, ingerir coisas que não devem e até cruzar indevidamente, caso não sejam castrados.

Mesmo em casa, se você não tomar certas medidas de segurança eles podem se acidentar, se envenenar, engolir objetos ou adquirir doenças. Portanto, se você ama o seu animal de estimação e preza pela saúde e bem estar dele, entenda porque você deve mantê-los seguros dentro de casa e fora das ruas!

Confira abaixo!

Cães e gatos de rua morrem mais cedo!

Cães e gatos que vivem na rua correm o risco de morrer mais cedo.

Os cães e gatos vivem mais seguros e por muito mais tempo se os perigos de vaguear livremente por aí forem eliminados. Uma vida exclusivamente “indoors” ou mais restrita ao lado de fora, isto é, às ruas, diminui ou até impede totalmente a chance de muitas causas comuns de traumas com riscos de vida.

Um dos maiores e mais significantes riscos é ser ferido ou morto por atropelamento de veículos, especialmente se o animal for ainda jovem demais para ter aprendido sobre os perigos do trânsito nas ruas, seja ele um cão ou um gato.

No caso dos gatos, os cães abandonados nas ruas também podem ser um risco proeminente, e eles podem fazer grandes estragos se pegarem um menos esperto para fugir deles. Os cães também não estão a salvo. Cães maiores e mais violentos podem atacar cachorros inocentes, nada acostumado às “leis dos cães de rua”.

Cães e gatos machos, por exemplo, principalmente os que não foram castrados são mais territoriais e agressivos, por isso costumam brigar entre si. Quando brigam podem ser infectados por doenças virais perigosas e outras bactérias através do contato com a saliva e o sangue desses animais.

Outros animais, como cobras venenosas, ratos, lagartos, porco-espinhos, dependendo da área onde você mora também podem apresentar perigo. Além disso, se o seu gato costuma caçar ratos, ele pode acabar ficando envenenado pelos venenos ingeridos por eles.

Mas proibir o contato com o meio externo não é prejudicial?

Optar pelo convívio dentro de casa não é crueldade com o animal, desde que forneça os cuidados necessários.

Na verdade, os cães nunca deveriam sair de casa sozinhos ou sem supervisão, muito menos sem coleira e guia. Obviamente, nas grandes cidades isso não acontece, à não ser que ele escape sem o seu consentimento.

No entanto, em áreas rurais, praias e condomínios é muito comum os donos deixarem seus cachorros mais livres, com entradas e saídas da casa liberadas para irem e virem quando querem.

O mesmo acontece com os gatos. À não ser que você more em apartamento em uma grande cidade, muitos gatos têm passagem livre para as ruas, principalmente de noite. Mas na verdade, nem cães e gatos deveriam fazer isso.

Eles podem ser totalmente felizes vivendo dentro de casa – desde que os passeios sejam frequentes, caso não haja uma área externa para eles em casa. No caso dos gatos essa restrição é mais difícil, pois eles escalam muros, pulam portões e cercas e sobem em telhados.

Mas os tutores devem se esforçar para fornecer o que for preciso para as suas necessidades ambientais e comportamentais. Quando isso não acontece, especialmente em relação às necessidades físicas, como local adequado para comer e se aliviar, isso pode acarretar em uma série de problemas de saúde e bem estar, como obesidade e doenças relacionadas, problemas de comportamento e distúrbios do trato urinário.

No caso dos gatos, os cuidados são ainda maiores

Os gatos, por exemplo, são muito exigentes em relação ao local onde fazem suas necessidades. Eles não utilizam nem o mesmo local que outro gato possa ter usado, diferente dos cachorros que demarcam o território com a urina. Os gatos também não gostam de comer próximo ao local onde costumam fazer suas necessidades.

Portanto, é necessário providenciar caixas de areia separadas e nunca colocar seus potes de comida no mesmo local. Além disso, eles gostam de escolher, por isso é preciso até mais de uma caixa de areia.

Assim como com os cachorros, problemas em relação ao bem estar também podem surgir se os gatos não poderem saciar seus instintos e comportamentos naturais. Enquanto os cachorros podem brincar com seus donos e passear na coleira, os gatos são mais individualistas e adoram pular e escalar, assim como afiar as garras.

Por isso que eles gostam de dar as suas escapadinhas por aí. Assim, você terá que providenciar oportunidades para ele desempenhar essas atividades mesmo dentro de casa, com uma série de brinquedos para gatos.

O mesmo para os cachorros, eles devem ter local próprio para dormir, comer e se aliviar, assim como brinquedos para se entreter enquanto dentro de casa.

Agora que você entendeu que cães e gatos estão mais seguros dentro de casa, veja o que você fazer para tornar o local um lugar mais feliz para eles, mesmo morando em um apartamento pequeno.

Medidas para hábitos de limpeza e alimentação para cães e gatos

Cães e gatos devem ter seus locais próprios de higiene e alimentação.

Como dissemos os cães e gatos precisam ter seus hábitos de limpeza e alimentação respeitados. E para isso, é preciso providenciar locais específicos para que eles possam se alimentar de forma adequada,a ssim como fazer suas necessidades, principalmente se ficarem dentro de casa. Veja abaixo o que pode ser feito à respeito:

  • Os cachorros devem ter seus próprios locais para fazer suas necessidades, caso não haja um local externo, os horários de saída devem ser respeitados ou você pode usar um tapete higiênico;
  • Os gatos exigem uma caixa de areia própria e individual para cada um e mais uma extra (para ter escolha), em diferentes localizações e em áreas reservadas da casa. Deixe uma coberta (para privacidade) e a outra aberta, eles gostam de variar;
  • As fezes e urina devem ser recolhidas e o local limpo todos os dias no caso dos cachorros; já a areia dos gatos deve ser limpa, pelo menos, duas vezes por dia e a troca da areia deve ser feita uma vez por semana;
  • Escove-os regularmente, eles adoram o carinho e a massagem, além de ser bom para os pelos e prevenir nós, embaraços e diminuir a queda de pelos;
  • Considere fornecer de vez em quando alimento natural e cru para eles, a carne crua exige a mastigação diferente, massageia as gengivas e fornece uma sensação possessão, principalmente para os gatos que adoram caçar.

Medidas para organizar o espaço para cães e gatos

Cães e gatos precisam de um local aconchegante para conviver.

Criar um espaço de convívio para o animal também é importante para que ele também se sinta como parte integrante da casa. Eles precisam se sentir confortáveis, além de ter seus próprios espaços na casa para se retirarem quando preciso.

Veja o que você pode fazer para tornar esse convívio mais aconchegante para eles:

Brinquedos e espaço para brincar

O ideal é que os cachorros tenham espaço para se exercitar e brincar, além de alguns brinquedos para se entreter, independente do tamanho deles. Cada raça vai exigir uma atividade ou brinquedo mais adequado ao porte, o importante é seguir essa indicação.

Cachorros também precisam de um cantinho para relaxar só deles, mesmo que tire sonecas em outros locais casa. Providencie uma caminha de cachorro ou casinha, uma almofada, cobertor ou algo que ele se identifique para se isolar quando quiserem.

Gatos precisam mais de espaço vertical que horizontal, diferente dos cachorros. Por isso, pense em objetos pela casa em que eles possam subir e escalar, como escadas, nichos, estantes ou até os brinquedos de gatos com múltiplos andares.

No caso dos gatos, as torres de arranhar e afiar as unhas são excelentes para sanar esses instintos e deixá-los longe dos seus móveis. Há inúmeros playgrounds modulares com vários espaços diferentes para essas atividades.

Uma vista para apreciar o mundo lá fora

Da mesma forma que alguns cachorros adoram um portão com grades ou um muro baixo para olhar por cima, os gatos gostam de janelas. Providencie formas para que eles possam observar o movimento na rua, mas de forma segura.

Local de reclusão

Assim como os cachorros, os gatos também gostam de locais reclusos para relaxar. Eles adoram se esconder. Espalhe pela casa, cestos e nichos, em diferentes alturas para eles entrarem e saírem quando tiverem vontade.

Um ambiente mais quentinho

Alguns cachorros sentem mais frio que outros, assim como os gatos que possuem uma temperatura corporal mais alta, por isso adoram locais quentinhos. Defina locais para eles ficarem onde a temperatura é mais quente, principalmente no inverno.

Mantenha o local seguro

Para que eles não fujam para a rua, o local deve ser fechado de forma segura. No caso dos cachorros que possuem uma área externa, os portões e muros devem ser seguros o suficiente para que eles não escapem, principalmente por entre as grades, por cima ou por baixo. Isso porque algumas raças podem saltar e cavar.

Já no caso dos gatos é mais complicado mantê-los dentro de casa quando há áreas externas. Os acessos devem ficar fechados com portas. Em caso de apartamentos com varandas, elas devem ter telas de segurança, incluindo as janelas.

Medidas para manter cães e gatos entretidos

Cães e gatos precisam se entreter quando estão sozinhos.

Da mesma forma que você deve criar um ambiente mais aconchegante e convidativo para cães e gatos dentro de casa, eles devem ter também formas de se entreter, principalmente quando você não estiver em casa ou se você costuma ficar fora com frequência.

Veja o que você pode fazer para entreter cães e gatos quando eles estiverem sozinhos em casa:

  • A quantidade de cães e gatos ideal dentro de casa é de um ou dois, pois um faz companhia para o outro, mais que isso pode haver problema para que eles convivam em paz;
  • Os brinquedos podem fornecer entretenimento, diversão e gasto de energia com exercícios. E eles não precisam ser caros e podem ser feitos de diversos materiais recicláveis. Apenas fique atento ao tamanho deles para evitar acidentes;
  • Comedouro quebra-cabeças são desafiadores e podem funcionar por algumas horas;
  • Quando estiver em casa, reserve um tempo para brincar com eles e entretê-los de alguma forma;

Medidas para manter cães e gatos seguros em casa

Há várias formas de manter cães e gatos seguros em casa.

Uma das formas mais simples de manter os cães e gatos seguros dentro de casa, principalmente na sua ausência, é aproveitar para fazer uma limpeza geral se livrando de objetos e coisas acumuladas em casa.

Muitos desses objetos e coisas espalhadas podem machucá-los ou causar acidentes, como remédios e alimentos vencidos, brinquedos quebrados, utensílios danificados, etc.

Portanto, aproveite para consertar, jogar fora ou substituir as coisas que normalmente ficam ao alcance deles para que eles possam ficar pela casa em segurança. Não esqueça de tomar as medidas necessárias para estar em dia com os cuidados básicos necessários que todo animal precisa.

Veja só:

Não deixe de castrá-los

A castração de cães e castração de gatos são essenciais para manter a saúde e segurança deles, principalmente se você tem machos e fêmeas em casa. Não apenas para evitar a reprodução descontrolada, mas também para diminuir comportamentos agressivos, riscos de cânceres, entre outros problemas. E se eles fugirem, pelo menos não vão correr o risco de deixarem filhotes por aí nas ruas.

Se for preciso, adestre!

Se o seu animal ainda não se comporta bem em casa e toda vez que você sai, quando volta tem desagradáveis surpresas, talvez seja a hora de investir em alguns métodos de adestramento extra.

Vários especialistas possuem programas de adestramentos específicos para cada comportamento e podem corrigir facilmente o problema. Há até algumas “escolinhas” de cachorro para que eles aprendam a se comportar em casa sozinhos ou na presença de estranhos – como não destruir objetos, não pular nas pessoas, latir sem necessidade, etc.

Mantenha as vacinas em dia

As vacinas devem estar em dia sempre, mesmo que algumas doenças sejam raras e ele não tenha contato com o mundo externo ou outros cachorros. Muitas delas são fatais, como a raiva. Já parvovirose e cinomose são mais prevalentes e precisam ser controladas. Há também vacinas de gripe canina, influenza H3N2, coronavírus, entre outras.

Evite envenenamentos por substâncias tóxicas

Os envenenamentos são muito comuns dentro de casa, pois os animais são muito curiosos e adoram xeretar no lixo ou outros lugares que tenham acesso. Portanto, restrinja o acesso deles à armários ou outros locais onde eles possam ingerir o que não devem.

Há cachorros muito comilões que engolem até objetos, mastigam plantas, viram lixo e abrem armários e geladeiras – basta ter um “cheirinho” interessante. Há vários alimentos que podem ser venenosos, como o chocolate para cachorro, por exemplo.

Enquanto os gatos são mais cuidadosos quanto ao que comem, eles podem entrar em contato com algumas plantas que podem ser tóxicas também, como comigo-ninguém-pode e algumas espécies de lírios. Muitas partes das plantas podem ser altamente tóxicas, como pólen, flores, caules, folhas e até a água dos pratinhos.

Os sinais mais comuns de envenenamento no animal podem incluir: babar, vômito, negar comida, letargia e depressão. Se você suspeitar que o seu animal ingeriu algo tóxico, vá ao veterinário imediatamente.

Evite usar comedouros e bebedouros plásticos

Embora os utensílios de plástico, como comedouros e bebedouros sejam baratos e fáceis de limpar, alguns modelos podem ser mais difíceis de limpar que outros materiais, além de racharem e quebrarem mais facilmente, aumentando o risco de acidentes e acúmulo de bactérias.

O plástico é mais fácil de mastigar, e algumas raças adora carregar seus pratinhos pela casa, mordendo as bordas até destruírem tudo. O problema é que algumas partes podem ser pontiagudas, podendo machucar as gengivas ou coisa mais séria se eles engolirem pedaços.

Outros materiais também podem soltar substâncias tóxicas nocivas à saúde. Portanto, jogue fora todos os utensílios danificados e substitua por outros mais resistentes e atóxicos, caso seu animal tenha essa “mania de destruição”. Opte por materiais mais seguros como aço inoxidável ou silicone.

Jogue fora brinquedos velhos e destruídos

É normal cães e gatos terem seus brinquedos favoritos, mas com o tempo de uso eles podem danificar e ficarem gastos. Alguns brinquedos podem ser lavados e higienizados, mas depois de um longo tempo eles não devem mais ser utilizados. Dê uma geral para ver o estado desses brinquedos e jogue fora os que não prestam mais para evitar acidentes.

Limpe a caixa de medicamentos

Com sorte o seu cachorro não fica tantas vezes doente. Mas uma vez ou outra ele deve ter tido alguma infecção no ouvido, problema ocular ou alergia na pele. Dessa forma, é muito provável que você tenha medicamentos guardados.

Além de mantê-los sempre fora do alcance dos animais e crianças na casa. Aproveite para dar uma geral na caixa de medicamentos e jogue fora todos os que venceram e não prestam mais.

Enquanto isso, faça uma lista dos remédios comuns ou itens de kit de primeiros socorros que precisam ser substituídos. É essencial ter itens de emergências em casa, como ataduras, tesourinhas, material de limpeza de machucados, etc.

Organize os alimentos

Se você costuma abastecer a casa com guloseimas para cães e gatos para ocasiões especiais e pequenas recompensas no dia a dia, aproveite para dar uma geral e fazer uma limpeza, verificando validades e jogando fora o que não presta mais.

Alimentos que ficam guardados por muito tempo, principalmente quando já foram abertos, mesmo que na validade, perdem nutrientes e seus preservativos, podendo até ficar contaminados por mofo e bactérias.

Aproveite também para dar uma geral nos alimentos consumidos por eles. Os cachorros, por exemplo, não devem ingerir grandes quantidades de milho e açúcar presentes na maioria das rações comerciais de baixa qualidade. Esses ingredientes apenas enchem a barriga do animal sem fornecer os nutrientes necessários.

Dê preferência a ração para cachorro mais nutritiva com mais proteína na composição, dando atenção aos alimentos de fonte animal duvidosa, pois podem ser qualquer coisa, menos proteína de qualidade. O principal ingrediente em uma ração para gatos ou cachorro deve ser a proteína animal de qualidade.

Faça a manutenção dos equipamentos

Se você costuma fazer a manutenção do seu animal de estimação em casa, você mesmo, aproveite para checar todos esses equipamentos, como máquina de tosa, pentes, escovas, tesouras, cortadores de unhas, etc.

Esses utensílios também ficam velhos com o tempo de uso, principalmente os que possuem lâminas, que podem ficar cegas e machucar o animal no processo. Caso essa manutenção já seja estressante para ele, você não vai querer que seja doloroso também né, só pra piorar?

Troque as camas e almofadas

Uma cama ou almofada pode levar tempo até que o animal se acostume com elas. A maioria dos cães e gatos gostam do cheiro de seus pertences, principalmente da cama, almofada ou cobertor que dormem, por ser confortante.

Mas se esses objetos estiverem caindo aos pedaços, mastigados e rasgados, algumas partes podem ser ingeridas causando problemas digestivos ou bloquear e obstruir passagens, causando maiores danos à saúde do animal.

Por isso, uma hora será inevitável trocar os seus pertences. Para fazer com que o ajuste aos novos objetos seja mais rápido, tente usar recompensas e “cheiros” de outros objetos familiares deles.

Conserte ou troque portões/cercas

Se você tem portões e divisórias pela casa para limitar o acesso de cães a algumas áreas, observe se tudo está em ordem, sem partes faltando ou parafusos soltos. Faça o mesmo com as caixas de transporte animal.

Travas defeituosas podem não funcionar mais e não fechar direito, fios soltos e peças de plástico quebradas podem ser afiadas e zíperes ou rasgos no tecido podem ser engolidos e asfixiar o animal.

Se for o caso, conserte ou substitua por um novo, principalmente se depois de inspecionar você verificar algo perigoso.

Substitua coleiras e identificações

Com o tempo, as identificações (plaquinhas) na coleira ficam envelhecidas, difíceis de ler o que está escrito. Muitas vezes a informação de contato nem está atualizada. Mesmo fazendo de tudo para eles ficarem seguros em casa, cães e gatos podem escapar quando se menos espera.

Se essa informação não estiver adequada, pode dificultar bastante conseguir trazê-lo de volta para casa. Por isso, aproveite para atualizar as plaquinhas, com informações atuais e legíveis.

Enquanto faz isso, inspecione as coleiras e guias, talvez seja a hora de substituí-las por uma nova também, caso já estejam gastas, cheias de nós ou rasgos. Coleiras danificadas podem machucar o animal, prender na pelagem ou até enforcar.

Limpe seus áreas específicas

Por fim, se cães e gatos devem ficar em casa para estarem mais seguros, é essencial que o local seja agradável, mas também limpo. Portanto, não deixe de limpar com frequência os locais em que eles costuma passar longas horas, principalmente os locais onde eles fazem suas necessidades.

Não é agradável para o animal ter que fazer suas necessidades em local já sujo por dias seguidos. Além disso, não faz bem para a saúde dele e nem para o restante das pessoas que convivem na casa.

Embora não seja uma das tarefas mais agradáveis de fazer, é uma das mais importantes, afinal você não vai querer viver em um local com cheiro desagradável e imundo – nem eles!

Por Equipe Editorial

O Vidanimal.com.br acredita que compartilhar um bom conteúdo é a melhor maneira de fazer com que a informação chegue ao seu destino ou público alvo. Educar e conscientizar as pessoas é a nossa missão. Procuramos criar parcerias com profissionais empenhados em fazer parte dessa missão. Contamos com uma equipe de colaboradores que amam aquilo que fazem e se dedicam todos os dias para levar até você um conteúdo informativo de qualidade.

Deixe uma resposta