Claro que você sabe que cachorros são seres vivos. É até mesmo estranho comentar isso, especialmente no início de um artigo. Entretanto, ocorre que é necessário lembrar essa condição porque muitos donos desconsideram alguns fatos no momento da aquisição de um animalzinho. Pois saiba que há raças de cachorros que babam, que roncam e que até mesmo soltam pum em demasia.

E quando falamos em “pum”, estamos falando de gases dos mais fedidos possíveis. Mais fedidos ainda que de muitos seres humanos. Portanto, é preciso considerar esses fatores e muitos outros ainda quando você estiver diante daquela “gracinha de cãozinho que não saiu de perto de mim na loja; não resisti e trouxe pra casa”.

A baba é componente do dia a dia de qualquer mamífero. Existem motivos diversos que tornam a baba uma postura normal e outros que sugerem problemas orgânicos. Porém, as cenas em que o famoso São Bernardo do cinema, Beethoven, baba bastante são muito engraçadas.

Entretanto, tais cenas são engraçadinhas somente no cinema. Na realidade, podem representar momentos de forte de estresse e desconforto tanto para o cão quanto para o dono dele, com extensão à família toda. E, pior, às visitas também.

Veja neste artigo alguns motivos que envolvem cachorros que babam, roncam e soltam pum.

Em defesa de cachorros que babam

Cachorros que babam são seres humanos.

Cachorros que babam são seres humanos.

Babar é para os cães o mesmo que latir ou espantar carteiros. Ou seja, é atitude natural. É certo que algumas raças babam mais que outras.

Bem, é possível sair em defesa de muitas raças de cachorros que babam, roncam e soltam pum. A defesa pode ser feita até mesmo comparando-se a reação humana com a reação desses cães. Imagine-se sentindo cheiro da comida de que você mais gosta, com tempero da mamãe ou da vovó, que lembre sua infância.

É até provável que, à simples lembrança, sua boca já esteja salivando. Se não tomar cuidado, você próprio está babando agora. Esse, digamos, “fenômeno” é resultado de reações orgânicas a estímulos visuais e olfativos. Seu cérebro estimula produção de saliva como forma de compensação por ainda não sentir o gosto da comida. Ou mesmo como exercício preparatório para o estômago.

O mesmo “fenômeno” ocorre no organismo dos cachorros que babam, mas um pouco mais estendido. A salivação pode ocorrer não apenas com cheiros e expectativa de comida. Ele pode salivar em excesso na presença de alguém de que goste muito ou ainda por conta de excitação não recorrente. Ainda, por estresse não contido em brincadeiras.

Entretanto, quando não originado em problemas orgânicos, depende da personalidade do animal. Sendo ele tranquilo, não muito afoito a “festinhas” com seus donos, tendo comportamento ameno, vai salivar muito pouco ainda que sua raça seja daquelas salivadoras.

Ainda como defesa de cachorros que babam

Saiba que a saliva tem função importantíssima no processo digestivo. Ela ajuda a decompor dos elementos alimentares para que sejam transformados em energia.

Assim, quando o animal pressente o momento de ser alimentado, em especial com alimentos de que gosta muito, o cérebro envia mensagem às glândulas salivares para se prepararem.

Dessa maneira, o estômago é condicionado a promover os chamados movimentos peristálticos. Ou seja, processo em que as paredes estomacais movimentam o alimento para retirar todos os nutrientes. Nesse processo, a saliva tem papel importante.

Nesse caso, se os motivos da salivação de sua animal forem naturais, evite induzir a diminuir a salivação. Caso contrário, o organismo do animal pode se ressentir da falta de saliva durante o processo digestivo. Ou seja: é melhor você se habituar a essa condição.

Questões genéticas sobre cachorros que babam

Existem questões genéticas relacionadas aos cachorros que babam.

Existem questões genéticas relacionadas aos cachorros que babam.

Antes de mais nada, compreenda que é normal que existam determinadas raças de cachorros que babam, roncam e flatulam mais que outras. Isso se dá por questões genéticas.

Quanto a isso, pouco se pode fazer além de passar muito tempo limpando a baba de seu animal. E também se divertindo com seus roncos ou sentindo os flatos (gases) odores desagradáveis que exalam.

Algumas raças são constituídas por características físicas na boca. Há algumas cujos lábios são naturalmente flácidos; outras, língua muito grande; outras ainda dispõem de glândulas salivares bastante ativas etc. Todas essas características são produto de fatores genéticos nascidos ao longo de vários testes de cruzamento entre raças.

Ou, ainda, simplesmente porque a evolução natural das raças ainda não descobriu uma maneira de produzir menos saliva. Entretanto, sabe-se que a natureza ainda trabalha no sentido de melhorar tudo a partir dos mecanismos da seleção das espécies. Assim, talvez em mais alguns séculos esse “probleminha” seja corrigido.

Por exemplo, certas raças de cachorros que babam têm boca larga e bochechas grandes, além de focinhos curtos. Isso certamente dificulta que controlem excesso de saliva e o mantenham na cavidade bucal. Dessa forma, no caso de você ter um cão desse tipo ou estiver pensando em ter, convém analisar bastante.

Abaixo neste artigo, você tem uma lista de algumas raças de cachorros de babam ou soltam pum ou ainda apenas roncam. Assim, vai poder se certificar de que vai ter trabalho extra no convívio com seu pet.

Importante: Dependendo da condição e da origem do problema, é possível fazer que cachorros que babam deixem de babar, pois as origens podem ser naturais ou ocasionais vindas de problemas orgânicos.

Motivos eventuais para babar

É possível resolver o problema de maneira paliativa ou definitiva. Porém, é possível diminuir tanto a salivação em si como os desconfortos resultantes. Veja.

Identifique o fato gerador

Se for por excitação, avalie os momentos em que isso acontece. Pode ser por presença de algum outro animal, presença de alguém em especial; pode ser pela espera de passeios marcados sempre no mesmo horário; expectativa por algum tipo de comida.

Então, avalie possibilidade de evitar que o animal presencie tais gatilhos. Depois disso, aos poucos, vá habituando o animalzinho ao fato gerador, seja ele qual for. Mas com cautela e paciência. Com certeza, o processo de salivação vai diminuir bastante.

Um caso específico de exemplar da raça Newfoundland ilustra bem a questão de fatos geradores. Placid, um cão peludo (natural na raça), babava excessivamente em determinadas situações. O problema é que seus proprietários não conseguiam identificar o gatilho, pois isso acontecia em circunstâncias aparentemente aleatórias.

Depois de muita observação, foram excluindo algumas situações. O filtro chegou a roupas pretas. Descobriram que, por algum motivo, Placid expelia baba sempre que se deparava com pessoas vestindo preto. Identificado o gatilho, passaram a evitar exposição de Placid a ele. O problema foi praticamente resolvido.

Determinados remédios possivelmente apresentam gostos estranhos ao paladar do animal, talvez até mesmo a um indivíduo de alguma raça. Nesse caso, conscientize-se de que o caso é passageiro, que será anulado tão logo o período de tomada do remédio se encerre.

Motivos naturais para babar

Por mais que goste de animais e por menos que tenha aversão à baba, é bastante desconfortável quando você ou sua visita se deparam com quantidade grande desse líquido. O amor aos animais pode resistir a muitas situações, mas, com certeza, essa não é uma delas.

Há promessas de criadores sobre conseguir descendência de cruzamento de raças que babem menos. Entretanto, é possível que isso demande grande número de gerações futuras.

Raças de cachorros que babam

Há várias raças de cachorros que babam.

Há várias raças de cachorros que babam.

Existem muitas raças de cachorros que costumam babar, por isso vamos listar aqui apenas algumas para o seu conhecimento. Veja abaixo:

Mastife

Se fosse possível calcular proporção entre tamanho de cachorro e quantidade de baba, o Mastife seria excelente exemplo. Boa parte dos proprietários de cães dessa raça já se habituou a manter panos espalhados pelos lugares em que eles caminham. E, ao receber visitas, deixam claro que correm risco de ser inundadas por baba de Mastiff. Até mesmo mantêm pequenos avisos na entrada da casa.

Bloodhound

Essa tem até apelido associado à baba: fonte babadora. O fator físico produtor de babas é o desenho dos lábios. Eles caem sobre a cavidade bucal e se esticam por vários centímetros abaixo. A baba é tanta que, quando se chacoalham – especialmente a cabeçorra -, a baba é lançada a vários metros de distância.

Entretanto, há uma necessidade orgânica prática para tanta baba. Ela mantém a cavidade nasal umedecida, o que aumenta a capacidade olfativa do animal.

Terra Nova

Os Terra Novas são cahorros que babam bastante.

Os Terra Novas são cahorros que babam bastante.

Alguns proprietários de indivíduos dessa raça são engraçadinhos. Em encontros sociais em suas residências, são capazes de beber em canecas com a inscrição “baba que voa” impressa nelas. Isso serve para identificá-los como donos de um Newfoundland ou Terra Nova.

Os lábios grandes e profundos desses animais são o motivo natural para tanta baba. Em determinadas situações de estresse ou excitação, ela acaba incomodando o animal. Assim, ele a lança tão longe que a baba chega ao teto das residências. Não é comum que proprietários estoquem babadores. São utensílios eficazes.

Bulmastife

O Bulmastife é uma das raças de cachorros que babam.

O Bulmastife é uma das raças de cachorros que babam.

O próprio nome da raça indica que é mistura de Mastife com Buldogue inglês. Certamente, ela acabou assumindo algumas características de ambas. Nesse caso, a excessiva quantidade de baba.

Ela é uma das raças de cachorros que babam em diversas circunstâncias. Quando estão estressados ou depois de comer e beber, ele baba; ou ainda após exercícios físicos, ele baba. Se estiver com calor, ele baba. Se estiver excitado por algum motivo, o Bulmastife baba. Há indivíduos que babam até mesmo dormindo.

São Bernardo

Os São Bernardos são cachorros que babam e salvam vidas.

Os São Bernardos são cachorros que babam e salvam vidas.

Já mencionamos o Beethoven acima, exemplar da São Bernardo. Quando resolve balançar sua cabeça enorme, você pode ver os fios de baba se distribuindo por todo o ambiente.

Outros motivos da salivação

Entretanto, o excesso de saliva não se dá somente por questões naturais ou ainda situações eventuais, como as mencionadas acima (excitação, receio etc.). O problema pode ser orgânico, ou seja, alguma anomalia pontual que provoque produção anormal de saliva.

Isso ocorre porque a baba (ou até mesmo a água) se acumula nos sulcos internos dos lábios de indivíduos de algumas raças. Como o animal, claro, não sabe cuspir, é normal que o líquido escorra.

Por outro lado, é possível que algum problema situacional seja a causa do excesso de saliva. Nesse caso, é bom que o proprietário observe o estado da boca do animal.

Inflamação na garganta

Avalie atentamente as condições da garganta de seu animal. É até possível que seja necessário avaliação profissional.

Problemas com cáries

Verifique também as condições dentárias do bichinho. Havendo necessidade, possivelmente você vai precisar levá-lo ao dentista.

Tártaro grosseiro que incomoda a gengiva

Idem.

Tumores na garganta ou mesmo nas paredes internas das bochechas

Se seu animal não pertence a uma raça de cachorros que babam naturalmente e se os períodos de babação são constantes, consulte um veterinário imediatamente. É grande a chance de o animal apresentar algum problema mais ou menos sério na boca.

Gengivite

É caso de dentista. Não deixe de consultar.

Problemas estomacais de maneira geral

Seu animal pode estar sendo vítima de algum problema estomacal. Se ele vomitar sempre que andar em seu automóvel, é sinal de problemas. Você pode evitar andar de carro ou levá-lo ao veterinário, sendo a segunda opção a mais ideal.

Longos períodos sob o sol

O organismo do animal certamente tem defesas para protegê-lo de certas situações. Boa parte dessas estratégias é desconhecida da maioria dos proprietários.

A salivação pode ser defesa contra excesso de calor produzido por longos períodos sob sol escaldante. Atenção a tal detalhe, portanto.

Mais motivos

Além de tudo isso, considere a possibilidade de micropedaços de grãos de ração se instalarem entre os dentes do animal. Isso também pode ser um dos causadores ocasionais.

Nesse caso, convém ao proprietário manter atenção redobrada ao comportamento animal associado ou não ao excesso de salivação. Se o proprietário não distinguir padrão entre a salivação e eventuais causas, é sempre bom levar o animal ao veterinário.

Raças de cachorros que roncam

O Boxer está entre os cachorros que roncam bastante.

O Boxer está entre os cachorros que roncam bastante.

Roncar é tão normal em algumas raças quanto salivar ou flatular. E também tanto quanto à salivação, o ronco pode ter diversas causas. Duas delas, e mais frequentes, são fraqueza nas carnes da garganta ou acúmulo de gordura nessa mesma região. Nesses casos, visita a veterinário certamente identificará o problema e prováveis soluções.

Veja algumas raças que se destacam por roncar demais:

Raças de cachorros que peidam

O Doberman não é umd os cachorros que babam, mas é um dos cachroros que costumam soltar muito pum.

O Doberman não é umd os cachorros que babam, mas é um dos cachroros que costumam soltar muito pum.

Uma das causas mais conhecidas para emissão de gases fétidos dos animais é o fato de ele comer muito rapidamente. Aliás, isso ocorre também com os humanos.

Bem, como você viu acima, pode ser um problema facilmente resolvido ou aquele tipo de problema que precisa de intervenção profissional. Assim, é sempre interessante que os proprietários conheçam seus próprios limites em relação a conhecimentos sobre o animal.

Caso você tenha ainda alguma dúvida, deixe-a nos comentários abaixo.