Se você quer um cachorro para caminhadas, curtir as montanhas juntos ou viver com você no campo, na praia ou na cidade, nem precisa procurar por um criador de raças. A melhor companhia para qualquer atividade vai sempre ser o cachorro vira lata. Além disso, ele é a escolha mais sensata, barata e ética que você poderá fazer na vida.

Não é difícil se deparar por ai com as “7 melhores raças de cachorros para caminhadas”, “As 20 melhores raças de cachorros ativas”, “As 10 melhores raças de cachorros para o calor”… Todos esses títulos podem ser encontrados na primeira página de busca do Google se você digitar raças para atividades ao ar livre.

Todos eles, sem exceção irão listar uma série de raças de cachorros adequadas às atividades que você procura. De fato, qualquer uma dessas raças será mesmo adequada. Afinal, muitas delas foram criadas exatamente para desempenhar certas atividades.

Mas a verdade é que, qualquer cão de raça pura não se compara ao cachorro vira lata. O melhor cachorro, para qualquer tipo de gente, para desempenhar qualquer atividade, é o cachorro vira lata.

Cachorro vira lata: a evolução da raças

Fotos de cachorro vira lata: uma companhia para a vida inteira e qualquer atividade.
Fotos de cachorro vira lata: uma companhia para a vida inteira e qualquer atividade.

Os cachorros evoluíram especificamente para viver em perfeita simbiose com os seres humanos há cerca de 20.000 anos atrás. Por outro lado, as reproduções caninas modernas realizadas para atingir certas características físicas e mentais, no entanto, têm menos de 200 anos.

A atividade como conhecemos hoje, foi desenvolvida na Inglaterra na era Vitoriana. Coincidentemente, no mesmo período em que a ideia de eugenia (ciência criada para aprimorar a raça humana através de reprodução seletiva controlada em torno de características hereditárias desejáveis) começou a surgir.

Cachorro vira lata: a necessidade de um regulamento

Ao passo que o interesse nos cachorros passou de necessidade utilitária para uma necessidade de companhia, as pessoas passaram a desejar se gabar sobre seus animais de estimação como já faziam com seus cavalos e armas de fogo valiosas. Visto que, os esportes de caça com cachorros como companhia também cresciam em popularidade.

Logicamente, não se pode comprovar a superioridade em relação ao cachorro sem um sistema de classificação para definir essa casta. Desse modo, enquanto características específicas se tornavam codificadas, os tipos de cachorros foram denominados. Assim, seus criadores passaram a cobrar uma boa soma de valores por esses animais.

Depois disso, precisou-se criar um sistema para definir e regular o que estas pessoas estavam vendendo. Sendo assim, o primeiro Clube de Canil foi fundado em 1873 para suprir esta necessidade. Desse modo, surge também o conceito de que um certo tipo de cachorro poderia se tornar uma marca ao atingir um ponto alto característico de venda.

Cachorro vira lata: o animal como produto de marca

Dessa forma, como qualquer produto bom ou marca no mercado, a sua aceitação depende muito mais do impacto da propaganda de um certo estilo de vida, nível social e personalidade nas pessoas. Ou seja, nem tanto apenas da divulgação dos benefícios que as características da raça de cachorro trariam consigo.

Isto é, até hoje adquirimos bens e produtos apenas para convencer a todos de um estilo de vida ou status social. É como comprar uma caminhonete “off road”, por exemplo, para demonstrar que você possui o estilo aventureiro. Naquela época, você compraria um Fox terrier ou Beagle para demonstrar o seu interesse pela caça esportiva. Além disso, poderia dessa forma mostrar a todos que é capaz de bancar a sua participação no esporte. Em seguida, todos os seus vizinhos iriam te invejar e querer o mesmo. Dessa maneira, a Inglaterra exportou a ideia, o mundo inteiro comprou, e cá estamos hoje. Completamente entregues ao comércio de raças de cachorros.

Cachorro vira lata: reproduções genéticas limitadas

De forma simples, a reprodução canina consiste em cruzar um casal de cachorros com certas características específicas desejáveis. Em seguida, perpetuar essas mesmas características através dos seus filhotes. Assim, ao repetir o processo por gerações a fio, os criadores são capazes de acentuar essas características de forma isolada.

Naturalmente, a atividade parece ter um objetivo razoável. Se você deseja criar cachorros dóceis, basta cruzar dois cachorros dóceis para reproduzir filhotes dóceis. O problema é que, se você quiser cachorros ainda mais dóceis, você terá que cruzar entre si os mesmos cachorros dóceis. Em seguida, terá que passar a cruzar entre si o restante da linhagem de cachorros dóceis para continuar a perpetuar essas mesmas características.

Em pouco tempo, se você quiser continuar a perpetuar essas características obtidas, você terá uma seleção muito limitada de cachorros para combinar entre si. Ou seja, é aqui que surgem os problemas de cruzamentos pela falta de diversidade genética.

Cachorro vira lata: a importância da reprodução consciente

Um estudo conduzido no Reino Unido, descobriu que certa população de 10.000 Pugs por exemplo, possuía uma diversidade genética de apenas 50 indivíduos. Enfim, uma triste constatação para a raça que poderá brevemente ter sérios problemas genéticos daqui para frente.

Em outras palavras, é como se os seres humanos começassem a se reproduzirem entre si dentro de uma mesma família. Com isso, os problemas genéticos pela falta de diversidade genética com o passar do tempo seriam muitos.

Daí a importância que se dá a criadores responsáveis, que prezam pela qualidade de suas reproduções. O fato é que, cada vez mais, não estamos podendo contar com isso. Visto que o negócio se tornou muito lucrativo e algumas raças mais populares. Resultando em uma inflação de comércio ainda maior entre elas.

Você tem ideia de quanto custa um filhote de raça? Todo mundo sabe que não é barato. E quanto custa um cachorro vira lata filhote? Bem, absolutamente nada. Daí, já se conclui a razão para tudo isso.

O que é um Cachorro vira lata?

Fotos de cachorro vira lata: filhote sem raça definida brincando com brinquedo de corda maior que ele.
Fotos de cachorro vira lata: filhote sem raça definida brincando com brinquedo de corda maior que ele.

Nós somos todos culpados. Quando vemos um cachorro e, inicialmente não conseguimos identificar o tipo, logo perguntamos: “Qual a raça dele?”. Se, você tem um cachorro vira lata, provavelmente você vai gastar um tempo explicando as possíveis misturas de raças nele. Por exemplo, você diria algo como: uma mistura de Pastor Alemão, Rottweiler, Pitbull anão para descrevê-lo.

Certo? Desculpe, mas terei que discordar de você. Embora as raças de cachorros sejam produtos de um processo de seleção artificial, o cachorro vira lata é simplesmente um cachorro na sua forma natural com todas as suas variações.

Ou seja, através da reprodução entre misturas de raça, estes cachorros uma vez de raça pura, reintroduzem uma diversidade genética aos seus filhotes, assim criando o que simplesmente chamamos de cachorro.

Ao contrário do cruzamento seletivo, que acaba com a diversidade genética do cachorro, o cachorro vira lata é uma seleção natural pura em curso. Isto é, estes animais, espertos o suficiente para evitar que sejam castrados, passam seus genes para a próxima geração de vira latas natos. Os famosos cavadores de buracos, mastigadores de chinelos e caçadores de gatos.

Assim também, ao introduzirem outras raças à mistura, acabams por alterar o plano da natureza divina. Nesse sentido, o cachorro vira lata hoje possui uma variedade muito maior que apenas simples cachorros de outrora. Ou seja, muito mais bacana!

Cachorro vira lata: caos natural

Atualmente, os cachorros apresentam características físicas mais diversas que qualquer outra espécie de animal no Planeta. De fato, as raças de cachorro possuem as maiores diferenças em tamanho, as mais diversas variações de cores e marcações, e os mais ridículos designs de penteados. Rs!

O cachorro vira lata tem as maiores variações: combinam não só as características reprodutivas seletivas de seus ancestrais, mas as cartas surpresas obtidas quando esses genes controlados encontram o caos.

Cachorro vira lata: o problema da endogamia

Fotos de cachorro vira lata: Cachorro abandonado na rua assistindo ao espetáculo do pôr do sol.
Fotos de cachorro vira lata: Cachorro abandonado na rua assistindo ao espetáculo do pôr do sol.

Endogamia é quando reproduzimos animais intimamente relacionados, ou seja, de uma mesma linhagem, ao longo de muitas gerações. Assim, com tantos tipos de cachorros competindo para suprir nossas necessidades e caprichos, vamos sendo convencidos a pensar que o melhor exemplo de cachorro de raça pura pode ser até melhor que outros da mesma raça. Ou, até melhor que todos os outros tipos de cachorros.

Bem, na realidade não pode. Cachorros de raça pura, acredite ou não, são uma escolha até inferior. Vamos explicar abaixo as razões e o por quê:

Cachorro vira lata é mais saudável

Endogamia é endogamia, não importa do que for chamada. Ou seja, cruzamentos controlados de características seletivas também podem passar defeitos genéticos a gerações seguintes. Por exemplo, a displasia de quadril em Pastores Alemães, ou os problemas de visão entre Cocker Spaniels.

Para tanto, é só buscar no Google qualquer raça de cachorro seguida de “problema de saúde” e você vai encontrar uma lista longa. De acordo com a PetMD, a lista por Cocker Spaniel Inglês irá incluir: atrofia de retina progressiva, cataratas e glaucoma. Além disso, outras doenças como displasias, torção gástrica, epilepsia, cardiopatias, pedras no rim, otite, hipotireoidismo, seborréia, alergias e por aí vai.

De fato, esses não são simplesmente problemas que qualquer cachorro estará sujeito. Ou seja, todos esses problemas foram especificamente criados em todo Cocker Spaniel devido ao simples fato dele ser uma raça pura. Tanto é que, muitas raças aqui mesmo listadas já tiveram que superar ou passar por correções genéticas para se livrar de alguns problemas. É o caso do Cão Boiadeiro de Berna que teve a sua expectativa de vida super diminuída ao longo desses anos por conta de problemas de saúde hereditários.

Cachorro vira lata vive mais

Ou seja, um cachorro raça pura tem um risco maior de adquirir problemas de saúde como câncer e uma expectativa de vida canina menor que um vira lata. Você sabe quantos anos vive um cachorro vira lata? Provavelmente muito mais que um cachorro de raça, mesmo que tenha sido saudável a vida inteira.

Isto dá-se, em grande parte, por esses problemas de saúde. Portanto, a reprodução canina não só interfere na seleção natural, que deveria eliminar esses problemas naturalmente. Mas atua ativamente em agravar esses problemas permitindo que genes recessivos de manifestem. Principalmente, criadores irresponsáveis que só visam lucrar e perpetuar modismos (cachorros cada vez menores, mutações genéticas para lançar cores, como os cachorros merle e albinos). Portanto, o cachorro vira lata é mais saudável, e assim você não vai ter que se preocupar com por quantos anos vive um cachorro vira lata.

Cachorro vira lata é mais dócil

Muitos estudos publicados e notícias com relação a incidentes envolvendo mordidas de cachorros listam raças puras como principais culpados. E o pior é que, nem sempre são as raças de cachorros esperadas por todos. Inacreditavelmente, no Reino Unido por exemplo, os Labradores são os que mais mordem carteiros. Rs!

Do mesmo modo, os supostos Golden Retrievers mais dóceis que qualquer outra raça, são “mordedores” notórios. Portanto, assim como reproduzir cachorros para conseguir uma certa aparência facilita a propagação de problemas genéticos, isso também agrava problemas de comportamento caninos.

Isto é, cachorros criados para ter equilíbrio mental ao desempenhar esportes também precisam extravasar sua energia e instintos assassinos. Com isso, falhar em oferecer um exercício adequado ou estímulo apropriado (ou nem tentar), pode fazer com que o cachorro expresse essas tendências de outras formas.

Foi o caso do Buldogue inglês, que foi criado para ser resistente e agressivo para lutar contra touros. Mas, que depois de ter o esporte banido e ficado com má reputação, teve a sua genética modificada para atenuar sua agressividade. Mesmo assim, muitos problemas de saúde ainda lhe restaram, como por exemplo os respiratórios.

Já o cachorro vira lata é mais dócil porque além do fato de não ter vindo de reprodução seletiva, não possui agravantes com relação a problemas mentais pela mesma razão. O cachorro vira lata é geneticamente atenuado. Sem falar que por ter sido abandonao e traumatizado, tem amor e carinho de sobra em forma de gratidão eterna.

Cachorro vira lata tem um tamanho ideal

Por causa das variações extremas de tamanho para agradar a vaidade das pessoas, cachorros de raça muito grande ou extremamente pequenos sofrem de uma série de problemas de saúde. Já o tamanho do cachorro vira lata é equilibrado.

Obviamente, existem cachorros vira lata grandes e pequenos, mas livres de mutações genéticas, eles tendem a ficar no meio termo. Idealmente, um cachorro deve ter mais de 9kg e menos que 45kg, assim os ossos, juntas e órgãos duram mais e trabalham melhor. Nesse sentido, o cachorro vira lata está exatamente no tamanho ideal.

Cachorro vira lata é flexível

Criados para atingir certas habilidades físicas, os cachorros de raça pura muitas vezes decepcionam. Por exemplo, Greyhounds são rápidos, mas não possuem energia. Os Cães Montanheses de Berna são muito fortes, mas se forem exercitados ao extremo acabam prejudicando as juntas. Muitas dessas raças são especialistas em alguma coisa. Já o cachorro vira lata não é.

Nesse sentido, por ter vários genes e poucas anormalidades genéticas, o cachorro vira lata é naturalmente robusto, tanto fisicamente quanto mentalmente. Com isso, é fácil vê-los trabalhando à serviço de alguém, caçando pássaros, brincando com crianças, protegendo famílias. Portanto, o que faz dele um cachorro versátil, é o fato de que ele é capaz de lidar com todas essas tarefas, não apenas uma ou duas.

Cachorro vira lata: ética por trás da compra

Fotos de cachorro vira lata: cãzinho esperando para ser adotado no abrigo junto a outros cachorros.
Fotos de cachorro vira lata: cãzinho esperando para ser adotado no abrigo junto a outros cachorros.

Talvez, o argumento mais importante por trás da compra de um cachorro de raça pura seja a ética com relação a esse conceito. Quer dizer, faça a sua pesquisa e encontre um bom criador. Provavelmente, você encontrará uma raça de cachorro pura que se encaixe no seu estilo de vida e que será relativamente saudável.

Assim sendo, você será capaz de amá-lo e de se orgulhar dele. Assim, quando alguém perguntar sobre a raça dele, certamente você terá uma resposta concreta para esta pergunta. No entanto, você também estará contribuindo para o sofrimento de milhões de cachorros pelo mundo todo.

Pausa dramática.

Não é exagero. Mesmo que o seu cachorro tenha vindo de um criador relativamente pequeno, responsável e de boa reputação, o desejo pela raça pura que você está promovendo é responsável pela existência de verdadeiras “fábricas de filhotes”.

Só nos Estados Unidos, existem 10.000 lugares como esses que produzem cerca de 1.8 milhões de cachorros anualmente. Consequentemente, essas operações alimentam muitos desses problemas aqui descritos. Além disso, são responsáveis por condições desumanas e produção de animais nada saudáveis.

Cachorro vira lata: cada escolha conta

Fotos de cachorro vira lata: cachorro abandonado na rua.
Fotos de cachorro vira lata: cachorro abandonado na rua.

Neste caso, entre escolher um cachorro vira lata filhote e um filhote de raça, vidas são colocadas em jogo. Cada vez que uma raça pura é comprada, uma oportunidade perdida de salvar a vida de uma cachorrinho necessitado é perdida.

Atualmente, mais de 3.9 milhões de cachorros dão entrada em abrigos todos os anos, sendo que 1.2 milhões são eutanasiados. Cada um desses filhotes comprados nessas fábricas poderia ter salvo a vida de outro cachorro vira lata filhote dos abrigos.

Infelizmente, do jeito que andam as coisas, escolher comprar um cachorro ao invés de adotar é permitir que muitos outros sofram e morram. Esta escolha alimenta um ciclo insustentável, antiético e desumano de produção industrial e descarte de animais.

Adotar um cachorro vira lata de um abrigo não só salva a vida dele, mas reduz a demanda pela fabricação de filhotes. Com isso, quem sabe acaba contribuindo para uma mudança no comportamento de mercado. Sem falar que, um cachorro vira lata será uma companhia ainda melhor por mais tempo e ainda te custará bem menos.

Além disso, o cachorro vira lata será único, não algo que alguma outra pessoa poderá comprar também. Ame-o, orgulhe-se dele. Assim, quando alguém perguntar que tipo de cachorro é o seu, diga: é um cachorro vira lata. Um cachorro! Quem sabe assim, isso fará com que essa pessoa decida adotar um também.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Seu nome