Menu fechado

Raças de cachorro sem pelo mais curiosas que existem

cachorro sem pela cao crista chinês

Você já ouviu falar ou conhece alguma raça de cachorro sem pelo ou com muito pouco? A maioria dos tutores preferem raças de cães peludas, não importando muito o porte pequeno ou grande.

Essas características são muito peculiares, e às vezes, apenas uma questão de gosto pessoal. No entanto, a questão da quantidade de pelos pode ser algo crucial para algumas pessoas, e nem tanto uma questão de gosto na hora de escolher o cachorro. Principalmente, pra quem tem alergia aos pelos.

Embora existam muitos tipos de alergia, e nem sempre são causadas por pelos, a escolha também pode ser influenciada também pelo estilo de vida do tutor. Da mesma forma que existem pessoas que se apaixonam pelo cachorro não importando muito as suas características. Outras preferem pensar em questões práticas. Como por exemplo, a manutenção diária e o tempo dispensado às escovações, tosas, etc.

Por isso, o cachorro sem pelo ou com muito pouco, acaba sendo uma escolha sensata entre muitos tutores que não dispõe de tempo para todos os cuidados que algumas pelagens exigem.

Importante: muitas informações passadas neste artigo se referem à saúde física e comportamental de seu animal. Se algumas delas forem vistas em seu cão, convém consultar um veterinário a fim de que você obtenha respostas objetivas e mais certeiras.

Neste artigo, vamos entrar no universo do cachorro sem pelo e explicar a razão da falta de pelos, mais tudo que estiver envolvido. Além disso, voc6e ainda vai conhecer algumas raças de cachorro sem pelo muito curiosas.

Por que existem raças de cachorro sem pelo?

O cachorro sem pelo é um fator genético e não fabricado.
O cachorro sem pelo é um fator genético e não fabricado.

Pode parecer que a raça seja produto de interferência de criadores humanos. Uma espécie de teste, de experiência. Porém, a espécie surgiu espontânea e naturalmente na maioria dos casos; posteriormente, criadores aproveitaram o “fenômeno” e deram continuidade às raças.

A raça Terrier, por exemplo, apareceu de ninhada nos anos 70. O criador se encantou com o visual do bichinho e optou por dar continuidade, torcendo para que seus descendentes tivessem as mesmas características físicas. Tiveram.

Estudos revelaram que a causa é mutação em certo gene canino, o SGK3 – aliás, o fato é considerado por alguns como existência de novo gene e não um gene alterado. Essa alteração genética evita fortalecimento dos folículos dos pelos e estes não se renovam quando caem.

Além disso, a genética desses cães também surte efeito sobre o tamanho e tipo de pele dos animais. E o fato de as raças Xolos, Chinese Chesteds e algumas peruanas compartilharem a mutação indica que as origens desses cães pode ter se dado entre a Ásia e as américas há séculos.

Subtipos de raças de cachorros sem pelo

A predisposição genética para queda de pelos ou carência deles é biológica e tecnicamente complexa. Contudo, pode-se dizer que é classificada em dois tipos distintos: dominante e recessivo.

Dominante

Trata-se do tipo natural de cachorros sem pelo. Isto é, houve algum incidente genético em alguma ninhada. No frigir dos ovos, isso significa que exemplares desse tipo são capazes de transferir suas características para seus descendentes.

Raças desse tipo não são exatamente raras, entretanto, acidentes genéticos que resultam em dois genes dominantes não permitem que o indivíduo sobreviva.

Recessivo

Os tipos recessivos estão normalmente associados à produção de proteínas que apresentem alguma espécie de problema. Isto é, trata-se de fenômeno acidental que provoca algum defeito genético. Raramente as características são transmitidas às gerações.

Características dos cachorros sem pelo

As esmagadora maioria das raças de cachorros sem pelo é nativa da América Latina. Por situações e motivos diversos, ganharam o mundo inteiro.

Claramente, não têm grandes problemas com pulgas e carrapatos. Entretanto, apresentam outros entraves, que a gente vai discutir aqui.

Detalhes físicos

Apesar de serem classificados como “sem pelos”, algumas raças apresentam pelos em certas partes do corpo. Pode ser apenas nas patas ou apenas na cabeça, mas têm.

A temperatura corporal dos cães sem pelo é, em média, maior que a das outras espécies. Estudiosos dizem que isso ocorre porque eles são instintivamente levados a ingerir alimentos mais fortes. A mecânica de seu organismo metaboliza os alimentos de maneira a gerar mais calor. Isso compensa a falta de pelos.

Quer dizer, sua temperatura é bastante agradável aos donos em dias frios. Diz-se, inclusive, que ela é base para o caráter de cura de artrites, reumatismo e outras anomalias ósseas.

Cachorros pelados, via de regra, expelem mais óleo de pele que outros. Trata-se de espécie de defesa do organismo quanto à desidratação cutânea. Por isso, banhos frequentes são importantes para sua saúde (veja abaixo capítulo de cuidados com cães sem pelo).

Por outro lado, a sensibilidade da pele e a secreção de óleo produzem efeitos secundários. As raças são acometidas por acne facilmente. Nesses casos, é sempre aconselhável ser tratado diretamente por veterinários.

Quanto ao tamanho, é bastante variado. Há exemplares de 30cm de altura a até 70cm. Qualquer que seja o tamanho, entretanto, todos são surpreendentemente ágeis, espertos e ativos.

Sua estrutura física é constituída justamente por isso, aliás. Permite movimentos flexíveis e rápidos.

Detalhes de comportamento

São mais companheiros

Certamente, a esmagadora maioria dos cães são fiéis. Entretanto, os cães sem pelo, segundo opinião de seus donos, apresentam sentido de companheirismo mais apurado que outro cães. Gostam de crianças e idosos em geral.

São divertidos

Boa parte dos indivíduos dessas raças é agradável e divertida. Brinca o tempo todo, corre, interage.

São inteligentes

Eles aprendem facilmente diversos truques e brincadeiras. É interessante acompanhar a evolução no comportamento dos animais sem pelo.

Lealdade e proteção

Por algum motivo, cachorros sem pelo desenvolvem um tal sentido de fidelidade e tal instinto de proteção a seus donos que chegam a surpreender. Eles se ligam rapidamente ao dono ou em quem estiver mais presente em sua vida. Fazem de tudo por essa pessoa.

Cão de guarda

Outra característica pela qual os cachorros sem pelo são conhecidos é o instinto de guarda. Apesar de não serem muito territoriais, eles identificam objetos e área do dono. Qualquer situação anormal associada a isso é rapidamente denunciada.

Cuidados com cachorros sem pelo

Bem, o trabalho de cuidar dos pelos você não vai ter, claro. Contudo, as raças de cães sem pelo precisam de outros cuidados. Alguns deles, especiais.

A gente alerta para algo muito importante: muitos dos cuidados exemplificados abaixo devem ser acompanhados por veterinários. Aplicação de produtos são, via de regra, intervenção externa no organismo animal. Assim, é preciso ter precaução e atenção.

  • Infecções

Como a pele dos cachorros sem pelo está, claro, muito mais exposta, é mais sujeita a problemas. Frequentemente, surgem pequenos focos de infecções que precisam ser tratados a fim de se evitar alastramento.

Nesses casos, convém aplicar cremes específicos. No caso de cães com pouquíssimos pelos, aplicam-se shampoos também indicados para eles.

  • Hidratação

Como dito acima, a pele fica exposta da todo tipo de problemas. Secura é um deles. Muitos criadores de raças de cachorro sem pelo e muitos veterinários indicam hidratação à base de óleo de coco.

  • Protetor solar

Ainda por conta da exposição total, cachorros sem pelo estão sujeitos a queimaduras solares. Quando ficam muito tempo sob sol, a pele é atingida por raios que atuam diretamente na primeira camada. Então, é preciso passar protetor solar.

Há intensidade de protetores adequada para o tempo sob sol e do tipo de pele do animal.

  • Regulação de temperatura

Diferentemente de outras espécies, essas raças necessitam de locais frescos em época de muito calor, bem como de agasalhos em época de muito frio.

  • Banhos

Cachorros sem pelo devem tomar banho uma vez por semana, alegam criadores. Como cria-se muito óleo, isso ajuda a manter a pele limpa, livre de ação de bactérias nocivas, além de hidratá-la.

É preciso atenção especial nesses momentos. Sendo a pele bastante sensível, resquícios de sabonetes e outros produtos podem causar irritação.

Raças de cachorros sem pelo

Orquídea Inca

São descendentes dos conhecidos “Cães Pelados Peruanos”. São ágeis, fortes, corredores natos. O nome vem de sua postura elegante e clássica. São também amorosos e amigos da família inteira.

Apesar da liberdade que expressam no comportamento, não são muito afeitos ao ar livre. Preferem o aconchego do carinho de seus donos.

Existem exemplares nos portes pequeno, médio e grande. Assim, há tamanhos para todos os gostos.

São vistos como excelentes cães de caça. Por isso, não obstante amorosos com a família, são muito desconfiados com visitas.

Xolos

Essa raça é encontrada em registros de 3 mil anos atrás. Elementos da civilização asteca já mantinham referência a ela.

Os elementos são bastante leais e, via de regra, tranquilos. Entretanto, são meio ariscos com estranhos por conta de seu instinto de guarda. Além disso, são intensamente inteligentes, dispõem de energia para correr o dia inteiro. Assim, precisam de adestramento leve, em especial em se tratando de filhotes.

Há variações interessantes de Xolos. Algumas, inclusive, têm o corpo coberto por fina camada de pelos. Porém, são geneticamente considerados cachorros sem pelo.

Seu focinho expressa sempre ares pensativos e inteligentes. É surpreendentemente robusto, forte. Pode ter alguns pelos no focinho, mas sem sair do padrão da raça.

Pode medir até 60cm de altura; os menores têm menos de 30cm. Muitos os veem como cão de alerta por conta de sua postura de defesa da área em que vive.

American Hairless Terrier

Trata-se da única raça de cachorro sem pelo originária dos EUA. É considerada de pequeno porte, mas apresenta musculatura aparente. É enérgica e alerta.

É conhecida como a mais nova raça dentre as raças de cachorro sem pelo. É produto de cruzamento feito no início da década de 70, em Lousiana-EUA, entre dois exemplares com pelo. Alguma alteração genética gerou alguns filhotes sem pelo.

Apesar de ser “sem pelo”, normalmente tem sobrancelhas, bigodes e eventualmente cavanhaque ralo. Tem de 30cm a 45cm de ombro a ombro. Sua cabeça tem forma de cunha, o que o deixa bastante simpático. Mantém as orelhas frequentemente eretas.

É excelente cão de guarda. Está sempre alerta e desconfiado. Entretanto, é bastante companheiro do dono.

Gosta de ração de excelente qualidade. É possível que não se dê bem com comida de baixas calorias ou qualidade inferior. Assim, verifique com o veterinário se determinadas comidas para humanos são aconselháveis para essa raça.

Cão de Crista Chinês

Cachoro sem pelo: Cão de Crista Chinesa.
Cachoro sem pelo: Cão de Crista Chinesa.

É uma das poucas raças reconhecidas como de cachorro sem pelo pelas entidades regradoras. A aparência é mesmo bastante interessante, diferente. O nome já diz tudo sobre ela. A “versão com pelo” é chamada powderpuff.

A palavra “crista” no nome já comunica que essa raça não é totalmente desprovida de pelo. Longa cabeleira se joga do alto da cabeça até próximo às patas. Também elas, inclusive, são cobertas de pelo.

O restante do corpo é despelado. A pele é bastante lisa e suave.

Tem porte pequeno – alcança até 35cm de altura -, é ágil, alerta e companheiro. Ou seja, bem socializável. É extremamente inteligente em adestramentos e treinamentos diversos.

Cão Sem Pelo Argentino

É parecido com o “Cão Sem Pelo Peruano” e com o Xolos. Há portes para que gosta de cães pequenos, médios e grandes. Alguns indivíduos podem desenvolver mechas de pelo em algumas áreas do corpo.

Necessita de cuidados constantes com loção hidrante. Geneticamente, a ele é bem mais sensível e, portanto, sujeito a efeitos dos raios de sol, bactérias e outros agentes nocivos.

Em compensação, tem expectativa de vida maior. Pode chegar a 20 anos de vida. Entretanto, já compôs a lista de raças em extinção, mas iniciativas de criadores o protegeram suficientemente.

É ágil, forte, amável e brincalhão. Sente-se muito bem no interior da casa e aprende pequenas tarefas e obrigações com facilidade.

Cão Pelado Peruano

Faz parte do seleto grupo de raças reconhecidas por entidades oficiais como sendo de cachorro sem pelo. Trata-se de raça com poucos exemplares no mundo. É muito parecido com o Cão Pelado Mexicano.

Os primeiros indivíduos dessa raça chegaram ao Brasil em 2006 por ação do criador gaúcho Samir B. de Oliveira. Sempre gostou de Pit Bulls, mas se apaixonou pelo Cão Pelado Peruano.

A raça tem exemplares dos três tamanhos. Os menores têm 25cm de altura; os maiores, 65cm. Apresentam rala pelagem no alto da cabeça, nas patas e na extremidade da cauda.

É bastante sociável com outros cachorros de outras raças, mas seu instinto territorial o torna sempre dominante da área. Entretanto, gosta de estar sempre próximo ao dono, chegando mesmo a “pedir” por atenção e carinho.

Algumas curiosidades sobre raças de cachorro sem pelo

  • Os filhotes não nascem totalmente sem pelos, mas perdem depois de algum tempo
  • As raças foram aproveitadas pelos primeiros exploradores europeus para combater proliferação de ratos. Chefes de navios os tinham também para esse fim durante longas viagens
  • A quantidade de apreciadores no mundo é bem pequena
  • Apenas recentemente receberam autorização das associações de criadores para participar de campeonatos
  • Ao contrário do que se imagina, essas raças existem há milhares de anos
  • O próprio Darwin teria mencionado uma raça turca em seus relatórios
  • Boa parte das raças de cães sem pelo já foi extinta. Duas raças nessa condição foram Abyssinian Sand Terrier e o Cão Pelado Siamês
  • Apesar de haver muitas raças desse tipo, menos de 10 são consideradas originais
  • Os astecas mexicanos tinham a raça Xolo como espécie de guia nos caminhos pós-morte dos humanos. “Xolo”, aliás, é abreviação de Xoloitzcuintli, referência ao deus da mitologia asteca Xolotl, senhor dos relâmpagos, trovões e mortes
  • Ainda em se tratando de crenças, muitos cães sem pelo eram mortos tão logo seus donos faleciam. Assim, eles serviriam de guias para seus proprietários depois da morte
  • Mesmo atualmente, há povos indígenas – em especial no México – que consideram os cachorros sem pelo como enviados divinos. Segundo suas crenças, são capazes de curar doenças como asma, reumatismo etc.
  • Por algum motivo, cachorros sem pelo são xodós de artistas. Diversos deles retrataram seus cães em suas artes, como Frida Kahlo e Diego Rivera. Como complemento dessa informação, Gypsy Rose Lee, conhecida como “rainha burlesca americana”, inspirou o musical “Gypsy” da Broadway. Nele, um exemplar de cachorro sem pelo é personagem

Então é isso. Cachorros sem pelo agradam a muita gente pelo mundo e podem ser companhia ideal. Tendo mais dúvidas ou querendo oferecer sugestões, deixe seus comentários abaixo ou envie mensagem para nossas equipes.

Pergunte ou Responda

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *