Você acha que existem muitas diferenças entre o cachorro fêmea e cachorro macho, relacionadas ao gênero? A maioria das pessoas está mais inclinada a pensar que as cadelas são mais dóceis e afetuosas, e o machos territoriais e protetores.

Mas na verdade, no caso dos cachorros, seja fêmea ou macho, eles podem te surpreender quanto as suas diferenças, principalmente pelas que nada tem a ver com o gênero deles.

Ficou curioso? Continue nos acompanhando abaixo para descobrir as principais diferenças entre cachorro fêmea e cachorro macho.

Vamos lá!

O tamanho do cachorro fêmea ou macho não importa

O tamanho do cachorro fêmea em relação ao macho vai depender da raça.

Além da aparência óbvia de cachorros castrados ou não, não há muitas diferenças físicas entre o cachorro fêmea e macho. E o tamanho nem sempre é uma pista tão aparentemente óbvia.

Os cachorros machos costumam ser maiores que as fêmeas, porém a diferença exata no tamanho vai depender muito da raça do animal. O Yorkshire terrier, por exemplo, varia em menos de ½ kg. Já o Great Dane macho costuma pesar uma média de 60 a 90 kg, enquanto as fêmeas podem chegar a 45 a 60 kg.

Portanto, o tamanho do cachorro pode ser importante considerar apenas quando estes fatores tiverem diferenças consideráveis, no caso de ficar na dúvida entre um cachorro fêmea ou cachorro macho.

As fêmeas amadurecem mais rápido

O cachorro fêmea pode atingir a puberdade e peso adulto mais rápido que os cachorros machos, o que pode pesar em suas habilidades em aprender comandos de treinamento.

O temperamento individual de um cachorro é um dos fatores mais importantes que determinam a facilidade de treinamento. Porém, as cadelas filhote tendem a ser mais fáceis de treinar.

Isso não significa que as fêmeas sejam mais inteligentes que os cachorros machos, mas simplesmente uma questão de maturidade. O cachorro fêmea é capaz de focar por mais tempo em uma atividade e aprender tarefas com mais facilidade que os machos de mesma idade.

Os machos possuem faro mais apurado

O cachorro fêmea não possui o mesmo faro que os machos.

O efeito dos hormônios no comportamento canino não foi estudado em profundidade suficiente, especialmente nos Estados Unidos, onde a maioria dos cães é castrada para controlar a população canina.

Mesmo assim, especialistas em cachorros observaram certos comportamentos relacionados à cães que não foram castrados.

Os cães machos têm um instinto biológico imperativo em relação à procriação, e esses impulsos tendem a substituir a maioria dos outros impulsos. Você pode observar o desejo forte que eles possuem em “farejar” tudo pela frente durantes os passeios, investigando todos os cheiros.

Através do nariz, os cães conseguem captar o cheiro da urina de outro cão e aprender bastante sobre ele, incluindo a idade, gênero e fertilidade. Para aqueles que procuram trazer mais filhotes ao mundo, isso é uma informação importante.

Cachorro fêmea é temperamental

O cachorro fêmea fica mais temperamental durante o cio.

Enquanto os efeitos hormonais ainda tenham sido estudados largamente com relação aos cachorros castrados, os comportamentos observados em cadelas e machos no cio são bem conhecidos.

A Associação Americana de Medicina Veterinária (AVMA) chama estes comportamentos de “comportamento reprodutivo relacionado ao instinto”. Entre os 6 meses a 1 ano, o cachorro fêmea, que não foi castrado, vai entrar no cio.

Neste período, a cadela apresenta temperamentos variados e mudanças de humor, bem como sintomas físicos como corrimentos vaginais ou pequenos sangramentos. Ela pode se tornar mais pegajosa ou arisca e mal humorada, ou tudo ao mesmo tempo, durante os 21 a 28 dias do ciclo, que acontece duas vezes ao ano.

As fêmeas começam a querer cruzar

O cachorro fêmea começa a gostar da ideia de “cruzar” durante o segundo estágio do cio, chamado de Estro. Enquanto ela se dirige para este período, a cadela começa a “flertar” ao redor de outros machos.

Obviamente, o cachorros machos que estejam por aí farejando “pistas” irão captar os seus feromônios à milhas de distância se você optar por não castrá-la. Por isso, neste período você não pode perdê-la de vista.

É importante manter a cadela isolada de outros cachorros machos nesse período, pois eles podem causar brigas, além de que outras cachorras fêmeas também podem ficar agressivas na sua presença.

As fêmeas costumam deixar a cauda para lado quando estão prontas para cruzar. Fique atenta aos sinais.

A castração altera o comportamento dos machos

Cachorros castrados são mais calmos.

Os cachorros machos que não foram castrados possuem tendências de marcar o território com mais frequência através da urina. da mesma forma, os machos intactos estão mais conscientes de outros cachorros fêmea ao redor, por isso podem ficar mais suscetíveis a comportamentos de subir em cima.

Estes comportamentos diminuem quando o macho é castrado desde filhote. Normalmente, os filhotes machos são castrados com cerca de 6 meses de idade; sendo que esperar muito tempo para isso pode não alterar esses comportamentos.

Isto é, um cachorro macho castrado com mais de 2 anos de idade, por exemplo, já estabeleceu um padrão de comportamento, que fica bem mais dif ilicis de ser alterado quando com menos de 6 meses.

Cachorros castrados são mais calmos

A AVMA afirma que a castração pode restringir o instinto de procriar nos cachorros fêmeas e machos. Para os machos, a castração pode transformá-lo em um cão mais caseiro, e não tão focado em fugir para rua a todo momento.

Além disso, a castração também protege o animal de se meter em encrenca e de vários problemas de saúde, como infecções uterinas e câncer nas mamas, ovários e cervical. No caso dos machos, a castração protege contra câncer nos testículos e próstata.

A socialização é importante em ambos os sexos

A socialização é importante para o cachorro fêmea e macho.

Socialização desde cedo é importante, não importa o gênero. Portanto, levar o filhote para conhecer outras pessoas e outros cachorros em vários ambientes é essencial, além de ajudar a diminuir tendências agressivas, medo e timidez no futuro.

Por exemplo, se a castração também for ignorada até mais tarde muitos locais costumam não permitir a entrada do cão. Além disso, a socialização tem grande impacto em cães que vivem na mesma casa, independente do gênero.

Mesmo assim, cachorros do sexo oposto tendem a se dar bem melhor que quando do mesmo sexo, especialmente se conviverem juntos na mesma casa desde pequenos.

A natureza da raça influencia no cachorro fêmea ou macho

Como em qualquer cachorro, fêmea ou macho, as características comportamentais derivam da convivência com seus tutores, temperamento individual, treinamento e socialização, mas muitas vezes algumas diferenças mais leves podem ser observadas entre os sexos de algumas raças.

As fêmeas de raças de cães de guarda, por exemplo, como o Rottweiler tendem a ser mais gentis, enquanto as fêmeas de raças pastoras como o Pastor Australiano são menos ariscas.

Alguns cachorros são apenas mais tranquilos

Um estudo conduzido pela Universidade da Califórnia revelou que os níveis do hormônio ocitocina e vasopressina (um hormônio antidiurético relacionado a agressão aumentada em humanos) influencia no comportamento social canino e agressividade.

Os cães de serviço, como de terapia e salvamento, por exemplo, que são criados para ter um temperamento mais tranquilo possuem altos níveis de ocitocina no sangue comparado aos cães normais.

Por outro lado, os cachorros mais agressivos com outros cachorros possuem mais vasopressina. O que ainda não se sabe é se os níveis altos de vasopressina causam a agressividade ou são resultado dela.

Para concluir, talvez algumas características comportamentais não são uma questão de gênero, mas de outros fatores como hormônios, temperamento individual, genética, raça, socialização, ambiente e liderança dos tutores.

Por isso, na hora de escolher entre um cachorro fêmea ou cachorro macho, fique atento a todos esses fatores, não só focada no gênero.

Por Equipe Editorial

O Vidanimal.com.br acredita que compartilhar um bom conteúdo é a melhor maneira de fazer com que a informação chegue ao seu destino ou público alvo. Educar e conscientizar as pessoas é a nossa missão. Procuramos criar parcerias com profissionais empenhados em fazer parte dessa missão. Contamos com uma equipe de colaboradores que amam aquilo que fazem e se dedicam todos os dias para levar até você um conteúdo informativo de qualidade.

Deixe uma resposta