Categorias
Levantadores e Caça

Chesapeake Bay Retriever

Originário da região Atlântica-Central dos Estados Unidos, mais precisamente das águas congelantes da Baía de Chesapeake, no estado de Maryland, o Chesapeake Bay Retriever, carinhosamente apelidado de Chessie, é um cão durão que nasceu para estas condições tão adversas. Chesapeake Bay Retrievers são caçadores ávidos e possuem poderosos membros musculosos e pés palmados especialmente desenvolvidos para caçar aves aquáticas sob estas condições de tempo, enfrentando fortes correntes em águas turbulentas e ventos fortes, sendo capaz até de quebrar gelo de lagoas e lagos congelados. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Chesapeake Bay Retriever

Origem: Maryland, Estados Unidos
Data de origem: 1800
Grupo de Raças: FCI Grupo 08 – Cães Levantadores e Cobradores de Caça e Cães D'Água (Retrievers) / AKC Grupo de Cães Esportistas / Cão de tiro, Retrievers, cães de caça.
Função original: levantar e recuperar (presas, caça)
Função atual: cão de caça, companhia.
Outros nomes ou apelidos: Chessie, Chessy Dog.
Tamanho: grande porte
Altura: Fêmea de 53 cm 61 cm / Macho de 58 cm a 66 cm
Peso: Fêmea de 25 a 32 kg / Macho de 32 kg a 36 kg.
Cores: tons de marrom
Pêlos: densos, duros e levemente ondulados
Manutenção:
Expectativa de vida: cerca de 10 a 15 anos.
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, NKC, NZKC, ANKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Chesapeake Bay Retriever

cachorro-chesapeake-bay-retriever-intro
Chesapeake Bay Retriever marrom chocolate (Créditos/Copyright: “Por everydoghasastory/Shutterstock”)

A raça costuma ser forte o suficiente também não só para resistir, mas também apreciar sucessivos mergulhos em águas congelantes. É um nadador extraordinário, que adora nadar e recuperar presas. Dono de uma mordida forte, porém suave, consegue carregar as aves na boca sem machucá-las. A sua estrutura corporal firme, a sua camada de pêlos densa, o seu vigor e a sua força fazem dele um cão ideal para esta finalidade.

Descendente dos dois filhotes de Terranovas que sobreviveram ao naufrágio nesta área em 1807, ambos de excelentes qualidades de caçadores levantadores e recuperadores de caça, a raça resulta em um tipo de cão marrom com uma camada de pêlos grossa, repelente à umidade, com enorme disposição e alegria, grande inteligência e muita bravura.

Diz-se até que o Chesapeake Bay Retriever é o mais duro e poderoso das 6 raças de Retrievers. E devido à sua descendência, não é nenhuma surpresa que os Chessies amem estar perto de água. Quando introduzidos a este ambiente quando filhotes, eles se tornam fortes nadadores, capazes de usar suas caudas retas ou levemente curvas como leme.

Além de ter sido a primeira raça retriever à ser reconhecida pela AKC, e embora não seja tão popular como o Golden Retriever ou Labrador Retriever, o Chessie também pode ser um maravilhoso animal de estimação e companheiro leal. Pois, apesar de toda a sua vitalidade quando ao ar livre, os Chessies tendem a ser calmos dentro de casa, se exercitados suficientemente. Chessies são alertas, corajosos, extremamente versáteis e energéticos podendo ser maravilhosos companheiros para um tipo de dono ativo e experiente que pode-lhes fornecer estrutura e a quantidade de exercícios que precisam para viverem todo o seu potencial.

Além disso, são independentes, durões e possuem uma determinação estóica. São trabalhadores tenazes, fortes e atléticos. Com qualidades como estas, só poderiam ser excelentes cães de caça, por isso possuem um bom faro e sua teimosia chega a ser de grande valor quando estão à procura de uma presa caída.

Com o treinamento adequado, servem muito bem como companheiros de caça, em testes de caçadas, e em campos ainda mais competitivos da área. Podem também se dar bem em competições de obediência, se forem treinados de forma criativa para tolerar a natureza repetitiva do esporte, mas corrida, bola voadora e agilidade são melhores opções para esta raça.

Apesar de amigáveis, alegres e obedientes, o fato de terem mente própria, força e inteligência, podem facilmente dominar um dono despreparado, pois o Chesapeake Bay Retriever possui vontade própria e prefere fazer as coisas à sua maneira. Seus treinadores e donos devem ser confiantes e saber mostrar autoridade.

Se forem treinados de forma imprópria ou socializados de maneira inadequada podem apresentar problemas de dominância. Nesse aspecto, são diferentes dos outros retrievers, pois são mais teimosos e mais reservados com estranhos, sendo imaturos e tendenciosos a serem territoriais; podendo até ser agressivos com outros cães desconhecidos se desafiados. Mas é a raça mais resistente, com mais força de vontade própria e protetora de todos os Retrievers.

Já para alguém experiente que lhes pode oferecer um treinamento estruturado e disciplinado que necessitam, podem ser companheiros trabalhadores. Exercícios diários na forma de longas caminhadas ou oportunidades de nadar irão satisfazer o seu desejo de atividade e garantir que ele seja uma companhia quieta dentro de casa.

Como todo cão, o Chessie precisa de socialização desde filhote — exponha o cão a diferentes pessoas, lugares, cenas e sons. A sua natureza é mais protetora e menos convidativa à estranhos, mas isso não o torna um mal-humorado. O Chessie, geralmente, gosta de crianças e é cuidadoso com elas, mas não tolera abuso. Na maior parte das situações, se não gostar da forma como está sendo tratado, irá se levantar e sair. Contudo, são estas características que fazem dele um excelente cão de guarda altamente protetor de seus donos e da sua residência. Em qualquer situação, o seu Chessie deve aprender a se render à sua liderança ao interagir com outras pessoas e outros cães.

Se tudo o que você quer é um cão para lhe fazer companhia, o Chessie não é o cachorro certo para você. Não importa a quantidade de exercícios, treinamento ou esportes que você possa proporcioná-lo, os Chessies são cães de caça no coração: um exímio caçador que vive para ficar molhado à procura de trazer de volta a sua presa. Limitar um Chessie a uma vida de animal de estimação é como castrá-lo. Isto não significa que ele não possa ser um bom cão de de terapia ou companheiro de corrida, é que caçar é a sua prioridade.

Agora, se você também é um caçador e pode oferecê-lo um ambiente desafiador de caçadas, então, definitivamente, ele é o cão perfeito para você. E muito embora você não saia para caçar todos os dias, o seu Chessie ainda precisará de estímulo mental através de treinamento diário e brincadeiras, por isso leve-o para longas caminhadas e faça treinamentos de 20 minutos, especialmente envolvendo cair na água. Como todo cão, um Chessie que não seja utilizado da maneira apropriada irá buscar outros meios de se entreter, e geralmente de natureza perigosa e destrutiva: destruindo móveis, correndo atrás de carros, bicicletas ou corredores, por exemplo.

Com uma iniciação adequada, mais uma liderança adequada e treinamento, este cão sério, sensível e de personalidade forte se tornará um membro muito amado por toda a família.

Origem da raça Chesapeake Bay Retriever

chesapeake-bay-retriever-origem
Chesapeake Bay retriever à vontade em seu habitat natural. (Créditos/Copyright: “Por rokopix/Shutterstock”)

Chesapeake Bay Retriever é uma raça canina oriunda dos Estados Unidos, mais precisamente da região Atlântica-Central, nos arredores da Baía de Chesapeake, no estado de Maryland. Sua origem data de 1807, e de acordo com teorias, estes cães são o resultado dos cruzamentos entre alguns Retrivers, tais como o Curly-coated e o Flat-coated.

Originalmente criado para trabalhar tanto na terra quanto na água, o Chessie é considerado um eficiente caçador, capaz de recolher inúmeros pássaros a cada caçada.

Seus antecedentes

A história da sua origem é uma das mais fascinantes — e afortunadas — do Reino Canino. Foi durante o inverno de 1807, que um navio Americano resgatou tripulantes de um navio Inglês naufragado na costa da Baía de Maryland. Este navio, junto à sua tripulação, trazia também, o que na epoca acreditava ser, um casal de filhotes de Terrasnovas (Newfoundlands ou Cão D’Água Spaniel Irlandês), que acabaram sendo entregues a uma família americana que amava cães.

Estes filhotes (um preto e outro vermelho) mais tarde mostraram-se exímios cães d’água, e devido a sua crescente reputação, muitos outras raças de cães de caça e retrievers locais de origem incerta foram cruzadas com eles, incluindo English Otter Hounds, Flat-Coated Retrievers e Curly-Coated Retrievers.

Anos depois

Anos de cruzamentos se passaram para que se desenvolvesse uma excelente raça de retriever de incrível entusiasmo e resistência capaz de nadar repetidamente através das águas geladas da Baía de Chesapeake para recuperar de maneira infalível ave após ave. Até os dias de hoje, os Chessies são conhecidos pela notável habilidade de marcar e depois se lembrar onde a ave caiu. Seus outros talentos incluem: rastrear, caçar, recuperar, guardar, entre outras. Em 1885, a raça já havia sido estabelecida e reconhecida pela AKC, e embora seja uma das raças mais antigas reconhecida pela AKC, assim como uma das poucas nascidas e desenvolvidas nos Estados Unidos, a popularidade dos Chessies ainda é bastante modesta.

Aparência do Chesapeake Bay Retriever

cachorro-chesapeake-bay-retriever-aparencia
Chesapeake Bay retriever de perfil com sua pelagem distinta. (Créditos/Copyright: “Por Zuzule/Shutterstock”)

Os Chessies possuem membros poderosos, peito forte e profundo, e patas parecidas com as dos patos para ajudar a nadar. É um pouco mais longo que alto, com a sua traseira tão alta, ou mais alta que sua parte da frente. Possuem uma cabeça larga e redonda com um focinho de comprimento médio. Seus lábios são finos, os olhos de cores que vão do amarelado ao âmbar, e as orelhas são pequenas e caem ao nível dos olhos ou extendem até o meio das bochechas ou um pouco mais longas.

Os Chessies variam em cor, que incluem vários tons de marrom (de claro a escuro), vermelho (de laranja a vermelho forte) e castanho (palha e mato queimado), sendo que alguns possuem marcas brancas no peito e nos pés. Seus pêlos são curtos, levemente ondulados, à prova d’água devido a uma dupla camada externa de pêlos curtos, mais áspera, espessa e oleosa e outra lanosa mais densa e fina por dentro, que juntas agem como repelentes evitando que a água chegue a sua pele, ajudando-o a secar rapidamente e fornecendo calor para permitir que caçem em qualquer condição climática, seja em água gelada ou neve. E como toda raça de retriever, Chessies soltam bastante pêlos.

Ambiente Ideal para o Chesapeake Bay Retriever

cachorro-filhote-chesapeake-bay-retriever-ambiente
Chesapeake Bay Retriever filhote brincando no gramado. (Créditos/Copyright: “Por Kerrie T/Shutterstock”)

O Chesapeake Bay Retriever não é recomendado para viver em apartamentos ou locais pequenos. São relativamente inativos dentro de casa e viveriam melhor em pelo menos um jardim de porte médio. Eles preferem dormir do lado de fora da casa se for mais frio, pois preferem as estações mais amenas. Podem se adaptar aos climas quentes se tiverem oportunidade de nadar. Geralmente são cães de campo e locais maiores, e não de cidade grande.

Temperamento & Personalidade do Chesapeake Bay Retriever

cachorro-chesapeake-bay-retriever-temperamento-filhote
Chesapeake Bay Retriever filhote no jardim. (Créditos/Copyright: “Por Kerrie T/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Como todo cão, o Chesapeake Bay Retriever precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Chessie cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

Esta raça de cães é inteligente, corajosa e obediente. São treináveis, dispostos e capazes de agradar, embora sejam um pouco devagar para aprender. Os Chesapeake Bay Retrievers são afetuosos, amáveis, amigáveis e bons com crianças, mas não são recomedados para donos inexperientes.

A pessoa que lidar com ele deve ser confiante, e exercer uma autoridade natural sobre o cão, pois eles tendem a ser mais dominates que outros retrievers, e se não forem treinados de forma adequada podem tentar dominar o seu dono se sentirem que o mesmo é passivo demais, apático ou sedentário.

Um bom Chessie possui uma disposição alegre e viva combinada a coragem, enorme ética de trabalho, e uma natureza alerta que o torna um excelente cão de guarda. Embora seja teimoso e precise de treinamento firme, se você fornecer a liderança correta, um olhar penetrante ou repreensão verbal consistente será o suficiente para controlar o seu mal comportamento; sendo qualquer outra punição mais severa, um exagero, podendo levá-lo a se tornar mal-humorado e ainda mais desobediente.

O Chessie pode ter um jeito meio pateta, e a sua teimosia obsessiva pode atrapalhar, pois quando enfia uma coisa na cabeça, fica difícil de tirar. Quando quer uma coisa, será persistente até obtê-la. Uma boa socialização garante que o seu filhote cresça para ser um cão bastante agradável. Convide pessoas para a sua casa regularmente, leve-o para parques, lugares que permitam cachorros, e longas caminhadas em que ele possa conviver com outras pessoas e animais para engrandecer suas habilidades sociais.

O Chesapeake Bay Retriever possui a tendência de caçar gatos, mas pode aprender a viver com eles se socializado desde cedo. Pode também se dar bem com outros cães que já estejam acostumados, mas pode tentar dominar outros machos não tão familiares. São desconfiados com relação à estranhos e podem ser até agressivos se acharem que seu dono esteja sendo ameaçado.

Intensamente leal e profundamente devotado, o Chesapeake Bay Retriever possui uma natureza protetora forte. É amigável, amável e afetuoso, durões e tenazes, e menos acolhedores com estranhos que outros cães do mesmo grupo de raças.

Os Chessies gostam de estar perto de pessoas, mas não exigem muita a atenção delas. Evolui com interação familiar, mas são mais adequados a uma família com crianças mais velhas. Podem tornar-se destrutivos se ignorados, se ficarem solitários ou entediados. Não costumam latir muito, à não ser que não tenham mais nada a fazer, e tentarão “falar” fazendo várias vocalizações.

No campo, o Chessie é um trabalhador sério e as vezes até neurótico com o seu desejo de encontrar os pássaros caídos. São famosos pela sua excelente visão e memória com relação ao local onde os pássaros caíram para ir buscá-los. Não é à toa que sua atividade favorita seja caçar patos.

Sem uma liderança adequada em que as regras e limites estejam bem claros, Chessies podem rapidamente de tornarem autoritários, simplesmente porque a maior parte das pessoas que possuem cachorros de porte pequeno costumam tratá-los de forma inadequada, sem que haja uma liderança firme e clara, causando assim alguns comportamentos negativos no cachorro. Até as crianças devem aprender a lidar com o cachorro e serem seus líderes.

Qualquer cachorro que apresente comportamentos como rosnar, surtar ou morder, está demonstrando que falta liderança. Estes problemas costumam surgir quando a pessoa não consegue distinguir um comportamento natural canino e confunde com emoções humanas, acabando com um cão que pensa que é o dono da casa. A pessoa PRECISA entender e seguir à risca o conceito de como manter um cachorro na linha em casa. Estes problemas podem ser corrigidos logo que os humanos passarem a ter controle sobre o cachorro.

Chesapeake Bay Retrievers equilibrados que possuem donos que não permitem que eles acreditem ser o líder da casa, não irão apresentar estes comportamentos negativos. Chessies que possuem líderes firmes, confiantes e consistentes e que recebem estímulos mentais e físicos suficientes serão sempre excelentes companhias para a família.

O Chessie perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cãozinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seus estilo de vida e personalidade.

Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Escolha sempre o filhote que seja um meio-termo, não aquele que estiver mordendo ou judiando dos outros filhotes, nem aquele que estiver timidamente acuado em um cantinho. Tente sempre conhecer um de seus pais — normalmente é a mãe que fica disponível — para garantir que que ele tenha um temperamento que te faça sentir-se confortável com ele. Conhecer irmãos ou outros parentes também ajuda a avaliar como o filhote será na idade adulta.

Cuidados e Manutenção do Chesapeake Bay Retriever

chesapeake-bay-retriever-cuidados-cachorro
Cehsapeake Bay retriever adulto deitado no gramado do parque. (Créditos/Copyright: ” Por rokopix/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Chesapeake Bay Retriever à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Uma introdução cedo mostra para o independente Chessie que manutenção é um hábito normal da sua vida, e o ensina a aceitar com paciência todo o processo.

Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde. Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento precoce dos dentes.

Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente para evitar lágrimas dolorosas e outros problemas. Se você pode ouvir suas unhas batendo no chão, elas estão longas demais. Unhas caninas possuem artérias, se você cortá-las demais causará sangramento — e o seu cão pode não querer cooperar nas próximas vezes. Por isso, se você não tiver experiência ou não se sentir confiante para a tarefa, procure ajuda profissional. Cheque também suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mau cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

Seus pêlos densos, duros e curtos são oleosos, e possuem um odor distinto e fácil de manter. Por soltarem muitos pêlos, é preciso escová-lo com uma escova firme para remover os pêlos mortos. Embora precisem de banhos ocasionais para remover odores fortes, não devem ser lavados muitas vezes para que a textura oleosa de seu pêlo não seja totalmente removida. O ideal seria dois banhos ao ano, ou sempre que forem expostos a água. A sua camada oleosa ajuda a protegê-lo de temperaturas geladas.

Atividade & Exercícios do Chesapeake Bay Retriever

cachorro-chesapeake-bay-retriever-atividades
Chesapeake Bay Retriever correndo livre pelo parque.

(Créditos/Copyright: “Por Zuzule/Shutterstock”)
O Chesapeake Bay Retriever é um cão ativo que precisa de uma quantidade substancial de atividades diárias vigorosas. Ele adora brincar em campos abertos e nadar, especialmente em águas frias. São ótimas companhias para caminhadas, corrida, bicilceta, caça e outros esportes. Precisa de muito estímulo mental e físico. Se não forem exercitados da forma correta podem se tornar entediados e com energia acumulada podendo até ficar agressivos.

Enquanto caminha, ele deve sempre se manter ao lado ou atrás da pessoa que segura a guia, para que ele saiba quem é o líder. As brincadeiras podem até suprir suas necessidades físicas, no entanto, como em toda raça, apenas brincar não irá suprir seu instinto primário de caminhar. Cães que não fazem suas caminhadas diariamente são mais suscetíveis a apresentar problemas de comportamento.

O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo ao seu lado.

Saúde do Chesapeake Bay Retriever

chesapeake-bay-retriever-saude
Cehsapeake Bay Retriever adulto no parque. (Créditos/Copyright: “Por Zuzule/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, Chessies são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos eles terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

O Chesapeake Bay Retriever é no geral saudável, e costuma viver de 10 a 15 anos, mas possui a tendência a certos problemas de saúde como displasia de quadril (mal formação das juntas do quadril que pode causar claudicação ou artrite), joelhos e cotovelos; Doença de Von Willebrands, um tipo de distúrbio de sangramento; problemas nos olhos como atrofiamento progressivo da retina e cataratas; epilepsia que causa convulsões leves ou severas; chondrodisplasia, uma espécie de deformação dos membros tipo nanismo; câncer e hipotiroidismo.

Também possuem o risco de inchaço, um problema digestivo potencialmente sério que pode ser prevenido com alimentação em recipiente acima do chão, refeições espaçadas durante o dia, e evitando exercícios imediatamente após as refeições. Além disso, estão associados a uma doença genética de um gene mutado que conduz a mielopatia degenerativa, uma doença que afeta a medula espinhal.

Todos os cães possuem o potencial para desenvolver problemas genéticos de saúde, assim como todas as pessoas possuem potencial para herdar doenças. É sempre uma boa ideia perguntar a criadores quais os problemas que possam existir em suas linhagens. Um criador honesto sempre estará a disposição para discutir a saúde de seus cachorros, seja boa ou má.

Criadores cuidadosos costumam investigar e testar seus cães para evitar doenças genéticas e reproduzir apenas as espécies mais saudáveis e de melhor aparência, mas às vezes a Mãe Natureza possui outros planos. Um filhote pode desenvolver uma destas doenças mesmo em reproduções cuidadosas. Avanços na medicina veterinária hoje garantem que na maioria das vezes os cães podem ter uma qualidade de vida. Se estiver pensando em comprar um filhote, pergunte ao criador sobre as idades dos cães em sua linhagem e as causas mais comuns de morte.

Lembre-se que depois de levar um filhote para casa, você tem a responsabilidade de protegê-lo de um dos problemas caninos mais comuns: a obesidade canina, inclusive uma das tendências da raça. Manter o seu Chessie em um peso adequado é uma das maneiras mais fáceis de manter a saúde do seu cachorro e a vida dele saudável para a vida inteira. Em geral, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde. O Chessie costuma viver cerca de 10 a 15 anos, e ter muitos filhotes por cria.

Treinamento do Chesapeake Bay Retriever

chesapeake-bay-retriever-treinamento
Chesapeake Bay Retriever de perfil e olhar sério e compenetrado. (Créditos/Copyright: “Por Kerrie T/Shutterstock”)

Os Chessies são caninos fortes que exigem treinamento firme e boa administração. Embora o Chesapeake Bay Retriever seja inteligente, é difícil de treiná-lo. É preciso paciência, pois a raça não é muito suscetível a mudar seus comportamentos.

Existe uma expressão popular que diz: “Você pode dar ordens a um Labrador Retriever e pedir a um Golden Retriever, mas deve negociar com um Chesapeake Bay Retriever”.

O Chessie pensa por ele mesmo e faz aquilo que deseja fazer e da maneira que acharem melhor. Mas, uma vez que reconhece a autoridade do seu dono e entende o que está sendo esperado dele, passa a se comportar da forma adequada e evoluir.

É um cão assertivo, confiante e obestinado, mas por debaixo dessa aparência de durão, é sensível e responde melhor a treinamentos dóceis, pacientes. Ao invés de lhes dar ordens, trate-os com justiça e negocie o que for melhor para vocês dois. A abordagem deve ser firme e consistente, porém gentil. Não respondem bem a métodos de treinamentos duros e severos. Ao treinar o Chessie, seja para ter boas maneiras em casa, caçar ou fazer esportes caninos, respeite suas habilidades e forma de aprender, e nunca obrigue-o a continuar depois que ele deixar claro daquilo que deseja fazer.

Os Chessies são mais devagar para amadurecer, por isso não são recomendados a donos novatos e inexperientes. Treine-o de forma adequada e socialize bastante com ele, pois sem a liderança necessária podem se tornar territoriais demais, agressivos e muito reservados com estranhos, podendo até não se dar com outros cães.

Treine o seu Chessie premiando-o pelo bom comportamento. Mantenha o treinamento divertido e evite repetições, para não entediá-lo. Sempre termine as sessões de treinamento em um tom mais alto, agradando-o, elogiando ou premiando por algo que ele tenha feito direito. Ele aprende melhor com pessoas que conhece e ama, por isso não o largue com qualquer treinador, pois esta raça extremamente leal terá melhores resultados se for treinada pelo próprio dono.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

O treinamento da caixa é algo também fortemente recomendado para o Chesapeake Bay retriever. Não só ajuda no treinamento dentro de casa, mas também serve como um espaço para se acalmar e relaxar, além de evitar que ele saia mastigando tudo por ai enquanto você estiver fora. A caixa é apenas uma ferramenta, não uma jaula, por isso não mantenha-o preso ali por longos períodos. O melhor lugar para o seu Chessie é sempre com você.

Ensinar o seu cachorro a deitar, sentar e ficar no lugar é vital para o treinamento de um filhote, procure se informar sobre como adestrar o seu cachorro, é muito comum cometer erros durante o processo de treinamento.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Categorias
Levantadores e Caça

Clumber Spaniel

O Clumber Spaniel é uma raça canina oriunda da Inglaterra, e considerada uma das raças mais antigas dos Spaniels, tendo seu surgimento datado do século XVIII. Foi um cão muito apreciado pela aristocracia local, e batizado em homenagem ao castelo de Clumber, em Nottinghamshire na Grã-Bretanha, na época de seu surgimento. Logo foi favorecido pelos monarcas britânicos pelo seu comportamento solene e majestoso. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Clumber Spaniel

Origem: França, Inglaterra
Data de origem: 1700, meados do século XVIII
Grupo de Raças: FCI Grupo 08 – Cães Levantadores e Cobradores de Caça e Cães D'Água (Retrievers) / AKC Grupo de Cães Esportistas / Cão de tiro, Retrievers, cães de caça.
Função original: levantar e localizar (presas, caça)
Função atual: cão de caça e companhia.
Outros nomes ou apelidos: Tamanho: de porte médio a grande
Altura: Fêmea de 41 a 48 cm / Macho de 48 a 51 cm
Peso: Fêmea de 25 a 31 kg / Macho de 31 a 39 kg
Cores: branco com marcas em amarelo limão ou laranja.
Pêlos: denso, reto e liso, com penugens nas orelhas, patas, barriga e rabo.
Manutenção: escovações semanais
Expectativa de vida: cerca de 10 a 15 anos.
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Clumber Spaniel

O Clumber possui um corpo longo, baixo, de estrutura atarracada, porém de aparência descontraída e natureza calma, dócil e gentil. Seus pêlos são sedosos e retos, de cor branca com marcas em amarelo limão ou laranja. Devido à sua enorme cabeça e à sua estrutura baixa e substancial, o Clumber Spaniel é muitas vezes tido como uma raça que se movimenta com lentidão, sem muita agilidade ou energia, mas não é bem assim. Mesmo sendo um dos mais tranquilos e discretos da raça dos esportistas, o Clumber Spaniel tem um coração de caçador, e está sempre pronto para uma aventura no campo.

Embora seja o mais lento e mais pesado dos Spaniels, e trabalhe devagar, o Clumber é um cão eficiente para caça, pois é tido como excelente localizador devido ao seu extraordinário senso de olfato e possui força e resistência, assim como um enorme entusiasmo. É astuto e ótimo em recuperar presas como faisões e perdizes. Ele chega a vibrar ao captar um odor interessante e sai para explorá-lo de forma meticulosa até achar o que procura ou desistir.

É a escolha perfeita de raça para um caçador que aprecia o esporte em um ritmo descontraído e mais relaxado, com um cão que fique por perto e à mão. O Clumber costuma seguir o seu caminho em ritmo de trote, e é capaz de percorrer um dia inteiro neste mesmo ritmo. Não foi criado para ser um cão d’água recuperador de presa como um retriever, mas a maioria nada bem e possui uma camada de pêlos que os protegem de águas frias.

Apelidado de “spaniel de cavalheiros aposentados”, pode ser uma boa escolha para donos de cachorros de primeira viagem devido ao seu temperamento descontraído e fácil de lidar. Ele é calmo, dócil, afetuoso, doce e gentil que aprecia muito a companhia de seu dono. Dentro de casa tende a ser quieto e calmo, e precisa até ser instigado a fazer exercícios.

Costuma a ajustar-se ao nível de atividade e às necessidades de seus donos, e é uma das poucas raças de caça que são adequadas à vida na cidade, pois não exige muitos exercícios físicos, embora adore longas caminhadas e passeios. Devido a sua herança esportiva é capaz de se sobressair em campo ou em uma variedade de esportes caninos, mas também adora ficar em casa deitado aos seus pés. O Clumber é brincalhão e inteligente, travesso e teimoso, digno e charmoso, e adora chamar a atenção.

É um bom animal de estimação, fiel e carinhoso, especialmente para um dono devotado. Ele é capaz de se dar bem com toda a família, mas muitas vezes elege uma pessoa como sua favorita. A raça é bem comportada e geralmente se dá bem com outros cães e outros animais de estimação. São confiáveis perto de crianças, mas nem tanto ao redor de estranhos. Nunca tímidos ou agressivos, só não saem por aí ficando amigo de todos que encontram pelo caminho.

Ele costuma sair carregando coisas em sua boca por aí, um hábito que começa quando filhote e que o acompanha até adulto. Por isso, é imperativo que se mantenha objetos perigosos que possa machucá-lo fora do seu alcance. Recomenda-se dar-lhes muito brinquedos caninos para brincar e satisfazer seus desejos.

O Clumber não é um cão fácil de cuidar, mas também não exige grande devoção. Seus pêlos caem bastante e necessita ser escovado diariamente. Nem é um cão recomendável para quem é neurótico com limpeza, pois ele baba e costuma arrastar sujeira para dentro de casa. Também não responde a métodos duros de disciplina, e preferem um dono gentil. Possuem boa memória, e o seu treinamento é comparativamente fácil.

Com o surgimento de raças de Spaniels mais velozes, sua criação sofreu um forte declínio, e hoje há um enorme esforço em reestabelecer a raça como cão apontador, sendo que muitos Clumber Spaniels competem em testes de campo. São muito populares em apresentações e competições de esportes caninos, mas sobreviveu mesmo graças a sua adaptação para cão de companhia. Por isso, são bem raros e mais difíceis de serem encontrados.

Seja ele o seu companheiro de caçada ou amigo leal da família, o Clumber retornará afeição e lealdade muitas vezes — e ainda irá aquecer os seus pés como parte da barganha. Para quem estiver procurando pela companhia calma perfeita, o Clumber Spaniel é o seu cãozinho, pois nem latir costuma fazer.

Origem da raça Clumber Spaniel

clumber-spaniel-origem
Clumber Spaniel em atividade no campo, uma das suas atividades favoritas. (Créditos/Copyright: “Por Lenkadan/Shutterstock”)

A origem da raça Clumber Spaniel não foi bem documentada e não há provas suficientes que comprovem a sua exata derivação. Alguns dizem que a raça origininou-se na França do século XVIII, em cerca de 1768, por um dos Duques de Noailles.

Sua descendência

Acredita-se que o nobre francês, tenha presenteado todo o seu canil de spaniels ao Duque de Newcastle, transferindo todos eles para a propriedade do lorde inglês, Clumber Park, na Inglaterra durante a Revolução Francesa em meados de 1789 para salvar seus cães premiados. Poucas evidências foram encontradas que pudessem comprovar esta estória, porém, uma pintura de 1788 — um ano antes da Revolução Francesa — mostra o próprio Duque de Newcastle com vários cães brancos e amarelos ao seu redor que aparentam ser a raça.

Além disso, os spaniels levam o nome da propriedade do Duque, Castelo de Clumber, em Nottinghamshire. Contudo, foi o seu encarregado de caça, William Mansell, a pessoa a ser creditada por ter desenvolvido a raça como a conhecemos hoje. Embora não hajam provas suficientes para comprovar a sua origem, acredita-se que alguns de seus ancestrais que contribuiram para o desenvolvimento da raça hoje, podem ser o Alpine Spaniel, Basset Hound e o São Bernardo.

O Clumber antigo até os dias de hoje

Os Clumber Spaniels eram valiosos cães apontadores, resistentes e capazes de trabalhar em vegetação densa e rasteira, mais adequados à caçadores que costumam caçar à pé. Foram muito populares entre a nobreza inglesa que apreciava suas habilidades de caça lenta e quieta, de extraordinário faro, capazes de recuperar presas e de trabalhar sozinhos ou em bando.

Dizem que muitos monarcas eram fãs da raça, incluindo o Príncipe Albert, marido da Rainha Victória; o Rei Edward VII, Príncipe de Wales e seu filho, Rei George V. Por se beneficiarem do seu status elevado e relação próxima à nobreza, os Clumbers estavam entre as primeiras raças a serem mostradas em competições. É uma raça rara, e difícil de ser encontrada pois a nobreza sempre desencorajou a sua popularidade entre os demais plebeus, exceto entre a alta sociedade burguesa da epoca. Além disso, por um tempo, a raça pode desfrutar de toda a sua popularidade nas competições, até que as raças de cães esportistas mais velozes aparecerem e tornaram-se mais populares, contribuindo para a diminuição de cruzamentos da sua espécie.

A raça chegou em Nova Escócia, no Canadá em 1848 pelo oficial britânico Tenente Venables, e logo seguiu para os Estados Unidos. O primeiro Clumber Spaniel foi reconhecido pela AKC em 1884 e fica entre as 9 primeiras raças reconhecidas pelo clube.

Aparência do Clumber Spaniel

clumber-spaniel-aparencia
Clumber Spaniel passeando de coleira no campo. (Créditos/Copyright: “Por avarand/Shutterstock”)

O Clumber Spaniel é uma raça de dupla camada de pêlos. Sua camada externa é de pêlos longos, enquanto a de baixo é grossa e macia. Seus pêlos são lisos, retos, emplumados, suaves e densos para dar mais resistência as condições climáticas e temperaturas mais frias. Os pêlos caem sobre todo o corpo e cauda em plumagens, principalmente na barriga, orelhas e na área das patas.

Seus pêlos são normalmente brancos, com marcas amarelo limão ou laranja ao redor dos olhos, na cabeça ou orelhas. As vezes possuem sardas na área da cabeça em frente aos olhos, e nas patas, corpo, e na base do rabo. A sua cor permite que o caçador o localize mais facilmente. Aqueles que forem participar de apresentações e competições devem ter o mínimo de marcas possíveis, mas suas marquinhas no corpo não afetarão a sua habilidade de ser um bom companheiro da família.

O Clumber é uma raça de spaniel de estrutura óssea massiva, corpo longo e baixo com patas curtas, peito largo e profundo, e em geral de formato retangular. Seus membros são robustos, musculosos, e sua cabeça é grande, larga e quadrangular, com um focinho profundo, grande e largo em tons de marrom, bege, rosado e cereja, com parada e sobrancelhas definidas. Suas orelhas grandes são triangulares, de pontas arredondas que caem para frente em formato de folhas de videira. A sua expressão é suave, com olhos profundos e de cor âmbar escuro.

Seu pescoço é grosso, pesado e emplumado na área da garganta, e seus ombros são robustos e nivelados com a parte de trás. Possuem uma mandíbula forte com dentes em mordida de tesoura e beiços caídos sobre a mandíbula inferior. Seu rabo é emplumado e pode ser tanto amputado ou mantido naturalmente.

A sua combinação de peito largo, sobrancelhas espessas, patas dianteiras retas e traseira poderosa, permite que ele se mova através de vegetação grossa quando caça com facilidade, rolando levemente por causa do seu corpo largo e suas patas curtas.

Ambiente Ideal para o Clumber Spaniel

Clumber Spaniels ficam bem em apartamentos se forem exercitados e estimulados fisicamente e mentalmente de forma suficiente e de acordo com as suas necessidades. Embora cresçam rapidamente e sejam ativos ao ar livre, diminuem esse ritmo quando adultos, e costumam ser inativos dentro de casa, por isso um pequeno jardim pode ser o suficiente. Apreciam mais os climas frios.

Temperamento & Personalidade do Clumber Spaniel

clumber-spaniel-temperamento
Clumber Spaniels deitados juntos sobre o campo descansando das suas atividades. (Créditos/Copyright: “Por Lenkadan/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Como todo cão, o Clumber Spaniel precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Clumber cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

De acordo com o padrão da raça, o Clumber Spaniel é um cão leal e afetuoso com a sua família. Pode ser mais reservado com estranhos, mas nunca agressivo ou tímido. Costumam ser dóceis, doces, estáveis, confiáveis gentis e dignos, mas não se deixe enganar por estes adjetivos. O Clumber é altamente inteligente, determinado a conseguir o que deseja e mais ágil do que parece.

Mesmo sendo os mais tranquilos e descontraídos das raças de cães de caça, são os mais afetuosos, e nem tão ativos quando adultos. Porém, durante a sua fase de filhote, que geralmente dura de 3 a 4 meses, costuma aprontar bastante e ser selvagem a ponto de rasgar tudo o que vê pela frente em questão de segundos. Por outro lado, o Clumber tende a se manter jovem de coração até adulto.

A sua personalidade pode variar entre reservado e digno à “amo a todos”. Em campo, eles costumam ser trabalhadores quietos, assim como dentro de casa. Podem alertar quanto a qualquer perigo, mas não costumam latir muito.

Os Clumbers se dão bem com outros cães e gatos, assim como com outros animais de estimação se forem criados juntos desde pequenos. Se sentirem que seus donos são mansos e passivos demais podem se tornar um tanto teimosos.

Costumam ser brincalhões e geralmente são confiáveis ao redor de crianças na família, ficando logo amigos. Porém, como todo cachorro, o Clumber precisa de socialização desde filhote, portanto socialize-o bem para ajudar a fazer amizade com estranhos — exponha o cão a diferentes pessoas, lugares, sons e experiências — enquanto forem jovens. A socialização ajuda a garantir que o seu filhote de Clumber cresça para ser um cachorro agradável e social. Se você não tiver criança em casa, faça com que eles se acostumem com outras crianças desde cedo para que não estranhem com os barulhos e movimentos rápidos delas.

Esta raça possui boa memória e adora agradar o seu dono, por isso treiná-lo não chega a ser difícil. Embora tenham esta reputação de ser doce e gentil, podem também ser determinados e teimosos, pois possuem mentes independentes e no geral acham que podem conseguir tudo o que desejam. Um macho adolescente pode ser arruaceiro, podendo se tornar possessivo e agressivo se você não souber impôr limites desde cedo.

Não costumam responder bem à métodos de disciplina duros, mas precisam de um dono calmo, paciente, firme e confiante que saiba comunicar bem as regras e seja capaz de convencê-los de que fazer aquilo que você quer, seja ideia deles. Seja gentil, mas firme, nunca severo demais. Estabeleça regras claras e aplique-as para que ele saiba o que você espera dele.

Os Clumbers podem desenvolver péssimos hábitos como deslizar sobre balcões, invadir geladeiras e mastigar coisas. Podem até roubar comida de criança pequena pois podem alcançar as bancadas da cozinha e cadeiras de alimentação. Corrija estes comportamentos logo cedo — mesmo que lhes pareçam engraçado — antes que isso se torne enraizado. Ele é bom em resolver problemas, mas o problema é que quando resolve algo é sempre de forma proibida. Mantenha comida e lixo fora do alcance deles, e coloque trancas em armários onde há comida. Se avistá-lo mastigando algo que não devia, tire dele com calma e substitua por algum brinquedo de mastigar firme.

Durante suas caminhadas, o Clumber segue em ritmo devagar e estável. Não possui os altos níveis de energia dos outros cães de caça, mas possui a habilidade de um tanque de guerra ao se colocar diante de qualquer arbusto que esteja em seu caminho. Além disso, possui um vigor infinito, por isso é ótimo companheiro tanto para caminhadas quanto para caçadas. Mas não assuma que ele irá se exercitar sozinho, o Clumber é daqueles que precisa da motivação de um amigo para levantar e ir.

Sem uma liderança adequada em que as regras e limites estejam bem claros, Clumber Spaniels podem rapidamente de tornarem autoritários, simplesmente porque a maior parte das pessoas que possuem cachorros de porte pequeno costumam tratá-los de forma inadequada, sem que haja uma liderança firme e clara, causando assim alguns comportamentos negativos no cachorro. Até as crianças devem aprender a lidar com o cachorro e serem seus líderes.

Qualquer cachorro que apresente comportamentos como rosnar, surtar ou morder, está demonstrando que falta liderança. Estes problemas costumam surgir quando a pessoa não consegue distinguir um comportamento natural canino e confunde com emoções humanas, acabando com um cão que pensa que é o dono da casa. Mesmo sendo uma raça de porte pequeno à médio, a pessoa PRECISA entender e seguir à risca o conceito de como manter um cachorro na linha em casa. Estes problemas podem ser corrigidos logo que os humanos passarem a ter controle sobre o cachorro.

Clumber Spaniels equilibrados que possuem donos que não permitem que eles desenvolvam Síndrome do Cachorro Pequeno, comportamentos induzidos por humanos em que o cão acredita ser o líder deles, não irão apresentar estes comportamentos negativos. xxxxxxxx que possuem líderes firmes, confiantes e consistentes e que recebem estímulos mentais e físicos suficientes serão sempre excelentes companhias para a família.

O Clumber Spaniel perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cãozinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seus estilo de vida e personalidade.

Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Escolha sempre o filhote que seja um meio-termo, não aquele que estiver mordendo ou judiando dos outros filhotes, nem aquele que estiver timidamente acuado em um cantinho. Tente sempre conhecer um de seus pais — normalmente é a mãe que fica disponível — para garantir que que ele tenha um temperamento que te faça sentir-se confortável com ele. Conhecer irmãos ou outros parentes também ajuda a avaliar como o filhote será na idade adulta.

Cuidados e Manutenção do Clumber Spaniel

clumber-spaniel-cuidados
Trio de Clumer Spaniels sentados sobre o campo esperando para fazer suas atividades diárias. (Créditos/Copyright: “Por Lenkadan/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Clumber Spaniel à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Verifique se há feridas, erupções cutâneas ou sinais de infecções, tais como vermelhidão, sensibilidade ou inflamações na pele, orelhas, nariz, boca, olhos e nas patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde.

Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Uma introdução cedo mostra para o independente Clumber que manutenção é um hábito normal da sua vida, e o ensina a aceitar com paciência todo o processo.

O Clumber Spaniel possui tendência a infecções de ouvido, por isso a prevenção é importante. Sempre seque suas orelhas depois de nadar e cheque-as regularmente procurando por sinais de infecção como cheiro ruim, vermelhidão ou inchaço. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas. Um cão com infecção de ouvido costuma chacoalhar as orelhas com frequência ou coçá-las. Limpe-as suavemente com cotonetes e solução de limpeza recomendada pelo veterinário, e nunca enfie nada dentro do canal do ouvido para evitar machucá-lo.

Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento precoce dos dentes. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente para evitar lágrimas dolorosas e outros problemas. Se você pode ouvir suas unhas batendo no chão, elas estão longas demais. Unhas caninas possuem artérias, se você cortá-las demais causará sangramento — e o seu cão pode não querer cooperar nas próximas vezes. Por isso, se você não tiver experiência ou não se sentir confiante para a tarefa, procure ajuda profissional.

Os Clumbers não necessitam de muitos cuidados e não são difíceis de cuidar e manter, porém acostume-o a ser escovado desde filhote. Seu pêlo deve ser aparado e escovado com uma escova e pente regularmente. Seus olhos e orelhas devem ser aparados e limpos regularmente para evitar irritações. Os pêlos devem ser aparados por profissionais, e se tiver uma grande quantidade de pêlos ao redor das orelhas, pode aparar mais vezes.

A raça solta bastante pêlo e não é recomendada para quem sofre de alergias. E devido a sua camada de pêlos densa, o Clumber Spaniel deve ser protegido para não se aquecer demais. Além disso, sua camada de pêlos brancos pode sujar facilmente e aculumar detritos, por isso pode banhá-lo quantas vezes desejar ou sentir que seja necessário, desde que use shampoo de cachorro, e enxágue-o completamente para remover resíduos e evitar coceiras e irritações na pele.

Atividade & Exercícios do Clumber Spaniel

clumber-spaniel-atividades
Clumber Spaniel correndo pelo campo para se exercitar.(Créditos/Copyright: “Por Lenkadan/Shutterstock”)

Os Clumbers crescem muito rápido e são extremamente ativos quando filhotes, mas tendem a diminuir o ritmo de forma considerável quando adultos. Adoram brincar de buscar coisas, e costumam a obter a quantidade suficiente de exercícios diários desta brincadeira em apenas alguns minutos.

Precisam se exercitar diariamente, podendo ser através de caminhadas de 20 a 30 minutos ou de 15 a 20-minutos, ou através de brincadeiras duas vezes ao dia, mas não são adequados para corridas, pois a raça possui uma alta incidência à displasia de quadril e corridas podem colocar pressão desnecessária sobre suas articulações.

Gostam de longas caminhadas diárias, além de serem muito importantes para a saúde mental do cachorro. Porém, cuidado com o calor e a temperatura do chão. A raça adora água, é um excelente nadador por natureza, mas se não for exercitado de forma suficiente pode ficar obeso, atrofiar a musculatura e diminuir a sua expectativa de vida.

Enquanto caminha, ele deve sempre se manter ao lado ou atrás da pessoa que segura a guia, para que ele saiba quem é o líder. As brincadeiras podem até suprir suas necessidades físicas, no entanto, como em toda raça, apenas brincar não irá suprir seu instinto primário de caminhar. Cães que não fazem suas caminhadas diariamente são mais suscetíveis a apresentar problemas de comportamento.

O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo ao seu lado.

Saúde do Clumber Spaniel

Na maioria das vezes, os Clumbers Spaniels são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos eles terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

Alguns tendem a ter epilepsia, claudicação juvenil, e devido ao seu porte grande e pesado, também possuem tendência à displasia de quadril e problemas de disco intervertebral. Também costumam ter muitas alergias e serem alérgicos a muitas coisas, como alergia de pele e alergia a pulgas; problemas de visão como entrópio e ectrópio, cataratas e ceratoconjuntivite seca ou olho seco.

Alguns podem ter uma condição genética chamada deficiência de piruvato de fosfatase desidrogenase, a falta de uma proteína enzimática que pode levar a uma intolerância por exercícios assim como problemas cardíacos e pulmonares.

Clumbers também possuem tendência a ter colite, um inflamação do intestino grosso. Se o seu cão apresentar fezes moles com manchas de sangue ou muco, porém pareça saudável, ele pode estar com colite. Coloque-o em um jejum de 24 hrs, porém com muita água, depois alimente-o com refeições brandas como frango e arroz por alguns dias e gradualmente volte à sua dieta normal.

Se persistir e for recorrente, pergunte ao seu veterinário sobre uma dieta especial para cães com sistemas digestivos sensíveis. O Clumbers costumam roncar, espirrar e babar. Adoram mastigar, por isso preste atenção para que não engulam objetos nocivos à sua saúde. Costumam também a ganhar peso, por isso não os alimente demais.

Todos os cães possuem o potencial para desenvolver problemas genéticos de saúde, assim como todas as pessoas possuem potencial para herdar doenças. É sempre uma boa ideia perguntar a criadores quais os problemas que possam existir em suas linhagens. Um criador honesto sempre estará a disposição para discutir a saúde de seus cachorros, seja boa ou má.

Criadores cuidadosos costumam investigar e testar seus cães para evitar doenças genéticas e reproduzir apenas as espécies mais saudáveis e de melhor aparência, mas às vezes a Mãe Natureza possui outros planos. Um filhote pode desenvolver uma destas doenças mesmo em reproduções cuidadosas. Avanços na medicina veterinária hoje garantem que na maioria das vezes os cães podem ter uma qualidade de vida. Se estiver pensando em comprar um filhote, pergunte ao criador sobre as idades dos cães em sua linhagem e as causas mais comuns de morte.

Lembre-se que depois de levar um filhote para casa, você tem a responsabilidade de protegê-lo de um dos problemas caninos mais comuns: a obesidade canina, inclusive uma das tendências da raça. Manter o seu Clumber em um peso adequado é uma das maneiras mais fáceis de manter a saúde do seu cachorro e a vida dele saudável para a vida inteira. Em geral, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde. O Clumber costuma viver cerca de 10 a 15 anos.

Treinamento do Clumber Spaniel

clumber-spaniel-treinamento
Clumber Spaniel em treinamento em campo aberto. (Créditos/Copyright: “Por Lenkadan/Shutterstock”)

O treinamento desta raça inteligente é razoavelmente fácil, embora hajam exceções a toda regra. No geral, os Clumbers respondem bem ao métodos de treinamento de louvor e reforço positivo na forma de recompensas alimentares ou jogo. Porém, a sua disposição gentil pode ser facilmente danificada se for corrigida de forma severa. O Clumber Spaniel precisa de uma mão gentil.

Portanto, seja justo e consistente com relação ao que pedir, e recompense-o toda vez que vê-lo fazendo algo direito ou algo que você goste. Os Spaniels costumam ser fáceis de serem treinados pois possuem boa memória e gostam de agradar seus donos. São calmos e despretensiosos.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

O treinamento da caixa é algo também fortemente recomendado para o Clumber Spaniel. Não só ajuda no treinamento dentro de casa, mas também serve como um espaço para se acalmar e relaxar, além de evitar que ele saia mastigando tudo por ai enquanto você estiver fora. A caixa é apenas uma ferramenta, não uma jaula, por isso não mantenha-o preso ali por longos períodos. O melhor lugar para o seu Clumber é sempre com você.

Ensinar o seu cachorro a deitar, sentar e ficar no lugar é vital para o treinamento de um filhote, procure se informar sobre como adestrar o seu cachorro, é muito comum cometer erros durante o processo de treinamento.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Categorias
Levantadores e Caça

Cocker Spaniel Inglês

O Cocker Spaniel Inglês é um cão de raça de porte médio, compacto, bastante ativo, que tem seu adestramento classificado como fácil e a predileção por nadar e caçar, além de uma disposição alegre. Conhecido por ser um dos favoritos cães de estimação no mundo e um dos melhores cães para viver em apartamento, é geralmente escolhido devido a sua aparência – cabeça levemente arredondada; orelhas grandes, moles e caídas; olhos cativantes e pelagem farta com mais de trinta combinações de cores. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Cocker Spaniel Inglês

Origem: Inglaterra/Reino Unido.
Data de origem: 1800.
Grupo de Raças: FCI Grupo 8 – Cães Levantadores e Cobradores de Caça e Cães D'Água (Retrievers) / AKC Grupo de Cães Esportistas / Cão de tiro, Apontadores, Cães de caça.
Função original: marcar e recuperar presas, pássaros.
Função atual: marcar e recuperar presas, competições de campo.
Outros nomes: cocker spaniel.
Tamanho: porte médio.
Altura: Fêmea de 36cm a 41cm / Macho de 38cm a 43cm.
Peso: Fêmea de 12kg a 15kg / Macho de 13kg a 16kg.
Cores: preto sólido, marrom escuro avermelhado, vermelho, ou combinações de duas cores como branco e preto ou marrom escuro avermelhado, ou marcas avermelhadas e pintas.
Pelos: médio a longo, sedoso com franjas.
Manutenção: Escove os pelos semanalmente, tose regularmente.
Expectativa de vida: 12 a 14 anos.
Filhotes:
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, CCR, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Cocker Spaniel Inglês

cocker-spaniel-ingles-intro
Cocker Spaniel Inglês adulto marrom no jardim. (Créditos/Copyright: “TCreativeMedia/Shutterstock”)

Levemente mais alto que comprido e um pouco maior e com menos pêlos que o Cocker Spaniel Americano, o Cocker Spaniel Inglês também aprecia o convívio familiar e é capaz de se adequar a maioria das habitações, seja uma casa ou apartamento. Contudo, é preciso dar muita atenção a sua dieta e aos exercícios diários.

Os Cockers Ingleses são alegres, divertidos, devotados, amáveis, engraçados e ativos com grande parte das pessoas. Costumam aprender rapidamente e são excelentes em esportes caninos, mas são também sensíveis, por isso devem ser cuidados com carinho e respeito, para serem capazes de apreciarem o que tiverem que aprender.

Dentro dessa mesma raça, existem dois tipos de Cockers: Cockers de campo (para caça) e Cockers de mostra (para apresentações em exposições de raças). Estes dois tipos diferentes costumam aparecer em uma mesma cria e por isso, são considerados apenas duas variações de uma mesma raça. Alguns Cockers Ingleses podem até serem descritos como “raça de campo”, pois eles originam de linhagens de caça, sendo maiores e mais ativos, e com menos pelos que os Cockers de apresentações, porém ambos são muito valorizados tanto por seus talentos como apontadores, como para animais de estimação ou companhia.

Por ter sido um dos mais populares dos Cockers, também foi prejudicado por cruzamentos indiscriminados e por esta razão, pode apresentar alguns problemas de saúde como aumento de problemas cutâneos e oculares, hipertireoidismo, câncer e cardiopatias, além de outros problemas comportamentais como timidez e agressividade. Além de todos os cuidados habituais que se deve ter com um animal de estimação – alimentação, higiene e saúde -, o Cocker Inglês ainda requer atenção especial às suas orelhas: que como são grandes e de pelagem abundante, costumam arrastar no chão e carregar sujeiras ou até cair nas vasilhas d’água e comida, causando otite e odor forte.

Origem da raça Cocker Spaniel Inglês

cocker-spaniel-ingles-origem
Cocker Spaniel Inglês deitado na grama do jardim.(Créditos/Copyright: “cynoclub/Shutterstock”)

Spaniels de vários tamanhos já existem há séculos, já havendo referências à eles tão antigas quanto os trabalhos de Chaucer e Shakespeare. Apesar do nome inglês, seu surgimento deu-se na Espanha, local onde a raça costumava servir para levantar aves do mato ou pântano para que fossem abatidas e depois recolhidas.

Chegados à Inglaterra e ao País de Gales, foram usados até 1800 para caçar galinholas (espécie de codornas). Ali, passaram a ser chamados de Cocker Spaniel Inglês, devido a sua popularidade entre os caçadores ingleses da época.

Diferentes raças em uma

O Cocker Spaniel Inglês é um dos mais velhos Spaniels, sendo que a família Spaniel é um dos maiores grupos de cães, e um dos mais especializados. Embora a primeira documentação sobre a existência da raça tenha surgido de uma descrição feita por Gaston Phebus escrita em 1300, foi só em 1800 que vários tipos de Spaniels Ingleses foram separados em 7 raças diferentes, sendo que mais para o final do século XIX, criadores ingleses começaram a dividir os Spaniels em raças específicas: Springer Inglês, Springer Galês, Cocker, Field, Sussex, Clumber, e o Cão D’Água Irlandês. Até o século passado, era comum que uma única cria desse filhotes de tamanhos diferentes, e depois os criadores decidiam o uso que iriam dar a cada filhote baseados em suas observações, dependendo do tamanho, músculos, inteligência e energia. Neste período, o Cocker e o Springer Spaniel foram desenvolvidos juntos, sendo o tamanho a única diferença entre eles.

Cocker Spaniel Inglês X Cocker Spaniel Americano

Em 1885, O Clube de Raça de Spaniels Ingleses foi formado e uma de suas primeiras tarefas foi criar padrões de raça para cada um dos diferentes tipos de Spaniels. Até que em 1892, o Clube de Canil da Inglaterra reconheceu os dois, o inglês e o americano, como duas raças distintas, sendo a de menor tamanho reconhecida como Cocker Spaniel.

Em 1901, o limite de peso da raça foi abolido, e os Cocker Spaniels tornaram-se extremamente populares na Inglaterra devido aos seus talentos de caça e porte fácil de ser carregado para qualquer lugar. Porém, do outro lado do oceano, o desenvolvimento dos Cockers seguiram uma outra direção. Criadores Americanos insistiram em mudar o tamanho da raça criando uma outra variedade de Spaniel, selecionando cães menores com um crânio mais arredondado, focinho mais curto e maior quantidade de pelos.

E assim, por volta de 1935, os Cocker Spaniels Americanos e Ingleses tornaram-se dois tipos diferentes de raças. Ambos, Cocker Spaniels Ingleses e Americanos eram mostrados juntos até 1936, quando em 1946 os Clubes de Canil Americano (AKC) e Canadense (CKC) reconheceram o Cocker Spaniel Inglês como uma raça separada do Cocker Spaniel Americano. Depois que as raças foram separadas, o Cocker Spaniel Americano acabou ficando ainda mais popular que o Inglês — porém apenas nos Estados Unidos.

No resto do mundo, o Cocker Spaniel Inglês é ainda o mais popular das duas raças e é conhecido apenas como Cocker Spaniel. Sua popularidade é tanta que é uma das raças de cachorros mais visadas por ladrões.

O Cocker Spaniel nos dias de hoje

Os Cocker Spaniel Ingleses ainda são excelentes cães recuperadores de caça e caçadores de pássaros. E embora sejam mais utilizados como cães de companhia devido a sua disposição doce e amável, o Cocker Spaniel Inglês é naturalmente talentoso em áreas competitivas de caça, rastreio, recuperação, levantamento e recolhimento, guarda, agilidade e obediência.

Aparência do Cocker Spaniel Inglês

cocker-spaniel-ingles-aparencia
Cocker Spaniel Inglês castanho de perfil. (Créditos/Copyright: “spfotocz/Shutterstock”)

O Cocker Spaniel Inglês possui uma pelagem longa à média, lisa ou levemente ondulada, de textura sedosa e macia. As patas, peito e barriga são cobertas de pelos mais longos com uma espécie de franjas, mas nem tanto como nos Americanos – franjas que são mais que decorativas; ajudam a proteger o corpo do cão de arranhões ou outros ferimentos enquanto caçam pelos campos e matas.

O Cocker Spaniel Inglês é um cão de porte médio, de corpo compacto e firme, de estrutura sólida. São equilibrados e fortes, porém não volumosos ou pesados. A sua linha de cima é quase que em nível, com uma leve depressão para baixo da cernelha até a base da cauda. A cabeça é arcada e parece um pouco achatada vista de perfil. Seu crânio e focinho são relativamente paralelos, e de comprimento aproximadamente igual, com uma parada definida, sendo preto ou marrom dependendo da cor dos pelos.

Possuem olhos ovais marrom escuros ou castanhos, e uma mandíbula forte com dentes que fecham em mordida de tesoura. Seu peito é bem desenvolvido e profundo, mas não largo a ponto de impedir seus movimentos. O rabo é curto e as orelhas longas, baixas e penduradas, cobertas de pelos sedosos ou ondulados. Possuem patas de gato, retas na frente e com dedos bem arcados.

A sua pelagem, de comprimento médio no corpo e curta e fina na cabeça, pode apresentar uma variedade de cores incluindo preto, marrom escuro avermelhado, vermelho, e uma variada combinação de bicolores que envolvem branco com preto, marrom escuro avermelhado ou marcas em vermelho e pintas. Se os pelos forem de cor sólida, marcas em branco são apenas permitidas no peito. Não é tão incomum encontrar marcas bejes em bicolores, de combinações pretas ou marrom escuro avermelhados.

Ambiente Ideal para o Cocker Spaniel Inglês

cocker-spaniel-ingles-ambiente
Dupla de filhotes Cocker Spaniels Ingleses deitados juntinhos.(Créditos/Copyright: “Liliya Kulianionak/Shutterstock”)

O Cocker Spaniel Inglês está entre as melhores raças para apartamentos, pois pode viver perfeitamente em pequenos espaços, se for exercitado de forma suficiente. Seria melhor se pudesse viver em uma casa com, pelo menos, um pequeno jardim, pois precisam de exercícios físicos e estímulos. Embora, possam ficar do lado de fora da casa em lugares de climas temperados amenos, preferem dormir dentro de casa, por gostarem demais do convívio familiar.

Temperamento & Personalidade do Cocker Spaniel Inglês

cocker-spaniel-ingles-temperamento
Cocker Spaniel Inglês e sua dona carinhosa e fiel. (Créditos/Copyright: “BestPhotoStudio/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cachorro, o Cocker Spaniel Inglês precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências — quando ainda filhotes, para que sejam capazes de lidar com várias situações diferentes evitando a timidez ou agressividade. A socialização ajuda a garantir que o seu Cocker Spaniel cresça saudável tornando-se um cachorro bastante sociável.

O Cocker Spaniel Inglês possui todas as qualidades comuns de todo Spaniel: é um cão inteligente, vívido, alegre, amável, agradável, gentil, brincalhão, carinhoso e muito devotado. Engraçado e curioso, pode fazer todos rirem, e ser uma boa escolha para famílias com crianças, apesar da sua tendência a se aproximar mais de um único indivíduo do que da família inteira.

Geralmente são extrovertidos e amigáveis, e lidam com estranhos facilmente, mesmo havendo algumas espécies mais reservadas que não tiveram socialização suficientes. Podem também se dar bem com outros animais de estimação, como gatos e outros cães. Não costumam latir muito, e estão sempre dispostos a ouvir e a obedecer aos seus donos.

Como há dois tipos de Spaniel Ingleses, para caça ou trabalho e de mostra para apresentações, podem existir algumas diferenças de temperamento, dependendo de como for tratado pelo seu dono e quais exercícios forem fornecidos, mas ambos são energéticos e precisam de exercícios caninos diários. Contudo, o do tipo campo (caça e trabalho), possui maior nível de energia e precisa ainda mais de exercícios. O nível de dominância nesta raça varia bastante, mesmo em uma mesma ninhada.

Costumam ser sensíveis ao tom de voz, não respondem bem à métodos duros de disciplina, e são capazes de ignorar comandos se acharem que são mais fortes. Se o dono não for capaz de mostrar um temperamento calmo, porém firme, deverá escolher uma raça de temperamento mais submisso. Normalmente quem sofre mais com isso são os donos de 1a viagem, que ainda não sabem lidar com comportamentos como esse.

O Cocker, assim como todo cachorro não importa a raça, precisa de liderança e não amadurecerá sem isso. Quando sente que seu dono é fraco ou passivo demais, pode se tornar teimoso e até surtar. Este tipo de comportamento é conhecido por Síndrome do Cachorro Pequeno, um distúrbio que costuma acometer raças menores que não possuem a liderança necessária por parte de seus donos e acabam se comportando mal. Este tipo de comportamento só acontece quando o dono deixa que ele mande em tudo, mas que pode ser corrigido quando o dono começar a apresentar uma liderança adequada.

Os cães que não costumam fazer caminhadas diárias, que costumam pensar serem líderes ou que são tratados como humanos, acabam desenvolvendo um mau comportamento ou problemas de temperamento. Aqueles que tiverem estrutura consistente, tratamento calmo, autoridade firme, com regras claras e caminhadas diárias sempre ao lado ou atrás do seu dono, nunca na frente, terão os melhores temperamentos.

O Cocker Spaniel Inglês perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que for que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar.

Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Cocker Spaniel Inglês

cocker-spaniel-ingles-cuidados
Cocker Spaniel Inglês branco e preto adulto. (Créditos/Copyright: “Artush/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Cocker Spaniel Inglês a ser escovado e examinado ainda quando filhote. Toque em suas patas com frequência — cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Faça com que os exames e a sua manutenção seja uma experiência agradável, cheias de elogios e recompensas.

Enquanto o examina, procure por inflamações, feridas ou sinais de infecções como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Os olhos devem estar limpos e claros, sem vermelhidão ou corrimento. O seu exame semanal ajuda a detectar problemas de saúde comuns mais cedo.

Suas orelhas longas e peludas precisam de cuidados especiais. As orelhas devem ser limpas semanalmente para retirar sujeira e evitar infecções que apresentem mau cheiro, vermelhidão, inchaço ou coceira. Mantenha as orelhas limpas e secas para evitar fungos e infecções bacterianas. É importante escovar e pentear seus pelos.

Escove 3 vezes na semana para remover pelos soltos, e mantê-los brilhantes e lisos, sem embaraços. O Cocker precisa ser tosado na cabeça, e cortar com tesoura os pelos ao redor das patas, garganta e rabo, a cada dois meses – se possível de forma profissional.

Escove os pelos das patas até os dedos e corte até a base da pata. Corte os pelos ao redor das almofadas debaixo da pata, mas não entre os dedos. Escove tudo retirando carrapichos e nós. O tipo de pelo pode variar entre as raças. Alguns cães possuem quantidade de pelos felpudos em excesso que embaraçam mais, enquanto outros são mais sedosos e lisos, embaraçando menos. Dê banhos a cada 6 semanas ou quando necessário. Como todo cão, os Cockers também têm um lado pernicioso, e são travessos e gulosos.

Mantenha comida e lixo fora do seu alcance, assim como qualquer outra coisa que não possa pegar, especialmente quando ainda filhote. O resto é cuidado básico, corte suas unhas quando necessário, geralmente a cada 2 semanas, escove seus dentes frequentemente para uma boa saúde e bom hálito, pelo menos 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria.

Atividade & Exercícios para o Cocker Spaniel Inglês

cocker-spaniel-ingles-atividade
Cocker Spaniel Inglês nadando, uma das suas atividades preferidas. (Créditos/Copyright: “Andrea Izzotti/Shutterstock”)

O Cocker Spaniel Inglês aprecia toda quantidade de exercícios que você puder oferecer, pois estes exercícios diários são uma necessidade, seja na forma de longas caminhadas na coleira, uma boa corrida no campo ou uma excitante brincadeira no jardim. Três caminhadas por dia são o suficiente para mantê-lo feliz, mas eles precisam ter também oportunidades regulares para correrem soltos por aí.

Sem falar que a maioria deles adora nadar. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular a mente do seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Cocker Spaniel Inglês

cocker-spaniel-ingles-saude
Cocker Spaniel Inglês tomando vacina no veterinário.(Créditos/Copyright: “Africa Studio/Shutterstock”)

Os Cockers são na maioria das vezes saudáveis, mas como toda raça canina, são também suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

O Cocker Spaniel Inglês costuma desenvolver infecções de ouvido, por isso suas orelhas devem ser checadas com frequência, principalmente durante o verão. Por serem longas e penduradas, quase arrastando no chão, carrapatos, pulgas e sujeiras podem entrar no canal do ouvido e causar surdez.

Outros problemas de saúde além das infecções de ouvido, incluem atrofia progressiva da retina, inchaço da patela, cataratas, anemia hemolítica, deficiência renal juvenil, hipotiroidismo e perda de audição nos bicolores. Eles também são gulosos e ganham peso facilmente, o que aumenta as chances para o desenvolvimento da obesidade canina, que acaba levando a vários outros sérios problemas de saúde muito mais sérios — não os alimente em exagero.

O Cocker Spaniel costuma viver por cerca de 12 a 15 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo, estendendo a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde.

Treinamento do Cocker Spaniel Inglês

cocker-spaniel-ingles-treinamento
Cocker Spaniel Inglês brincando com bolinha no seu jardim. (Créditos/Copyright: “OlgaOvcharenko/Shutterstock”)

O Cocker Spaniel Inglês tem uma disposição natural para aprender e é capaz de entender rapidamente o que se espera dele. Uma certa quantidade de compreensão e consistência durante os treinamentos é necessário, pois eles tentam roubar a liderança. Ensine-o de forma gentil.

Ele possui o temperamento sensível comum nos Spaniels e não responde bem à tratamentos ríspidos. Seja firme e consistente para vencer a sua teimosia e a sua tendência ocasional de comportamento aéreo. Para chamar a atenção dele e prender o seu interesse, tente fazer com que o treinamento pareça com um jogo, com recompensas com comida e diversão. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. Planeje oferecer exercícios diários em forma de longas caminhadas ou corridas de meia-hora.

É também super competitivo em esportes caninos populares como agilidade e obediência, e seu excelente faro faz com que seja um caçador natural e bom em rastreamento. Os Cockers Ingleses amam nadar, por isso se você for daqueles que costuma ir à praia com frequência ou passear de barco, vocês se tornarão melhores amigos rapidamente.

É importante também treinar o seu filhote como métodos da caixa se planeja lhe dar liberdade pela casa quando adulto. Não importa a raça, os filhotes costumam explorar, ir a lugares que não devem, mastigar coisas, etc. Considere o treinamento da caixa se precisar adaptar o seu cão a um ambiente seguro e confinado. Por razões de segurança e conforto.

Consistência é importante, e o seu adestramento deve ser um processo simples. Ele é inquisitivo e rápido para aprender tarefas simples, mas imprevisível e desafiador. Eles precisam de um treinador paciente. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Categorias
Levantadores e Caça

Cocker Spaniel Americano

O Cocker Spaniel Americano já conquistou milhões de corações, sendo que seus ancestrais são idênticos aos do Cocker Spaniel Inglês, que foi inicialmente importado à América do Norte durante meados de 1880. Através de cruzamentos seletivos durante cerca de 50 anos, criadores nos Estados Unidos conseguiram criar um tipo diferente de Cocker – um cão menor com patas profusas, dianteiras mais altas e traseiras mais curtas, com uma linha dorsal superior mais inclinada e focinho mais curto, mais abobadado no cérebro. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Cocker Spaniel Americano

Origem: Estados Unidos, Inglaterra
Data de origem: 1700
Grupo de Raças: FCI Grupo 8 – Cães Levantadores e Cobradores de Caça e Cães D'Água (Retrievers) / AKC Grupo de Cães Esportistas / Cão de tiro, Retrievers, cães de caça.
Função original: localizar e recuperar presas
Tamanho: porte médio
Altura: Fêmea 43 a 48 cm / Macho 48 cm a 50 cm
Peso: Fêmea de 25 a 32 kg / Macho de 32 a 38,5 kg
Cores: preto sólido, chocolate, vermelho, beige claro, crème ou qualquer outra combinação incluindo branco.
Pêlos: sedoso, curto na cabeça e costas, e longo nas patas e parte de baixo do corpo.
Manutenção: escovar 3X/semana
Expectativa de vida: 12 a 14 anos
Filhotes: de 1 a 7 filhotes, média de 5 por cria
Reconhecimento (Canil): FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, CKC, CCR, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Cocker Spaniel Americano

cocker-americano-intro
Dupla de Cocker Spaniels Americanos e seus cachinhos na cor marrom. (Créditos/Copyright: “Lenkadan/Shutterstock”)

Por um bom tempo, este pequeno cãozinho atraente foi muito popular até que a sua superprodução quase acabou destruindo o seu temperamento alegre, até que tudo fosse revertido, e a raça salva. Sensível e charmoso, o Cocker Spaniel Americano é a menor raça dos Spaniels de caça, e tem sido popular por décadas, principalmente por ser uma raça de cão de companhia amável, embora permaneça um cão de caça bastante capaz em seu coração.

Lindo de se observar, a sua disposição amena e alegre o transforma em um verdadeiro deleite para a família. Sempre mais satisfeito quando está agradando aos seus donos, fica tanto contente por aconchegar no sofá com seus adultos favoritos como para brincar no quintal com as crianças.

A raça pode se adequar bem na maioria dos ambientes, seja casa ou apartamento, caçando pássaros ou apenas se divertindo ao redor da casa. Pode ser facilmente treinado, é sempre gentil, brincalhão, e ainda adora mergulhar na água. Além disso, é bonito e inteligente, mas precisa ser seriamente socializado desde filhote para evitar muitos problemas comportamentais, como timidez que pode levar à agressão e micção submissa.

Origem do Cocker Spaniel Americano

cocker-americano-origem
Cocker Spaniel Americano na cor marfim em meio a folhas de outono. (Créditos/Copyright: “Drop of Light/Shutterstock”)

O Cocker Spaniel moderno é descendente da família dos Spaniels, um enorme grupo que data da antiguidade. O Cocker Spaniel Americano é do século XIV, sendo originário da raça Cocker Spaniel Inglês que foi trazida aos Estados Unidos. Estes Spaniels foram cruzados e diminuídos em tamanho recebendo o nome de Cocker Spaniel Americano, oficialmente chamados apenas de “Cocker Spaniels” pela AKC, sendo reconhecido oficialmente em 1873.

A palavra “spaniel” é uma palavra espanhola que traduzida quer dizer “cão espanhol”, por esta razão acredita-se que a raça tenha sido primeiramente originada na Espanha.

Por volta de 1800, os Spaniels foram divididos em dois grupos: os cães toys (principalmente cães de companhia) e Aparência do Cocker Spaniel Americano

cocker-americano-aparencia
Cocker Spaniel Americano Champagne em posição de caça apontador. (Créditos/Copyright: “Sergey Lavrentev/Shutterstock”)

O Cocker Spaniel Americano é um cão robusto de porte médio, que tem um corpo compacto e patas traseiras curtas com uma suave curvatura de linha dorsal. Suas pernas são robustas, retas e musculosas. Possui uma cabeça arredondada definida com uma parada abrupta e uma mandíbula quadrada.

Seus olhos amigáveis são redondos, escuros e juntos, e seus dentes se encontram em uma mordida de tesoura. Dependendo da cor de seus pelos, pode ter um focinho largo marrom ou preto.

Suas orelhas caídas se penduram longamente em penugens, e seus rabos são cortados em mais da metade do que seu comprimento original. Sua camada de pelos retos ou suavemente ondulados de comprimento médio é suave, exuberante, sedosa, e emplumada nas pontas; curta e fina na cabeça, podendo ser de uma variedade de cores: preto, prata, creme, vermelho e marrom, ou misturas de qualquer uma dessas cores com branco.

Os de qualquer outra cor de pelos que não seja preto são popularmente chamados de ASCOB (do inglês: Any Solid Color Other than Black), sendo os brancos, pretos e cremes os mais comuns. Possui penugens nas orelhas, no peito, abdômen e patas.

Ambiente Ideal para o Cocker Spaniel Americano

cocker-americano-ambiente
Cocker Spaniel Americano filhote pendurado na cerca em meio à flores amarelas. (Créditos/Copyright: “WilleeCole Photography/Shutterstock”)

Os Cockers Americanos são capazes de se adaptar em qualquer tipo de ambiente, e podem se adequar muito bem a uma vida no apartamento ou condomínio se forem exercitados de forma adequada. Embora não precisem de um vasto espaço, precisam se exercitar diariamente, pois são bastante ativos dentro de casa, porém um pequeno jardim já é o suficiente. Não é feito para dormir fora de casa em um canil, e podem desenvolver maus hábitos como latir e cavar para se entreter se ficarem sozinhos por muito tempo. Precisa interagir com a família e estar participando das atividades do grupo para se sentir feliz.

Temperamento & Personalidade do Cocker Spaniel Americano

cocker-americano-temperamento
Cocker Spaniel Americano dividindo suas salsichas com o seu amigo gato. (Créditos/Copyright: “Africa Studio/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cachorro, o Cocker Spaniel Americano precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências — quando ainda filhotes, para que sejam capazes de lidar com várias situações diferentes evitando a timidez ou agressividade.

A socialização ajuda a garantir que o seu Cocker Americano cresça saudável tornando-se um cachorro bastante sociável. Uma boa cruza de Cocker Spaniels tem como resultado um cão de temperamento doce e afetuoso que adora participar nas atividades familiares. O Cocker Spaniel Americano costuma ser brincalhão, alerta, e ativo, capaz de apreciar qualquer exercício físico, desde caminhadas à caças.

Alegre, gentil, energético e doce, a raça possui uma inteligência padrão e costuma respeitar a autoridade de seu dono. As vezes gosta de latir, e exige muita atenção, amor e devoção, e se achar que não está recebendo todo este carinho, vai procurar. Costumam ser leais, devotados e charmosos, mas possuem a tendência a timidez, por isso é importante socializá-lo desde pequenos para entender que devem ser submissos aos humanos, podendo assim ser bons animais de estimação para crianças. São capazes de amar a todos, mas precisam de uma liderança firme e amável, além de exercícios diários.

Há dois tipos de Cocker Spaniel Americanos, os de campo e os de apresentação ou exposição. Os de campo são feitos para trabalhar e possuem melhores instintos de caça e pelos mais curtos, bem mais prático para trabalhar nos campos e florestas. Ambos os tipos são excelentes animais de estimação se suas necessidades caninas forem respeitadas.

O Cocker Spaniel é uma raça sensível tanto fisicamente como emocionalmente. Se estiver sentindo dor ou medo de sentir dor, pode rosnar e surtar para evitar que seja carregado. Deve-se ter paciência. Possui uma personalidade suave e não responde bem a tratamentos duros. Precisa ser tratado com cuidado e de de forma amável para incitar o melhor dele. Costumam ser sensíveis ao tom de voz, não respondem bem à métodos duros de disciplina, e são capazes de ignorar comandos se acharem que são mais fortes. Se o dono não for capaz de mostrar um temperamento calmo, porém firme, deverá escolher uma raça de temperamento mais submisso.

Normalmente quem sofre mais com isso são os donos de 1a viagem, que ainda não sabem lidar com comportamentos como esse. O Cocker Americano, assim como todo cachorro não importa a raça, precisa de liderança e não amadurecerá sem isso. Quando sente que seu dono é fraco ou passivo demais, pode se tornar teimoso e até surtar.

Este tipo de comportamento é conhecido por Síndrome do Cachorro Pequeno, um distúrbio que costuma acometer raças menores que não possuem a liderança necessária por parte de seus donos e acabam se comportando mal. Este tipo de comportamento só acontece quando o dono deixa que ele mande em tudo, mas que pode ser corrigido quando o dono começar a apresentar uma liderança adequada.

Os cães que não costumam fazer caminhadas diárias, que costumam pensar serem líderes ou que são tratados como humanos, acabam desenvolvendo um mau comportamento ou problemas de temperamento. Aqueles que tiverem estrutura consistente, tratamento calmo, autoridade firme, com regras claras e caminhadas diárias sempre ao lado ou atrás do seu dono, nunca na frente, terão os melhores temperamentos.

Contudo, uma das razões da raça ser tão popular é a sua reputação de excelente cão familiar — pode se dar muito bem com crianças se for criado desde pequeno junto delas. Mas por serem sensíveis, toda interação com crianças deve ser supervisionada. Devem ser socializados e treinados desde pequenos para que aprendam boas maneiras. E, apesar dos seus instintos de caça, é muito amável e dócil com seus donos.

Cuidados & Manutenção do Cocker Spaniel Americano

cocker-americano-manutencao
Cocker Spaniel Americano cortando suas unhas no veterinário e aparando os pêlos. (Créditos/Copyright: “O_Lypa/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Cocker Spaniel Americano a ser escovado e examinado ainda quando filhote. Toque em suas patas com frequência — cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Faça com que os exames e a sua manutenção seja uma experiência agradável, cheias de elogios e recompensas.

Enquanto o examina, procure por inflamações, feridas ou sinais de infecções como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Os olhos devem estar limpos e claros, sem vermelhidão ou corrimento. O seu exame semanal ajuda a detectar problemas de saúde comuns mais cedo.

A sua manutenção é intensa — e potencialmente cara — a maioria dos donos optam por banhos, escovações e aparação de pelos feitos por profissionais a cada 6 a 8 semanas. É preciso escovar seus pelos em casa diariamente também para mantê-lo sem nós e pulgas. Alguns optam por mantê-los curtos para que a manutenção seja mais fácil e menos dispendiosa.

O Cocker Spaniel Americano deve ser introduzido a estes procedimentos desde cedo para que isso seja parte de uma rotina normal. Dada à sua personalidade sensível, é necessário que ele aceite ser carregado, escovado, etc, para que não fique agressivo e seja mais fácil de se lidar.

Infelizmente, o Cocker possui uma reputação entre os veterinários de ser menos cooperativos. Mas, toda essa atitude sensível é muitas vezes por causa da falta de familiaridade com a rotina. Suas unhas devem ser cortadas uma vez ao mês, as orelhas checadas uma vez por semana, para ver se há indícios de sujeira, vermelhidão ou mau cheiro que podem indicar infecção.

O Cocker Spaniel Americano é muito suscetível à infecção de ouvido, por isso é essencial que sejam checadas para evitar maiores problemas. Limpe os seus olhos também, pois possuem tendência a lacrimejar. É recomendável usar pratos de comida mais fundos e estreitos para água e comida para prevenir que suas orelhas caiam dentro do prato se se sujem.

Atividade & Exercícios do Cocker Spaniel Americano

cocker-americano-atividade
Dupla de Cocker Spaniels Americanos adultos preto e marrom, de orelhas super cacheadas. (Créditos/Copyright: “Vera Zinkova/Shutterstock”)

Os Cockers Americanos possuem muita energia e por isso precisam de exercícios regularmente. Devem ser levados para longas caminhadas diárias, sempre com o cão ao seu lado ao invés de na frente, para que ele entenda que o líder é você, e não ele. Pode ser levado para caminhadas 3 vezes por dia ou brincar no jardim por algum tempo, podendo correr solto e até nadar. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro.

Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro.

Existem diversos motivos para exercitar e estimular a mente do seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Cocker Spaniel Americano

cocker-americano-saude
Cocker Spaniel Americano marfim. (Créditos/Copyright: “Olha Palinchak/Shutterstock”)

Cockers são normalmente saudáveis, mas como toda raça de cães, algumas são mais suscetíveis a ter certas condições de saúde e doenças comuns, que podem ser mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

Os Cockers possuem mais doenças auto-imunes do que outras raças, por razões que não são claras, como por exemplo, anemia hemolítica ou AIHA, uma anemia devido à hemólise, uma quebra anormal de hemácias nos vasos sanguíneos ou em outro lugar do corpo em que o sistema imunológico do cão ataca seus próprios glóbulos vermelhos até que ele fique anêmico.

Os sintomas incluem gengivas pálidas, fadiga, e as vezes icterícia, além de inchaço abdominal como alargamento dos rins. E, embora haja tratamento, a taxa de mortalidade é alta, sendo não recomendado a cruza.

Alguns outros problemas de visão também costumam a aparecer como atrofia progressiva de retina, uma doença degenerativa das células da retina que pode progredir à cegueira; cataratas, uma camada nebulosa que se forma sobre os olhos; glaucoma, uma condição em que a pressão aumenta dentro do globo ocular; e anormalidades dos olhos como olhos de cereja, que pode ser corrigido com cirurgia; olhos secos que podem levar a problemas de córnea. Ao notar qualquer vermelhidão nos olhos, ou esfregação no rosto do cão, leve-o ao veterinário.

Alergias também são comuns, e há 3 principais tipos que costumam atacar os Cockers: alergias alimentares que são tratadas eliminando certos alimentos da dieta do cão; alergias de contato, que podem ser causadas por reações a substâncias tópicas em tecidos, talcos de pulga, shampoos e outros químicos; e alergias inalantes, causadas por alérgenos como pólen, poeira e bolor. Os tratamentos variam de acordo com a causa e podem incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças de ambiente.

Os Cockers também podem ter hipotiroidismo, uma produção insuficiente do hormônio da tireoide que pode causar ganho de peso, letargia, perda de cabelo, tremedeira e infecções de pele, que também podem indicar alergias, assim como verrugas na pele que podem ser benignas ou cancerígenas.

Alguns outros problemas são menos proeminentes, mas ainda costumam a aparecer, como inflamação e infecção das orelhas, podendo ser crônicas, e que se forem repetitivas podem danificar o canal da orelha podendo até causar surdez. Outros desenvolvem surdez congênita, associada ao cabelo branco e olhos azuis, em que o suprimento de sangue ao ouvido interno degenera, e é permanente.

Outros problemas incluem: luxação das rótulas dos joelhos, ectrópio, entrópio, seborréia, lábio, otite externa, doenças do fígado, urolitíase, prolapso da glândula nictitans, CHF, a deficiência de fosfofrutoquinase e cardiomiopatia, torção gástrica, doença cardíaca, doença do fígado, epilepsia, displasia do cotovelo e displasia de quadril.

O padrão de longevidade do Cocker Spaniel Americano é de 12 a 17 anos, , o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo, estendendo a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde, e normalmente costuma ter de 5 a 7 filhotes por cria.

Treinamento do Cocker Spaniel Americano

cocker-americano-treinamento
Cocker Spaniel Americano bicolor deitado sob a sombra das folhagens. (Créditos/Copyright: “otsphoto/Shutterstock”)

O Cocker Spaniel é altamente treinável, e bastante disposto a aprender, mas possui uma alma sensível. Socialização e treinamento desde filhote é necessário. Pode de ser um tanto difícil de ser treinado a fazer suas necessidades fora de casa ou em um lugar específico. Aulas de obediência são recomendáveis à esta raça, por isso seja consistente em seu treinamento, porém sempre gentil, com métodos de esforço positivo, especialmente com recompensas com comida.

Para chamar a atenção dele e prender o seu interesse, tente fazer com que o treinamento pareça com um jogo, com recompensas com comida e diversão. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas. Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. Planeje oferecer exercícios diários em forma de longas caminhadas ou corridas de meia-hora.

É importante também treinar o seu filhote como métodos da caixa se planeja lhe dar liberdade pela casa quando adulto. Não importa a raça, os filhotes costumam explorar, ir a lugares que não devem, mastigar coisas, etc. Considere o treinamento da caixa se precisar adaptar o seu cão a um ambiente seguro e confinado. Por razões de segurança e conforto.

Consistência é importante, e o seu adestramento deve ser um processo simples. Ele é inquisitivo e rápido para aprender tarefas simples, mas imprevisível e desafiador. Eles precisam de um treinador paciente. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Categorias
Levantadores e Caça

Cão D’água Americano

O Cão D’água Americano é popularmente conhecido pelas suas iniciais AWS (do inglês American Water Spaniel). É uma das poucas raças desenvolvidas na América do Norte, sendo natural de Wisconsin, Estados Unidos, surgida através dos cruzamentos entre cães de água, incluindo por exemplo o Cão Spaniel D’Água Irlandês, e considerada rara, pois não é popular fora da sua área. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Cão D’água Americano

Origem: Estados Unidos
Data de origem: 1800s
Grupo de Raças: FCI Grupo 08 – Cães Levantadores, Cobradores de caça e Cães D'água / AKC Cães de Esporte ou Cão Apontador.
Função original: buscar caça e trazer de volta
Função atual: cão de caça, cão de companhia
Outros nomes ou apelidos: Amerikanischer Wasserspaniel
Tamanho: porte médio
Altura: de 36 cm a 46 cm
Peso: Fêmea de 11 kg a 18 kg / Macho de 13 kg a 20 kg
Cores: vinho, marrom, chocolate escuro
Pêlos: longos e oleosos
Manutenção:
Expectativa de vida: cerca de 12 a 15 anos.
Filhotes: cerca de 4 a 6 filhotes.
Reconhecimento (Canil): FCI, AKC, UKC, CKC, NKC, CKC, AWSC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Cão D’água Americano

O Cão D’água Americano é uma raça, que desde o século XVIII, tem sido usada para trabalhos em fazendas e para a caça, em florestas, pântanos, lagos e rios, principalmente em Minnesota e Wisconsin. Como uma raça típica Spaniel eles costumam caçar tanto animais de pena como de pele com a mesma alegria e entusiasmo. A raça é capaz de apontar esquilos em árvores latindo e funciona bem tanto para caça na água como para recuperar presas. É um nadador exemplar que usa seu rabo como leme, nadando bem até em águas turbulentas.

O AWS é um cão altamente inteligente, energético, ativo e de estrutura muscular muito resistente e uma alta tolerância à dor. Ele possui um temperamento amável, sensível, amistoso, tímido, que gosta de agradar e muito leal ao seu dono. É uma raça obediente, de adestramento fácil, pois são ansiosos para aprender. Embora sejam muito usados como cão trabalhador, o Cão D’água Americano também pode ser um excelente cão de guarda e companheiro familiar. Eles adoram crianças, além de ser um excelente cão de guarda, pois são sempre cheios de vitalidade e energia.

Embora sejam sempre tranquilos e calmos podem ser capazes de surtar se não forem cuidados da forma correta. Se o cão acreditar ser ou estar em posição de alfa em relação aos humanos, pode surtar de forma defensiva se assustado ou disciplinado de forma severa. Os cães não costumam responder bem à severidade ou raiva. Socialize bem a raça desde cedo para evitar a timidez e uma agressividade em potencial quando adulto. Costumam se dar bem com outras raças caninas e adoram atenção, mas conseguem se entreter sozinhos. São nadadores natos, e sem exercícios físicos e/ou mentais diários, podem começar a latir em demasia, choramingar e até demonstrar certa hiperatividade e excitação. Algumas espécies podem babar e roncar.

Origem da raça Cão D’água Americano

Desde o século XVIII, o AWS tem sido um cão agrícola e de caça. Sinceramente, o conhecimento exato com relação à sua origem não existe, mas sabe-se que a raça foi desenvolvida nos Estados Unidos ao redor dos Estados de Wisconsin e Minnesota, principalmente na áreas dos Grandes Lagos, no norte do país. Os ancestrais da raça incluem ambas as raças Water Spaniel Irlandês e Curly-Coated Retriever.

Foi a primeira raça a ser desenvolvida nos Estados Unidos capaz de recuperar caças de barcos e também caçar. A raça foi reconhecida pela AKC em 1940, podendo ter sido reconhecida bem antes se não fosse por medo de alguns entusiastas de arruinar a reputação da espécie de excelente caçador. O AWS é considerado uma raça rara, sendo que apenas 270 foram registrados pela AKC em 1990, mas acredita-se que existem bem mais que não foram registrados, sem falar naqueles que foram registrados em outros canis. É considerado o cão oficial do Estado de Wisconsin.

Aparência do Cão D’água Americano

O Cão D’água Americano é um cão ativo, de músculos resistentes, possui uma capa dupla de pêlos, que lhe é característica e resistente às condições de tempo. A camada de fora varia entre encaracolados a ondulados, enquanto a camada de baixo é densa e proteje o cão das variações de tempo e da água. Seus pêlos não são nem grossos nem macios, mas de alguma forma oleosos. A cor pode variar entre os tons de chocolate escuro, marrom ou vinho escuro.

Seu crânio é moderadamente longo e largo em proporção ao resto do corpo, apresenta uma parada moderada e um focinho de comprimento médio em formato quadrado. O nariz possui grandes orifícios e pode variar entre marrom escuro a preto, e os olhos variam entre marrom claro amarelados, a castanhos claros e escuros, dependendo da cor de seus pêlos.

Seus dentes são alinhados ou em mordida tesoura, e suas longas orelhas ficam penduradas na altura dos olhos e cobertas de cachinhos. Os pêlos mesmo sendo vinho ou chocolate, podem ou não apresentar marcas brancas no peito os nas patas, e o seu rabo é mais grosso na base em formato de pena afunilada que cai em uma curva suave para cima, de comprimento médio.

Ambiente Ideal para o Cão D’água Americano

O Cão D’água Americano pode se contentar com uma residência pequena ou até em um apartamento, se tiver recebendo a quantidade certa de exercícios. Eles são moderadamente ativos em locais fechados, mas muito mais felizes se tiverem um jardim ou quintal de pequeno porte onde possam correr e gastar um pouco de energia. Preferem uma casa no campo com muita área para correrem soltos.

Temperamento & Personalidade do Cão D’água Americano


O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Como todo cão, o Cão D’água Americano precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Cão D’água Americano cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

O Cão D’água Americano é bom com outros cães da família, mas pode se tornar agressivo com outros cães que lhe sejam estranhos, mas normalmente costuma ser gentil com outros animais e crianças, sendo animais doméstico ideais. Se forem apresentados de forma adequada serão amigáveis. Podem se tornar mais apegados a um membro da família, e são excelentes como cães de guarda, pois possuem uma natureza alerta, além de possuir a tendência a latir incessavelmente. Gostam muito de atenção, mas podem se entreter sozinhos.

Por ser um cão muito ativo que precisa de exercícios, seria necessário aprender alguma tarefa, como companhia de caminhadas ou corridas, treinamento para algum esporte canino. O ideal seria sair para nadar ou brincar de bola com as crianças. É um cão muito bom em agilidade, caminhadas, caça, e obediência.

Por conta desta energia toda, sem uma liderança adequada em que as regras e limites estejam bem claros, Cães D’água Americanos podem rapidamente de tornarem autoritários, simplesmente porque a maior parte das pessoas que possuem cachorros de porte pequeno a médio costumam tratá-los de forma inadequada, sem que haja uma liderança firme e clara, causando assim alguns comportamentos negativos no cachorro. Até as crianças devem aprender a lidar com o cachorro e serem seus líderes.

Qualquer cachorro que apresente comportamentos como rosnar, surtar ou morder, está demonstrando que falta liderança. Estes problemas costumam surgir quando a pessoa não consegue distinguir um comportamento natural canino e confunde com emoções humanas, acabando com um cão que pensa que é o dono da casa. Mesmo sendo uma raça de porte pequeno, a pessoa PRECISA entender e seguir à risca o conceito de como manter um cachorro na linha em casa. Estes problemas podem ser corrigidos logo que os humanos passarem a ter controle sobre o cachorro.

Cães D’água Americanos equilibrados que possuem donos que não permitem que eles desenvolvam Síndrome do Cachorro Pequeno, comportamentos induzidos por humanos em que o cão acredita ser o líder deles (mesmo que o cão seja de porte médio a grande), não irão apresentar estes comportamentos negativos. Cães D’água Americanos que possuem líderes firmes, confiantes e consistentes e que recebem estímulos mentais e físicos suficientes serão sempre excelentes companhias para a família.

O Cão D’água Americano perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cãozinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seus estilo de vida e personalidade.

Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Escolha sempre o filhote que seja um meio-termo, não aquele que estiver mordendo ou judiando dos outros filhotes, nem aquele que estiver timidamente acuado em um cantinho. Tente sempre conhecer um de seus pais — normalmente é a mãe que fica disponível — para garantir que que ele tenha um temperamento que te faça sentir-se confortável com ele. Conhecer irmãos ou outros parentes também ajuda a avaliar como o filhote será na idade adulta.

Cuidados e Manutenção do Cão D’água Americano

Comece a acostumar o seu Cão D’água Americano à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Uma introdução cedo mostra para o independente Cão D’água Americano que manutenção é um hábito normal da sua vida, e o ensina a aceitar com paciência todo o processo.

Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde. Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento precoce dos dentes.

Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente para evitar lágrimas dolorosas e outros problemas. Se você pode ouvir suas unhas batendo no chão, elas estão longas demais. Unhas caninas possuem artérias, se você cortá-las demais causará sangramento — e o seu cão pode não querer cooperar nas próximas vezes. Por isso, se você não tiver experiência ou não se sentir confiante para a tarefa, procure ajuda profissional. Cheque também suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mau cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

Seus pêlos precisam ser escovados semanalmente, pelo menos duas vezes por semana para remover nós e prevenir maiores emaranhamentos. Os pêlos ao redor das patas e topete devem ser aparados. As orelhas devem ser checadas regularmente, e devem ser mantidas limpas e secas para prevenir bactérias e infecções. Banhos, apenas se forem realmente necessários, e com o uso de um shampoo suave.

É essencial que seus pêlos mantenham seus óleos naturais, sendo bom aparados ocasionalmente para que não pareçam desgranhados. Não solta tantos pêlos, mas possui cheiro forte devido aos óleos naturais. A sua falta de popularidade permite que a raça ainda não tenha tantos problemas de saúde genéticos, mas pode haver alguns problemas de pele. Corte as unhas apenas quando necessário, limpe as solas das patas.

Atividade & Exercícios do Cão D’água Americano

O Cão D’água Americano exige uma quantidade excessiva de exercícios físicos, e adora nadar e caçar. Eles têm a tendência a vaguear por aí, por isso caminhadas diárias ou até corridinhas leves podem ser feitas, sempre de coleira para um maior controle. Eles podem se beneficiar bastante de sessões de Frisbee ou um jogo de “pega e trás”. Este tipo de cão é um amante das águas, como o seu próprio nome já diz, por isso, pode abusar dessa atividade também em piscinas, lagos e praias.

Enquanto caminha, ele deve sempre se manter ao lado ou atrás da pessoa que segura a guia, para que ele saiba quem é o líder. As brincadeiras podem até suprir suas necessidades físicas, no entanto, como em toda raça, apenas brincar não irá suprir seu instinto primário de caminhar. Cães que não fazem suas caminhadas diariamente são mais suscetíveis a apresentar problemas de comportamento.

O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo ao seu lado.

Saúde do Cão D’água Americano

Na maioria das vezes, Cães D’água Americanos são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos eles terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

O Cão D’água Americano é uma raça saudável no geral, mas algumas espécies tendem a ter problemas de pele. Alguns podem ter também problemas de visão como cataratas e dermatosis, que podem ocasionar a perda de pêlos.

Todos os cães possuem o potencial para desenvolver problemas genéticos de saúde, assim como todas as pessoas possuem potencial para herdar doenças. É sempre uma boa ideia perguntar a criadores quais os problemas que possam existir em suas linhagens. Um criador honesto sempre estará a disposição para discutir a saúde de seus cachorros, seja boa ou má.

Criadores cuidadosos costumam investigar e testar seus cães para evitar doenças genéticas e reproduzir apenas as espécies mais saudáveis e de melhor aparência, mas às vezes a Mãe Natureza possui outros planos. Um filhote pode desenvolver uma destas doenças mesmo em reproduções cuidadosas. Avanços na medicina veterinária hoje garantem que na maioria das vezes os cães podem ter uma qualidade de vida. Se estiver pensando em comprar um filhote, pergunte ao criador sobre as idades dos cães em sua linhagem e as causas mais comuns de morte.

Lembre-se que depois de levar um filhote para casa, você tem a responsabilidade de protegê-lo de um dos problemas caninos mais comuns: a obesidade canina, inclusive uma das tendências da raça. Manter o seu Cão D’água Americano em um peso adequado é uma das maneiras mais fáceis de manter a saúde do seu cachorro e a vida dele saudável para a vida inteira. Em geral, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde. O Cão D’água Americano costuma viver cerca de 12 a 15 anos, e ter muitos filhotes por cria, cerca de 04 a 06.

Treinamento do Cão D’água Americano

Geralmente, métodos de treinamento muito severos, no caso desta raça de natureza muito sensível, são ineficazes. As sessões devem ser curtas, contínuas e diárias. Treinadores desta raça devem demonstrar paciência e compreensão. O treinamento de obediência deve ser calmo, firme, quieto, consistente e persuasivo ao invés de dominador, exigente e duro.

O Cão D’água Americano é mais devagar para amadurecer, podendo levar até dois anos de idade até que se estabeleçam em um programa de treinamento. Contudo, a raça exige socialização extensa desde o princípio e quanto mais cedo melhor. Eles podem ser difíceis de treinar em casa sendo o método da caixa altamente recomendado. Se este tipo de cão for treinado de forma severa e dura pode vir a apresentar certa agressividade. É importante que o treinamento seja feito com paciência, amor, respeito, consistência e de forma justa, com equidade.

Comece o treinamento no primeiro dia, ainda filhote. Mesmo com 8 semanas de idade, ele é capaz de absorver tudo aquilo que você ensinar. Não espere até os 6 meses de idade para começar o treinamento ou você terá um cão bem mais cabeça-dura de lidar. Se possível, leve-o para uma jardim de infância de cachorros quando ele estiver com 10 a 12 semanas para socializar bastante. Esta raça precisa socializar o máximo possível com outras pessoas e outros cães, e até com outros animais.

Converse com o criador de onde ele veio, descreva exatamente o que você espera de um cachorro desta raça e peça assistência ao escolher um. Os criadores estão acostumados a ver filhotes todos os dias e podem dar recomendações bastante precisas e valiosas, uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade. O que quer que seja que você deseja de um Cão D’água Americano, procure por um que os pais tenham uma boa reputação, personalidade e que tenha sido socializado desde o seu nascimento.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

O treinamento da caixa é algo também fortemente recomendado para Cães D’água Americanos. Não só ajuda no treinamento dentro de casa, mas também serve como um espaço para se acalmar e relaxar, além de evitar que ele saia mastigando tudo por ai enquanto você estiver fora. A caixa é apenas uma ferramenta, não uma jaula, por isso não mantenha-o preso ali por longos períodos. O melhor lugar para o seu Cão D’água Americano é sempre com você.

Ensinar o seu cachorro a deitar, sentar e ficar no lugar é vital para o treinamento de um filhote, procure se informar sobre como adestrar o seu cachorro, é muito comum cometer erros durante o processo de treinamento.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Categorias
Levantadores e Caça

Golden Retriever

O Golden Retriever é uma raça originária do Reino Unido, desenvolvida na segunda metade do século XIX por um aristocrata escocês chamado Dudley Marjoribanks, que mais tarde tornou-se Lord Tweedmouth. É um cão de caça de porte médio a grande, bem equilibrado e simétrico, com um desempenho ativo e aparência poderosa que sempre se destacou no levantamento e recuperação de presas como pássaros e aves selvagens. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Golden Retriever

Origem: Reino Unido
Data de origem: meados do século XIX
Grupo de Raças: FCI Grupo 8 – Cães Levantadores e Cobradores de Caça e Cães de Água – Retrievers / AKC Grupo de Cães Esportistas / Cão de tiro, Apontadores, Cães de caça.
Função original: cão de caça recuperador e levantador de aves.
Função atual: cão de caça e companhia
Tamanho: porte médio a grande
Altura: Fêmea de 51 cm a 56 cm / Macho de 56 cm a 61cm.
Peso: Fêmea de 25 kg a 32 kg / Macho de 27 kg a 36 kg
Cores: amarelo ao dourado
Pelos: pelagem lisa e comprida, com penugens.
Manutenção: escovar os pêlos diariamente.
Expectativa de vida: de 10 a 12 anos.
Filhotes: 6 a 8 filhotes de Golden Retriever por cria.
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Golden Retriever

cachorro-golden-retriever-intro
Golden Retriever e seus filhotes no jardim. (Créditos/Copyright: “Christian Mueller/Shutterstock”)

O Golden retriever é uma raça atlética, forte, robusta, com um comportamento alerta e autoconfiante, expressão amigável e inteligente, pelagem lisa de coloração dourada, capaz de cobrir duros terrenos e grandes distâncias carregando presas pesadas, tanto na terra como na água. Este seu temperamento alegre e meigo e sua aparência exuberante o torna uma das raças mais apreciadas, tanto para caça como para cão de companhia. Além disso, o Golden Retriever é uma das raças mais populares e mais vendidas no Brasil.

O Golden Retriever é famoso pela sua natureza devota e obediente como cão de companhia, e embora seja gentil e uma das melhores raças para crianças, eles não foram feitos para ficar parados; precisam de exercícios físicos e estímulos mentais. Fáceis de serem treinados devido à sua natureza dócil, os Goldens se contentam com qualquer tipo de atividade, sejam corridas, caminhadas, caça, competições caninas como de agilidade ou obediência.

Eles adoram qualquer tipo de interação, desde o convívio social em parques, como caminhadas em família ou longas corridas pelas ruas ou no jardim. Também possuem a tendência a serem excessivamente ativos e efusivos, e o seu entusiasmo as vezes pode atrapalhar o treinamento, porém adoram agradar seus donos e costumam aprender bem rápido. Hoje, além de serem muito uma das raças mais populares como cães de companhia, os Goldens também são usados em muitas funções diferentes, como cães guia para assistir cadeirantes e cegos, além de trabalharem como cães policiais de resgate e salvamento e para terapia.

Origem da raça Golden Retriever

cachorro-golden-retriever-origem
Golden retriever filhote prestando atenção aos comandos do seu dono. (Créditos/Copyright: “everydoghasastory/Shutterstock”)

O Golden Retriever foi desenvolvido no Reino Unido, nas Terras Altas da Escócia por volta de 1.800, meados do século XIX, durante a Era Vitoriana. O homem responsável por esta ilustre raça, Lord Tweedmouth, queria um cão que fosse capaz de ser leal, gentil, espirituoso e energético, mas que também pudesse gostar de atividades na água e tivesse a habilidade de recuperar caça, como aves aquáticas selvagens.

Através de cruzamentos seletivos e elaborados, entre o original Retriever Pelo-liso Amarelo e o extinto Tweed Water Spaniel, mais tarde adicionando o Bloodhound e o Setter Irlandês, surgiu um cão de porte médio, hábil caçador, obediente, inteligente, calmo e fácil de treinar, que originalmente foi chamado de Golden Flat-Coat (Pelo-liso Dourado) e bem mais tarde de Golden Retriever. Desse cruzamento bem sucedido, nasceram quatro cadelas: Ada, Primrose, Crocus e Cowslip, sendo os descendentes desta última os principais ancestrais dos retrievers conhecidos hoje.

A popularidade e as qualidades destes exímios cães caçadores recuperadores de aves selvagens os tornaram excelentes para o trabalho. Já difundidos, os padrões exigidos geraram duas variantes da raça: uma para exposição e outra para o trabalho. Os Golden Retrievers são a verdadeira personificação da beleza e da inteligência, e por esta razão são uma das raças mais populares e mais vendidas atualmente, não só por serem excelentes cães de companhia, pela sua versatilidade e seu temperamento doce e meigo, mas também por serem bons atletas em competições caninas de obediência, caçadores de pássaros tanto na água como em terra, trabalhadores em serviços de detecção de drogas, serviços de assistência a deficientes, cães de terapia, etc. Sua energia, entusiasmo e inteligência fazem com que sejam muito adequados a aprender e realizar qualquer que seja a tarefa.

Aparência do Golden Retriever

cachorro-golden-retriever-aparencia
Golden retriever filhote de perto com seu sorriso irresistível. (Créditos/Copyright: “Mat Hayward/Shutterstock”)

O Golden Retriever é um cão robusto de porte médio a grande, poderoso e ativo, que deve aparentar ser ávido, alerta e auto-confiante. Os machos são, no geral, maiores que as fêmeas. O seu corpo é compacto, e proporcional, com o peito largo e bem desenvolvido. O pescoço é comparativamente longo, e funde-se gradualmente sobre seus ombros. As costas é forte e em nível com a cernelha descendo suavemente até a lombar. Eles têm costelas longas bem arqueadas que se estendem até o quadril, e um lombo curto, musculoso.

Seus membros são retos e bem estruturados, sendo os metacarpos curtos, fortes e levemente inclinados. Suas patas são arredondadas e assemelham-se às patas de patos, que o ajudam a nadar. O seu crânio é largo e o focinho é reto, largo e afunilado, arcando levemente com uma parada bem definida, se difundindo com o crânio. O nariz é preto ou marrom bem escuro. Os dentes se encontram em mordida de tesoura. Seus olhos são de tamanho médio a grande e de cor marrom escura, e as suas orelhas relativamente curtas se dobram e se penduram até as bochechas.

Quando puxadas para frente podem cobrir os olhos. O rabo é mais grosso na base com penugens nas laterais. A sua pelagem é resistente à água, densa, com uma camada firme, lisa ou levemente ondulada do lado de fora. Há penugens na parte de baixo da barriga, atrás das patas, na frente do pescoço e na parte de baixo da cauda. A cor pode variar de tons de creme ao dourado vibrante.

Ambiente Ideal para o Golden Retriever

cachorro-golden-retriever-ambiente
Filhotes de Golden Retriever na caçamba da caminhonete. (Créditos/Copyright: “framsook/Shutterstock”)

O Golden Retriever não é adequado para ambientes muito pequenos, mas é capaz de ficar satisfeito vivendo em uma pequena casa ou apartamento se for exercitado de forma adequada. Costumam ser moderadamente ativos dentro de casa, mas seriam mais felizes se pudessem viver em uma residência com um jardim de tamanho médio a grande para correrem livremente e soltos. Precisam receber uma boa quantidade de atividades físicas e exercícios diários.

Por terem sido desenvolvidos para caça, possuem um grande nível de energia, por isso as atividades diárias são necessárias. Precisam viver com famílias ou donos ativos que apreciam longas caminhadas, passeios, corridas e esportes variados para estimulá-lo. São também do tipo que adoram conviver em família, e se você espera mantê-los do lado de fora da casa o tempo inteiro, é melhor que não tenha um. Um bom conselho é sempre pesquisar sobre a raça e considerar todos os aspectos antes de comprar um cão.

A solidão e o tédio podem levar a comportamentos indesejáveis como latidos, cavações e até agressividade. O Golden precisa viver dentro de casa junto aos seus donos para sentir-se parte da família. A raça também aprecia os climas mais frios e amenos, devido a sua pelagem densa. Em climas mais quentes, forneça atividades na água onde ele possa se esfriar.

Temperamento & Personalidade do Golden Retriever

cachorro-golden-retriever-temperamento
Golden Retriever mais velho sendo amável com sua dona. (Créditos/Copyright: “Tatyana Vyc/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, os Goldens precisam de socialização desde filhote — os exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Golden Retriever cresça para se tornar um cão sociável.

Uma natureza dócil, doce e calma é a principal característica dos Goldens Retrievers. Energéticos e amáveis, os Golden Retrievers foram feitos para trabalhar com pessoas, e estão sempre ávidos para agradar seus donos. Mas apesar desta disposição toda, como todos os cães, o Golden deve ser bem criado e muito bem treinado para dar o melhor da sua raça, por isso, muitas vezes não são considerados uma boa raça para donos de 1a. viagem.

O Golden amadurece mais devagar e retém a sua personalidade brincalhona de filhote até os seus três ou quatro anos de idade, o que pode ser uma delícia ou bem irritante. Eles costumam ser amáveis, bem educados, inteligentes, devotados, e cheios de charme, mas se não forem bem criados e socializados desde cedo podem botar todo esse temperamento a perder.

A boa notícia é que por terem facilidade a aprender e desejo infinito de agradar, são facilmente treinados, e sempre muito pacientes e gentis com crianças. Costumam ser amigos de todos, incluindo outros cães e outros animais de estimação, por isso não servem para ser cães de guarda. Mesmo com toda esta boa reputação e excelente temperamento, o Golden Retriever também pode se tornar destrutivo e tenso, se não obtiver estímulos físicos e mentais suficientes. Garanta a sua liderança permanecendo sempre firme, calmo, confiante e consistente para evitar problemas de comportamento.

Cuidados & Manutenção do Golden Retriever

cachorro-golden-retriever-cuidados
Golden Retriever jovem brincando no jardim. (Créditos/Copyright: “Joop Snijder Photography/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Golden Retriever à ser escovado e examinado desde filhote. Pegue nas suas patas com frequência — eles costumam ser sensíveis com relação às patas — e olhe dentro das orelhas e boca. Torne isso uma experiência o mais positiva possível com elogios e recompensas para que não sofra toda vez que for ao veterinário.

Ao examiná-lo, procure por machucados, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Os olhos devem estar sempre claros, sem vermelhidão ou corrimentos. Este exame regular irá prevenir o diagnóstico precoce de qualquer problema ou principais doenças mais comuns no futuro.

A sua pelagem macia e semi-longa é fácil de se manter. Escove e penteie seus pelos com uma escova de cerdas firmes diariamente, ou pelo menos uma vez por semana, prestando bastante atenção na densa camada de pelos de baixo. Dê banhos somente quando necessários, ou apenas uma vez por mês, e use shampoo seco regularmente. Como todo cão do tipo Retriever, o Golden ama água, quando ele se molhar enxague-o sempre com água para tirar o cloro, sal ou qualquer outra sujeira que possa ficar agarrada em seus pelos para evitar que fiquem emaranhados e duros.

Eles costumam soltar pelos em moderação no inverno e no verão, e muito mais durantes as primaveras e outonos. Escove também os seus dentes pelos menos 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactérias que proliferam dentro da sua boca. Escovar diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau-hálito. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente.

Suas orelhas são do tipo que se dobram encobrindo o canal do ouvido, criando assim um ambiente escuro e aquecido muito propício ao crescimento de fungos e bactérias, por isso a raça é suscetível a infecções de ouvido – cheque-as diariamente e as mantenha limpas.

Atividade & Exercícios para o Golden Retriever

cachorro-golden-retriever-atividade
Golden Retriever fazendo aquilo que ele mais gosta – nadar! (Créditos/Copyright: “Stanimir G.Stoev/Shutterstock”)

Os Goldens precisam de exercícios diários e interação com humanos. Sendo assim, fica fácil pois a raça simplesmente adora se exercitar e interagir com pessoas. Eles foram feitos para a ação e amam brincar do lado de fora da casa. Se você curte caminhadas ou corridas, ele vai estar sempre pronto para te acompanhar em praticamente tudo quanto é atividade. Se você tiver vontade de jogar bola no quintal, eles adorarão jogar bola com você, simplesmente são especialistas em trazer a bola de volta para você.

Canse-os com 20 a 30 minutos de exercícios vigorosos duas vezes ao dia, ou longas caminhadas de uma hora por dia, e você os manterá calmos para ficar dentro de casa ao seu lado no sofá e ainda evitará que se tornem hiperativos. Ensine-o a correr ao seu lado ou te acompanhar enquanto você anda de bicicleta ou skate. Leve-o para nadar em lagos, praia ou piscina. Ele ainda se destaca em vários esportes caninos, incluindo agilidade, obediência, etc.

Ensine-o truques e adquira uma variedade de brinquedos que desafie o seu cérebro. Lições desafiadoras de obediência, jogos ativos ou sessões de recuperação de objetos como trazer a bola de volta são excelentes formas de exercitar o corpo e a mente dos cães. Eles precisam ser constantemente estimulados, incentivados e mantidos ativos, ou podem ficar ansiosos e se tornarem até destrutivos. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro.

Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Eles costumam ser mais ativos pela manhã e à noite, e menos ativos durante o resto do dia. Embora sejam capazes de ficar do lado de fora da casa, preferem e ficam bem mais satisfeitos se puderem ficar junto de seus donos, por isso longos períodos de isolamento devem ser evitados. Você deve estar preparado para incluí-lo nas atividades familiares. Ele é o tipo de cão “família” e precisa ficar junto ao seu “bando”. Nem pense em adquirir um Golden à não ser que você queira tê-lo dentro de casa junto à você, aos seus pés, todos os dias.

Saúde do Golden Retriever

cachorro-golden-retriever-saude
Golden Retriever filhote no colo do veterinário na sua primeira consulta. (Créditos/Copyright: “Roger costa morera/Shutterstock”)

Os Golden Retrievers são, em sua maioria, saudáveis, mas como toda raça canina, são também suscetíveis a certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça. Eles são suscetíveis à ter displasia de quadril, hipotiroidismo, cataratas, alergias e infecções cutâneas.

É importante também não alimentá-los em exagero, pois possuem tendência a engordar. Também costumam ter tumores cancerígenos como hemangiosarcoma, linfosarcoma, mastocitomas e câncer nos ossos; doença de Von Willebrand; problemas de coração; epilepsia e infecções de ouvido. Costumam viver de 10 ta 12 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde.

Treinamento do Golden Retriever

cachorro-golden-retriever-treinamento
Golden retriever adulto deitado no chão do parque descansando. (Créditos/Copyright: “Olena Brodetska/Shutterstock”)

O Golden Retriever é uma das raças mais fáceis de serem treinadas. Se destacam em obediência e são muito populares em terapias e serviços de cães. Possuem muitos talentos incluindo obediência competitiva, detecção de drogas, agilidade e desempenho de truques. O Golden Retriever é muito sensível à métodos de treinamentos severos, por isso rigor excessivo não é recomendado. Eles aprendem muito rápido e são extremamente adaptáveis.

Podem aprender vários truques divertidos e são capazes de se lembrar deles para o resto da vida. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas. Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo.

Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. Socialização e obediência são essenciais desde cedo. Além de ser muito importante ensiná-lo desde filhote quem é o líder. Consistência também é importante, por isso o treinamento deve ser feito com firmeza, paciência, consistência, elogios e recompensas.

É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Categorias
Levantadores e Caça

Labrador Retriever

O Labrador Retriever, ou Lab, é um cão forte, de porte médio com uma aparência atlética e bem equilibrada. Bonito, inteligente, divertido e amável, é um cachorro calmo e tranquilo apesar do seu tamanho — o tipo de cão versátil que pode fazer de tudo. São originários da Terra Nova (Newfoundland), Ilha do Pacífico no Canadá, por volta de meados de 1700. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Labrador Retriever

Origem: Canadá
Data de origem: 1700/1800
Grupo de Raças: FCI Grupo 8 – Cães Levantadores e Cobradores de Caça e Cães de Água – Retrievers / AKC Grupo de Cães Esportistas / Cão de tiro, Apontadores, Cães de caça.
Função original: recuperador, levantador e cobrador de caça.
Função atual: cão de companhia, recuperador, levantador e cobrador de caça.
Tamanho: porte médio a grande
Altura: Fêmea de 53cm a 58cm / Macho de 56cm a 61cm.
Peso: Fêmea de 25kg a 32kg / Macho de 27kg a 34kg (alguns chegam até 45kg ou mais).
Cores: preto, amarelo e chocolate.
Pelos: curtos e lisos.
Manutenção: escovação diária
Expectativa de vida: de 10 a 13 anos.
Filhotes: 8 filhotes de Labrador Retriever por cria
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, CCR, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Labrador Retriever

cachorro-labrador-retriever-intro
Foto de Trio de Labradores Retrievers nas suas cores características da raça – preto, amarelo e chocolate. (Créditos/Copyright: “claire norman/Shutterstock”)

Descendentes de cães encontrados por exploradores, pescadores e colonos, os Labradores Retrievers foram importados para a Inglaterra no início dos anos 1800s, onde foram cruzados eventualmente com outras raças de cães esportistas, dando origem ao robusto e forte Labrador Retriever, que acabou evoluindo por seleção natural até chegar à espécie que temos hoje.

A raça está entre as mais antigas raças modernas já reconhecidas. A sua versatilidade e infinitos atributos tornaram o Labrador Retriever um animal de estimação bastante popular nos Estados Unidos, Brasil e outros lugares do mundo, graças ao seu temperamento ansioso para agradar e sua facilidade para aprender.

Não é à toa que está entre as raças mais populares e mais vendidas, porém também entre as raças mais abandonadas e as raças mais visadas por ladrões.

Os Labradores Retrievers já foram conhecidos por diversos nomes, entre eles, Cão D’Água Preto, Lesser Terra-nova e St. John.

Poucos sabem, mas há dois tipos de Labradores: o Labrador Retriever Inglês e o Labrador Retriever Americano. O Lab Inglês vem de uma linhagem de produção inglesa e possui uma aparência diferente do Lab Americano — mais pesado, mais espesso e mais troncudo. Já o Americano vem de linhagem de produção americana, mais alto, esguio e magro. Ambos possuem pelagem nas cores pretas, amarela e chocolate, mesmo em uma única cria.

A raça do Labrador Retriever foi criada tanto para ser um cão de companhia como para um útil trabalhador. Poucas raças merecem tanto a sua popularidade como o Labrador. Devotado, obediente e agradável, o Lab é uma das melhores raças para crianças, outros cães e outros animais domésticos. Ele é capaz de ser um animal super calmo dentro de casa, brincalhão do lado de fora no jardim e intenso no campo. O Labrador Retriever tem verdadeira obsessão por recuperar presas. É só levá-lo a qualquer local de água que ele irá recuperar tudo que ver pela frente: bolas, gravetos e até pessoas. Ele precisa de desafios físicos e mentais para se manter ocupado, ou pode ficar entediado e se meter em encrenca.

Geralmente, o Labrador é fácil de treinar e se sobressai em competições caninas como de obediência. Até hoje, o Labrador Retriever continua tendo uma boa natureza e sendo ótimo trabalhador como seus ancestrais, sendo suas funções mais comuns: recuperador para caçadores, assistência à deficientes, competições, cão de resgate e busca, cão de terapia, cão guia, além de outros trabalhos caninos.

Todas estas características fazem com que o Labrador seja bastante adequado a uma variedade de famílias ativas. Com exercícios adequados, estes companheiros versáteis são capazes de se darem bem em qualquer ambiente, embora precisem de espaço pra gastar energia. Só não aguentam o isolamento, portanto ao considerar o Lab, faça dele um membro da família e não um cão para viver do lado de fora da casa.

Origem da raça Labrador Retriever

cachorro-labrador-retriever-origem
Foto de Labradores marrom chocolate e amarelo lado lado deitados no parque. (Créditos/Copyright: “DragoNika/Shutterstock”)

O Labrador Retriever é uma raça de cães D’água originária da costa Atlântica do Nordeste do Canadá, mais precisamente da Ilha de Terra Nova ou do inglês, Newfoundland. Considerada a raça mais popular no Reino Unido e na América do Norte, este cachorro teria chegado ali levado por exploradores portugueses ou bascos, ou ainda por exploradores escandinavos.

Início em tempos difíceis

Embora ainda hoje sejam populares entre outras raças, os Labradores chegaram à ser quase instintos por volta de 1880, devido a restrições do governo do Canadá e leis de impostos e taxas muito pesadas sobre os cães. As famílias eram obrigadas a manter não mais que um cão, e ter uma fêmea significava impostos ainda maiores, por isso filhotes eram abatidos à cada cria. Além disso, seus criadores davam preferência apenas aos Labradores pretos, e sacrificavam os de cores amarela ou chocolate.

Assim, um pequeno grupo de Labs foi levado à Inglaterra no início de 1800 em navios ingleses vindos de uma praia de Newfoundland, no mar do Labrador. Foi ali, que estes primeiros cães pretos, de tamanho médio e pelo curto, foram cruzados com Setters, Spaniels e outros tipos de Retrievers para aprimorar ainda mais seus instintos caçadores. E foi a partir desses cães, que a raça continuou salvando-se da extinção total.

Esses cães tinham diferentes tamanhos, e o menor deles acabou se desenvolvendo sob o nome de pequeno Cão de St. John, mas também já foi chamado de Cão D’Água Preto e Lesser Terra-nova para depois se tornarem Labrador Retriever. Os Labradores Retrievers, não apenas buscavam caças, mas também peixes, puxando pequenos barcos de pesca nas águas geladas do Atlântico e ajudando os pescadores em todas as tarefas que envolvesse nadar.

Ao contrário do que muitos pensam, o seu nome, Labrador Retriever, deriva mesmo de “lavradores” portugueses ou “labradores” espanhóis, ambas palavras que significam “trabalhadores rurais”, sua função de origem no início da criação da raça; ao invés de “Labrador” da região litorânea do Canadá. Seja lá qual for a derivação do seu nome, estes cães eram muito conhecidos pelo seu senso de faro, habilidade de achar caças e pela sua velocidade.

Da Inglaterra aos dias de hoje

Foi no início de 1900, que as outras cores começaram a ser aceitas, embora não tanto quanto a cor preta, passando a serem reconhecidas pelo English Kennel Club em 1903, e pelo AKC em 1917. E a partir da Segunda Guerra Mundial, a sua popularidade passou a crescer, tornando-se a raça mais popular já registrada na AKC, além de ser também muito popular na Inglaterra, Canadá e em vários outros países. Contudo, até 1950, a raça ainda era usada como trabalhadora rural, quando passou a ser considerada excelente para companhia, graças à sua personalidade tranquila e jovial, sua tolerância e sua necessidade de brincar.

Hoje, Labs além de estarem entre as excelentes raças de cães de companhia, ainda passaram a ser utilizados em diversas áreas como apreensão de drogas, detecção de explosivos, buscas e resgates, assistência a deficientes, cães de caça, guia de cegos, além de serem uma das raças mais utilizadas em terapias. Também se destacam em diversas formas de competições caninas: show, campo, agilidade e obediência.

Aparência do Labrador Retriever

cachorro-labrador-retriever-aparencia
Labradores deitados no gramado lado a lado. (Créditos/Copyright: “Rosa Jay/Shutterstock”)

Eles são uma raça de corpo igualmente ou mais comprido que alto. Suas costas são fortes, de curvatura em nível, e o quadril largo e forte denota flexibilidade. Possuem um pescoço comprido, musculoso que se alonga em um arco dos ombros. A barriga é quase que reta. Seus membros são bem musculosos, equilibrados e fortes. Os ombros formam um ângulo de 90 graus com as patas, que além de melhorar a mobilidade das patas dianteiras, o ângulo permite que o cão tenha um bom alcance para frente.

Quando visto de cima, as patas da frente do Labrador Retriever são retas e bem estruturadas, e seus pés compactos, fortes e arcados. O rabo do Labrador Retriever é de comprimento médio, grosso na base e gradualmente afinado na ponta. Fica completamente coberto por pelos curtos, sem penugens, além de servirem como uma espécie de leme ao nadar. O crânio do Labrador Retriever é largo e bem desenvolvido. Possuem uma sobrancelha levemente protuberante que evita que o crânio fique em linha reta com o nariz. Suas orelhas são relativamente para trás, abaixo do crânio, em boa proporção, próximas à cabeça e pendentes.

O Labrador Retriever possui olhos castanhos ou dourados, a depender da cor dos pelos. Possui um focinho proporcional com um nariz grande e grosso e narinas bem desenvolvidas, na cor preta ou marrom. Sua pelagem é dupla – curta, lisa, grossa por cima; e densa, suave e impermeável por baixo para protegê-lo do frio.

Podem variar nas cores preta, amarela indo do creme ao quase vermelho, ou marrom chocolate, sendo possível todas as variações de cor em uma mesma cria. Embora não sejam classificados separadamente, o Lab Inglês e o Lab Americano possuem linhagens separadas – os Ingleses são mais pesados e compactos e os Americanos mais altos e esguios.

Ambiente Ideal do Labrador Retriever

cachorro-labrador-retriever-ambiente
Labrador chocolate adulto deitado no banco do parque descansando. (Créditos/Copyright: “otsphoto/Shutterstock”)

Estes cães são mais adequados para viver no campo ou em uma casa grande com jardim, e de preferência com famílias que possam fornecer muitas atividades, pois são muito ativos e sociáveis. Precisam de exercícios diários, como nadar e correr. Quem possuir piscina em casa deve cercá-la ou se preparar para dividir a piscina com ele. Embora Labs possam viver do lado de fora da casa em locais de clima temperado, são mais felizes se puderem dormir dentro de casa junto da família.

Temperamento & Personalidade do Labrador Retriever

cachorro-labrador-retriever-temperamento
Labrador amarelo adulto ao lado do seu dono na cama. (Créditos/Copyright: “Nina Buday/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, propensos a se aproximarem das pessoas e serem segurados por elas. Como todo cão, os Labs precisam de socialização desde filhotes — os exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Labrador Retriever cresça para se tornar um cão sociável.

O Labrador Retriever costuma ser leal, amável, afetuoso e paciente, o que faz dele um cão de companhia ideal para toda família. Altamente inteligente, de boa natureza, muito disposto e sempre pronto a agradar, está sempre entre as primeiras raças a serem escolhidas para qualquer que seja o serviço. Possuem um temperamento excelente e confiável. São ótimos com crianças e tranquilos com outros cães. Necessitam de liderança humana e precisam sentir que são parte da família, pois adoram atenção e a companhia dos humanos.

Se deixados sozinhos por longos períodos de tempo e sem atenção ou estímulo se tornam solitários, entediados e até destrutivos. Alguns podem ser um tanto reservado com estranhos à não ser que sejam socializados desde filhotes. Podem ser ótimos cães de guarda, mas não costumam ser muito territoriais. As raças para apresentações costumam ser mais pesadas e mais tranquilas. Já aqueles que foram criados para serviços são mais energéticas.

Os Labs cruzados a partir de linhagens inglesas são mais calmos e tranquilos que os Labs de linhagens americanas, sendo que os Labs ingleses amadurecem mais rápido que os americanos.

No caso dos Labradores Retrievers, os anos de adolescência podem começar aos 6 meses e continuar até os 3 anos de idade, é por isso que muitos donos de 1a. viagem, inexperientes, que não pesquisam direito sobre a raça e desconhecem suas necessidades acabam abandonando seus cães. É por esta razão, entre outras, que o Labrador Retriever está entre as raças mais abandonadas.

Contudo, além da sua personalidade excepcional, ele também possui uma inteligência enorme e um forte desejo de agradar a todos, por isso é facilmente treinado. Apesar disso, o seu treinamento é definitivamente necessário pois a raça possui muita energia e exuberância. Ele precisa de atividades físicas e mentais para manter-se feliz. Antes dos 2 ou 3 anos, muitos Labradores podem ser extremamente ativos e destrutivos, embora tenham a reputação de ser calmos. Mas se você for capaz de fornecer muitas atividades e formas de extravasar toda essa energia, o Lab pode ser o melhor cão do mundo.

Cuidados & Manutenção do Labrador Retriever

cachorro-labrador-cuidados
Foto Labrador retriever chocolate filhote deitado na grama do parque. (Créditos/Copyright: “Janelle Lugge/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Labrador à ser escovado e examinado desde filhote. Pegue nas suas patas com frequência — eles costumam ser sensíveis com relação às patas — e olhe dentro das orelhas e boca. Torne isso uma experiência o mais positiva possível com elogios e recompensas para que não sofra toda vez que for ao veterinário. Ao cuidar dele, cheque sempre por machucados, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas.

Os olhos devem ser claros, sem vermelhidão ou corrimentos. Este exame regular irá prevenir o diagnóstico precoce de qualquer problema ou principais doenças mais comuns no futuro. A sua manutenção não é difícil, mas o Labrador costuma soltar muito pelo. Escove e penteie regularmente com pente e escovas firmes, uma vez por semana ou duas quando estiverem na época de trocar os pelos. Precisam de banhos a cada dois meses para mantê-los limpos e cheirando bem.

Escove seus dentes duas a três vezes por semana para remover tártaro e bactéria, e prevenir gengivite e mau hálito. Corte as unhas uma ou duas vezes ao mês, se o cão não gastá-las naturalmente. Suas orelhas devem ser checadas por sinais de vermelhidão ou mau cheiro, indicações de infecção. Por serem comuns nos Labs, limpe-as depois do banho, nadar ou toda vez que se molharem. Como todo Retriever, o Lab costuma colocar tudo na boca, e fica muito feliz quando consegue carregar algo pela boca. Também costuma mastigar tudo o que vê pela frente, por isso tenha sempre brinquedos que possam ser mastigados por ele, e tire todo o resto do seu alcance.

Atividade & Exercícios do Labrador Retriever

labrador-atividade
labradores amarelos brincando juntos no gramado. (Créditos/Copyright: “argo74/Shutterstock”)

Os Labradores Retrievers são cães altamente energéticos, que adoram trabalhar junto aos seus donos e brincar ativamente. Possuem variação no nível de atividade, mas todos precisam de atividades físicas e mentais para serem estimulados. Podem ser levados para longas caminhadas, corridas ou passeios ao lado da bicicleta. Adoram nadar e correr em campos abertos, jogar algum esporte seja na terra ou na água.

Os Labradores não costumam nadar até que atinjam 3-5 meses de idade, faça uso de métodos de recompensas e você terá exímios nadadores. Ele ainda se destaca em vários esportes caninos, incluindo agilidade, obediência, etc.

Ensine-o truques e adquira uma variedade de brinquedos que desafie o seu cérebro. Lições desafiadoras de obediência, jogos ativos ou sessões de recuperação de objetos como trazer a bola de volta são excelentes formas de exercitar o corpo e a mente dos cães. Eles precisam ser constantemente estimulados, incentivados e mantidos ativos, ou podem ficar ansiosos e se tornarem até destrutivos. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro.

Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Labrador Retriever

cachorro-labrador-saude
Filhote de Labrador Retriever amarelo sorridente e feliz. (Créditos/Copyright: “Mila Atkovska/Shutterstock”)

Os Labs são em sua maioria saudáveis, mas como toda raça canina, são também suscetíveis a certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça. Como toda raça de porte médio a grande, o Labrador Retriever é suscetível à displasia de quadril e cotovelos; problemas ortopédicos como osteocondrite dissecante e panosteitis.

Outros problemas de saúde comuns que podem vir à ocorrer incluem problemas nos olhos como atrofia progressiva da retina, cataratas, tumores, epilepsia, displasia da válvula tricúspide, um defeito no coração; miopatia que ataca os músculos e sistema nervoso; dilatação gástrica, dermatite aguda e infecções de ouvido devido à sua exposição à água constante.

A raça pode viver de 10 ta 13 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde, como ter o seu peso for controlado, tiver uma boa dieta alimentar e se for propriamente estimulado de forma física e mental.

Treinamento do Labrador Retriever

cachorro-labrador-treinamento
Filhotes de Labrador Retriever pretos juntos convivendo em harmonia. (Créditos/Copyright: “Reddogs/Shutterstock”)

O Labrador Retriever aprende rapidamente e adora trabalhar para o seu dono. A raça é facilmente treinável, porém socialização desde cedo e obediência básica são necessárias. Recomenda-se um treinamento na coleira desde filhote. É uma raça muito forte e precisa ser ensinada a não puxar a coleira. Não responde bem à métodos duros, e precisa de segurança, firmeza, consistência, e respeito.

Ele é ainda capaz de aprender uma enorme variedade de esportes caninos, como o Frisbee. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. Socialização e obediência são essenciais desde cedo. Além de ser muito importante ensiná-lo desde filhote quem é o líder. Consistência também é importante, por isso o treinamento deve ser feito com firmeza, paciência, consistência, elogios e recompensas.

É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto.

Fotos de Labrador e outras imagens fornecidas pela Shutterstock.
Versão PDF Labrador Retriever cachorro

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)