Categorias
Galgos ou Lébreis

Greyhound Italiano

O Galguinho Italiano ou Greyhound Italiano (em italiano: Piccolo levriero italiano) é uma das menores raças de lébreis ou galgos oriunda do Egito (do Vale do Nilo, Tumba Amten) e a raça de cães preferida da realeza egípcia que depois foi levada à Europa por Fenícios e mais tarde desenvolvida pelos Romanos. O Galguinho logo se tornou a raça favorita de nobres europeus durante a Idade Média, especialmente na Itália, onde foi oficializada. Há também quem acredite que a raça tenha originado na Grécia e na Turquia há 2.000 anos atrás. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Galguinho Italiano

Origem: Itália
Data de origem: 2.900 A.C
Grupo de Raças: FCI Grupo Galgos (Lébreis) – de pelo curto / AKC Grupo Toys.
Função original: cão de companhia
Função atual: cão de companhia
Outros nomes ou apelidos: Galguinho, Galgo, Iggies, IGs
Tamanho: porte pequeno
Altura: de 30 cm a 38 cm
Peso: de 3 kg a 5 kg
Cores: preto, creme, cinza, amarelo acastanhado e azul
Pelos: curto, liso, sedoso e brilhante.
Manutenção: fácil, escovações semanais.
Expectativa de vida: cerca de 12 a 15 anos
Filhotes:
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Galguinho Italiano

greyhound-italiano-intro
Greyhounds em lados opostos no campo. (Créditos/Copyright: “Xseon/Shutterstock”)

O Galguinho é esbelto, elegante e gracioso. É ágil e atlético e possui um corpo musculoso. Sua personalidade é extremamente gentil e sensível. Ele ainda é amável e afetuoso, porém reservado e muitas vezes tímido com estranhos, mas muito devotado à sua família, crianças, outros cães e animais domésticos. Por serem facilmente machucados, eles são mais adequados à famílias de adultos ou com crianças maiores.

Ele adora correr e perseguir outros animais, e é considerado um dos cães mais rápidos do mundo, chegando aos 75 km/h. E são bem mais que apenas cães de colo, pois possuem a velocidade, a resistência e determinação para caçar qualquer coisa que se mova. Embora pequeno, o Galguinho possui bastante energia e adora oportunidades para correr e se exercitar, mas também gosta de luxo e conforto, por isso não dispensa uma caminha quentinha e macia para ficar enrolado.

É uma raça inteligente que pode ser treinada, mas costuma ter uma certa atitude. Ele exige muita atenção e se achar que está sendo ignorado, costuma seguir o seu dono por todo lugar. O Galguinho é também curioso, e investigará qualquer coisa que chamar a sua atenção. A raça pode se acomodar a lugares bem pequenos e não precisa de muita manutenção, apenas algumas escovadas semanais para manter o seu pelo curto e fino, brilhante e sedoso. Nos dias de hoje, é um cão de companhia muito apreciado pela sua beleza e atletismo, admirado em competições caninas de obediência, agilidade e do tipo rally.

Origem da raça Galguinho Italiano

greyhound-italiano-origem
Greyhond italiano de pelagem negra. (Créditos/Copyright: “Xseon/Shutterstock”)

O Galguinho Italiano é uma raça bastante antiga, que já existe por muitos séculos, contudo não se sabe ao certo como e quando esta raça miniaturizada do Greyhound foi desenvolvida. Evidências de cães que se parecem com o Galgo Italiano foram achadas em obras de arte que datam de cerca de 2.000 anos atrás na Turquia, Grécia e outras áreas do Mediterrâneo. Uma tumba Egípcia de 6.000 anos atrás também revelou ossadas de cães similares ao Galguinho Italiano.

O Galguinho na Europa

No século XVI, a raça foi trazida para a Europa pela civilização fenícia, e se tornou muito popular entre a nobreza Européia. Durante a Idade Média, os Galgos miniaturas já podiam ser vistos pelo sul da Europa, mas eram mais favoritos nas côrtes italianas, ficando muito populares entre a aristocracia. Muitos Galgos italianos foram imortalizados junto aos seus donos em retratos feitos por artistas famosos da época como Pisanello e Giotto di Bondone. Eles se tornaram muito populares entre os nobres durante a Renascença.

Remanescentes de um mesmo tipo de cão foram encontrados na cidade de Pompeii (cidade italian próxima a Nápoli na região de Campania), depois da erupção do Monte Vesúvius em 79 AD. Mais tarde, nobres como Catarina a Grande da Rússia, entre muitos outros, apaixonaram-se pela raça que acabou se espalhando por toda a Europa.

A raça chegou à Inglaterra no século XVII, e logo se tornou popular como na Itália, e continuou a crescer em popularidade atingindo o seu pico durante o reinado da Rainha Vitória. Depois disso, a sua popularidade diminuiu, e quase se extinguiu totalmente na Inglaterra. Uma das possíveis razões pode ter sido uma degradação na sua qualidade ao diminuirem o seu tamanho durante os cruzamentos, muitas vezes sem uma preocupação com a saúde dos cães.

O Galguinho no resto do mundo

Os Galgos Italianos chegaram aos Estados Unidos ao final dos anos 1800, e embora não fossem em grande número, eram de excelente qualidade. Eles, junto a outras importações, ajudaram a reviver a raça na Europa. Desde então, a sua popularidade tem aumentado muito e hoje pode-se dizer que desfruta de uma segunda renascença. A AKC registrou o primeiro Galgo Italiano em 1886, e criadores americanos começaram a estabelecer a raça nos Estados Unidos.

Durante as duas grandes Guerras, quando a criação de cães tornou-se inviável e um luxo para a maioria das pessoas, eles diminuiram quase que até a sua total extinção. Mas, cada vez que uma guerra terminava, criadores ingleses usavam exemplares criados por americanos para restaurar a raça na Europa. Hoje, o Galguinho Italiano tem sido uma companhia agradável por séculos e tem sido premiado por sua elegância e carisma.

Aparência do Galgo Italiano

greyhound-italiano-aparencia
Greyhound italiano malhado no parque. (Créditos/Copyright: “Laila Kazakevica/Shutterstock”)

O Galgo Italiano é um cão pequeno, magro de ossos finos, que se parece com uma miniatura de Greyhound, e embora hajam muitas diferenças, é ainda menor e bem mais esguio em todas as proporções. A sua cabeça é estreita e longa, com uma leve parada e focinho fino, pontiagudo que vai até o nariz, preto ou marrom, dependendo da cor dos seus pelos. Seus olhos redondos, negros, são de tamanho médio e possuem uma expressão inteligente cobrindo a maior parte da cabeça.

As orelhas são pequenas e ficam para trás da cabeça, dobradas quando descansando, eretas quando alertas. Os dentes se encontram em mordida da tesoura. Seu pescoço é longo e fino, em um arco gracioso. Possui um peitoral profundo, estreito e uma cintura esbelta. Suas pernas são longas e finas e bem musculosas, com patas pequenas e dedos bem arcados. Sua cauda também é fina e curvada, longa e reta. O seu pelo, sedoso, macio, curto, fino e bem rente à pele, pode vir em várias cores como preto, azul, cinza, creme, vermelho e amarelo castanhado, sendo que alguns possuem manchas brancas.

Ambiente Ideal do Galgo Italiano

greyhound-italiano-ambiente
Greyhond italiano tigrado no meio das cobertas e travesseiros na cama. (Créditos/Copyright: “SKABARCAT/Shutterstock”)

O Galgo Italiano é bastante dependente e por isso nunca ficará bem confinado em um canil, por isso deve ser sempre mantido na companhia de seus donos. Por causa da sua fragilidade e natureza um tanto tensa, a raça não é muito adequada à crianças e cães maiores. Eles ficam melhor em climas amenos sem temperaturas extremas, pois são muito sensíveis ao frio e devem ser mantidos dentro de casa com companhia o tempo integral.

Eles se adaptam perfeitamente em um apartamento e não se importam em não ter um jardim, desde que se exercitem e brinquem bastante para não arrumarem confusão dentro de casa. Se deixados no jardim, este deve ser seguramente cercado, pois os Gaglos são saltadores fabulosos e perseguirão qualquer coisa que se mova.

Temperamento & Personalidade do Galgo Italiano

greyhound-italiano-temperamento
Greyhound italiano recebendo um carinho no pescoço.(Créditos/Copyright: “Xseon/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, o Galguinho Italiano precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Galguinho cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

O Galgo Italiano é brincalhão, sensível, alerta, perspicaz, inteligente e de natureza gentil. Geralmente é bastante carente, dependente e submisso, sempre querendo agradar o seu dono. É muito afetuoso com a sua família, e ama ficar pertinho do seu dono, sempre ao seu lado o dia todo, seguindo-o pela casa.

É sensível ao tom de voz da pessoa com quem convive e não costuma obedecer se pressentir que é mais forte que seu dono, e também não costuma responder a métodos disciplinares severos. Seu dono precisa ser calmo, mas deve possuir uma autoridade natural para lidar com ele. Eles costumam ser reservados com estranhos; socialize-os bem. Os cães adultos não são tão frágeis quanto aparentam, mas podem ser machucados facilmente. Não são difíceis de ser treinados desde que o dono seja consistente.

Como todo cão do tipo hound, o Galgo Italiano pode ter uma atitude do tipo “o que eu ganho com isso” com relação ao treinamento, por isso é importante usar métodos motivacionais que usam brincadeiras, prêmios e elogios para incorajá-lo a acertar, ao invés de punir por errar.

O Galgo Italiano pode se tornar tenso e tímido se for super protegido e não for exercitado de maneira suficiente. Ele se adapta melhor em lares calmos, embora se dê bem com crianças desde que não seja tratado como brinquedo por elas ou judiado; e até com outros animais de estimação como gatos e outros cães, desde que os humanos da casa aparesentem forte liderança sobre todos. Em uma situação estressante, não reaja com demonstrações de afeto, pois isso pode intensificar ainda mais o stress nele.

No mundo canino, quando um cão está em um estado instável, e a pessoa reage com afeto, o cão é capaz de julgar a pessoa como mais fraca, o que intensifica a instablidade emocional. O seu dono deve sempre apresentar uma energia mais estável que a dele para que ele possa se alimentar disso.

Este cão precisa que o seu dono seja o líder, pois aqueles que forem tratados como crianças ou forem superprotegidos podem surtar ao se amendrontar com alguma coisa. Não permita que o seu cão desenvolva a “Síndrome do Cão Pequeno”, em que o cão pensa que domina a casa. Isto pode causar uma série de problemas de comportamento de vários níveis. O Galgo Italiano é ao mesmo tempo tranquilo e inquieto.

Ele aprecia o conforto, mas é também um verdadeiro hound, e por esta razão adora brincar ao ar livre, especialmente se involver corridas. Se você não tiver um jardim, ele irá correr dentro de casa, transformando o chão e os móveis de casa na sua própria pista. Ele possui muito mais energia que as pessoas imaginam – eles gastam o seu tempo alternando brincadeira e cochilos. Quando não está perseguindo presas ao ar livre ou “matando” os seus animalzinhos de pelúcia, o Galguinho adora ficar no seu colo sendo acariciado.

Mas isso não quer dizer que ele é do tipo que aceita carinhos de qualquer um, ele pode ignorar qualquer um que tente forçar uma amizade e prefere fazer os primeiros avanços quando conhece alguém novo. A timidez é comum na raça, por isso é melhor procurar por um filhote que tenha uma personalidade mais extrovertida – ele não vai ser super amigo de todo mundo que acaba de conhecer, mas é melhor ter um que não saia por aí se escondendo de todos.

O Galgo Italiano perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar.

Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Galgo Italiano

greyhound-italiano-cuidados
Greyhound italiano preto passeando no parque. (Créditos/Copyright: “krushelss/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Galgo Italiano à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas.

Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde. Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bacteria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento de dentes precoce. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. E cheque suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mal cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

O Galgo Italiano é um dos cães mais fáceis de ser cuidados e mantidos. Tudo que se precisa fazer para manter o seu pelo fino e sedoso brilhando é esfregá-lo com uma toalha ou pano de chamois. Dê banhos apenas quando for absolutamente necessário e garanta que ele fique seco e aquecido. A raça perde pouco pelo ou quase nada. Cuidados com os pelos é mínimo, e consiste em apenas escovações ocasionais para remover os pelos soltos. Eles também costumam tremer e se resfriar facilmente, por isso não são uma raça que pode ficar ao ar livre.

Eles precisam ficar dentro de casa, de preferência em uma cama confortável e sempre perto de seus donos, especialmente em climas muito frios. Por terem os pelos muito curtos, durante o inverno devem usar roupas quentinhas para ajudar a aquecê-los. Durante o verão, proteja a sua pele com protetor solar feito para cães. Eles podem desenvolver câncer de pele, pois adoram ficar sob o sol, mas possuem pelos e pele muito finas e devem ser protegidos.

Atividade & Exercícios do Galgo Italiano

greyhound-italiano-atividade
Greyhound de pelagem claro em plena velocidade de vôo.(Créditos/Copyright: “Grigorita Ko/Shutterstock”)

Se exercitar com o Galgo Italiano é puro divertimento e sempre muito movimentado. Eles adoram brincar e sair para passear, mas não precisam de muita quantidade de exercícios assim. Estes cães têm uma quantidade grande de energia, especialmente quando filhotes e ainda jovens, mas quando atingem a maturidade são capazes de se adaptar ao nível de atividade e estilo de vida do seu dono. Uma caminhada diária ajudará o seu Galguinho a gastar a sua energia acumulada, mas mantenha-o sempre na coleira.

Embora ele seja pequeno, ele possui o mesmo instinto de perseguir que qualquer outro hound maior, e pode sair em disparada atrás de qualquer coisa que se mova. O Galguinho ama correr ao ar livre, mas detesta o frio. A raça é muito rápida e ágil, por isso correr é a sua especialidade, e ele simplesmente ama fazer isso – e adoraria oportunidades de correr livremente em áreas seguramente cercadas. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro.

Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos ao exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Galgo Italiano

greyhound-italiano-saude
Greyhound italiano branco sentado no muro do parque. (Créditos/Copyright: “Kate Grishakova/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Galgos Italianos são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

Galgos Italianos são suscetíveis à problemas de saúde que podem ou não ser geneticamente transmissíveis como problemas de pele como a alopecia de cor mutante; criptorquiidismo ou monorquiidismo, uma condição na qual um ou ambos os testículos no cão não descem, em outras palavras uma retenção de um testículo ou a presença de um único muito comum nos filhotes; hipotiroidismo, uma doença hormonal em que a glândula da tiróide não produz hormônios suficientes; problemas de visão como cataratas juvenil, uma opacidade nas córneas que dificultam a visão; glaucoma; degeneração do vítreo; PRA ou atrofia progressiva da retina, uma doença degenerativa que pode causar cegueira; e uma doença do sangue chamada de von Willebrand.

Outros problemas incluem surdez, eplepsia, displasia de quadril, alergias, deformação das articulações da rótula do quadril, luxação patelar e uma anormalidade no fluxo do sangue entre o fígado e o resto do corpo. Os cães adultos desta raça são bastante resistentes, embora os filhotes são mais frágeis até que tenham 18 meses, e podem quebrar as pernas ou ter outros tipos de fraturas e rompimentos de ligamentos mais facilmente.

Durante este período é necessário tomar mais cuidado com eles, sem tratá-los como crianças ou você poderá fazê-lo ficar instável. Fora isso, a raça costuma viver por cerca de 12 a 15 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde.

Treinamento do Galgo Italiano

greyhound-italiano-treinamento
Greyhounds italianos em posição de largada preparando-se para uma corrida. (Créditos/Copyright: “EcoPrint/Shutterstock”)

Os Galgos Italianos são inteligentes e fáceis de serem treinados se o seu dono tiver a atitude certa, senão eles podem se tornar extremamente difíceis de serem treinados, pois são tensos e ao mesmo tempo muito sensíveis. Como outros hounds, eles geralmente encaram o treinamento com uma atitude do tipo: “o que tem pra mim nisso?”.

O mais eficaz para persuadí-lo a fazer o que você deseja nessa situação é fazer uso de métodos motivacionais de treinamento — como o uso de comida, elogio e brincadeiras para premiar e compensar o que ele faz de correto, ao invés de punir por algo que faz errado. E já que costuma se distrair facilmente e ter curtos períodos de atenção, o melhor é manter as sessões de teinamento curtas. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento.

Como muitos outros animais pequenos, o treinamento pra fazer suas necessidades fora de casa ou em locais apropriados é um pouco mais difícil. Até com muita paciência e consistência, talvez nunca se possa obter sucesso completo. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa.

Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto. A melhor opção é ter uma entrada e saída da casa em que ele possa usar com frequência, ou usar uma caixa como as de gatos para suas necessidades. Aulas de obediência também podem funcionar já que esta raça tem a tendência a se tornar submissa se ficar sendo corrigida com rigidez.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Categorias
Galgos ou Lébreis

Afghan Hound ou Galgo Afegão

O Galgo Afegão ou Afghan Hound é uma raça canina originária das montanhas do Afeganistão, onde o nome original da raça era “Tazi”. É provável que a sua origem date da Era pré-Cristã, assim considerada uma das raças caninas mais velhas que existe. Chegou à Inglaterra em 1.900, como cão de exposição. É considerado um animal caçador de perseguição, embora seja popular como um glamuroso cão de competições de beleza e companhia.

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Galgo Afegão

Origem: Afeganistão
Data de origem: 1.900
Grupo de Raças: FCI Grupo 10 – Cães Galgos (Lebréis) / AKC Grupo de Cães Hound / Cães de caça.
Função original: cão de caça perseguidor/rastreador
Função atual: cão de companhia
Tamanho: porte médio
Altura: Fêmea de 68 cm a 73 cm / Macho de 68.58 cm a 73.66 cm.
Peso: Fêmea e Macho de 22 kg a 34 kg.
Cores: tons de cinza
Pelos: compridos e franjeado
Manutenção: intensa
Expectativa de vida: cerca de 11 a 14 anos
Filhotes: 1 a 15 filhotes, padrão de 8 por cria.
Reconhecimento (Canil): APRI, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, CKC, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Galgo Afegão

galgo-afegao-intro
Grupo de Galgos Afegão todos juntos no parque (Créditos/Copyright: “Manfred Ruckszio/Shutterstock”)

O Galgo Afegão é considerado um cão de caça aristocrático. Possui uma aparência quase que única: pelagem dramaticamente sedosa, cara exótica e corpo fino e longo. Mas, tirando a sua aparência, alguns admiradores ainda descrevem a raça como arisca, elegante e cômica, de expressão exótica e porte orgulhoso. Mas, por baixo de toda essa longa pelagem glamurosa, bate o coração de um verdadeiro caçador.

A raça foi criada para caçar lebres e gazelas sob terrenos montanhosos difíceis. Embora seja gentil com crianças, não é dos mais brincalhões e interativos que existem. É até descrito por alguns como “cão-gato” devido ao seu temperamento independente, que embora sensível, não é de demonstrar muita afeição. O seu pior defeito é ser relutante ao obedecer quando chamado. É possível que persiga outros animais pequenos fora de casa, mas é capaz de coexistir com eles se for socializado junto deles desde cedo.

Pode ser reservado com estranhos, alguns até bastante tímidos, por isso socialização é altamente recomendada. Até hoje o Afegão ainda possui um forte instinto para correr e perseguir, e cresceu muito em popularidade como cão de companhia. Ao invés de ficar seguindo seus donos pela casa, espera que venham até ele se desejar atenção. Vive para correr, mas se obter seus exercícios diários de forma adequada e em área cercada, estará sempre pronto a deitar ao seu lado no sofá.

O Afegão possui uma alta manutenção — sua pelagem densa e glamurosa requer devoção total. Não compre um Afegão à não ser que esteja preparado para o compromisso de cuidar de sua pelagem e exercitá-lo diariamente.

Ele precisa de longas caminhadas na coleira ou chances de correr livremente em locais seguros. Ele é um preseguidor por natureza, por isso considere o esporte como uma forma de canalizar toda a sua energia e capacidade atlética. Ele pode se dar bem em competições caninas como agilidade, obediência, etc. Quando exercitado de maneira suficiente, o Afegão é uma companheiro calmo, quieto que adora ter acesso a uma caminha macia ou um sofá ao seu lado.

É capaz de se afeiçoar profundamente pelos seus donos, e pode levar tempo para se reajustar se tiver que ser levado para viver em outro local. Não tenha um Galgo Afegão se achar que não poderá ficar com ele para a vida toda. É uma raça que pode ficar muito infeliz se tiver que viver em um jardim longe da companhia do dono.

Origem da raça Galgo Afegão

cachorro-galgo-afegao-origem
Galgo Afegão deitado exibindo toda a sua exuberãncia e elegância.(Créditos/Copyright: “David Raihelgauz/Shutterstock”)

O Galgo Afegão é uma raça antiga e elegante, nativa do Monte Sinai, originária de cães de caça do Oriente Médio, mencionada diversas vezes em antigos papiros egípcios de faraós, assim como em pinturas nas cavernas do norte do Afeganistão há mais de 4.000 anos atrás.

Os primórdios como caçador

Um corredor extremamente rápido e ágil, o Afegão é um “sighthound”, o que significa que caça através da sua visão de longo alcance. Apesar das suas ilustres origens, a maior parte do desenvolvimento do Afegão é o resultado do seu uso por tribos nômades como cão de perseguição capaz de caçar gazelas e outros animais para servir de alimento para estas tribos. Era também usado tanto como cão pastor como para caçar muitos outros tipos de presas incluindo cervos, cabras selvagens, leopardos e lobos.

Estes cães muitas vezes caçavam com a ajuda de falcões e eram treinados para descer as pedreiras. Gerações de caçadas nas montanhas duras do Afeganistão acabaram produzindo um tipo de cão que também tinha uma boa quantidade de energia, mas mais que isso, uma incrível habilidade para saltar grandes distâncias com muita agilidade. Além disso, a sua pelagem densa e grossa o protegia de temperaturas extremas.

O Galgo Afegão no Ocidente

A raça foi mantiga pura por séculos e a sua exportação foi sempre proibida. Só foi parar na Europa como contrabando por volta do ínicio de 1.900. Nesta época estes cães eram chamados Greyhound Persias ou Barukhzy hounds. A primeira documentação sobre um criador ocidental da raça foi de um oficial inglês que ficava baseado próximo a Kabul. Os Galgos Afegãs do seu canil foram transportados para a Inglaterra em 1925, e posteriormente para a América.

O Galgo Afegão e o glamour das competições

A sua popularidade cresceu devagar, com a raça atraindo principalmente pelo seu glamour. Na Europa e na América tornaram-se luxuosos animais de estimação tanto para companhia como para competições de beleza devido à sua beleza aristocrática, o que os levaram rapidamente à ser uma das raças mais competitivas e glamourosas das exposições. Foi em 1.970, que os Afegãs tornaram-se uma raça da moda entre o público, quando Zeppo Marx um dos irmãos Marx foi um dos primeiros a trazer o Galgo Afegão para a América.

Ao final de 1.970, a popularidade do Galgo Afegão aumentou ainda mais quando a famosa boneca Barbie apareceu com a sua linda cadelinha Beauty, uma Galga Afegã que acabou consquistando milhares de fãs americanas.

Durante a mesma década, o desenvolvimento das competições de perseguição por atração caíram na graça da raça, e por volta de 1.980, O Afegão acabou se tornando um famoso cão de exposição, e apesar da sua natureza independente, ainda se estendeu às competições de obediência, mas desde então vem diminuindo em popularidade. Hoje é um cobiçado animal de estimação pelos apreciadores mais excêntricos. Alguns de seus talentos incluem caçar, avistar, rastrear, pastoroear, cão de guarda, correr, e percurso por atração.

Aparência do Galgo Afegão

cachorro-galgo-afegao-aparencia
Dupla de Galgos Afegãs lado a lado, um de pelagem negra e outro de pelagem branca, ambos lindos e exóticos. (Créditos/Copyright: “Olga_i/Shutterstock”)

O Afegão é alto e esguio com membros também longos e musculosos, uma cabeça elongada e estreita, com feições refinadas e parte de trás da cabeça e crânio bastante proeminentes. Seu focinho é levemente convexo, com uma parada pequena ou quase nenhuma, nariz preto, e mandíbula poderosa com dentes nivelados ou em mordida de tesoura. A altura dos membros deve ser quase que em nível e o abdômen bem encaixado. Seus olhos são escuros em formato de amêndoas.

As orelhas caem sobre a lateral da cabeça, e o seu pescoço é longo e forte. Possuem os ossos do quadril proeminentes, e patas grandes, fortes e musculosas, cobertas de pêlos, com uma cauda longa posicionada para baixo, encaracolada na ponta. Sua pelagem é longa, densa, sedosa e de textura fina e franjeada, que o protege de noite frias em altas altitudes. Geralmente são de cor cinzenta com marcas escuras ao redor da face e franjas nas orelhas, e um topete de pelos sedosos.

A sua construção foi feita aos moldes da linhagem dos galgos, o que lhe permite executar galopes de suspensão dupla e correr atrás de presas. A sua traseira comparativamente curta e pelvis ingríme ajudam a saltar grandes alturas e ainda girar quase que no mesmo lugar, atributos essenciais para perseguições em terrenos montanhosos. Suas patas grandes lhe servem como base firme e mais resistente à lesões neste tipo de terreno.

Ambiente Ideal para o Galgo Afegão

cachorro-galgo-afegao-ambiente
Galgo Afegão negro deitado no jardim. (Créditos/Copyright: “Raywoo/Shutterstock”)

O Galgo Afegão pode ser inativo dentro de casa, mas precisa de muita quantidade de exercícios e oportunidades para correr. Fica muito contente se puder dormir dentro de casa junto aos seus donos, mas precisa permanecer fora de casa a maior parte do seu tempo, onde possa gastar a sua energia. Casas com jardins consideravelmente grandes são a melhor opção para a raça, mesmo assim, eles podem se adaptar a outros ambientes, como apartamentos, se puderem ter longas caminhas com frequência. É preciso mantê-lo em jardins cercados de forma segura para que ele não saia por aí perseguindo outros animais e saltando através dos muros.

Temperamento & Personalidade do Galgo Afegão

cachorro-galgo-afegao-temperamento
Galgo Afegão deitado no chão do parque entre as sombras das árvores esbanjando estilo. (Créditos/Copyright: “DragoNika/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, o Galgo Afegão precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Galgo Afegão cresça saudável para tornar-se um cão sociável.

Muitas vezes descritos como “Rei dos Cães” — Corajoso, digno, espirituoso, doce, leal, afetuoso e sensível, com um baixo nível de dominância, nobres, majestosos e elegantes, o Galgo Afegão fazem tudo ao extremo — são dramáticos e ladrões de comida, mandões e levados.

Eles podem ser até um tanto indiferente, mas se socializado de forma adequada, treinado com gentileza, paciência e de maneira firme, se torna um cão muito agradável de se conviver. E mesmo as vezes indiferentes, ainda podem ser divertidos e bobos. E ser indiferente não significa ser tímido; ou que tenham medo de outras pessoas ou sejam agressivos, mas levam tempo para se acostumar com outras pessoas fora do seu convívio, e tendem à ser desconfiados daqueles que não conhecem, mas nunca hostis. Mas as pessoas que tiverem a sorte de serem incluídos em seu círculo de amizades terão a experiência de conviver com um cão de natureza exuberante e excelente senso de humor.

Embora duros e resistentes, podem definhar se deprivados de uma liderança gentil e tratamento adequado.

O Galgo Afegão é tipicamente para ser de um único dono ou de uma única família. Não é do tipo que sai agradando à todos, principalmente convidados, sendo mais provável que ignore completamente a presença deles. Não costuma latir, ou apenas latirá uma ou duas vezes quando um estranho se aproximar, mas não é propriamente um cão de guarda. O Galgo Afegão é gentil e leal, mas sensível, por isso deve ser tratado com cuidado, principalmente pelos mais jovens.

Normalmente são tolerantes com crianças, de preferência bem comportadas. Por isso, são mais adequados à famílias com crianças mais velhas que já entendam como tratar um cão. A raça se dá bem com outros animais de estimação que forem criados juntos, mas os machos costumam ser mais dominantes uns com os outros.

Embora o Galgo Afegão seja propício à treinamento e disciplina, o seu modo de pensar independente os tornam um desafio aos treinamentos, podendo ser desobedientes se o dono não der ordens claras e consistentes esperadas por ele.

A raça também pode ser difícil de se treinar para conviver dentro de casa, se comportando de forma tímida e teimosa se não obtiver exercícios físicos e mentais suficientes. Apesar de toda essa independência, ficam felizes em fazer o que você pedir, desde que seja aquilo que gostariam de fazer. São muito inteligentes e aprendem rapidamente, mas nem sempre respondem bem aos comandos ou pedidos. Mesmo sendo frustrante treiná-lo e até competir, se destacam em esportes caninos, se tiverem donos que possuem extrema paciência, senso de humor infinito, e boas técnicas de esforço positivo e comando para induzí-lo à cooperar.

O Galgo Afegão perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que for que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar.

Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Galgo Afegão

cachorro-galgo-afegao-cuidados
Galgo Afegão e sua pelagem loga, lisa, sedosa e bastante trabalhosa.(Créditos/Copyright: “Raywoo/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Galgo Afegão à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao pethop mais fáceis de se lidar. Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde.

A pelagem luxuosa e longa do Galgo Afegão requer muita manutenção, cuidado e atenção. São necessárias pelo menos uma hora, duas vezes na semana, de escovações com instrumentos especiais.

Os pelos nunca devem ser aparados, e por serem finos demais, possuem uma forte tendência a embaraçar e arrastar sujeira com eles, ficando tudo emaranhado. Para manter o seu brilho e a sua exuberância natural, é preciso banhos semanais ou apenas quando realmente forem necessários. Nunca escove seus pêlos quando tiverem secos, pois podem danificar os fios e embaraçá-los ainda mais.

Muitos costumam usar laços, fitas ou prendedores de orelhas para evitarem que elas caiam nos recipientes de comida e água. Escove os dentes dele 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactérias que costumam proliferar dentro da boca – diariamente é ainda melhor para evitar gengivite e mau hálito. Apare suas unhas 1 ou 2 vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. Ele deve dormir em uma cama macia e prefere ficar dentro de casa abrigado com acesso ao lado de fora.

Atividade & Exercícios do Galgo Afegão

cachorro-galgo-afegao-atividades
Galgo Afegão com sua pelagem exuberante ao vento. (Créditos/Copyright: “mariait/Shutterstock”)

O Galgo Afegão deve sempre ficar em área propriamente cercada e segura quando estiver correndo ou se exercitando. Deve obter uma boa quantidade de exercícios diários e caminhadas regulares diariamente. Uns 30 minutos de corrida por dia também é bastante recomendável. Água fresca deve estar sempre disponível, pois por ter muito pelo, pode esquentar demais e ficar desidratado com facilidade, especialmente em climas muito quentes. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro.

Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Galgo Afegão

cachorro-galgo-afegao-saude
Galgo Afegão posando com toda pompa no meio do parque. (Créditos/Copyright: “David Raihelgauz/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Galgos Afegãs são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça. No caso deles, os problemas de saúde encontrados podem incluir displasia de quadril; cataratas juvenil; tiroidismo – doença auto-imune que destrói a glândula da tiróide; paralisia da laringe e doenças hemorrágicas como doença de von Willebrand. Podem ter também alergias, sendo sintomas comuns os espirros frequêntes, fluído nos olhos e nariz, coceiras, queda de cabelo e letargia.

O tratamento varia de acordo com as causas e podem incluir dietas restritas, medicamentos e mudanças de ambientes. Também possuem baixa tolerância à dor, e mesmo saudável, qualquer lesão pequena pode incomodá-lo muito. Por terem uma baixa porcentagem de gordura no corpo, são também sensíveis à anestesia. Costumam dar de 6 a 15 filhotes por cria, mas o padrão é de 8 filhotes, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde. E costumam viver de 11 a 14 anos.

Treinamento do Galgo Afegão

cachorro-galgo-afegao-treinamento
Galgo Afegão bicolor e o seu melhor perfil. (Créditos/Copyright: “Raywoo/Shutterstock”)

O seu modo de pensar independente o torna bastante difícil de treinar. Ele não costuma ser motivado com comida e não possui um desejo forte em agradar como outras raças (Golden Retriever, por exemplo). É perciso ser muito gentil e ter muita paciência para lidar com esta raça, junto à compreensão de que de vez em quando ele não irá cooperar. Por ser sensível e difícil de treinar, o seu treinamento deve ser gentil, firme e consistente, se não for dado da forma adequada ele pode se tornar desobediente e destrutivo. Mantenha as sessões variadas, curtas e divertidas, evitando ser muito duro ou agressivo com ele. Talvez ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam brincadeiras.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. É importante também conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas dele. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Categorias
Galgos ou Lébreis

Whippet

O Whippet é uma raça canina elegante, escultural e atlética, de expressão viva e alerta, que pertence ao grupo dos galgos ou lébreis oriunda do Reino Unido. Foi desenvolvida para caçar através da sua excelente visão, e são conhecidos como potentes caçadores e atletas natos, em vista de seu físico aerodinâmico. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Whippet

Origem: Reino Unido
Data de origem: final do século XVIII
Grupo de Raças: FCI Grupo 10 – Cães Galgos (Lébreis) / AKC Grupo de Cães Hound.
Função original: cães de caça rastreadores/farejadores.
Função atual: cão de caça e companhia.
Apelidos: snapdog
Tamanho: porte médio
Altura: Macho de 47 cm a 56 cm / Fêmea de 44 cm a 54 cm
Peso: Macho de 12 kg a 14 kg / Fêmea de 9 kg a 12 kg
Cores: Beige, cinza, preto, banco e preto, branco rajado ou com manchas amarelas.
Pelos: finos e curtos
Manutenção: fácil
Expectativa de vida: cerca de 12 a 15 anos
Filhotes:
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, CCR, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Whippet

whippet-intro
Dupla de Whippets lado a lado no gramado (Créditos/Copyright: “otsphoto/Shutterstock”)

Os Whippets foram criados a partir de Greyhounds cruzados com várias outras raças de terriers menores por uma classe de trabalhadores ingleses, para entretenimento e meio de sustento.

O que resultou em uma aparência de Greyhound miniatura, em versão mais leve, com uma silhueta curva, pernas longas e físico magro. O que o torna um corredor inigualável, com uma capacidade nata de atingir velocidade em aceleração máxima e se torcer e girar o corpo com a mesma agilidade.

O Whippet era conhecido como “cavalo de corrida dos pobres”, e foi introduzida na América do Norte por trabalhadores têxteis de Lancashire que vieram trabalhar nos moinhos da Nova Inglaterra. O animal era capaz de caçar e ainda ter energia para correr, entretendo seus donos com apostas. Rapidamente se tornaram populares em competições de agilidade, corrida de cachorros e outros esportes caninos.

Apesar de exigirem exercícios físicos, o Whippet é tipicamente calmo dentro de casa, sendo mais acelerado ao ar livre, por adorar correr livremente no jardim, perseguindo algo. Por serem atletas naturais, precisam se exercitar regularmente, mas preferem muito mais correr a atividades físicas de longa duração. Se tiverem a chance de correr diariamente, podem até se adaptarem à vida em apartamento. Possuem uma pelagem macia, curta, fina, em cores e padronagens variadas, de fácil manutenção.

Embora não seja adequado para ser cão de guarda, por causa do temperamento dócil e sensível, ainda possui uma visão excelente capaz de perseguir outros animais pequenos pelo bairro, e ainda manter a casa livre de pragas, como ratos. Por esta razão, e por causa da sua enorme capacidade de saltar grandes alturas e correr em velocidade, um jardim devidamente cercado é obrigatório para que ele não fuja atrás de algo. É por isso, que não são as melhores companhias para outros animais menores como gatos, coelhos, hamsters, mas podem ainda se dar bem com outros cães, se socializados desde cedo.

A raça possui uma disposição maravilhosa, mas se não for socializado de forma adequada pode se tornar bastante tímida. O Whippet talvez seja uma das raças mais obedientes dos “sighthounds”, sendo uma animal de estimação ideal para pessoas que desejam um cão calmo e quieto em casa e uma companhia de absoluta devoção. Os Whippets são sensíveis e afetuosos com crianças, desde que sejam mais velhas e comportadas.

Origem da raça Whippet

whippet-origem
Whippet adulto malhado (Créditos/Copyright: “Liliya Kulianionak/Shutterstock”)

O Whippet é uma raça relativamente moderna, desenvolvida pela classe humilde de trabalhadores do Norte da Inglaterra, mais precisamente de Lancashire e Yorkshire, provavelmente ao final do século XVIII, cruzando pequenos Greyhounds com vários terriers do tipo rápido e de pernas longas para criar uma raça que pudesse perseguir coelhos e outras presas pequenas.

Seu nome deriva da expressão em inglês “whip it”, que significa mover-se com rapidez como em um estalo de chicote.

As corridas como entretenimento

O Whippet é um excelente corredor de pista à curta distância, capaz de alcançar distâncias de até 60 km/h em segundos. Por isso, quando não estavam apostando quais cães iriam matar mais ratos ou coelhos, estes trabalhadores, muitas vezes organizavam corridas de cães como forma de entretenimento, das quais lhe renderam seu apelido “cavalo de corrida de pobre”. Foi durante a Revolução Industrial que o desenvolvimento da raça foi impulsionado. Enormes massas de trabalhadores se mudaram para áreas industrializadas trazendo seus cães corredores e a necessidade de entretenimento. E mesmo sem coelhos, logo perceberam que estes cães eram capazes de perseguir até um trapo que se move.

Assim, “corridas de trapo” acabaram se tornando o esporte favorito de mineiros de carvão. O Whippet destas famílias de trabalhadores não eram apenas um imenso orgulho, mas também uma fonte extra de renda e um provedor de alimento para dentro de casa. Como um membro valioso da família, também costumava compartilhar da mesma comida, da cama das crianças e ainda ser uma boa companhia. As corridas de Whippets ainda são populares até hoje, mas nunca teve o mesmo apelo comercial que as corridas de Greyhound, e ainda permanece como esporte amador.

O Whippet nos dias de hoje

Depois que a raça foi oficialmente reconhecida pela AKC em 1.888 e pelo Clube de Canil Inglês em 1.891, passou a ser apreciada pelo seu apelo estético e, mais tarde, cruzamentos com o Greyhound Italiano acabou refinando ainda mais a sua aparência. O Whippet ganhou popularidade devagar, mas a sua combinação inigualável de agilidade, elegância, companheirismo e graça, gradualmente foi formando seguidores devotados.

Hoje, o Whippet é ainda um caçador rápido e eficaz, uma companhia calma e quieta em casa que ama se enroscar em uma caminha quentinha, e uma das raças mais populares dos “sighthounds”, muito valorizada pela sua versatilidade e aparência estilosa, destacando-se como cão de exposição, corredor de perseguição e cão de companhia.

Aparência do Whippet

whippet-aparencia
Whippet filhote castanho e branco (Créditos/Copyright: “Brian Rome/Shutterstock”)

O Whippet é um cão de tamanho médio, com uma aparência muito similar ao Greyhound ─ um animal vigoroso com muita força muscular, combinada à um aspecto gracioso e uma enorme elegância. Possui uma pelagem curta, lisa, fina, e bem rente ao corpo, de textura firme, porém macia, que não se adapta bem aos climas frios e precisa de proteção nestas épocas mais frias. Há muitas possibilidades e variações de cores, mas as mais comuns são bege, cinza, preto, castanho, preto e branco, ou branco rajado ou com marcas amareladas. Os Whippets costumam ser elegantes, mas fortes, embora sejam esguios e magros.

Como os Greyhounds, seu corpo é estreito, mas aerodinâmico. Além disso, seu peito profundo deixa espaço suficiente para grandes pulmões que lhe fornecem quantidade suficiente de ar enquanto correm rapidamente. Possuem cabeças estreitas e longas, com focinhos finos e orelhas pequenas em formato de “rosa”, eretas ao topo. Por terem sido feitos para correr em velocidade, suas pernas finas são incrivelmente musculosas. E para aumentar ainda mais a velocidade, a sua cauda longa e pontuda se dobra sobre o seu estômago.

O seu nariz pode ser preto, azul escuro ou marrom escuro parecendo até pretos. Os dentes se encontram em mordida de tesoura, os olhos são escuros. São cães leves, e justamente por possuírem pouca camada de gordura, possuem musculatura bem desenvolvida, principalmente a musculatura das patas traseiras, responsáveis pelo “arranque” nas corridas. As pernas da frente são retas e as patas parecem com as de um gato ou lebre.

Ambiente Ideal para o Whippet

whippet-ambiente-ideal
Whippet em meio de flores no parque (Créditos/Copyright: “cynoclub/Shutterstock”)

A raça é muito sensível ao frio, tendo que usar roupas em climas muito gelados. Podem viver perfeitamente bem em locais com pouco espaço apesar de sua energia, se exercitados de forma suficiente. Costumam ser calmos dentro de casa e mais ativos ao ar livre. Seu corpo sensível adora ter acesso a mobília quentinha e macia para se aconchegar. Por esta razão, adoram ficar na companhia de seus donos, e por serem muito sensíveis, precisam de donos gentis e crianças que saibam respeitar animais.

Temperamento & Personalidade do Whippet

whippet-temperamento
Whippet branco sentado nos degrais de uma escadaria (Créditos/Copyright: “otsphoto/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, o Whippet precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Whippet cresça saudável para tornar-se um cão sociável.

O Whippet é inteligente, vívido e dócil. É muito devotado aos donos e costuma ser bem calmo dentro de casa. Alguns são mais sensíveis e outros mais extrovertidos, mas a maioria é bastante doce e afetuosa. Ele não costuma latir muito, mas é muito alerta e pode ser um ótimo cão vigia, mas nem tanto cão de guarda, embora sejam reservados com estranhos.

Não conseguem suprir a vontade de perseguir qualquer coisa que se mova, por isso, é imperativo que estejam sempre na coleira ao passear na rua, ou devidamente cercados em jardim seguro para que não saiam por aí correndo. Costuma ser gentil e paciente com crianças, mas tem seus limites. O Whippet aprecia a tranquilidade e crianças comportadas, não toleram as muito agitadas que costumam agarrá-los ou puxá-los pelo rabo, e muito menos ambientes muito barulhentos. São tolerantes com outros cães, e até podem se dar bem com gatos da casa, mas precisam ter sido socializados antes. Devido ao seu instinto caçador apurado podem perseguir e até matar gatos da vizinhança ou outros animais menores se tiverem a oportunidade. Alguns podem ser difíceis de serem treinados a fazer suas necessidades em locais apropriados.

É independente e aprende rápido, mas precisa de treinamento consistente e métodos variados para mantê-lo interessado e evitar que fique entediado. Costumam também ser muito limpos, e não ter cheiro forte. Embora Whippets adultos sejam criaturas calmas, leva uns bons 3 anos para que atinjam a maturidade completa. Os filhotes costumam correr, cavar, latir e mastigar coisas — tudo em grande velocidade.

Whippets mais maduros ainda gostam de correr, mas precisam estar em locais seguramente cercados por causa da falta de senso de rua. É também um cão muito inteligente, mas costuma usar essa inteligência para benefício próprio — é mestre em abrir portas e gavetas, roubar comida — ao invés de obedecer aos seus comandos. Também não é do tipo que ama à todos na família, sendo mais inclinado a escolher uma única pessoa como favorita — e tolerar todo o resto.

O Whippet perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que for que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Whippet

whippet-cuidados
Whippet adulto de pêlo rajado no parque (Créditos/Copyright: “Grigorita Ko/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Whippet à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao pethop mais fáceis de se lidar. Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas.

Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde. Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. Quando se trata de manutenção, os Whippets são famosos pela pelagem fácil de ser cuidada. Eles precisam apenas de uma passada de pano tipo chamois, cortar as unhas regularmente, escovar os dentes e limpar as orelhas para se manterem limpos e em boa condição de saúde.

Se você tem alergia à cães, o Whippet pode ser uma boa escolha por causa dos seus pelos curtos e finos. Ele não precisa de banhos frequentes também, e não costuma ter cheiro forte. Por causa da pelagem curta e fina e pouca massa muscular, não é tão protegido como as outras raças de cães, por isso é comum Whippets se machucarem e levar pontos. Cheque-o frequentemente por machucados para garantir que não hajam infecções nos seus ferimentos como arranhões, raspões e cortes.

O mais importante para o conforto de um Whippet é uma caminha macia para enroscar o seu corpo, assim como acesso ao sofá e à sua cama para poder deitar e rolar com você. Durante o inverno, é necessário uma roupinha mais quente para ajudar a mantê-lo aquecido. Ele não tolera ficar do lado de fora da casa no frio por longos períodos.

Atividade & Exercícios do Whippet

whippet-atividade
Whippets adultos correndo juntos no parque em meio folhas de outono (Créditos/Copyright: “Liliya Kulianionak/Shutterstock”)

O Whippet precisa caçar e correr, e costuma exigir muito exercício, mas pode se contentar com corridas no parque, longas caminhadas e oportunidades de correr livremente em locais seguros. Dê ao seu Whippet oportunidades de caminhadas por 20 a 30 minutos diárias, e ele será um cão feliz. Tente não exercitá-lo demais para não colocar muita pressão em suas articulações e não deixe que tenha rompantes muito fortes para que não rasgue seus ligamentos ao correr muito rápido. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro.

Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Whippet

whippet-saude
Whippet adulto no gramado (Créditos/Copyright: “cynoclub/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Whippets são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

Os Whippets não costumam ter grandes problemas de saúde, mas ocasionalmente podem sofrer de surdez e defeitos nos olhos. Por serem muito magrinhos e fininhos, costumam também se cortar e ter outras lesões na pele com mais facilidade. Não é suscetível a displasia de quadril mesmo com a sua habilidade de atingir grandes velocidades, mas é muito sensível à anestesia por causa do seu baixo teor de gordura. E lembre-se, mantenha-o na dieta adequada para evitar obesidade. Costumam viver por cerca de 12 a 15 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde.

Treinamento do Whippet

whippet-treinamento
Whippet em posição de corrida em plena velocidade (Créditos/Copyright: “Ginger Livingston Sanders/Shutterstock”)

O Whippet se comporta melhor em uma casa com um dono gentil e doce. Por ser muito inteligente, são também independentes e necessitam de uma certa variedade para mantê-lo interessado. Inicie o treino desde filhote, enquanto ele ainda for pequeno suficiente para lidar com ele. Ele deve ter um dono firme, que saiba dar ordens de maneira adequada. O treinamento deve ser consistente e direto. Com muita consistência, elogios, paciência e esforços positivos através de recompensas, especialmente por comida, você será capaz de obter os melhores resultados e ter um Whippet muito bem treinado.

Ele responderá bem à treinos que incluam jogos, brincadeiras e corridas, mas não é possível atingir obediência perfeita com a raça. Não pode ser treinado de forma rígida ou brusca, pois é extremamente sensível, tanto fisicamente como emocionalmente. Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. Socialização e obediência são essenciais desde cedo. Além de ser muito importante ensiná-lo desde filhote quem é o líder.

É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto. Os Whippets amam móveis macios e confortáveis, que logo se tornam seu território, por isso faça com que ele tenha os seus próprios locais, como uma cama macia ou um pufe favorito.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)