Categorias
Apontadores

Pointer inglês

O Pointer, também conhecido por Pointer Inglês, é um cão caçador poderoso. É uma das raças mais aristocráticas que apresenta todo o seu valor misturando graça e força, junto à uma expressão sempre alerta em um corpo atlético e musculoso perfeitamente construído para a sua reputação de cão de caça. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Pointer

Origem: Inglaterra
Data de origem: 1600
Grupo de Raças: FCI Grupo 7 – Cães de Parar ou Cães Apontadores / AKC Grupo de Cães Esportistas / Cão de tiro, Apontadores, Cães de caça.
Função original: cão de tiro apontador
Função atual: cão de caça e companhia
Tamanho: médio
Altura: Fêmea de 54 cm a 60 cm / Macho de 55 cm a 62 cm.
Peso: Fêmea de 20 kg a 30 kg / Macho de 20 kg a 30 kg
Cores: vermelho escuro, limão, preto ou laranja, com ou sem branco.
Pelos: curto, liso, denso
Manutenção: fácil, escovar semanalmente.
Expectativa de vida: 12 a 16 anos
Filhotes: 6 filhotes de Pointer por cria.
Reconhecimento (Canil): FDSB, AF, CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Pointer

cachorro-pointer-introducao
Pointer inglês adulto branco e preto de perfil (Créditos/Copyright: “CoolR/Shutterstock”)

O Pointer inglês é bonito, possui pelagem curta, densa e macia que pode variar nas cores, vermelho escuro, limão, preto ou laranja, com ou sem branco. O Pointer é uma das raças esportistas mais antigas, muito usadas desde o século XVII para apontar lebres e, mais tarde, pássaros para o então novo esporte do século XVIII, “wing shooting” ou “tiro à asas”.

O Pointer se destaca em muitas áreas, desde campo à exposições, competições caninas como agilidade e obediência. É um caçador de excepcional versatilidade com uma passada suave e poderosa, a cabeça sempre erguida e narinas largas, permitindo-lhe cobrir terrenos enormes farejando suas presas. Pode tanto apontar pássaros como também correr por horas com muita energia. Possui um espírito competitivo natural que também o torna excelente para testes de campo.

Na superfície, o Pointer é um cão sensível e digno, mas debaixo dessa aparência nobre se esconde um cão amante da diversão, energético, divertido e travesso que é mais adequado à ambientes familiares ativos onde possa extravasar toda essa vitalidade e ainda ser considerado um membro da família. Embora a sua reputação seja de um competidor e caçador incansável, em casa o Pointer é como todo cão que adora compartilhar do ambiente familiar com seus donos, assistir ao jogo na TV ao seu lado, brincar com as crianças incansavelmente no jardim, e ainda alertar a presença de estranhos, pois possui uma natureza protetora e pode vir à ser um excelente cão de guarda.

Costuma ser gentil e doce, mas pode ser também muito energético e até agressivo demais para crianças pequenas. Com outros cães, ele pode ser simpático, um pouco reservado, mas raramente tímido e nunca inclinado à agressividade. Gatos podem instigar seus instintos de caçador, mas se criados juntos pode aprender a conviver com eles. Gatos estranhos, por exemplo podem ser uma ameça, e outros animais menores não serão poupados.

Origem da raça Pointer

cachorro-pointer-origem
Pointer inglês adulto marrom e branco (Créditos/Copyright: “iofoto/Shutterstock”)

Embora as primeiras menções ao cão Pointer datam de 1650 na Inglaterra, acredita-se que a raça seja originária da Espanha, mas como muitas outras raças, a história de sua origem é um tanto nebulosa.

O nome Pointer deriva da forma com que o cão se posiciona ao avistar a presa, imóvel, como se estivesse apontando direto para ela.

Do início à Inglaterra

Antigos registros de historiadores mostram que oficiais ingleses haviam trazido Pointers Espanhóis da Holanda — que durante este período estava dob o comando da Espanha — em 1713 depois de participarem da Guerra da Sucessão Espanhola. Os Pointers Espanhóis eram maiores, mais pesados, e mais lentos que o Pointer que conhecemos hoje, mas seu ponto forte sempre foi o seu instinto de apontador, uma característica que foi desenvolvida e aperfeiçoada nos Pointers Ingleses com o passar dos anos e através de vários cruzamentos controlados.

Estes Pointers com a aparência moderna de hoje, foram desenvolvidos provavelmente na Inglaterra, por meio de cruzamentos entre as outras excelentes raças de caça como o Pointer Italiano, Foxhound, Bloodhound, Greyhound, Newfoundland ou Terra Nova, Setter, e Buldogue. Países diferentes desenvolveram diferentes raças apontadoras. Assim, o Pointer Espanhol foi cruzado com o Inglês para aumentar a sua habilidade de apontar às custas da sua agilidade.

O Pointer e a caça

Antes que as caçadas com armas de fogo se tornassem tão populares, os Pointers eram usados para encontrar lebres para que os Greyhound as caçassem. Mas, foi no início de 1.700, quando o esporte de “tiro à asas” foi criado, que o Pointer se tornou muito popular entre caçadores.

Com a invenção das pistolas semi-automáticas no século XIX, as características lentas do Pointer Espanhol acabaram se tornando indesejáveis, e os cruzamentos foram extintos. Assim, durante o século XIX, novos cruzamentos foram feitos para melhorar ainda mais a disposição do Pointer e torná-lo mais fácil de ser treinado e menos suscetível à recuperar a presa. Foi aí que os Pointers tornaram-se muito populares em caças recreativas, sendo muitas vezes usados dois Pointers para facilitar ainda mais o trabalho do caçador ao tentar localizar suas presas.

Os caçadores desejavam que a raça pudesse ter a habilidade de farejar e a constituição do Bloodhound, a velocidade, elegância e graça do Greyhound, e o faro, a fácil manutenção, a caixa torácica bem desenvolvida e resistência de um Foxhound. E depois mais tarde, foram feitos cruzamentos destes Pointers com vários tipos de Setters para melhorar o seu temperamento.

Ao final, o resultado destes cruzamentos todos foram um sucesso – criando-se uma raça de cão de caça ideal que logo tornou-se a favorita entre os aristocratas ingleses. Com um excelente faro e a habilidade para apontar na direção correta, estes cães ainda eram muito rápidos e podiam cobrir enormes terrenos em curtos períodos de tempo. O cão ideal deveria procurar pela presa, indicar a sua localização e permanecer parado até que o caçador pudesse tê-la na mira e atirar. Não eram cães de água e não era de se esperar que recuperassem as presas.

Dos Estados Unidos aos dias de hoje

Pode ser que o Pointer tenha chegado à América através de antigos colonos, mas a sua presença não havia sido documentada de forma adequada até a Guerra Civil. A AKC reconheceu o Pointer em 1879 e o Clube Americano de Pointers foi fundado em 1938. Quando as exposições, ao final do século XIX, tornaram-se moda, os Pointers já se encontravam entre as raças mais proeminentes. Hoje, o Pointer continua lindo e sendo muito popular nas competições caninas de campo e caça recreativa; mas nem tão populares como animais de estimação como muitas outras raças esportivas. Os Pointers são cães de caça muito populares para caçar codorna, faisão, principalmente na América do Sul, onde são chamados de “cães pássaro”.

Aparência do Pointer

cachorro-pointer-aparencia
Pointer inglês filhote e sua pelagem manhadinah característica da raça (Créditos/Copyright: “JKlingebiel/Shutterstock”)

Os Pointers possuem uma aparência compacta e alerta, e seus pêlos são curtos, macios e densos, tipicamente lustrosos e brilhantes, muito comuns na cor branca, mas também podendo incluir preto, limão, vermelho escuro ou laranja, em pequenos pedaços, salpicados ou sólidos. A cor dos olhos geralmente depende das cores de sua pelagem, e podendo ser castanho ou amarelado.

A cabeça é tão larga quanto o focinho é longo, profundo com uma parada bem definida. O pescoço também é longo, e o nariz é preto ou marrom nos cães de pelagem mais escura, podendo ser mais claros ou cor de carne-viva naqueles de pelos mais claros. Os dentes devem se encontrar em mordida de tesoura. Suas orelhas são penduradas e pontudas na ponta. As patas da frente são retas e longas, a cauda maior na base, afinando na ponta.

Ambiente Ideal do Pointer

cachorro-pointer-ambiente
Filhotes de Pointers ingleses brincando juntos na fazenda (Créditos/Copyright: “JKlingebiel/Shutterstock”)

Os Pointers podem viver do lado de fora da casa em climas quentes a temperados, de preferência em uma caminha macia em local abrigado, mas preferem viver dentro de casa junto à sua família humana. Ele precisa de companhia canina ou humana, e fica muito mais feliz quando pode passar o tempo junto aos seus donos. Estes cães trabalham muito bem em climas amenos, e nem tanto quando está muito frio.

Os Pointers não são muito adequados à apartamentos, mas uma residência em que haja mais oportunidades de se exercitarem seria mais adequada para a raça. Um jardim cercado é essencial. Os Pointers são uma raça desenvolvida para seguir o seu faro e correr longas distâncias, por isso mantenha-os em locais seguros e cercados adequadamente para a própria segurança deles e sua paz de espírito. Eles também precisam de muito exercício físico e de oportunidades para aprimorar as suas habilidades de apontador.

Quando dentro de casa, eles tendem ainda a permanecer um tanto ativos, por isso é melhor que tenham muitas oportunidades para correr soltos por aí. Por serem muito energéticos, são muitas vezes descritos como incansáveis. Por isso, é muito importante que recebam a quantidade de exercícios necessárias para gastarem toda essa energia.

Temperamento & Personalidade do Pointer

cachorro-pointer-temperamento
Pointer inglês adulto deitado sobre a grama. (Créditos/Copyright: “aastock/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, os Pointers precisam de socialização desde filhote — os exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Pointer cresça para se tornar um cão sociável.

Os Pointers são extremamente energéticos e caçadores muito entusiasmados. Inteligentes, devotados e leais, são pacientes, amigáveis, afetuosos, amam crianças e são verdadeiros amigos da família. Se adaptam bem à novas situações, mas tendem à ser reservados com estranhos e até temperamentais em certas ocasiões. O Pointer possui um espírito competitivo e uma raia independente, mas é também muito divertido e levado. Em campo, é corajoso e persistente. Socialize-os bem desde filhotes como dono dele, procure ser sempre mentalmente forte para que o cão possa experimentar da sua energia e evitar a timidez.

Procure exercitá-lo diariamente e na quantidade adequada, pois se não fornecer estímulos físicos e mentais suficientes eles podem se tornar tensos e distraídos, neuróticos e destrutivos. Quando obtém a quantidade de exercícios e estímulos mentais necessários, ele pode ser uma companhia calma dentro de casa e ficará muito feliz em dividir o sofá com você. Os seus instintos caçadores se desenvolvem cedo, os filhotes começam a apresentar comportamento de apontador com 8 semanas. Costuma se dar bem com outros animais domésticos, e geralmente não são agressivos com outros cães.

O Pointer inglês perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar.

Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Pointer

cachorro-pointer-cuidados
Pointer inglês fêmea dando de mamar aos seus filhotes. (Créditos/Copyright: “JKlingebiel/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Pointer à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de lidar.

Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este exame regular irá prevenir o diagnóstico precoce de qualquer problema ou principais doenças mais comuns no futuro.

O Pointer é uma raça muito fácil de ser cuidada devido ao seu pelo curto. Na maioria das vezes, uma escovação regular e passadas de pano úmido ou lenços umedecidos sobre a pelagem o manterá limpo. Mesmo assim ele poderá precisar de banhos ocasionais, 3 a 4 vezes ao ano. Use shampoo para cães para manter o pêlo macio e evitar que fiquem secos, e lave-o tirando todo resíduo para evitar coceiras e irritações na pele. Escove os dentes dele pelo menos 2 a 3 vezes para remover tártaro e bactérias que crescem dentro de sua boca. Diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito.

Corte suas unhas regularmente, a cada semana ou duas, se não forem gastas naturalmente com exercícios. As orelhas devem ser checadas regularmente. É importante checar suas patas também todos os dias, principalmente depois de exercícios, longas caminhadas e corridas ou caçadas. O Pointer também deve ser secado completamente ao ser exposto à chuvas ou mau tempo para evitar que fique com frio devido à sua inabilidade de lidar com condições mais frias.

Atividade & Exercícios do Pointer

cachorro-pointer-atividade
Pointer inglês adulto em plena ação caçando algo no campo. (Créditos/Copyright: “Burry van den Brink/Shutterstock”)

O Pointer é um cão ativo e inteligente que precisa muito de exercícios e estímulos diários. A sua raça foi criada para trabalhar o dia inteiro, e suas necessidades físicas não mudam só porque ele passou à ser um cão de companhia. Ele precisa de treinamento consistente e contínuo, hora para brincar, caminhar ou outros exercícios — quanto mais ativo for o seu dia, melhor. Quando suas necessidades são alcançadas, ele pode ser um amigo leal e verdadeiro. Dê à ele 1 ou 2 horas de exercícios diários, se possível.

Apenas uma caminhada não é o suficiente. Leve-o também para correr, ensine-o a correr ao lado da sua bicicleta, jogue Frisbee com ele no jardim, no parque ou na praia, treine-o para agilidade ou outros esportes caninos. Exercitar o cérebro do Pointer é igualmente importante. Se ele não tiver nada para fazer no jardim ou na casa, ele tratará de criar sua própria forma de entretenimento, e com certeza isso não será agradável.

Deixar um Pointer sozinho por longos períodos de tempo sem os estímulos adequados ou exercícios é certamente um desastre, e tudo pode estar destruído quando você chegar em casa. Forneça muito espaço para ele brincar e correr. O Pointer é mais feliz quando tem muitas oportunidades de caçar ou correr livremente por aí. Alguns até adoram nadar, mas não foram criados para esta tarefa.

Não esqueça, enquanto estiver passeando com ele, faça com que ele fique atrás ou ao seu lado sempre preso à coleira. Como instinto um cão sabe que o líder deve seguir na frente, mostrando o caminho, e ele precisa entender que este líder deve ser humano. Ensine-o a entrar e sair de casa, portões, etc após os humanos. Quando um cão é ensinado a trabalhar como cão de caça, deve-se ensinar também a diferença entre hora de trabalho e hora de lazer. Quando não estiver trabalhando, o cão deve respeitar quem segura a coleira e caminhar ao seu lado. Ele ainda se destaca em vários esportes caninos, incluindo agilidade, obediência, etc.

Ensine-o truques e adquira uma variedade de brinquedos que desafie o seu cérebro. Lições desafiadoras de obediência, jogos ativos ou sessões de recuperação de objetos como trazer a bola de volta são excelentes formas de exercitar o corpo e a mente dos cães. Eles precisam ser constantemente estimulados, incentivados e mantidos ativos, ou podem ficar ansiosos e se tornarem até destrutivos. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro.

Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Pointer

cachorro-pointer-saude
Pointer adulto castanho e branco. (Créditos/Copyright: “SubertT/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Pointers são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça. O Pointer costuma ter alguns problemas comuns de saúde como displasia de quadril; problemas de visão como atrofia da retina progressiva, cataratas, olhos de cereja; epilepsia e alergias.

Pode também vir à ter problemas como hipoadrenocorticismo ou “ananismo” (Doença de Addison) assim como problemas de tireoide. Muitas raças, incluindo o Pointer, podem desenvolver hipotiroidismo, um problema hormonal comum; problemas de coração como estenose aórtica; osteopatia neurotrófica; entrópio; condrodisplasia e cistos na pele; assim como surdez congênita. Quando exposto à uma dieta saudável, exames regulares e caminhadas e exercícios diários, o Pointer pode viver aproximadamente de 13 a 16 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde..

Treinamento do Pointer

cachorro-pointer-treinamento
Pointer inglês filhote em posição de caça naturalmente. (Créditos/Copyright: “JKlingebiel/Shutterstock”)

o Pointer é um tanto cabeça dura e teimoso com relação à treinamentos, mas são altamente inteligentes e respondem bem quando estes treinos são firmes e consistentes ao dar as direções e quando são recompensados pelo bom comportamento. Suas habilidades de caça são logo aparentes quando ainda jovens, e quando aprendem algo, nunca se esquecem. No campo, ele possui estilo, mas mais que isso, possui muita energia e excelente faro que lhe emprestam o apelido de “máquina de achar pássaros”.

Os Pointers trabalham bem com pessoas, devido à sua herança de caça — o que muitas vezes envolvia trabalhar longe do caçador — por isso, precisam aprender a obedecer aos comandos quando estão juntos ao seu dono. Eles querem entender a razão pela qual você está pedindo que façam algo, e determinar se é um pedido razoável antes de obedecer ao seu comando.

O Pointer possui déficit de atenção e deve ter sempre variedade com relação ao seu treinamento. Pode ser facilmente distraído, por isso o treinamento deve ser firme, e aulas de obediência são altamente recomendadas desde filhotes. Treine-os com gentileza e consistência, usando sempre métodos de esforços positivos e recompensas.

O Pointer que é tratado duramente se torna ainda mais teimoso e menos propício à obedecer aos seus comandos. O melhor é manter o treinamento interessante, pois eles costumam desenvolver audição seletiva se tiver algo bem mais interessante que lhes prendam a atenção. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. Além de ser muito importante ensiná-lo desde filhote quem é o líder.

É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Categorias
Apontadores

Setter Inglês

O Setter Inglês é uma raça de cães apontadores, elegantes e atléticos que descendem da família dos Spaniels e que foi estabelecida na Inglaterra antes de 1.900. É uma raça de lindo porte, longilíneo, alongado e magro. O Setter Inglês é também conhecido por ser silencioso, bondoso, atencioso e de fácil adestramento. Como todo cão de caça, é também expressivo e habilidoso capaz de correr incansavelmente. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Setter Inglês

Origem: França/Inglaterra
Data de origem: 1.500
Grupo de Raças: FCI Grupo 7 – Cães de Parar ou Cães Apontadores – Setters / AKC Grupo de Cães Esportistas / Cão de tiro, Apontadores, Cães de caça.
Função original: cão de caça (pássaros), competições de apontar.
Função atual: cão de companhia.
Tamanho: porte médio.
Altura: Fêmea de 58 cm a 66 cm / Macho de 61 cm a 69 cm.
Peso: Fêmea de 20 kg a 32 kg / Macho de 25 kg a 36 kg.
Cores: branco sólido, preto e branco, branco e laranja, branco e limão, branco e castanho ou tricolor. Sardas são frequentes.
Pelos: liso e retos com penugens leves nas orelhas, peito, pernas, parte de baixo do corpo e rabo.
Manutenção: escovar semanalmente, banhos mensais.
Expectativa de vida: 10 a 12 anos.
Filhotes:
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANCK, NKC, NZKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Setter Inglês

cachorro-setter-ingles-intro
Casal de Setters ingleses castanhos (Créditos/Copyright: “cynoclub/Shutterstock”)

Criado para cobrir uma área enorme quando caça, o Setter Inglês é um cão cheio de vida que ama caçar e correr por aí. Esta combinação de boa aparência e muitas habilidades, fazem dele um perfeito companheiro de caça para um cavalheiro. Além de ser um animal de estimação de temperamento afetuoso é também capaz de ser um excelente cão de guarda.

Há dois tipos de Setters Ingleses: de mostra para apresentações e de campo para caça. Os do tipo de campo, chamados de “Llewellins”, são mais ativos e possuem menos pelos nas orelhas, nas pernas e no peito e mais marcas de cores, tendem a ser menores e mais rápidos, de rabo reto e para cima. Os do tipo de mostra, chamados de “Laveracks”, são mais tranquilos, tendem a ser maiores, com mais penugens, focinhos mais profundos e de rabos em nível.

No campo, o Setter deve ser capaz de achar e apontar presas, na maioria pássaros, sendo reconhecido pelo seu faro excepcional e boa memória. Seja um cão de companhia ou de caça, o Setter inglês se destaca pela sua pelagem distinta e a sua natureza gentil. Das três raças de Setters, ele é o menor, a depender da função que foi criado. Por serem muito ativos, preferem locais como o campo onde podem correr livremente e obter uma boa quantidade de exercícios diários.

Se não obtiverem exercícios suficientes, podem se tornar agitados, mas com atividades diárias e constantes são capazes de manter o temperamento suave e calmo. É uma raça extremamente amigável e tranquila, que lida bem com crianças, não é à toa que está entre as melhores raças para crianças, e ainda não costuma ser hostil com estranhos, mas latem quando alguém se aproxima. Eles ainda são capazes de se darem bem com outros animais se forem criados juntos desde filhotes. Entre os principais problemas físicos que pode apresentar estão a cegueira e as alergias cutâneas. E por serem cães muito amáveis, devem viver dentro de casa com muita companhia humana.

Origem da raça Setter Inglês

setter-ingles-origem
Setter inglês castanho em sua posição de “apontador” de caça característica (Créditos/Copyright: “Alex White/Shutterstock”)

As primeiras linhagens de Setters foram desenvolvidas na França em 1500, através de cruzamentos entre o Pointer Espanhol e o Pointer Francês, que originaram os chamados “Setting Spaniels”, devido à maneira que se agachavam depois de acharem suas presas permitindo que o caçador jogasse uma rede sobre elas.

Antes da invenção da arma de fogo, quando os pássaros eram caçados com redes, os cães eram treinados para agachar quando apontavam a presa. Estes “setters” antigos foram os precursores dos Setters de hoje.

O início na Inglaterra

O Setter Inglês é o mais velho do grupo, datando do século XIV, e foi desenvolvido para localizar e apontar presa e depois congelar até que a presa fosse capturada. A raça foi trazida para o Reino Unido por volta de 1.825, onde foi aperfeiçoada por um criador chamado Edward Laverack, que a desenvolveu através de cruzas com uma variedade de antigos cães de caça franceses até chegar no Setter Inglês de hoje. Os cruzamentos cuidadosos e eficientes de Edward foram muito importantes para a criação do Setter Inglês, e como resultado, muitas pessoas os chamam de “Laverack Setters”.

Laverack X Llewellin

Laverack concentrou-se em desenvolver um Setter gentil e companheiro, provavelmente adicionando Pointers e Setter Irlandês às linhagens, que eram capazes de se dar bem em apresentações, mas nem tanto em campos de caça. Contudo, estes Setters não foram usados para caça até que outro criador inglês, Llewellin, criou uma segunda variedade de Setters, começando com cruzas de Laveracks com outros Setters focando-se em melhorar o desempenho deles no campo, baseando-se em excelentes habilidades naturais de caça para produzir incríveis cães de campo, e ainda misturando Gordon Setters e outras raças para melhorar a habilidade de faro e velocidade. Os Setters de Laverack e Llewellin divergem, Laverack Setters são a base para as linhas de apresentações e os Llewellin Setters formando a base para os cães de caça. Ambas possuem também grande popularidade nos Estados Unidos, porém nem tanto no Brasil.

Aparência do Setter Inglês

cachorro-setter-ingles-aparencia
Setter adulto preto e branco (Créditos/Copyright: “Gonzalo Jara/Shutterstock”)

O Setter Inglês é lindo e elegante, dono de um corpo esguio e uma distinta pelagem com pintas. Possuem o peito estreito e profundo e uma cabeça alongada e oval quando vista de cima, com uma parada frontal definida. O focinho é longo e quadrado aproximadamente a metade do comprimento da cabeça, com narinas largas, podendo ser preto ou marrom. Seus olhos são grandes, castanhos e de expressão amigável. Possuem longas orelhas em formato para trás e baixas, penduradas ao nível dos olhos, cobertas com pelos sedosos.

O rabo começa reto e afina na ponta. A pelagem apresenta manchas e pintas em uma variedade de tamanhos diferentes e padrões. O pelo é longo, liso, sedoso e levemente ondulado. As cores podem incluir azul, limão, marrom ou pintas laranjas. Alguns Setters Ingleses são tricolores (branco, azul e marrom). O rabo, orelhas, parte de baixo, atrás das patas, parte de baixo das coxas, e rabo possuem longas franjas. As marcas são distintas, consistindo de pintas coloridas, as vezes em áreas de fundo branco. Os dentes se encontram em nível ou em mordida de tesoura.

Ambiente Ideal do Setter Inglês

cachorro-setter-ingles-ambiente
Setter inglês preto e branco filhote deitado na grama do jardim (Créditos/Copyright: “tsik/Shutterstock”)

O Setter Inglês não é recomendado para viver em apartamento ou casa pequena. A sua situação ideal seria uma casa com acesso a um jardim cercado onde possa brincar e correr livremente. O jardim cercado garante que ele não saia por aí atrás de alguns pássaros ou outras presas. Os Setters Ingleses necessitam de grandes quantidades de atividades físicas diárias e estímulos, e embora adorem correr livremente, longas caminhadas frequentes são o suficiente.

Temperamento & Personalidade do Setter Inglês

cachorro-setter-ingles-temperamento
Setter inglês preto e branco filhote escondido na grama do jardim (Créditos/Copyright: “tsik/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, os Setters precisam de socialização desde filhote — os exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Setter cresça para se tornar um cão sociável.

O Setter Inglês é um trabalhador rápido e quieto com um excelente faro e uma pelagem que o mantém confortável em temperaturas altas ou baixas. É um cão calmo e gentil, amigável e excelente com crianças, pois também são capazes de ser tranquilos, amáveis e muito afetuosos com quem os trata bem. São exuberantes e vívidos ao ar livre, mas relativamente inativos dentro de casa. Podem se tornar um tanto teimosos, e podem ser difíceis de serem treinados.

Regras, estrutura e treinamento devem começar desde cedo para prevenir o desenvolvimento de maus hábitos. Eles precisam de donos autoritários, firmes, mas calmos, confiantes e consistentes, que nunca os tratem de forma dura ou agressiva.

São sensíveis ao tom de voz e costumam não ouvir e nem obedecer se sentirem que são mais fortes que seus donos. Precisam de muita estrutura e podem até ser cães de guarda adequados. Gostam de vagar por aí, cavar e pular. Os dois tipos, de campo e de mostra, que são criados para caça e apresentações são ambos energéticos e precisam de exercícios diários, mas os de campo possuem uma quantidade de energia muito maior e precisam de mais exercícios.

Se você não for o tipo de pessoa capaz de demostrar um comportamento calmo e natural, mas com uma autoridade firme, escolha um filhote mais submisso. Pesquise sobre a raça e considere todos os principais aspectos antes de comprar um cão desse tipo.

O temperamento dos dois tipos de Setters varia bastante, dependendo de como o dono irá tratar o cão e quais exercícios ele fornecerá. O Setter Inglês é capaz de latir em excesso se deixados sozinhos no quintal por longos períodos de tempo e se não for fornecido a quantidade suficiente de estímulo físico e mental ou liderança. Cães que latem demais devem saber que este é um comportamento nada aceitável, um problema de comportamento, e precisam que seus corpos e mentes sejam desafiados.

Os Setters Ingleses também podem se dar bem com outros cães e outros animais, especialmente se forem criados juntos. Eles são caçadores de pássaros, por isso proteja seus passarinhos de estimação até que tenha certeza de que o seu cão entende que o animal está fora de seus limites. Alguns são capazes de aprender isso, se ensinados desde filhotes, mas pode não acontecer com todo cão.

É mais provável ter que separá-los para que nada aconteça com ambos. Embora o Setter Inglês seja bastante vívido, como todo cão esportista, não é assim tão ativo que irá levá-lo à exaustão. Costuma latir se alguém se aproxima da casa, mas costuma ser tranquilo com aqueles que lhes são apresentado. À não ser que o cão esteja longe de ruas e avenidas movimentadas, deve sempre se exercitar na coleira ou em um jardim cercado. Eles são cães de caça por natureza, e por isso podem sair correndo atrás de pássaros.

É mais comum ter que proteger o seu Setter Inglês de uma criança do que o contrário. Ele é tolerante e brando e pode aguentar bastante, mas não deveria. Filhotes de cachorros e crianças pequenas estão ambos em processo de civilização, precisam de supervisão para que se evitem puxões de orelhas ou de rabo, de ambas as partes.

O Setter inglês perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que for que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar.

Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Setter Inglês

cachorro-setter-ingles-cuidados
Setter castanho na floresta (Créditos/Copyright: “Chamille White/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Setter à ser escovado e examinado desde filhote. Pegue nas suas patas com frequência — eles costumam ser sensíveis com relação às patas — e olhe dentro das orelhas e boca. Torne isso uma experiência o mais positiva possível com elogios e recompensas para que não sofra toda vez que for ao veterinário. Ao cuidar dele, cheque sempre por machucados, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas.

Os olhos devem ser claros, sem vermelhidão ou corrimentos. Este exame regular irá prevenir o diagnóstico precoce de qualquer problema no futuro. Os Setters Ingleses precisam de escovação frequente para prevenir ou remover embaraçamentos e nós, com atenção especial para a época de troca de pelos. Escove três vezes na semana ou diariamente com uma escova dura para manter a sua pele saudável e uma pelagem brilhante e sedosa, e use um pente de aço para pentear tirando sujeiras, pelos caídos e nós. Um banho a cada 6 semanas é recomendável.

Além disso, corte suas unhas quando preciso e os pelos de baixo das patas. Escove também seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactérias e ainda prevenir gengivite e mau hálito. Mantenha suas orelhas limpas para prevenir infecções. Atenção para sinais como cheiro ruim, vermelhidão, inchaço ou se ele balança a cabeça ou coça as orelhas com frequência.

Atividade & Exercícios do Setter Inglês

cachorro-setter-ingles-atividade
Jovem Setter inglês correndo pelo campo em pleno vigôr (Créditos/Copyright: “Glenkar/Shutterstock”)

O Setter Inglês é moderadamente quieto dentro de casa, porém muito energético e cheio de vida quando pode correr por aí e apreciar a natureza fora de casa. Escolha um Setter Inglês se você for uma pessoa ativa que pode oferecer-lhe a quantidade de exercícios físicos necessários à sua raça. Todos os Setters precisam de caminhadas longas ou corridas diárias, onde possam estar ao lado de seu dono na coleira, ou acabam ficando inquietos e difíceis de serem controlados.

Como esta raça foi criada para correr por um dia inteiro, eles possuem uma energia infinita, por isso são necessárias, pelos menos 2 horas de exercícios por dia, na forma de longas caminhadas, corridas à pé ou ao lado da bicicleta, sempre na coleira. Ele também é super competitivo em esportes caninos como agilidade, obediência e podem ser também excelentes cães de terapia. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro.

Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos que devem ser tomados na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Setter Inglês

cachorro-setter-ingles-saude
Filhote de Setter inglês no gramado do jardim olhando para o céu (Créditos/Copyright: “tsik/Shutterstock”)

Os Setters Ingleses são em sua maioria saudáveis, mas como toda raça canina, são também suscetíveis a certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

Os Setters Ingleses são suscetíveis à ter displasia de quadril e cotovelo, hipotiroidismo, surdez congênita, alergias, e doença de armazenamento lisossomal, uma deficiência no armazenamento de lisossomos. Por causa da sua propensão ao ganho de peso, deve-se tomar muito cuidado para não alimentá-lo em excesso. As fêmeas também são propensas à ter gravidez psicológica e tumores cerebrais.

Eles precisam de muito exercício físico todos os dias, por pelo menos uma hora de constante movimento. Vive melhor se puder ficar dentro de casa e brincar do lado de fora. Os Setters ingleses costumam viver de 10 a 12 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde.

Treinamento do Setter Inglês

setter-ingles-treinamento
Setter inglês correndo livremente ao lado de outro Setter, só que irlandês, em campo aberto (Créditos/Copyright: “Glenkar/Shutterstock”)

O Setter Inglês pode ser difícil de ser treinado, mas deseja agradar o seu dono. Com um tratamento adequado e as técnicas corretas, podem aprender rapidamente.

Eles são inteligentes e capazes de aprender uma variedade de truques, jogos e tarefas, mas possuem um alto instinto predador por pássaros o que os torna facilmente distraídos. Costumam trabalhar bem com as pessoas, devido à sua herança de caçador — que envolve trabalhar mais longe do seu dono e nem tão próximo — por isso podem ter uma mente mais independente.

Treine com gentileza e consistência, usando sempre reforços positivos de forma amável, incluindo elogios, encorajamentos e recompensas. Por serem sensíveis, o Setter que for tratado de forma dura se tornará ainda mais teimoso e mais difícil de fazer o que você deseja. Mantenha o treinamento interessante e com sessões curtas. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. Socialização e obediência são essenciais desde cedo. Além de ser muito importante ensiná-lo desde filhote quem é o líder. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Categorias
Apontadores

Weimaraner

O Weimaraner é um cão esportista criado para caçar em alta velocidade e enorme resistência. Eles são cães apontadores e recuperadores de presas muito atléticos que possuem muitos outros talentos. Conseguem combinar graça, vigor e vivacidade a um comportamento alerta e focado. Ele ainda possui características aristocráticas, porém com uma expressão amável. Saiba mais sobre a raça abaixo:

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica da raça Weimaraner

Origem: Alemanha
Data de origem: 1800
Grupo de Raças: FCI Grupo 7 – Cães de Parar ou Cães Apontadores / AKC Cães Esportistas / Cão de tiro, Apontadores, Cães de caça.
Função original: cão de tiro apontador e retriever
Função atual: cão de caça e companhia
Tamanho: porte grande
Altura: Fêmea de 56 cm a 63 cm / Macho de 61 cm a 69 cm.
Peso: Fêmea de 23 kg a 29 kg / Macho de 25 kg a 32 kg
Cores: cinza-prata
Pelos: curto, liso, homogêneo.
Manutenção: escovação 2 a 3 vezes.
Expectativa de vida: 10 a 12 anos
Filhotes: 6 filhotes de Weimaraner por cria.
Reconhecimento (Canil):CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Weimaraner

cachorro-weimaraner-intro
Dupla de Weimaraners juntos no parque passeando. (Créditos/Copyright: “Igors Jefimovs/Shutterstock”)

Originalmente criado como cão de tiro para lidar com presas grandes como veados, lobos e ursos, o “Fantasma Cinza”, como era chamado, foi uma raça canina muito cobiçada na Alemanha, seu país de origem. O apelido vem da sua famosa pelagem curta de cor única e do seu velho hábito de se fazer de sombra de seu dono, uma característica peculiar da raça pelo desejo de sempre permanecer perto da sua família humana.

Eles são incrivelmente inteligentes, leais e costumam se conectar profundamente com seus donos, o que para algumas pessoas, a profundidade dessa relação junto à sua aparência única, fazem dele uma única raça à ser considerada. Como um cão de caça altamente qualificado que é, sua marcha é suave e passiva. E sendo um cão muito ativo, que ama correr e caçar, pode ficar frustrado se mantido preso ou encurralado. Pode ser também teimoso ou cabeça-dura, por isso se adapta melhor a donos ativos que apreciam atividades ao ar livre e que desejam uma companhia amável e divertida.

Weimaraners não costumam ter um botão de “off”, e não desejam outra coisa senão passar o dia todo na companhia de seu dono, caçando — o dia inteiro, todos os dias.

Se nada disso for possível, ele é capaz de se contentar com treinamento de obediência e agilidade, caminhadas, corridas ou participar de esportes caninos, desde que possa ser ativo junto ao seu dono. O Weimaraner é também ousado e indisciplinado, e não muito adequado para crianças pequenas.

São também um perigo para gatos e outros animais de estimação menores por causa do seus instintos de caçador, e se não forem exercitados de maneira suficiente, podem ficar agitados, frenéticos e até agressivos. Hoje, estes elegantes cães podem ainda ser encontrados em campos de caça, e também ser ótimos companheiros em casa. Eles são muito utilizados em serviços policiais como buscas, salvamentos, e rastreamento.

Origem da raça Weimaraner

cachorro-weimaraner-origem
Weimaraner adulto no meio da floresta. (Créditos/Copyright: “DragoNika/Shutterstock”)

A raça Weimaraner tem centenas de anos, e origina-se da mesma linhagem seletiva de outras raças de cães de caça alemãs e descendentes do Bloodhound. A sua primeira aparição se deu em uma pintura de Van Dyck que data de 1.600. Contudo, a raça passou à ser produzida no século XIX por esforços concentrados em criar um cão apontador ideal que pudesse caçar presas de todos os tamanhos. Por esta razão, o Weimaraner se tornou um bom cão de caça e um excelente cão apontador.

O Weimaraner já teve muitos nomes, como “Weimaraner Vorstehund”, “Weim”, “Fantasma Prateado” ou “Fantasma Cinza”, mas seu nome é em homenagem ao Grand Duke de Weimer, um nobre da época cuja côrte patrocinou e financiou a criação da raça.

O início na Alemanha

Na época em que a raça foi criada, os nobres adoravam caçar e precisavam de um cão que tivesse coragem, inteligência, boa habilidade de faro, velocidade e vigor. O cão deveria permanecer perto de seu dono enquanto procuravam pela caça, e que ainda pudesse ser uma boa companhia nas noites frias em frente à lareira.

A Alemanha sempre foi um país de grande abundância na vida selvagem, e raças caninas alemãs sempre tiveram a reputação das melhores do mundo. Como eles conseguiram criar esta raça ideal ainda permanece um mistério, mas acredita-se que as raças cruzadas entre si para criar o Weimaraner incluem o Bloodhound, o Pointer Inglês, o Pointer Alemão de pelo curto, o Great Dane azul, o Huehnerhund cinza-prata ou cão galinha e o Schweisshunde vermelho, um tipo de hound com faro excepcional. A origem da sua cor distinta é também desconhecida, mas sempre foi uma característica antiga da raça. O resultado foi este cão com excelente velocidade, energia e versatilidade para caçar tanto aves selvagens quanto presas maiores quando estas ficavam escarças.

Originalmente, o Weimaraner foi usado para caçar ursos, veados e lobos, mas hoje é mais usado como cão de caça à pássaros e recuperador de presas aquáticas.

Da Alemanha aos Estados Unidos

Logo no início, o progresso da raça foi rigorosamente supervisionada. Foi quando em 1897, um clube exclusivo, Weimaraner Clube Alemão, foi criado na Alemanha para manter e garantir que criadores fossem responsáveis pelo seu desenvolvimento, tendo regras muito rígidas impostas aos seus criadores. Os cães não podiam ser vendidos à quem não era membro e os títulos eram difíceis de se obter.

Os cães cujas raças não eram aprovadas, não podiam ser registradas, e espécies consideradas fracas tinham que ser destruídas. Apenas quando um Americano, Howard Knight, conseguiu entrar no clube e lhe foi permitido pegar dois cães para levar para os Estados Unidos em 1929 que o Weimaraner pode sair do seu país de origem. Os alemães eram tão protetores com relação à raça que embora Knight tenha prometido preservar a pureza dela, o clube lhe enviou apenas dois cães castrados. Mas Knight não se intimidou, e continuou trabalhando até conseguir alguns exemplares que pudessem ser criados nos Estados Unidos.

E finalmente, em 1938, conseguiu 3 fêmeas e um filhote macho fundando o primeiro clube Americano da Raça Weimaraner em 1942. Quanto mais entusiastas eram atraídos pela raça, mais se descobria o seu valor como excelentes companheiros de caça. O reconhecimento da raça pela AKC veio em 1943. A beleza e versatilidade da raça como cão de tiro, animal de estimação e competidor se fez por merecer. Antigos Weimaraners Americanos tiveram desempenhos extraordinários em obediência levando a um enorme interesse pela raça.

A Segunda Guerra Mundial e o declínio da raça

Durante a Segunda Guerra Mundial, começou a ficar difícil para que os criadores Alemães mantivessem seus cães, por isso muitos exemplares da raça foram enviados aos Estados Unidos para que pudessem reproduzir. Assim como ao final da Segunda Guerra, muitos soldados americanos trouxeram Weimaraners para casa com eles, que rapidamente se tornaram populares, especialmente quando o Presidente Eisenhower trouxe o seu Weimaraner, para a Casa Branca.

Ao final de 1950, Weimaraners já eram a décima-segunda raça mais popular registrada pela AKC. Infelizmente, como sempre acontece, isso acabou gerando cruzamentos irresponsáveis, e a qualidade da raça acabou caindo levando a problemas de temperamento, acabando com a sua popularidade. Por volta de 1960, o número de Weims registrados caiu pela metade em comparação com os registros em 1957, caindo ainda mais nas décadas seguintes, 1970 e 1980.

A reviravolta nos dias de hoje

O declínio da sua popularidade e seus problemas gerados pelos maus cruzamentos acabaram permitindo que outros criadores mais dedicados à raça pudessem ter a oportunidade de melhorar a saúde, o temperamento e conformação da raça. Assim, os registros começaram a aumentar na década de 1990, e hoje, o Weimaraner é mais uma vez, uma das raças mais populares nos Estados Unidos e em outros países.

Na Alemanha, o Weimaraner é ainda usado para caçar animais de pele e aves, assim como recuperador em terra ou na água. Nos Estados Unidos, ele não costuma competir, mas é também usado como cão de caça pessoal. Em outros países a raça é bastante popular como cão de companhia.

Aparência do Weimaraner

cachorro-weimaraner-aparencia
Weimaraner filhote e seus lindos olhos azuis (Créditos/Copyright: “Daz Stock/Shutterstock”)

O Weimaraner é um cão atlético de tamanho médio a grande com características elegantemente definidas e uma aparência aristocrática. Sua imagem é de velocidade e graça, e a sua expressão é alerta e auto-confiante. A sua cabeça de tamanho médio, elongada, possui uma parada moderada com um linha medial descendo até a testa, e o pescoço comparativamente londo. O nariz é cinza escuro e os seus dentes cerram em mordida de tesoura. Seus olhos variam entre tons de âmbar claro, cinza e azul acinzentado, sempre com uma expressão inteligente.

As suas orelhas são dispostas ao alto, longas e pendentes, dobradas para frente e pendurando-se ao lado da cabeça. A sua linha dorsal desce gentilmente dos ombros até a garupa. As costas é moderadamente longa, reta e musculosa, com um ligeiro declive até a cernelha. As suas patas são retas, robustas e paralelas com pés firmes e compactos que se assemelham aos dos patos, ajudando a nadar. As unhas dos dedos são cinzas ou âmbar. O rabo costuma ser amputado para ficar com cerca de 4 cm ao completar 2 anos de idade.

O seu pelo é curto, macio, lustroso e bem rente ao seu corpo, em tons sólidos de cinza prata, misturando-se a tons mais escuros do corpo com tons mais claros da cabeça e orelhas. O Weimaraner também possui uma variedade rara com pelos longos e penugens nas patas. E ainda pode vir à ter uma pequena marca branca no peito. Sua pele onde os pelos são quase inexistentes é rosada.

Ambiente Ideal para o Weimaraner

cachorro-weimaraner-ambiente
Filhotes de Weimaraners dormindo juntos agarradinhos no jardim. (Créditos/Copyright: “Daz Stock/Shutterstock”)

O Weimaraner se contenta em viver em pequenas residências ou apartamentos se receber uma grande quantidade de exercícios, mas é mais adequado para viver em locais que hajam um jardim cercado onde possam correr livremente e gastar energia, sem que haja o perigo de fugir, pois Weims são como o mágico Houdini com relação ao confinamento.

São muito inteligentes e capazes de aprender rapidinho como abrir portões, pular ou cavar por baixo deles. Por isso, é importante que vivam dentro de casa, como animal doméstico, porém devidamente seguros e cercados. Não são adequados para viver em canil ou dormir no jardim ou fora de casa já que o que mais gostam é estar perto de seus donos. Podem até ficar do lado de fora da casa em climas mais amenos, mas não são adequados ao relento em noites frias. Como é um cão bastante social, ficaria mais satisfeito se pudesse dividir o seu tempo entre dentro e fora de casa.

Temperamento & Personalidade do Weimaraner

weimaraner-temperamento
Filhotes de Weimaraners convivendo juntos no parque em harmonia. (Créditos/Copyright: “Daz Stock/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, os Weims precisam de socialização desde filhote — os exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Weimaraner cresça para se tornar um cão sociável.

O típico Weimaraner é alegre, amigo, amável, afetuoso, brincalhão, corajoso, alerta, protetor, leal e obediente. Características que fazem dele um excelente companheiro, podendo até se tornar um bom cão de guarda. Por outro lado, é auto-confiante, inteligente, incansável e teimoso. Esta raça é capaz de tomar conta da casa se o seu dono der a chance. Ele irá mastigar, latir, perseguir gatos e roubar comida de cima da mesa — se não lhe for dada socialização, treinamento e estrutura que que ele tanto precisa para crescer de forma adequada e saudável.

A personalidade do Weimaraner pode variar entre estar no comando e ser maleável e descontraído. Os machos tendem a ser doces, enquanto as fêmeas mais travessas. Embora ambos amáveis, podem dar trabalho. Eles precisam de interação social e reafirmação para estabelecer esta atitude confiante e devotada.

Por serem tão passionais e devotados, necessitam de socialização desde cedo, e muitas vezes são descritos como uma raça canina emocionalmente “carente”. Preferem viver do lado de dentro da casa como membros da família e exigem a companhia e atenção dos seus donos o tempo inteiro. Uma coisa é certa, ele logo irá tratar de lhe ensinar duas lições de vida fundamentais: um Weimaraner quieto é porque está entediado e um Weimaraner entediado é destrutivo. Portanto planeje mantê-lo ativo, ou ele mesmo irá procurar o que fazer.

A raça aprende rápido, mas fica entediado facilmente também. Se não forem exercitados de forma suficiente ou ignorados, Weimaraners podem desenvolver comportamentos inadequados, como roer tudo que vêm pela frente.

Weimaraneres desejam liderança por natureza e precisam saber o que é esperado deles e por quanto tempo. Se isso não for deixado claro de forma constante, podem ficar desestabilizados, estressados e possivelmente desenvolver um distúrbio de ansiedade muito comum nos cães que os tornam destrutivos e incansáveis.

Por esta razão, necessitam de treinamento experiente e firme desde filhote com um dono que entenda como ser o líder do bando, ou ele pode se tornar difícil de lidar. Sem esta liderança adequada, pode ficar agressivo até com outros cães e membros da família. Seus donos não devem ser duros, mas calmos e ter um ar de autoridade natural para com a sua conduta.

Agressividade e timidez são defeitos temperamentais muito associados à esta raça.

Por isso deve-se lidar com isso o mais cedo possível, com assistência profissional de um treinador experiente para evitar outros comportamentos mais sérios como ataques e mordidas. Deve ser exercitado e estimulado fisicamente e mentalmente de forma suficiente para não se tornar indisciplinado e difícil de ser controlado. Costuma ser bom com crianças, porém devido ao seu alto grau de energia, não é recomendado a ficar ao redor das pequeninas.

Ele também não é nada amigável com estranhos, altamente territorial e irá proteger a sua família de todos os perigos, por isso pode vir a ser um bom cão de guarda. Também possui um instinto forte de caçador e não se deve confiar nele junto a pequenos animais como hamsters, coelhos e porquinhos da índia. O único jeito de evitar um mal comportamento ao redor de outros animais e pessoas é socialização desde cedo.

Com uma socialização adequada, pode se dar bem com outros cães e outros animais domésticos. Embora o Weimaraner adore e deseje agradar o seu dono, é muito independente e gosta de fazer tudo à sua maneira. Ele pode ser insistente e desafiador — e não apenas durante a sua adolescência. No caso do Weimaraner, os seus anos “teens” começam aos 6 meses e só terminam aos dois anos de idade.

Para se ter um Weimaraner, é necessário muita sensibilidade, firmeza com um toque de leveza, e um senso de humor extraordinário. É preciso ser uma pessoa muito inteligente para se estar sempre à frente do Weimaraner, e mesmo assim, há enormes possibilidades de ainda ser passada pra trás por estes cães. Mas, se você for do tipo que adora ter o cão ao seu lado — e pode gastar um bom tempo caminhando, correndo ou caçando com ele — o Weimaraner pode ser o seu companheiro ideal.

O Weimaraner perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que for que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar.

Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Weimaraner

cachorro-weimaraner-cuidados
Weimaraner adulto contemplando um dia de sol no rio. (Créditos/Copyright: “Best dog photo/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Weimaraner à ser escovado e examinado desde filhote. Pegue nas suas patas com frequência — eles costumam ser sensíveis com relação às patas — e olhe dentro das orelhas e boca. Torne isso uma experiência o mais positiva possível com elogios e recompensas para que não sofra toda vez que for ao veterinário. Ao examiná-lo, procure por machucados, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Os olhos devem estar sempre claros, sem vermelhidão ou corrimentos.

Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde. O Weimaraner é uma das raças mais fáceis de serem mantidas. Escove seu pelo semanalmente com uma escova de cerdas firmes para mantê-los saudáveis e lustrosos, e lave-o com shampoo à seco ocasionalmente. Para que seus pelos prateados fiquem ainda mais brilhantes, limpe-o com um pano de chamois.

Lave-o com sabão neutro apenas quando necessário, embora ele adore se esfregar por ai em qualquer coisa que cheire mal. Inspecione suas patas depois de sessões de exercícios ou outros desempenhos físicos que tenham exigido muito dele. Todas as raças com orelhas pendentes são suscetíveis à infecções de ouvido, limpe-as e cheque-as com frequência.

Escove os dentes do seu Weimaraner pelo menos 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactérias que se proliferam dentro da sua boca. Diariamente é ainda melhor para manter o bom hálito e evitar a gengivite. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. Saiba que Weimaraners têm lábios soltos. Eles não costumam babar muito, mas irão derramar água em todo lugar ao beber. Mantenha algumas toalhas ou papel por perto para limpar sua boca e o que for derramado pelo chão.

Atividade & Exercícios do Weimaraner

cachorro-weimaraner-atividade
Weimaraner correndo livremente no parque. (Créditos/Copyright: “DragoNika/Shutterstock”)

Estes cães poderosos possuem muita energia. Por isso, o Weimaraner exige muitos exercícios e estímulos. Eles adoram correr, caçar, sair para longas caminhadas, passeios de barco, nadar — qualquer coisa que envolva estar com o seu dono. Com relação aos esportes caninos, eles amam agilidade, rastreamento e testes de caça. Aliás, esteja preparado para presentes “moribundos”: animais como sapos, pássaros, até o gato do vizinho que sempre esteja o redor da casa. Ele apenas foi feito para caçar, e é o que ele faz. E nunca rejeite um dos seus presentes ou puna-o, o que pode estragar de vez o seu relacionamento com ele.

Eles devem ser levados para longas caminhadas ou corridas diariamente para evitar comportamentos desagradáveis como latidos em excesso, mastigação de objetos e cavações no jardim. Além disso, precisam de muitas oportunidades para correr livremente. Brinque de pega-pega ou de jogar objetos para que ele possa buscar e trazer de volta, leve-o pra correr ou caminhar, ensine-o a correr ao seu lado ao andar de bicicleta, e outras atividades que envolva correr. Mas, nunca exercite-o depois das refeições. É melhor alimentá-lo após as caminhadas, depois que ele esfriar ou estiver descansado.

O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Dica: Estes cães amam perseguir qualquer coisa que se mova, incluindo corredores, ciclistas, crinaças e outros animais, por isso prenda-os em locais onde hajam portões, muros e cercas seguras e sempre use a coleira ao passear com eles na rua.

Saúde do Weimaraner

cachorro-weimaraner-saude
Weimaraner filhote deitado no chão coms eu olhar sedutor.

(Créditos/Copyright: “Jeff Leonard/Shutterstock”)
Os Weimaraners são, em sua maioria, saudáveis, mas como toda raça canina, são também suscetíveis a certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

O Weimaraner costuma ser suscetível à vários problemas, incluindo displasia de quadril, hipotiroidismo, displasia tricúspida (doença cardíaca congênita), problemas de visão como distrofia da córnea e entropia, crescimento rápido excessivo e tumores. Também costuma ganhar muito peso e inchar; é melhor ser alimentado 2 a 3 pequenas refeições ao dia, ao invés de apenas uma grande.

Eles também podem ter níveis elevados de ácido úrico na urina, uma pré-disposição para pedras no rim e dores na bexiga, o que pode levar a cirurgia. A raça costuma viver por cerca de 10 a 12 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde.

Treinamento do Weimaraner

cachorro-weimaraner-treinamento
Weimaraner adulto na praia brincando de bola. (Créditos/Copyright: “bitt24/Shutterstock”)

Antigas estórias sobre os Weimaraners fizeram parecer que a raça viesse já totalmente treinada e perfeita em todos os aspectos. Até hoje, muita gente ainda acredita nisso, mas infelizmente, não existe tal coisa. Nenhum cão, por mais predisposto à obediência que seja, vem programado com bom comportamento.

Os Weimaraners são altamente inteligentes, mas são muito independentes em seu modo de pensar. Esta combinação faz com que sejam um verdadeiro desafio em relação ao treinamento.

Treinamento de comportamento é altamente recomendado para o Weimaraner, pois alguns sofrem de ansiedade por separação ou comportamento agressivo (como caçadores naturais, todos os Weimaraners manterão algum grau de agressividade). Embora sejam cheios de energia, ávidos para aprender e agradar, e ainda muito motivados por recompensas e elogios, não são fáceis de serem disciplinados.

Apesar da raça ser capaz de aprender tudo rapidamente, não responde bem à disciplina dura e uma vez desconfiada, evitará qualquer tentativa de treino. Nunca use violência física com ele – você nunca deve bater nele ao tentar discipliná-lo, pois são magoados facilmente e isso os tornará desconfiados não confiando mais em você. Uma vez com medo de algo ou alguém, irão ignorar o treinamento. Seja consistente e firme, porém gentil.

O Weimaraner é sensível, e mesmo que não responda bem à raiva, você deve sempre poder dizer “NÃO”. Mantenha as sessões curtas e interessantes, e sempre termine quando ele fizer algo correto para que você possa recompensá-lo pelo bom trabalho.

Por terem muita energia, a primeira coisa que deve aprender é sentar. Isso evitará que ele pule em cima de você, e de outras pessoas, podendo até derrubá-las. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa.

Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto. Gaste o seu tempo com ele em caminhadas com a coleira curta, não dando muita oportunidade para que ele se coloque à sua frente, mas sempre ao seu lado. A raça também costuma latir demais e precisa ser corrigida desde cedo. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

Por fim, segure o seu senso de humor. O fato do seu Weimaraner obedecê-lo ou não irá depender de vários fatores, mas uma coisa é certa, ele sempre irá desobedecer com estilo.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Categorias
Apontadores

Spaniel Bretão ou Brittany

O Spaniel Bretão, mais conhecido por Brittany, é a raça de cão apontador mais popular da França e favorita nos Estados Unidos, salva da extinção na década de 1900 pelo criador Arthur Enaud. E apesar de ser um Spaniel, comporta-se como um pointer, levantando e carregando as presas nas caçadas. É uma das raças mais populares para a caça de pássaros.

Índice de conteúdo:

Ficha Técnica:

Origem: França
Data de origem: 1800
Grupo de Raças: FCI Grupo 7 – Cães de Parar ou Cães Apontadores / AKC Grupo de Cães Esportistas / Cão de tiro, Setters, cães de caça.
Função original: apontar e recuperar (presas, caça)
Função atual: cão de caça, companhia.
Outros nomes ou apelidos: Brittany Spaniel, Epagneul Breton, Brittany Americano.
Tamanho: porte médio
Altura: Fêmea de 46 cm a 50 cm / Macho de 43 cm a 53 cm
Peso: Fêmea de 14 kg a 18 kg / Macho de 16 a 18 kg
Cores: laranja e branco, vinho (marrom avermelhado escuro, chocolate) e branco, preto ou tricolor.
Pêlos: pelagem fina e densa
Manutenção:
Expectativa de vida: cerca de 12 a 13 anos.
Filhotes: cerca de 1 a 11 filhotes, padrão de 6 filhotes de Cão Brittany por cria.
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, BCGB, ACA.

Introdução à raça Spaniel Bretão ou Brittany

cao-brittany-intro
Brittany ou Spaniel Bretão com o seu sorriso maroto e alegre irresistível. (Créditos/Copyright: “Por Annette Shaff/Shutterstock”)

O Spaniel Bretão é uma raça de caça amável, gentil e ávida para agradar. Compacto e atlético, são cães entusiasmados, independentes e apaixonados pelo seu trabalho. O Brittany é um cão apontador elegante, alegre, rápido e curioso, sempre à procura de pássaros ou diversão. Altamente inteligentes, alertas e geralmente de natureza boa, costumam ser obedientes e fáceis de lidar e treinar. Adoram correr, caçar e brincar. É uma raça aventureira que possui uma boa medida de independência, mas se não for exercitada o suficiente, pode se tornar destrutiva.

E apesar desta sua natureza independente, condizente com qualquer raça de apontadores, é muito sensível ao comando humano. Um olhar repreensivo ou uma palavra agressiva é geralmente uma punição suficiente quando ele estiver agindo de forma errada. Treine-os de forma firme, mas gentil, usando encorajamento positivo. Quando propriamente socializado, o Spaniel Bretão é um excelente animal de estimação desde que receba a quantidade necessária de exercícios físicos e mentais diários.

Eles costumam ter uma enorme alegria de viver e alto nível de entusiasmo em tudo que fazem, seja brincar com crianças, caçar pássaros ou simplesmente apreciar a vida. E é justamente por causa da sua natureza feliz e amigável, que os Brittanys costumam ser bons com crianças e outros animais de estimação, mas a sua exuberância, hiperatividade e alta energia pode, muitas vezes, machucar acidentalmente, por isso é sempre bom ter supervisão enquanto crianças estiverem brincando juntos.

Existem dois tipos de Brittany, o “Americano” e o “Francês”, ambos da mesma raça, mas o Americano é mais alto e mais rápido que o Francês, que é menor e geralmente trabalha mais junto ao caçador. Ambos são alertas, cheios de vida e independentes, e no geral de natureza boa e um dos cães mais leais.

Muitas vezes o Brittany é até descrito como hiperativo, e para ser um bom animal de estimação, vai depender muito dos seus interesses e níveis de atividade. O seu porte médio atrai muitas famílias e esportistas, pois são do tipo versáteis. Mesmo assim, não são uma raça adequada a qualquer pessoa, pois como todo cão esportista, o Brittany possui um nível de energia muito alto. Se você não tiver a mesma energia e entusiasmo, pode ser difícil de acompanhar a raça.

Devido a toda esta energia é preciso fornecer muitas sessões de exercícios. Apenas uma volta no quarteirão não será o suficiente. Se a sua necessidade básica de exercícios e tarefas não forem suficientes, podem se tornar neuróticos e hiperativos ao extremo, gastando energia de formas que você provavelmente não irá gostar.

Os Brittanys são especialmente orientados por tarefas. Por isso, nunca deixe o seu cão em casa sozinho o dia todo e espere que ele fique quieto e se deite ao seu lado quando você chegar, pois ele vai estar explodindo de energia e pronto para gastá-la. Os Brittanys exigem pelo menos uma hora ou mais de exercícios físicos ao dia, o que os tornam inadequados para a maior parte dos apartamentos.

Se você conseguir se adequar às necessidades físicas do seu cão, vai descobrir que a raça é excelente companhia para a sua família. Além disso, os Brittanys são cães de muito boa aparência que atraem muitos elogios. E a sua manutenção é relativamente simples. São sempre felizes, amigáveis e afetuosos, cães perfeitos para famílias que adoram brincar, amam a natureza, e querem um cão para compartilhar de tudo isso juntos. Embora sejam muito usados como cães de caça, são também muito populares como cães de companhia, pois são divertidos, alegres e cheios de vida. Brittanies aprendem rápido e com alegria, e podem ser excelentes cães de guarda também.

Origem da raça Spaniel Bretão ou Brittany

cao-brittany-origem
Cão Brittany na floresta caçando. (Créditos/Copyright: “Por Keith Bell/Shutterstock”)

O Brittany tem o seu nome originário de uma pequena província francesa chamada Pontou, em Brittany, no nordeste da França, uma área Celta, que certa vez já foi um reino independente. A província faz divisa com o Canal Inglês de Wales, e por muitos anos houve uma grande quantidade de comércio entre os dois países, e os cães provavelmente também faziam parte deste comércio.

Por esta razão, muitos acreditam que a raça é o resultado do cruzamento de Setters ingleses com raças menores de Spaniels e outras raças de cães francesas não identificadas com o objetivo de desenvolver um cão com habilidades de caça mais adequadas às suas necessidades. Além disso, o Brittany possui muitas características físicas semelhantes às do Welsh Springer Spaniel, o que leva a crer que seja provavelmente um ancestral comum. Por ser um hábil caçador de pássaros com excelente faro, a raça logo se tornou popular não só entre a aristocracia francesa mas também entre caçadores ilegais, pois os cães desta raça além, de apontar e recuperar caça, são extremamente obedientes — qualidades essenciais para as atividades clandestinas dessas pessoas.

Os primeiros Brittanies

Os primeiros registros de cães do tipo Brittany são visuais: pinturas e tapeçarias que datam do século XVII que mostram um cão da cor marrom escuro e branco apontando uma perdiz. Alguns dizem que o primeiro cão Brittany foi o resultado do cruzamento de uma fêmea branca e cor de mogno de uma caçador francês com um macho amarelo limão e branco trazido a Brittany por um caçador inglês. Este cruzamento teria produzido dois filhotes, sendo que um deles foi considerado um exímio caçador com excelentes habilidades de caça e faro, tornando-se um garanhão da raça muito popular na área. O resultado foi um cão cauda curta que podia apontar e recuperar a caça, e muitos apreciavam a raça pela sua velocidade, agilidade e disposição de assumir ordens.

No entanto, a raça levou tempo para ser aceita, devido na maior parte à sua aparência, pois caçadores esperam que Apontadores tenham longos rabos, mas quando vistos em ação, logo suas habilidades de caça extraordinárias provaram seus méritos, e a raça se tornou bastante popular entre caçadores por toda a Europa e outros países. O primeiro Brittany foi registrado na França em 1907.

A trajetória da raça Brittany

Os primeiros Brittanies aportaram no México em 1925, e nos Estados Unidos em 1931, e logo ganharam popularidade como cães de companhia também, pelo seu tamanho moderado e personalidade amigável. A raça Brittany só foi reconhecida pela AKC em 1934, sendo formado o primeiro Clube de Raça Brittany Americano em 1942, reescrevendo o padrão francês para melhor adequar a raça aos americanos.

Como muitas outras raças, os Brittanies sofreram um declínio durante a segunda Guerra Mundial e a criação da raça chegou a um impasse. Depois da guerra, criadores franceses decidiram permitir cães com manchas pretas no padrão, pois o “pool” genético estava tão esgotado por toda a Europa, que seus criadores não tiveram outra opção, senão abranger as possibilidades. Os criadores americanos não quiseram seguir os mesmos padrões, e até hoje, o padrão preto não é aceito nos Estados Unidos e Canadá, mas aceito em outros países da Europa.

Por muitos anos, muitos criadores também quiseram deletar a palavra “spaniel” do nome da raça, pois os Brittanies são cães apontadores, e não cães levantadores como os Spaniels. Em 1982, o Conselho de Diretores da AKC acabou aprovando o pedido para modificar o nome da raça, sendo apenas chamada de Brittany, embora a raça ainda seja conhecida por Brittany Spaniel em alguns países.

Aparência do Spaniel Bretão ou Brittany

cao-brittany-aparencia
Brittanies deitado sob a relva do campo. (Créditos/Copyright: “/Shutterstock”)

O Brittany possui um comprimento médio, de pêlos densos lisos ou ondulados com penugens nas patas. Sua cabeça é mediana ovalar em formato côncavo, não tão larga quanto é longa. A sua parada desde de forma suave, e o focinho é de comprimento médio. O nariz possui narinas largas, nas cores camurça, tons de marrom ou rosa, a depender da cor dos pêlos. Focinhos pretos não são aceitos. Os dentes são alinhados em mordida do tipo tesoura. Os olhos são marrom escuro a tons de âmbar e castanho, dependendo do seu pêlo, e protegidos de poeira por uma sobrancelha espessa.

Suas orelhas triangulares são altas e pequenas, caindo reto perto do rosto, e a sua expressão é sempre alerta, ávida, porém suave. São compactos e musculosos, extremamente atléticos, de ossatura leve, sendo que a combinação das patas longas com a leve ossatura lhes permitem uma maior agilidade e velocidade esplêndidas.

Possui longas pernas com patas bem arcadas e solas grossas. Seu comprimento é tão longo quanto alto, em uma proporção quase que quadrangular – a altura dos ombros é igual ao comprimento do corpo. E alguns criadores costumam diferenciar o Americano do Francês, pela altura e velocidade (mais alto e mais rápido), sendo o Francês mais similar aos Spaniels. A cauda é naturalmente pequena e curta com até 10 cm de comprimento.

Em todo o mundo, as cores aceitáveis para a raça são 5: sendo mais comuns o laranja e branco, e o marrom escuro (vinho) e branco, com variações de branco e preto, vermelho escuro tricolor, e preto tricolor, tanto em um padrão liso ou variado com marcações em áreas isoladas de pêlos pretos em fundo branco, como nas sobrancelhas, focinho, bochechas, dentro das orelhas, abaixo do rabo, e sardas laranjas na parte de baixo das pernas. Os Canis Americano (AKC) e do Canadá (CKC) não reconhecem a cor preta, todos os outros países aceitam todas as cores e seguem os padrões da raça pela FCI.

Ambiente Ideal para o Spaniel Bretão ou Brittany

cao-brittany-ambiente
Cão brittany sobre o gramado do campo procurando pela caça. (Créditos/Copyright: “Por Gaby Fitz/Shutterstock”)

Originalmente desenvolvido para caça, esta raça é bem adequada para a vida no campo, e não é recomendada para viver em apartamento. São muito ativos para se manter dentro de casa, sendo melhores em locais mais abertos. A raça é resistente ao frio e condições úmidas, e toleram mudanças de temperatura. Pode viver do lado de fora de casa em clima temperado, mas é um cão bastante social que precisa de interação humana. Adoram exercícios físicos e possuem muita energia. São uma boa escolha para famílias que possuem crianças ativas, mas a sua energia pode até ser demasiada para crianças pequenas. Como todo cão, devem ser confinados a um jardim cercado ou com portão seguro quando não supervisionados.

Temperamento & Personalidade do Spaniel Bretão ou Brittany

cao-brittany-temperamento
Casal de Brittanies juntos no jardim interagindo. (Créditos/Copyright: “Por Andrew Williams/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Como todo cão, o Brittany precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Spaniel Bretão cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

O Brittany é inteligente muito fácil de se lidar e treinar. É um animal amável, gentil; obediente e sempre ávido para agradar e aprender. Feliz e alerta, esta raça possui uma incrível presença. É um caçador ativo e entusiasmado. Devido à sua personalidade alegre, é também um popular cão de companhia.

Afetuoso, porém independente; é um pensador-livre. De natureza boa e fácil de se manter. Porém, mesmo com todas estas excelentes qualidades caninas, se não tiver a quantidade de exercícios e atividades físicas e mentais necessárias poderá se tornar hiperativo e instável com toda essa energia mantida dentro dele.

Quando não estiverem caçando, devem ser levados para longas caminhadas diariamente mantendo-se sempre ao lado dele. Nunca os deixe caminhar à sua frente, como líder, o dono deve ir sempre à frente. Eles precisam de um dono que seja firme, mas calmo, confiante e consistente ao mesmo tempo, impondo as regras e mantendo-se ao seu lado. Se não se sentirem seguros em seu local podem se tornar tímidos ou nervosos. Convide pessoas para a sua casa regularmente, leve-o para parques, lojas que permitem cães, praia e caminhadas para conhecer os vizinhos para educá-lo.

Sem uma liderança adequada em que as regras e limites estejam bem claros, Brittanies podem rapidamente de tornarem autoritários, simplesmente porque a maior parte das pessoas que possuem cachorros de porte pequeno a médio costumam tratá-los de forma inadequada, sem que haja uma liderança firme e clara, causando assim alguns comportamentos negativos no cachorro. Até as crianças devem aprender a lidar com o cachorro e serem seus líderes.

São bons com crianças se forem criados juntos desde pequenos ou forem bem introduzidos e socializados, mas devem ser monitorados quando ao redor dos pequeninos devido à sua energia em demasia. Ensine seus filhos como se aproximar do cão e tocá-los, e sempre supervisione a interação entre as crianças menores e o cão para prevenir mordidas ou o puxar de orelhas e rabo, entre eles. Nunca se aproxime do cão enquanto ele estiver dormindo ou comendo, e nunca tente tirar a sua comida de perto.

Qualquer cachorro que apresente comportamentos como rosnar, surtar ou morder, está demonstrando que falta liderança. Estes problemas costumam surgir quando a pessoa não consegue distinguir um comportamento natural canino e confunde com emoções humanas, acabando com um cão que pensa que é o dono da casa. Mesmo sendo uma raça de porte pequeno, a pessoa PRECISA entender e seguir à risca o conceito de como manter um cachorro na linha em casa. Estes problemas podem ser corrigidos logo que os humanos passarem a ter controle sobre o cachorro.

brittanies equilibrados que possuem donos que não permitem que eles desenvolvam Síndrome do Cachorro Pequeno, comportamentos induzidos por humanos em que o cão acredita ser o líder deles, não irão apresentar estes comportamentos negativos. O Spaniel Bretão que possuem líderes firmes, confiantes e consistentes e que recebem estímulos mentais e físicos suficientes serão sempre excelentes companhias para a família.

Costumam se dar bem com outros cães e animais domésticos e forem introduzidos ainda filhotes; e são recomendados para lares com pelo menos dois cães para que tenham companhia para brincar a todo momento. São gentis com estranhos, por isso não são bons cães de guarda, ou para segurança pessoal.

Por causa dos seus instintos de caçador, o Brittany gosta de vaguear por aí, e adora água. Além disso, ganhou enorme popularidade entre milhões de caçadores pelo seu tamanho moderado, que permite transportá-lo facilmente, em carros, barcos, etc. Se adaptam a todos os tipos de terrenos: florestas, planícies ou montanhas, e resistentes ao frio e condições úmidas. São usados mais para caçar galinhas de angola, perdizes, faisões e lebres, e são sempre ativos, entusiasmados e incansáveis.

Alertas, como a raça de apontadores, são bastante curiosos e independentes, mas respondem bem aos seus donos e adoram agradar. Podem ser muito focados em suas presas, mas quando não focados nelas, apreciam estar com seus donos, especialmente se estiverem fazendo algo ativo.

Além de energéticos, os Brittanies são inteligentes, e precisam de muito estímulo mental todos os dias. Ao treiná-los, seja consistente, e nunca duro demais. Sua personalidade varia entre suave a delicada, tranquilo a teimoso. Machos castrados têm a reputação de serem mais calmos e mais doces que que as fêmeas. Os filhotes com bons temperamentos são curiosos e brincalhões, sempre dispostos a se aproximar das pessoas e serem segurados por elas.

O Brittany perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Procure por um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cãozinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seus estilo de vida e personalidade.

Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Escolha sempre o filhote que seja um meio-termo, não aquele que estiver mordendo ou judiando dos outros filhotes, nem aquele que estiver timidamente acuado em um cantinho. Tente sempre conhecer um de seus pais — normalmente é a mãe que fica disponível — para garantir que que ele tenha um temperamento que te faça sentir-se confortável com ele. Conhecer irmãos ou outros parentes também ajuda a avaliar como o filhote será na idade adulta.

Cuidados e Manutenção do Spaniel Bretão ou Brittany

cao-brittany-cuidados
Brittany molhado após um um banho ao ar livre. (Créditos/Copyright: “Por patostudio/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Brittany à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Uma introdução cedo mostra para o independente Brittany que manutenção é um hábito normal da sua vida, e o ensina a aceitar com paciência todo o processo.

Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde. Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento precoce dos dentes.

Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente para evitar lágrimas dolorosas e outros problemas. Se você pode ouvir suas unhas batendo no chão, elas estão longas demais. Unhas caninas possuem artérias, se você cortá-las demais causará sangramento — e o seu cão pode não querer cooperar nas próximas vezes. Por isso, se você não tiver experiência ou não se sentir confiante para a tarefa, procure ajuda profissional. Cheque também suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mau cheiro que possam indicar infecções, especialmente se forem expostos a locais como praias e florestas. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas. É um cão de baixa manutenção, escovações regulares do seu pêlo é mais que o suficiente para mantê-lo em boas condições, duas a três vezes na semana. Dê banhos apenas quando necessários, a raça não solta muito pêlo.

Atividade & Exercícios do Spaniel Bretão ou Brittany

cao-brittany-atividades
Brittany preto e branco nadando no rio. (Créditos/Copyright: “Por everydoghasastory/Shutterstock”)

Brittanies precisam e amam exercícios intensivos e possuem uma enorme quantidade de energia. Devem ser levados para corridas e longas caminhadas, além de precisarem de um dono bastante ativo. O cão desta raça necessita de pelo menos uma hora ou mais de sérios esforços físicos e mentais diariamente.

Não é suficiente apenas levá-lo para uma voltinha no quarteirão, por isso não são adequados para apartamentos. Eles são mais felizes se puderem viver livremente e correr em jardins com bastante espaço, além de poder participar em esportes.

É necessário limitar a quantidade de exercícios para pelo menos ½ hora quando filhotes menores dois anos de idade, pois nessa idade suas juntas ainda não estão completamente formadas, e nem sua coordenação muscular e habilidade de foco. Além disso, faça pausas no treinamento, brincadeiras ou outras atividades a qualquer momento que o seu filhote ou cão parecer cansado ou sem energia.

Enquanto caminha, ele deve sempre se manter ao lado ou atrás da pessoa que segura a guia, para que ele saiba quem é o líder. As brincadeiras podem até suprir suas necessidades físicas, no entanto, como em toda raça, apenas brincar não irá suprir seu instinto primário de caminhar. Cães que não fazem suas caminhadas diariamente são mais suscetíveis a apresentar problemas de comportamento.

O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro.

Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo ao seu lado.

Saúde do Spaniel Bretão ou Brittany

cao-brittany-saude
Cão Brittany adulto saudável em plena forma física mostrando toda a sua vitalidade. (Créditos/Copyright: “Por everydoghasastory/Shutterstock”)

Assim como acontece com cães de todas as raças, o Spaniel Bretão também tem predisposição a ter determinados distúrbios e doenças ao longo da vida. Isso, no entanto, não significa que todos os indivíduos da raça terão as doenças que serão descritas no artigo, e sim que há chance de desenvolvê-las. Portanto, é muito importante que o tutor conheça os riscos para preveni-los ou tratá-los o quanto antes.

Primeiramente, quando decidimos comprar um cão de uma raça específica, é muito importante comprá-los de criadores éticos e responsáveis. Por isso, procure conhecer o trabalho do criador e os pais do seu filhote.

Verifique se os pais possuem alguma doença que possa ser eventualmente transmitida à próximas gerações. Questione o criador sobre isso.

Problemas oculares

Cães desta raça possuem tendência ao desenvolvimento de catarata. Torna-se, portanto, necessário um controle periódico com o veterinário de confiança, já que é uma condição que pode ser tratada.

Problemas osteoarticulares

Displasia coxofemoral

A displasia coxofemoral é o distúrbio mais comum em cães de grande porte, que tem crescimento muito rápido. Trata-se de uma instabilidade causada pela alteração no acetábulo, colo e cabeça do fêmur.

Hereditariedade e o ambiente em que o cachorro vive influenciam, certamente, o surgimento da enfermidade. Por ser transmitido geneticamente, machos e fêmeas que tenham esse problema de saúde não são recomendados para reprodução.

O animal pode começar a desenvolver essa complicação ainda quando jovem. Normalmente surge entre quatro meses e um ano de idade.

Distúrbios neurológicos

Abiotrofia cerebelar

Considerada uma doença rara, de origem congênita e hereditária. Caracteriza-se por alterações degenerativas e progressivas dos neurônios de Purkinje, que podem ser observadas após o nascimento. Os sinais clínicos podem ocorrer logo após o nascimento ou mais tardiamente, caracterizados principalmente por tremores de intenção, hipermetria, espasticidade, ataxia e crises epiléticas.

Distúrbios do Cordão Espinal

O Spaniel Bretão possui predisposição a atrofia muscular espinal, ou seja, um distúrbio degenerativo de caráter hereditário, que pode ser observado em cães jovens. A doença causa fraqueza muscular progressiva.

Doenças de Neurônio Motor

Doença que acomete cães da raça Spaniel Bretão, Pointers e Rottweilers. Trata-se de um distúrbio que é caracterizado por degeneração progressiva. Além disso, leva à perda eventual de neurônios motores na substância cinzenta do cordão espinal e nos núcleos motores do tronco cerebral.

Os sinais clínicos deste tipo de doença são fraqueza, atrofia muscular é hiporreflexia. Em cães da raça Spaniel Bretão há, ainda, três variantes:

  • A forma acelerada, que já dá sinais entre 6 a 8 semanas de idade;
  • A forma intermediária, que começa a dar sinais entre 6 a 12 meses de idade;
  • A forma crônica, que aparece em cães com mais de um ano de idade e de forma mais leve.

Conduto Auditivo

Otite

A otite canina é, certamente, uma das afecções mais comuns em cães. Trata-se de uma inflamação muitas vezes acompanhada de infecção que acomete o ouvido e que provoca, certamente, muito desconforto e dor aos pets. Pode ter várias causas e afetar partes diferentes do ouvido dos cães. Ela é denominada otite externa, otite média ou otite interna, variando de acordo com o local prejudicado pelo problema.

As otites podem ser causadas por infecções bacterianas, infecções fúngicas, corpos estranhos (água durante o banho, pêlos), alergias (dermatite atópica ou hipersensibilidade alimentar), doenças hormonais, presença de ácaros (Demodex ou Otodectes cynotis), traumatismos e a própria conformação auricular (tipo de orelha).

Sistema endocrino

Hipotireoidismo

O Spaniel Bretão pode desenvolver hipotireoidismo, ou seja, um distúrbio no qual ocorre uma diminuição na produção de hormônios da tireoide. Provoca letargia, enfraquecimento dos pelos, obesidade e pode ocorrer também escurecimento da pele.
Outras observações.

O Spaniel Bretão, assim como todos os outros cachorros, pode desenvolver outras doenças ao longo da vida, mesmo não tendo predisposição racial. O acompanhamento do médico veterinário, assim como conhecer bem seu próprio cachorro, é essencial para detectar precocemente a presença de alguma patologia.

Cães desta raça podem viver de 14 a 15 anos, o que não quer dizer que não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde, como oferecer alimentação completa e balanceada, manter o seu peso controlado e estimular corretamente de forma física e mental.

(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

Treinamento do Spaniel Bretão ou Brittany

cao-brittany-treinamento
Cão brittany já de idade, mas ainda em plena forma física. (Créditos/Copyright: “Por Richard Peterson/Shutterstock”)

Qualquer cão pode ser difícil de conviver durante a adolescência. No caso do Brittany, os anos “teen” podem começar aos 6 meses e continuar até que o cão esteja com cerca de 18 meses. Felizmente, os Brittanies tem uma boa reputação de ser fácil de ser treinada devido a sua inteligência e obediência, e além disso, são sensíveis e tem um desejo forte de agradar o seu dono, estando sempre prontos a receber direções. O que dá uma vantagem para o treinamento, especialmente se for iniciado logo quando filhotes.

Inicie o treinamento no dia que o trazer para casa. Mesmo com 8 semanas de idade, esta raça é capaz de absorver tudo o que você puder ensiná-lo. Não espere até que ele esteja com 6 meses de idade para começar a treiná-lo ou você terá que lidar com um cão bem mais cabeça-dura.

Como são hiperativos, podem se tornar entediados facilmente, por isso é importante que recebam um treinamento apropriado para mantê-los ocupados e exercitados sempre que possível.

Os Brittanies amam correr livremente em espaços abertos, por isso é essencial ensiná-los a ir e voltar quando chamados. Treine-os com firmeza e consistência, e nunca seja duro. Muitas vezes, uma palavra dura é mais que o suficiente para parar qualquer comportamento inapropriado. Os Brittanies são cães altamente sensíveis; por isso qualquer disciplina além de uma palavra dura ou olhar de reprovação pode ser desencorajador e nada benéfico.

Embora seja cães de caça, também se destacam em esportes caninos, incluindo agilidade, bola voadora e obediência, além de adorarem correr, caminhadas e brincar de pegar e trazer de volta com seu dono.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

O treinamento da caixa é algo também fortemente recomendado para o Brittany. Não só ajuda no treinamento dentro de casa, mas também serve como um espaço para se acalmar e relaxar, além de evitar que ele saia mastigando tudo por ai enquanto você estiver fora. A caixa é apenas uma ferramenta, não uma jaula, por isso não mantenha-o preso ali por longos períodos. O melhor lugar para o seu Brittany é sempre com você.

Ensinar o seu cachorro a deitar, sentar e ficar no lugar é vital para o treinamento de um filhote, procure se informar sobre como adestrar o seu cachorro, é muito comum cometer erros durante o processo de treinamento.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.
O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.
O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!
Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.
Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.
Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.
(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)