DNA de cachorro: como os testes podem revolucionar nossas raças favoritas

Pode parecer estranho para muitas pessoas falarmos sobre teste de DNA de cachorro, entretanto no artigo será possível verificar que este teste traz muitas informações valiosas aos proprietários de cachorro e principalmente aos criadores.O teste de DNA é também conhecido como mapeamento genético. Trata-se da leitura dos genes de um indivíduo. É utilizado há muitos anos na medicina humana para detecção de paternidade, identificação de doenças e até mesmo solução de crimes. Entretanto, de alguns anos pra cá, o teste de DNA de cachorro também se tornou extremamente comum! Para que serve o DNA de cachorro?O teste de DNA de cachorro, de fato, revela uma abundância de informações valiosas sobre o seu animal. Entre elas estão: identidade individual, paternidade, similaridade genética a outros animais e uniformidade de linhagem de sangue.Hoje em dia, criadores de raças específicas utilizam este teste para obter as seguintes informações:Estabelecer identidade genétic…
Saiba mais
  • 0

Plano de saúde de cachorro: Como funciona?

Você sabia que já existe plano de saúde de cachorro? Hoje em dia as pessoas dão maior importância aos próprios animais de estimação.De fato, uma vez adotado ou comprado um pet, esse torna-se parte da família. Muitas pessoas, por exemplo, deixam até mesmo de ter filhos para ter animais de estimação.Todavia, um dos maiores problemas é quando o animal adoece, pois nem sempre o tratamento é barato. Por isso, o plano de saúde para cachorro foi criado nos últimos anos e mostrou-se uma ótima alternativa para tutores. O mercado pet no BrasilSegundo um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),  no Brasil sobre o mercado pet, 44,3% dos 65 milhões de domicílios possuem pelo menos um cachorro e 17,7% ao menos um gato. Atualmente, há no total 52,2 milhões de cães e 22,1 milhões de gatos no País.Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP), proprietários de cães são, em sua maioria (51%), casados. Têm, em média, 41 anos,…
Saiba mais
  • 0

Doença do Carrapato – o que é, como tratar e prevenir.

Fala-se muito sobre doença do carrapato, entretanto muitos não sabe que o carrapato pode transmitir três patologias distintas aos cachorros, e muitas outras aos homens e outras espécies.Entre as doenças de carrapato mais comuns nos cães, estão:Erliquiose - Doença infecciosa grave, transmitida pela picada de um carrapato infectado, pela bactéria, do gênero Ehrlichia. Causa febre, perda de apetite, perda de peso e vômito. Babesiose - Causada por um protozoário, o Babesia canis. A Babesiose é uma doença transmitida pela picada de um carrapato infectado. Ela invade os glóbulos vermelhos dos cães e multiplica-se, rompendo-os. Febre e anemia são os principais sintomas. Hepatozoonose - É uma doença transmitida por carrapatos, causada por um protozoário do gênero Hepatozoon canis.Doença do Carrapato - quem é o transmissor? Parece óbvio responder que quem transmite a doença do carrapato é o carrapato. Entretanto, há diversas famílias e gêneros deste animal, e cada u…
Saiba mais
  • 0

Sarna Demodécica e Sarcóptica: Qual a diferença?

Sabia que nem toda a sarna é contagiosa? Essa é a principal diferença entre a sarna demodécica e a sarcóptica. Ambas provocam diversos distúrbios dermatológicos, no entanto, uma é contagiosa e tem cura, enquanto a outra não é contagiosa e tem apenas tratamento paliativo.No geral, os problemas de pele têm características bem parecidas entre eles. Por isso, para saber se o cachorro tem sarna ou outra dermatite, é imprescindível levá-lo ao médico veterinário.Além disso, existe uma terceira sarna chamada otodécica. No entanto é um tipo de sarna que fica mais localizada como veremos adiante.Vamos conhecer melhor as diferenças entre as doenças. Sarna Demodécica, Sarcóptica e Otodécica Como mencionamos anteriormente, existem diversos tipos de sarna: a sarcóptica, a demodécica e existe também a orodécica que será brevemente descrita. Sarna Otodécica A Sarna Otodécica é um tipo de sarna pode ser passada de cachorros para gatos, e vice-versa, com facilidade. No entanto, s…
Saiba mais
  • 0

Leishmaniose visceral canina: o que é e como tratar.

No Brasil, a Leishmaniose Visceral Canina é doença de notificação compulsória. Requer, portanto, uma ampla investigação epidemiológica para definir as estratégias de controle.Existe, de fato, um programa de controle coordenado pelo Ministério da Saúde que tem como objetivo reduzir as taxas de letalidade, grau de morbidade e riscos de transmissão, mediante controle das populações de reservatórios e do vetor, além do diagnóstico e tratamento precoce dos casos humanos da doença. O que é a Leishmaniose Visceral Canina? A Leishmaniose Visceral Canina é uma antropozoonose. Ou seja, é uma doença própria de animais, mas pode ser transmitida de maneira acidental para seres humanos.É causada por um protozoário parasita que é transmitido entre animais (cães, roedores) através da picada de certos tipos de mosquito. Quando o mosquito infectado pica um ser humano, a doença é transmitida para o homem.O período de incubação varia de 1 mês a 2 ou mais anos. Os sinais clínicos mais…
Saiba mais
  • 0

Remédios para Sarna de cachorro: como tratar a doença?

Sarna é o nome que se dá a uma série de doenças provocadas por ácaros, que podem acometer animais de estimação e, dependendo do tipo de sarna, até mesmo o homem. No entanto, o cachorro continua sendo a vítima mais frequente destas dermatoses. Qual seriam então os remédios para sarna de cachorro mais indicados? Sarna Demodécica, Sarcóptica e Otodécica No texto 'Sarna demodécica e Sarcóptica: Qual a diferença?' é possível aprender mais sobre os três tipos de sarnas que acometem os cachorros, ou seja, a Sarna Otodécica, a Sarcóptica e Demodécica.No entanto, é importante explicar as principais diferenças entre elas. Sarna Otodécica A Sarna Otodécica é um tipo de sarna pode ser passada de cachorros para gatos, e vice-versa, com facilidade. No entanto, só atinge os ouvidos dos animais. O ácaro responsável é o Otodectes cynotis e ele não apresenta perigo aos humanos.A doença causa coceira intensa na orelha/ouvido do animal e, de tanto ele coçar, pode acabar ferindo a regiã…
Saiba mais
  • 0

Tosse seca em cachorro: quais as principais causas?

Primeiramente, é importante esclarecer que a tosse seca em cachorro é uma reação do corpo a algum processo de irritação das vias aéreas ou respiratórias. Essa irritação, no entanto, pode ser provocada por diversos fatores como episódios alérgicos, agentes infecciosos ou até mesmo algum problema cardíaco.Portanto, ao perceber tosse seca no cachorro, o tutor deve observar alguns fatores. Entre eles é importante avaliar:A frequência, Tipo de tosse - tosse seca ou produtiva? Com presença de sangue, pus ou catarro? Presença de febre, Nível de cansaço, Falta de ar e inchaço nas vias respiratórias.Além disso, é importante distinguir uma tosse de um engasgo, espirro, chiado, entre outros, para ajudar seu veterinário na hora do diagnóstico. Tosse seca em cachorro - Quais são os problemas que afetam as vias respiratórias. A tosse seca em cachorro pode ser provocada por alguns fatores como:Obstruções; Lesões provocadas por mordidas ou atropelamentos; …
Saiba mais
  • 0

Cio da Cadela Seco ou Silencioso: O que é isso?

O cio da cadela é o estado fisiológico cíclico que se caracteriza por uma série de alterações preparatórias e favoráveis à fecundação e à gestação. O cio da cadela normal passa por 4 fases distintas, no entanto pode ocorrer um fenômeno chamado de cio silencioso ou seco.Para entender melhor, vamos explicar como funciona o ciclo reprodutor das cadelas. Cio da cadela - fases do ciclo estral. Em geral, a cadela tem seu primeiro cio com idades que variam de 6 a 12 meses. O ciclo estral canino, outro nome para cio da cadela, passa por quatro fases distintas que duram em média seis a sete meses: proestro, estro, diestro e anestro. Proestro Proestro é a primeira fase do ciclo estral canino, mais conhecido como cio da cadela. É o estágio em que a maioria dos proprietários começa a perceber mudanças no próprio animal.Esse estágio dura em média 9 dias, mas pode variar de 0 a 27 dias. Nessa fase a cadela apresenta uma alta concentração de estrógeno no seu corpo. Isso faz com qu…
Saiba mais
  • 0

Espirro reverso em cães: O que é? Causas e Sintomas

O espirro reverso é, sem dúvida, algo muito comum em cães e que pode assustar o tutor que não está familiarizado com o barulho.Quando os animais de estimação invertem o espirro, eles geralmente ficam de pé, estendem a cabeça e o pescoço, puxam os lábios para trás e inalam repetidamente e com força através do nariz. Esse processo todo, faz com que emitam um som característico que pode assustar um pouco os tutores mais inexperientes. O que é o espirro reverso em cães Espirro reverso, conhecido na veterinária como respiração paroxística inspiratória, é um fenômeno observado em cães, particularmente em braquicefálicos, ou seja, cães com focinho achatado como Pug, Buldogue Inglês ou Francês.É caracterizado por uma rápida e repetida inalação forçada passando através do nariz, acompanhada de sons de ronco ou engasgos. Embora possa parecer angustiante para o animal, o fenômeno não é prejudicial. A maioria dos cães permanecem completamente normais antes e depois de tais episód…
Saiba mais
  • 0

Displasia canina: O que é? Como tratar?

Displasia canina, um problema ortopédico extremamente comum, limitante e permanece um grande desafio para os criadores, já que animais com esse tipo de problema não podem mais ser usados para fins reprodutivos. Isso acontece porque esse tipo de problema, é transmitido geneticamente.Há dois tipos mais frequentes de displasia canina:Displasia coxofemoral, que é certamente a mais comum. Displasia de cotoveloDisplasia canina - coxofemoral A displasia coxofemoral, ou displasia canina de quadril, é uma doença de má-formação genética, que com o tempo pode causar degeneração da articulação do quadril dos cães. Envolve principalmente estruturas como a cabeça do fêmur, a cápsula articular e o acetábulo (local onde se encaixa a cabeça femoral).O principal fator no desenvolvimento da doença é o hereditário, contudo, fatores ambientais (piso), nutricionais (excesso de alimento e ou suplemento de cálcio com ganho rápido de massa muscular), também devem ser levados em co…
Saiba mais
  • 0

Dermatite em cachorro – quais os tipos mais comuns e suas causas.

Uma das causas mais comuns de visitas ao médico veterinário é, com certeza, o aparecimento de alguma dermatite em cachorro.Esse tipo de problema, pode ocorrer por diversos motivos. Por isso, a consulta é tão importante. O diagnóstico correto faz com que se economize muito tempo, dinheiro e, sem dúvida, sofrimento no animal.As causas mais comuns de dermatite em cachorro são:Alérgicos; Endócrinos; Nutricionais; Emocionais; Predisposições raciais.Dermatite em cachorro - causas alérgicas. As dermatites em cachorro são frequentemente de origem alérgica. Conheça algumas das mais comuns. DAPP – Dermatite alérgica a picada de pulgas A dermatite alérgica à picada de pulgas é uma das doenças de cachorro mais comuns. Trata-se de uma reação de hipersensibilidade aos alérgenos presentes na saliva das pulgas, caracterizada por intenso prurido.As regiões afetadas apresentam pelo quebradiço ou ausência de pelo, pele inflamada (avermelhada e irritada), além …
Saiba mais
  • 0

Diabetes canina: o que causa e como tratar a doença.

Diabetes é uma doença crônica que pode afetar cães e gatos e outros animais (incluindo macacos, porcos e cavalos), bem como seres humanos. Embora o diabetes não possa ser curado, ele pode ser gerenciado com muito sucesso.O Diabetes é, hoje em dia, uma das endocrinopatias mais comuns nos cães. Além disso, pode ser fatal se não for diagnosticada e adequadamente tratada.A deficiência de insulina que ocorre no diabetes mellitus é resultado da incapacidade do pâncreas em secretar insulina e/ou de ação deficiente da insulina nos tecidos. Diabetes canina Existem três tipos de diabetes mellitus em cães:Diabetes Melito Tipo I - É quando o corpo do cão não está produzindo insulina suficiente. Isso acontece quando o pâncreas está danificado ou não está funcionando adequadamente. Cães com este tipo de diabetes, os cães acometidos precisam de doses diárias para substituir a insulina que falta. Este é o tipo mais comum de diabetes em cães. Diabetes Melito Tipo 2 - Diabetes…
Saiba mais
  • 0