Categorias
Blog Cachorros Cuidados & Higiene

Produtos pet que fazem a alegria dos animais do inverno e no verão

O que não falta nos dias de hoje é, com certeza, uma variedade enorme de produtos pet.

De acordo com o IBGE, existem mais de 132 milhões de animais de estimação no país. Por trás deles, donos ávidos por novidades para agradar seus bichinhos. O resultado é um mercado aquecido, que deve atingir um faturamento de R$ 20 bilhões em 2020, segundo artigo publicado no site EXAME. Além disso, há espaço para todos os gostos e bolsos.

Essa expansão do mercado, mesmo em tempos de crise, tem uma explicação no envolvimento emocional dos tutores. Hoje em dia, de fato, cada vez mais pessoas consideram seus pets como filhos. E cada vez mais pessoas, não medem esforços para proporcionar o conforto e os cuidados que eles merecem.

Produtos Pet mais procurados

Segundo a Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), ainda que os gastos com alimentação sejam responsáveis por 70% do mercado, especialistas do setor apontam uma tendência de crescimento cada vez maior de nichos que priorizem o bem-estar e qualidade de vida do animal.

Entre os produtos mais procurados estão, com certeza, caminhas e roupas para proporcionar conforto nos dias mais frios. Entretanto, até mesmo no verão há procura por itens que possam proporcionar conforto.

Produtos Pet mais procurados no inverno

No inverno é comum que os tutores busquem itens que proporcionem conforto e proteção ao próprio pet. Entre os itens mais procurados estão as caminhas, cobertores, edredons e mantas e caminhas no estilo toca. Além disso, existe grande procura de roupinhas. Dentre os itens mais procurados estão jaquetas, vestidos com capuz, moletons, macacões e capas.

Colchonetes térmicos

Para quem mora em lugares mais frios, uma boa notícia: existem produtos térmicos para pets. São colchonetes com dispositivos que aquecem a caminha.  Esses produtos prometem segurança, conforto e noites tranquilas longe do frio. Exemplos desses produtos são da marca Styllus Term.

Produtos pet e serviços para prevenção de dores

No setor de farmácia, os suplementos como condroprotetores também são mais vendidos nesse período do ano. O produto é usado na prevenção e tratamento de problemas osteoarticulares, como artrose, que provocam dores que se agravam com as baixas temperaturas. Por isso, é também a época do ano em que aumenta a procura por serviços que promovam bem estar nos animais, como fisioterapia e acupuntura.

Banho seco

Além dos produtos mencionados acima, há ainda aumento na procura de opções de banho a seco. São produtos pet como produtos em spray ou lenços umedecidos que limpam bem o animal e deixam um cheiro agradável. O modo de uso é bem simples, basta aplicá-lo direto no pelo do pet. Alguns precisam ser levemente esfregados para que o produto reaja, mas nenhum precisa de lavagem após a aplicação.

Produtos Pet mais procurados no verão

No verão, a procura por produtos pet que proporcionam conforto aos animais, não podia ser muito diferente. De fato, os tutores hoje em dia tem uma gama imensa de produtos disponíveis que proporcionam maior conforto aos animais de estimação.

Colchonetes gelados

Entre os itens mais procurados nessa época do ano estão, sem dúvida, os colchonetes gelados. São colchonetes que contém um gel especial que faz com que fiquem fresquinhos o tempo todo, sem necessidade de freezer ou baterias.

Bebedouros gelados

Outros produtos muito procurados são os bebedouros gelados. Para utilizá-lo basta colocar o refil removível no freezer por duas horas, depois posicioná-lo na base de plástico e preencher com água. Assim, seu pet terá água fresquinha de 6 a 8 horas!

Brinquedos gelados

Outra ideia para divertir e refrescar os pets é o uso de brinquedos como o Kong. Que os brinquedos Kong promovem adestramento e colaboram com os cuidados físicos e mentais do pet todo mundo já sabe. No entanto, a experiencia pode ficar muito mais refrescante se o brinquedo tiver um conteúdo apetitoso e congelado. Assim, além de fazer com que a diversão e distração dure por mais tempo, a ação permitirá que o animal se refresque!

Piscinas para cachorro

Alguns cães adoram água, independente da época do ano. Ainda mais no verão.

Por isso, existem no mercado modelos de piscina portáteis para cachorro. Além de refrescar, as brincadeiras na piscina para pet proporcionam a prática de atividades físicas com menos impacto, o gasto calórico, o fortalecimento da musculatura e, claro, o divertimento.

Mesmo com uma piscina em casa, muitos tutores optam pela piscina de cachorro para agradar seus pets. Nas piscinas convencionais, o tratamento da água costuma ser feito com cloro, que pode fazer mal para cães alérgicos. Outro ponto que faz com que tutores optem pela piscina para pet, é manter a limpeza por mais tempo, já que animais soltam pelos e podem carregar outras sujeiras como grama e terra.

Além disso, alguns cachorros precisam de escadas adaptadas ou uma ajudinha para sair da piscina, aumentando gastos e criando situações perigosas. Com a piscina para cachorro esse problema é inexistente, pois ela possui tamanhos adaptados para seu animal.

Cosméticos

No verão, muitos tutores viajam com seus pets. Grande parte, vai a praia com os filhos de quatro patas. Por isso, nessa época do ano, aumenta o consumo, também de cosméticos como protetores solares, repelentes e antiparasitários.

Serviços

Sem dúvida, um dos serviços mais procurados nos dias mais quentes é a tosa. De fato, muitos tutores aproveitam as temperaturas mais elevadas para renovar o look do pet. No entanto, é recomendável não tosar o animal muito rente à pele, já que sua pelagem serve também de proteção ao sol.

Outros serviços muito procurados são os ‘Day Care’ e hotéis, já que não é sempre que os pets podem viajar com suas famílias.

Outros produtos pet que fazem sucesso o ano todo.

Seguindo a demanda de mercado, itens e serviços para cães são os mais procurados para atender os mais de 50 milhões de cães existentes no Brasil, segundo pesquisa do IBGE.

A Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação) aponta o faturamento que nos dá a noção de quais são os produtos e serviços mais procurados no mercado:

  1. Pet Food – alimentos estão em primeiro local no ranking;
  2. Pet Serv – serviços estéticos e de cuidados animais tem o segundo lugar em saídas;
  3. Pet Care – produtos de cuidados pet;
  4. Medicamentos estão em crescimento no mercado pet.

Alimentos

Itens de alimentação de pets são os que tem maior giro. No top 10 de produtos mais vendidos também encontramos os sachês de comida para gatos e cães.

Farmácia

Um dos principais problemas que assola a qualidade de vida de cães e gatos é o parasitário.

Além disso, pulgas e carrapatos prejudicam desde os pelos, até a qualidade de vida do pet. Por isso, os medicamentos anti pulgas e carrapatos estão entre os produtos mais vendidos em pet shop.

Higiene

Entre os produtos mais adquiridos, estão os tapetes higiênicos. Isso deve-se ao fato que há cada vez mais pets residentes em apartamentos ou com donos que tem uma rotina que não permite os passeios na rua.

Outros produtos voltados para questões estéticas também tem alta saída, uma vez que o mercado de embelezamento está crescente. Dos tipos que tem tido mais saída vemos escovas de dentes descartáveis e produtos de banho.

Acessórios

Os acessórios tem venda mais esporádica, mas com certeza a venda de brinquedos para cachorro, não para nunca. De fato, são centenas de opções para todos os gostos e bolsos.

Além disso, os pratinhos e bebedouros, principalmente automáticos, estão saindo cada vez mais.

 

 

Categorias
Blog Cachorros Cuidados & Higiene

Pasta de dente para cachorro: Como fazer a higiene dental do cachorro?

A higiene bucal é primordial para a saúde e prevenção de doenças bucais em cachorros. Mas como deve ser feita a higienização correta? Existe pasta de dente para cachorro?

Vamos esclarecer todas as dúvidas sobre higiene bucal e pasta de dente para cachorro.

Escova e pasta de dente para cachorro – é realmente necessário?

A pasta de dente para cachorro e a escova são fundamentais para a higiene bucal do animal.
A pasta de dente para cachorro e a escova são fundamentais para a higiene bucal do animal.

Animais de companhia, assim como humanos, desenvolvem uma enorme quantidade de germes na boca que acumulam sobre os dentes formando a placa. Com o tempo, sem a correta higienização, esta placa calcifica-se devido à ação dos minerais contidos na saliva e transforma-se em tártaro que pode causar problemas dentários como gengivite e doença periodontal.

Quando chega a este ponto, o mau hálito é o menor dos problemas pois o animal pode começar a sentir muita dor, parar de se alimentar e perder alguns dentes. Além disso, caso o animal tenha alguma doença do coração, fígado ou rins, esse quadro pode ser agravado.

Sim. Em casos graves, as bactérias acumuladas podem cair na corrente sanguínea do bichinho e prejudicar ainda mais o estado de saúde do cachorro debilitado.

O que é a gengivite canina

A gengivite canina é uma inflamação das gengivas. Trata-se do o estágio inicial de uma doença bucal chamada periodontite, ou doença periodontal.

Assim como nos seres humanos, essa inflamação é causada pelo excesso de tártaro nos dentes, que nada mais é que uma placa bacteriana formada pelo acúmulo de restos de comida.

O tártaro é facilmente identificado, devido ao mau hálito e às manchas amareladas nos dentes dos cães. Quando essas placas não são devidamente removidas, causam irritação e inchaço na gengiva, ou seja, o que é chamado de gengivite.

A gengivite é muito comum em cães, e é tratável. No entanto, se não receber atenção, ao longo do tempo as bactérias atingem a raiz dos dentes, e acabam desenvolvendo a doença periodontal avançada. Essa condição sim é muito preocupante, pois pode levar à perda da dentição.

O que é a doença periodontal

A doença periodontal é o distúrbio mais comum da cavidade oral de cães, principalmente de pequeno porte. Inicia-se por acúmulo de bactérias na superfície dos dentes e progride até os tecidos de sustentação que formam o periodonto, que são gengiva, osso alveolar, cemento e ligamento periodontal.

O principal sinal clínico observado pelo proprietário é a halitose. Dependendo do estágio da doença periodontal, esta pode conduzir a conseqüências locais e sistêmicas, como: inflamação e sangramento da gengiva, presença de tártaro, mobilidade dos dentes, salivação excessiva, dentre outras.

Prevenção – escova e pasta de dente para cachorro

Primeiramente, a melhor forma de prevenir estas doença é, como vimos, a higienização bucal correta. Para isso, é muito importante escovar os dentes regularmente, de preferência com a pasta de dente para cachorro mais adequada ao seu pet.

Além disso, existem outros produtos no mercado que tem como objetivo proporcionar higiene bucal. Entre eles, podem-se citar brinquedos e snacks. Todavia a escovação diária dos dentes é o método mais eficaz para remover a placa bacteriana e manter a saúde clínica do animal.

Como fazer a higiene dental e como escolher a pasta de dente para cachorro

Escovar os dentes de um cachorro, no inicio, não é tarefa fácil. O ideal é acostumar o bichinho desde filhote à rotina da escovação. Como nem sempre é possível acostumar desde cedo (ou por desinformação ou por ter adotado um animal adulto), o que importa é começar!

Itens essenciais para a escovação dos dentes dos pets

  • Escova de dentes: As escovas de dentes para cachorro podem ser encontradas facilmente em pet shops.  São escovas de dentes especiais para pets, com cerdas ultra macias e, em geral, um cabo longo para facilitar a ação do tutor.
  • Dedeira de silicone: a dedeira é ideal para os cachorros mais rebeldes ou para acostuma-los aos poucos á manipulação. Trata-se de um objeto macio, com pequenas cerdas que pode ser colocado no dedo indicador.
  • Pasta de dente para cachorro: Aqui vale uma observação importante. Nunca, jamais, utilize pastas de dentes humanas para higienizar a boca do seu cachorro. As pastas de dentes destinadas à humanos possuem flúor em sua composição, e sua ingestão é tóxica. Por isso, compre pasta de dente de cachorro específica para a espécie. É facilmente encontrada em pet shops.

Pasta de dente para cachorro

A pasta de dente para cachorro é um item que ajuda na higienização bucal. No entanto, há muitos tipos de produtos no mercado. Como escolher o mais indicado?

Primeiramente, deve-se estabelecer o objetivo da pasta. De fato, a pasta de dente para cachorro pode conter agentes antissépticos específicos, medicamentos ou ser apenas um coadjuvante para a higiene.

Para esclarecer o objetivo da pasta de dente para cachorro, recomenda-se passar em consulta com um médico veterinário. Ele irá avaliar a condição bucal do cachorro e poderá orientar em relação à predisposição, alimentação e melhor tipo de pasta a ser usada.

Além disso, deve-se escolher o sabor mais agradável ao cachorro. Existem, para isso, pastas de dente para cachorro sabor menta, tutti-frutti e até mesmo sabor carne!! Um creme dental com gosto de comida pode, de fato, ser muito mais agradável e bem recebido pelo o pet.

Também é possível, antes da escolha final, fazer um teste com o seu cãozinho. Basta colocar um pouco de pasta de dente para cachorro no dedo e deixar que ele experimente e se acostume com a textura e o sabor. Se ele recusar, o procedimento deve ser feito outras vezes até encontrar a pasta ideal.

Procedimento

Caso tenha um cão adulto e nunca tenha escovado seus dentes, antes de começar é importante levar seu cachorro ao veterinário para uma avaliação. Isso deve ser feito porque se ele já apresentar um caso de tártaro grave, dentes amolecidos ou até mesmo sangramento na gengiva, é possível machucar a região ao fazer a limpeza sem orientação correta.

Como escovar os dentes de filhotes

Não há duvidas que a melhor coisa para o cachorro e tutor, é começar desde cedo a criar o hábito e a rotina da higiene bucal.

O filhote, é mais receptivo às novidades e fica bem mais fácil introduzir o hábito com a ajuda de bastante reforço positivo, ou seja, sempre que o cachorro colaborar durante a escovação, deve haver algum tipo de recompensa.

Recomenda-se começar massageando a gengiva com uma gaze, e vá apresentando pasta de dentes para cachorro e a escova aos poucos.

Como escovar os dentes de cães adultos

Começar a escovação em um cachorro adulto exige um pouco mais de paciência, no entanto não é impossível. Como escovar dente de cachorro envolve acostumá-lo a um novo hábito, escolha um horário em que ele está mais calmo e relaxado (após o passeio ou banho, por exemplo) e faça disso uma rotina. O ideal é que você tenha bastante paciência e não apresse o processo de adaptação.

  1. Comece massageando as gengivas com o seu dedo e possivelmente uma gaze.
  2. Acrescente a pasta de dente para cachorro
  3. Somente depois de acostumar o cachorro com a nova rotina, comece a usar a escova. Faça movimentos circulares e não coloque muita pressão.

Não é necessário se preocupar com o enxague da boca do animal. A pasta de dentes de cachorro, de fato, é feita para ser usada e engolida com segurança.

Recompense o bom comportamento

Uma maneira de acelerar esse processo é investir no reforço positivo. Não tem problema se você oferecer petiscos no meio da escovação se isso está ajudar a implementar um hábito saudável. no entanto, apenas um carinho ou frases positivas costumam ser suficientes para que ele entenda a aprovação daquele comportamento.

Recomendações para manter a higiene bucal ideal:

  • A limpeza deve ser diária pois o tártaro começa a se formar entre 24 a 48 horas depois da refeição.
  • Prefira oferecer sempre alimento seco (ração) pois a ação mecânica, durante a mastigação, auxilia na prevenção de tártaro.
  • Nunca utilize pasta de dente desenvolvida para humanos. Compre pasta de dente para cachorro, sem flúor. Caso não tenha, escove apenas com água. A limpeza mecânica promovida apenas pela escova de dentes, já é de grande valor.
  • Cães de porte pequeno (principalmente raças como poodle, maltês e yorkshire) tem mais tendência a desenvolver problemas orais. Pode ser necessário realizar periodicamente um procedimento de limpeza mais profunda na clínica veterinária de sua confiança.

Caso não consiga escovar os dentes do animal, ofereça biscoitos, palitos específicos ou produtos higienizantes.
Com estas dicas é possível atrasar o aparecimento de tártaro e placa combatendo assim o mau hálito e prevenindo muitos outros distúrbios. Enfim, caso tenha dúvidas ou dificuldades, peça ajuda ao seu médico veterinário de confiança.

Referências Bibliográficas:

BICHARD,S. J.; SHERDING,R. G. Manual Saunders: Clinica de Pequenos Animais. 2 ed. Sao Paulo, Roca, 2003.

KINDERSLEY, D. CÃES. Rio de Janeiro: JB indústrias gráficas S.A.

 

 

 

Categorias
Cuidados & Higiene Dicas & Curiosidades

Como fazer guia para cachorro personalizadas bem práticas e resistentes

Primeiramente, antes de mostrar como fazer guia para cachorro, é importante entender quais as características mais importantes para que esse acessório seja usado em segurança.

A guia de cachorro é, com certeza, um dos itens mais importantes para um tutor de cachorro. Guias são, de fato, acessórios de segurança usadas em conjunto com coleira para passeios cotidianos ou para fins de treinamento.

No inicio, cães que não tem o costume de usar guia, poderão estranhar e levarão algum tempo para se acostumar. Portanto, esse processo exigirá paciência da parte do tutor. Eventualmente, o cachorro irá associar a coleira a eventos felizes, como passeios diários.

Tipos de guias para cachorro

Como acontece com quase qualquer acessório para animais hoje em dia, há dezenas de modelos de guias disponíveis no mercado. Todas elas possuem finalidades diferentes e se adequam a temperamentos e portes diferentes.

Antes de mostrarmos como fazer uma guia de cachorro artesanal, é importante conhecer os vários modelos disponíveis no mercado.

Alguns tutores de cães podem preferir ter vários tipos de guias para usar para diferentes propósitos. Dependendo dos hábitos de cada um, é possível adquirir uma coleira para caminhadas diárias, para treinamento, passeios de bicicleta, entre outros.

Sugere-se, portanto, escolher  algo que seja funcional e se adapte ao seu estilo pessoal. No entanto, a principal característica que a guia deve ter é resistência, o que irá conferir segurança ao animal e possivelmente a terceiros.

Guias Comuns

As guias comuns são destinadas ao treinamento básico e ao uso diário. Normalmente possuem uma alça em uma extremidade e um clipe de metal na outra extremidade para fixar à coleira ou peitoral do cachorro.

Guias comuns são normalmente feitas em nylon, couro ou com correntes de aço. Podem ser fitas achatadas, entrelaçadas, arredondadas, em diferentes tamanhos e larguras. A escolha dependerá do porte do cachorro, força e nível do obediência ao passear na rua.

Guias de couro são, sem dúvida, muito bonitas e, se bem conservadas, podem ser duráveis. As guias de corda são geralmente redondas e são muito duráveis. Essas são indicadas para animais maiores e mais fortes.  ​

As guias feitas com correntes de aço são indicadas para aqueles cães que adoram mastigar seus acessórios, no entanto não são as mais recomendadas por causa do peso e barulho que produzem.

Guias retráteis

Guias retráteis geralmente são indicadas para cachorrinhos de portes pequenos. São guias feitas com fitas de nylon e podem ser encontradas em diversos tamanhos.

Foram fabricadas com um mecanismo semelhante ao usado nas fitas métricas. Ou seja, a guia estica e ao se aproximar do animal, retrai dentro de uma caixinha que possui externamente uma alça. Esse tipo de coleira possui também uma trava para poder controlar a distância entre o tutor e o cachorro na hora de passear.

Guias retráteis podem ser úteis para aqueles tutores que querem permitir que o cachorro ande sem coleira. No entanto, esse tipo de guia só deve ser usada depois que seu cão tiver sido treinado para andar com uma guia normal. Caso contrário, você ensinará ao seu cão um hábito muito ruim, ou seja, que é permitido puxar.

Mesmo assim, recomenda-se não deixar seu cachorrinho usar todo o comprimento da guia, a menos que o ambiente seja realmente seguro. A guia, de fato, pode ficar emaranhada ou o seu cão pode entrar em uma situação perigosa. Além disso, verifique periodicamente o estado da guia retrátil. Verifique, ao longo de toda a extensão,  se há áreas desgastadas ou danificadas de alguma outra forma.

Guias Ajustáveis

As guias ajustáveis ​ são semelhantes às coleiras padrão. No entanto, elas podem ser alongadas ou encurtadas. Os vários tamanhos podem ser úteis durante certos tipos de treinamento de cães.

Esse tipo de guia permite maior flexibilidade e usos diferentes. É possível até mesmo usa-la para correr com o cachorro. Basta prender a guia na cintura e a outra extremidade no cachorro.

Enforcadores

Enforcadores dispensam o uso de coleiras. Isso porque a coleira gira em torno de si e passa por cima da cabeça do cachorro. Se o cachorro puxar mais do que o necessário, a corda ou corrente irá automaticamente apertar o pescoço (por isso o termo enforcador).

Esse tipo de acessório pode ser perigoso se usado de maneira inadequada, pois pode fechar as vias respiratórias do cachorro, caso seja puxado com muita força. É bom saber também que existe um grande risco do cachorro se soltar desse tipo de guia.

É importante, portanto, que um cão use um colar separado com identificação ao usar um enforcador. Dessa forma, se ele se soltar, ainda terá algo para ajudar a identificá-lo.

Guias que se adaptam à necessidade do tutor

Existem várias guias feitas com uma combinação de recursos. Algumas guias padrão têm alças especiais. Outras ajustáveis ​​têm elásticos ou molas para ajudar a absorver o choque de um cão que puxa. Há, ainda, guias com faixas refletivas ou até mesmo equipadas com lanternas para caminhadas ou corridas noturnas.

Como fazer guia para cachorro

Agora que conhecemos os tipos de guias disponíveis podemos, finalmente, mostrar como fazer uma guia para cachorro.

Todavia, é importante lembrar que a guia é um acessório de segurança. Deve, portanto, ser muito resistente e confortável para o tutor e para o cachorro.

Segundo artigo escrito por Wes Siler, editor do Indefinitely Wild (coluna de estilo de vida da revista Outside), um dos melhores materiais para fazer uma guia para cachorro é a corda de alpinismo. Isso porque a corda para alpinistas são resistentes e, além disso, os cachorros não conseguem destruir com mordidas.

Como fazer uma guia para cachorro

Há algumas opções para fazer uma guia para cachorro artesanal. O primeiro passo, portanto, é escolher o material a ser usado. Para isso, leve em consideração o porte e força do seu cachorro.

Para fazer uma guia para cachorro com corrente, por exemplo, basta comprar uma corrente e colocar em cada extremidade um bom mosquetão de alpinismo.

Outra possibilidade, é fazer a guia com uma corda grossa como a de alpinismo. Nesse caso, pode-se, ainda, fazer uma guia para cachorro simples, ou trançada.

Fazer uma guia de cachorro simples

Materiais necessários

  • 2 metros de corda de espessura mais grossa;
  •  Mosquetão de alpinista;
  • Isqueiro.

Passo a passo
1) Pegue a corda e queime as pontas para que elas não se desgastem;
2) Crie uma alça e faça um nó maior (onde você vai segurar). Na outra extremidade, faça um nó menor (onde o gancho será colocado);
3) Coloque o gancho no nó menor;
4) Agora é só prender o gancho na coleira e pronto! Você já pode passear com o seu cão.

Fazer uma guia para cachorro trançada.

Trata-se de uma guia mais resistente e também bastante fácil de fazer.

Materiais necessários:

  • Corda grossa
  • Corda mais fina
  • Mosquetão
  • Tesoura,
  • Isqueiro
  • Cola quente

Passo a passo

  1. Passe a corda mais grossa pelo mosquetão de forma que as extremidades dela fiquem do mesmo tamanho.
  2. Pegue a corda mais fina, amarre no mosquetão, de forma que fique entre as duas partes da corda mais grossa.
  3. Faça uma trança apertada ao longo de toda a extensão das cordas.
  4. Uma vez feita a trança, queime as pontas para que não desgastem e cole com cola quente. Deixe secar.
  5. Faça, enfim, uma volta com a corda para criar a alça com a qual você irá segurar a guia. Cole com cola quente. Se preferir, poderá também fazer o acabamento com um tecido por cima.
  6. Outra opção, nesse último passo, é fazer a alça, e depois fixa-la com um nó forte.

 

Referências Bibliográficas

https://www.outsideonline.com/2048321/wes-siler

 

Categorias
Blog Cachorros Cuidados & Higiene

Produtos de Higiene para cachorro – afinal, quais são essenciais?

Segundo a Abinpet, existem mais de 132 milhões de animais de estimação no país. Entre eles, são 52,2 milhões de cães. Considerando que grande parte desses cães tem uma família e uma casa, imagina-se que grande parte desses animais recebam cuidados básicos como alimentação, produtos de higiene para cachorro e medicamentos. Além disso, muitos tutores gostam de mimar os próprios animais de estimação.

O resultado é um mercado aquecido, que deve atingir um faturamento de R$ 20 bilhões em 2020.

Mercado Pet – como é dividido esse imenso setor.

De forma simplificada, o mercado pet é dividido em quatro grandes cadeias:

  • Cadeia de distribuição dos segmentos de alimentos (Pet Food), que representa 68,6% do faturamento;
  • Serviços (Pet Serv), que representa 15,8% do faturamento;
  • Medicamentos veterinários (Pet Vet), que ficou com 7,7% da fatia;
  • Cuidados com saúde e higiene (Pet Care), que representa 7,9% do faturamento do mercado pet.

Segundo a Abinpet, o mercado pet já representa 0,31% do PIB brasileiro, à frente dos setores de utilidades domésticas e automação industrial. Em 2017, a indústria de produtos para animais de estimação faturou R$ 20,37 bilhões, cerca de 7,9% a mais do que em 2016, quando o valor foi de R$ 18,9 bilhões. Em 2006, esse número era de R$ 3,3 bi.

Num mercado em que animais são tratados como filhos, o segmento de estética tem se mostrado bastante lucrativo.

Os produtos de higiene para cachorro dominam as novidades do mercado pet, atualmente. As empresas produzem, cada vez mais, artigos parecidos com os dos humanos. Os animais de estimação contam hoje com shampoos, condicionadores e hidratantes, além de produtos específicos, como os tapetes higiênicos.

Produtos de Higiene para cachorro – Shampoos

Primeiramente, antes de escolher o melhor shampoo para seu cachorro, é necessário avaliar bem a pele e o pelo do animal. Além disso, é necessário verificar se o cachorro possui algum tipo de alergia.

Hoje em dia, existem centenas de shampoos no mercado pet. São shampoos para cachorros com pelos longos, curtos, escuros ou brancos, hidratantes ou anti-pulgas. Existem também os shampoos medicamentosos para eventuais tratamentos dermatológicos.

Enfim, para escolher melhor o tipo de shampoo, recomenda-se usar o bom senso, e falar com o médico veterinário de confiança. O shampoo certo para seu cachorro pode, de fato, fazer toda a diferença na textura, brilho e saúde da pelagem.

Veja mais sobre esse assunto no artigo Shampoos para cachorros!

Produtos de Higiene para cachorro- Condicionadores e máscaras de hidratação

Como mencionado acima, o mercado pet está investindo cada vez mais em produtos de higiene para cachorro e de embelezamento dos mesmos. Por isso, condicionadores e máscaras de hidratação não podiam ficar de fora.

Os condicionadores são muito utilizados em cães com pelos médios a longos. Isso porque promovem maciez e hidratação aos pelos, além de ajudarem a desembaraçar com maior facilidade os fios. Além disso, promove brilho.

As máscaras de hidratação são usadas em muitos outros casos. Na maioria das vezes, a máscara é indicada para animais com pelos médios a longos. Mas pode ser recomendada para animais com pelos curtos e muito ressecados. O resultado é maravilhoso e dá vontade de passar a mão por horas nos pelos recém hidratados.

Produtos de Higiene para cachorro- produtos para banho a seco

Sprays para banho a seco são ótimos produtos de higiene para cachorro. Isso porque muitas vezes não é possível dar banhos mais frequentes nos nossos animais. Alguns dos motivos mais frequentes para esse tipo de impedimento são as temperaturas mais frias do inverno ou por momentos de doença do animal.

Os produtos de higiene para cachorro para banho à seco são ótimos aliados. Trata-se de produtos que contém ingredientes condicionadores e enzimas que auxiliam na limpeza e eliminação de odores.

Basta borrifar no animal até umedecer o pelo, pentear para fazer com que o produto penetre e, enfim, secar com um pano limpo e seco.

Há também lencinhos umedecidos que promovem efeitos similares. Esses últimos são mais utilizados em animais com pelos curtos ou para higiene de patas e partes intimas.

Utensílios e produtos para higiene bucal

Nos últimos anos, começou a ocorrer uma maior conscientização sobre a importância da higienização bucal de animais de estimação.

De fato, animais de companhia, assim como humanos, desenvolvem uma enorme quantidade de germes na boca que acumulam sobre os dentes formando a placa. Com o tempo, se não houver higienização correta, esta placa calcifica-se devido à ação dos minerais contidos na saliva e transforma-se em tártaro. Isso pode causar problemas dentários como gengivite e doença periodontal.

Por isso, hoje em dia é possível encontrar nos pet shops uma enorme variedade de produtos com essa finalidade, como:

-Escovas de dentes e dedeiras de silicone – instrumentos que servem para realizar a limpeza mecânica dos dentes. O ideal é começar a acostumar o animal de estimação desde cedo e aos poucos com a ajuda de uma gaze.

-Pastas de dente para cachorro – a pasta de dente é um produto de higiene para cachorro auxiliar, no entanto é de extrema importância que se utilizem apenas produtos de uso veterinário. Isso porque as pastas usadas por humanos contém flúor, substancia que pode intoxicar os animais. Pastas de dentes para cães são fabricadas com sabores diferenciados como carne, por exemplo, e podem ser engolidas com segurança. Ou seja, não necessitam de enxague.

-Soluções e Sprays bucais – Existem também soluções e sprays bucais com várias finalidades. A solução geralmente pode ser misturada na água de bebida do animal. O spray pode ser aplicado diretamente na boca. O foco desse tipo de produto é reduzir a halitose, ou ‘bafo’. Além disso, existem as soluções e os sprays medicamentosos que devem ser usados para casos específicos sob orientação do médico veterinário.

-Petiscos – As empresas de alimentos investem sempre em inovações. Entre elas, existem os petiscos para higienização bucal. Há diversas marcas disponíveis, em diferentes tamanhos. No entanto devem ser utilizadas conforme indicação para não causar obesidade do animal.

Antipulgas e carrapatos

Anti-pulgas e carrapatos são, sem dúvida, produtos de higiene para cachorro considerados essenciais.

Acabar com infestações de pulgas e carrapatos, não é tarefa fácil. Para uma exterminação eficiente, devem-se obrigatoriamente associar diversas formas de tratamento. Ou seja, devem-se obrigatoriamente tratar o ambiente e o animal.

Para isso, existem muitos produtos hoje em dia que auxiliam nessa árdua tarefa.

Antipulgas e anticarrapatos para animais – hoje em dia existem dezenas de tipos de antipulgas, para todos os bolsos. São comprimidos, sprays, pour on, talcos, coleiras. No entanto, os mais eficientes, e também mais caros são, sem dúvida, os antipulgas em comprimido.

Antipulgas para o ambiente – São produtos que eliminam os parasitas do ambiente e seus ovos. Devem ser utilizados conforme as instruções na bula e de preferência longe do contato dos animais de estimação, durante seu uso.

Produtos de Higiene para cachorro – Escovas, pentes e rasqueadeiras

Embora existam muitas formas e tamanhos, há basicamente três tipos diferentes de escovas.

Escova de cerdas – podem ser usadas em todos os tipos de pelagem e podem variar de acordo com o espaço entre as cerdas e o comprimento delas. No geral, quanto mais longos os pêlos mais espaço entre as cerdas e maior deve ser seu comprimento na escova. Ainda quanto mais grosso forem os pêlos, mais rígida deve ser a cerda.

Escova de aço: escovas de aço, com ou sem pontas emborrachadas são as melhores escolhas para animais com pelos de médio a longo, com pelos encaracolados ou pelos como a lã.

Rasqueadeiras: Trata-se de um tipo de uma escova com pinos de aço fixados numa almofada de borracha. É utilizada principalmente em cachorros com pelagens médias e longas e serve para desembaraçar, deixar o pelo solto e retirar pelos mortos. Todavia, hoje em dia existe uma rasqueadeira importada e extremamente eficiente para a retirada de pelos mortos: FURminator. Essa escova tem custo elevado, quando comparado à outras rasqueadeiras, mas é extremamente eficiente. Muito recomendada para tutores que possuem cães que perdem muitos pelos.

Pentes e escovas de plástico – ótimos para massagear a pele e remover pelos soltos de raças de pelos curtos.

Produtos de Higiene para cachorro – tapetes e fraldas

Tapete higiênico é também conhecido por manta sanitária, tapete sanitário, manta higiênica, privadinha de pets.

O conceito de tapete higiênico é, em si, simples. Trata-se de objeto absorvente que retém líquidos. Assim, qualquer substância líquida que entre em contato com ele é absorvido.

Os tapetes higiênicos são um verdadeiro sucesso quando os animais aprendem a utiliza-los. Ajudam muito principalmente animais de apartamento, já que não precisam esperar seu tutor para fazer suas necessidades na rua. Veja mais em Tapete higiênico: tudo o que você precisa saber

As fraldas também objetos absorventes, no entanto são colocados no próprio animal. Costumam ser mais utilizados em ocasiões especiais como períodos de doença do animal, animais com incontinência, animais tetraplégicos e durante viagens.

Produtos de Higiene para cachorro – cuidados com as unhas

Cortar unha de cachorro é importante, não é só um fator estético. As unhas de cachorro, de fato, crescem continuamente. Se não houver desgaste natural através de frequentes caminhadas, elas podem crescer tanto a ponto de prejudicar a locomoção e até mesmo entrar novamente na própria pele. Além disso, cortar a unha do cachorro é uma oportunidade de avaliar a saúde do pet.

Unhas de cachorro também precisam de cuidados. Os motivos estão todos descritos no artigo ‘Como cortar unha de cachorro‘.

Produtos de Higiene para cachorro – cuidados com os ouvidos

Higienizar os ouvidos do cão é importante para evitar o acúmulo de sujeira e dificultar o desenvolvimento de inflamações e infecções. Orelhas sujas são mais comumente acometidas por fungos e bactérias que causam a otite.

Sobre os cuidados com a orelha de cachorro, o primeiro é proteger bem durante o banho para evitar entrada de água. Isso pode ser feito colocando um chumaço de algodão hidrofóbico (ou impermeável) em cada orelha de forma superficial para não machucar.

Além disso, é importante secar bem a região após o banho. A atenção à umidade deve ser constante, pois ela facilita a proliferação de fungos e bactérias.

A limpeza das orelhas é importante, porém não é recomendada com grande frequência, já que um pouco de cera é também uma proteção. Somente em casos de necessidade, recomenda-se o uso de uma solução específica para esse procedimento. Essas soluções, chamadas ceruminolíticas, ajudam a dissolver a cera nos ouvidos. Depois disso, basta limpar com um algodão ou gaze sem esforço.

Antes de fazer esse tipo de limpeza, converse com o médico veterinário de confiança para que ele possa avaliar a necessidade, recomendar o melhor produto e ensinar a como fazer o procedimento em casa, de forma segura.

Limpa lágrimas

Alguns cães possuem o canal lacrimal um pouco menor e, por isso, não conseguem drená-los com facilidade. E pelo fato desse líquido possuir algumas substâncias específicas, os pelos em volta dos olhos do pet podem ficar mais escuros o tempo, assim como o acúmulo de fungos e bactérias.

O tamanho no canal lacrimal não é o único fator que pode promover a epífora, como é conhecida essa complicação. Raças de cachorro com olhos mais expostos, ou então as pálpebras mal posicionadas, também podem ser afetados por essa complicação. Entre elas estão os cães das seguintes raças:

– Pug;
– Poodle;
– Shih Tzu;
– Maltês;
– Buldogue inglês,
– Buldogue francês.

Esses produtos devem ser aplicados no pelo com a ajuda em um algodão, ou gaze.

Perfumes

Os perfumes para cachorros são produtos totalmente opcionais e que muitas vezes podem até mesmo provocar alergias no animal.

Costumam ser substancias com fragrâncias delicadas e são muito utilizadas em locais que oferecem serviços de banho e tosa. Sem dúvida, abraçar um cachorrinho limpinho e perfumado, é uma delicia!

Afinal, quais produtos de higiene para cachorro são essenciais?

Como vimos no texto, há centenas de produtos com funções diferentes. Os produtos de higiene para cachorro considerados essenciais são aqueles que promovem o bem estar do animal e do tutor. Portanto, dependerá da exigência do tutor e da condição de saúde, idade, tipo de pelagem, raça do cachorro.

De qualquer forma, antes de optar por determinados cuidados e produtos, recomenda-se uma boa conversa com seu médico veterinário de confiança, para que ele possa avaliar o estado de saúde geral do animal e indicar, assim, o melhor produto de higiene para cachorro.

Categorias
Blog Cachorros Cuidados & Higiene

Shampoo para cachorro – como escolher o melhor?

Antes de escolher o melhor shampoo para seu cachorro, é necessário avaliar bem a pele e o pelo do animal. Além disso, é necessário verificar se o cachorro possui algum tipo de alergia.

Shampoo para cachorro é um produto que tem a finalidade de cuidar dos pelos, e consiste em um produto utilizado principalmente para remover o excesso de oleosidade, sujeira e pele morta.

Hoje em dia, existem centenas de shampoos no mercado pet. São shampoos para cachorros com pelos longos, curtos, escuros ou brancos, hidratantes ou anti-pulgas. Existem também os shampoos medicamentosos para eventuais tratamentos dermatológicos.

Enfim, para escolher melhor o tipo de shampoo, recomenda-se usar o bom senso, e falar com o médico veterinário de confiança. O shampoo certo para seu cachorro pode, de fato, fazer toda a diferença na textura, brilho e saúde da pelagem.

Shampoo para cachorro com pelo longo

Cães com pelos longos requerem, sem dúvida, mais cuidados que cães com pelos curtos. O shampoo indicado para esse tipo de pelagem deve ter duas características importantes: fluidez para espalhar com facilidade e agentes condicionadores, que hidratam e facilitam o desembaraço dos pelos.

Dependendo do pelo do animal, recomenda-se o uso adicional de condicionador e/ou máscara hidratante.

Shampoo para cachorro com pelo curto

Cachorros com pelos curtos, desse ponto de vista, dão certamente muito menos trabalho. O banho costuma ser mais rápido e o shampoo não precisa necessariamente ter condicionador na composição.

O que importa é que o shampoo para cachorro de pelos curtos promova limpeza sem irritar a pele do animal. Portanto, a escolha deverá ser feita em base à aceitação do mesmo.

Shampoo para cachorro com pelos escuros

Esse tipo de shampoo para cachorro foi desenvolvido com o intuito de preservar a cor escura do animal por mais tempo, protegendo os fios e dando mais brilho. Além disso, são feitos com ingredientes que limpam, mas sem agredir o pelo e a pele.

É comum que esses shampoos tenham melaninas vegetais escuras, bem como silicone. Com o uso gradual desse tipo de shampoo para cachorro, os pelos do cachorro tendem a ficar limpos, macios,  com brilho mais intenso e com a cor mais evidente.

Shampoo para cachorro com pelos claros

Shampoo para cachorro com pelos claros, dependendo da marca, podem apresentar características distintas. Há, por exemplo, os produtos que possuem branqueador óptico ou com agentes clareadores.

Os shampoos para cachorro com branqueadores ópticos possuem propriedades que realçam a brancura dos pelos. Caso o animal tenha pelos brancos com algumas regiões de pelos escuros, o shampoo óptico não afeta as partes mais escuras. Além disso, o shampoo do tipo óptico costuma conter silicone, perolizante, água purificada, fragrância e agentes tensoativos. Tais substâncias proporcionam para o animal pelos mais brancos e brilhantes.

Outros shampoos, por exemplo, possuem entre os seus ingredientes água de coco, que também retira dos pelos o visual amarelado e queimado do sol.

Shampoo para cachorro com condicionador

Como mencionamos anteriormente, esse é o tipo de shampoo de cachorro recomendado para animais com comprimentos de pelos médios a longos. No entanto, muitos cachorros de pelos curtos também podem ter uma pelagem mais áspera e seca. Nesses casos, o uso de condicionadores pode ajudar a devolver a hidratação e maciez.

Shampoo para cachorro hidratante

Shampoo para cachorro com formulação hidratante serve para nutrir a pele e os pelos dos animais. Muitos cães tem, de fato, pele e pelos secos. Isso pode ocorrer por causa da genética, alergias, problemas hormonais. O fato é que o shampoo hidratante ajuda a amenizar os efeitos da secura excessiva que podem ser: prurido intenso, falta de brilho no pelo, descamação.

Shampoo para cachorro com antipulgas

Shampoos antipulgas podem ser bons auxiliares em casos de infestações. No entanto, é bom saber que mesmo assim muitas pulgas sobrevivem (principalmente no ambiente) e poderão infestar o cachorro novamente.

Além disso, os shampoos para cachorro antipulgas são geralmente a base de produtos derivado de piretróides ou organofosforados, substancias que servem para matar as pulgas e que podem intoxicar o cão.

Por isso, é mais comum que veterinários indiquem o uso de medicamentos orais, já que possuem composição segura e eficaz. No entanto, há no mercado outros tipos de produtos antipulgas como pipetas pour-on, sprays e coleiras antiparasitárias.

Shampoo para cachorro – medicamentoso

Cachorros, como acontece com os humanos, também sofrem de inúmeros distúrbios dermatológicos. Podem ser distúrbios de origem alérgica, bacteriana, fúngica. Enfim… para resolver esses problemas, o veterinário poderá prescrever shampoos terapêuticos com o intuito de ajudar na recuperação de um determinado quadro.

Geralmente são shampoos para cachorro vendidos na farmácia dos pet shops e que devem ser usados com frequência durante o tratamento.

É muito importante, nesses casos, que sejam respeitados os intervalos e o tempo de banho prescritos pelo médico veterinário e/ou bula.

Nunca medique um animal sem o conhecimento do veterinário. Muitas vezes, é possível causar danos maiores à saúde dos nossos pets.

Pode usar shampoo de gente no animal?

Shampoos de uso humano possuem um pH mais ácido do que a pele do cachorro necessita. Além disso, contém muitas fragrâncias e aditivos cosméticos que podem agredir a pele do animal. Dessa forma, o uso de shampoo para humanos pode secar a pele do seu animal de estimação e até causar irritação e coceira na pele.

Como escolher o melhor shampoo para cachorro.

Como pudemos ver acima, escolher um shampoo para cachorro é mais do que escolher um produto de higiene. Para fazer a escolha mais acertada, devemos seguir alguns passos. Conheça as características mais importantes nessa escolha.

1. Use apenas shampoos de uso veterinário

Shampoos para cachorro devem ser de uso veterinário, ou seja, não é recomendável utilizar produtos destinados à humanos.

As empresas investem muito dinheiro em pesquisas para oferecer opções específicas no mercado. Opções que melhoram consideravelmente a pele e pelos dos animais.

2. pH neutro

É muito importante que o pH do produto seja neutro para evitar ressecamento e outros problemas dermatológicos.

3. Identifique as necessidades do cachorro

A escolha de um shampoo adequado é importante para a saúde e o conforto do seu cão. Observe bem o tipo de pele e pelos do seu animal de estimação, se possui alergias, segura, excesso de oleosidade. Converse com seu médico veterinário de confiança para uma escolha mais segura e certeira.

3. Leia opiniões sobre os produtos.

A internet está cheia de pessoas que opinam sobre os produtos. Procure informações sobre o shampoo para cachorro em mídias sociais ou sites específicos.

4. Leia o rótulo do produto.

Recomenda-se a leitura do rótulo do shampoo para cachorro para conhecer melhor o produto e verificar a presença de determinados ingredientes.

Alguns ingredientes, de fato, podem não causar danos imediatos e visíveis. No entanto, ao longo do tempo, podem causar alguns danos à pele e pelos do animal. Alguns desses ingredientes são corantes, perfumes, álcool, conservantes.

Categorias
Blog Cachorros Cuidados & Higiene

Creche para cachorro – saiba tudo sobre esse serviço.

Já ouviu falar em creche para cachorro?

Ter um animal de estimação é maravilhoso. No entanto, dependendo da espécie escolhida, longas horas de solidão podem representar um problema. Principalmente quando trata-se de um animal tão dependente e sociável quanto um cachorro.

Esse é, sem dúvida, o maior dilema para uma pessoa que resolve comprar ou adotar um cão. E é por isso que serviços como a creche para cachorro (também conhecida como day care) surgiram.

Cachorros, de fato, sofrem por ansiedade, solidão, medo e tristeza assim como os humanos. Ainda mais em dias como os que vivemos atualmente. Pessoas que vivem em cidades grandes, possuem uma tendência maior ao stress e falta de tempo. Ao chegarem em casa, muitas pessoas não conseguem nem se dedicar aos filhos de quatro patas como gostariam.

O que é uma creche para cachorro?

A creche para cachorro é um espaço no qual seu cachorro pode passar o dia com outros animais e cuidadores preparados para isso. O local pode oferecer diversos serviços como atividades ao ar livre, piscina, banho. Alguns têm também hotel para poder deixar o animal hospedado durante uma viagem de férias ou negócios, por exemplo.

Alguns espaços oferecem planos diários, semanais e mensais.

Quais serviços costumam ser oferecidos na Creche para cachorro?

Primeiramente, cada local possui regras, serviços e preços diferentes.

A maioria das creches para cachorros oferecem a estadia diária, serviço de banho e tosa, serviço de leva e traz. Alguns possuem hotel para estadias mais prolongadas.

Algumas creches para cachorro oferecem também serviços alternativos como massagem, fisioterapia, acupuntura, piscina e diferentes afazeres como é o caso da Casa do Equilíbrio Pet, em São Paulo.

Esse espaço, além de ter muitos serviços para animais de estimação, ainda oferece serviços aos seus tutores. Entre os serviços oferecidos estão sessões de Reiki, que podem ocorrer juntamente com o animal de estimação, Dog Yoga (uma prática de Yoga com o cão), Vinyasa Flow e Yoga na Cadeira (para quem tem problemas de estabilidade e/ou mobilidade).

Como saber se a creche para cachorro está cuidando bem do seu pet?

Algumas creches para cachorro oferecem o monitoramento online através das câmeras instaladas no ambiente como é o caso do hotel Dog Day Club. Isso ajuda, certamente, a amenizar a ansiedade dos tutores mais preocupados.

Outra opção que hoje em dia está tendo muito sucesso, é a contratação de um Dog Hero. Esse serviço pode ser contratado online. Através da internet, é possível encontrar pessoas disponíveis para hospedar animais de estimação na própria casa, garantindo, assim, uma hospedagem mais ‘caseira’. A empresa Dog Hero disponibiliza também pessoas que caminham com os cachorros.

No entanto, independente do tipo de hospedagem escolhida, recomenda-se uma boa pesquisa sobre o local e seus profissionais. Além disso, é necessário entrar em contato com os gestores do local ou o anfitrião Dog Hero para que informem as próprias regras de hospedagem.

Existe uma seleção de hóspedes nas creches para cachorro?

Sim, uma seleção é necessária. No entanto, depende da creche escolhida. A creche ‘Atividades Pets Lika Salles’ da região Oeste de São Paulo, por exemplo, antes de aceitar os animais para o Day Care ou hospedagem já deixa algumas regras importantes claras:

  • Cães machos adultos são aceitos. Apenas se castrados;
  • As fêmeas não podem estar no período do cio;
  • Não são aceitos animais que apresentam sinais de agressividade a outros cães ou humanos;
  • As carteirinha de vacinação deve estar completa e em dia (as vacinas exigidas são a V8 ou V10, Raiva, Giárdia e Gripe).
  • Vermifugação trimestral em dia
  • Aplicação de anti-pulgas e carrapatos na entrada da estadia.

Além disso, a Dra. Lika Salles, responsável pelo espaço, solicita a alimentação que o animal está acostumado a comer e acessórios como guia e coleira.

Todas essas exigências são de extrema importância para oferecer segurança e uma estadia tranquila a todos os animais e aos tutores.

Por que deixar seu pet numa creche para cachorro?

Cães são animais sociáveis e que precisam de atividades. Quando ficam muito tempo sozinhos, podem ficar muito tristes e ansiosos. Isso pode desencadear uma série de comportamentos indesejáveis como automutilação e/ou destruição de objetos da casa.

Por isso, a creche para cachorro é um serviço muito recomendado para animais que ficam muito tempo sozinhos em espaços confinados. De fato, no day care, eles terão:

1. Companhia

A creche para cachorro é um ambiente interativo. Geralmente no ambiente há, de fato, outros cães e profissionais que cuidam e interagem com todos. Isso leva, portanto, à distração, diversão e ao gasto de energia. Tudo isso é muito importante para a manutenção da saúde física e emocional do cachorro.

2. Gasto de energia

Todos, humanos e animais, precisam fazer exercícios para melhorar a própria saúde física e mental. Por sorte, a maior parte dos cachorros gosta de se exercitar, correr e brincar. No entanto, quando animais assim são deixados confinados em espaços pequenos como os apartamentos, ou até mesmo em um ambiente sem estímulos, o cão tende a não gastar energia.

Esse confinamento, além de provocar tédio, pode colaborar a desenvolver problemas de saúde como obesidade (por falta de exercício) e problemas comportamentais, como a ansiedade de separação.

Deixar um cachorro em um espaço como creche para cachorro, fará com que tenha distração e estimulo por muitas horas, fazendo com que gaste energia. Dessa forma, é possível prevenir os distúrbios mencionados acima. Além disso, o gasto de energia leva a benefícios psicológicos já que o animal terá atenção, cuidado e companhia o dia todo.

3. Socialização

A creche para cachorro é sem dúvida um ambiente cheio de informações para um animal.
Cachorros que passam tempo em estabelecimentos do gênero,  se acostumam com os diferentes cheiros e cores e começam, gradualmente, a serem mais receptivos às mudanças e socialização.

O resultado será, sem dúvida, um relacionamento melhor tanto com os outros cães, como entre as pessoas ao seu redor.

4. Reconhecimento precoce de problemas de saúde

Quando passamos muito pouco tempo com nossos animais, podemos não perceber determinadas mudanças de comportamento ou alterações físicas tão rapidamente.

O serviço de Day Care ajuda muito nesse aspecto também. De fato, sempre há alguém com seu animal de estimação durante o dia, e podem informar mais rapidamente caso haja alguma anormalidade. Por exemplo, se o animal está apático, se não está comendo, se apresenta dificuldades para urinar ou fazer cocô. Todos esses são dados muito importantes.

Alguns estabelecimentos, além de tudo, possuem também uma espécie de check-up diário, onde é visto se existem pulgas, arranhões ou qualquer outra anormalidade.

Creche para cachorro – uma alternativa saudável

Como vimos, a creche para cachorro é uma alternativa ótima para quem não tem tempo para ficar o quanto gostaria com o próprio pet. Para quem pode investir é, sem dúvida, uma alternativa segura, confortável e ótima para ambos (tutor e animal de estimação).

 

 

 

Categorias
Cuidados & Higiene

Placa de identificação animal – Entenda sua importância!

Placa de identificação animal – por que é um item tão importante? É muito comum ver anúncios de animais perdidos nas ruas ou nas redes sociais. Por esse motivo, a identificação é tão importante.

De fato, uma placa de identificação animal pode ajudar muito a reduzir o tempo de separação angustiante entre o cachorro e seu tutor.

Infelizmente, ao longo da vida com nossos animais, não há como garantir que eles não se percam. Podem ocorrer fugas de casa por uma porta ou janela aberta; o cachorro pode se soltar de uma guia mais frouxa durante o passeio; podem fugir desesperadamente induzidos por medo (por causa do veterinário ou de uma tempestade, por exemplo).

Enfim, perder um animal de estimação é algo que pode ocorrer com qualquer um e a qualquer momento.

Além da grande angústia de não saber onde está seu pet, há riscos reais que os animais correm na rua. De fato, infelizmente, há um enorme risco de acidentes, brigas com outros animais, perigo de contrair doenças.

É por esse motivo que não é recomendado deixar seu animal solto na rua como ainda acontece muito hoje em dia, principalmente em cidades do interior. Vejamos mais sobre isso a seguir:

Qual é a probabilidade de encontrar um cachorro perdido?

Uma pesquisa realizada pelo Departamento de Medicina Preventiva Veterinária da Universidade de Ohio, publicada no AVMA Journals, revelou alguns números que ilustram bem a situação.

De fato, foram avaliados 187 tutores de cães perdidos entre 1 de Junho e 30 de Setembro de 2005, em Ohio. Os resultados foram os seguintes:

  • 71% dos cães, ou seja, 132 dos 187 animais, foram recuperados.
  • O tempo médio de recuperação foi de 2 dias, entretanto houveram casos que levaram até 21 dias.
  • 34% dos cães foram recuperados através de telefonemas ou visitas a abrigos de animais.
  • 18,2% foram recuperados graças à placa de identificação animal;
  • 15,2% voltaram para suas casas graças a fotos e anúncios distribuídos na vizinhança.
  • Apenas 46%, ou seja, 89 animais tinham algum tipo de identificação como placa de identificação animal ou microchip.

Deve-se considerar, entretanto, que o estudo foi realizado em Montgomery County, em Ohio. Não há estudos no Brasil que informem o percentual de cachorros perdidos que retornam às suas casas

Como achar um cachorro perdido?

Em caso de perda, a placa de identificação animal ajuda a encontrar seus donos.
Em caso de perda, a placa de identificação animal ajuda a encontrar seus donos.

Em caso de perda, é muito importante tomar imediatamente algumas atitudes:

Verifique na vizinhança

Primeiramente, procure pelo seu cachorro nos locais próximos à sua casa. Entre em contato com amigos, clínicas veterinárias e pet shops do bairro. De preferência, vá pessoalmente entregar um anúncio com foto do animal e seus dados de contato. Muitas pessoas que encontram animais desaparecidos levam os mesmos para as clínicas, seja para procurar pelo dono ou até mesmo para cuidar do animal.

Hoje em dia, por questões de segurança, existem grupos de vizinhança solidária. Ou seja, grupos de whatsapp com membros que fazem parte do seu mesmo bairro. Utilize essa tecnologia a seu favor. Informe a vizinhança sobre o ocorrido e aproveite para enviar uma foto do seu pet.

Além disso, coloque cartazes ou faixas em locais bem movimentados de seu bairro, como postos de gasolina, áreas comerciais, padarias, supermercados, bancas de jornais. Não esqueça de descrever bem as características do cachorro. Lembre-se: é primordial colocar uma foto do animal e deixar um telefone para contato.

Centro de Zoonoses

Outra opção é entrar em contato com o centro de Zoonoses e as organizações de defesa animal da cidade onde mora. Caso não tenham visto seu pet, descreva suas características e deixe um telefone para contato. Se possível, vá pessoalmente e deixe uma foto do seu animal de estimação.

Internet

Utilize as ferramentas da internet a seu favor. Nos últimos anos, nasceram vários sites, aplicativos e plataformas que auxiliam a cruzar informações facilitando a localização de um animal de estimação perdido.

Uma das formas mais eficientes é, certamente, a divulgação e cadastro em páginas próprias do Facebook. Existem centenas de páginas específicas para divulgação de desaparecimento de animais por bairro e/ou cidade.

Sempre falando em redes sociais, nasceu há pouco tempo uma específica para animais perdidos: a Puppyfi. Trata-se de rede social que divulga e ajuda a localizar animais perdidos. Na plataforma é, de fato, possível cadastrar informações, notificar desaparecimento, criar anúncios para ampliar as buscas e imprimir cartazes.

Além disso, é possível receber avisos de comentários e compartilhamentos via rede, celular e e-mail, discutir temas, entre outras opções.

Outra ferramenta é o aplicativo Petts.me. Trata-se de app que, através da geolocalização e das redes sociais, permite que o usuário registre animais perdidos, achados ou disponíveis para adoção. Com ele, é possível não somente ajudar uma pessoa a encontrar seu bicho perdido como também encontrar um lar para diversos animais. Disponível gratuitamente para iOS, o aplicativo oferece uma interface bastante intuitiva para quem não domina a língua inglesa.

Além disso, utilize portais como Procura-se Cachorro, que tem como objetivo divulgar e ajudar a encontrar cães perdidos. O portal, inclusive, fez uma campanha conhecida como #animalprotegido, promovida pela BIKE ID do Procura-se Cachorro.

O intuito da campanha foi o de identificar 1.500 animais resgatados de ONGs de proteção para evitar que voltem a viver nas ruas, promovendo, dessa forma, a posse responsável a partir do uso das placas de identificação animal.

Como identificar um animal?

A forma mais fácil de identificar o seu cachorro é com a placa de identificação animal
A forma mais fácil de identificar o seu cachorro é com a placa de identificação animal

A maneira mais eficaz de unir um dono a seu cão e promover a guarda responsável de animais de estimação é através da identificação e do registro. Existem alguns métodos diferentes de identificação que podem ser semi-permanentes (por exemplo, coleira e plaqueta) ou permanentes (por exemplo, microchip).

Esses métodos, inclusive, podem ser usados individualmente ou em conjunto. Porém, um sistema de identificação permanente ligado a um banco de dados de registro central pode ser muito valioso.

Contudo, é sempre importante selecionar o método que melhor se adapta à situação local em termos de praticidade e custo.

Veja as principais formas de identificar seu animal de estimação.

Placa de identificação animal

A placa de identificação animal é um clássico. De fato é eficiente, pode ser bonita e é, sem dúvida, a opção mais barata.

Há centenas de modelos no mercado, em diversos materiais, formatos, cores e preços. Mas o importante mesmo é ter e usar! Independentemente do tamanho ou cor, é imprescindível que a placa de identificação animal possua o nome do pet e o número de telefone do tutor.

O uso da placa de identificação animal é de tamanha importância que Prefeituras de alguns municípios, de fato, impuseram a obrigatoriedade da identificação animal. Ou seja, os tutores são obrigados a registrar o pet no sistema da prefeitura informando nome do animal, nome do tutor, telefone e características físicas do animal.

No fim, além de entregarem ao tutor um documento chamado RGA (ou seja, registro geral animal), a prefeitura fornece uma placa de identificação animal com o número do documento. Esse número, por sua vez, permite que a prefeitura localize o proprietário do animal caso o animal seja resgatado na rua.

É não há desculpas pois esse serviço é GRATUITO.

Em São Paulo, de fato, o Registro Geral Animal (RGA) é obrigatório por lei para cães e gatos (Lei Municipal 13.131/2001). Ou seja, ao adotar ou comprar um cachorro (ou gato) o tutor deve ir ao Centro de Controle de Zoonoses ou estabelecimentos veterinários credenciados (veja a listagem), e deve apresentar:

  • CPF;
  • RG;
  • Comprovante de residência;
  • Atestado de vacina contra raiva emitido e assinado por médico veterinário ou comprovante do Centro de Controle de Zoonoses do município expedido nos 12 meses anteriores ao RGA.

Placa de identificação animal é suficiente?

Além da placa de identificação animal, há outras formas eficientes de identificar o seu cachorro.
Além da placa de identificação animal, há outras formas eficientes de identificar o seu cachorro.

Infelizmente não. A placa de identificação animal é essencial, entretanto pode ser perdida. O mais indicado, portanto, é providenciar mais de um método de identificação para garantir a localização do seu filho de quatro patas. Algumas formas alternativas são:

  • Microchipagem
  • Coleira com GPS
  • Coleira Bordada

Microchip

Trata-se de um chip minúsculo, do tamanho de um grão de arroz, que vem aplicado com uma seringa entre as escapulas do animal. Dessa forma, o microchip não pode ser perdido.

Uma vez aplicado é ativado por um scanner que faz a leitura do número com o qual é possível acessar a ficha cadastral do animal, que estará inserida em um banco de dados (SIRAA) que, por sua vez, possibilita identificá-lo pela internet.

Portanto, em caso de necessidade, basta passar o leitor de microchip nas costas do animal, para ler o número de identificação.

O microchip, além disso, é um item obrigatório em animais que tenham que enfrentar viagens ao exterior. Leia mais sobre esse assunto específico em ‘Como programar uma viagem com animal de avião?’.

É, enfim, um método extremamente eficiente de identificação, porém é invisível. Ao mesmo tempo que isso é desejável é também um problema, já que não é uma forma comum de identificação no Brasil. De fato, como ainda não é obrigatório em nosso País, se alguém achar seu animal perdido, é improvável que busque um veterinário com leitor para verificar seus dados.

Coleira com GPS

O chip de GPS é um aparelho que pode ser aplicado à coleira. Segundo os fabricantes é resistente à agua e sujeiras. Com ele, é possível localizar seu cachorro onde quer que ele esteja através de um sistema que pode ser visualizado até mesmo no celular.

Além disso, se o animal sair da área determinada pelo dono, uma mensagem é enviada automaticamente para o computador ou o smartphone cadastrado no sistema.

Entretanto, o GPS ainda tem muitos lados que precisam ser aperfeiçoados. De fato, aqui no Brasil ainda é muito caro e é difícil de achar. Além disso, tem um formato muito grande e pesado, precisa ser recarregado e, enfim, pode ser facilmente perdido.

Coleiras Bordadas

As coleiras bordadas são uma ótima alternativa de identificação animal. Trata-se de coleiras de tecido feitas sob encomenda. Ou seja, é possível escolher cor e tamanho desejado, inclusive para cachorros de porte gigante.

Nelas escrevem-se, com bordado ou estampa, o nome do pet e o número de telefone do tutor. É importante ressaltar que este tipo de coleira tem utilidade apenas de identificação, sendo necessário o uso de uma coleira mais resistente durante os passeios, principalmente em cães de porte grande ou gigante, ou cães com temperamento mais agressivo.

São encontradas facilmente na internet, já que vários sites disponibilizam este produto. Podem ser achadas, inclusive, em plataformas como Mercado Livre, Elo7, VegPet ou até mesmo no Instagram.

Tatuagem

A tatuagem é uma forma de identificação permanente que não é recomendada por ser mais invasiva, já que é necessário aplicar anestesia geral no animal para poder realizá-la. Além disso, não é facilmente visível e pode sofrer alterações com o tempo.

Conclusão:

No artigo, foi possível entender a dificuldade de achar um animal perdido. Portanto, ficou clara a importância de todas as formas de identificação de animais de estimação como cães e gatos.

Recomenda-se, que o tutor deixe o animal seguro em casa, ou seja, que não permita que o animal passeie livremente pelas ruas. Além de ser um fator que aumenta muito o risco de acidentes e contaminações por doenças infecciosas e parasitas, pode também provocar a perda definitiva do animal.

Portanto, é imprescindível identificar seu pet, se possível utilizando duas formas conjuntas. Ou seja, mesmo que seu pet tenha microchip, coloque uma identificação externa como placa de identificação animal ou coleira bordada. Essa atitude, certamente, facilitará e agilizará o contato em caso de perda, já que uma vez perdido, pode ser tarde demais.

Referências Bibliográficas

Linda K. Lord, DVM, PhD; Thomas E. Wittum, PhD; Amy K. Ferketich, PhD; Julie A. Funk, DVM, PhD; Päivi J. Rajala-Schultz, DVM, PhD – Search and identification methods that owners use to find a lost dog – Journal of the American veterinary Medical Association. 2007.

Trackimo – 5 Years Old Study Reveals Shocking Statistics on Lost Pets

Categorias
Cuidados & Higiene

Chip GPS: Como funciona o rastreador pet?

Primeiramente, é necessário esclarecer que chip GPS não é a mesma coisa que o microchip inserido nos animais com uma seringa. Afinal de contas, muitas pessoas acreditam que o microchip aplicado de forma subcutânea nos animais, já é um Chip GPS. Veremos neste artigo que são dois itens bem diferentes um do outro.

Diferença entre microchip e chip GPS

Há diferenças entre Chip GPS e microchip.
Há diferenças entre Chip GPS e microchip.

O microchip é um micro sistema eletrônico que é inserido com uma agulha hipodérmica de baixo da pele na região do pescoço. Uma vez aplicado é ativado por um scanner que faz a leitura do número com o qual é possível acessar a ficha cadastral do bichinho que estará inserida em um banco de dados que, por sua vez, possibilita identificá-lo pela internet.

O microchip subcutâneo é uma forma muito eficiente de identificação animal. Além disso é um item obrigatório para viajar ao exterior com seu animal de estimação. As informações contidas na ficha são: nome, espécie, raça, sexo, data de nascimento, cor, descrição, histórico, dados do proprietário.

O Chip GPS, por outro lado, é um artefato que pode ser usado externamente para localizar seu cachorro em caso de perda, roubo ou fuga do mesmo.

O que é o Chip GPS

O chip GPS é um dispositivo de segurança e rastreio adicionado à coleira do cachorro para rastreamento.
O chip GPS é um dispositivo de segurança e rastreio adicionado à coleira do cachorro para rastreamento.

Como vimos anteriormente, o Chip GPS não é o microchip que é inserido sob a pele do cachorro. Trata-se, de fato, de um dispositivo que é aplicado externamente, na coleira.

A característica mais atraente dos colares de rastreamento com chip GPS é, sem dúvida, o fato de que é possível saber sempre onde está seu animal de estimação. De fato, sua localização pode ser acompanhada em tempo real através de aplicativo específico no Smartphone.

Existem rastreadores com chip GPS de vários tamanhos, que podem se adequar a diferentes portes de cachorro. Ao comprar este dispositivo, deve-se colocar o Chip GPS na coleira, fazer o download do aplicativo no celular e emparelhar as informações.

Além disso, com esse aplicativo, é possível determinar o perímetro de segurança. Ou seja, é possível determinar a área em que seu animal está livre para caminhar, como o seu próprio quintal, por exemplo. Se por acaso, o cachorro ultrapassar a demarcação, o celular receberá uma notificação via sms, aplicativo ou até mesmo e-mail.

Outros tipos de Chip GPS permitem registrar os movimentos do cachorro nas últimas 24 horas. Essa função é ótima para aqueles tutores que suspeitam que o cachorro anda fugindo durante o dia ou noite.

Benefícios do rastreador com Chip GPS:

O chip GPS tem muitos benefícios.
O chip GPS tem muitos benefícios.
  • O principal benefício, certamente, é que com esse dispositivo fica mais fácil encontrar um cão perdido ou fujão. Dessa forma, o stress com sua recuperação é, sem dúvida, muito menor. Com o Chip GPS, é possível encontrar o cachorro na hora, sem depender da boa vontade de outras pessoas.
  • Hoje em dia, todo mundo tem um Smartphone. A vantagem aqui é que o aplicativo que mostra a localização do seu animal de estimação estará sempre na palma de sua mão. Além disso, receberá avisos instantaneamente se algo sair do esperado.
  • Os rastreadores são de fácil aplicação em animais de estimação. Basta, de fato, prendê-los à coleira do seu cão.
  • Além de ser útil para rastrear cães fujões, o rastreador pode detectar a localização do seu cachorro no caso seja roubado. Caso os ladrões não percebam o dispositivo, é possível encaminhar as informações à policia e solicitar o resgate. Os modelos mais novos são mais discretos, então alguém que rouba o seu cão pode nem perceber que está lá.

O caso de Pistolinha

Pistolinha é o nome de uma cadelinha da raça Buldogue Francês. No início de março de 2019, o jornal de Brasília reportou sua história.

A cadelinha foi, de fato, sequestrada por três homens em Sobradinho, cidade do Distrito Federal. Os criminosos, entraram na casa onde Pistolinha mora e levaram a cachorrinha. Logo depois, entraram em contato com seus tutores pedindo R$1.600,00 para seu resgate. No entanto, eles não sabiam que Pistolinha tinha um rastreador de GPS.

Os tutores não negociaram com os bandidos e entraram em contato com a polícia. Os sequestradores foram, portanto, identificados e detidos. Infelizmente respondem em liberdade. Pistolinha, no entanto, voltou pra casa sã e salva graças à essa tecnologia ainda pouco conhecida aqui no Brasil, e à ação dos policiais.

Como deve ser o chip GPS ideal

O chip GPS ainda possuem preço elevado por aqui.
O chip GPS ainda possuem preço elevado por aqui.

Rastreadores com GPS, por enquanto, são mais utilizados no exterior do que no Brasil. De fato, em nosso País, os preços ainda são elevados e não são achados facilmente.

Nos Estados Unidos, por exemplo, são bastante frequentes entre tutores que gostam de caminhar com seus cães sem guia, o que ainda é uma prática pouco recomendável por vários motivos.

De fato o cachorro pode querer brincar com outro pouco amigável, ou pular em alguém que tem medo, se acidentar e muitas outras situações.

O chip GPS ideal deve ter algumas características importantes:

  • Seu tamanho deve ser pequeno para não incomodar o animal e para que não seja visto facilmente e retirado por pessoas mal intencionadas.
  • O GPS deve ser a prova de água e sujeira, já que muitos cães adoram passear na chuva ou não resistem a uma piscina ou lago no meio do caminho.
  • Caso seu cachorro seja destruidor, procure um modelo bem resistente.

Alguns rastreadores com chip GPS disponíveis no mercado

Tagg – The Pet Tracker

Trata-se de uma coleira com GPS e Sistema WI-fi, compatível com IOS e Android. Através dessa coleira será possível delimitar uma área, como os espaços da casa, quintal e arredores.

Caso o cão ultrapasse esses limites você e mais cinco contatos que poderão ser cadastrados, receberão sinais de alerta via e-mail, torpedos ou aplicativos. Além de ser bem resistente, possui uma bateria que dura até trinta dias e pode ser recarregada. Já está disponível no Brasil e a venda pode ser realizada pela internet.

SpotLite

Dispositivo que contém um botão de resgate que emite uma mensagem de emergência ao dono. O aparelho deve ser acoplado à coleira. Ainda indisponível no Brasil.

The Pet Locator

Aparelho de tamanho pequeno e que deve ser fixado à coleira de seu cão. Também é possível localizar o animal através da ativação do rastreador. A delimitação das áreas de circulação assim como os limites que seu cão percorre são monitorados através de uma bateria e um pequeno painel solar. É comercializado na internet.

Rastreador GPS Appego Para Pets

Gps disponível para compra pelo site da Petz. O dispositivo é prova d’água, possui bateria recarregável e é controlado por aplicativo.

Desvantagens do GPS

Apesar da tecnologia de ponta e praticidade oferecidas pelo chip GPS, esse tipo de dispositivo ainda possui algumas desvantagens.

  • No Brasil ainda não é facilmente encontrado. Entretanto, é possível adquirir alguns modelos em sites como Mercado Livre ou comprar no exterior;
  • Na maioria dos casos, o rastreador da coleira ainda é muito grande. Pode ser de difícil uso em cães de portes muito pequenos;
  • A bateria precisa ser recarregada;
  • Como qualquer outra coleira, pode ser perdida durante uma fuga ou brincadeira.
  • O valor desses GPS’s são salgados ainda, mesmo porque estão se firmando no mercado e certamente ainda surgirão outros para que a concorrência se dê e o preço diminua.
  • Por causa de seu valor e da dificuldade em ser encontrado no mercado, são passíveis de roubo.

Qual é, então, a melhor forma de identificação?

A identificação animal é primordial para um tutor que se importa com seu próprio animal de estimação. Para saber mais sobre o assunto e avaliar as opções de identificação, recomendamos a leitura do artigo ‘Placa de Identificação Animal – Entenda sua importância‘. Nesse artigo, de fato, foram descritas todas as formas de identificação e dicas para evitar a perda do seu animal de estimação.

Categorias
Atividades & Adestramento Blog Cachorros Cuidados & Higiene Dicas & Curiosidades

Melhores produtos para cachorro: desembaraçar pelos, urinar no local, eliminar mau cheiro

Uma quase infinita variedade de produtos para cachorro é, atualmente, mais que simples objetos. Afinal, nossos grandes amigos de quatro patas, sejam peludos ou não; pequenos, médios ou grandes; orelhudos; curiosos; amáveis, brincalhões ou nem tanto, bem, esses cachorros moleques dão trabalho.

Por outro lado, quem ama cachorros sabe que isso é o de menos. Até quem não tem muito tempo para ter um também sabe disso. A relação “custo-por-trabalho X benefícios-emocionais” é enormemente favorável e positivo.

Por mais cuidados que precisam, apenas um olharzinho de agradecimento dele já faz o dono esquecer tudo. Com toda certeza, essa ternura no olhar é grande o bastante para se sobressair facilmente.

Para tanto, o mercado dispõe hoje de produtos para cachorro para todas as ocasiões e necessidades possíveis. Até mesmo para aquelas que você nem tem ideia que existem. Certamente, esse fato facilita demais a vida dos donos. E, claro, dos bichinhos também.

A variedade é tão grande que é impossível elencar todos num só artigo. Então, a gente vai tentar criar categorias de produtos para cachorro. Dessa maneira, talvez seja mais fácil medir mentalmente até onde vai a preocupação dos diversos fabricantes com o bem-estar do animal e de seus donos.

Vamos lá!

Sobre os produtos para cachorro

Existem uma infinidade de produtos para cachroros desde muitos anos atrás.
Existem uma infinidade de produtos para cachroros desde muitos anos atrás.

Os primeiros contatos entre a espécie canina e a espécie humana se deram há milhares de anos. Apesar de baseados em dados científicos, alguns estudiosos alegam que tais primeiros contatos se deram por volta de 500 mil anos atrás, ainda no período dos hominídeos.

Deve-se levar em conta, porém, que primeiros contatos não significam domesticação ou ainda socialização. Os hominídeos tiveram os primeiros contatos com a espécie quando o cachorro como conhecemos hoje nem existia; viria a existir milhares de anos depois a partir do DNA dos lobos.

O cães entraram na vida do ser humano, segundo levantamentos paleontológicos, há cerca de 40 mil anos. Melhor dizendo, entraram como elementos alteradores de rotina, pois os humanos descobriram que esses animais poderiam ser muito úteis.

Claro, naquela época, as funções dos cães em relação ao homem eram apenas funcionais, ou seja, nem sequer se cogitava a possibilidade de servirem como companhia. O fato é que a relação foi ganhando força ao longo dos séculos. De apenas útil, o cão foi se transformando em excelentes companhias.

Aliás, não se cogitava serem bons companheiros e muito menos terem outros utensílios além de correntes e coleiras. Então, a relação cães e humanos se iniciou a partir do conceito escravagista. Talvez seja por isso que ainda existam pessoas atualmente que apresentem o máximo possível de desrespeito para com os animais.

Laços nascidos por acaso

Membros da Sociedade Brasileira de Cinófilos – Sobraci afirmam que, por volta de 20 mil anos atrás, houve certo período de escassez de alimentos para os lobos. Então, por instinto, esses animais foram percebendo que havia restos de alimentos próximos a acampamentos de humanos. Lentamente, eles foram se aproximando a fim de saciar a fome.

Certamente, aqueles contatos foram conflituosos. Entretanto, os homens notaram que outros animais ferozes não os emboscavam nos momentos em que os lobos estavam presentes. Essa foi uma das primeiras funcionalidades dos lobos: animais de guarda. Essa condição se “tatuou” no DNA de seus descendentes.

Com o passar do tempo, os lobos se acostumaram com a presença dos humanos. As gerações futuras, inclusive, deixaram de caçar e passaram a depender dos homens. Foi assim que os elos começaram a se fortalecer.

Bem, o caso é que o cães precisaram de milênios para ocupar o espaço emocional na mente do ser humano. Foram séculos a fio “cavando” a montanha da atenção humana para, finalmente, deixarem de ser “escravos” e passarem a ser “amigos”. Somente depois desse grande período é que essa relação se transformou em uma relação afetuosa.

Laços fortalecidos

São muitas as histórias desse afeto. Há diversas ocasiões em que a ligação dos cães com seus donos extrapola o lado lógico de tudo. O Youtube está repleto de vídeos que falam disso. Talvez o mais conhecido – pois foi exposto nos cinemas – seja o caso de Hachiko, um cão da raça japonesa Akita que se manteve ao lado do dono até por uma década após a morte deste. A história real aconteceu nas décadas de 20 e 30.

Muito bem. A gente contou toda essa história para que você perceba como é importante para o ser humano tornar a vida de seus cães mais fácil. O avanço dessa relação de amizade, companheirismo e amizade foi afetando a atenção do ser humano em relação às necessidades de seus cães. Muitos donos de cães passaram a produzir peças artesanalmente a fim fazer o dia a dia de seus pets mais feliz.

Aquelas peças se mostraram tão eficazes que entraram no radar dos fabricantes. Atualmente, há fábricas que fazem peças tanto importantes (alimentos especiais, por exemplo) como peças de apenas modismo (como testículos falsos para cães castrados).

A lista é longa. Existem catálogos de produtos para cachorro que têm 50, 70, 100 páginas. Então, este artigo apresenta os produtos por categoria. Veja alguns.

Produtos para cachorro: Bem-estar

Muitos produtos para cachorros visam o bem estar físico e emocional do animal.
Muitos produtos para cachorros visam o bem estar físico e emocional do animal.

Centenas de produtos visam o bem-estar, a segurança e saúde do animal. Já foi a época em que os produtos para cachorro de limitam à coleira, guia, comedouros e bebedouros. Hoje, é possível encontrar até mesmo fantasias para época de carnaval.

Importante: Nenhum produto é considerado 100% seguro por veterinários e tratadores. Dependendo do “jeitão” de seu cão, até mesmo peças de ferro puro apresentam algum perigo. Portanto, as brincadeiras e utilização dos produtos devem sempre ser monitoradas pelo dono do animal, além de respeitar sua compleição física e postura.

Brinquedos para cachorro

Produtos para cachorros como brinquedos são excelentes estimuladores físicos e intelectuais.
Produtos para cachorros como brinquedos são excelentes estimuladores físicos e intelectuais.

Imagine um brinquedo qualquer. Apenas imagine. Bem, a gente não sabe no que você pensou, mas existe. Seja lá o que for. E, nessa categoria, existem também tanto produtos para cachorro extremamente importantes quanto os completamente dispensáveis.

Por outro lado, a esmagadora maioria dos veterinários destaca a importância dos brinquedos para cachorro para o bem-estar deles. Dependendo do temperamento e porte do animal, os brinquedos podem ser apenas antiestressantes ou se mostrar altamente necessário para a saúde física.

Brinquedos Plásticos

Trata-se de um dos brinquedos prediletos dos pets. E de seus donos também, pois é peça de interação. Ambos participam da brincadeira. A peça estimula exercícios físicos, senso de equilíbrio e percepção espacial. Porém, lembre-se que é necessário espaço adequado. Caso contrário, o animal pode se machucar seriamente.

Bolas

É possível que bola seja o brinquedo mais procurado nas lojas. Afinal, ela é tão eficaz quanto os de plásticos ou borrachas. Atualmente, há centenas de modelos com acessórios dos mais variados. Alguns até emitem sons diferentes para cada ação do animal ou luzes coloridas para incentivar a brincadeira.

Tug (Cabo-de-guerra)

Quem nunca teve alguma experiência com essa brincadeira? Nesse caso, todos conhecemos o quão estimulante ela é. É eficaz especialmente se houver mais de um cão na casa, pois incentiva musculatura, qualifica ossatura, exercita interatividade etc. Além disso, ainda fortalece o espírito de domínio que todo ser irracional ainda retém em sua história genética.

Entretanto, é preciso avaliar muito bem esse tipo de brinquedo. Ele deve ser adequado ao porte, à idade e à personalidade do animal. Em caso contrário, há riscos de lesões, especialmente nos dentes, e de aumento de agressividade.

Estimulantes de raciocínio

A inteligência dos cães é conhecida por todos. Entretanto, é possível aumentá-la ou, no mínimo exercitá-la com produtos desenvolvidos especialmente para isso.

Brinquedos Comedores

Os brinquedos para cachorro comedores tratam-se de peça em que o dono do animal oculta grãos de ração ou pedaço de qualquer alimento de que o animal goste. E cão deve “descobrir” maneiras de encontrar o alimento.

Esse produto pode manter seu animal ocupado por longas horas do dia. Existem modelos que dispõem de várias maneiras de ocultação. Assim, quando o animal descobre uma maneira de encontrar a comida, o dono substitui a forma de encontrá-la.

Associação de cores e sons

Há diversas peças no mercado de pets que incentivam reconhecimento de situações a partir de cores e sons. Muitas dessas peças precisam da interação de um humano, pois, este precisa acionar algumas teclas. Com isso, o aparelho libera visual colorido e o ser humano desenvolve alguma ação (pular, por exemplo) associada à cor.

Esse processo é repetido até que o cão memorize e associe as cores e sons com a ação humana. O proprietário precisa mostrar ao animal que ele deve repetir a ação.

Brinquedo para cachorro Quebra-cabeças

Trata-se de produto extremamente interessante. Alimentos e guloseimas em geral são escondidos nas peças que, ao fim da brincadeira, resultam em alguma imagem. O animal é incentivado a mover as peças, que têm formatos simples, para encaixá-las em orifícios únicos. Tão logo consiga, a guloseima é liberada para seu deleite.

Objetos para o conforto

Outros produtos para cachorro visam o seu conforto.
Outros produtos para cachorro visam o seu conforto.

Há centenas de tipos de produtos que buscam oferecer conforto tanto emocional quanto físico de seu animal.

Caminha de cachorro

Hoje em dia, é possível encontrar todo tipo de caminha de cachorro. Há modelos com cobertura, outros mais simples; há modelos com material antialérgico; com estampas coloridas ou não, de madeira, redondas, quadradas, em formato de sofá. Há até mesmo tipo beliche para dois ou mais cães.

Carrinho de passeio para cachorro

Os carrinhos de passeio para cachorro são uma das mais interessantes invenções de produtos para cachorro. Afinal, ele não serve apenas para conforto, mas especialmente para segurança do pet, do dono e das pessoas ao redor. Existe grande variedade de modelos e preços.

Fralda de cachorro

É, em verdade, uma espécie de acolchoado fino que deve ser colocado no chão, em local de fácil acesso ao animal. Esse produto é importante para a higiene do bichinho e também do ambiente em que ele e a família vivem.

Evita que os residentes pisem na urina, bem como o pet, pois é absorvente. Alguns tipos dispõem até mesmo de substâncias odorizadoras.

Entretanto, lembre-se de que cães e gatos não fazem suas necessidades próximo do lugar em que comem ou dormem. Portanto, encontre um lugar na casa longe desses locais.

Desembaraçador de pelos

A indústria dos cosméticos avançou para o universo dos pets. Há xampus, condicionadores, cremes amaciadores, essências perfumadas etc. Porém, em relação a cosméticos, talvez nada seja tão importante quanto o desembaraçador de fios.

Não é indicado apenas para raças caracteristicamente peludas, daquelas cujos pelos chegam ao chão. Alguns tipos diminuem processo de queda de pelo de qualquer raça, o que incomoda bastante tanto o animal quanto os donos.

Perfume para cachorro

A necessidade que os donos de animais têm de tornar a vida do animal cada vez mais feliz precisa ser suprida com certa moderação. Cães também podem ser alérgicos a perfumes, por exemplo. Porém, claro, não conseguem expor esse problema.

Convém ao dono observar atentamente as reações físicas e comportamento do cãozinho após aplicação de essências perfumadas. Ele pode ficar amuado ou excitado; pode também apresentar irritação na pele ou mesmo ressecação nos pelos.

Comedouros e bebedouros

O cachorro necessita de um local para se alimentar adequado. Para tanto, existem vários modelos diferentes de comedouros e bebedouros que se adequam ao peso, estatura e tamanho do seu pet.

Produtos comestíveis para cachorro

Ossos, biscoitos, tiras de bacon e muitos outros produtos comestíveis para cachorros são campeões de venda. Além de excelentes snacks, podem ajudar na mastigação e limpeza dos dentes, prevenir tártaro e entreter.

Produtos para cachorro: Bizarrices

Como a gente comentou acima, a quantidade de itens de produtos para cachorro é imensa. É impossível elencar todos em apenas um artigo. Abrange praticamente todas as necessidades do animal e da relação com seus donos e família, bem como com o ambiente em que vive.

Contudo, nem só de seriedade vive o universo comercial de produtos para cachorro. Às vezes, a gente se depara com produtos que mais parecem piadinha de empreendedores. Veja alguns:

Dentaduras para cachorro

Ok! É apenas para brincadeirinhas descontraídas, mas não deixa de ser bizarro.

Unhas postiças e esmalte para unhas

Hum… talvez sua cadelinha não aprove muito a ideia.

Boneca inflável para cachorro

Certo! Alguns veterinários nem consideram esse produto como bizarro. Alguns cães machos precisam expor suas necessidades sexuais de alguma maneira quando não têm fêmeas por perto. Isso evita, por exemplo, que o bichinho saia agarrando as pernas das visitas.

Perfume Sensual para cachorro

Esse talvez seja outro produto totalmente dispensável para seu cão. Afinal, seus instintos falam por si.

Brinquedos sexuais para cachorro

Tem formato de pênis de cães. Não é possível imaginar que a cadela que você tem em casa vá gostar desse produto.

Cerveja para cachorro

Sem problemas. O fabricante diz que o produto, claro, não contém álcool. É feito com aroma de ração apropriada. Além disso, diz também que é regulador de funções renais do animal. Pode até ser, mas que é estranho, lá isso é.

Tampões de traseiro para cachorro

Sim… isso existe. É um adesivo que você pode colar nas nádegas do animal. Bem, isso se ele for muito acanhado e tímido.

Propaganda política para cachorro

Não ria… isso existe nos EUA. Trata-se de cartazes com retratos de cães aparamentados com aspectos políticos, como chapéus, itens associados ao marxismo e ao capitalismo em si. Não existem para enfeitar quartos de crianças que têm pets. O objetivo é mesmo servir de distração para os pets.

Bolachas para cachorro

Estranhou que bolacha esteja na lista de produtos bizarros? Mas estamos falando de bolachas com formato de partes do corpo humano.

Produtos para cachorro alimentam um mercado crescente

Bem, você deve ter percebido que o mercado de produtos para cachorro é enorme. A paralelo a todo conforto oferecido, há ainda o fato de tais produtos impulsionar um mercado com milhares de trabalhadores. Dessa maneira, seu pet se torna um elemento importante na macroeconomia do país.

Se você tiver conhecimento de produtos interessantes (ou bizarros) e estes não estiverem relacionados aqui, informe pra gente. Ou, tendo alguma dúvida, informe também. Deixe no campo de comentários abaixo.

Categorias
Blog Cachorros Cuidados & Higiene Dicas & Curiosidades

Raças de cachorros mais fedidos e os que menos têm cheiro forte

Obviamente sabemos que os cães são seres vivos. Assim, possuem certas condições físicas que infelizmente os caracterizam de alguma forma, às vezes, negativa. Como por exemplo, os “cachorros mais fedidos” que existem no mundo.

Deixando as piadinhas sobre cães que emitem odores ruins de lado, essas condições acabam provocando desconfortos terríveis para os proprietários. Tais desconfortos são piores quando envolvem os visitantes, que nada t6em com isso.

Por isso, listamos neste artigo uma infinidade de informações que podem auxiliar muito no convívio com seu pet, digamos, malcheiroso. Desde explanação dos motivos até providências que você poderá tomar para resolver o problema. Ou diminuir, quando menos.

O que pensar de imediato

Os cachorros mais fedidos possuem características genéticas e de saúde para tal "fenômeno".
Os cachorros mais fedidos possuem características genéticas e de saúde para tal “fenômeno”.

De imediato, é preciso lembrar que eventuais maus cheiros não se referem somente ao corpo em si, mas também ao hálito e região traseira do animal. Há situações em que o problema é nos pelos e, ainda, orgânicos. Ou seja, descontrole no suor, problemas estomacais que se refletem na pele etc. Assim, sabe-se que a maioria dos odores é solucionável com ações simples e práticas.

Por outro lado, convém que os proprietários fiquem alertas quando o problema se estende por dias ou semanas. Talvez as causas sejam mais sérias. O fato é que a maioria dos cães tende a exalar cheiro ruim. Algumas empresas até já fizeram testes com substâncias químicas ingeríveis capazes de resolver o caso. Entretanto, os resultados ainda não são totalmente satisfatórios, o que desestimula investimentos mais expressivos.

Importante: estando seu pet com problemas de emissão de odores desagradáveis por muitos dias e você não conseguindo identificar a raiz do problema, leve-o de rapidamente a um veterinário. Com certeza, ele vai saber o que fazer. Caso contrário, o problema pode se agravar e representar grande perigo não apenas para o animal, mas também para sua família.

Curiosidade sobre cachorros mais fedidos

O cheiro corporal dos cachorros mais fedidos é comum.
O cheiro corporal dos cachorros mais fedidos é comum entre as raças.

É preciso ter em mente que cheiro corporal forte é comum em cães. Algumas raças, entretanto, são geneticamente propensas a gerar mais odores que outras. Assim, representam indivíduos considerados os cachorros mais fedidos. Porém, os pelos são um caso à parte.

Os pelos dos cães, muito mais do que os dos gatos, são habitat para certos tipos de fungos e bactérias. Estas são praticamente inofensivas; trata-se de questão de evolução das espécies. Tais micro-organismos se sentem à vontade em ambiente seco.

Entretanto, basta que o cão se molhe um pouco e eis um cheiro enjoado aparecendo. O fato é que as moléculas de água “incomodam” as bactérias e fungos e estes liberam compostos odoríficos enjoativos. Com certeza, tais microagentes estão presentes no corpo dos cachorros mais fedidos.

Portanto, esse é um dos motivos pelos quais todos os cães cheiram mal logo após o banho e, por extensão, os cachorros mais fedidos. Isso é até mesmo intrigante, pois se dá justamente depois de ser higienizado. Ainda bem que atualmente há xampus e condicionadores que anulam a ação daquelas bactérias e, dessa maneira, os odores também.

Atenção:Cães portadores de diabetes têm produção de insulina em menor escala. Nesse caso, os alimentos ingeridos não vão ser metabolizados de forma eficaz. Os restos de alimentos expelidos, com certeza, apresentam odor ainda muito mais desagradável. Entretanto, parte desse cheiro pode ser expelido pelos poros da pele. Nesse caso, é imprescindível que você leve seu cão ao médico.

Ainda, cães com rins deficitários apresentam normalmente cheiro de urina no hálito. Nesse caso, ao brincar com seu cão, certamente você vai identificar tal anomalia. Convém levá-lo imediatamente ao médico.

Importante também é a questão de raças com grande propensão à perda de pelos. Sem escovação constante, restos de pelos perdidos se misturam a outros. Sendo células queratinosas, certamente apodrecem e exalam cheiro desconfortável.

Detalhe sobre os cachorros mais fedidos

Algumas raças de cachorros mais fedidos possuem características genéticas propensas ao mau cheiro.
Algumas raças de cachorros mais fedidos possuem características genéticas propensas ao mau cheiro.

Certo! Você já sabe que algumas raças apresentam determinadas condições genéticas favoráveis a mau cheiro. São as raças de cachorros mais fedidos, algumas delas listadas logo abaixo. Porém, convém alertar para o seguinte.

Cocker Spaniel Inglês, Shar Pei, Pequinês, por exemplo, são raças que precisam de atenção regular e cuidados especiais. Fique atento às reentrâncias cutâneas, pois é comum que apresentem problemas como dermatite. Com certeza, isso leva à infecção, às vezes até imperceptíveis de imediato, que causa emissão de cheiros.

Então, é preciso limpar frequentemente as dobras de cães dessas raças. E atenção especial às orelhas e região traseira. Use lenços umedecidos ou mesmo chumaços de algodão embebidos de substâncias higienizadoras. Porém, seque bem a área de aplicação. Umidade também é causadora de cheiros ruins.

Dessa maneira, seu cãozinho pode até fazer parte das raças de cachorros mais fedidos, mas ele, em especial, não será um deles.

Cachorros mais fedidos: possíveis causas

Existem muitas causas para o mau cheiro característico dos cachorros mais fedidos.
Existem muitas causas para o mau cheiro característico dos cachorros mais fedidos.

Como a gente deixou evidente acima, os motivos e causas das condições dos cachorros mais fedidos são dos mais variáveis possível. Veja alguns deles.

Alergias

A Atopia, nome oficial de alergia hereditária, via de regra, cria regiões infeccionáveis na pele do animal. Assim, o organismo do pet vai se defender gerando camadas de óleo a partir de certas glândulas na pele. Com certeza, esse estado sebáceo vai gerar cheiros muito desagradáveis com o tempo se não forem higienizados adequadamente.

É grande a chance de que essa condição tenha origem em alimentação incompatível com o tipo físico ou mesmo com a raça do cão. Convém solicitar opinião de um veterinário competente a fim de obter solução mais contundente.

Dentes

Problemas com tártaro e com cáries é um dos principais motivos para o mau hálito. E pode ser tão forte e abrangente que as pessoas confundem com odor corporal.

Além de tártaro e cáries, se as gengivas apresentarem crescimento desordenado e anormal de massa celular, isso certamente é uma das causas do mau hálito. Tecnicamente, esse crescimento se chama Hiperplasia. Afinal, esse problema pode tanto acumular pus quanto reter pedaços de alimentos. A saliva, então, age sobre o local e produz fermentação, o que vai certamente apodrecer substâncias alimentares que eventualmente estiverem retidas.

Habituar-se à escovação diária é boa saída para evitar esse problema. Certo, dá trabalho, claro! Mas dá menos trabalho que levá-lo ao veterinário depois que o problema se instalar.

Ouvido

Talvez pareça realmente estranho, mas problemas nos ouvidos também produzem cheiros estranhos e ruins. Especialmente se houver infecção avançada e ainda mais com supuração (produção excessiva de pus). Aliás, isso pode ser efeito de ação de colônias de bactérias ou mesmo consumo desproporcional de levedura (fungos).

Por outro lado, ainda que os ouvidos estejam em excelentes condições, presença de cera envelhecida também resulta em odores. Nesse caso, não exatamente fétido, mas, ainda assim, desagradável.

Raças cujos cães são caracteristicamente peludos tendem a apresentar problemas nas orelhas. Dessa maneira, convém manter a área dos ouvidos sempre limpa, em especial as próprias orelhas. Em todo caso, consulte opinião veterinária.

Gases

Acúmulo de gases na câmara estomacal também produz odores desagradáveis. Certamente, seu cão não sabe reter o fluxo e soltá-lo em locais adequados. Assim, o odor vai se acumular, especialmente se o animal permanecer em ambiente fechado.

Dessa maneira, quanto menor o espaço de tempo entre uma emissão e outra, maiores são as chances de o cheiro impregnar os pelos do animal. Portanto – e quase com certeza – as pessoas vão confundir com cheiro corporal diretamente. Não deixe de visitar o veterinário a fim de buscar auxílio adequado.

Glândulas anais

A espécie canina dispõe de duas glândulas nas proximidades do ânus. Estas funcionam como emissores de cheiros característicos, normalmente captados apenas por outros caninos. Aliás, tais glândulas são responsáveis pelo aparentemente estranho comportamento dos cães ao se cheirarem mutuamente nessa região.

Havendo fatores orgânicos nocivos nessas glândulas, estas liberam secreção cujo fedor se torna quase insuportável. Essa secreção chega a se instalar na própria pela na região das ancas.

Então, uma das maneiras de identificar essa anomalia glandular é observando se o cão arrasta a traseira no chão com frequência. O incômodo é latente e insuportável e leva seu instinto a buscar meios de se livrar dele. Arrastar-se em superfície irregular é um dos meios. Se for o caso, procure um veterinário imediatamente.

Algumas raças de cachorros mais fedidos

Existem muitas raças tidas como cachorros mais fedidos.
Existem muitas raças tidas como cachorros mais fedidos.

Beagle

Essa raça foi criada para auxiliar o homem no momento da caça. Em algum momento da evolução genética, a pele do Beagle passou a apresentar oleosidade alarmante. Essa característica inclui o Beagle no rol de cachorros mais fedidos porque, se não higienizado com certa frequência, o óleo vai gerar cheiros bem ruins.

Se você tiver um indivíduo dessa raça, mas não dispuser de tempo para banhos constantes, procure pelo menos manter a área das enormes orelhas sempre limpa.

Buldogues

Dentes em desalinho é característica clara dessa raça. Essa condição leva à criação de tártaro e placa bacteriana em excesso, o que facilita acúmulo de bactérias. Com certeza, esse é um dos motivos para o mau hálito e consequente odor corporal do animal.

As dobras da carne torna o Buldogue inglês e o Buldogue francês raças de cachorros mais fedidos. É preciso manter o animal sempre higienizado. Isso é mais necessário ainda nas dobras da região traseira.

São Bernardo

Já tivemos oportunidade de mencionar aqui o São Bernardo como uma das raças de cachorros que babam. Como complemento, a baba é um dos motivos mais fortes para incluir a raça na lista dos cachorros mais fedidos.

O líquido se acumula nas dobras das carnes da região da boca. Ainda que ele se chacoalhe constantemente, restos permanecem no local e, com o tempo, geram mau cheiro.

Bloodhound

Bem, basta olhar uma foto desse cãozinho realmente fofo – “fofo” mesmo – para descobrir a origem de eventual mau cheiro. As orelhas longas são local ideal para infecção por bactérias e fungos.

Além disso, ele ainda apresenta dobrinhas minúsculas que requerem cuidados especiais. Elas podem conter excesso de óleo, que é outra característica dessa raça.

Pugs

O focinho curto, mas cheio de carne – e, portanto, de dobraduras -, é a característica que mais atrai nessa raça. Porém, tal característica também leva o Pug a compor o quadro de raças de cachorros mais fedidos.

Isso se dá porque restos de alimentos e de baba se instalam justamente nas dobras. Se essa região não passar por higiene com frequência, com certeza vai exalar fedor desestimulante.

A gente falou acima de glândulas anais. Os pugs precisam de atenção especial do proprietário quanto a isso. Sua genética o leva a ter irritação com certa frequência.

Cocker Spaniel inglês

Essa é outra raça com orelhas enormes. Tão grandes que chegam ao chão. E, pior, são realmente peludas. Nesse caso, o problema é ainda maior, pois, além de elas serem locais apropriados para instalação de colônias de bactérias, também recebem sujeira externa.

Outro fator que leva o Cocker a estar entre as raças de cachorros mais fedidos é ter sofrido o que se chama tecnicamente de endogamia (overbreeding). Trata-se de processo de cruzamento de indivíduos aparentados, ou seja, com semelhanças consanguíneas. Isso o torna sujeito a alergias alimentares e oleosidade dos pelos.

Raças de cachorros que não exalam odor

Da mesma forma que existem os cachorros mais fedidos, também temos os que não exalam odores.
Da mesma forma que existem os cachorros mais fedidos, também temos os que não exalam odores.

Entretanto, por mais que você ame cães, pode ser que não disponha de tempo – às vezes, nem paciência – para ter os cuidados necessários. Isso ocorreria com as raças mencionadas acima, as dos cachorros mais fedidos. Nesse caso, talvez você esteja procurando cães que não cheiram, ou seja, aqueles que estão bem longe da lista de cachorros mais fedidos.

Veja aqui algumas delas. Os três primeiros da lista abaixo são considerados “O Trio de Ouro” dos cães que não emitem cheiros.

Yorkshire Terriers

Essa é uma das raças constituídas exclusivamente para se manter no colo dos membros da famílias. Então, obviamente, uma das preocupações dos criadores foi justamente com odores.

Shih Tzu

Quando a essa raça foi desenvolvida, não se tinha ainda o conceito arquitetônico sobre apartamento. Porém, ela se constitui numa das melhores raças para esse tipo de residência. É pequena, carinhosa, brincalhona, amável. E, o mais importante, não exala odores.

Havanês

O Havanês fecha a trinca “Trio de Ouro” acima mencionada. A raça é perfeita para viver em pequenos espaços. Por isso, durante o desenvolvimento dela, procurou-se anular qualquer possibilidade de emissão de cheiros.

Kerry blue terrier

Essa raça é muito famosa por sua aparência exótica. Seu pelo é espesso e apresenta simpáticos cachos. Por isso, quase não perde pelagem. Além disso, o melhor de tudo é que não exala qualquer tipo de cheiro, ou seja, de forma alguma deve compor as raças dos cachorros mais fedidos.

Bichon Frise

Além de não exalar odor algum, essa raça é muito querida por residentes de pequenos espaços porque não solta pelo.

Há ainda outras raças que não cheiram. É o caso de:

Os cachorros mais fedidos são, ainda assim, cachorros

Eles existem. Portanto, são passíveis de carinho, atenção e cuidados. Certamente, sendo você uma admirador de animais, reconhece que os benefícios que os cães nos oferecem são em quantidade muito maior que o trabalho que dão, ainda que sejam dos cachorros mais fedidos.

Portanto, procure fazer parte do rol de pessoas que fazem de tudo para o bem-estar animal. Participe de movimentos virtuais aponha sua assinatura em abaixo-assinados em defesa de seus direitos, discuta com amigos.

E, tendo ainda qualquer outra dúvida sobre raça de cachorros mais fedidos, deixe-a na área de comentários abaixo.

Categorias
Cuidados & Higiene

Comedouros e bebedouros: o certo e o errado

A gente já teve oportunidade para notar seu afeto e respeito por seu pet, seja ele cão ou gato. Os comentários que os leitores deixaram nos artigos são prova disso. A aquisição de utensílios, como comedouros e bebedouros, é demonstração desse carinho. Ocorre que você deve ter algum conhecido ou vizinho que, infelizmente, se deixaram levar por ondas de adoção. Então, adquiriu um pet sem preparo de ambiente e de conhecimento.

Ele é daqueles que imagina que é oferecer ração e local para dormir é o suficiente; que cães e gatos são simples animais e assim devem ser tratados; que podem brincar sozinhos e que não há problemas em se alimentar em qualquer lugar. Bem, o pet não vai reclamar disso – pelo menos não diretamente para ele. Entretanto, todo tratamento que os pets recebem se reflete na relação com seu dono.

E no comportamento.

E na saúde.

Nesse caso, você, que aprecia e adora animais, pode ajudar seu conhecido. Faça-o compreender que o bem-estar dos pets é tão importante quanto o bem-estar dele. Assim, não se pode sair adquirindo utensílios sem obter informações a respeito. Às vezes, após a compra, fica difícil se desfazer de um produto mesmo que ele seja ineficaz. Então, vai-se dando um jeitinho, fazendo-se uma gambiarrazinha aqui e outra lá.

Dessa maneira, o animal o animal fica tão desconfortável a ponto de ter problemas diversos. Inclusive comportamentais.

Uma das providências que seu vizinho ou conhecido pode tomar é justamente adquirir comedouros e bebedouros adequados. Ele vai saber porque neste artigo. Aliás, ao fim, há um artigo bônus complementar sobre uma iniciativa fantástica relacionada a comedouros e bebedouros para pets.

Comedouros e bebedouros são mesmo importantes?

Comedouros e bebedouros são fundamentais para os cachorros e gatos.
Comedouros e bebedouros são fundamentais para os cachorros e gatos.

Veterinários, biólogos e proprietários experientes são unânimes: sim, são importantes. Há motivos claros para essa importância e outros antevistos apenas por especialistas. Veja agora alguns deles.

Promove ato de carinho

A gente também já teve chance de comentar aqui sobre a sensibilidade dos pets em relação à postura de seus donos. Eles pressentem estados emocionais que até mesmo os próprios donos ignoram sobre si mesmos. São conhecidos os casos, por exemplo, em que pets antevêem crises de depressão ou epilepsia nos humanos mais próximos.

Bem, comedouros e bebedouros manuais possibilitam momentos de afagos, de atenção e de proximidade entre humanos e animais. Não raro, os donos acariciam seus animais, brincam com eles, demonstram afeição quando os alimentam.

Além disso, é sabido que alimento é elemento na constituição psicológica humana e cerebral animal. Não à toa, animais selvagens disputam alimentos, matam rivais, atacam quando famintos. Por aí, já se pode ter noção de como o ato de se alimentar é forte na percepção animal.

Manutenção e cuidados

Os comedouros e bebedouros precisam de cuidados e manutenção diária.
Os comedouros e bebedouros precisam de cuidados e manutenção diária.

Todo objeto que tenha contato com seu pet – como brinquedos – deve passar por inspeção e manutenção. Comedouros e bebedouros são os que mais precisam dessa preocupação, pois têm contato direto com o organismo do animal.

Veja como se faz isso.

Abastecimento

No caso dos bebedouros, precisam estar sempre cheios. Entretanto, a água deve ser substituída constantemente. Como os comedouros e bebedouros permanecem expostos – às vezes até mesmo no quintal -, estão sujeitos a acúmulo de bactérias e outros micro-organismos. Isso pode acarretar terríveis problemas.

Quanto a comedouros, a preocupação deve ser a mesma, ainda que o objeto seja do tipo automático (a gente fala mais sobre bebedouros automáticos logo abaixo). Se o animal deixou restos de ração ou comida no comedouro, elimine. Sujeiras diversas podem se acumular até a vez seguinte em que ele procurar o comedouro.

Aliás, especialmente por ser automático, a tendência é que os proprietários descuidem um pouco da manutenção e inspeção. É preciso atenção redobrada. Avalie constantemente se a ração armazenada no depósito do aparelho não contém carunchos ou vestígio de bolor.

Tipo de material

É importante que se avalie bem o tipo de material de que são feitos os comedouros e bebedouros. Dependendo dele, o pet adquire irritação na pele do queixo e problemas estomacais. Isso ocorre normalmente com material plástico.

Assim, quando você oferecer vasilha nova para seu pet, vistorie seu comportamento durante os dias seguintes. Observe se ele permanece coçando a região do queixo com insistência. Ainda que não coce, pode começar a perder pelos nessa região ou em outra do corpo.

Ainda, observe se as fezes estão consistentes e a quantidade de vezes que ele evacua. Alumínio ou massa porosa (como cerâmica) revestida de material embelezante pode acarretar alguns problemas.

A maioria dos criadores opta por aço inoxidável pela praticidade na hora de lavar e pela durabilidade. Entretanto, pode ser que o organismo de seu pet rejeite o contato da ração com esse material. Se a ração permanece muito tempo depositada no comedouro, isso pode acontecer.

Altura

Um fator importante quanto a comedouros e bebedouros é a altura que você os dispõe. Assim como crianças, animais não têm noção de posições desconfortáveis e, portanto, não reclamam. Porém, potes muito altos dificultam engolimento e potes muito baixos causam problemas na estrutura óssea.

Avalie bem a altura ideal do pote em relação ao porte de seu pet. Se necessário e possível, consulte um veterinário.

Afixados ou pesados

Ainda que seu pet tenha porte pequeno, é interessante afixar os comedouros e bebedouros no chão ou na parede. Há modelos com material antiderrapante que, aliás, são um pouco mais caros.

Ou, pelo menos, que ele seja pesado. Ele pode confundir com brinquedo e brincar de empurrar. Ainda, conforme vai se alimentando, o pote sai do lugar. Assim vai ter dificuldades para se alimentar. Nesse caso, é até possível que diminua o tempo de alimentação.

Tipos de comedouros e bebedouros para pets

Existem comedouros e bebedouros manuais e automáticos.
Existem comedouros e bebedouros manuais e automáticos.

O mercado dispõe de dois tipos básicos de comedouros e bebedouros para pets: automáticos e manuais. A diferença maior entre ambos é evidente, claro. Entretanto, em determinadas ocasiões, um detém vantagens sobre o outro e vice-versa. (Aliás, talvez seja isso que seu vizinho ou conhecido precisam saber.)

Comedouros e bebedouros manuais

Bem, comedouros e bebedouros manuais são menos práticos, claro. Entretanto, para muitos especialistas, apresentam uma grande vantagens sobre os automáticos. E a mais forte vantagem é um dos motivos menos evidentes que a gente mencionou na primeira parte deste artigo, aqueles antevistos apenas por especialistas. Ou seja: a questão do carinho e afeto demonstrados no ato de alimentar.

Atenção ao tamanho

Eis uma questão importante que resvala justamente na percepção humana sobre o animal. Como a gente comenta abaixo no capítulo de comedouros automáticos (veja lá), não é fácil identificar a quantidade ideal de ração ou água. Então, há possibilidade de contrair distúrbios diversos, de gástricos a comportamentais, por conta de falta ou excesso de alimento.

Consulte o veterinário. Ele é o profissional adequado para mensurar a quantidade de carboidratos e proteínas ideal para seu animal. Isso ocorre porque a raça, a idade, o porte e biotipo animais indicam a quantidade certa. Nesse caso, inclusive, o veterinário decide o melhor tipo de comedouro e bebedouro.

Comedouros e bebedouros com figuras? Pra quê?

Questão de estratégia psicológica, segundo os especialistas. Há animais que não controlam a ansiedade na hora de comer. Engolem o alimento desesperadamente. Nesses casos, as figurinhas impressas nos comedouros ou bebedouros ajudam a distrair e, assim, eles ingerem menos ávidos.

E quanto aos braquicefálicos e orelhudos?

O nome é estranho, mas você já viu vários por aí. Trata-se de cães e gatos cuja raça apresenta focinhos achatados, como os Shih Tzu e Buldogues. Além de problemas estruturais diversos, eles têm dificuldades para abocanhar alimentos que estejam em potes muito fundos.

Mas, veja: há também as raças com orelhas grandes. Potes muito grandes, ainda que rasos, acomodam as orelhas junto com o alimento. Assim, correm risco de engolir pelos e outros resíduos.

Atente-se a isso, então.

Comedouros e bebedouros automáticos

Diversos donos de pets alegam que têm muita dificuldade em reconhecer a quantidade de ração a oferecer. Ainda que as embalagens disponham de informações, trata-se de médias, de bases. E todos sabemos que animais têm individualidade. Portanto, têm também necessidades particulares.

Ou seja: a quantidade de ração pode ser ideal para um e não ser para outro, ainda que ambos sejam da mesma raça. Então, como resolver essa equação? Pela matemática não dá; pela Biologia também não. Somente a percepção, o feeling do proprietário é capaz de ter uma noção.

Entretanto, essa percepção também pode falhar em algumas ocasiões. Os pets podem contrair problemas de saúde por excesso ou falta de ração, por beber menos água que o aconselhável. Obesidade e distúrbios renais são alguns exemplos.

Nesses casos, comedouros e bebedouros automáticos são ideais. Contudo, caso opte pelo automático, convém que seja o tipo programável (veja mais abaixo). Caso contrário, o alimento permanece à disposição e, com certeza, seu pet não vai aprender a dosar.

Bebedouros automáticos não programáveis

Por outro lado, o bebedouro pode não ser programável. É mesmo o ideal, dizem os veterinários. Ao contrário de alimentos sólidos, o pet não exagera no consumo de água. E todos sabemos que água em abundância favorece o trabalho dos rins.

Mas se lembre de que a água não deve permanecer muito tempo parada por conta de acúmulo de sujeira. E, em tempos de Aedes Aegypti, é questão de cidadania.

Quantidade e vezes ideais

Comedouros e bebedouros automáticos permitem que você programe a quantidade certa no número de vezes ideal. Sabe-se que algumas raças de filhotes de cães e gatos precisam comer pouco por 03 vezes ao dia; outras raças, menos vezes em quantidade maior.

Comedouros e bebedouros automáticos “soltam” ração e água na quantidade que você determina.

Controle de diabetes

Veterinários aconselham uso de comedouros e bebedouros automáticos no caso de cães diabéticos. Como se sabe, essa doença interfere muito no apetite do animal. Ele pode ou comer em demasia ou não se alimentar bem. Assim, você programa quantidade de vezes que o aparelho deixa a ração e água disponíveis.

Não é apenas para ração

Pelo menos não no sentido habitual da palavra “ração” (sabe-se que “ração” é qualquer quantidade diária de alimento). Ou seja, não é apenas para ração industrial. Há modelos que aceitam qualquer tipo de alimento, de frutas a alimentos menos consistentes.

Artigo bônus: veja que legal

Os comedouros e bebedouros comunitários são para todos.
Os comedouros e bebedouros comunitários são para todos.

O carinho, o amor e o respeito que muitos seres humanos demonstram por animais em geral não têm limites – ao contrário daquele seu vizinho ou conhecido. E isso é fantástico!

Sociólogos e antropólogos argumentam que determinadas ações individuais vão moldando a sociedade em geral. Sendo isso verdade, a administradora Caroline Marri, uma jovem de 25 anos de Belo Horizonte – MG, está fazendo a sua parte desde 2017.

Ela é proprietária de alguns pets. Porém, sempre se mostrou incomodada com a diferença de tratamento eles têm por parte de sua família em comparação com a vida de cães de rua abandonados. Via o estado deplorável dos animaizinhos e se sentia inativa. Então, com a impossibilidade de levar todos para o apartamento em que mora, resolveu tomar uma atitude.

Comedouros e bebedouros para todos

Idealizou o que chamou de comedouro coletivo. Assim, acoplou pedaços de canos a outras peças, como “cotovelos” e “tês” – tudo em PVC – e construiu o equipamento.

Um cano vertical serve de depósito; a ração se armazena na curva logo abaixo. Quando um animal de rua come certa quantidade, ela é reposta pelas leis da Física, ou seja, a ração depositada no cano vertical desce até a curva.

Ela instalou-o em frente à casa do sogro, de forma que ficasse à disposição dos animais de rua. Tendo mais tempo por ser aposentado, o homem mantém os comedouros e bebedouros limpos e abastecidos.

Isso significa que, além de propiciar bem-estar físico aos animais, ainda propicia bem-estar emocional ao sogro, que se mantém ocupado e útil. E o mesmo acontece com as pessoas que transitam pelo local.

Frutos e respostas

Como prova da ideia dos sociólogos e antropólogos mencionada acima, a iniciativa de Caroline frutificou. Milhares de pessoas comentaram o fato em redes sociais e outros “anjos da guarda animal” dizem que vão replicar a ideia na região.

Para usar a ideia de uns memes em redes sociais, são “humanos fazendo humanices”. Mostre este artigo a seu vizinho ou conhecido que não tem consciência sobre a importância dos animais na vida dos humanos.

A gente não pode encerrar este artigo sem lembrar novamente que toda iniciativa que envolva saúde e bem-estar animais precisa ser vistoriada e acompanhada por veterinários. Então, antes de adquirir comedouros e bebedouros para seu pet, peça opinião de um profissional competente.

E, se tiver mais dúvidas ou sugestões sobre comedouros e bebedouros para pets, deixa nos campos de comentários logo abaixo.

Categorias
Cuidados & Higiene

Tapete higiênico: tudo o que você precisa saber

Animais domésticos são mais que animais domésticos para quem realmente os aprecia e ama. Assim, providenciar bem-estar físico e emocional para eles é, antes de obrigação, um prazer. Quando você instala tapete higiênico em sua casa, está demonstrando respeito e afeto por seu cãozinho ou gatinho. E eles reconhecem esse gesto e devolvem em dobro.

Porém, por mais que seu afeto se manifeste em aquisição de utensílios apropriados, é importante conhecer detalhes dos objetos. Dessa maneira, tanto o ambiente se beneficia quanto a família se sente melhor, além de promover efetividade para o animalzinho.

Afinal, pergunta-se: quem possui um animal doméstico e jamais passou por inconveniências em relação às necessidades fisiológicas deles? Todos, certamente. E a coisa em si é mais constrangedora quando em duas ocasiões específicas: quando há visitas em casa e quando o pet está com algum desarranjo intestinal.

É, portanto, nessas situações que o tapete higiênico mais apresenta sua eficácia. É quando você reconhece que o preço pago por ele – aliás, baixo em relação ao benefício – é altamente compensador.

Por outro lado, quem mora em apartamento já conhece a efetividade do tapete higiênico. Nem é preciso destacar aqui, pois, nesses casos, o animal não tem espaço adequado para suas necessidades. Além disso, mesmo que você resida em casa térrea, há a questão de dias chuvosos. Nesse contexto, tapete higiênico é grande auxiliar.

E, anda, por mais que você conheça os hábitos de seu pet, qualquer organismo vivo tem lá seus momentos de descontrole, não é? Faça chuva ou faça sol.

Por que adquirir tapete higiênico afinal

O tapete higiênico é uma forma de ensinar o seu animal a fazer as suas necessidades em local específico.
O tapete higiênico é uma forma de ensinar o seu animal a fazer as suas necessidades em local específico.

De uma ou de outra forma, animais domésticos mantêm determinadas características de seus ancestrais. E seus ancestrais eram silvestres, claro. Entretanto, o constante contato com seres humanos ao longo dos milênios tem introduzido novas histórias na genética animal. Nem sempre elas foram (ou são) boas.

O porquê científico do uso

Há anos, a ciência estuda as questões da memória genética. E não apenas referente a animais, mas igualmente a vegetais. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa tem desenvolvido estudos surpreendentes nesse campo.

Assim, por mais educadinho que seu pet seja, ele mantém determinadas instruções genéticas ainda latentes em seu DNA. Em algum momento, elas podem se manifestar e induzir comportamento inadequado. Isso se dá porque, assim como acontece com humanos, animais também têm individualidade.

Dessa forma, um animal pode se educar mais lentamente que outro, pode aprender determinadas ações mais rapidamente que outro. Conhecer a personalidade de seu animal é o primeiro passo para respeitá-lo.

Assim, seu animal pode não descobrir que o ideal é fazer xixi e cocô no banheiro. Há casos de animais que aprendem a usar até mesmo o vaso e – pasme – a descarga sanitários. Mas isso não é, digamos, comum.

Então, o ideal é você adaptar determinadas condições a seu animal. O uso de tapete sanitário é uma dessas situações.

O porquê biológico do uso

Por outro lado, há a questão da saúde animal. Via de regra, a versão doméstica do tapete higiênico é folha de jornal ou revistas e até mesmo sacos plásticos. Todavia, tais versões produzem efeitos diversos.

Não são raros casos de animais que desenvolvem alergia a tintas de impressão dos jornais. Indústrias de tintas aplicam os mais diversos elementos químicos nelas. Boa parte deles acaba gerando irritação na pele animal ou mesmo alteração no comportamento.

Como se sabe, o olfato canino e felino é altamente sensível. O cheiro da tinta incomoda muito. Então, isso se torna questão de saúde animal.

A mesma preocupação pode ser levada quanto a uso de sacos plásticos. E, nesse caso, ainda há a possibilidade de o animal rasgar e engolir pedaços. Com toda certeza, isso vai acarretar problemas terríveis em algum momento.

Conheça detalhes para optar pelo mais adequado

Tapete higiêncio não é o mesmoq ue a fralda individual.
Tapete higiêncio não é o mesmoq ue a fralda individual.

Muita gente confunde tapete higiênico com fralda individual. Esta é necessária apenas durante período de tratamento médico ou quando o animal apresenta alguma disfunção permanente no sistema excretor.

Tapete higiênico é também conhecido por manta sanitária, tapete sanitário, manta higiênica, privadinha de pets. Dependendo da região em que você está, pode haver outros nomes mais.

O conceito de tapete higiênico é, em si, simples. Trata-se de objeto absorvente que retém líquidos. Assim, qualquer substância líquida que entre em contato com ele é tragada com apoio da Física, já que a tendência de tudo é “descer”. Entretanto e certamente, seu animalzinho não conhece esse conceito – se conhecesse, seria verdadeiro fenômeno, não é mesmo?

Veja abaixo o capítulo sobre como instruir seu animalzinho a usar a peça.

Interessante: você, com certeza, descobriria isso facilmente, mas a gente adianta. É possível até mesmo prender o tapete higiênico na esquina do chão com a parede. Assim, o instinto do pet macho de levantar a pata traseira é preservado.

Há tapetes higiênicos muito diferente entre si. Tamanhos, formas, texturas, cores etc. podem ser meios de atrair seu animalzinho. Para você ter uma ideia, há até mesmo modelos que vêm com pequenos postes ou formas de hidrantes. Assim, os machinhos vão urinar com a patinha levantada.

Tipos de tapete higiênico

Há dois tipos de tapete higiênico.
Há dois tipos de tapete higiênico.

Eles são comercializados em duas versões: descartáveis ou laváveis. Você vai optar pelo que seja mais adequado às condições de sua casa. Porém, saiba que ambas apresentam vantagens e desvantagens. Vamos ver as características agora.

Antes, tanto descartáveis quanto laváveis devem ser protegidos de sol e chuva no caso de serem instalados fora de casa. E bem presos ao chão. Assim, o pet não vai confundir com brinquedos.

Descartáveis, vantagens e desvantagens

Certamente são mais práticos e ideias para residências com pouco espaço. Quando cheios, você simplesmente os dobra e deposita no recipiente de resíduos. Em princípio, a coisa constrangedora estaria resolvida. Porém, para quem tem consciência ecológica, não está nada resolvido.

A mecânica de eficiência é muito parecida com as fraldas infantis ou para idosos. Uma camada de gel retém a urina. Muitos modelos ainda possuem elementos químicos misturados ao gel que ou disfarça ou elimina odores.

Outra vantagem é que o processo de absorção evita que as patinhas se molhem na urina. Se isso ocorrer, ele com certeza vai levar parte dessa urina pela casa enquanto caminha. Obviamente você não vai gostar disso.

Além disso, dispõem ainda de pontos colantes que os mantêm fixados no solo. Assim, por mais que seu animalzinho seja agitado, o tapete higiênico não se solta. Mas especialistas garantem que é ideal que você os troque todos os dias. Se necessário, mais vezes em virtude da quantidade urina e fezes. Essa providência evita acúmulo de bactérias e, claro, insetos.

Normalmente, os pacotes contêm quantidade suficiente para um mês de uso. Há dezenas de marcas à disposição.

A desvantagem é justamente quanto à proteção ao meio ambiente, que é uma das preocupações que todo proprietário de animal tem. Afinal, animal é natureza; natureza é meio ambiente; meio ambiente tem sido maltratado por muitos.

Ocorre que o descarte dos tapetes pode produzir efeitos nocivos à natureza. Em municípios que não dispõem de controle de resíduos sólidos, os tapetes acabam chegando a lixões que, via de regra, estão a céu aberto. Dessa maneira, compõem o conjunto de resíduos que agridem a região.

Laváveis, vantagens e desvantagens

São normalmente feitos de duas placas poliuretano endurecido sobrepostas. A primeira placa é transpassada por furos em toda a extensão; a de baixo, não. Assim, a urina é retira na parte inferior para ser eliminada posteriormente.

Há modelos com apenas a placa superior, vazada. São usados sobre folhas de jornal, que ficam presas embaixo. Porém, esses modelos não evitam cheiros de urina nem trabalho para a família.

Alguns donos de pets alegam que o tapete higiênico lavável é mais adequado a animais de porte médio e grande. De certa forma, eles têm mais facilidade de reconhecer o local ideal para suas necessidades.

Muitos modelos são oferecidos com aparência e textura de grama. Isso produz excelente efeito sobre o animal. Ele é atraído pelo visual, pois este simula ambiente externo. De certa forma, isso facilita muito a habituação do uso.

Essa versão de tapetes higiênico deve ser lavada constantemente. Obviamente, a embalagem leva instruções para isso. Porém, a boa maioria dos proprietários prefere fazê-lo sempre que o pet o usa. Dizem que, assim, o animal tem maior propensão a se habituar.

Quanto à desvantagem, é justamente pelo fato de precisar lavar sempre. Ainda, escolher local adequado para preservar a qualidade do tapete higiênico.

Como instruir o pet a usar

É preciso paciência e muita consistência para introduzir o tapete higiênico.
É preciso paciência e muita consistência para introduzir o tapete higiênico.

Antes de começar a ensinar seu pet a usar o tapete higiênico, você precisa atentar para o seguinte: nem cães nem gatos fazem suas necessidades em locais próximos onde se alimentam ou dormem. Esse comportamento é efeito ainda da tal memória genética de que a gente falou acima.

Os ancestrais desses animais viviam em áreas abertas certamente. Assim, caçavam em determinada região, dormiam em outra e se alimentavam em local mais distante. Por conta da sensibilidade olfativa, mantinham restos de suas presas bem longes. Esse hábito se estendeu a seus excrementos.

É por isso que fabricantes e criadores experientes aconselham troca diária de tapete higiênico descartável ou lavagem constante dos não descartáveis. Seu animalzinho vai ficar satisfeito e, assim, buscar o tapete higiênico sempre que houver necessidade.

Além disso, o próprio gel dos tapetes higiênicos contém aroma agradável ao olfato animal. Dessa maneira, eles vão ser atraídos para o local sempre.

Sempre no mesmo lugar

Pets – de qualquer espécie – precisam de ações repetidas para assimilá-las. Portanto, mantenha o tapete higiênico no mesmo local. Assim, antes de escolher o lugar, avalie bem se não há condições desfavoráveis, como sol, chuva, queda de objetos.

Estratégia de premiação

Faça o seguinte teste para notar bem a importância do elogio e a premiação para seu animal: segure sua cabeça; fite-o por alguns segundos sem sorrir; sorria de repente. É muito grande a chance de ele reagir ao sorriso.

Comprove também esse fato quando você muda o tom de voz ao dar bronca. Isso significa que os pets têm enorme facilidade de avaliar seu comportamento. Portanto, sempre que seu pet fizer suas necessidades no tapete higiênico, elogie, brinque, faça carinhos, fale alegremente com ele.

Em princípio, você vai imaginar que ele não entende isso. Porém, vai notar que a adaptação ao tapete higiênico é bem fácil. O processo é razoavelmente simples: pets têm grande satisfação em causar alegria a seus donos. Ele associa sua alegria ao tapete higiênico. Assim, se esforça para oferecer alegria a você.

Entretanto, faça isso sempre muito próximo ao tapete higiênico e apontando para ele. A associação se dá dessa maneira.

Broncas e castigos

Nem mesmo humanos alteram comportamento de maneira fácil. É preciso certo tempo. Com os animais, esse tempo pode ser um pouco mais estendido.

Assim, jamais bronqueie ou castigue caso ele apresente alguma resistência ao uso do tapete higiênico. Como foi dito acima, ele tem prazer em alegrar seus donos. Broncas, castigos, mal-estar são também associados ao objeto. Portanto, ele vai querer distância.

Além disso, o pet pode “pensar” que a tristeza de seu dono é porque ele faz necessidades. Então, pode querer prender seus excrementos e, assim, vai causar danos no sistema excretor. Se não prender, vai procurar lugar escondido para fazer suas necessidades, de forma que o dono não veja.

E, normalmente, esses “lugares escondidos” são tapetes felpudos ou com fios longos. Assim, acham que podem ocultar urina e fezes.

Outras dicas legais

Além de considerar que os pets não excretam longe de seus locais de repouso e alimentação, há outro fato importante a conhecer. O organismo animal é normalmente regular, ou seja, habitua-se a excretar em determinados momentos.

Cães de grande porte, por exemplo, excretam por volta de 30 a 40 minutos após as refeições. E urinam ao amanhecer ou logo após ingestão de água. Já os filhotes e cães de porte pequeno urinam diversas vezes por dia. Assim, habitue-se você também a levá-lo ao tapete higiênico nessas ocasiões.

Certamente isso não é regra. Portanto, observe o comportamento de seu animal e descubra os momentos certos em que ele excreta. Poucos dias são suficientes para você identificá-los.

Outra estratégia legal é usar produtos que imitam levemente o cheiro da urina animal. Você goteja sobre o tapete. Aos poucos, o pet vai identificar o local como o ideal para fazer xixi.

Então é isso! O uso de tapete higiênico apresenta muito mais vantagens que desvantagens, como foi visto. Representa conforto, segurança e bem-estar físico e emocional tanto para os animais quanto para a família proprietária como um todo.

Se você tiver sugestões ou dúvidas, deixe na área de comentários abaixo. Nossos leitores gostariam muito de conhecer as impressões que você tem sobre tapete higiênico.