Categorias
Comportamento & Personalidade

Escritório petfriendly: Cachorro no trabalho é nova tendência das startups

Quem trabalha em escritório sabe quanto o dia a dia pode ser cansativo e desgastante. A pressão no trabalho pode ser, sem dúvida, muito estressante para grande parte da população. No entanto, uma nova tendência promete melhorar o ambiente profissional: “escritório petfriendly”.

Trata-se de uma tendência que está sendo adotada por muitas empresas, ou seja, um local no qual os animais são bem vindos!

O convívio com animais no ambiente de trabalho pode, de fato, trazer muitos benefícios aos funcionários. Veja quais são eles abaixo!

Escritório Pet Friendly – quais são as vantagens?

gato em cima da mesa em escritório petfriendly
Há muitas vnatagens em tornar o seu escritório petfriendly

Que animais de estimação  promovem inúmeros benefícios aos humanos não é uma novidade. No entanto, a novidade é que essa informação está ganhando cada vez mais importância e espaço. Veja alguns bons motivos para transformar o ambiente de trabalho em um escritório pet friendly.

Melhora do humor no escritório

A presença de animais de estimação melhora o humor das pessoas. Estudos mostraram que ter um animal de estimação pode diminuir os sintomas da depressão e ajuda a manter uma visão otimista.

Reduz o estresse

Fazer carinho em um animal de estimação aumenta nossos níveis de ocitocina. Esse hormônio exerce importantes funções no organismo e nas sensações de prazer e afeto. Por esse motivo, também é conhecido como o “hormônio do amor”.

Junto com a dopamina, a serotonina e a endorfina, a ocitocina faz parte do grupo chamado de “neurotransmissores da felicidade”. Eles possuem a função de aumentar as sensações de bem-estar e diminuir estresse, ansiedade e melhorar quadros depressivos.

Além disso, é provável que na presença de um animal as pessoas se sintam mais propensas a fazer brincadeiras, o que consequentemente melhora o clima no ambiente.

Melhora o ambiente de trabalho

A Universidade Central de Michigan divulgou um estudo mostrando que os cães no escritório resultaram em maior confiança e colaboração entre colegas de trabalho.

Muitas vezes a presença do pet pode ser um excelente ‘quebra gelo’. Eles são, de fato, excelentes facilitadores de conversas que, sem eles, poderiam nunca acontecer.

Aumenta a criatividade e produtividade

Estudos demonstraram que ter animais de estimação no escritório também pode ajudar a tornar os funcionários mais criativos e produtivos, tendo um efeito calmante no corpo e na mente das pessoas, reduzindo a pressão arterial e ajudando as pessoas a se concentrarem melhor.

Atrai mais funcionários

Para atrair e reter membros da sua equipe, uma política de escritório que aceite animais de estimação pode ajudar.

Escritório Pet Friendly no mundo

cachorro de óculo sobre livro da mesa de escritório petfriendly
Os EUA foi pioneiro na tendência de escritório petfriendly

Os Estados Unidos foram o país pioneiro no desenvolvimento desta prática. De fato, muitas empresas começaram a permitir que funcionários tutores de cães pudessem levar seus filhos de quatro patas ao trabalho. Desse modo os cães não ficam sozinhos em casa enquanto seus donos trabalham e seus donos não ficam preocupados com seus pets.

Grandes empresas americanas, como a Amazon, o Google e a Ben & Jerry’s permitem que seus empregados levem seus cães para o escritório durante todo o ano. Porém, esta não é uma prática comum em pequenas empresas.

Escritório Pet Friendly no Brasil

No Brasil a prática de levar o próprio cachorro ao escritório ainda não é tão difundida e comum. Algumas grandes empresas, no entanto, já dão essa opção aos próprios funcionários. Entre elas, estão a Royal Canin, Google Brasil.

O que é necessário para tornar o escritório Pet Friendly?

cachorro deitado no chão ao pé da cadeira em escritório petfriendly
São precisos alguns itens básicos para tornar o escritório petfriendly.

Para oque um escritório se torne apto a receber animais de estimação são necessários alguns ítens básicos como: adequação estrutural, regras e disciplina.

O local deve possuir um espaço mínimo e regras de bom convívio para evitar acidentes, além de obedecer as normas do condomínio, caso o ambiente seja em um edifício corporativo, por exemplo.

Além disso, é recomendável que todos os animais sejam devidamente vermifugados e vacinados.

Cada empresa, todavia, tem uma regra própria. Há empresas que adotam o pet day, ou seja, é eleito um dia da semana para os funcionários levarem os seus animais de estimação, outras possuem o mascote da empresa, por exemplo.

O que levar a um escritório pet friendly?

gato em cima da mesa de escritório petfriendly
Você deve proporcionar algumas coisas para manter o animal em ambiente de escritório petfriendly.

Levar um cachorro ao local de trabalho requer alguns cuidados. Entre eles, espera-se que cada tutor leve um kit de itens essenciais para um convívio saudável.

Itens de higiene e limpeza

É importante levar sacolinhas, tapete higiênico ou jornal para contornar acidentes e manter o ambiente de trabalho limpo.

Alimentação

Cada tutor tem uma forma de cuidar do próprio cachorro. Funcionários que alimentam seus cães mais vezes ao dia, devem levar a ração de costume para alimentar o cachorro no horário de costume ou quando esse tiver fome. Por isso, é recomendado levar o potinho de comida e um de água.

Brinquedos

É importante que o cachorro fique entretido durante o dia. De fato, é um ambiente de trabalho, e para que dê certo, as pessoas precisam manter o foco e, infelizmente, não podem brincar o dia todo com o pet. Assim, levar algum brinquedo para que o cachorro possa se distrair, é uma ótima opção.

Caminha

Pode ser útil levar uma caminha para que ele fique confortável durante o horário de trabalho do tutor. Há, no mercado, diferentes modelos de colchonetes fáceis de dobrar e transportar.

Coleira e guia

Coleias e guias são itens essenciais sempre. Tanto para andar na rua, quanto para levar seu cachorro ao escritório. Além de garantirem a segurança ao cachorro e, eventualmente, a outros animais de estimação, é provável que o condomínio exija que o cão circule pelo prédio desta forma.

Diferença entre Pet Friendly e Animais de Assistência

Ter um escritório que aceita animais de estimação não é o mesmo que ter membros da equipe com animais de assistência. Isso porque os cães de serviço são treinados para executar uma tarefa específica para ajudar o proprietário com uma deficiência ou problema emocional e são legalmente permitidos em locais onde o seu cão de estimação não é comum.

Os tipos de cães de serviço que podem ser vistos com maior frequência em locais de trabalho incluem cães guia, audição, assistência à mobilidade, serviço psiquiátrico, alerta de diabetes ou convulsões e, finalmente, cães com detecção de alergias.

 

Categorias
Comportamento & Personalidade

Depressão canina: como detectar e ajudar no tratamento

Infelizmente, a depressão atinge também os pets. A depressão canina está cada vez mais frequente.

A doença pode aparecer por diversos motivos. No caso dos cães, pode ser provocada por uma mudança de casa, país, família, perda de um ente querido ou até mesmo chegada de um novo membro na família. Além disso, a depressão pode ser um sintoma secundário a alguma outra doença no animal.

Entenda o que é depressão, como reconhece-la e como ajudar seu cachorro da melhor forma possível.

Depressão Canina

A depressão em pessoas é considerada, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como o “Mal do Século”. No sentido patológico, há presença de tristeza, pessimismo, baixa auto-estima, que aparecem com freqüência e podem combinar-se entre si. A doença provoca ainda ausência de prazer em coisas que antes faziam bem e grande oscilação de humor e pensamentos, que podem culminar em comportamentos e atos suicidas.

Ninguém sabe ao certo se o mecanismo da depressão canina é igual ao mecanismo da depressão em pessoas.

As pessoas possuem capacidade de explicar o que estão vivenciando e, através do auxilio de um profissional, podem informar e explorar os aspectos físicos da depressão. No entanto, quando se trata de nossos companheiros caninos, estamos limitados a nossas observações de comportamento para determinar o que está acontecendo, e isso pode ser bastante complicado.

É possível comparar a depressão canina e a humana?

Em humanos, a depressão clínica é dividida em uma variedade de tipos. Em um trabalho de 1995, o psiquiatra Antonio Carlos de Oliveira Corrêa explicita que as escalas psiquiátricas europeias dividem as depressões em quatro grupos: genética ou endógena; depressão situacional ou sociógena, depressão psicógena ou neurótica, depressão somatógena ou sintomática.

Pessoas que sofrem de depressão generalizada muitas vezes compartilham que seus sintomas podem ocorrer mesmo quando nada aparentemente errado está acontecendo em suas vidas.

O diagnóstico envolve, portanto, falar com o paciente e obter uma história envolvida. Porque a depressão a este respeito refere-se a um estado de espírito como percebido pelo paciente, diagnosticar depressão clínica em cães seria um verdadeiro desafio.

De um modo geral, quando falamos de um cão deprimido, nos referimos a um cão que está exibindo uma mudança no comportamento que se manifesta como uma diminuição do interesse em atividades normais ou uma mudança na interação com sua família.

As caminhadas, portanto, não são mais a atividade indutora do pulo do dia, a comida não parece tão boa, a chegada dos tutores em casa não garante mais manifestações de alegria.

Como diagnosticar a depressão canina

Antes de pensar em depressão canina, no entanto, é importante excluir outros problemas que podem estar ocorrendo com o animal. De fato, quando ocorrem determinadas mudanças comportamentais, podem estar associados a alguma condição médica.

Por exemplo, um idoso com artrite estará menos interessado em caminhadas, não porque elas não sejam divertidas, mas porque elas provocam mais dor. Da mesma forma, um cão com doença renal estará menos interessado em comida, não porque já não cheira bem, mas porque sente náusea quando come.

Por esse motivo, é primordial uma consulta ao médico veterinário assim que o cachorro começar a exibir uma mudança de comportamento que pareça depressão.

Alguns dos sintomas comuns que são freqüentemente correlacionados a uma condição médica são os seguintes:

  • Diminuição do apetite
  • O animal começa a desobedecer ou fazer o oposto do que foi treinado a fazer;
  • Dormir mais horas do que o habitual;
  • Falta de interesse no exercício;
  • Início súbito da agressão;
  • Sinais de desorientação pela casa, dando a impressão de estar perdido;
  • Aparecimento de dermatites psicogênicas, ou seja, automutilações que geralmente ocorrem nas patas. Esse tipo de dermatite é conhecida como Dermatite Acral por Lambedura.

Possíveis causas da depressão canina

Cães são, sem dúvida, muito sensíveis. De fato, quando ocorrem grandes mudanças na vida, como divórcio ou separação dos tutores, ou a morte de outro animal de estimação na casa, não é incomum que os cães tenham um período de depressão observável.

Grandes mudanças na vida de um cão podem, sem dúvida, levar a períodos de depressão. Entre essas mudanças podemos citar as mais comuns, como:

  • Mudança para uma nova casa,
  • Um novo cônjuge ou bebê na casa ou adicionar outro animal de estimação.
  • Mudança na rotina do cachorro, que pode ocorrer por exemplo com uma mudança de emprego e horários do tutor.
  • Perda de um parceiro ou do tutor.

Mesmo pequenas mudanças às quais podemos não dar tanta relevância podem ser motivos para afetar o estado de espirito do cachorro. Coisas como arrumar a mobília, introduzir um novo gato na casa ou até mesmo a mudança de horário de trabalho de um dos tutores, já que  pode mudar a rotina do animal.

As causas da depressão canina podem ser as mesmas causas que provocam a ansiedade, ou seja:

  • Traumas,
  • Medos e Fobias;
  • Solidão;
  • Transtornos de separação;
  • Tédio;
  • Falta de exercícios físicos;
  • Sensações desagradáveis como frio, fome, sede.

O distúrbio compromete o bem estar do cachorro. De fato, afeta os hormônios, neurotransmissores e outras substâncias químicas no organismo do animal, gerando problemas de saúde ainda mais sérios.

Além disso, o animal pode estar respondendo ou absorvendo reações de outras pessoas na casa. De fato, sabe-se que os cães percebem nossas emoções.

Tratando a depressão canina

Como mencionado antes, primeiramente o cachorro deverá passar por consulta com um médico veterinário de confiança.

Após avaliação adequada do estado de saúde do animal e, portanto, exclusão de doenças concomitantes, um protocolo de tratamento poderá ser escolhido.

Ao determinar que o distúrbio tem origem puramente emocional, recomenda-se tomar algumas medidas corretivas no dia a dia. É importante adicionar, portanto, na vida do cachorro:

  • Exercícios Físicos – Todos os cachorros devem se exercitar, a menos que tenha algum problema de saúde que o impeça. Animais que praticam atividade física regularmente apresentam melhora no comportamento, redução da ansiedade, se tornam mais dóceis e obedientes. Além disso, apresentam melhora na qualidade do sono e podem ter a sobrevida aumentada.
  • Enriquecimento Ambiental – Solidão e confinamento sem entretenimento são certamente causas importantes de ansiedade canina. De fato, a junção destes fatores pode provocar comportamentos indesejáveis como compulsão, ansiedade de separação e/ou comportamento destrutivo.
  • Florais de Bach – terapia que tem, como principal propósito, promover a harmonia entre o corpo físico e emocional através de essências florais.
  • Tellington Touch – Também conhecido como TTouch. É um método usado para amenizar problemas de comportamento e até mesmo pequenos distúrbios físicos dos animais através do toque.
  • Acupuntura Veterinária – através da técnica milenar chinesa é possível reequilibrar os meridianos, influindo em órgãos internos, tecidos moles, estado emocional e outros. Além disso, a liberação de endorfina e cortisol causada pela acupuntura causa relaxamento muscular, melhorando o funcionamento muscular e orgânico como um todo.
  • Companhia – Considere a possibilidade de adotar um segundo bichinho para que posam fazer companhia um ao outro.

Em casos extremos, o médico veterinário poderá prescrever medicamentos antidepressivos. No entanto, esse tipo de protocolo é considerado apenas em último caso.

Referências Bibliográficas:

Site Ministério da Saúde

Coleira Calmante Antiestresse – Como Funciona e Onde Achar?

Corrêa, A.C.O. A fenomenologia das depressões: da nosologia psiquiátrica clássica aos conceitos atuais. Psiquiatria Biológica. 1995;3(3):61-72.

Categorias
Comportamento & Personalidade

Cachorro latindo muito – dicas para amenizar o problema.

Quase todos devem concordar com uma afirmação: o som do cachorro latindo muito incomoda. Quando é do vizinho, adoramos reclamar. Mas, e quando o cachorro é nosso?

Além de incomodar muito, da dor de cabeça e ainda causa constrangimento pois sabemos que estamos incomodando a vizinhança.

No entanto, antes de tentar corrigir o que para nós é um incomodo, é importante saber o motivo do latido excessivo. Além disso, é bom saber também que há raças que são mais propensas a esse tipo de comportamento que outras.

Cachorro latindo muito – conheça os principais motivos.

O latido é a forma do cachorro se comunicar. É natural que os cachorros latam em algum momento do dia, e ninguém pode esperar que não o façam. Todavia, os latidos insistentes podem se tornar um problema e ter muitos motivos.

Segundo a adestradora da equipe Cão Cidadão, Sophia Kessar, alguns cães apresentam esse comportamento para chamar a atenção de seus tutores. Outra causa comum é a ansiedade de separação.

Quando deixados sozinhos por muito tempo, os cães também usam esse mesmo recurso para manifestar a sua tristeza. Enquanto seus tutores não estão em casa, os cachorros latem, choram e até uivam, clamando para que a família volte logo.

No entanto, se o latido ocorrer apenas quando toca a campainha ou há alguém atrás da porta, trata-se apenas de um aviso sobre algum potencial perigo. Alguns cachorros latem, ainda, para chamar o tutor para brincar.

Também pode significar medo, surpresa, irritação, entre outras coisas. Ou seja, cada latido tem um significado e um propósito para diferentes situações e estados de espírito dentro linguagem canina. É uma manifestação vocal canina complexa e repleta de carga emocional. Com isso, as características desse som também variam conforme a ocasião, necessidade e objetivo.

Como identificar por que o cachorro está latindo muito

Primeiramente, sugere-se tentar entender o que causa o latido excessivo. Procure, portanto, verificar:

  • Contexto: quais são as situações em que seu cachorro late.
  • Expressões: perceba o comportamento e atitudes corporais nesses momentos, como pelos eriçados, a forma como abana o rabo, o olhar.
  • Características do latido: os sons, a continuidade, quantidade de latidos, força e duração.

Com toda essa base de conhecimento, é mais fácil identificar o tipo de latido, necessidade, propósito e sentimento. Isso ajuda ainda a saber qual é a atitude que o tutor deve tomar.

Cachorro latindo muito – Algumas causas do latido excessivo.

  • Defesa territorial ou Proteção: Quando uma pessoa ou um animal entra em uma área, seu cão considera seu território, o que geralmente causa latidos excessivos. À medida que a ameaça se aproxima, o latido muitas vezes fica mais alto. O cachorro poderá ficar alerta e até agressivo durante esse tipo de latido.
  • Alarme e/ou medo: Alguns cães latem com qualquer barulho ou objeto que chame a atenção deles ou os assuste. Isso pode acontecer em qualquer lugar, não apenas no território de origem deles.
  • Tédio e solidão: Cães deixados sozinhos por longos períodos, seja em casa ou no quintal, podem ficar entediados ou tristes e muitas vezes vão latir porque estão infelizes.

Cachorro latindo muito – como corrigir esse comportamento?

Alguns hábitos diários podem reduzir o stress e ansiedade dos cachorros e, portanto, podem amenizar o comportamento incomodo. Alguns desses hábitos que devem ser incluídos no dia a dia do animal são:

  • Exercícios aeróbicos;
  • Enriquecimento ambiental, ou seja, a ocupação do animal através de objetos como brinquedos interativos ou brinquedos recheados de guloseimas;
  • Considerar a adoção de um novo animal de estimação para que não fique sozinho;
  • Usar técnicas de treinamento.

Embora latir seja profundamente compulsivo nas espécies caninas, existem algumas raças de cães que podem ser consideradas de baixa manutenção quando se trata de vocalizar. Os moradores dos apartamentos devem considerar essas raças.

Cachorro latindo muito – quais são as raças mais barulhentas.

Algumas raças tem tendencia a latir mais que outras. É como se a quantidade de  latidos estivesse  profundamente enraizada em seu DNA. Por isso, é extremamente importante, que as pessoas estudem bem as características de um animal antes de adquiri-lo.

Entre os vencedores na categoria ‘latidos excessivos’ estão as seguintes raças:

Beagle

Beagle, a raça do querido e famoso Snoopy, são cães encantadores, animados e caçadores, criados para perseguir coelhos. Costumam latir muito.

Chihuahua

O pequenino mas poderoso chihuahua ganhou a reputação de ser um dos cachorros que mais latem. Apesar de serem de tamanho minusculo, eles têm um temperamento e tanto.

Lulu da Pomerânia

O pequeno Lulu da Pomerânia, conhecido também como Spitz alemão, tem forte personalidade e gostam de marcar presença através de seus latidos.

Husky Siberiano

Raça criada para puxar trenós e latir enquanto eles trabalham. Além disso, esta raça tem o costume de uivar como um lobo.

Yorkshire Terrier

O Yorkshire é o tipico cachorrinho que é visto sendo carregado em bolsas com suas tutoras. No entanto, como a maioria dos Terriers, tem o costume de latir demasiadamente.

Raças de cachorros que latem menos

Cachorros latem. Isso é inevitável. No entanto, há raças que tem menor tendencia aos latidos excessivos. Aqui estão algumas sugestões:

Basenji

Esta raça antiga é a esolha ideal para as pessoas que gostam de cachorro mas não querem ouvir latidos. Afinal, o Basenji é o único cão que não late. No entanto, um Basenji não pode ser considerado “silencioso”. Seu uivo prolongado e muito agudo (quase um falsete) é a sua particular maneira de comunicação, muito chamativa por sinal.

Galgo

Criada para correr em silêncio para caçar, o Greyhound é uma ótima alternativa para quem não quer um cachorro latindo muito.

Bulldog francês

Esta raça de cachorro está crescendo em popularidade. De fato, trata-se de um cachorro pequeno, silencioso e muito fofo. Uma excelente alternativa para pessoas que querem viver em um espaço pequeno.

Pug

Cães da raça pug são silenciosos e afetuosos. Além disso, são considerados amigos fieis e passam o dia seguindo os tutores dentro de casa. Desta forma, sentem muita falta do dono quando o mesmo sai. Para quem mora sozinho, o pug não é uma boa opção. A raça tende a ficar deprimida quando são deixados em casa sozinhos e por muito tempo. Uma outra característica desse peludinho é que ao dormir, ele pode roncar devido ao focinho achatado.

Lhasa Apso

A raça lhasa apso é do tipo que só late quando necessário, sendo cuidadosa com estranhos. Já com a família, esse cachorro é calmo e protetor, não suportando ficar longe das pessoas que gosta por muito tempo.

Esse cachorro é tranquilo e pequeno, por isso é ótimo para apartamentos ou casas com pouco espaço. Além disso, adora brincar e se diverte ainda mais se estiver acompanhado de crianças. Apresenta também um comportamento alegre e espontâneo.

Bullmastiff

Se um cachorro grande é mais seu estilo, considere um Bullmastiff, já que é um cachorro quieto e calmo.

Cachorro latindo muito – como amenizar esse comportamento.

A melhor maneira de impedir um cachorro de latir é evitar o hábito em primeiro lugar. Isso pode ser conseguido através de treinamento.

Além disso, é importante dar atenção a sinais de ansiedade e depressão. Aqui estão algumas maneiras de ajudar seu cão a ter uma vida calma e feliz:

Exercício aeróbico

Cães precisam socializar e gastar energia. Certifique-se de manter um hábito de caminhadas e brincadeiras diárias com seu pet. A atividade física é uma maneira importante de desabafar frustrações que podem levar a latidos excessivos.

Enriquecimento ambiental

Mantenha a mente do seu cão ocupada. Há uma abundância de brinquedos interativos que podem ajudar com isso.

Verifique sua saúde

Provavelmente o latido excessivo pode ser sintoma de algum outro problema de saúde. Nesse caso, marque uma consulta com seu médico veterinário de confiança para investigar possíveis problemas.

Mantenha seu cão com você

Procure passar mais tempo com seu cachorro. Hoje em dia existem muitos locais chamados ‘Pet Friendly’ nos quais é possível levar o pet.

Outra alternativa para deixar seu cão sozinho em casa é levá-los para uma creche para cachorros.

Monitore o cachorro quando estiver fora de casa.

Existem ferramentas convenientes de vigilância em casa que podem ajudar a ficar de olho no cachorro quando não estiver por perto. Uma delas é uma câmera de cachorro Petcube. Ele permite que as pessoas vejam, conversem, brinquem e cuidem dos animais de estimação remotamente.

Caso não tenha uma câmera caseira, considere entrar em contato com seus vizinhos e pedir que eles liguem para você, caso estejam incomodados com latidos.

Oura alternativa é a contratação de um serviço de Dog Sitter. Muitas pessoas se oferecem para cuidar dos pets nas casas de tutores.

A coisa mais importante a lembrar é que um cachorro latindo geralmente está tentando lhe dizer alguma coisa. Se você puder descobrir o motivo, poderá corrigir o problema.

Cachorro latindo muito

Se a atenção não é o problema e o fato de ter um cachorro latindo muito continua, tente investigar se há algo a mais que possa estar causando isto, ou seja, pessoas que fazem as entregas na sua casa, bichos diversos que estejam em seu quintal, assim como muitos outros motivos.

Muitos pets latem simplesmente por se sentirem incomodados com algo externo. Se este for o caso, limite o acesso dele às portas, janelas, quintais e portões. Faça com que ele fique nestes locais sob supervisão, para ser advertido quando começar a querer latir.

Alguns deles podem ser ensinados com um simples “não”, “quieto” ou “silêncio”, seguidos de uma recompensa.

Caso necessário, considere chamar um especialista em comportamento animal para ajudar da melhor forma possível.

Categorias
Comportamento & Personalidade

O que é pet friendly e como adotar esta política nos negócios

‘Pet Friendly’ significa ao pé da letra ‘amigáveis com animais’. Um selo com estas duas palavrinhas hoje em dia está, sem dúvida, cada vez mais comum em estabelecimentos. De fato, em 2012, o Brasil ganhou um novo selo que certifica hotéis e pousadas com serviços para animais de estimação que viajam com seus tutores.

A certificação foi criada no fim de 2012 pelo Portal Turismo 4 Patas, que desenvolve conteúdo especializado em viagens com animais de estimação. Segundo Larissa Rios, idealizadora do projeto, esse tipo de avaliação foca nos serviços voltados para os animais de estimação.

Estabelecimentos ‘Pet Friendly’

Para muitos tutores de pets, sair de casa é, sem dúvida, um dilema. Principalmente quem tem cães, sofre muito ao deixar o bichinho sozinho em casa para se encontrar com amigos em algum lugar. Mas isso está mudando cada vez mais.

Segundo a Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação) o mercado de pets não para de crescer no Brasil. Já somos, de fato, o terceiro país no mundo a investir e gastar com animais de estimação, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e do Reino Unido.

Nosso País possui mais de 50 milhões de cães e 22 milhões de gatos de estimação. Além disso, uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Consumidor (SPC Brasil) revela que 61% dos brasileiros veem seus animais de estimação como parte da família. Portanto, muitos deles gostariam, ainda, de integrar mais os pets em suas rotinas fora de casa.

Na mesma pesquisa, 62% dos entrevistados disseram sentir falta de espaços que possibilitem a permanência dos animais de estimação junto aos donos, como lojas, centros comerciais, bares e restaurantes.

Segundo pesquisa recente do Opinion Box, 71% dos donos de pets são donos de cães, enquanto 21% têm gatos em casa. Desses, no entanto, 42% deixam de frequentar locais que não aceitam animais.

A pesquisa foi realizada no Painel de Respondentes do Opinion Box em novembro de 2017. Foram entrevistados 1.874 homens e mulheres de todas as regiões do país e de todas as classes sociais.

O que são estabelecimentos ‘Pet Friendly’?

Como mencionado no inicio, ‘Pet Friendly’ significa ‘amigável com animais’. No entanto, é muito mais do que isso. De fato, estabelecimentos ‘Pet Freindly’ não só aceitam a presença dos pets, como os recebem de braços abertos. Hoje em dia existem muitos bares, restaurantes, hotéis e lojas que, portanto, não só aceitam a presença do seu cachorro, mas ainda os considera muito bem vindos!

Portanto, vários restaurantes, bares, sorveterias e padarias, estão abrindo espaço para os donos e seus cães. Em alguns, os animais ficam perto da mesa e outros em lugares reservados como os canis. Em São Paulo, por exemplo, já existem restaurantes que disponibilizam em seu cardápio uma seção exclusiva para rações.

No Guia Pet Friendly é possível achar vários restaurantes e bares com este selo!

Comportamento é essencial

No entanto, é importante esclarecer que, mesmo sendo recebidos de braços abertos, os animais precisam estar sob o controle dos seus tutores para que não ocorram acidentes. Por isso, devem permanecer sempre com suas coleiras e, dependendo da raça, tem obrigatoriedade do uso de focinheira.

Hotéis ‘Pet Friendly’

Gosta de viajar mas não sabe com quem deixar seu pet ou não quer viajar sem ele? Pois saiba que já existem vários hotéis e pousadas que recebem animais.

Todavia, recomenda-se uma boa pesquisa na internet. Pesquise os estabelecimentos que recebem animais e dê preferência aos que possuem a certificação ‘Pet Friendly’. Ela, de fato, vai assegurar que o estabelecimento está preparado para receber animais.

Restaurantes ‘Pet Friendly’ em São Paulo

É isso mesmo. Hoje em dia, muitos restaurantes abriram as portas para os pets. Em entrevista à Folha, Cris Berger, autora do Guia Pet Friendly, passou uma lista de 10 dos restaurantes ‘Pet Friendly’ em São Paulo.

CONDESSA – R. Bueno Brandão, 66, Vila Nova Conceição, região sul, tel. 3845-9607.

BRÁZ PIZZARIA – R. Piracuama, 155, Perdizes, região oeste, tel. 2366-9894.

BREWDOG BAR – R. dos Coropés, 41, Pinheiros, região oeste, tel. 3032-4007.

CASA S – R. Mourato Coelho, 1.008, Pinheiros, região oeste, tel. 3032-4532.

FITÓ – R. Card. Arcoverde, 2.773, Pinheiros, região oeste, tel. 3032-0963.

GRAND CRU – Al. dos Nhambiquaras, 614, Indianópolis, região sul, tel. 3624-5819.

LE PAIN QUOTIDIEN – R. Afonso Braz, 657, Vila Nova Conceição, região sul, tel. 3849-0835.

LA PASTA GIALLA – Al. Lorena, 1.285, Jardim Paulista, região oeste, tel. 3061-3055.

MARAKUTHAI – R. Pais de Araújo, 77, Itaim Bibi, região sul, tel. 3078-3246.

TAVARES – R. da Consolação, 3.212, Cerqueira César, região oeste, tel. 3064-0970.

Lojas ‘Pet Friendly’

Que lojas de artigos pets como as gigantes Cobasi ou Petz aceitem animais, não é uma novidade. No entanto, os Shoppings estão abrindo cada vez mais as portas para os cachorros.

Uma das lojas que disponibilizou quase que imediatamente carrinhos de supermercado específicos para poder entrar com o pet, foi a loja de artigos esportivos Decathlon. Logo na entrada de alguns estabelecimentos, há carrinhos para poder fazer as compras com o seu filho de quatro patas.

Usando o bom senso

Não é porque a moda pegou que todos os estabelecimentos são obrigados a aceitar os animais de estimação. Por isso, antes de ir a algum lugar com seu cachorro, pesquise para saber se o estabelecimento permite recebê-los.

Enfim, não vale forçar a aceitação. Além de tornar o momento desagradável para todos os envolvidos, ainda pode deixar o animal estressado. Portanto, vale o bom senso para que todos possam curtir momentos felizes com seus companheiros de 4 patas.

Para mais informações, acesse os links a seguir:

Guia Pet Friendly

Oba Oba

Aqui Pode

Categorias
Comportamento & Personalidade

Animais fantásticos que fazem sucesso nas redes sociais

Não há dúvidas de que uma grande parte da população adora parar para assistir vídeos de animais fantásticos nas redes sociais. De fato, existem contas no Facebook e Instagram dedicadas a cães, gatos e outros animais que se tornaram verdadeiros ‘digital influencers’.

São animais fofos ou com particularidades físicas e talentos que nos conquistam, nos fazem rir e tem muito a ensinar. O que não dava para imaginar, é que alguns deles são, surpreendentemente, vítimas de abandono! É isso mesmo. Muitos foram, de fato, achados nas ruas por seus atuais tutores. Por isso, vale a pena conhecer as histórias de vida de cada um deles.

Conheça 15 animais fantásticos que conquistaram as redes sociais.

Hoje em dia, há centenas de animais fantásticos que conquistaram milhares de seguidores na Internet. Nesse artigo, selecionamos apenas 15 deles, já que são os animais que mais se destacam. Vamos conhece-los.

1. DOUG, THE PUG

animais fantásticos doug the pug
Doug é o Pug mais famoso da internet

Primeiramente, começaremos por Doug, um cão da raça pug, que é a estrela de dezenas de vídeos filmados por sua dona, Leslie Mosier, de Nashville. Esse animal fantástico possui mais de 6 milhões de seguidores no perfil da sua página no Facebook, “doug The Pug“! Além disso, tem muitos outros seguidores nas contas do Twitter e do Instagram, com uma extensa coleção de vídeos e fotos publicados em diversas situações.

Além de ser super fofo ele trabalha muito. Realiza paródias no YouTube, tem seus produtos próprios como camisetas e também faz participações em vídeo clipes. Doug The Pug já trabalhou, de fato, com as artistas Katy Perry e Shakira.

2. GRUMPY CAT

animais fantásticos grumpy cat
Tardar Sauce ficou famosa na internet pela sua aparência rabugenta.

Grumpy cat, ou em português ‘gata rabugenta’, foi sem dúvida o gato mais famoso da internet. O verbo ao passado deve-se ao fato que recentemente, no dia 14 de maio de 2019, a pequena Tardar Sauce (verdadeiro nome da gatinha), faleceu.

Tardar Sauce foi uma gata americana que tornou-se celebridade da internet. Ela era conhecida por sua aparência facial permanentemente “rabugenta”, causada por um nanismo felino.

Em 2013, participou de diversos programas de televisão, como o Good Morning America da ABC, Evening News da CBS, Big Morning Buzz Live do VH1, The Soup da E! e American Idol da FOX. Além disso, esteve na Barnes & Noble para lançar seu livro, Grumpy Cat: A Grumpy Book, e na BookExpo America promovendo-o.

Os memes utilizando sua imagem, representando ironia, negatividade e cinismo, se tornaram virais.

3. MAX, O GOLDEN

Max é Golden do fotógrafo de moda francês, Vincent Flouret que recria imagens icônicas.
Max é Golden Retriever do fotógrafo de moda francês, Vincent Flouret que recria imagens icônicas.

Max é o simpático Golden Retriever do fotógrafo de moda francês, Vincent Flouret. Tornou-se famoso por participar de um projeto chamado ‘maxdonna’ que encantou milhares de pessoas ao redor do mundo.

O fotógrafo, inicialmente, começou a fazer sessões de fotos com seu animal de estimação depois de se voluntariar com o ‘City Shelters’ (abrigos da cidade) em Los Angeles, onde ele fazia retratos de cães em estúdio para ajudá-los a serem adotados. Ele pegou o glamour de seus temas habituais, ou seja, modelos de alta moda, e transferiu para o seu melhor amigo.

No entanto, Vincent e Max se tornaram famosos pois recriaram icônicas cenas de videoclipes e capas de discos da artista Madonna.

O dinheiro arrecadado com as cópias vendidas de “Maxdonna” foi destinado, no entanto, para a organização de caridade de Madonna, “Raising Malawi”, que visa melhorar a vida de órfãos e crianças vulneráveis ​​no Malaui.

Veja mais na conta do instagram @max_et_vincent

4. GATO CHICO

Gato Chico é o nosso representante brasileiro dos animais fantásticos que fazem sucesso na internet
Gato Chico é o nosso representante brasileiro dos animais fantásticos que fazem sucesso na internet

Gato Chico é um representante brasileiro dos animais fantásticos que fazem sucesso na internet. No instagram ele pode ser achado através da conta @canseidesergato, que conta, hoje, com mais de 430 mil seguidores. Tem inclusive um site próprio.

O Chico é um gatinho sem raça definida que fez sucesso na internet. Quem cuida das páginas são as jovens Amanda Nori e Tá Guimarães. Todos os dias elas caracterizam o gato Chico de vários personagens, sejam eles da tv ou do cotidiano.

5. JAMON THE PIG

Jamon é um dos animais fantásticos da lista super famoso na internet.
Jamon é um dos animais fantásticos da lista super famoso na internet.

Quem disse que os animais fantásticos são só cães e gatos? Jamon prova que os suínos também podem fazer sucesso na internet. Atualmente sua conta no instagram (@jamonthepig) possui mais de 63 mil seguidores.

Jamon é o filho de quatro patas da publicitária paulistana Andrea Mendes, e foi um inusitado presente do dia dos namorados. Hoje, o animal é celebridade na internet. Sua página no Facebook ‘Jamon The Pig’ conta, de fato, com 191 mil seguidores.

O bicho, que come ração, verduras e frutas, costuma posar para fotos com roupas divertidas.

6. MR. POKEE

"Mr.

Mr. Pokee também não é um animal de estimação comum. De fato, trata-se de um ouriço-cacheiro de barriga branca. Sua tutora, Talitha Girnus, de Wiesbaden, publica regularmente, no Instagram, fotos do animal de estimação, tiradas em várias cidades da Alemanha e não só. Além disso, Mr. Pokee também possui um site também!

Descrito como “o aventureiro mais fofo do mundo”, o Mr. Pokee cabe na palma da mão da tutora. Isso permite que ela o leve sempre consigo e consiga tirar fotos incríveis em suas viagens.

De fato, há fotos desse pequeno animal fantástico em diversos cenários como em um campo de girassóis, castelos e até na Torre Eiffel. Além disso, em algumas fotos é possível ver o pequeno animal usando meias ou óculos, deitado dentro de canecas ou sentado numa cadeira em miniatura, o que torna tudo ainda mais divertido.

7. VENUS, THE 2 FACE CAT

Vênus é umd os aniamsi fantásticos famosos na internet pela sua face de duas cores.
Vênus é umd os aniamsi fantásticos famosos na internet pela sua face de duas cores.

A gatinha Vênus é, sem dúvida, um animal fantástico. É, de fato, considerada uma raridade. Tanto que publicaram um artigo sobre ela até no site da National Geographic.

Isso porque a cara da Vênus tem duas colorações divididas de forma perfeita. Metade de sua cabeça é amarela, a outra metade é preta. Além disso, possui heterocromia completa, ou seja, cada olho tem uma cor diferente.

A característica marcante das ‘duas caras’ deve-se a um fenômeno da genética chamado quimerismo. Esse termo, é o nome que se dá a um animal que tem duas ou mais populações de células geneticamente distintas com origem em zigotos diferentes. Ou seja, quimerismo é a junção de dois ou mais DNA em um mesmo indivíduo. Em poucas palavras, Vênus é uma raridade genética.

8. MAYA, THE CAT

animais fantásticos maya
Maya foi adotada mesmo tendo a sua anomalia e ficou famosa na internet.

Maya é uma gatinha que foi encontrada em Massachusetts (Estados Unidos) atrás de um restaurante Chinês e foi encaminhada a um instituto para ser eutanasiada, já que apresentava um aspecto diferente e acreditava-se que ninguém a adotaria. De fato, Maya possui uma anomalia cromossômica e era considerada feia.

No entanto, Maya teve sorte de ter sido resgatada por uma instituição que se dedica a atender gatos deficientes chamada The Odd Cat Sanctuary.

Posteriormente, foi adotada por Lauren Beader, que decidiu contar em um livro a importância de olharmos com sensibilidade para pessoas e animais que apresentam características diferentes das que consideramos ’normais’.

Maya hoje é super famosa no Facebook e Instagram, contando com mais de 350 mil seguidores.

9. MENSWEAR DOG

animais fantásticos bodhi menswear
Bodhi é cachorro da raça Shiba Inu famoso da marca Men’sWear

Menswear Dog. É assim que Bodhi, um cachorro da raça Shiba Inu, é conhecido na Internet. Tudo começou com uma brincadeira de seus tutores que o vestiram com uma camisa, gravata e cardigã. No entanto, Bodhi se saiu muito bem diante das cameras, o que levou seus tutores a conciliar duas paixões: moda e cães.

Criaram então um Tumblr, que viralizou e se transformou no livro “Menswear Dog Present the New Classics” (“Cachorro modelo apresenta novos clássicos”- tradução livre, sem edição no Brasil).

Sua página no facebook tem mais de 220 mil seguidores, além de 374 mil seguidores no instagram.

10. TUNA MELTS MY HEART

animais fantásticos tuna
Tuna é o cachorrinho que virou celebridade na internet pela sua aparência engraçada.

Tuna é o nome de um cachorrinho que virou celebridade na internet. Trata-se de uma mistura entre um Chihuahua e um Dachshund.

Possui sobremordida exagerada, mandíbula recuada e um pescoço enrugado, sendo considerado por muitos como um cachorro ‘feio’. No entanto, apesar da suposta ‘feiura’ possui mais de dois milhões de seguidores no Instagram.

Ele foi abandonado por seu dono original perto de San Diego e foi achado abandonado no acostamento de uma estrada. Certamente traumatizado, Tuna rastejava de maneira submissa, o que o fez ganhar seu primeiro nome: Wormy (Verminho). Tinha apenas 4 meses.

Em 2010, todavia, sua sorte mudou. De fato, foi adotado por Courtney Dasher no Farmers Market, em Los Angeles.

Antes de chama-lo Tuna (atum em inglês), Courtney chegou a chamá-lo de outros nomes, que incluíam Mr Burns (personagem dos Simpsons) e Toony (referencia a palavra cartoon, devido sua aparência cartunesca).

A conta, ‘Tuna melts my heart’ (Tuna derrete meu coração, tradução livre), foi gradativamente ganhando notoriedade e em 2012.

Dasher usou o status de celebridade de Tuna para arrecadar dinheiro para grupos de resgate de animais, bem como promover a causa em geral. Um livro de fotografias de Tuna foi lançado em 2015, intitulado ‘Tuna melts my heart: The Underdog With The Overbite”.

11. MANNY, O GATO QUE ADORA TIRAR SELFIES

animais fantásticos manny
O gatinho Manny ficou famoso na internet pelas suas selfies

O gatinho Manny ficou famoso na internet por suas fotos onde parece que tira selfies. O que muitos não sabem, é que ele tira as selfies mesmo! De acordo com o dono do perfil no Instagram, o gato “aprendeu” a usar a câmera por acaso, quando estendeu a pata para tocá-la durante uma sessão de fotos.

As selfies de Manny tornaram-se, sem dúvida, uma sensação na Internet.

Manny morava na rua onde seu tutor atual mora. Apareceu em sua vida pouco tempo depois que seu velho gato de estimação tinha morrido e eles estão juntos desde então.

12. TROTTER

ainimais fantásticos trotter
Trotter é uma Buldogue Francês que também ficou famosa na rede social

Trotter é uma linda cadelinha da raça Buldogue Francês que tem feito um grande sucesso no Instagram com mais de 180 mil seguidores.

Sua tutora é a fotógrafa Sonya Yu. Ela afirma que Trotter é natural diante das câmeras e a descreve como “doce e calma”.

13. HAMILTON, THE HIPSTER CAT

Hamilton é um gatinho que foi resgatado e agora está entre os animais fantásticos das redes sociais.
Hamilton é um gatinho que foi resgatado e agora está entre os animais fantásticos das redes sociais.

Hamilton é um gatinho que foi resgatado pela ‘Humane Society’ no Vale do Silício. Seu bigode perfeito e expressões faciais quase humanas fizeram dele um sucesso na Internet.

Hamilton, carinhosamente chamado por seus tutores de Hammy, foi encontrado nas ruas de San Jose. Nessa ocasião, ele e sua irmã, Flower, foram resgatados por um voluntário da ‘Humane Society’ do Silicon Valley e levados ao veterinário.

Sendo selvagens, tanto Hamilton quanto Flower não confiavam nas pessoas ou em seu novo ambiente, o que, certamente, complicava uma adoção rápida e segura.

Hamilton conheceu seu humano em 01 de setembro de 2012, quando ainda era um gatinho muito nervoso. Mesmo assim, seu tutor insistiu para ficar com ele, e Hamilton logo se acalmou em suas mãos. Um encontro que era para ser.

Hoje, a conta do Instagram chamada Hamilton, The hipster Cat conta com mais de 800 mil seguidores. Já a do Facebook, conta com mais de 120 mil seguidores.

14. MARNIE, THE DOG

Marnie é a cachorrinha da raça Shih Tzu vítima de abandono que virou umd os naimais fantásticos nas redes sociais.
Marnie é a cachorrinha da raça Shih Tzu vítima de abandono que virou umd os naimais fantásticos nas redes sociais.

Marnie é uma cachorrinha da raça Shih Tzu e, surpreendentemente, é mais uma vítima de abandono. Com quase 10 anos de idade, Marnie foi encontrada pela ‘Animal Control’, mal cheirosa e com pelos emaranhados nas ruas de Connecticut, em agosto de 2012.

Naquela ocasião, foi transferida para um abrigo onde, primeiramente, a batizaram de Stinky (do inglês, fedida). Após 4 meses no abrigo, ela foi enfim adotada por sua tutora, Shirley, através de um post no petfinder.com.

Marnie era cega de um olho e, além disso, sua boca cheirava muito mal.

O problema do mau odor vinha de seus dentes podres. Após ser adotada, sua nova tutora mandou, de fato, extrair catorze deles, o que fez o odor melhorar.

A questão da língua para fora vinha de antes, sem motivo aparente. Já a cabeça inclinada, é provavelmente uma consequência de um problema neurológico comum em cachorros chamada de Síndrome Vestibular.

Hoje, a conta @marniethedog do Instagram, conta com quase dois milhões de seguidores.

15. JIFFPOM

Jiffpom é o mais popular de todos da lista de animais fantáticos nas redes sociais.
Jiffpom é o mais popular de todos da lista de animais fantáticos nas redes sociais.

Jiffpom pode estar em último lugar nessa lista, mas é o mais popular de todos os animais fantásticos aqui descritos. Sua conta no Instagram conta, de fato, com nada mais nada menos que 9 milhões de seguidores!!!

Antes de mais nada, é importante saber que esse cachorrinho ficou famoso primeiramente por seus talentos incríveis. Jiff, é um cachorrinho da raça Spitz Alemão (também conhecida como Lulu da Pomerânia) que, de fato, entrou para o livro Guinness World Records com o título de “cachorro mais rápido em duas patas”.

O cãozinho, então, virou sucesso nas redes sociais após alguns vídeos serem postados em uma conta no YouTube mostrando sua habilidade especial.

Para ganhar o prêmio, Jiff correu 10 metros em 6,56 segundos em suas patas traseiras e 5 metros em 7,76 segundos sobre patas dianteiras. Esse recorde é o primeiro do novo livro do Guinness, anualmente liberado em setembro, edição que marca seu 60º aniversário. E além de ser muito talentoso, Jiff é, sem dúvida, fofissimo!

Além disso, participou de várias propagandas da televisão e chegou a ter inclusive uma participação no clipe “Dark Horse” da cantora Katy Perry. O dono de Jiff, todavia, pediu para continuar no anonimato, pois quer todas as atenções voltadas para o cãozinho.

 

 

 

Categorias
Blog Cachorros Comportamento & Personalidade

Coleira Calmante Antiestresse – Como Funciona e Onde Achar?

É, sem dúvida, muito comum, hoje em dia, encontrar tutores que querem fornecer algum tipo de calmante para cachorro. Por isso, empresas brasileiras e internacionais, estão investindo em alternativas criativas para proporcionar maior tranquilidade aos cães estressados. Uma dessas recentes invenções é a coleira calmante antiestresse.

Os principais motivos para a procura deste tipo de medicamento são a percepção do aumento da ansiedade, medo, agitação, latidos excessivos, automutilação, hiperatividade.

Veja mais sobre o assunto em Calmante para cachorro.

Ansiedade em cachorros

A coleira calmante antiestresse pode ajudar na ansiedade canina.
A coleira calmante antiestresse pode ajudar na ansiedade canina.

A ansiedade em cachorros é algo que hoje em dia se tornou, certamente, muito comum. A ansiedade canina pode ser causada por inúmeros fatores, como por exemplo:

  • Traumas,
  • Medos e Fobias;
  • Solidão;
  • Transtornos de separação;
  • Tédio;
  • Falta de exercícios físicos;
  • Sensações desagradáveis como frio, fome, sede.

O distúrbio compromete o bem estar do cachorro, afeta os hormônios, neurotransmissores e outras substâncias químicas no organismo do animal, gerando problemas de saúde ainda mais sérios.

Sinais de ansiedade em cachorros

Cães com ansiedade podem se tornar depressivos, apáticos, ter distúrbios alimentares. Alguns começam a desenvolver muita ansiedade para comer, outros podem ficar inapetentes. É muito comum que cães estressados, desenvolvam dermatites psicogênicas, ou seja, automutilações que geralmente ocorrem nas patas. Esse tipo de dermatite é conhecida como Dermatite Acral por Lambedura.

Outro problema muito comum em cães estressados é o comportamento destrutivo dentro de casa e aquele considerado sujo, ou seja, quando o cachorro começa a urinar e defecar em locais proibidos para chamar a atenção.

O que fazer para reduzir o estresse e ansiedade?

Para que um cachorro deixe de exibir os problemas de comportamento que referimos anteriormente, é essencial identificar o motivo de estresse do cachorro e procurar corrigi-lo ou elimina-lo.

Para isso, será necessário avaliar todas as opções com o médico veterinário de confiança. De fato, dependendo do caso, o profissional poderá optar por medicamentos alopáticos ou fifoterápicos para aliviar temporariamente os sintomas.

Entre todos os tratamentos disponíveis, no entanto, existem também as coleiras calmantes antiestresse.

Coleira calmante antiestresse

A coleira calmante antiestresse pode ajudar o seu cachorro a ficar mais calmo e evitar a depressão.
A coleira calmante antiestresse pode ajudar o seu cachorro a ficar mais calmo e evitar a depressão.

Cachorros sofrem de ansiedade, medo e tristeza assim como nós. Ainda mais em dias como o que vivemos atualmente, o estresse sempre está presente na maioria das pessoas, o que acaba sendo transmitido para o seu animal de estimação, contaminado ele com este mal.

Além de todas as opções descritas em artigo específico, existem também coleiras calmantes antiestresse disponíveis no mercado. Trata-se de coleiras que usam dois tipos de princípios: aromaterapia ou ferormônios.

Coleiras calmantes antiestresse com aromaterapia

Hoje em dia, as pessoas procuram cada vez mais formas naturais para problemas do dia a dia.

Por esse motivo, nasceu a coleira ‘Bella Goella’, ou seja, uma coleira em PVC atóxico, com óleos e essências naturais de Camomila ou Maracujá ou Melissa ou Capim Limão (de acordo com a opção escolhida). A ideia é ajudar o cachorro, de forma natural, a ser menos ansioso e ter uma vida mais tranquila.

A coleira calmante antiestresse ‘Bella Goella’ é, natural, atóxica e indicada para cães e gatos, adultos e filhotes.

No entanto, o fabricante informa que, por ser um produto natural, seu desempenho será notado gradativamente, não de forma imediata.

Tem durabilidade de seis meses após aberta e possui tamanho único de 50cm, podendo ser cortada para ajustar melhor ao cachorro.

Coleira calmante antiestresse com ferormônios

Outra forma de amenizar o estresse dos cachorros, é através do uso de coleiras calmantes antiestresse com ferormônios.

“Feromônios, essencialmente, funcionam como hormônios fora do corpo, exercendo uma influência química em outro organismo vivo”, diz Joseph Turk, D.V.M., um veterinário em Palm Harbor, Flórida.

Os feromônios parecem ajudar os cães a se sentirem mais seguros e protegidos. Atualmente, três marcas oferecem este feromônio sintético em coleira: Sentry Calming Collar, Adaptil e ThunderEase Calming Dog Collar. No entanto, ainda não são produzidas no Brasil.

Recentemente, a empresa CEVA começou a produzir outros produtos da linha Adaptil como o Difusor de Tomada e o Spray.

As coleiras, entretanto, podem ser achadas na internet em sites comerciais como Amazon ou Mercado Livre.

Como funcionam os ferormônios

A coleira calmante antiestresse possui feromônios.
A coleira calmante antiestresse possui feromônios.

Os feromônios são substâncias químicas que são naturalmente produzidas por animais. São disseminadas entre seres de uma mesma espécie e promovem reações específicas em seus indivíduos, influenciando diretamente seus comportamentos e desempenhando um papel na comunicação intraespécie.

São uma espécie de impressão digital. No entanto, são usados pelos indivíduos para identificar espécies, membros do grupo e quem sabe gênero, talvez idade e estado de saúde. Feromônios também podem comunicar informações sobre receptividade, excitação, posição social e até os estados emocionais e também são utilizados para a demarcação territorial. No entanto, ainda há muito a aprender sobre os feromônios.

Os coleiras calmantes antiestresse, são produzidas com um tipo de ferormônio conhecido como apaziguador, ou seja, um tipo de ferormônio liberado pelas cadelas no momento em que amamentam seus filhotes.

Eles são tão relaxantes que os feromônios parecem ajudar a aliviar a ansiedade em alguns cães. Há diversos estudos sobre o uso deste tipo de ferormônio. Em um deles, constatou-se que os cães que foram expostos a feromônios eram visivelmente menos ansiosos em um hospital veterinário. Em outro, que estudou cães da raça Beagle, descobriu-se que esses cães apresentaram menos nervosismo durante tempestades simuladas.

Apenas o uso coleira calmante antiestresse é suficiente?

Infelizmente, somente usar uma coleira calmante antiestresse não é suficiente para tratar ansiedade, mas ajuda.
Infelizmente, somente usar uma coleira calmante antiestresse não é suficiente para tratar ansiedade, mas ajuda.

Lidar com ansiedade e estresse, sem dúvida, não é tão simples. Na maioria das vezes são necessárias verdadeiras mudanças de rotina e hábitos.

Existem algumas correções no ambiente e técnicas mais naturais que podem ajudar a reduzir a ansiedade, o medo, a tristeza e o tédio.

Recomenda-se a adição dos seguintes hábitos no dia a dia:

  • Exercícios Físicos – Todos os cachorros devem se exercitar, a menos que tenha algum problema de saúde que o impeça. Animais que praticam atividade física regularmente apresentam melhora no comportamento, redução da ansiedade, se tornam mais dóceis e obedientes, têm melhora na qualidade do sono e podem ter a sobrevida aumentada em 2 anos, o que, para todos, é uma enorme recompensa.
  • Enriquecimento Ambiental – Solidão e confinamento sem entretenimento são certamente causas importantes de ansiedade canina. De fato, a junção destes fatores pode provocar comportamentos indesejáveis como compulsão, ansiedade de separação e/ou comportamento destrutivo.
  • Florais de Bach – terapia que tem, como principal propósito, promover a harmonia entre o corpo físico e emocional através de essências florais. 
  • Fitoterapia – Hoje em dia, há inúmeros suplementos no mercado que prometem acalmar os cachorros. Normalmente, esses suplementos possuem composições fitoterápicas calmantes para cachorro.
  • Tellington Touch – Também conhecido como TTouch, é um método usado para amenizar problemas de comportamento e até mesmo pequenos distúrbios físicos dos animais através do toque.
  • Acupuntura Veterinária – através da técnica milenar chinesa é possível reequilibrar os meridianos, influindo em órgãos internos, tecidos moles, estado emocional e outros. Além disso, a liberação de endorfina e cortisol causada pela acupuntura causa relaxamento muscular, melhorando o funcionamento muscular e orgânico como um todo.
  • Companhia – Considere a possibilidade de adotar um segundo bichinho para que posam fazer companhia um ao outro.

Referências Bibliográficas:

The Dog People – Dog Calming Collars: Do They Really Work? Your Complete Guide.

Categorias
Blog Cachorros Comportamento & Personalidade

Raças de cachorros que babam, roncam e soltam muito pum!

Claro que você sabe que cachorros são seres vivos. É até mesmo estranho comentar isso, especialmente no início de um artigo. Entretanto, ocorre que é necessário lembrar essa condição porque muitos donos desconsideram alguns fatos no momento da aquisição de um animalzinho. Pois saiba que há raças de cachorros que babam, que roncam e que até mesmo soltam pum em demasia.

E quando falamos em “pum”, estamos falando de gases dos mais fedidos possíveis. Mais fedidos ainda que de muitos seres humanos. Portanto, é preciso considerar esses fatores e muitos outros ainda quando você estiver diante daquela “gracinha de cãozinho que não saiu de perto de mim na loja; não resisti e trouxe pra casa”.

A baba é componente do dia a dia de qualquer mamífero. Existem motivos diversos que tornam a baba uma postura normal e outros que sugerem problemas orgânicos. Porém, as cenas em que o famoso São Bernardo do cinema, Beethoven, baba bastante são muito engraçadas.

Entretanto, tais cenas são engraçadinhas somente no cinema. Na realidade, podem representar momentos de forte de estresse e desconforto tanto para o cão quanto para o dono dele, com extensão à família toda. E, pior, às visitas também.

Veja neste artigo alguns motivos que envolvem cachorros que babam, roncam e soltam pum.

Em defesa de cachorros que babam

Cachorros que babam são seres humanos.
Cachorros que babam são seres humanos.

Babar é para os cães o mesmo que latir ou espantar carteiros. Ou seja, é atitude natural. É certo que algumas raças babam mais que outras.

Bem, é possível sair em defesa de muitas raças de cachorros que babam, roncam e soltam pum. A defesa pode ser feita até mesmo comparando-se a reação humana com a reação desses cães. Imagine-se sentindo cheiro da comida de que você mais gosta, com tempero da mamãe ou da vovó, que lembre sua infância.

É até provável que, à simples lembrança, sua boca já esteja salivando. Se não tomar cuidado, você próprio está babando agora. Esse, digamos, “fenômeno” é resultado de reações orgânicas a estímulos visuais e olfativos. Seu cérebro estimula produção de saliva como forma de compensação por ainda não sentir o gosto da comida. Ou mesmo como exercício preparatório para o estômago.

O mesmo “fenômeno” ocorre no organismo dos cachorros que babam, mas um pouco mais estendido. A salivação pode ocorrer não apenas com cheiros e expectativa de comida. Ele pode salivar em excesso na presença de alguém de que goste muito ou ainda por conta de excitação não recorrente. Ainda, por estresse não contido em brincadeiras.

Entretanto, quando não originado em problemas orgânicos, depende da personalidade do animal. Sendo ele tranquilo, não muito afoito a “festinhas” com seus donos, tendo comportamento ameno, vai salivar muito pouco ainda que sua raça seja daquelas salivadoras.

Ainda como defesa de cachorros que babam

Saiba que a saliva tem função importantíssima no processo digestivo. Ela ajuda a decompor dos elementos alimentares para que sejam transformados em energia.

Assim, quando o animal pressente o momento de ser alimentado, em especial com alimentos de que gosta muito, o cérebro envia mensagem às glândulas salivares para se prepararem.

Dessa maneira, o estômago é condicionado a promover os chamados movimentos peristálticos. Ou seja, processo em que as paredes estomacais movimentam o alimento para retirar todos os nutrientes. Nesse processo, a saliva tem papel importante.

Nesse caso, se os motivos da salivação de sua animal forem naturais, evite induzir a diminuir a salivação. Caso contrário, o organismo do animal pode se ressentir da falta de saliva durante o processo digestivo. Ou seja: é melhor você se habituar a essa condição.

Questões genéticas sobre cachorros que babam

Existem questões genéticas relacionadas aos cachorros que babam.
Existem questões genéticas relacionadas aos cachorros que babam.

Antes de mais nada, compreenda que é normal que existam determinadas raças de cachorros que babam, roncam e flatulam mais que outras. Isso se dá por questões genéticas.

Quanto a isso, pouco se pode fazer além de passar muito tempo limpando a baba de seu animal. E também se divertindo com seus roncos ou sentindo os flatos (gases) odores desagradáveis que exalam.

Algumas raças são constituídas por características físicas na boca. Há algumas cujos lábios são naturalmente flácidos; outras, língua muito grande; outras ainda dispõem de glândulas salivares bastante ativas etc. Todas essas características são produto de fatores genéticos nascidos ao longo de vários testes de cruzamento entre raças.

Ou, ainda, simplesmente porque a evolução natural das raças ainda não descobriu uma maneira de produzir menos saliva. Entretanto, sabe-se que a natureza ainda trabalha no sentido de melhorar tudo a partir dos mecanismos da seleção das espécies. Assim, talvez em mais alguns séculos esse “probleminha” seja corrigido.

Por exemplo, certas raças de cachorros que babam têm boca larga e bochechas grandes, além de focinhos curtos. Isso certamente dificulta que controlem excesso de saliva e o mantenham na cavidade bucal. Dessa forma, no caso de você ter um cão desse tipo ou estiver pensando em ter, convém analisar bastante.

Abaixo neste artigo, você tem uma lista de algumas raças de cachorros de babam ou soltam pum ou ainda apenas roncam. Assim, vai poder se certificar de que vai ter trabalho extra no convívio com seu pet.

Importante: Dependendo da condição e da origem do problema, é possível fazer que cachorros que babam deixem de babar, pois as origens podem ser naturais ou ocasionais vindas de problemas orgânicos.

Motivos eventuais para babar

É possível resolver o problema de maneira paliativa ou definitiva. Porém, é possível diminuir tanto a salivação em si como os desconfortos resultantes. Veja.

Identifique o fato gerador

Se for por excitação, avalie os momentos em que isso acontece. Pode ser por presença de algum outro animal, presença de alguém em especial; pode ser pela espera de passeios marcados sempre no mesmo horário; expectativa por algum tipo de comida.

Então, avalie possibilidade de evitar que o animal presencie tais gatilhos. Depois disso, aos poucos, vá habituando o animalzinho ao fato gerador, seja ele qual for. Mas com cautela e paciência. Com certeza, o processo de salivação vai diminuir bastante.

Um caso específico de exemplar da raça Newfoundland ilustra bem a questão de fatos geradores. Placid, um cão peludo (natural na raça), babava excessivamente em determinadas situações. O problema é que seus proprietários não conseguiam identificar o gatilho, pois isso acontecia em circunstâncias aparentemente aleatórias.

Depois de muita observação, foram excluindo algumas situações. O filtro chegou a roupas pretas. Descobriram que, por algum motivo, Placid expelia baba sempre que se deparava com pessoas vestindo preto. Identificado o gatilho, passaram a evitar exposição de Placid a ele. O problema foi praticamente resolvido.

Determinados remédios possivelmente apresentam gostos estranhos ao paladar do animal, talvez até mesmo a um indivíduo de alguma raça. Nesse caso, conscientize-se de que o caso é passageiro, que será anulado tão logo o período de tomada do remédio se encerre.

Motivos naturais para babar

Por mais que goste de animais e por menos que tenha aversão à baba, é bastante desconfortável quando você ou sua visita se deparam com quantidade grande desse líquido. O amor aos animais pode resistir a muitas situações, mas, com certeza, essa não é uma delas.

Há promessas de criadores sobre conseguir descendência de cruzamento de raças que babem menos. Entretanto, é possível que isso demande grande número de gerações futuras.

Raças de cachorros que babam

Há várias raças de cachorros que babam.
Há várias raças de cachorros que babam.

Existem muitas raças de cachorros que costumam babar, por isso vamos listar aqui apenas algumas para o seu conhecimento. Veja abaixo:

Mastife

Se fosse possível calcular proporção entre tamanho de cachorro e quantidade de baba, o Mastife seria excelente exemplo. Boa parte dos proprietários de cães dessa raça já se habituou a manter panos espalhados pelos lugares em que eles caminham. E, ao receber visitas, deixam claro que correm risco de ser inundadas por baba de Mastiff. Até mesmo mantêm pequenos avisos na entrada da casa.

Bloodhound

Essa tem até apelido associado à baba: fonte babadora. O fator físico produtor de babas é o desenho dos lábios. Eles caem sobre a cavidade bucal e se esticam por vários centímetros abaixo. A baba é tanta que, quando se chacoalham – especialmente a cabeçorra -, a baba é lançada a vários metros de distância.

Entretanto, há uma necessidade orgânica prática para tanta baba. Ela mantém a cavidade nasal umedecida, o que aumenta a capacidade olfativa do animal.

Terra Nova

Os Terra Novas são cahorros que babam bastante.
Os Terra Novas são cahorros que babam bastante.

Alguns proprietários de indivíduos dessa raça são engraçadinhos. Em encontros sociais em suas residências, são capazes de beber em canecas com a inscrição “baba que voa” impressa nelas. Isso serve para identificá-los como donos de um Newfoundland ou Terra Nova.

Os lábios grandes e profundos desses animais são o motivo natural para tanta baba. Em determinadas situações de estresse ou excitação, ela acaba incomodando o animal. Assim, ele a lança tão longe que a baba chega ao teto das residências. Não é comum que proprietários estoquem babadores. São utensílios eficazes.

Bulmastife

O Bulmastife é uma das raças de cachorros que babam.
O Bulmastife é uma das raças de cachorros que babam.

O próprio nome da raça indica que é mistura de Mastife com Buldogue inglês. Certamente, ela acabou assumindo algumas características de ambas. Nesse caso, a excessiva quantidade de baba.

Ela é uma das raças de cachorros que babam em diversas circunstâncias. Quando estão estressados ou depois de comer e beber, ele baba; ou ainda após exercícios físicos, ele baba. Se estiver com calor, ele baba. Se estiver excitado por algum motivo, o Bulmastife baba. Há indivíduos que babam até mesmo dormindo.

São Bernardo

Os São Bernardos são cachorros que babam e salvam vidas.
Os São Bernardos são cachorros que babam e salvam vidas.

Já mencionamos o Beethoven acima, exemplar da São Bernardo. Quando resolve balançar sua cabeça enorme, você pode ver os fios de baba se distribuindo por todo o ambiente.

Outros motivos da salivação

Entretanto, o excesso de saliva não se dá somente por questões naturais ou ainda situações eventuais, como as mencionadas acima (excitação, receio etc.). O problema pode ser orgânico, ou seja, alguma anomalia pontual que provoque produção anormal de saliva.

Isso ocorre porque a baba (ou até mesmo a água) se acumula nos sulcos internos dos lábios de indivíduos de algumas raças. Como o animal, claro, não sabe cuspir, é normal que o líquido escorra.

Por outro lado, é possível que algum problema situacional seja a causa do excesso de saliva. Nesse caso, é bom que o proprietário observe o estado da boca do animal.

Inflamação na garganta

Avalie atentamente as condições da garganta de seu animal. É até possível que seja necessário avaliação profissional.

Problemas com cáries

Verifique também as condições dentárias do bichinho. Havendo necessidade, possivelmente você vai precisar levá-lo ao dentista.

Tártaro grosseiro que incomoda a gengiva

Idem.

Tumores na garganta ou mesmo nas paredes internas das bochechas

Se seu animal não pertence a uma raça de cachorros que babam naturalmente e se os períodos de babação são constantes, consulte um veterinário imediatamente. É grande a chance de o animal apresentar algum problema mais ou menos sério na boca.

Gengivite

É caso de dentista. Não deixe de consultar.

Problemas estomacais de maneira geral

Seu animal pode estar sendo vítima de algum problema estomacal. Se ele vomitar sempre que andar em seu automóvel, é sinal de problemas. Você pode evitar andar de carro ou levá-lo ao veterinário, sendo a segunda opção a mais ideal.

Longos períodos sob o sol

O organismo do animal certamente tem defesas para protegê-lo de certas situações. Boa parte dessas estratégias é desconhecida da maioria dos proprietários.

A salivação pode ser defesa contra excesso de calor produzido por longos períodos sob sol escaldante. Atenção a tal detalhe, portanto.

Mais motivos

Além de tudo isso, considere a possibilidade de micropedaços de grãos de ração se instalarem entre os dentes do animal. Isso também pode ser um dos causadores ocasionais.

Nesse caso, convém ao proprietário manter atenção redobrada ao comportamento animal associado ou não ao excesso de salivação. Se o proprietário não distinguir padrão entre a salivação e eventuais causas, é sempre bom levar o animal ao veterinário.

Raças de cachorros que roncam

O Boxer está entre os cachorros que roncam bastante.
O Boxer está entre os cachorros que roncam bastante.

Roncar é tão normal em algumas raças quanto salivar ou flatular. E também tanto quanto à salivação, o ronco pode ter diversas causas. Duas delas, e mais frequentes, são fraqueza nas carnes da garganta ou acúmulo de gordura nessa mesma região. Nesses casos, visita a veterinário certamente identificará o problema e prováveis soluções.

Veja algumas raças que se destacam por roncar demais:

Raças de cachorros que peidam

O Doberman não é umd os cachorros que babam, mas é um dos cachroros que costumam soltar muito pum.
O Doberman não é umd os cachorros que babam, mas é um dos cachroros que costumam soltar muito pum.

Uma das causas mais conhecidas para emissão de gases fétidos dos animais é o fato de ele comer muito rapidamente. Aliás, isso ocorre também com os humanos.

Bem, como você viu acima, pode ser um problema facilmente resolvido ou aquele tipo de problema que precisa de intervenção profissional. Assim, é sempre interessante que os proprietários conheçam seus próprios limites em relação a conhecimentos sobre o animal.

Caso você tenha ainda alguma dúvida, deixe-a nos comentários abaixo.

Categorias
Comportamento & Personalidade

Saiba quais são as raças de cachorro lobo e suas características

Cachorros são seres encantadores; lobos são seres enigmáticos. Imagine como seria um cachorro lobo! Misterioso, estimulante, excitante, curioso, provocante, instigante, admirável, interessante. Use qualquer adjetivo positivo para se referir a ele e estará sendo justo. E, ainda assim, insuficiente.

Por isso, tanto um quanto outro estão no imaginário popular como animais fortes. Mesmo quando são vilões. A lealdade dos cães, a vivacidade dos lobos, o confiabilidade de um, a sagacidade de outro, tudo isso e mais outras características encontradas em apenas um indivíduo.

A gente está levando até você esta apresentação a fim de que decida pela posse ou não desse tipo de cachorro. A fim desta leitura, é possível que você repense a situação. Porém, isso não quer dizer que você vá preferir distância de cachorros lobo. Eles são tão enigmáticos que, não os querendo, talvez passe a querê-los. Ou vice-versa.

Visão biológica sobre cachorro lobo

cachorro lobo ancestralidade
Cachorro lobo: a genética do lobo faz parte da ancestralidade do cachorro.

A ciência diz que cachorros lobos são exemplares da espécie canina domesticada que contenham componentes de lobo em sua estrutura genética. Assim, de imediato, parece incompreensível para leigos. Entretanto, basta aos leigos observarem o visual da raça.

Por certo, não é difícil identificar um cachorro lobo. Ele é produto da mistura das duas espécies caninas – cão e lobo, naturalmente. Ainda bem que as semelhanças mais gritantes e interessantes estão na aparência. Quanto ao temperamento, não há nada de lobo. Pelo menos não de imediato, pois eles precisam ser contidos, como você vai perceber nesta apresentação.

Entretanto, o cachorro lobo não é uma raça específica. São muitas as raças que podem ser consideradas como tal. Algumas delas têm nível genético comparável ao lobo muito baixo; outras, porém, níveis maiores.

Desta forma, cachorros lobo são produto de cruzamento entre raças de convívio familiar, chamados Canis lúpus familiaris, e lobos cinzentos, chamados Canis lúpus. Esse “fenômeno natural” aconteceu, segundo especialistas, com o declínio da população de lobos na Europa e na América do Norte por efeito de ação violenta humana. assim, as espécies começaram a se misturar.

Por outro lado, criadores ao longo dos séculos perceberam ser possível mesclar as duas espécies a fim de se obter uma terceira. Esperavam características misturadas: força, comportamento, aparência etc. Nem sempre isso foi possível, contudo.

Conflito de opiniões de especialistas

Cachorro lobo: especialistas encontraram genes de coiotes em cachorros.
Cachorro lobo: especialistas encontraram genes de coiotes em cachorros.

Quantidade considerável de especialistas e estudiosos diz que é possível encontrar genes dos coiotes no DNA dos cachorros lobo. Essa questão foi levantada quando historiadores relataram determinado período de tempo em que esses animais sofreram grande diminuição no número de exemplares.

Outra questão conflitante, segundo esses estudiosos, é a dificuldade de se identificar o cachorro lobo primário. Ou seja, exemplares essencialmente lupinos. A mistura de genes se dá de maneira complexa em função da diversidade de subespécies caninas. Portanto, é difícil classificá-los de forma coerente.

Em paralelo, a ancestralidade dos cachorros lobo também é objeto de conflito. Há fósseis de 10 mil anos que apresentam características físicas e genéticas comparáveis a cães e lobo. Entretanto, os estudos não conseguiram evidenciar a teoria como verdadeira e a ideia foi esquecida no ramo científico.

Legislação sobre posse de cachorros lobo

Cachorro lobo: não a legislação clara sobre a posse dessas raças.
Cachorro lobo: não a legislação clara sobre a posse dessas raças.

Em função da diversidade de raças consideradas cachorros lobo, não há Leis claras associadas à posse desse tipo canino. Entretanto, convém averiguar se a raça de seu cachorro está ou não no rol daquelas vistas com essa característica pelo âmbito biológico.

Por curiosidade – e complemento desta informação – há regiões no mundo em que as Leis proíbem definitivamente a posse. Porém, há locais em que a proibição se refere a apenas algumas das raças tidas como de cachorro lobo.

Desta maneira, convém certificar-se dessa condição. Afinal, pode até ser que a posse não seja proibida, mas é possível que haja regras e regulamentos que devem ser seguidos pelos proprietários.

Por conseguinte, ainda que não haja Leis claras no Brasil, convém você atentar-se bastante a esta apresentação – em especial nas informações sobre comportamento e temperamento desse tipo de cão. É possível que você reflita e decida pela não posse. Ou pelo contrário.

Fatos gerais sobre o cachorro lobo

O cachorro lobo tem suas particularidades.
O cachorro lobo tem suas particularidades.

Os cachorros lobo apresentam algumas particularidades em relação à espécie em geral. Podem perder mais pelos que seus semelhantes. Isso acontece provavelmente em função de adaptação genética ainda em formação.

Quanto à saúde dos cachorros lobo, são vistos como efetivamente saudáveis. Isto é, não apresentam tendências a doenças de maneira alarmante. É possível que isso se dê em função justamente da mistura de genes, posto que o lobo é animal selvagem. Portanto, assíduo enfrentador de problemas naturais.

Afinal, esse tipo de animal foi desenvolvido exatamente para ter saúde física.

A vacinação é outro fato destacável. Especialistas alegam que a eficiência dos tipos de vacina encontrados no mercado é baixa no organismo dos cachorros lobo. Entretanto, criadores e amantes de cães contra-argumentam, alertando que isso é estratégia das autoridades para dificultar a posse.

Já a temperança, o comportamento claramente diferente de outros tipos de cães é produto da mistura de traços genéticos. Desta maneira, convém dar atenção especial a esse quesito.

Cuidados especiais necessários ao cachorro lobo

O cachorro lobo precisa de cuidados especiais.
O cachorro lobo precisa de cuidados especiais.
  • Em função justamente da mescla de genes, é importante que proprietários de cachorros lobo tenham já experiência em tratativas com cães em geral. Seus instintos podem fluir se não forem domesticados adequadamente. Se não encontrarem resistência no proprietário, tornam-se, eles sim, donos do território
  • A genética associada a lobos os transforma em cães extremamente ágeis, ativos. Assim, precisam fazer exercícios com mais frequência que outros. Caso contrário, é grande a possibilidade de se tornaram melancólicos e um tanto destrutivos
  • É grande a tendência à agressividade quando adultos – ainda por conta da genética. Assim, considere a necessidade de treiná-los, domá-los desde a primeira infância a fim de se socializarem
  • Gostam muito de áreas abertas. Talvez isso seja necessidade natural porque precisam expelir o máximo possível da energia contida em sua estrutura
  • Hábito de latir é natural nos cachorros lobo. Desta maneira, comece a treiná-los desde muito bebês
  • Por conta da perda de pelos, é preciso escová-los mais vezes para, assim, evitar acúmulo, entrelaçamento e opacidade
  • São dependentes de presença. Porém, não são necessariamente carentes. Apenas adoram companhias
  • Algumas raças não são lá muito amigas de crianças (veja mais abaixo). Assim, atente-se para o fato ideal de não haver crianças na família
  • A propriedade de cachorros lobo é proibida em muitos países; se não em todo o território, pelo menos em regiões. Portanto, antes de adquirir um indivíduo, certifique-se das regras do local em que você mora
  • A maioria das raças de cachorro lobo precisam que seus proprietários sejam mais enérgicos que eles próprios. Assim, seus instintos de lobo latentes em seus genes se afloram com menos intensidade

Raças de cachorros lobo

O Husky Siberiano é uma raça de cachorro lobo.
O Husky Siberiano é uma raça de cachorro lobo.

Como a gente disse acima, esse tipo de cão não é uma raça, mas um conjunto de raças. Ao longo dos séculos, a miscigenação alcançou diversas variantes caninas. Veja abaixo algumas delas.

Pastor Alemão

Talvez seja a raça que mais represente a espécie de cachorros lobo. Pelo menos visualmente. Especialistas alegam que, na conjuntura de espécies que formaram o pastor alemão, pelo quatro delas tinham origem lupina.

Husky Siberiano

O Husky Siberiano é um cachorro lobo muito dócil.
O Husky Siberiano é um cachorro lobo muito dócil.

Esse é outro representante clássico do tipo cachorro lobo. Seu porte, suas cores, seus traços físicos etc. lembram muito determinadas subespécies de lobos. Sua força física levaram as tribos Chukchi da Sibéria a usá-los como tração para trenós no ambiente inóspito da região.

Saarloos

A raça tem mais ou menos 80 anos e o nome é homenagem ao idealizador. Leender Saarloos, holandês amante e criador de cães, estudou o comportamento dos sheepherds e uma espécie de lobo da Europa. Buscava uma espécie canina suficientemente forte para trabalhos pesados.

Não se pode dizer que o holandês teve sucesso. O temperamento do saarloos tem muito mais de lobos que de cães. Contudo, são leais para com seus donos e muito atentos. Mas também não são muito afoitos a crianças. Precisam de grandes áreas para exercícios diários.

Nobre do Alasca

Em verdade, trata-se de nova variante canina. A semelhança com lupinos é admirada por qualquer pessoa. Para isso, foram cruzados espécimes de pastor alemão, malamute do Alasca, husky siberiano. Entretanto, há mais raças envolvidas na mescla.

Em contrapartida, o verdadeiro caráter de lobo do Nobre do Alasca não é consenso entre especialistas. Estes dizem que o nível genético não é suficiente para que seja considerado um cachorro lobo.

São profundamente leais com seus proprietários, ansiosos, curiosos e estão sempre em alerta. Porém, mostram-se bastante ariscos em relação a visitas e a crianças.

Quanto à domesticabilidade, por ser mescla muito nova, as informações não são consistentes para que se garantir que possam conviver em família.

Inuit Nortista

Talvez seja a raça criada quase especificamente para substituir mesmo o lobo de maneira mais direta. As primeiras mestiçagens foram feitas nos fins da penúltima década do século passado.

Muitos asseguram que tais experiências ocorreram no Reino Unido. Entretanto, outros muitos dizem que são originários do Canadá e que apenas se desenvolveram mais no reino europeu.

É mistura de pastor alemão, malamute e husky siberiano. Sua beleza e porte são tão destacados que alguns exemplares compuseram o elenco de uma das mais afamadas superproduções hollywoodianas, Game of Thrones.

Seu comportamento se altera um tanto quando em presença de crianças. Dizem os especialistas que isso é por conta do visual frágil infantil, que estimula o sentido de luta nos cães.

De maneira geral, os inuit do norte são amigáveis, mas sempre inteligentes e, portanto, teimosos.

Vallhund da Suécia

Essa variação possui registro de existência de milhares de anos. Ou seja, originou-se de maneira espontânea. Talvez por isso tenha temperamento bastante sociável com relação a humanos. Seu porte pequeno ou médio confirma essa tendência comportamental.

Consequentemente, é amigável, brincalhão e bastante companheiro. Foi usado por muitas décadas como cão auxiliar no manejo bovino e ainda detém algo dessa característica.

Portanto, é assíduo trabalhador, ou seja, precisa de exercícios diários. Porém, gostam de latir muito.

Tamaskan

Eles são carinhosos, inteligentes e curiosos. Possuem intensa energia e, assim, precisam exteriorizá-las em exercícios constantes e brincadeiras com muito movimento.

Uma especificidade sobre os Tamaskans interessante é que se tornou “raça” efetivamente a partir de 2012/13; outra é que sua criação objetivou unicamente geração de animal com aparência lupina. Para tanto, os idealizados misturaram husky e pastor alemão já com genes de lobo.

Exatamente por isso – a aparência -, essa raça tem se alastrado muito em todos os países, mais claramente nos EUA.

São considerados bons cães familiares por conta da postura divertida com que se expressam. Entretanto, precisam de movimento, de agitação, de companhia. Assim, atente-se a esse fato.

Hierran das Canárias

Trata-se de tipo de cachorro originário da ilha El Hierro, Espanha. Não se sabe muito sobre a época de sua origem, mas há relatos de sua presença por parte de capelães já no séc. XV. Isso se deu durante a época dos Conquistadores espanhóis.

Cachorro lobo da Tchecoslováquia

Esse espécime foi desenvolvido na década de 50 para auxiliar no serviço de patrulhamento das fronteiras dos países circunvizinhos. É ativo, excelente “trabalhador braçal” e companheiro. Intensamente forte, necessita de atividades diárias e constantes para manter o porte e extrapolar energia.

Muitas outras raças têm semelhança e temperamento apropriados para ser consideradas como cachorro lobo. Elencá-las aqui tornaria esta apresentação bastante extensa. Portanto, se você ainda tiver dúvidas sobre a raça de seu animal, escreva pras nossas equipes ou deixe sua questão nos comentários abaixo.

Categorias
Comportamento & Personalidade

Mais de 30 nomes de cachorros famosos: conheça os novos “influencers”

Nomes de cachorros famosos no Instagram acumulam milhões em barganhas de grandes marcas no mundo inteiro e transformam-se em cães celebridades.

As redes sociais estão repletas de imagens e vídeos de animais de estimação posando para fotos nas mais variadas situações. Simplesmente, é inacreditável a quantidade de visualizações e compartilhamentos que uma única imagem ou vídeo pode gerar.

Não é só isso. Quem tem uma conta no Instagram já deve ter reparado na quantidade de perfis de cães celebridades fazendo o maior sucesso. Atualmente, todos esses nomes de cachorros famosos acumulam milhões de seguidores. Ou seja, com tamanha visibilidade, acabam virando fonte de renda para seus donos.

Nomes de cachorros famosos: “pet influencers” e/ou “itpets”

Como se não bastasse o novo fenômeno das novas profissões que passaram a existir em consequência das redes sociais – bloggers, vloggers, itgirls, digital influencers -, agora temos também, os “pet influencers” e os “itpets”!

“Digital Influencer” é um termo em inglês que, em tradução livre, significa influenciador digital. Ou seja, um “pet influencer” é um animal que atua como profissional na internet através de personagens nas mídias sociais influenciando na escolha ou estilo de vida de seus seguidores.

O intuito é ganhar visibilidade através de seguidores, de modo a promover a identificação das pessoas com o perfil ou com o conteúdo divulgado. Em outras palavras, os pet influencers e itpets atuam como formadores virtuais de opinião através de estratégias de marketing.

Esta prática de exposição em rede social tem levado donos de animais de estimação a criar perfis exclusivos e compartilhar fotos de seus animais como opção de negócio. Enquanto isso, as pessoas estão até largando seus empregos para se tornarem “agentes” pessoais de seus cães e se dedicarem à eles tempo integral.

Um verdadeiro fenômeno no mundo inteiro que já está começando a ganhar relevância aqui no Brasil também. Doido?! Hoje, nem tanto assim — bem, talvez só um pouquinho.

Nomes de cachorros famosos: Menswear Dog Bodhi (@mensweardog)

Yena Kim e David Fung, moram em NY, ela fashion designer e ele graphic designer. De acordo com o casal, tudo começou em um final de semana chuvoso. Kim estava entediada e decidiu vestir o seu cão com camisetas e tirar várias fotos dele. Segundo ela, ao invés de correr ou se esconder, o cachorro começou a fazer pose de modelo. E assim, nasceu uma estrela!

“Eu trabalhava na Ralph Lauren, mas queria passar mais tempo com o meu cão, por isso pedi demissão – conta Yena Kim, fundadora da Menswear Dog.”

Bodhi, um cão da raça Shiba Inu, é apenas um dos nomes de cachorros famosos que se tornaram celebridade na internet. Isto é, Bodhi é modelo profissional e uma personalidade da mídia social conhecido por Menswear Dog. Yena Kim é sua dona tempo integral; sendo que largou o emprego que tinha alguns anos atrás para apenas focar na carreira de Bodhi.

Hoje, os projetos relacionados ao Menswear Dog incluem patrocinadores e campanhas publicitárias para as mais variadas marcas, além de um livro. Para citar algumas, por exemplo, Coach, American Apparel, Victorinox Swiss Army, Ted Baker, Brooks Brothers, Salvatore Ferragamo, ASOS, Hudson Shoes, Revlon, Todd Snyder, The Tie Bar, Polyvore, Purina e Brooks Brothers.

Nomes de cachorros famosos: Chico, o gato (@canseidesergato)

Não é só cachorro que faz sucesso na internet e fica famoso. Como Bodhi, o gato Chico também começou a sua carreira de modo despretensioso. Logo depois, virou um gato de nome famoso entre vários outros nomes de cachorros famosos nas mídias sociais.

Amanda Nori, sua dona, atua na área de marketing e um dia passou a publicar fotos divertidas de Chico no perfil Cansei de Ser Gato. Segundo ela, foi junto da amiga Stefany Guimarães que tiraram fotos de Chico usando fantasia e publicaram no Facebook.

Ou seja, o post teve enorme repercussão, e assim acabou incentivando-as a produzir mais conteúdo. Consequentemente, em dois meses, ambas deixaram seus empregos para cuidar exclusivamente do perfil de Chico e desenvolver novos projetos.

As primeiras fotos do perfil se transformaram em um livro. Depois, as fantasias usadas por Chico, foram parar na vitrine da loja virtual. Em seguida, outros produtos passaram a fazer parte do estoque da loja. Por exemplo, camisetas, canecas e estampas de almofadas são vendidas no site, além da publicidade com marcas de diferentes segmentos. (Fonte: Catracalivre.com.br). Chico já foi notícia em tudo quanto é site na internet, e já foi citado até em programa famoso de televisão. Chico tem até um vídeo no YouTube, confira:

Nomes de cachorros famosos: Fred, o cão ( @fredthedogue)

O Fred é outra celebridade entre os nomes de cachorros famosos, um Dogue de Bordeaux que vive em Curitiba. A jornalista Angela Antunes e o representante comercial Wellington Paris são seus donos. Segundo o casal, a primeira foto de Fred foi publicada assim que ele chegou em casa, aos dois meses de idade.

Sendo assim, o perfil de Fred já passa de mil seguidores, e mais da metade são estrangeiros. No entanto, ao contrário de Amanda e Stefany, o casal não tem planos de transformá-lo em fonte de renda, pelo menos por enquanto. Embora Angela saiba que fora do país existem perfis que trabalham como embaixadores de marcas famosas, ela prefere não investir seu tempo nisso agora.

Por enquanto, sua motivação para alimentar o perfil de Fred no Instagram é compartilhar os momentos especiais que tem com ele, além disso, também poder informar quais os locais onde o acesso dos cães é permitido.

Nomes de cachorros famosos: o céu é limite para os negócios

Nomes de cachorros famosos: Shit Tzu de chuquinha posando para foto.
Nomes de cachorros famosos: Shit Tzu de chuquinha posando para foto.

Bodhi e Fred são apenas alguns dos nomes de cachorros famosos dentro de uma infinidade de outros animais de estimação e outras criaturas que, graças aos seus inúmeros seguidores nas redes sociais, assim geram renda através de conteúdo patrocinado e aparições pagas.

Embora a maioria deles ainda não faz o suficiente para que seus donos larguem seus empregos, com exceção de Bodhi e o gato Chico, a demanda por esses digital “pet influencers” vem crescendo a cada instante, ou melhor, clique.

Há um tempo, grandes marcas de Vogue a Mercedes-Benz, estão aproveitando perfis de animais populares para promover seus produtos. Esses perfis em mídias sociais se tornaram uma espécie de subproduto da ascensão do marketing influenciador. E embora essas companhias alcancem audiências menores, por sua vez, essas audiências são mais engajadas através de publicações no estilo-orgânico (sem precisar pagar por anúncio).

Além disso, contas de animais podem ter uma vantagem sobre os populares influencers humanos. Visto que, a pessoa que acessa o perfil não nota que está sendo atacada por uma propaganda. Por falar nisso, nem liga, pois a imagem de um cãozinho super fofo, atraente ou engraçado é bem mais poderosa.

Nomes de cachorro famosos: um focinho fofinho não dói

Katie Sturino era a dona de Toast (toastmeetsworld), uma cadelinha da raça Cavalier King Charles Spaniel, que hoje já faleceu, mas que deixou o seu legado de celebridade às suas irmãs Muppet, Pants e Cheese. Toast foi outro nome entre tantos outros nomes de cachorros famosos no Instagram.

De acordo com a sua dona, mesmo que as pessoas percebam que determinada publicação seja uma propaganda, não tem importância. Na opinião dela, o fato do animal ser fofo já é suficiente para que as pessoas se identifiquem com o perfil. Em outras palavras, ninguém vai entrar no Instagram, por exemplo, e destilar o seu ódio em relação aos animais de estimação.

Nesse sentido, Shirley Hao, dona de Tibby, outro cão celebridade entre tantos outros nomes de cachorros famosos na internet, também concorda com Sturino. Tibby é um Corgi que possui mais de 150 mil seguidores no Instagram. Segundo Hao, Tibby faz parte de um time de animais de estimação da famosa companhia de ecommerce de móveis Wayfair. Dessa forma, o seu trabalho é posar para fotos em peças de móveis selecionadas pela companhia e publicá-las em seu perfil. Em troca, sua dona recebe um orçamento bimestral da companhia.

A maior parte dos acordos de patrocínio de Tibby são em forma de mercadoria em troca de uma publicação nas redes. No entanto, desde que Corgi passou de 50 mil seguidores no Instagram, algumas marcas estão dispostas a oferecer dinheiro em troca da representação pelo cachorro celebridade. Enquanto isso, Tibby segue sua vida de “pet influencer”, e as pessoas continuam seguindo o seu perfil parecendo não se importar com essa influência.

Nomes de cachorro famosos: dá pra viver de fofura

No momento, Hao, a dona de Tibby, diz cobrar um bom valor por um post no Instagram, com taxas extra se a imagem for publicada em outras plataformas (Tibby possui perfil no Tumblr e no Facebook). Até agora, Hao não pretende largar o seu emprego de consultora de mídia social. Segundo ela, embora os negócios com Tibby sejam uma boa perspectiva, ela curte a sua profissão.

Para nomes de cachorros famosos com perfis com mais seguidores, as rendas podem ser ainda maiores. De acordo com Sturino, a dona de Toast e suas irmãs, se você tiver mais de um milhão de seguidores, a sua chance de conseguir uma boa soma por um post no Instagram é enorme. Segundo ela, as irmãs de Toast ainda não estão nesse nível. No entanto, a demanda é alta o suficiente para que ela comece a pensar em pedir demissão do seu emprego para poder focar seu tempo integral nas aparições, patrocinadores e outros compromissos de seus cachorros.

Kim, a dona de Bodhi, que desistiu do seu emprego alguns anos atrás, diz não ter se arrependido. Para ela, é como se fosse uma espécie de trabalho freelancer bem remunerado, sendo que ela pode passar um bom tempo ao lado do seu amigo.

Talvez não seja bem uma carreira que todos almejam. Talvez seja até tudo muito surreal e instável depender do seu cachorro para viver. Por outro lado, é o que faz isso tudo ser tão surpreendente. Para muitos pode ser uma vida absurda. Mas no final das contas, para muita gente que ama seus animais de estimação, pode ser uma boa chance de passar mais tempo com eles e ser feliz ganhando dinheiro com isso.

Nomes de cachorros famosos: o conteúdo é crucial para o sucesso

A esta altura, já deve ter dado pra entender que a chave do sucesso para qualquer negócio na internet é conteúdo. Se o seu site ou o seu perfil na rede social apresenta bons conteúdos, você está no caminho certo.

De acordo com publicitário Gustavo Teles, CEO da Influencers, agência de marketing de influência que administra nomes de sucesso na internet, o que determinará o sucesso desses perfis nas redes sociais é, sem dúvida, o seu conteúdo.

Na opinião do especialista, quando um perfil tem credibilidade suficiente, a produção de um bom conteúdo ganha a empatia do público e alavanca a sua audiência. Em outras palavras, se você publica fotos bem feitas, consistentes e conceituais constantemente, você tem grandes chances de sucesso. Assim, toda essa credibilidade e audiência pode ser revertida em rentabilidade.

Segundo Teles, a renda por visualizações para quem tem audiência, no entanto é apenas uma das formas de monetização. Como no caso de Bodhi e Tibby, o dono do perfil pode negociar patrocínios e uma infinidade de formatos publicitários, assim como produtos assinados e conteúdos patrocinados. Vale ressaltar, que é importante manter uma certa sutileza ao comunicar a marca, uma vez que os seguidores estão ali pelo conteúdo e não pelo patrocínio ou marca sendo divulgada.

Outra estratégia importante para transformar um perfil em fonte de renda é estar sempre atento à sua audiência a fim de manter o engajamento e chamar atenção de anunciantes. Isto é, a linguagem do seu conteúdo deve ser adequada ao seu público. Ou seja, respeitar a sua audiência (seguidores), é fundamental para a manter a atividade por mais tempo. Na opinião do especialista, é preciso ser criativo para elaborar formas diferentes de comunicação, conteúdos cada vez mais atraentes e escolher os melhores canais e redes sociais, conforme o nicho.

Nomes de cachorros famosos: os queridinhos das redes sociais

Labrador posando para foto de fantasia de rena.
Labrador posando para foto de fantasia de rena.

Esses cachorros deixaram de existir apenas em nossos corações para ocupar e dominar as redes sociais. Muitos deles se tornaram nomes de cachorros famosos em redes sociais como Instagram, Snapchat e Youtube com mais de mil seguidores. São eles:

1. Maddie (@thiswildidea) – 1,2 milhões de seguidores

Theron Humphrey nos mostra o mundo através de fotos publicadas com sua querida Maddie. À princípio, a cadela Maddie é mais um dos nomes de cachorros famosos que mais possuem seguidores no mundo.

2. Tuna (@tunameltsmyheart) – 1,9 milhões de seguidores

Tuna é um cão vira-latas abandonado que foi adotado por Courtney Dasher. Com isso, foi transformado em celebridade. Suas fotos em fantasias divertidas e seu sorriso autêntico é arrebatador.

3. Buddy e Boo (@buddyboowaggytails)

Apresentado como o cachorro mais fofo do mundo, Boo é o Lulu da Pomerânia mais famoso do Instagram. Boo começou a fazer sucesso com vídeos no YouTube, em seguida atingiu o ápice do seu sucesso no Facebook. Além disso, Boo já teve até livro publicado. E vive postando fotos ao lado do seu companheiro de mesma raça chamado Buddy.

4. Doug the Pug (@itsdougthepug)

O Pug é uma das raças mais engraçadas de cachorro, e o Doug The Pug, é um dos nomes de cachorros famosos dessa raça. Assim, ele faz fotos e vídeos temáticos, muito criativos, imitando vários personagens de filmes e séries e celebridades. É hilário de acompanhar.

5. Baby Beckham (@baby.beckham)

Baby Beckham é um nome de cachorro famoso da raça Samoieda que vive publicando fotos pelas montanhas geladas do mundo.

6. Lucielle Bull (@lucyfarted) – 20,6 milhões de seguidores

Lucy é uma Buldogue inglês incrível que publica fotos muito fofas e divertidas.

7. Harry (@harrythedowniepug) – 7.658 seguidores

Harry é um Pug que vive na Suécia com sua mãe. Para tanto, usa o Instagram para documentar sua vida incrível e muito fofa, que inclui principalmente comer, dormir e brincar no parque.

8. Marnie (@marniethedog) – 2,1 milhões de seguidores

Marnie é uma Shih Tzu conhecida por sua cabeça inclinada e língua sempre pendente. Por causa disso, suas fotos são além de fofas, muito engraçadas.

9. Chloé (@chloetheminifrenchie)

Chloé é uma cadela da raça buldogue francês. Suas fotos são sempre sobre incríveis viagens pelo mundo. Para isso, Chloé está sempre bem vestida e em poses divertidas.

10. Dean (@deanthebasset) – 228 mil seguidores

Dean é um cachorro da raça Basset Hound muito conhecido por suas longas orelhas e seus olhos profundamente emotivos.

11. Toby (@tobypuff) – 59,7 milhões de seguidores

Toby é um Chow Chow apaixonante. Seu perfil traz fotos dele fazendo várias atividades diferentes. Como por exemplo, nadando e tentando fazer amizade com outros cachorros.

12. Snowy (@snowyfoxterrier) – 3.929 mil seguidores

Snowy é um cachorro da raça Fox Terrier de energia incrível. O seu perfil mostra o seu crescimento, desde que começou quando ainda era filhote.

13. Maru (@marutaro) – 2,6 milhões de seguidores

Maru é um cachorro da raça Shiba Inu originário do Japão muito fofo e sorridente. Acompanhe suas aventuras e os inúmeros sorrisos que elas proporcionam no rostinho peludo do Maru. O peludo da raça Shiba-inu é acompanhado por pessoas de todas as partes do mundo. De fotos correndo no campo até àquelas em que ele espera para devorar uma guloseima, Maru tem sempre um ar tranquilo e leve.

14. Corgnelius e Stumphrey (@corgnelius) – 96,2 milhões de seguidores

Corgnelius e Stumphrey (também conhecidos por seus apelidos, Corgi e Stump Stump) são dois irmãos da raça de cachorro Corgi que vivem todas as suas aventuras na cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos.

15. Jimmy (@rafaelmatesso) – 604 mil seguidores

Jimmy é um cachorro da raça Bull Terrier. O seu perfil no Instagram é um dos mais badalados do reino animal. Rafael mistura fotos reais do seu cãozinho com desenhos.

16. Euro (@eurosaurus) – 243 mil seguidores

Euro é da raça Jack Russell Terrier, e mora na Tailândia. Com isso, tá sempre aparecendo em fotos e vídeos divertidos.

17. Harlow, Sage, Indiana e Reese (@harlowandsage) – 1,6 milhões de seguidores

Esse perfil mostra o dia-a-dia de Harlow, Sage, Indiana e Reese, cãezinhos inseparáveis sempre flagrados em momentos divertidos e inusitados.

18. Ciça & Polo e Mika (@caopanheirolabra) – 95,6 milhões de seguidores

Polo é um Labrador retriever que adora praia. Ele e sua filha Mika adoram praticar Standup paddle com sua dona, a Ciça.

19. Guri (@vidadepug) – 3,6 milhões de seguidores

Guri abre sua rotina no Instagram para você acompanhar de perto todas as suas travessuras.

20. Polenta e Purê (@polentaepure) – 1,2 milhões de seguidores

Purê e Polenta são dois buldogues franceses que juntos, vivem tentando destruir o apartamento de seus donos e têm suas artes registradas e compartilhadas no perfil.

21. Whisky Johnson (@whiskyssauro) – 169 mil seguidores

Whisky Johnson é um cachorro da raça Shih Tzu que acredita ser um dinossauro.

22. Thedogist (@thedogist) – 2,4 milhões seguidores

Este perfil é comandado pelo fotógrafo Elias Weiss Friedman. No perfil, há milhares de fotografias de cachorros retratados com muito estilo e descontração em diferentes lugares do mundo.

23. Bono (@bonosurfdog) – 48,4 milhões de seguidores

O Bono é um cão que adora surfar com o seu dono e até detém o título de “bicampeão mundial de surf dog”.

24. Momo (@andrewknapp) – 597 mil seguidores

A Momo é uma cadelinha da raça Border collie fotografada em diferentes cenários dos Estados Unidos e Canadá, pelo seu dono, o fotógrafo Andrew Knapp.

25. Norm (@jermzlee) – 333 mil seguidores

Norm é, sem dúvidas, o Pug mais querido do Instagram. Desse modo, o cãozinho é fotografado em situações inusitadas pelo seu dono Jeremy Veach. As imagens são bem divertidas.

26. Manny (@manny_the_frenchie) – 1,1 milhões de seguidores

Manny é um cachorrinho da raça buldogue francês que vive posando para as câmeras de seus donos em Chicago. Assim, suas melhores poses são quando o cãozinho está dormindo.

27. Desmond (@desmondthegolden) – 42,2 milhões de seguidores

Desmond é um cachorro da raça Golden Retriever que mora na Califórnia. Além disso, Desmond é filhote de vencedores de competições de beleza.

28. Lola e Cícero (@a_lola_love_) – 48,5 milhões de seguidores

Lola, um buldogue francês, e Cícero, um Pug, possuem diversos registros de suas aventuras juntos. Além disso, seu dono faz montagens divertidas, na verdade, ilustrações de cartões.

29. Estopinha (@estopinharossi) – 137 mil seguidores

Estopinha é uma vira-lata adotada pelo famoso zootecnista Alexandre Rossi, desse modo se tornou um fenômeno da internet.

30. Paçoca (@pacocadog)

Paçoca é o cachorro da raça Lulu da Pomerânia do apresentador Celso Zucatelli e, já até apareceu muito na televisão.

31. Pagu (@paguoficial) – 7,3 milhões de seguidores

A Pagu é uma Golden Retriever paulistana. Isto é, ela vive posando em cartões postais da cidade, como por exemplo o Parque do Ibirapuera e a Avenida Paulista.

32. Tofu (@tofugordinho) – 3.400 mil seguidores

O Tofu é um buldogue francês que costuma aparecer nas fotos junto de seu irmão da mesma raça. Além disso, a sua especialidade é tirar fotos em preto e branco. Com isso, as fotos possuem enorme diferencial, e são super bacanas.

33. Joy (@karinabacchi_joy) – 131 mil seguidores

Joy é o Lulu da pomerânia, da modelo e atriz Karina Bacchi. No Instagram, Joy costuma posar acompanhado das amigas caninas Doll e Fóff.

34. Mané (@manemanezinho) – 5,7 milhões de seguidores

Mané é um Boston Terrier que além de posar no Instagram, ainda “conta” suas aventuras e viagens também no seu site (www.manepelomundo.com.br).

35. Café e Django (@cafeprejuizo) – 25 mil seguidores

Café e o Django são dois vira-latas que parecem até gêmeos. Com o sucesso na internet, ganharam até produtos personalizados, como almofadas e camisetas.

Nomes de cachorros famosos: dicas para a sessão de fotos perfeita

Nomes de cachorros famosos: filhote de buldogue francês tigrado dormindo com uma toca de papai noel
Nomes de cachorros famosos: filhote de buldogue francês tigrado dormindo com uma toca de papai noel

Se depois de ler tudo isso, a ideia for ingressar o seu cachorro nessa aventura, já comece a se organizar. Além disso, não demore muito que a concorrência só aumenta. A Suzanne Donaldson, ex-editora de fotografia da revista Glamour é especialista em fotografar animais (acesse o site dela, o Mrs. Sizzle). Assim, para facilitar o seu trabalho, aqui vão algumas dicas valiosas dela para tirar as melhores fotos do seu cãozinho e torná-lo um dos nomes de cachorros famosos nas redes sociais:

1. Não tire fotos contra o sol

Para fotos ao ar livre, o cachorro deve ficar à sua frente, com a luz do sol bem atrás de você. Além disso, faça uso de petiscos e brinquedos, um em cada mão. E não se esqueça, a luz da manhã e final de tarde são as melhores.

2. Deite no chão

Vida de fotógrafo não é moleza. De fato, não pode ter medo de sujar as mãos nessa profissão, às vezes a roupa inteira também. Por isso, para uma foto perfeita, você vai ter que se abaixar e até deitar no chão para pegar os melhores ângulos.

3. Invista em acessórios

Os acessórios para cachorros, assim como cenários são super importantes para incorporar o personagem e passar o conceito da foto. Calma, não precisa pirar. Ou melhor, pire! Afinal, criatividade aqui não tem limites. Portanto, seja criativo!

4. Use planos de fundo simples

Lembre-se que o foco da imagem é o seu cachorro, por isso cuidado para que planos de fundo não comprometam suas fotos. Para tanto, use fundos simples e sem distrações. Além disso, abuse de ambientes claros. Se souber desfocar o fundo, melhor ainda.

5. Fique atento aos closes

Os closes dão um ar cômico às fotos, ninguém resiste. No entanto, tome cuidado para não deformar a foto a ponto de não dar pra entender o que você está querendo passar com a imagem.

6. Converse com eles na língua deles

Isso mesmo que você leu, fale com o seu cachorro na língua dele. Ou seja, lata pra ele. Dessa forma, ele vai prestar atenção e olhar para você super atento. Assim, é capaz de você conseguir o close perfeito.

7. Tente se divertir

O mais importante, divirtam-se! Isto é, a sessão de fotos tem que ser divertida, senão ele não vai gostar de posar para as fotos. Se você notar que ele não curte colocar acessórios, ficar parado ou tem medo da câmera, não insista. Assim, você pode traumatizar o cachorro, e isso não é legal. Nem todos nascem o para os holofotes. Mas se você perceber que ele adora, vá em frente!

Nomes de cachorros famosos: dicas de aplicativos de redes sociais para pets

Você já conhece o Instagram, o Snapchat, Facebook e Youtube, mas tem vários outros aplicativos de redes sociais exclusivos para animais de estimação. Isto é, várias outras opções muito bacanas de usar. Selecionamos os 5 melhores apps de redes sociais para você:

1. App BarkCam

Nomes de cachorros famosos: icone aplicativo bark cam
O BarkCam é um aplicativo de fotos, disponível para iOS, que permite capturar os melhores ângulos dos animais de estimação. A partir de sons atraentes, o app chama a atenção do seu cachorro. Com isso, as fotos perfeitas estão garantidas.
Baixe aqui

2. App Dog Breeds

Nomes de cachorros famosos: icone aplicativo dog breeds
O Dog breeds é um aplicativo gratuito que traz para o celular o conteúdo do site Petsie, uma espécie de rede social animal. Portanto, com mais de 110 mil perfis, os donos de animais de estimação já disponibilizaram mais de 1 milhão e 500 mil imagens de seus animais. Assim, é um excelente aplicativo para referências.
Baixe aqui

3. App Klooff

Nomes de cachorros famosos: icone aplicativo klooff
O Klooff é uma rede social para animais de estimação para Android e iOS. Com ela, você pode postar foto e atualizar o status do seu animal. Assim, os bichanos recebem curtidas, comentários e são compartilhados por outros usuários. Além disso, você pode ver lista dos animais mais populares e as suas altas produções.
Baixe aqui

4. App Petinder

Nomes de cachorros famosos: icone aplicativo petinder
O Petinder é um aplicativo para Android e iOS que funciona como o app Tinder (aplicativo para encontrar parceiros por geolocalização), só que para animais de estimação. Com isso, ajuda o dono a encontrar um “match” para o pet, que esteja próximo ao seu.
Baixe aqui

5. App Swisspets

Nomes de cachorros famosos: icone aplicativo swisspets
O Swisspets é um aplicativo gratuito que funciona como rede social exclusiva para bichinhos de estimação. Além de estar disponível em iOS, o usuário pode interagir com pets e ainda postar fotos dos seus animais.
Baixe aqui

Referências externas:
Daily Mail / Fortune / Techtudo

Categorias
Adoção & Registros Comportamento & Personalidade Dicas & Curiosidades

Cachorro vira lata: o melhor cachorro para qualquer atividade

Se você quer um cachorro para caminhadas, curtir as montanhas juntos ou viver com você no campo, na praia ou na cidade, nem precisa procurar por um criador de raças. A melhor companhia para qualquer atividade vai sempre ser o cachorro vira lata. Além disso, ele é a escolha mais sensata, barata e ética que você poderá fazer na vida.

Não é difícil se deparar por ai com as “7 melhores raças de cachorros para caminhadas”, “As 20 melhores raças de cachorros ativas”, “As 10 melhores raças de cachorros para o calor”… Todos esses títulos podem ser encontrados na primeira página de busca do Google se você digitar raças para atividades ao ar livre.

Todos eles, sem exceção irão listar uma série de raças de cachorros adequadas às atividades que você procura. De fato, qualquer uma dessas raças será mesmo adequada. Afinal, muitas delas foram criadas exatamente para desempenhar certas atividades.

Mas a verdade é que, qualquer cão de raça pura não se compara ao cachorro vira lata. O melhor cachorro, para qualquer tipo de gente, para desempenhar qualquer atividade, é o cachorro vira lata.

Cachorro vira lata: a evolução da raças

Fotos de cachorro vira lata: uma companhia para a vida inteira e qualquer atividade.
Fotos de cachorro vira lata: uma companhia para a vida inteira e qualquer atividade.

Os cachorros evoluíram especificamente para viver em perfeita simbiose com os seres humanos há cerca de 20.000 anos atrás. Por outro lado, as reproduções caninas modernas realizadas para atingir certas características físicas e mentais, no entanto, têm menos de 200 anos.

A atividade como conhecemos hoje, foi desenvolvida na Inglaterra na era Vitoriana. Coincidentemente, no mesmo período em que a ideia de eugenia (ciência criada para aprimorar a raça humana através de reprodução seletiva controlada em torno de características hereditárias desejáveis) começou a surgir.

Cachorro vira lata: a necessidade de um regulamento

Ao passo que o interesse nos cachorros passou de necessidade utilitária para uma necessidade de companhia, as pessoas passaram a desejar se gabar sobre seus animais de estimação como já faziam com seus cavalos e armas de fogo valiosas. Visto que, os esportes de caça com cachorros como companhia também cresciam em popularidade.

Logicamente, não se pode comprovar a superioridade em relação ao cachorro sem um sistema de classificação para definir essa casta. Desse modo, enquanto características específicas se tornavam codificadas, os tipos de cachorros foram denominados. Assim, seus criadores passaram a cobrar uma boa soma de valores por esses animais.

Depois disso, precisou-se criar um sistema para definir e regular o que estas pessoas estavam vendendo. Sendo assim, o primeiro Clube de Canil foi fundado em 1873 para suprir esta necessidade. Desse modo, surge também o conceito de que um certo tipo de cachorro poderia se tornar uma marca ao atingir um ponto alto característico de venda.

Cachorro vira lata: o animal como produto de marca

Dessa forma, como qualquer produto bom ou marca no mercado, a sua aceitação depende muito mais do impacto da propaganda de um certo estilo de vida, nível social e personalidade nas pessoas. Ou seja, nem tanto apenas da divulgação dos benefícios que as características da raça de cachorro trariam consigo.

Isto é, até hoje adquirimos bens e produtos apenas para convencer a todos de um estilo de vida ou status social. É como comprar uma caminhonete “off road”, por exemplo, para demonstrar que você possui o estilo aventureiro. Naquela época, você compraria um Fox terrier ou Beagle para demonstrar o seu interesse pela caça esportiva. Além disso, poderia dessa forma mostrar a todos que é capaz de bancar a sua participação no esporte. Em seguida, todos os seus vizinhos iriam te invejar e querer o mesmo. Dessa maneira, a Inglaterra exportou a ideia, o mundo inteiro comprou, e cá estamos hoje. Completamente entregues ao comércio de raças de cachorros.

Cachorro vira lata: reproduções genéticas limitadas

De forma simples, a reprodução canina consiste em cruzar um casal de cachorros com certas características específicas desejáveis. Em seguida, perpetuar essas mesmas características através dos seus filhotes. Assim, ao repetir o processo por gerações a fio, os criadores são capazes de acentuar essas características de forma isolada.

Naturalmente, a atividade parece ter um objetivo razoável. Se você deseja criar cachorros dóceis, basta cruzar dois cachorros dóceis para reproduzir filhotes dóceis. O problema é que, se você quiser cachorros ainda mais dóceis, você terá que cruzar entre si os mesmos cachorros dóceis. Em seguida, terá que passar a cruzar entre si o restante da linhagem de cachorros dóceis para continuar a perpetuar essas mesmas características.

Em pouco tempo, se você quiser continuar a perpetuar essas características obtidas, você terá uma seleção muito limitada de cachorros para combinar entre si. Ou seja, é aqui que surgem os problemas de cruzamentos pela falta de diversidade genética.

Cachorro vira lata: a importância da reprodução consciente

Um estudo conduzido no Reino Unido, descobriu que certa população de 10.000 Pugs por exemplo, possuía uma diversidade genética de apenas 50 indivíduos. Enfim, uma triste constatação para a raça que poderá brevemente ter sérios problemas genéticos daqui para frente.

Em outras palavras, é como se os seres humanos começassem a se reproduzirem entre si dentro de uma mesma família. Com isso, os problemas genéticos pela falta de diversidade genética com o passar do tempo seriam muitos.

Daí a importância que se dá a criadores responsáveis, que prezam pela qualidade de suas reproduções. O fato é que, cada vez mais, não estamos podendo contar com isso. Visto que o negócio se tornou muito lucrativo e algumas raças mais populares. Resultando em uma inflação de comércio ainda maior entre elas.

Você tem ideia de quanto custa um filhote de raça? Todo mundo sabe que não é barato. E quanto custa um cachorro vira lata filhote? Bem, absolutamente nada. Daí, já se conclui a razão para tudo isso.

O que é um Cachorro vira lata?

Fotos de cachorro vira lata: filhote sem raça definida brincando com brinquedo de corda maior que ele.
Fotos de cachorro vira lata: filhote sem raça definida brincando com brinquedo de corda maior que ele.

Nós somos todos culpados. Quando vemos um cachorro e, inicialmente não conseguimos identificar o tipo, logo perguntamos: “Qual a raça dele?”. Se, você tem um cachorro vira lata, provavelmente você vai gastar um tempo explicando as possíveis misturas de raças nele. Por exemplo, você diria algo como: uma mistura de Pastor Alemão, Rottweiler, Pitbull anão para descrevê-lo.

Certo? Desculpe, mas terei que discordar de você. Embora as raças de cachorros sejam produtos de um processo de seleção artificial, o cachorro vira lata é simplesmente um cachorro na sua forma natural com todas as suas variações.

Ou seja, através da reprodução entre misturas de raça, estes cachorros uma vez de raça pura, reintroduzem uma diversidade genética aos seus filhotes, assim criando o que simplesmente chamamos de cachorro.

Ao contrário do cruzamento seletivo, que acaba com a diversidade genética do cachorro, o cachorro vira lata é uma seleção natural pura em curso. Isto é, estes animais, espertos o suficiente para evitar que sejam castrados, passam seus genes para a próxima geração de vira latas natos. Os famosos cavadores de buracos, mastigadores de chinelos e caçadores de gatos.

Assim também, ao introduzirem outras raças à mistura, acabams por alterar o plano da natureza divina. Nesse sentido, o cachorro vira lata hoje possui uma variedade muito maior que apenas simples cachorros de outrora. Ou seja, muito mais bacana!

Cachorro vira lata: caos natural

Atualmente, os cachorros apresentam características físicas mais diversas que qualquer outra espécie de animal no Planeta. De fato, as raças de cachorro possuem as maiores diferenças em tamanho, as mais diversas variações de cores e marcações, e os mais ridículos designs de penteados. Rs!

O cachorro vira lata tem as maiores variações: combinam não só as características reprodutivas seletivas de seus ancestrais, mas as cartas surpresas obtidas quando esses genes controlados encontram o caos.

Cachorro vira lata: o problema da endogamia

Fotos de cachorro vira lata: Cachorro abandonado na rua assistindo ao espetáculo do pôr do sol.
Fotos de cachorro vira lata: Cachorro abandonado na rua assistindo ao espetáculo do pôr do sol.

Endogamia é quando reproduzimos animais intimamente relacionados, ou seja, de uma mesma linhagem, ao longo de muitas gerações. Assim, com tantos tipos de cachorros competindo para suprir nossas necessidades e caprichos, vamos sendo convencidos a pensar que o melhor exemplo de cachorro de raça pura pode ser até melhor que outros da mesma raça. Ou, até melhor que todos os outros tipos de cachorros.

Bem, na realidade não pode. Cachorros de raça pura, acredite ou não, são uma escolha até inferior. Vamos explicar abaixo as razões e o por quê:

Cachorro vira lata é mais saudável

Endogamia é endogamia, não importa do que for chamada. Ou seja, cruzamentos controlados de características seletivas também podem passar defeitos genéticos a gerações seguintes. Por exemplo, a displasia de quadril em Pastores Alemães, ou os problemas de visão entre Cocker Spaniels.

Para tanto, é só buscar no Google qualquer raça de cachorro seguida de “problema de saúde” e você vai encontrar uma lista longa. De acordo com a PetMD, a lista por Cocker Spaniel Inglês irá incluir: atrofia de retina progressiva, cataratas e glaucoma. Além disso, outras doenças como displasias, torção gástrica, epilepsia, cardiopatias, pedras no rim, otite, hipotireoidismo, seborréia, alergias e por aí vai.

De fato, esses não são simplesmente problemas que qualquer cachorro estará sujeito. Ou seja, todos esses problemas foram especificamente criados em todo Cocker Spaniel devido ao simples fato dele ser uma raça pura. Tanto é que, muitas raças aqui mesmo listadas já tiveram que superar ou passar por correções genéticas para se livrar de alguns problemas. É o caso do Cão Boiadeiro de Berna que teve a sua expectativa de vida super diminuída ao longo desses anos por conta de problemas de saúde hereditários.

Cachorro vira lata vive mais

Ou seja, um cachorro raça pura tem um risco maior de adquirir problemas de saúde como câncer e uma expectativa de vida canina menor que um vira lata. Você sabe quantos anos vive um cachorro vira lata? Provavelmente muito mais que um cachorro de raça, mesmo que tenha sido saudável a vida inteira.

Isto dá-se, em grande parte, por esses problemas de saúde. Portanto, a reprodução canina não só interfere na seleção natural, que deveria eliminar esses problemas naturalmente. Mas atua ativamente em agravar esses problemas permitindo que genes recessivos de manifestem. Principalmente, criadores irresponsáveis que só visam lucrar e perpetuar modismos (cachorros cada vez menores, mutações genéticas para lançar cores, como os cachorros merle e albinos). Portanto, o cachorro vira lata é mais saudável, e assim você não vai ter que se preocupar com por quantos anos vive um cachorro vira lata.

Cachorro vira lata é mais dócil

Muitos estudos publicados e notícias com relação a incidentes envolvendo mordidas de cachorros listam raças puras como principais culpados. E o pior é que, nem sempre são as raças de cachorros esperadas por todos. Inacreditavelmente, no Reino Unido por exemplo, os Labradores são os que mais mordem carteiros. Rs!

Do mesmo modo, os supostos Golden Retrievers mais dóceis que qualquer outra raça, são “mordedores” notórios. Portanto, assim como reproduzir cachorros para conseguir uma certa aparência facilita a propagação de problemas genéticos, isso também agrava problemas de comportamento caninos.

Isto é, cachorros criados para ter equilíbrio mental ao desempenhar esportes também precisam extravasar sua energia e instintos assassinos. Com isso, falhar em oferecer um exercício adequado ou estímulo apropriado (ou nem tentar), pode fazer com que o cachorro expresse essas tendências de outras formas.

Foi o caso do Buldogue inglês, que foi criado para ser resistente e agressivo para lutar contra touros. Mas, que depois de ter o esporte banido e ficado com má reputação, teve a sua genética modificada para atenuar sua agressividade. Mesmo assim, muitos problemas de saúde ainda lhe restaram, como por exemplo os respiratórios.

Já o cachorro vira lata é mais dócil porque além do fato de não ter vindo de reprodução seletiva, não possui agravantes com relação a problemas mentais pela mesma razão. O cachorro vira lata é geneticamente atenuado. Sem falar que por ter sido abandonao e traumatizado, tem amor e carinho de sobra em forma de gratidão eterna.

Cachorro vira lata tem um tamanho ideal

Por causa das variações extremas de tamanho para agradar a vaidade das pessoas, cachorros de raça muito grande ou extremamente pequenos sofrem de uma série de problemas de saúde. Já o tamanho do cachorro vira lata é equilibrado.

Obviamente, existem cachorros vira lata grandes e pequenos, mas livres de mutações genéticas, eles tendem a ficar no meio termo. Idealmente, um cachorro deve ter mais de 9kg e menos que 45kg, assim os ossos, juntas e órgãos duram mais e trabalham melhor. Nesse sentido, o cachorro vira lata está exatamente no tamanho ideal.

Cachorro vira lata é flexível

Criados para atingir certas habilidades físicas, os cachorros de raça pura muitas vezes decepcionam. Por exemplo, Greyhounds são rápidos, mas não possuem energia. Os Cães Montanheses de Berna são muito fortes, mas se forem exercitados ao extremo acabam prejudicando as juntas. Muitas dessas raças são especialistas em alguma coisa. Já o cachorro vira lata não é.

Nesse sentido, por ter vários genes e poucas anormalidades genéticas, o cachorro vira lata é naturalmente robusto, tanto fisicamente quanto mentalmente. Com isso, é fácil vê-los trabalhando à serviço de alguém, caçando pássaros, brincando com crianças, protegendo famílias. Portanto, o que faz dele um cachorro versátil, é o fato de que ele é capaz de lidar com todas essas tarefas, não apenas uma ou duas.

Cachorro vira lata: ética por trás da compra

Fotos de cachorro vira lata: cãzinho esperando para ser adotado no abrigo junto a outros cachorros.
Fotos de cachorro vira lata: cãzinho esperando para ser adotado no abrigo junto a outros cachorros.

Talvez, o argumento mais importante por trás da compra de um cachorro de raça pura seja a ética com relação a esse conceito. Quer dizer, faça a sua pesquisa e encontre um bom criador. Provavelmente, você encontrará uma raça de cachorro pura que se encaixe no seu estilo de vida e que será relativamente saudável.

Assim sendo, você será capaz de amá-lo e de se orgulhar dele. Assim, quando alguém perguntar sobre a raça dele, certamente você terá uma resposta concreta para esta pergunta. No entanto, você também estará contribuindo para o sofrimento de milhões de cachorros pelo mundo todo.

Pausa dramática.

Não é exagero. Mesmo que o seu cachorro tenha vindo de um criador relativamente pequeno, responsável e de boa reputação, o desejo pela raça pura que você está promovendo é responsável pela existência de verdadeiras “fábricas de filhotes”.

Só nos Estados Unidos, existem 10.000 lugares como esses que produzem cerca de 1.8 milhões de cachorros anualmente. Consequentemente, essas operações alimentam muitos desses problemas aqui descritos. Além disso, são responsáveis por condições desumanas e produção de animais nada saudáveis.

Cachorro vira lata: cada escolha conta

Fotos de cachorro vira lata: cachorro abandonado na rua.
Fotos de cachorro vira lata: cachorro abandonado na rua.

Neste caso, entre escolher um cachorro vira lata filhote e um filhote de raça, vidas são colocadas em jogo. Cada vez que uma raça pura é comprada, uma oportunidade perdida de salvar a vida de uma cachorrinho necessitado é perdida.

Atualmente, mais de 3.9 milhões de cachorros dão entrada em abrigos todos os anos, sendo que 1.2 milhões são eutanasiados. Cada um desses filhotes comprados nessas fábricas poderia ter salvo a vida de outro cachorro vira lata filhote dos abrigos.

Infelizmente, do jeito que andam as coisas, escolher comprar um cachorro ao invés de adotar é permitir que muitos outros sofram e morram. Esta escolha alimenta um ciclo insustentável, antiético e desumano de produção industrial e descarte de animais.

Adotar um cachorro vira lata de um abrigo não só salva a vida dele, mas reduz a demanda pela fabricação de filhotes. Com isso, quem sabe acaba contribuindo para uma mudança no comportamento de mercado. Sem falar que, um cachorro vira lata será uma companhia ainda melhor por mais tempo e ainda te custará bem menos.

Além disso, o cachorro vira lata será único, não algo que alguma outra pessoa poderá comprar também. Ame-o, orgulhe-se dele. Assim, quando alguém perguntar que tipo de cachorro é o seu, diga: é um cachorro vira lata. Um cachorro! Quem sabe assim, isso fará com que essa pessoa decida adotar um também.

Categorias
Comportamento & Personalidade

Cachorro no trabalho melhora o astral do ambiente

Cachorro no trabalho ajuda a melhorar a atmosfera do ambiente. No entanto, trazem seus riscos e suas responsabilidades ao coletivo.

A maneira como as pessoas estão tratando suas vidas profissionais vem mudando o comportamento e a atmosfera dentro do local de trabalho. Com isso, está cada vez mais comum a convivência entre pessoas e seus animais de estimação até mesmo no ambiente de trabalho.

Cachorro no trabalho está cada vez mais comum

cachorro-trabalho-melhora-astral-ambiente2
Cachorro alegrando um dia comum de trabalho no escritório. (Crédito/Copyright: “Por Anchiy/Shutterstock”)

Hoje é possível entrar em um estabelecimento comercial, uma firma ou escritório e se deparar com um cachorro deitado em um canto ou aos pés de seu dono embaixo da escrivaninha.

Conversamos com alguns empresários e proprietários de pequenas empresas à respeito dessa nova tendência. O intuito foi tentar entender o motivo ou motivação que os levaram a tal comportamento de levar o cachorro no trabalho.

Bárbara Goldberg, por exemplo, é executiva de uma firma de Relações Públicas, uma micro empresa com escritório em Hollywood, na CA. A empresária acredita que levar a sua cadela Rosie, uma buldogue inglesa, para o escritório melhora a qualidade da sua vida profissional. Goldberg ainda vai além e diz que Rosie, eleva astral do ambiente e ainda diminui a tensão entre seus funcionários.

Outro exemplo é Brent Robertson, executivo de uma firma de consultoria em Connecticut. O executivo, entre uma conferência telefônica tediosa e outra, relaxa apenas ao olhar seu Golden retriever, Gus, rolar no carpete aos seus pés. Segundo Robertson, Gus é presença constante na firma. Assim como Pookie e Ari, dois outros cachorros de propriedade de outros colegas de trabalho.

Cachorro no trabalho também pode ter função específica

cachorro-trabalho-melhora-astral-ambiente3
Cachorro deitado em seu cantinho quieto e paciente sem atrapalhar a rotina do escritório. (Crédito/Copyright: “Por Michael Lofenfeld/Shutterstock”)

Muito além de uma antiga tradição entre livrarias e antiquários possuírem gatos, algumas delicatessens e outros estabelecimentos urbanos também optam pela presença desses animais de estimação.

Antigamente, a presença dos gatos era usada por donos de estabelecimentos para afastar problemas com roedores, uma função bastante antiga na rotina destes animais de estimação.

Por este, entre muitos outros motivos, pequenas empresas de cultura mais relaxada, tem adotado a mesma prática. E assim, tem sido mais frequente a aceitação de animais de estimação no ambiente de trabalho.

Cachorro no trabalho alivia o estresse

cachorro-trabalho-melhora-astral-ambiente5
Poodle aos pés de seu dono enquanto ela trabalha em seu laptop. (Crédito/Copyright: “Por Rasulov/Shutterstock”)

Muitos proprietários de estabelecimentos comerciais e executivos de pequenas empresas acreditam que a presença de animais ajudam a levantar a moral de quem trabalha no local. Assim, o animal é capaz de melhorar a atmosfera no trabalho e aumentar a produtividade de todos.

Já foi discutido e até provado em milhares de estudos que a convivência com o animal de estimação é capaz de melhorar o humor, afastar a depressão e aumentar a longevidade das pessoas. Portanto, não seria diferente dentro do ambiente de trabalho.

Nesse sentido, tanto Goldberg dona da buldogue Rosie, quanto Robertson, dono do Golden Retriever Gus, afirmam que seus funcionários parecem sorrir e ficar imediatamente mais felizes na companhia dos caninos.

Existe até um estudo conduzido pela Sociedade de Administração de Recursos Humanos que descobriu que 7% das organizações permitem animais de estimação no ambiente de trabalho.

Há também quem diga que alguns cachorros, como o Foxy, um Lulu da Pomerânia, consegue pressentir quando os funcionários precisam de algum conforto. Segundo o seu dono, o proprietário de uma firma de desenvolvimento de aplicativos em São Francisco na CA, a Badger Maps, Foxy sabe direitinho quando e quem está precisando de um carinho. E todos ali concordam que os cachorros são intuitivos e possuem a habilidade de reconhecer quando alguém está estressado.

Cachorro no trabalho deve ser permitido por todos

cachorro-trabalho-melhora-astral-ambiente4
Buldogue francês deitado em sua caminha em seu canto no escritório. (Crédito/Copyright: “Por Patryk Kosmider/Shutterstock”)

Mas como nem tudo são flores e nem todo mundo, concorda que animais pertencem a estes ambientes de trabalho, regras devem ser seguidas.

Para muitos clientes, o animal em um local público pode ser até um charme, mas para tantos outros nem tanto. Ou seja, algumas pessoas são até alérgicas ou têm medo. Portanto, podem simplesmente não querer permanecer nestes locais.

Por isso, além de obedecer a regras, permissões e leis sobre ter animais onde comida é preparada, locais públicos ou frequentados por muitas outras pessoas, é preciso haver consenso. Ou seja, as pessoas precisam considerar o fato de ter que acomodar melhor clientes e funcionários incomodados ou desconfortáveis ao redor destes animais.

Algumas das questões que devem ser consideradas neste caso, incluem certificar-se que que o seguro da companhia cobre qualquer incidente. Como por exemplo, ataques ou mordidas. Além disso, é preciso manter os animais bem comportados e devidamente treinados. Assim, eles não assustam visitantes ou pessoas que podem não estar acostumadas a este convívio.

Além disso,espera-se que durante as entrevistas de trabalho, patrões deixem bem claro aos seus futuros funcionários que possivelmente haverá cachorros no ambiente. E mais, deve-se perguntar também se isso seria algum problema. Muitos proprietários procuram ouvir seus funcionários a respeito antes de decidir trazer seus cachorros para o ambiente de trabalho. Assim, todos devem concordar, não apenas alguns.

Algumas pessoas de fora também podem não gostar da ideia. Como por exemplo, mensageiros, entregadores e até clientes que tenham medo de cachorro. Deve-se criar formas de solucionar este problema. Ou seja, ter um local onde prendê-los enquanto estas pessoas circulam no local.

E se a moda pega?

E se todos os funcionários resolvem trazer seus cachorros? Como seria possível abrigar a todos? E como fazer com que isso funcione sem tumultuar de vez o ambiente ou atrapalhar o trabalho e o desempenho de todos?

Neste caso, o melhor é criar diferentes itinerários com horários definidos para que todos tenham a mesma chance. E assim, possam se organizar. Há de se criar também regras e limites de convivência. Como por exemplo, determinar os locais em que eles possam circular livremente e onde não podem ter alcance, como a mobília.

Mas na maioria das vezes, um negócio se torna “pet-friendly” quando é o dono que passa a trazer o seu animal para o local de trabalho. E muitas questões de comportamento e convivência podem vir à tona. No entanto, a maioria concorda: nada que não se possa lidar.

Se a buldogue Rosie começa a latir durante uma ligação importante, tem sempre alguém para distraí-la e levá-la para longe do telefone.

Quando o Golden Gus e outro cachorro de algum funcionário na firma não estão se dando bem, nada que uma voltinha no quarteirão não resolva. Ou até algumas sessões com um treinador para ajudar nessa convivência.

Assim, com todos de acordo e regras sendo cumpridas, a paz é sempre restaurada. Basta um pouco de compreensão, bom senso e boa vontade entre todos.

Categorias
Comportamento & Personalidade

Cachorro malcriado: Porque os cachorros se comportam mal

Uma surpreendente proporção alta de cachorros se comporta mal: um estudo recente mostrou que mais de 90% dos cachorros de estimação não se comportam perfeitamente, e mais de 50% não se comportam tão bem quanto seus donos gostariam.

Embora seja mais fácil atribuir o mau comportamento dos cachorros à traços do temperamento “independente”, “mal treinado” ou “excessivamente excitado”, quando os detalhes das situações e ambientes que provocam o mau comportamento são analisados, há uma ligação em comum. O stress ocasionado pela exposição a sons específicos pode ser uma das principais razões para os cães começarem a se comportarem mal.

Cachorros possuem audição ultra-sensível

porque-cachorros-comportam-mal2
Daschhund envergonhado depois de rasgar toda a almofada do sofá de seu dono. (Crédito/Copyright: “Por holbox/Shutterstock”)

Cachorros podem ouvir sons mais agudos que seres humanos (mais de 45000Hz comparado a apenas 23000Hz de um jovem adulto) e eles podem ouvir volumes mais baixos também (eles podem ouvir sons 4 vezes mais distantes que um ser humano). Esta diferença em sensibilidade auditiva significa que os donos na maioria das vezes não tem ideia do bombardeio de sons que os cães são submetidos e o stress que estes sons podem induzir.

Cachorros se comportam mal em ambientes onde há barulhos que percebem como estressantes

porque-cachorros-comportam-mal5
Filhote roendo o cordão do tênis do seu dono. (Crédito/Copyright: “Por Anna Hoychuk/Shutterstock”)

Uma pesquisa em andamento – feita por John Bowen no Royal Veterinary College (faculdade de veterinária em Londres) – tem analisado dois aspectos do comportamento canino: primeiro, ambientes onde cachorros mostraram comportamentos medrosos, e depois, os sons específicos que causaram o medo nos cachorros. O estudo, talvez de forma previsível, mostrou que os cachorros eram mais suscetíveis a ter medo em ambientes onde há barulhos que eles não gostam. Embora isso pareça óbvio, a informação pode ser usada para ajudar cães a superar algumas situações inevitáveis (como andar de carro ou ficar na sala de espera do veterinário). Se o medo dos sons associados a estes ambientes ou locais é abordado, o stress dessas experiências pode ser diminuído, e os cachorros podem depois passar a se comportar de maneira mais relaxada, ou sej, de uma forma melhor.

Exemplos de situações em que os cães podem se comportar mal, incluem:

  • Durante o passeio ou caminhada, se tiver gatos ou outros animais por perto;
  • A sala de espera da clínica veterinária;
  • Em casa durante festas;
  • Locais onde há barulhos que ele não gosta (fogo de artifícios, por exemplo)
  • Sons impregnados com tons emocionais.

O estudo observou 58 tipos de barulhos, revisando o quanto os cães mostraram sentir medo quando expostos ao som de duas amplas fontes:

  1. Uma origem social, de uma pessoa ou animal (e.g. latido ou grito)
  2. Uma origem inanimada ou não social (e.g. fogos de artifício ou aspirador de pó)

porque-cachorros-comportam-mal3
Golden Retriever com cara de quem não se comportou nada bem. (Crédito/Copyright: “Por Jaromir Chalabala/Shutterstock”)

Os resultados mostraram que os cachorros eram mais sensíveis ao tom emocional de barulhos sociais: mais de 35% dos cães mostraram medo de vozes de raiva, 25.4% reagiram a gritos, enquanto apenas 12.7% reagiram a vozes altas. Isto significa que vocalizações emocionais humanas são uma causa comum de stress para os cachorros, e pequenas reuniões sociais podem ser uma fonte significativa de stress também para os cães, principalmente se as pessoas começarem a ficar muito agitadas e discutirem.

Vozes altas ou raivosas são comuns quando, por exemplo, uma família ou um grupo de amigos assistindo à um jogo de futebol ou qualquer outro esporte que envolva torcidas, principalmente se tiver junto times adversários, ou alguma discussão política ou qualquer outro assunto que gere polêmicas.

Choro e gritos, vozes altas, são mais frequentes em reuniões sociais onde há crianças presentes. Ou ambientes abusivos onde há muita briga e discussão em família. Cachorros costumam achar estes episódios estressantes, e isto pode acabar resultando em “mau comportamento”.

Barulho de animal também afeta os cães: latidos e ganidos são barulhos com um significado social para os cachorros, sugerem angústia e alarme. Cerca de 17.8% dos cachorros reagem com medo a latidos, e 16.9% a ganidos. Com isso, podemos concluir que os cães acham estressantes locais onde há muitos latidos ou ganidos, como na clínica veterinária (sala de espera ou canil) ou em aulas de treinamento que tenham cães muito barulhentos, por esta razão provavelmente é comum cachorros possuírem “mau comportamento” nestes ambientes.

Cachorros também reagem fortemente a ruídos altos repentinos

porque-cachorros-comportam-mal4
Filhote rouba pé de T6enis do seu dono e faz bagunça na sala pra chamar a atenção para o que está sentindo. (Crédito/Copyright: “Por radFX/Shutterstock”)

Quando sons inanimados foram investigados, o mais aterrorizante foi causado por fogos de artifícios (37%), trovões (29%) e tiros (24%), assim como barulhos comuns do dia a dia como aspirador de pó (25%), barulhos de construção e obras em geral (16%) e trânsito barulhento como ônibus ou caminhões (15%). Portanto, qualquer experiência que inclua exposição a estes sons provavelmente poderá levar a ansiedade por barulho, com consequências comportamentais subsequentes.

Proteger os cachorros de stress por causa de barulho pode melhorar o comportamento deles

Enquanto é impossível manter os cachorros em uma “bolha à prova de som”, a consciência do impacto do barulho no comportamento do cachorro significa que dois passos podem ser seguidos para abordar o problema.

1. Deve-se dar mais atenção a prevenção de medos de barulho através da exposição deliberada e precoce dos filhotes a uma variedade de barulhos desde pequenos para que eles cresçam acostumados e se tornem adultos mais “tolerantes a barulhos”;

2. Deve-se dar mais atenção ao fato de se ter mais consciência com relação ao estado emocional dos cachorros em ambientes barulhentos, particularmente em reuniões sociais e festas em casa ou na vizinhança, ou nas salas de espera das clínicas veterinárias, ou quando crianças estarão ao redor deles. Estas são situações comuns em que o comportamento do cachorro poderá ser fortemente influenciado pelo medo do barulho. Se os donos possuem consciência de que o estado comportamental de excitação do cachorro está relacionado ao medo de barulhos como estes, pode-se fazer algo a respeito (e.g. providenciar um local para o cachorro se retirar, organizar períodos de tempo em que o cão possa ”dar um tempo” do barulho ou até mesmo uso estratégico de medicamentos anti ansiedade).

É muito fácil culpar os cachorros pelo mau comportamento, como se isso fosse algo inevitável. A verdade é que os cachorros são criaturas sensíveis. Se pudermos entender mais e melhor o que vai na cabeça de cada um deles, será bem mais fácil adaptar nossas interações para que seres humanos e seus cães vivam juntos felizes em harmonia.