Categorias
Atividades & Adestramento

Passeio com cachorro: conheça os novos serviços de dog walker

Ter um cachorro exige, sem dúvida, dedicação, tempo, dinheiro e muito amor. Cachorros, de fato, precisam passar tempo com seus tutores, brincar, se exercitar. O fato é que, com a correria do dia a dia, muitas pessoas não tem tempo nem para fazer um passeio com cachorro.

Por isso, surgiram inúmeros serviços para facilitar a vida dos tutores de cães. Entre esses serviços podemos mencionar os Day Care e serviços de Dog Walker.

Benefícios em passear com cachorro

homem em passeio com cachorro na coleira
Há muitos benefícios que um passeio com cachorro pode trazer.

Cães são, sem dúvida, animais sociáveis e brincalhões. Precisam, portanto, de distração, atenção e exercícios. Se ficarem presos muito tempo em um apartamento, por exemplo, podem desenvolver comportamentos indesejáveis relacionados à ansiedade.

Entre eles podem começar a se auto-mutilar ou destruir os objetos pela casa. Sem falar no risco maior de obesidade.

Em caso de falta de disponibilidade de tempo, a contratação de um profissional que faça passeios com o cachorro pode ser essencial. Conheça aqui quais são os principais benefícios desse exercício.

Passeio com cachorro previne obesidade

Como todo exercício físico, a caminhada diária ajuda na queima de calorias e, portanto, pode auxiliar na redução de peso ou na prevenção da obesidade.

Acalma o cachorro

Ao gastar a energia que faz com que o cachorro possa aumentar o peso, gasta-se também a energia acumulada que ele teria para destruir as coisas em casa, latir desesperadamente ou se auto mutilar.

Exercícios físicos diários tem, nos cães, o mesmo efeito que tem em humanos. Promove uma série de secreções de hormônios que promovem felicidade e bem estar. Portanto, as caminhadas são de extrema importância para acalmar o cachorro.

Passeio com cachorro ajuda na socialização

Muitos cachorros são, certamente, um pouco arredios à novas amizades. No entanto, a grande maioria gosta de ver e brincar com outros cães nos parques e na rua. Esse tipo de contato com outras pessoas e animais pode ser muito benéfico para o cachorro.

Dog Walker – Serviços de passeio com cachorro

passeio com cachorro na coleira
O dog walker é um serviço especializado em passeio com cachorro.

Para muitas pessoas muito engajadas com o trabalho e que, além disso, vivem em grandes cidades, é muito difícil arranjar tempo para tudo. Passeios com cachorro, infelizmente, entram nessa lista na maioria das vezes.

Dog Walkers, ou passeadores, são pessoas que prestam exatamente esse serviço: passeio com cachorro.

Responsabilidades do dog walker

O trabalho de Dog Walker não é tão simples. De fato, geralmente, requer a capacidade de executar as seguintes tarefas:

  • Fornecer exercícios para os cães dos clientes (geralmente de meia hora ou de uma hora).
  • Recolher e jogar fora os excrementos de cães durante as caminhadas.
  • Verificar o suprimento de água e comida dos cães para garantir que as necessidades básicas sejam atendidas após as caminhadas.
  • Notificar os proprietários e procurar atendimento veterinário para qualquer cão que fique doente ou ferido sob sua supervisão.

Os passeadores de cães são, portanto, responsáveis ​​pela segurança dos cães de seus clientes durante as caminhadas. Por isso, eles geralmente solicitam que seus clientes preencham um documento listando suas informações de contato, informações de contato de seu veterinário e outras informações importantes sobre o cão, como idade, raça, peso, condições médicas e medicamentos atuais.

Alguns passeadores de cães trabalham sozinhos, enquanto outros contratam passeadores adicionais para trabalhar como parte de seus negócios. Isso permite que o negócio de passear com cães atenda a um número maior de clientes e potencialmente expanda sua área de serviço. Além disso, alguns passeadores de cães também optam por oferecer serviços adicionais, como cuidar e cuidar de animais de estimação.

Passeadores de cães também têm a opção de trabalhar com empresas como a Dog Hero. Trata-se de uma plataforma na qual passeadores independentes se inscrevem e se disponibilizam para o serviço na região. O pagamento e contratação ocorre diretamente pela plataforma onde é possível marcar o dia e horário para o serviço.

Passeio com cachorro – chance de renda extra

durante passeio com cachorro ele deve ficar na coleira
O passeio com cachorro pode ser uma oportunidade renda extra.

O serviço de passeio com cachorro pode ser, por outro lado, também a fonte de uma renda extra ou se tornar até mesmo o trabalho principal de uma pessoa. Clientes, certamente, não faltarão caso o serviço seja feito com carinho e responsabilidade.

No entanto, alguns itens são necessários:

  • Recomenda-se fazer um bom curso de formação de dog walker;
  • Bom preparo físico para aguentar longos passeios;
  • Ter consigo um kit de primeiros socorros completo;
  • Ter conhecimento profundo sobre o comportamento animal.

Vantagens e desvantagens do serviço de Dog Walker

Há muitas vantagens e desvantagens no serviço de passeio com cachorro.
Há muitas vantagens e desvantagens no serviço de passeio com cachorro.

Vantagens:

  • Liberdade de fazer o próprio horário;
  • Liberdade de vestuário;
  • Passar bastante tempo com animais.
  • Caminhar é um exercício saudável e positivo para saúde do animal e do passeador também.

Desvantagens:

  • Dependendo da disposição do passeador, o deslocamento de uma residência para outra pode representar um problema.
  • O serviço fica prejudicado com o clima. Dias de chuva podem representar um impedimento.
  • Para garantir uma renda estável, é necessário ter muitos clientes fieis.

 

 

 

Categorias
Atividades & Adestramento

Animal de Assistência Emocional: O que é? Para que serve? Como conseguir?

Você sabe o que é um Animal de Assistência Emocional? Quem tem um animal de estimação, sabe que a presença do bichinho pode trazer benefícios à saúde. No entanto, para algumas pessoas com deficiência ou com transtornos mentais e/ou emocionais, a presença de um animal pode ser fundamental para o seu funcionamento diário.

De fato, o apoio emocional e conforto proporcionados por um animal de estimação permite que algumas pessoas lidem com desafios que poderiam comprometer sua qualidade de vida. Esse tipo de pet é conhecido como Animal de Assistência Emocional.

É, portanto, um ajudante de quatro patas, que pode ser de qualquer espécie, utilizado no controle e suporte de pacientes psiquiátricos. Existem, entretanto, diferenças entre um animal de assistência emocional e um animal de serviço que devem ser esclarecidas.

Animal de Serviço VS Animal de Assistência Emocional

Como mencionado anteriormente, existem algumas diferenças entre estes animais incríveis.

Os Animais de Serviço geralmente são cães treinados para determinadas funções que auxiliam e facilitam a vida das pessoas que possuem algum tipo de deficiência física. Entre eles estão:

  • Cães-Guia, que auxiliam pessoas com deficiência visual;
  • Cães-Ouvintes, que ajudam pessoas com deficiência ou incapacidade auditiva;
  • Cães de Alerta, que auxiliam a alertar pessoas para condições frequentes, por exemplo, pessoas com epilepsia ou diabetes
  • Cães de Serviço, que ajudam pessoas com deficiência orgânica ou motora, buscando objetos, abrindo portas, entre outras tarefas.

É evidente que o cachorro é o animal mais utilizado para essas funções, sendo que costumam ser utilizados cães de raças de grande porte e com facilidade de aprendizado como Labradores e Pastores Alemães. Isso acontece porque estes animais costumam ser extremamente inteligentes e obedientes. Além disso possuem força e agilidade.

Os animais de apoio emocional, por sua vez, não precisam necessariamente ser treinados, já que existem para promover conforto a pessoas com alguma condição emocional (como depressão e ansiedade). Além disso, para que seja considerado um animal de assistência emocional, o bicho não deve ser necessariamente um cachorro!

Que espécies podem ser Animais de Assistência Emocional?

Cães são, sem dúvida, os animais mais comuns para esse tipo de função. Mas como foi dito anteriormente, não é uma obrigatoriedade. Podem, de fato, ser usados felinos, aves, tartarugas, cavalos e até mesmo suínos! O importante é que o animal seja dócil e não cause perigo à sociedade.

Como o principal benefício destes animais é a sua presença, não necessitam de um treino específico. Ou seja, o treino básico de obediência é o suficiente. Todavia, é primordial que possam conviver com outras pessoas e animais de forma saudável.

Para que tipo de distúrbios são indicados?

Esses animais costumam ser indicados para pessoas com diversos distúrbios mentais e emocionais, como depressão ou ansiedade.

A intenção dessa interação é distrair o dono e dar conforto, aliviando os sinais e sintomas da patologia. Existem relatos de pessoas com níveis de ansiedade paralisantes que conseguiram retomar uma vida quase normal devido ao companheirismo destes animais.

Segundo o site ESA Registration of America, esses animais são utilizados também para dar suporte a:

  • Militares e Veteranos (já que podem ter severos danos emocionais causados por traumas de guerra),
  • Portadores de Depressão;
  • Pessoas portadoras de autismo,
  • Portadores de doenças psiquiátricas.

Como animais de estimação podem ajudar?

  • Está clinicamente provado que tocar num animal acalma as pessoas, reduzindo a sua frequência cardíaca. Assim, sintomas de ansiedade ou pânico podem ser imediatamente reduzidos apenas pelo toque e proximidade.
  • Estudos publicados no American Journal of Cardiology indicam que pessoas que convivem com animais de estimação apresentam níveis de estresse e de pressão arterial mais controlados. Por isso, tem menos chance de desenvolver problemas cardíacos.
  • Promovem estímulo para exercícios físicos. De fato, a presença do animal promove a atividade física diária já que é necessário levá-los para passear. Este fator acaba provocando redução da ansiedade e a pressão arterial, conforme comprovam estudos efetuados nos Estados Unidos e na Europa.
  • Estimula a socialização. De fato, falar sobre animais de estimação costuma, aproximar pessoas com o mesmo interesse.
  • Senso de responsabilidade. Um animal de estimação, de fato, requer cuidados diários como: passeio, higiene e alimentação.
  • Companhia. Afinal, ter um bichinho ameniza, sem dúvida, a sensação de solidão.
  • Sensação de segurança. Uma pesquisa realizada pelo Centro de Sono da Mayo Clinic, em Scottdale, no Arizona (EUA) afirmou que dormir com animais de estimação faz bem! Os estudiosos avaliaram 150 pacientes e descobriram que quem dormia com seu pet, relaxava mais pela sensação de segurança.
  • Enfim, mas não menos importante, a presença de um animal de estimação ajuda a combater a depressão. De fato, estudos indicam que o relacionamento entre humano e animal tem como um dos principais efeitos o aumento da produção e liberação de serotonina e dopamina, chamados também “hormônios da felicidade”.

Como se não bastasse, muitos animais tem ainda a capacidade de prever e acusar um surto de pânico ou de ansiedade. Ao verificar o acontecimento, muitos animais (principalmente os cães) sabem como pedir socorro a pessoas próximas.

Nos EUA, o Animal de Assistência Emocional já é uma realidade consolidada

Nos Estados Unidos, o animal de apoio emocional já é uma realidade consolidada e conhecida com a sigla ESA (Emotional Support Animals).

Pessoas que sofrem de distúrbios como ansiedade generalizada, depressão, transtornos do humor, ataques de pânico, fobias específicas e outros, podem obter uma carta de um profissional de saúde mental que ateste a necessidade desse tipo de apoio emocional.

A posse desta carta, permite que o paciente transite em qualquer lugar com seu animal, assim como acontece com animais de serviço. Ou seja, mesmo nos lugares onde a presença de animais é explicitamente proibida como restaurantes, museus, hotéis, hotéis, pousadas e inclusive na cabine de aviões.

Os direitos dos donos dos animais de apoio emocional são regulados por duas leis: o ‘Fair Housing’ que garante que o dono não poderá ser prejudicado no alojamento por ter o cão, e pela lei que os permite voar no avião ao lado do dono.

Entretanto, as regras só valem com a apresentação da carta emitida pelo profissional de saúde mental onde conste a confirmação da necessidade do animal para o bem-estar do dono.

Quais animais são proibidos durante os voos?

A Air Carrier Access Act, de 1986, permite que os animais de assistência voem dentro da cabine, sem custo adicional, desde que eles não perturbem os demais passageiros.

Os animais devem ficar acomodados de baixo ou em frente ao assento, sem obstruir o corredor ou saídas de emergência. A lei afirma ainda que animais pouco comuns serão avaliados caso a caso e que as companhias aéreas não são obrigadas a aceitar cobras, furões, roedores e aranhas.

Uma grande variedade de animais de serviço é permitida na parte da cabine da aeronave voando para e dentro dos Estados Unidos. No entanto, a maioria dos animais de serviço ainda tende a ser cães e gatos. As companhias aéreas, portanto, tem liberdade de proibir a entrada de animais incomuns e/ou com as seguintes características:

  • Muito grandes ou pesados ​​para serem acomodados na cabine;
  • Que sejam uma ameaça direta à saúde ou segurança dos outros;
  • Que possam causar uma interrupção significativa no serviço de cabine; ou
  • Que sejam proibidos de entrar em um país estrangeiro.

O Brasil e a aceitação de Animais de Assistência Emocional.

No Brasil, está cada vez mais comum encontrar locais chamados Pet Friendly, ou seja, amigáveis com animais. Isso já facilita muito a vida de alguém que precisa levar um animal de apoio emocional.

É evidente que no Brasil está ocorrendo um movimento de conscientização muito grande a esse respeito. No entanto, é necessário bom senso. De fato, dificilmente será permitida a entrada de um cavalo ou de um porco em um restaurante, por exemplo.

Legislação

Infelizmente ainda não há uma regulamentação que permita a entrada de animais de assistência em locais de uso coletivo. O que existe hoje é a Lei nº 11.126, de 27 de junho de 2005 sobre o cão-guia. A lei garante às pessoas com deficiência visual o direito de se fazer acompanhar do cão de assistência em veículos e estabelecimentos de uso coletivo.

O que existe é o Projeto de Lei do Senado n° 411, de 2015 que altera a Lei nº 11.126/2005 e que ainda está em fase de aprovação.

O intuito da alteração é a de estender aos portadores de outras deficiências o mesmo direito. Ou seja, se aprovado, pessoas com outras deficiência também poderão ter a companhia de cães de assistência em locais de uso coletivo e em veículos públicos.

O Projeto de lei (PLS 411/2015) foi aprovado na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) e segue para análise da Câmara dos Deputados.

Companhias Aéreas no Brasil

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) ainda não tem uma regra específica sobre transporte de animais de apoio emocional. Como ainda existe uma lei apenas para cães-guia, estes podem e devem ser transportados gratuitamente na cabine da aeronave.

Por esse motivo, cada companhia tem a liberdade de criar suas próprias regras.

Algumas empresas aéreas, como a LATAM, já permitem o transporte de animais de assistência na cabine. Para isso, devem ser seguidas as mesmas regras de transporte de outros animais. Ou seja, devem ter tamanho limitado, que permita que fique em caixa de transporte que poderá ser acomodada sob o assento à frente e que não obstrua o corredor.

A mesma coisa acontece com a GOL. Entretanto a empresa deixa bem claro em seu site que o acompanhamento por um animal de assistência emocional é permitido apenas em voos com origem ou destino aos Estados Unidos.

Recomenda-se, portanto, que o passageiro entre em contato com a empresa aérea de interesse e verifique as normas da companhia. Além disso, é necessário atender, também, todas as normas nacionais e internacionais de transporte para realizar uma viagem com animal.

Além disso, é obrigatório fornecer um formulário de informação médica, o MEDIF (preenchido e assinado pelo médico pessoal), e um atestado ou carta de um profissional de saúde mental (identificado pelo número do registro, tipo e estado de emissão da carteira), em que conste o estado de saúde do passageiro.

Nesse atestado também deve constar a informação de que o animal é indispensável para o bem-estar emocional do passageiro. O documento deve ter sido emitido no máximo 1 ano antes do voo.

Como obter animal de assistência emocional

Como dissemos anteriormente, ao contrário de animais de serviço, o animal de assistência emocional não precisa passar por treino específico. Basta, de fato, que seja dócil, que obedeça aos comandos de seu dono e que não ofereça risco à sociedade.

Nos Estados Unidos, entretanto, os cães usados para essa função devem estar devidamente registrados no ESA Registration of America.

Ao fazer o registro (que é pago), o tutor no animal é munido de um certificado e itens de identificação para o pet. O mesmo órgão, estimula o uso das identificações para evitar constrangimentos em locais públicos e para que a informação seja clara para todos.

O constrangimento vem do fato que existem muitos ESAS falsos. O motivo? É simples. Animais de assistência podem voar gratuitamente com seu dono.

Uma prova disso é o aumento da quantidade de passageiros embarcando com animais de apoio emocional nos últimos anos: a United Airlines afirmou em nota que percebeu, por exemplo, um crescimento de 75% no número de ESAs transportados ano após ano.

Animal de assistência emocional não é frescura.

A conscientização da importância dos animais na vida das pessoas é essencial. É claro que ninguém é obrigado a gostar de conviver com animais (de fato muitos têm fobias, alergias e outros motivos). Mas o fato é que quem gosta, tem a oportunidade de extrair benefícios ilimitados com esse contato.

É importante pensar também que hoje em dia, temos grandes avanços no diagnóstico de doenças psiquiátricas que não ocorriam antigamente. Muitas pessoas que eram excluídas da sociedade antigamente, hoje se beneficiam de novos medicamentos e de estudos como esses que provam o benefício da interação homem-animal, tornando o entrosamento com a sociedade muito mais tranquilo.

As vantagens do tratamento e assistência com animais abrangem a todas as situações das pessoas, tanto físicas quanto psicológicas e, inclusive, o aspecto social. Os animais, enfim, oferecem um elemento motivador e socializador muito positivo para todos.

Referência Bibliográfica:

ESA: Santagostino Psiche
O Meu Animal – O que são Animais de Assistência Emocional (esan)?
Animais de apoio emocional: nos Estados Unidos, até porcos voam
Official Emotional Support Animal Registration
Guia PetFriendly

Categorias
Atividades & Adestramento Blog Cachorros

Jogos para cachorro: Os melhores jogos e brincadeiras para cachorro

Sim, eles brincam! Para aqueles admiradores de cães sem muito tempo para dar atenção a eles, isso pode parecer estranho. Esses admiradores oferecem todo conforto para seu cãozinho, mas talvez não tenham percebido que ele precisa se divertir também. Então, este artigo vai mostrar também todo o universo dos jogos para cachorro e que brincadeiras são muito importantes para os pets.

Veja bem. Seu cão passa o dia inteiro sozinho? Trancado num apartamento? Ou num quintal restrito? Ainda, se o quintal não for restrito, ele passa o dia observando a liberdade de outros cães brincando na rua? Então, este artigo é para você. Vai descobrir que jogos para cachorro são muito mais importantes que simplesmente momento de descontração para os proprietários.

Por outro lado, também, este artigo é para quem tem um tempinho para brincar com seus cães e gostaria de conhecer todos os tipos de brinquedos disponíveis. Vamos lá!

Para ir mais profundamente, você conhece, por exemplo, o início da criação de jogos para cachorro? E de fabricação de brinquedos para pets? Sabia que essa atividade nem mesmo se destinava a cães?

Porém, antes de listar os jogos para cachorro e brinquedos mais atrativos para ele, a gente deixa uma questão. Que tal conhecer os motivos pelos quais jogos para cachorro e brincadeiras diversas são tão importantes?

Eficácia dos jogos para cachorro

Os jogos para cachorro estimulam fisicamente e mentalmente a saúde dele.
Os jogos para cachorro estimulam fisicamente e mentalmente a saúde dele.

Todo ser vivo sente o ambiente a sua volta. E isso inclui as plantas. Cada indivíduo, racional ou não, reage a esse ambiente. Não à toa, há casos de plantas que se desenvolvem mais facilmente quando em contato com pessoas amorosas. Ou de outras que se mostram sem vitalidade quando em meio a barulhos.

Em relação aos cães, estudos da Universidade de Bristol, do Reino Unido, pesquisaram mais de 4 mil cães. O resultado foi identificação de até 22 distúrbios associados ao comportamento em cães que não eram convidados a brincadeiras. Agressão, erro de liderança, uivos, ansiedade etc. foram alguns deles.

Além de tudo, entreter seu cão evita alguns desarranjos de comportamento. Fazem que ele, por exemplo, deixe de roer tapetes e cortinas, de arranhar móveis, de ingerir substâncias indevidas etc. Afinal, a frase “cabeça vazia é oficina do diabo” pode ser aplicada também a cães.

No universo emocional

Com certeza, você já ouviu o conceito de que pit bulls, rottweilers, doberman, entre outros, não são cães bravos. Ao contrário: são cães que “refletem o ambiente em que vivem”. Os veterinários são unânimes ao acompanhar esse raciocínio. Boa parte do comportamento de qualquer cão, como ser vivo, é produto da maneira como ele é tratado no lar em que vive.

Seja para a negatividade ou para a positividade. Claro, todos têm sua personalidade individual construída no gene, no DNA. Entretanto, em muitas situações, eles refletem as condições em que passam o dia a dia.

Bem, somente por esse raciocínio dos senhores veterinários, já é possível dimensionar a importância dos jogos para cachorro. Eles desenvolvem percepção espacial, estimulam inteligência, criam limites, baixam os níveis de ansiedade e estresse. Além disso, ainda fortalecem elos entre o pet e o proprietário, bem como com a família.

No universo físico-orgânico

Mas, claro, jogos para cachorro, bem como brincadeiras, são bons também para o estado físico do animal. E, venhamos e convenhamos, para o corpo do dono dele também, dependendo da brincadeira.

Certos jogos para cachorro influenciam a corrente sanguínea e o sistema circulatório, alimenta a musculatura, fortalecem também os ossos. Os movimentos a que o cão é estimulado desenvolvem trabalho crucial para manutenção de sua saúde física.

No universo da interação

A história médica veterinária está repleta de casos em que brincadeiras e jogos para cachorros fazem bem também aos seres humanos. Ou seja, não apenas aos animais. A interatividade entre ambos se mostra excelente terapia em diversas anomalias, em especial as psicológicas.

Por outro lado, ao brincar e jogar com seu cachorro, você certamente vai precisar tocá-lo. Nesses momentos:

  • Há oportunidade de sentir se ele reage mal a algum toque, o que prediz que há problemas nessa região corporal
  • Você consegue investigar se há infestação de pulgas e carrapatos
  • Você identifica humores sazonais de seu bichinho
  • Você identifica os limites físicos de seu animal. E o seu também
  • Você melhora sua própria condição física
  • Seu próprio humor melhora consideravelmente
  • Esquece os problemas diários e evita acúmulo de estresse

Portanto, os benefícios são infindáveis.

Evolução dos jogos para cachorro

Os jogos para cachorro e brincadeiras evoluíram muito desde os primeiros
Os jogos para cachorro e brincadeiras evoluíram muito desde os primeiros brinquedos.

Em verdade, tudo começou com a forte relação dos seres humanos com as aves. Ainda na era vitoriana, durante o século 17, deu-se fortalecimento nas relações sociais entre ser humano e animal.

Dizem os sociólogos e antropólogos que isso foi resultado da elevação econômica que a Revolução Industrial promoveu na vida das pessoas. Logicamente, para algumas classes sociais.

Elas passaram a se preocupar mais com seu próprio bem-estar e condições emocionais. Assim, viajavam, brincavam, estudavam. E descobriram a beleza e magia de se ter aves canoras em casa. Dessa maneira, com o passar das décadas, os fabricantes descobriram que podiam produzir brinquedos para aquelas aves. O “marketing”da época se debruçou sobre a ideia de que as aves se entristeciam muito quando cativas em gaiolas.

Primeiros produtos e brinquedos

Portanto, a liberdade das aves era condição contrária à dos cães, pois estes viviam mais soltos nos quintais, fazendas e sítios. Porém, mais algumas décadas depois, também eles entraram no horizonte comercial. Assim, pouco antes do início dos anos 1900, houve intensa demanda de lojas de animais de estimação. Foram abertas nas principais cidades da Europa.

Já naquela época, a atenção com os animais começou a florescer. Algumas lojas de renome mantinham departamentos exclusivos para atendimento a pessoas que queriam adquirir um animal. A procura maior deixou de ser por aves e passou a ser por gatos e cães.

Com isso, a produção de utensílios para cachorro – incluindo brinquedos – aumentou, já que os próprios clientes davam ideias sobre isso. Com o tempo, até mesmo presentes de Natal para cachorros tiveram espaço nas prateleiras.

Brinquedos de borracha e mais jogos para cachorro

Foi a partir da década de 50 que os primeiros brinquedos de borracha entraram nas máquinas das indústrias. Coincidentemente, isso se deu após a Segunda Guerra Mundial, quando novamente houve aumento da renda familiar em função das políticas de reconstrução das nações pós-guerra.

A partir de então, a ideia de variar o máximo possível os tipos de brinquedos para pet e jogos para cachorro foi natural. Muitas peças atendiam a necessidades específicas dos animais, como mastigação e fortalecimento muscular.

Um passo além

Com aumento da procura por animais e consequente aumento da produção de peças e jogos para cachorro, surgiu a necessidade de armazenar as peças. Foi simples questão de tempo passar dessa ação à ideia de se criar uma loja. Assim, em 1960, foi lançada no mercado a primeira franquia de marcas de produtos específicos para cães e gatos. E uma grande loja foi inaugurada alguns anos depois.

Preocupações necessárias

É preciso ter cautela para escolher os melhores brinquedos e jogos para cachorro.
É preciso ter cautela para escolher os melhores brinquedos e jogos para cachorro.

Todo dono de um cão quer que ele viva nas melhores condições possíveis. Assim, brincar com ele e oferecer jogos para cachorro é uma das maneiras para isso. Porém, mesmo que as intenções sejam das melhores, é preciso tomar alguns cuidados com as brincadeiras.

Aliás, essa preocupação é semelhante à que se tem com brincadeiras com crianças. Afinal, se seu cão é de porte médio e pequeno, sua estrutura óssea pode não ser compatível com algumas brincadeiras. Se ele for de porte grande, seu próprio peso pode ser elemento de perigo. E para o dono igualmente.

Assim, verifique se o jogo para cachorro ou brinquedo apresenta o nível de complexidade compatível com o comportamento e inteligência de seu cão. Caso contrário, o evento não vai despertar o interesse e seu cãozinho pode se frustar. Ou você.

Observe a qualidade do brinquedo. A hiperatividade de seu animal pode destruir o objeto em horas. Ou minutos.

Note se a peça não contenha partes que podem ser arrancadas. Isso pode ser um divertimento para ele, mas um perigo também.

Em relação às brincadeiras, talvez a de esconde-esconde seja a mais frequente. Porém, há casos em que o animal se sente esquecido, abandonado. Com certeza, esse sentimento vai interferir no comportamento diário dele. Portanto, desenvolva a brincadeira com parcimônia.

Corre-corre também é brincadeira que precisa de espaço. Lembre-se disso. Ou, então, tudo não vai passar de simples evento de cansaço para dois, você e seu cão.

Assim, antes de iniciar um dos jogos para cachorro com seu animal ou adquirir um brinquedo para ele, avalie bem as condições de ambos.

Algumas questões dos donos de cães

São muitas questões envolvidas na escolha dos jogos para cachorro.
São muitas questões envolvidas na escolha dos jogos para cachorro.

Com qual frequência devo brincar com meu cão?

Sempre que puder e aguentar, dizem os admiradores, criadores e veterinários competentes. O ideal é que os eventos sejam diários. Assim, o animal vai se habituar mais rapidamente e descobrir o prazer de brincar.

Por quanto tempo devo brincar com meu cão?

Simples 15 minutos por dia são eficientes. Entretanto, o ideal é oferecer tempo maior.

Quando devo parar de brincar?

Você precisa prestar atenção nas reações de seu cão. Se estiver doente, evite brincadeiras com movimentos bruscos. Em todo caso, evite brincar. Nessas horas, afagos e carinhos são altamente recomendáveis como substitutos das brincadeiras.

Qual é o tamanho ideal do brinquedo ou o tipo de jogo para cachorro?

Não há exatamente um tamanho ou um tipo único. É preciso de um pouco de “feeling” para isso ou consultar opinião de um bom veterinário.

Quais brinquedos ou jogos podem causar danos?

Em verdade, qualquer um, dependendo do brinquedo e do cão. Por exemplo, se você optar por objetos para mastigação, verifique a condição dos dentes e das gengivas; se o objetivo for movimentação, avalie a postura do animal durante saltos.

Brincadeiras e jogos para cachorro possíveis

Há vários tipos de jogos para cachroro e brincadeiras.
Há vários tipos de jogos para cachroro e brincadeiras.

É importante destacar os conceitos dos termos: a gente considera brincadeira quando não há prêmios envolvidos. Por outro lado, jogo induz o animal a obter alguma recompensa, como guloseimas ou ração.

  • Pega-pega: brincadeira tradicional e excelente exercício para o físico. Porém, exercita também a empatia com o dono e a percepção de espaço.
  • Esconde-esconde: estimula o sentido de curiosidade do animal.
  • Pula-pula: você apanha algum objeto que seu cão queira abocanhar e o eleva ao alto. O pet vai precisar pular para tentar pegar. Com isso, a musculatura das coxas traseiras são exercitadas e a percepção de impulso também.
  • Cabo de guerra: você começa quase sem querer. Basta seu cão abocanhar uma corda qualquer ou um pedaço de pano que lá está você puxando, brincando de roubar dele. É sempre preciso averiguar os dentes de seu animal antes e depois da brincadeira a fim de verificar se não houve danos.
  • Bola Atirada: estimula percepção de tempo e espaço.
  • Bola de guloseimas: ela é feita de material especial para suportar dentadas e não soltar pedaços. Há orifícios dispostos de maneira lógica. O cão é convidado a rolar o brinquedo e, assim, as guloseimas caem. É divertido para o animal.
  • Quebra-cabeças automático: aparelho funcional, mas pode ser considerado um dos melhores jogos para cachorro. Dispõe de compartimento para ração e de sistema de desafios. Alguns modelos, por exemplo, contêm botões que, se acionados em certa ordem, liberam alguns grãos de ração; se acionados em outra ordem, liberam quantidade maior. Já modelos mais avançados contêm aplicativo que altera a sequência dos botões ocasionalmente. Dessa maneira, o animal é induzido a buscar várias sequências para obter seu prêmio.

Como fazer seus próprios jogos para cachorros

É possível criar seus próprios jogos para cachorro e brinquedos sem precisar gastar.
É possível criar seus próprios jogos para cachorro e brinquedos sem precisar gastar.

Mas nem sempre é possível comprar jogos. Afinal, em momentos de crise, a criatividade humana é bastante bem-vinda. Libere-a.

Exemplo 1 – Estimule o uso do olfato com essa brincadeira. Mantenha seu cão sem visão de seus movimentos. Esfregue o alimento preferido dele em diversos locais do quintal, formando um rastro de odores, e esconda a comida. Incentive seu cão a encontrá-lo. Isso pode também ser feito com o boneco de que ele mais goste.

Exemplo 2 – Consiga uma caixa de papelão em que seu cão caiba com certa folga. Recorte uma abertura e esconda guloseimas dentro da caixa. Estimule seu cão a encontrar o alimento. Você pode dificultar um pouco instalando paredes internas (também de papelão) para formar um labirinto. Alterne o esconderijo da guloseima.

Exemplo 3 – Amarre um boneco na extremidade de uma corda e, a outra num cabo de vassoura. Chame a atenção de seu cão e, assim que ele tentar abocanhar, mova o cabo de vassoura. Cada vez que ele conseguir chegar ao boneco, recompense-o com algo de que ele goste.

Então, é isso! As relações entre os animais e o ser humano evoluíram muito. Evoluíram tanto a ponto de haver pessoas que literalmente gastam metade dos recursos mensais em utensílios funcionais, manutenção e brinquedos para cachorro.

Se você tiver mais alguma dúvida, se fizer brincadeiras diferentes com seu cãozinho, se precisar que a gente discorra mais sobre esse assunto, deixe na área de comentários abaixo. A gente vai gostar muito disso.

Categorias
Atividades & Adestramento Blog Cachorros Cuidados & Higiene Dicas & Curiosidades

Melhores produtos para cachorro: desembaraçar pelos, urinar no local, eliminar mau cheiro

Uma quase infinita variedade de produtos para cachorro é, atualmente, mais que simples objetos. Afinal, nossos grandes amigos de quatro patas, sejam peludos ou não; pequenos, médios ou grandes; orelhudos; curiosos; amáveis, brincalhões ou nem tanto, bem, esses cachorros moleques dão trabalho.

Por outro lado, quem ama cachorros sabe que isso é o de menos. Até quem não tem muito tempo para ter um também sabe disso. A relação “custo-por-trabalho X benefícios-emocionais” é enormemente favorável e positivo.

Por mais cuidados que precisam, apenas um olharzinho de agradecimento dele já faz o dono esquecer tudo. Com toda certeza, essa ternura no olhar é grande o bastante para se sobressair facilmente.

Para tanto, o mercado dispõe hoje de produtos para cachorro para todas as ocasiões e necessidades possíveis. Até mesmo para aquelas que você nem tem ideia que existem. Certamente, esse fato facilita demais a vida dos donos. E, claro, dos bichinhos também.

A variedade é tão grande que é impossível elencar todos num só artigo. Então, a gente vai tentar criar categorias de produtos para cachorro. Dessa maneira, talvez seja mais fácil medir mentalmente até onde vai a preocupação dos diversos fabricantes com o bem-estar do animal e de seus donos.

Vamos lá!

Sobre os produtos para cachorro

Existem uma infinidade de produtos para cachroros desde muitos anos atrás.
Existem uma infinidade de produtos para cachroros desde muitos anos atrás.

Os primeiros contatos entre a espécie canina e a espécie humana se deram há milhares de anos. Apesar de baseados em dados científicos, alguns estudiosos alegam que tais primeiros contatos se deram por volta de 500 mil anos atrás, ainda no período dos hominídeos.

Deve-se levar em conta, porém, que primeiros contatos não significam domesticação ou ainda socialização. Os hominídeos tiveram os primeiros contatos com a espécie quando o cachorro como conhecemos hoje nem existia; viria a existir milhares de anos depois a partir do DNA dos lobos.

O cães entraram na vida do ser humano, segundo levantamentos paleontológicos, há cerca de 40 mil anos. Melhor dizendo, entraram como elementos alteradores de rotina, pois os humanos descobriram que esses animais poderiam ser muito úteis.

Claro, naquela época, as funções dos cães em relação ao homem eram apenas funcionais, ou seja, nem sequer se cogitava a possibilidade de servirem como companhia. O fato é que a relação foi ganhando força ao longo dos séculos. De apenas útil, o cão foi se transformando em excelentes companhias.

Aliás, não se cogitava serem bons companheiros e muito menos terem outros utensílios além de correntes e coleiras. Então, a relação cães e humanos se iniciou a partir do conceito escravagista. Talvez seja por isso que ainda existam pessoas atualmente que apresentem o máximo possível de desrespeito para com os animais.

Laços nascidos por acaso

Membros da Sociedade Brasileira de Cinófilos – Sobraci afirmam que, por volta de 20 mil anos atrás, houve certo período de escassez de alimentos para os lobos. Então, por instinto, esses animais foram percebendo que havia restos de alimentos próximos a acampamentos de humanos. Lentamente, eles foram se aproximando a fim de saciar a fome.

Certamente, aqueles contatos foram conflituosos. Entretanto, os homens notaram que outros animais ferozes não os emboscavam nos momentos em que os lobos estavam presentes. Essa foi uma das primeiras funcionalidades dos lobos: animais de guarda. Essa condição se “tatuou” no DNA de seus descendentes.

Com o passar do tempo, os lobos se acostumaram com a presença dos humanos. As gerações futuras, inclusive, deixaram de caçar e passaram a depender dos homens. Foi assim que os elos começaram a se fortalecer.

Bem, o caso é que o cães precisaram de milênios para ocupar o espaço emocional na mente do ser humano. Foram séculos a fio “cavando” a montanha da atenção humana para, finalmente, deixarem de ser “escravos” e passarem a ser “amigos”. Somente depois desse grande período é que essa relação se transformou em uma relação afetuosa.

Laços fortalecidos

São muitas as histórias desse afeto. Há diversas ocasiões em que a ligação dos cães com seus donos extrapola o lado lógico de tudo. O Youtube está repleto de vídeos que falam disso. Talvez o mais conhecido – pois foi exposto nos cinemas – seja o caso de Hachiko, um cão da raça japonesa Akita que se manteve ao lado do dono até por uma década após a morte deste. A história real aconteceu nas décadas de 20 e 30.

Muito bem. A gente contou toda essa história para que você perceba como é importante para o ser humano tornar a vida de seus cães mais fácil. O avanço dessa relação de amizade, companheirismo e amizade foi afetando a atenção do ser humano em relação às necessidades de seus cães. Muitos donos de cães passaram a produzir peças artesanalmente a fim fazer o dia a dia de seus pets mais feliz.

Aquelas peças se mostraram tão eficazes que entraram no radar dos fabricantes. Atualmente, há fábricas que fazem peças tanto importantes (alimentos especiais, por exemplo) como peças de apenas modismo (como testículos falsos para cães castrados).

A lista é longa. Existem catálogos de produtos para cachorro que têm 50, 70, 100 páginas. Então, este artigo apresenta os produtos por categoria. Veja alguns.

Produtos para cachorro: Bem-estar

Muitos produtos para cachorros visam o bem estar físico e emocional do animal.
Muitos produtos para cachorros visam o bem estar físico e emocional do animal.

Centenas de produtos visam o bem-estar, a segurança e saúde do animal. Já foi a época em que os produtos para cachorro de limitam à coleira, guia, comedouros e bebedouros. Hoje, é possível encontrar até mesmo fantasias para época de carnaval.

Importante: Nenhum produto é considerado 100% seguro por veterinários e tratadores. Dependendo do “jeitão” de seu cão, até mesmo peças de ferro puro apresentam algum perigo. Portanto, as brincadeiras e utilização dos produtos devem sempre ser monitoradas pelo dono do animal, além de respeitar sua compleição física e postura.

Brinquedos para cachorro

Produtos para cachorros como brinquedos são excelentes estimuladores físicos e intelectuais.
Produtos para cachorros como brinquedos são excelentes estimuladores físicos e intelectuais.

Imagine um brinquedo qualquer. Apenas imagine. Bem, a gente não sabe no que você pensou, mas existe. Seja lá o que for. E, nessa categoria, existem também tanto produtos para cachorro extremamente importantes quanto os completamente dispensáveis.

Por outro lado, a esmagadora maioria dos veterinários destaca a importância dos brinquedos para cachorro para o bem-estar deles. Dependendo do temperamento e porte do animal, os brinquedos podem ser apenas antiestressantes ou se mostrar altamente necessário para a saúde física.

Brinquedos Plásticos

Trata-se de um dos brinquedos prediletos dos pets. E de seus donos também, pois é peça de interação. Ambos participam da brincadeira. A peça estimula exercícios físicos, senso de equilíbrio e percepção espacial. Porém, lembre-se que é necessário espaço adequado. Caso contrário, o animal pode se machucar seriamente.

Bolas

É possível que bola seja o brinquedo mais procurado nas lojas. Afinal, ela é tão eficaz quanto os de plásticos ou borrachas. Atualmente, há centenas de modelos com acessórios dos mais variados. Alguns até emitem sons diferentes para cada ação do animal ou luzes coloridas para incentivar a brincadeira.

Tug (Cabo-de-guerra)

Quem nunca teve alguma experiência com essa brincadeira? Nesse caso, todos conhecemos o quão estimulante ela é. É eficaz especialmente se houver mais de um cão na casa, pois incentiva musculatura, qualifica ossatura, exercita interatividade etc. Além disso, ainda fortalece o espírito de domínio que todo ser irracional ainda retém em sua história genética.

Entretanto, é preciso avaliar muito bem esse tipo de brinquedo. Ele deve ser adequado ao porte, à idade e à personalidade do animal. Em caso contrário, há riscos de lesões, especialmente nos dentes, e de aumento de agressividade.

Estimulantes de raciocínio

A inteligência dos cães é conhecida por todos. Entretanto, é possível aumentá-la ou, no mínimo exercitá-la com produtos desenvolvidos especialmente para isso.

Brinquedos Comedores

Os brinquedos para cachorro comedores tratam-se de peça em que o dono do animal oculta grãos de ração ou pedaço de qualquer alimento de que o animal goste. E cão deve “descobrir” maneiras de encontrar o alimento.

Esse produto pode manter seu animal ocupado por longas horas do dia. Existem modelos que dispõem de várias maneiras de ocultação. Assim, quando o animal descobre uma maneira de encontrar a comida, o dono substitui a forma de encontrá-la.

Associação de cores e sons

Há diversas peças no mercado de pets que incentivam reconhecimento de situações a partir de cores e sons. Muitas dessas peças precisam da interação de um humano, pois, este precisa acionar algumas teclas. Com isso, o aparelho libera visual colorido e o ser humano desenvolve alguma ação (pular, por exemplo) associada à cor.

Esse processo é repetido até que o cão memorize e associe as cores e sons com a ação humana. O proprietário precisa mostrar ao animal que ele deve repetir a ação.

Brinquedo para cachorro Quebra-cabeças

Trata-se de produto extremamente interessante. Alimentos e guloseimas em geral são escondidos nas peças que, ao fim da brincadeira, resultam em alguma imagem. O animal é incentivado a mover as peças, que têm formatos simples, para encaixá-las em orifícios únicos. Tão logo consiga, a guloseima é liberada para seu deleite.

Objetos para o conforto

Outros produtos para cachorro visam o seu conforto.
Outros produtos para cachorro visam o seu conforto.

Há centenas de tipos de produtos que buscam oferecer conforto tanto emocional quanto físico de seu animal.

Caminha de cachorro

Hoje em dia, é possível encontrar todo tipo de caminha de cachorro. Há modelos com cobertura, outros mais simples; há modelos com material antialérgico; com estampas coloridas ou não, de madeira, redondas, quadradas, em formato de sofá. Há até mesmo tipo beliche para dois ou mais cães.

Carrinho de passeio para cachorro

Os carrinhos de passeio para cachorro são uma das mais interessantes invenções de produtos para cachorro. Afinal, ele não serve apenas para conforto, mas especialmente para segurança do pet, do dono e das pessoas ao redor. Existe grande variedade de modelos e preços.

Fralda de cachorro

É, em verdade, uma espécie de acolchoado fino que deve ser colocado no chão, em local de fácil acesso ao animal. Esse produto é importante para a higiene do bichinho e também do ambiente em que ele e a família vivem.

Evita que os residentes pisem na urina, bem como o pet, pois é absorvente. Alguns tipos dispõem até mesmo de substâncias odorizadoras.

Entretanto, lembre-se de que cães e gatos não fazem suas necessidades próximo do lugar em que comem ou dormem. Portanto, encontre um lugar na casa longe desses locais.

Desembaraçador de pelos

A indústria dos cosméticos avançou para o universo dos pets. Há xampus, condicionadores, cremes amaciadores, essências perfumadas etc. Porém, em relação a cosméticos, talvez nada seja tão importante quanto o desembaraçador de fios.

Não é indicado apenas para raças caracteristicamente peludas, daquelas cujos pelos chegam ao chão. Alguns tipos diminuem processo de queda de pelo de qualquer raça, o que incomoda bastante tanto o animal quanto os donos.

Perfume para cachorro

A necessidade que os donos de animais têm de tornar a vida do animal cada vez mais feliz precisa ser suprida com certa moderação. Cães também podem ser alérgicos a perfumes, por exemplo. Porém, claro, não conseguem expor esse problema.

Convém ao dono observar atentamente as reações físicas e comportamento do cãozinho após aplicação de essências perfumadas. Ele pode ficar amuado ou excitado; pode também apresentar irritação na pele ou mesmo ressecação nos pelos.

Comedouros e bebedouros

O cachorro necessita de um local para se alimentar adequado. Para tanto, existem vários modelos diferentes de comedouros e bebedouros que se adequam ao peso, estatura e tamanho do seu pet.

Produtos comestíveis para cachorro

Ossos, biscoitos, tiras de bacon e muitos outros produtos comestíveis para cachorros são campeões de venda. Além de excelentes snacks, podem ajudar na mastigação e limpeza dos dentes, prevenir tártaro e entreter.

Produtos para cachorro: Bizarrices

Como a gente comentou acima, a quantidade de itens de produtos para cachorro é imensa. É impossível elencar todos em apenas um artigo. Abrange praticamente todas as necessidades do animal e da relação com seus donos e família, bem como com o ambiente em que vive.

Contudo, nem só de seriedade vive o universo comercial de produtos para cachorro. Às vezes, a gente se depara com produtos que mais parecem piadinha de empreendedores. Veja alguns:

Dentaduras para cachorro

Ok! É apenas para brincadeirinhas descontraídas, mas não deixa de ser bizarro.

Unhas postiças e esmalte para unhas

Hum… talvez sua cadelinha não aprove muito a ideia.

Boneca inflável para cachorro

Certo! Alguns veterinários nem consideram esse produto como bizarro. Alguns cães machos precisam expor suas necessidades sexuais de alguma maneira quando não têm fêmeas por perto. Isso evita, por exemplo, que o bichinho saia agarrando as pernas das visitas.

Perfume Sensual para cachorro

Esse talvez seja outro produto totalmente dispensável para seu cão. Afinal, seus instintos falam por si.

Brinquedos sexuais para cachorro

Tem formato de pênis de cães. Não é possível imaginar que a cadela que você tem em casa vá gostar desse produto.

Cerveja para cachorro

Sem problemas. O fabricante diz que o produto, claro, não contém álcool. É feito com aroma de ração apropriada. Além disso, diz também que é regulador de funções renais do animal. Pode até ser, mas que é estranho, lá isso é.

Tampões de traseiro para cachorro

Sim… isso existe. É um adesivo que você pode colar nas nádegas do animal. Bem, isso se ele for muito acanhado e tímido.

Propaganda política para cachorro

Não ria… isso existe nos EUA. Trata-se de cartazes com retratos de cães aparamentados com aspectos políticos, como chapéus, itens associados ao marxismo e ao capitalismo em si. Não existem para enfeitar quartos de crianças que têm pets. O objetivo é mesmo servir de distração para os pets.

Bolachas para cachorro

Estranhou que bolacha esteja na lista de produtos bizarros? Mas estamos falando de bolachas com formato de partes do corpo humano.

Produtos para cachorro alimentam um mercado crescente

Bem, você deve ter percebido que o mercado de produtos para cachorro é enorme. A paralelo a todo conforto oferecido, há ainda o fato de tais produtos impulsionar um mercado com milhares de trabalhadores. Dessa maneira, seu pet se torna um elemento importante na macroeconomia do país.

Se você tiver conhecimento de produtos interessantes (ou bizarros) e estes não estiverem relacionados aqui, informe pra gente. Ou, tendo alguma dúvida, informe também. Deixe no campo de comentários abaixo.

Categorias
Atividades & Adestramento

Brinquedos para cachorro enjoam: como solucionar o problema

Você já se perguntou porque os cães enjoam dos seus brinquedos para cachorro? Em um momento ele está correndo pela casa com o seu brinquedo favorito. De repente, você oferece um brinquedo de cachorro novo que acabou de trazer do petshop. Pronto! Aquele que antes era o seu brinquedo favorito, agora não é mais. O novo brinquedo para cachorro tomou o seu lugar!

Por que você acha que os cachorros podem ser tão inconstantes com relação aos seus brinquedos? Por que eles mudam de ideia tão rápido quando se deparam com algum brinquedo novo ou mais interessante?

Pesquisadores mergulham fundo no universo divertido do cachorro e descobrem que a maioria deles possui uma forte preferência pela novidade, um traço característico chamado neofilia.

Pesquisas de campo comprovam: os brinquedos para cachorro enjoam

Border Collie filhote brincando com uam variedade de brinquedos para cachorro.

Em 2008, pesquisadores da Universidade de Giessen na Alemanha e da Universidade de Lincoln no Reino Unido se juntaram para analisar o comportamento dos cachorros com relação aos brinquedos caninos e publicaram seus resultados no periódico Animal Cognition.

Esses pesquisadores apresentaram dois tipos de brinquedos de cachorro a 17 cães. Em seguida, os voluntários brincaram junto com os cachorros para garantir que eles se interessariam pelos brinquedos.

Logo depois, os pesquisadores mostraram à eles três outros brinquedos — dois anteriores e um novinho em folha. Desse modo, cada cachorro foi apresentado a três sequências diferentes contendo dois brinquedos para cachorro iniciais mais o novo brinquedo.

E assim, os cachorros foram deixados livres para se aproximarem dos brinquedos, farejar e pegar qualquer um deles para brincar. Com isso, os pesquisadores puderam observar que os brinquedos novos venciam todas as vezes. Ou seja, os cachorros escolheram o brinquedo novo em 38 das vezes dos 50 testes feitos.

Outras pesquisas sobre brinquedos para cachorro

O mesmo conceito foi estudado por outros pesquisadores na Universidade de Antropologia de Bristol e no Centro Waltham de Nutrição de Animais de Estimação. Os estudos também foram publicados na Animal Cognition.

Desta vez, os pesquisadores testaram 16 Labradores retrievers adultos, oferecendo a cada um diferentes brinquedos de cachorro por 30 segundos. Em seguida, os brinquedos eram levados embora após os 30 segundos e trazidos de volta um tempo depois. Posteriormente, eles repetiram a ação até que os cachorros ficassem entediados e não apresentassem mais interesse pelo brinquedo.

Logo após, os pesquisadores ofereceram novos brinquedos para cachorro que tinham uma cor ou odor diferentes e o exercício era repetido novamente. Além disso, a variedade de brinquedos de cachorro anterior foi novamente usada, mas pareceu não fazer diferença.

Em suma, o estudo concluiu que no geral, os cachorros perdiam interesse pelos brinquedos depois de 5 intervalos de 30 segundos de exposição. Ou seja, os cachorros enjoavam dos brinquedos apenas 2 minutos e meio brincando com eles.

Outras conclusões sobre brinquedos para cachorros

De acordo com o famoso professor de psicologia Stanley Coren, Ph.D. para a revista Psychology Today, uma vez que o cachorro está completamente familiarizado com a aparência, som, sensação e cheiro de um brinquedo ele se torna automaticamente desinteressante. Mas, como os pesquisadores ofereceram vários tipos de brinquedos de cachorro, os eles puderam concluir algumas características sobre as suas preferências.

John Bradshaw, um dos co-autores das pesquisas, explica que os cachorros percebem os brinquedos da mesma forma que seus ancestrais, os lobos, lidam com suas presas. Por esta razão, eles preferem brinquedos de cachorro que possuem gosto de comida ou que podem ser totalmente destruídos.

Outra co-autora na pesquisa, Anne Pullen, acrescenta que os brinquedos para cachorros devem ser macios, fáceis de manipular e serem mastigados, e fazer barulho. Pois durante o estudo, os eles perdiam o interesse rapidamente nos brinquedos para cachorro de superfície dura e nos que não faziam barulho quando manipulados (Leia mais sobre isso em “Brinquedos para cachorros são importantes para a saúde“).

Como transformar brinquedos para cachorro antigos em “novos” brinquedos de cachorro

Filhote de Terra Nova (Newfoundland) preto brincando com uma série de bolas de brinquedos para cachorro
Filhote de Terra Nova (Newfoundland) preto brincando com uma série de bolas de brinquedo para cachorro

Brinquedos de cachorro desinteressantes, de repente se tornam interessantes de novo quando os tutores passam a fazer parte dessa equação, brincando junto com com seus cães. Embora este artigo seja uma excelente notícia para os fabricantes de brinquedos de cachorro e comerciantes do mercado pet e nem tanto para o seu orçamento familiar, há outra alternativas para não afetar muito o seu bolso. Por exemplo, você pode pode transformar os brinquedos para cachorro antigos em novos, mantendo-os ainda interessantes. Leia abaixo:

      1. Alterne os brinquedos para cachorro

      “O que os olhos não vêem, o coração não sente” — deixe fora do alcance dele. Ou seja, aquilo que ele não pode ver, será esquecido. Dê à ele apenas um ou dois brinquedos para cachorro e guarde todo o resto. Depois, tire-os dele todos os dias ou por alguns dias. Tente não guardar os brinquedos em local acessível para que ele não possa vê-los e nem roubá-los. Pense no cachorro como uma criança louca para pegar o doce em na prateleira ou dentro do armário. Consequentemente, ele achará uma forma de conseguir. Seja mais esperto;

      2. Mude o cheiro dos brinquedos para cachorro

      Pegue o brinquedo dele e role-o na grama, na terra ou em folhas secas pelo jardim. Ou jogue alguns temperos por cima dele, só para dar aquela instigada. Antes, pesquise quais substâncias são seguras para o seu cachorro;

      3. Se envolva na brincadeira

      Talvez a melhor coisa para manter os brinquedos de cachorro interessantes ou evitar que eles se tornem chatos é VOCÊ fazer parte da brincadeira. Quer dizer, você pode fazer toda a diferença no valor do brinquedo para o cachorro. Brincar com ele com o brinquedo velho pode mudar tudo. Ou seja, quando você passa a fazer parte do jogo ou da brincadeira, os brinquedos para cachorro se tornam divertidos de uma maneira nunca antes vista.

TAGS (palavras relacionadas): brinquedos para cachorros, brinquedo de cachorro, como fazer brinquedos para cachorro, brinquedos de cães, brinquedo para cachorros, brinquedo de cachorro, brinquedos para cães, melhores brinquedos para cachorro, melhores brinquedos para cachorro pequeno, brinquedos de cachorro filhote.

Categorias
Atividades & Adestramento

Brinquedos para cachorro “comedor” – como usar o quebra-cabeças

Você sabe como usar ou como funciona os brinquedos para cachorro comedor? A maioria dos cachorros tem aprendido a usar esses quebra-cabeças e não largam mais!

Os brinquedos para cachorros comedor do tipo quebra-cabeças estão ficando cada vez mais populares entre donos, veterinários e os próprios cachorros! E não é pra menos, brinquedo-comida-exercício tudo em um só objeto! O brinquedo tem como proposta entreter enquanto estimula a mente do seu cachorro e o obriga a se exercitar. No final, em recompensa por ter participado e vencido o desafio — Comida!

Pra quem nunca ouviu falar, os brinquedos para cachorro comedor tipo quebra-cabeças, são brinquedos que possuem um compartimento dentro deles para esconder comida (ou até outro brinquedo). Com isso, enquanto o cachorro manipula o brinquedo, ele vai tentando capturar a comida presa ali dentro, e assim resolver o quebra-cabeças.

Como funcionam os brinquedos para cachorro comedor

Alguns desses brinquedos para cachorro comedor possibilitam pegar apenas pequenas porções de cada vez, obrigando o cachorro a permanecer ainda mais engajado. Já outros obrigam o cachorro a seguir alguns passos para resolver o desafio.

São muitas as variedades, mas todos eles são divertidos e muito estimulantes. Os brinquedos para cachorro comedor são criados de várias formas e tamanhos. Normalmente, eles são feitos de borracha ou plástico, podendo ser preenchidos com os alimentos e ser até congelados.

Alguns veterinários recomendam o uso desses brinquedos para oferecer uma porção da refeição diária do seu cachorro de forma criativa e estimulante. De fato, é uma opção interessante quando o cachorro não tem muitas oportunidades para se exercitar (falta de espaço ou de tempo do dono) ou costuma ficar alguns períodos sozinhos.

Qual a opinião de especialistas sobre os brinquedos para cachorro comedor:

Como saber se estes brinquedos para cachorro comedor do tipo quebra-cabeças são mesmo uma boa ideia ou mais uma moda passageira? E se ele não gostar de usar ou achar muito complicado?

Você não é o único a questionar a eficácia desses brinquedos. No entanto, muitos veterinários afirmam que os benefícios dos brinquedos para cachorro comedor são tremendos. De fato, eles valem todos os esforços, inclusive o gasto extra com eles.
Mas não se desespere, aqui vão algumas dicas de veterinários experientes para ajudar neste desafio: a introdução aos brinquedos para cachorros comedor do tipo quebra-cabeças — como fazer os cachorros usarem e amarem!

1. Brinquedos para cachorro comedor: estímulo é sempre bom

Você até pode achar que o seu cachorro não precisa de um tipo de brinquedo desses. Tudo bem, sem pressão. Normalmente, a maioria dos donos estão mais acostumados em alimentar os seus cachorros exclusivamente da maneira tradicional — colocando a comida em seus pratinhos e pronto.

Mas o fato é que estes brinquedos para cachorro comedor quebra-cabeças podem trazer muitos benefícios aos seu animais. Segundo especialistas, os cachorros são caçadores por natureza e precisam ser estimulados. No entanto, a caça é uma atividade normalmente reprimida quando domesticados e mantidos em confinamento.

Com os brinquedos para cachorro comedor é possível voltar a oferecer esta atividade através dos estímulos que eles proporcionam. Sem falar que, a maioria dos cachorros adoram este tipo de brinquedo quando são bem escolhidos e introduzidos de forma correta. Não custa nada tentar!

2. Brinquedos para cachorro comedor: introduza o conceito devagar

A maioria dos cachorros é capaz de aprender a usar e gostar muito dos brinquedos para cachorro comedor quebra-cabeças. Até oscachorros idosos e com deficiências podem se beneficiar.

Alguns donos nunca tentaram usar esses brinquedos, outros até tentaram mas não tiveram sucesso. Para quem ainda não tentou usar, há muitos tipos de brinquedos para cachorro comedor disponíveis no mercado. Desse modo, converse com o seu veterinário sobre eles e peça uma recomendação.

Se o seu cachorro nunca teve contato com um tipo de brinquedo desses, o ideal é começar escolhendo um bem simples (móveis ou sem movimento). Para tanto, tente se basear nas preferências do seu cachorro e nas suas características (como rapidez de aprendizado, força de mastigação).

Assim, vá introduzindo o brinquedo devagar, apenas por alguns minutos. Deixe que ele investigue, e facilite. Faça com que ele chegue na recompensa logo, depois, com o passar do tempo e quando ele estiver bem familiarizado com o conceito, você aumenta o desafio.

3. Brinquedos para cachorro comedor: simplifique, não gaste uma fortuna

Ao contrário que muita gente pensa, os brinquedos para cachorro comedor não precisam custar caro. Eles podem ser comprados em lojas especializadas de petshops, e ali é possível encontrá-los em uma enorme variedade de preços. No entanto, também é possível fazê-los em casa, com objetos muito simples.

O Kong, por exemplo, é um desses comedores de brinquedo de cachorro em formato de colméia que pode ser preenchido com ração, guloseimas, pedaços de legumes ou frutas. Enfim, você pode usar qualquer tipo de alimento macio. O cachorro tem que descobrir como pegar a comida lá de dentro com a sua língua. Existem vários tipos similares e que não custam uma fortuna. Alguns podem ser congelados com o alimento dentro, assim estarão sempre disponíveis para a brincadeira.

Veja o vídeo abaixo:

4. Brinquedos para cachorro comedor: insista, não custa nada

Se você tentou usar o brinquedo e não obteve o sucesso esperado, pode ser que tenha errado na escolha do brinquedo. Quem sabe o cachorro não tenha gostado por ter achado muito difícil de usar ou entender.

Às vezes o brinquedo não é adequado à raça do seu cachorro, ou ele é que não está acostumado a desafios. Os cachorros ficam acostumados com a boa vida que damos à eles. Por exemplo, comidinha sempre no prato e no mesmo horário, biscoitos e recompensas sem nenhum motivo. Isto é, a gente se esquece que eles precisam ser desafiados e estimulados para conseguir o que desejam.

Assim, quando encontram um desafio pela frente não entendem o que é para ser feito. Ou ainda, não se interessam por concluir que não vale o esforço, visto que são recompensados em outros momentos.

Outra possibilidade seria o brinquedo ter sido oferecido na hora errada (fora da hora das refeições). Ou seja, quando substituímos o brinquedo como forma alternativa para alimentá-lo, o seu interesse aumenta. Simplesmente, porque naquela hora, ele está com fome e, portanto mais motivado a descobrir o tinha dentro. É importante estar atento ao horário.

O terceiro motivo seria ter sido oferecido em situação confusa. Ou seja, durante um momento de muita atividade acontecendo ao mesmo tempo. Isto é, algo que poderia tirar-lhe a atenção. Como por exemplo, a presença de outros animais de estimação, crianças brincando ou pessoas diferentes do seu convívio. Assim, uma vez que o problema for identificado, pode-se tentar novamente.

5. Brinquedos para cachorro comedor: não dá trabalho

Muita gente acha que esses brinquedos para cachorro comedor dão muito trabalho. Mas, isso não é verdade e muito fácil de ser resolvido. Alguns brinquedos para cachorros comedor quebra-cabeças não exigem nada à mais que colocar comida no prato deles. Você ainda pode ter mais de um ou até vários brinquedos quebra-cabeças diferentes. Assim, você poderá alterná-los diariamente e estimular ainda mais o interesse do seu cachorro por eles.

Você pode preparar o brinquedo facilmente com antecedência. Dessa forma, eles irão durar alguns dias ou até semanas. Para tanto, é só armazená-los no refrigerador ou congelar. Desta forma, você terá os brinquedos prontos para serem ingeridos sempre que desejar.

6. Brinquedos para cachorro comedor: não faz sujeira

A maioria costuma comer toda comida que consegue tirar do brinquedo para cachorro comedor. Portanto, não costuma ficar um pedacinho sequer espalhado pela casa. Se não for o caso, você pode restringir o espaço de uso do brinquedo quebra-cabeças para apenas um ou alguns locais da casa. Por exemplo, apenas na cozinha ou quintal, locais onde o alimento pode ser facilmente visto e recolhido.

O único problema em limitar o local ou reduzir a área de usar o brinquedo é que isso facilita a obtenção da comida. Com isso, você reduz as oportunidades do cachorro de atividade. De fato, os brinquedos para cachorro comedor quebra-cabeças são para estimular a atividade. Mas você pode escolher um que não se movimenta, assim estará estimulando a sua mente.

7. Brinquedos para cachorro comedor: não deixa o cachorro frustrado

É verdade, os cachorros podem ficar frustrados quando não conseguem aquilo que desejam. No entanto, um pouco de frustração é também estimulante — ou seja, o objetivo dos quebra-cabeças é o desafio!

O cachorro tem que trabalhar não só fisicamente para conseguir tirar a comida de dentro dele. Além disso, precisa pensar nas maneiras de como conseguir isso. Portanto, é um bom estímulo para ocupar a sua mente também.

Muita frustração, no entanto, pode levar ao desamparo total ou desesperança. Por isso, para evitar frustrar o cachorro, deve-se planejar cuidadosamente as introduções para serem desafiadoras, nunca derrotas.

Frustrações são mais prováveis de acontecer em ambientes desinteressantes, por isso é importante tentar descobrir que outro problema pode haver no ambiente do cachorro. Como por exemplo, competição com outros animais de estimação por algo, pessoa ou território. Além disso, o tédio, solidão e instabilidade antes de introduzir o brinquedo podem interferir.

Ele pode também ficar frustrado por “perder” o brinquedo. Então, certifique-se sempre antes de dar o brinquedo de que não há nenhuma área de difícil acesso ou inacessível onde o brinquedo possa cair e se perder.

8. Brinquedos para cachorro comedor: escolha o mais adequado

Além de começar de forma simples, é importante escolher o brinquedo mais adequado. Os brinquedos para cachorro comedor to tipo quebra-cabeças podem ser de dois tipos — móveis e estacionários (sem movimento).

Já vimos que eles podem ser comprados ou até feitos em casa, e podem ser usados com comida seca, úmida ou outras guloseimas. Além disso, você pode usar outros brinquedos menores para colocar dentro e instigar o cachorro a tirá-los dali de dentro.

Para começar, talvez seja mais bacana escolher um tipo mais simples, fácil de pegar a comida. Por exemplo, um tipo com muitos buracos para que o seu cachorro possa ver e sentir o cheiro da comida. Além disso, preencha o brinquedo só pela metade para que o alimento consiga sair com mais facilidade. Se usar alimento seco, você pode espalhar um pouco ou alguns pedaços ao redor do brinquedo para que o cachorro possa investigar e entender o que está acontecendo.

Assim, quando ele começar a entender, aumente gradualmente o desafio. Se necessário, use brinquedos opacos, com poucos buracos ou com formatos diferentes. Há várias formas de continuar a intrigar o seu cachorro, e o seu veterinário pode ajudar a encontrar estas outras opções de acordo com o temperamento dele.

9. Brinquedos para cachorro comedor: enriquecem o ambiente

Os brinquedos para cachorro comedor do tipo quebra-cabeças têm sido usados para enriquecer a vida dos animais dentro dos Zoológicos por décadas. No entanto, o seu uso por animais de estimação é mais recente.

Segundo pesquisas, o seu uso resultou em uma crescente conscientização sobre os efeitos positivos do enriquecimento ambiental. Principalmente, entre os animais de estimação confinados que passam muitos períodos sozinhos, sem estímulos.

Enquanto muitos animais de estimação vivem em ambientes propriamente enriquecidos, muitos parecem que não. Por esta razão, o uso apropriado deste tipo de brinquedo ajuda a melhorar a vida dos nossos amigos peludos. Os brinquedos para cachorro comedor ajudam a reduzir tanto problemas de saúde e comportamento, como ainda melhoram ainda mais o relacionamento entre dono e animal.

Categorias
Atividades & Adestramento

12 Tipos de brinquedos para cachorros – Como escolher o melhor!

Corredores de seções após seções estão lotados de tipos de brinquedos para cachorros coloridos e atraentes em todas as lojas de Petshop. Assim, fica ainda mais difícil saber escolher quais os melhores brinquedos de cachorro que farão o seu cãozinho pirar.

De acordo com um relatório divulgado pela Escola Veterinária de Bristol, na Inglaterra, os tipos de brinquedos para cachorros perfeitos devem ter certas características. Como por exemplo, fazer barulho, ser macios, fáceis de manipular e de mastigar. Segundo esse relatório, os pesquisadores descobriram a fórmula para o brinquedo de cachorro perfeito!

O estudo publicado no renomado periódico de comportamento animal “Animal Cognition”, revela toda a ciência por trás daquilo que faz com que alguns tipos de brinquedos para cachorros se tornem “favoritos”, enquanto outros são completamente ignorados.

De acordo com a pesquisa, a resposta para o comportamento está diretamente relacionada aos hábitos dos ancestrais do cachorro doméstico mais antigos — os lobos.

Alguns tipos de brinquedos para cachorros são como presas

Tipos de Brinquedos para cachorros: Filhote de Cocker Spaniel  já cansado e entediado com a sua bola de beiseball.
Brinquedos para cachorros: Filhote de Cocker Spaniel já cansado e entediado com a sua bola de beiseball.

Em entrevista a Discovery News, John Bradshaw, um dos co-autores da pesquisa, disse que os cães percebem alguns tipos de brinquedos para cachorros do mesmo jeito que os lobos identificam suas presas. Nesse sentido, eles preferem os tipos de brinquedos para cachorro que possuem gosto de comida ou que possam ser destruídos. No entanto, o último pode causar problemas de saúde se o cachorro, por acidente, engolir partes do brinquedo.

Durante o estudo, os pesquisadores ofereceram aos cachorros um brinquedo diferente a cada intervalo de 30 segundos. A cada intervalo, o cachorro parava de interagir com o brinquedo, indicando que o seu interesse por ele havia se esgotado. O time usou uma variedade de tipos de brinquedos para cachorros de cores, odores e materiais diferentes. Além disso, certificavam-se de que cada brinquedo de cachorro fosse único e bem diferente do anterior.

Para tanto, foram usados Labradores Retrievers, não só por serem uma das raças mais populares do mundo, mas pela reputação de brincalhões.

Bradshaw explicou que eles precisavam ter certeza que esses cães brincariam com os brinquedos por pelo menos alguns minutos. Do contrário, não seria possível saber quais tipos de brinquedos para cachorros seriam capazes de fazê-los brincar novamente, uma vez que perdessem o interesse pelo brinquedo original.

Alguns tipos de brinquedos para cachorros enjoam

Enquanto não se pode identificar uma única característica que fizesse um brinquedo ser melhor que o outro, o estudo pode revelar algo interessante. Uma vez que o cachorro se acostuma com os estímulos oferecidos pelo brinquedo — seu cheiro, textura e som — o animal perde total interesse no brinquedo.

Os cachorros se interessaram intensamente pela maioria dos brinquedos novos oferecidos pelos pesquisadores, porém de forma temporária. Isto levou os pesquisadores a crer que talvez fosse instintivo investigar itens não familiarizados. Outro co-autor do estudo, Anne Pullen, explicou que os cachorros costumam perder o interesse em brinquedos de superfícies duras, não maleáveis e que não fazem barulhos quando manipulados.

O estudo também concluiu que por se habituarem rapidamente aos tipos de brinquedos para cachorros, o melhor a fazer para reaver o interesse deles pelo brinquedo é se envolver nas atividades caninas com eles.

Na opinião dos pesquisadores, por serem animais sociáveis, alguns tipos de brinquedos para cachorros se tornam ainda mais excitantes quando fazem parte de brincadeiras que envolvam seus donos. Segundo eles, poucos brinquedos irão sustentar o interesse do cachorro por muito tempo se o dono não estiver por perto para encorajá-lo a brincar.

Brincar é natural para os cachorros

Todos os pesquisadores concordam que os cachorros são companhias maravilhosas porque nunca perdem o desejo de brincar, mesmo adultos ou idosos. Muitos outros animais apenas engajam em brincadeiras quando jovens e param a medida que envelhecem — não é o caso dos cachorro!

Brincar é um comportamento natural canino. Embora alguns cães irão brincar com mais frequência que outros, os brinquedos para cachorros são itens essenciais para todos eles. Tanto é que, a falta de atividade pode gerar problemas de comportamento quando os cães não utilizam seus instintos naturais. Como por exemplo, brincar com brinquedos, jogos e brincadeiras (Leia mais sobre este assunto em “Brinquedos para cachorros são importantes para a saúde”).

Há alguns anos atrás os brinquedos consistiam apenas o básico, bolas de tamanhos variados, brinquedos de morder que fazem barulhinhos e brinquedos feitos de cordas. Hoje, é diferente. Os tipos de brinquedos para cachorros são infinitos e escolher brinquedos para eles virou missão complicada.

Como saber qual o melhor brinquedo para cachorro?

Tipos de Brinquedos para cachorros: West Highland White Terrier brincando com bola no parque.
Brinquedos para cachorros: West Highland White Terrier brincando com bola no parque.

A variedade oferecida hoje no mercado pet é tão grande que alguns donos não conseguem escolher. Com isso, acabam comprando um monte de tipos de brinquedos para cachorros que não são interessantes para o cão.

A preferência do cachorro por um brinquedo específico vai depender muito da sua raça e do estilo do brinquedo de cachorro. Assim, algumas raças preferem certos tipos de brinquedos para cachorros ao invés de outros. (Leia mais sobre isso no Blog). Por isso, experimente tipos de brinquedos para cachorros diferentes, teste-os e aprendam juntos como e com quais o seu cachorro gosta de brincar.

Se você é daqueles que já acumulou muitos brinquedos diferentes, deixe a maioria deles guardados por um tempo, longe do alcance do cachorro. Em seguida, volte a usá-los depois de um tempo. Alternar os brinquedos é uma excelente estratégia. Um tempo fora de alcance faz com que o cão pense que eles são novos quando voltar a brincar com eles.

Funcionalidades dos brinquedos para cachorros

Cane Corso mastigando um dos seus tipos de brinquedos para cachorros favorito.
Cane Corso mastigando um dos seus brinquedos para cachorros favorito.

Normalmente, os tipos de brinquedos para cachorros são categorizados por suas características e funcionalidades. Sabendo quais são as suas opções e quais os melhores tipos de brinquedos para cachorros vai facilitar a sua escolha.

Nota: Nem todos os tipos de brinquedos para cachorro são aprovados por veterinários. Alguns podem causar engasgos e até sufocamento. Outros, danificam ou quebram os dentes, e se engolidos podem levar a dano gastrointestinal. É importante conversar com o veterinário sobre as opções mais seguras para o seu cachorro. Lembre-se também que os cachorros devem ser supervisionados ao brincar com estes brinquedos para evitar a ingestão por acidente.

1. Idade ou Estágio/fase da vida

Os tipos de brinquedos para cachorros são normalmente agrupados por estágios ou fases da vida (idade) — filhote, adulto e idoso ou sênior. Estes brinquedos são feitos com material especial apropriado para cada fase em particular. Além disso, são focados em alguma questão relacionada à idade.

Os tipos de brinquedos para cachorros nesta categoria mais comuns são direcionados aos filhotes, principalmente no estágio da dentição. Estes brinquedos de cachorro, como os mastigadores, são desenvolvidos para ajudar a redirecionar a mastigação para longe de outros objetos. Como por exemplo, móveis e calçados. O material é normalmente macio para suavizar a coceira e a dor nas gengivas durante a dentição. Estes tipos de brinquedos de cachorro não são adequados aos cachorros adultos, pois o material maleável demais não suporta as mandíbulas fortes deles.

2. Força e Durabilidade

Os tipos de brinquedos para cachorros podem variar entre mais macios e feitos de materiais menos duráveis à feitos para aguentar mastigadores poderosos. À não ser que indicado, a maioria dos brinquedos de cachorro é adequado aos mastigadores leves a moderados. Assim como, aos brincalhões gentis.

Os brinquedos de força-extra para aqueles de comportamento mais destrutivos normalmente são indicados como tal e feitos para resistir à rasgos e perfurações. Mas mesmo estes brinquedos mais fortes não são tão duros a ponto de quebrar os dentes.

Os bichos de pelúcia são um dos favoritos entre os cachorros, mas a maioria é destruído facilmente por eles. Existem variações mais duráveis disponíveis; estas incluem reforço nas costuras e menos ou preenchimento alterado.

Tipos de Brinquedos para cachorros: Mastife Tibetando filhote correndo atrás de bola de rugby no gramado do parque.
Brinquedos para cachorros: Mastife Tibetando filhote correndo atrás de bola de rugby no gramado do parque.

3. Som

O som mais comum nestes brinquedos é o que chamamos de “squeaker” ou apito. No entanto, os brinquedos de cachorros podem também trazer outros sons como resmungar, grunhir ou estalar. Além disso, podem até incluir barulhos gravados, como sons de outros animais.

Alguns tipos de brinquedos de cachorros permitem gravar a voz do próprio dono para tocar; enquanto outros possuem funcionalidades de proteção. Como por exemplo, apitos substituíveis ou que funcionam mesmo se perfurados. Se sons repetitivos ou contínuos causar irritação, opte por brinquedos que tenham botões de on/off que permitem controlar o som, ligando ou desligando.

4. Size

Brinquedos de cachorros como bolas, bichos de pelúcia ou quebra-cabeças podem ser perigosos se não forem do tamanho adequado. Eles podem até causar engasgos e sufocamentos.

Se você não tiver certeza sobre o tamanho do brinquedo, observe a embalagem. Isto é, o brinquedo deve conter informações que indicam o peso aproximado do cachorro para que o brinquedo foi feito. Na dúvida, escolha aquele que for de um tamanho maior.

Tipos de brinquedos de cachorro e brincadeiras

Filhote brincando com um dos seus tipos de brinquedos para cachorros favoritos na grama do quintal.
Filhote brincando com um dos seus brinquedos para cachorros favoritos na grama do quintal.

Os tipos de brinquedos de cachorros se agrupam em duas categorias: aqueles em que dono e cachorro brincam juntos, e aqueles com que o cachorro brinca sozinho. Dentro destas duas categorias, há pelo menos 12 tipos de brinquedos identificados no mercado, são eles abaixo:

1. Brinquedo Comedor para cachorro:

Toda casa que tem cachorro deveria ter um brinquedo como esse. Eles oferecem diversão, estimulação mental e são uma ótima maneira para os cães canalizarem a energia. Os brinquedos comedores vêm em várias formas e tamanhos. Geralmente, eles são feitos de borracha ou plástico, e podem ser preenchidos com alimentos e ser congelados.

O Kong é um desses brinquedos comedores de cachorro em formato de colméia que pode ser preenchido com vários tipos de alimento. Como por exemplo, ração, guloseimas, alimento enlatado, iogurte, pedaços de legumes ou frutas ou qualquer outro tipo de alimento que possa ser congelado. O Kong é o tipo de brinquedo que o seu cachorro não pode ficar sem e um dos itens mais recomendados para o arsenal de um treinador.

O cachorro tem que descobrir como conseguir pegar a comida lá de dentro com a sua língua. Os Kongs estão disponíveis em múltiplos tamanhos. Só lembre-se de reduzir a quantidade de comida oferecida diariamente ao cachorro para equilibrar a dieta. Outros exemplos: Squirrel Dude, e Tricky Treat Ball.

Tipos de Brinquedos para cachorros: Labrador com brinquedo de madeira na boca.
Brinquedos para cachorros: Labrador com brinquedo de madeira na boca.

2. Mastigadores:

Estes tipos de brinquedos foram desenvolvidos para colocar na boca e mastigar. Este tipo de brinquedo para cachorro ajuda a redirecionar a energia e a atenção do cachorro para longe de objetos indesejados e seus pertences. Além disso, ajuda na fase da dentição aliviando a dor e a coceira. Ainda é bom para entreter e evitar o tédio.

3. Quebra-cabeças ou Puzzles:

Os brinquedos quebra-cabeças ou puzzle engajam a mente do cachorro encorajando a exploração e resolução de problemas. Estes tipos de brinquedos para cachorros desafiam o cão e podem combater o stress e o tédio. Puzzles variam em complexidade de nível iniciante a expert. Alguns precisam ser manipulados com certa calma. Ou seja, o cachorro usa os dentes e a língua para remover uma recompensa escondida. Enquanto outros são mais ativos e instigam o movimento físico das patas para remover o prêmio. Os puzzles podem ser preenchidos com comida (como os comedores) ou até pequenos brinquedos.

Tipos de Brinquedos para cachorros: Yorkshire no sofá de casa com seu brinquedo de cachorro favorito de mastigar.
Brinquedos para cachorros: Yorkshire no sofá de casa com seu brinquedo de cachorro favorito de mastigar.

4. Brinquedos de cachorro para acalmar

Os brinquedos para acalmar podem fornecer distração reconfortante durante períodos em que o cachorro apresenta um comportamento ansioso. Ou quando foi submetido a situações traumáticas, como ficar longos períodos sozinho, após um acidente ou cirurgia ou andar de carro. Estes brinquedos podem incluir sons suaves, material macio e cheiros calmantes. Alguns podem até conter quebra-cabeças de algum tipo para ajudar na distração de cachorros ansiosos.

5. Ossos dentais de brinquedo

O osso dental para cachorro é um ótimo brinquedo para educar filhotes e ainda ajuda na higiene bucal. Os ossos dentais são feitos de materiais como corda, plástico ou outros materiais. Eles foram desenvolvidos justamente para estimular a mastigação e cuidar da saúde bucal, propiciando a higienização através de frestas e fissuras.

Eles relaxam o filhote aliviando o local em que os dentes estão crescendo e auxiliam no tratamento e remoção do tártaro, as placas bacterianas que podem desenvolver doenças mais sérias. Esse tipo de brinquedo para cachorro pode ter diversos formatos, cores e tamanhos. Mesmo com dentes de leite, manter a limpeza bucal do cachorro é importante.

Tipos de Briqnuedos para cachorros: Filhote Blue Heeler Merle brincando com a sua bola no parque.
Briqnuedos para cachorros: Filhote Blue Heeler Merle brincando com a sua bola no parque.

6. Bola de brinquedo para cachorro

A bola é o brinquedo para cachorro obrigatório e o mais popular entre os cães de qualquer tamanho e idade. Principalmente, aqueles que adoram buscar coisas e trazer de volta, como os Labradores. As bolas possuem muitas variedades, desde bolas de tênis a bolas de borracha e até bolas com luz intermitente.

Algumas bolas possuem até ranhuras ou furos para colocar guloseimas assemelhando-se aos brinquedos-comedores. Mas, ao escolher uma bola para seu cão, selecione uma grande o suficiente para que ele não a engula. A bola do tamanho de uma de tênis funciona bem para a maioria dos cães. No entanto, há também bolas extra grandes para cães maiores e mini bolas para cães menores.

7. Disco de brinquedo

Cachorros que amam bolas também adoraram os discos e outros brinquedos de jogar e trazer de volta. O disco de brinquedo é mais versátil do que a bola para jogar e buscar. Isso porque a velocidade e a direção do disco pode ser controlada, desafiando ainda mais o seu cachorro. Eles podem ser feitos de borracha, plástico, corda ou outro material.

8. Bichos de Pelúcia

Os bichos de pelúcia também são os brinquedos favoritos de muitos cachorros. Alguns os adotam como filhotes enquanto outros os encaram como presas. Por normalmente conter espumas ou outros tipos de preenchimentos, os cachorros podem facilmente rasgá-los espalhando todo o conteúdo. Por isso, não deixe que eles engulam esse preenchimento para evitar possíveis obstruções gastrointestinais. Existem bichos de pelúcia sem preenchimento, mas eles costumam não durar muito, mas proporcionam muita diversão.

Tipos de Brinquedos para cachorros: Filhote de Bulmastife brincando com um brinquedo de cachorro de cordas.
Brinquedos para cachorros: Filhote de Bulmastife brincando com um brinquedo de cachorro de cordas.

9. Brinquedo de Cordas

O brinquedo de corda para cães é um dos tipos de brinquedos mais populares e mais divertidos. Além disso, ainda servem para todas as idades. As brincadeiras estimuladas pelos brinquedos de cordas distraem, reduzem a ansiedade, estimulam a prática de atividades físicas. Mais além, eles são benéficos para a saúde bucal do cão servindo quase que uma escovação.

Os brinquedos de corda são feitos de corda trançada, com partes de borracha, de plástico ou não. Eles podem ser usados ​​para jogar e buscar (fetch), cabo-de-guerra (tug) ou simplesmente para mastigar. Quando o brinquedo de corda começar a desmanchar jogue-o fora.

10. Brinquedo de Cabo de guerra ou Tug

A brincadeira “Tug” involve sacudir, puxar e chacoalhar o brinquedo. Para isso, esses brinquedos são feitos de materiais muito duráveis. Eles não precisam ser necessariamente chamados de brinquedos de tug para serem utilizados como tal. Mas no caso das raças mais agressivas na forma de brincar, é importante especificar. Eles podem variar de cordas a objetos em forma de personagens com alças para dar mais firmeza.

Tipos de Brinquedos para cachorros: Cão D'água espanhol brincando com uma bolinha de tênis preferida.
Brinquedos para cachorros: Cão D’água espanhol brincando com uma bolinha de tênis.

11. Brinquedo de Fetch (de jogar e trazer de volta)

O brinquedo padrão de fetch normalmente é uma bola, mas estes tipos de brinquedos para cachorros podem ser de uma variedade de formas. Por exemplo, os arremessadores estão ganhando cada vez mais popularidade. As formas podem incluir discos voadores, anéis tipo frisbees, flechas.

Uma enorme variedade de arremessadores também estão disponíveis hoje no mercado pet. Alguns aumentam a velocidade e distância adicionando uma extensão ao comprimento natural do braço, enquanto outros arremessam os brinquedos com mecanismos de pressão ou estilingues.

12. Brinquedo para perseguir

O jogo envolve o instinto do cachorro de perseguir coisas que se movem. Os brinquedos para perseguir podem ser um brinquedo amarrado a uma corda e varinha resistentes. Alguns brinquedos instigam a brincadeira independente que consiste em realizar as tarefas sozinhos. Mas todos os brinquedos mantém os cachorros ocupados, estimulam a mente e ainda fornecem conforto. O mais importante é mantê-los saudáveis e diverti-los sem colocar em risco a saúde deles.

Fontes: Petlove/Dogtime/News.Discovery.com

Categorias
Atividades & Adestramento Destaques Dicas & Curiosidades

Brinquedos para cachorros são muito importantes para a saúde dele

Quem já ouviu a expressão “um cachorro cansado é um bom cachorro!” sabe muito bem o que isso significa. Muito provavelmente já sentiu na pele os problemas que a falta de exercícios e estímulos podem acarretar. Por isso, os brinquedos para cachorros são tão importantes para a saúde deles.

Essa é uma frase simples e uma dica valiosa que todo dono de cachorro deve decorar. É importante manter o seu cachorro ativo e sempre estimulado tanto fisicamente quanto mentalmente para evitar eventuais problemas de comportamento caninos.

O tédio e a falta de exercícios são as principais causas do mal comportamento entre os cães. Não é nenhuma novidade, mas um lembrete para que não esqueçamos de fornecer estímulos físicos e mentais aos nossos cachorros. E com isso, uma tentativa de satisfazê-los como indivíduos para diminuir muitas das nossas frustrações relacionadas à eles.

Os benefícios das brincadeiras e brinquedos para cachorros

Os brinquedos para cachorros fazem bem para a saúde mental e física do cachorro.
Os brinquedos para cachorros fazem bem para a saúde mental e física do cachorro.

Se você algum dia já questionou os benefícios que os brinquedos para cachorros podem trazer e as motivações que nos levam à oferecer pequenas recompensas a eles, imagine que os cachorros são como as crianças. Quer dizer, eles também precisam de algo para focar a atenção. Por isso, ofereça sempre um bom divertimento, mantenha-os ocupados, e de quebra, melhore as habilidades físicas e mentais deles.

Os brinquedos para cachorros são a solução perfeita para cães entediados capazes de roer e destruir qualquer coisa pela frente.

Muita gente acha que os cachorros apenas comem e dormem, mas muitos especialistas afirmam justamente o contrário. Segundo eles, os cachorros até possuem muitas habilidades de pensamento muito similares às habilidades humanas.

Estudos comprovam a importância dos estímulos

Alguns estudos já mostraram que os cachorros entendem os humanos e são capazes de aprender inúmeras expressões faciais, gestos e palavras. Além disso, eles também podem aprender com as suas experiências e aplicá-las à novas situações, além de aprender também por imitação.

De acordo com o Dr. Stanley Coren da Universidade da Colúmbia Britânica no Canadá, autor renomado de muitos livros sobre comportamento canino, a inteligência de um cachorro é similar a inteligência de uma criança de 2 anos e meio.

Ainda de acordo com Coren, os cachorros possuem três tipos de inteligência: adaptativa, instintiva e “trabalhadora e obediente”, sendo que a última pode ser alcançada através do adestramento e pode corresponder a educação e aprendizado humano. Existe um estudo feito em que novos comandos eram dados, e o quão rápido as diferentes raças respondiam 95% do tempo ou até mais, sendo elas o Poodle, Border Collie, Pastor Alemão e Golden Retriever.

O tédio é o vilão

Como os humanos, os cachorros também ficam entediados facilmente e por isso precisam se manter ocupados em atividades divertidas que façam bem tanto para a saúde do corpo quanto da mente para evitar o ócio, a solidão e os comportamentos negativos associados ao tédio que podem incluir morder outros cachorros e até pessoas, pular em cima, inquietação, ansiedade canina, cavar, roer móveis e mastigar outros itens ao seu alcance, latir em demasia e sem motivos, fazer necessidades em locais inapropriados, principalmente quando estiver sozinho e ainda começar a lamber e mordiscar diferentes partes do seu próprio corpo como as patas.

Colocando desta forma fica fácil identificar que, como os humanos, quando um cachorro tem o que fazer (tarefas, atividades físicas, etc) ele não sai a procura de problema, ao passo que se ele não tiver nada pra fazer o dia inteiro senão ficar deitado e vagar por aí sozinho, você já pode imaginar o que pode acontecer.

A monotonia assombra tanto as pessoas quanto seus animais de estimação e precisa de atenção redobrada neste caso.

Aprender brincando faz bem à saúde do cachorro

Filhotes de Bulmastife brincando e interagindo juntos no gramado com vários brinquedos para cachorros diferentes.
Filhotes de Bulmastife brincando e interagindo juntos no gramado com vários brinquedos para cachorros diferentes.

Um novo estudo divulgado pela Universidade de Bristol descobriu uma forte correlação entre a falta de brincadeiras e o aumento de problemas de comportamento nos cachorros. O estudo prova que as brincadeiras ou atividades divertidas são a chave para o bem estar dos cachorros. O estudo analisou 4.000 donos de cachorros. E mostrou que cães que não engajam em brincadeiras o suficiente podem sofrer de 22 problemas comportamentais diferentes. Eles incluem agressão, aumento de resmungos, pular, puxar a guia e não vir quando chamado. No entanto, as brincadeiras podem muitas vezes corrigir todos estes problemas.

Segundo o estudo, apenas 20% dos donos brincam com seus cachorros 6 vezes por dia. Outros 50% disseram que brincam com seus cachorros 2 a 3 vezes por dia. E apenas 10% se engajam em brincadeiras uma vez por dia. Agora pasmem, 94% dos 4.000 participantes disseram que já observaram problemas comportamentais nos seus cachorros.

Filhotes aprendem mais rápido brincando

Filhotes aprendem o básico das boas maneiras através das brincadeiras. Se eles brincam de forma agressiva, levam uma mordiscada do outro cachorro ou são deixados sozinhos por ele. Ou seja, a socialização é um dos aspectos cruciais para criar um cachorro equilibrado. Talvez, o aprendizado de boas maneiras tenha um papel importante na habilidade do cachorro de se engajar em atividades com outros cachorros.

E não é apenas um caso de corrigir problemas de comportamento. Aumentar a quantidade de oportunidades para brincar é necessário para ajudar a combater o problema da obesidade canina e diabetes.

Brincar mantém a forma e o peso

Pesquisas atuais estimam que 53% dos cachorros nos Estados Unidos hoje em dia são considerados obesos. Um estudo no ano passado descobriu que quase metade da população canina na Inglaterra está acima do peso. No Brasil, a obesidade canina já atinge 40% dos cachorros.

A chave para conseguir que o seu animal de estimação permaneça satisfeito e em forma, certamente é dar-lhe a quantidade certa de exercícios diários. Sendo assim, a atividade deve envolver sessões de brincadeiras interativas com brinquedos diversos. Com eles, o cachorro poderá satisfazer o seu desejo de resolver enigmas complexos. E assim, o cachorro deve ter oportunidades de se exercitar fisicamente e mentalmente por pelo menos 2 horas ao dia.

Adicionar algumas simples sessões de brincadeiras ao dia também irá ajudar a perder algumas calorias extras. Manter o seu cachorro em forma aumenta a expectativa de vida canina em pelo menos 15%.

Em contrapartida, ao invés de pequenas recompensas com guloseimas ofereça um brinquedo ou uma atividade. Como por exemplo, uma boa e longa caminhada. No entanto, não precisa ser uma rotina dura. Visto que os cachorros amam sair farejando por aí, pois é estimulante para eles.

Brincar desafia a mente do cachorro

Brincar com o cachorro não é só uma maneira de mantê-lo em forma, mas também mentalmente desafiador. Pois, os cachorros evoluem quando podem engajar em atividades mentalmente estimulantes.

Levar o seu cachorro para longas caminhadas, corridas, brincar de buscar objetos e trazer de volta ou de puxar esses objetos são excelentes formas de interagir com o seu cachorro. Além disso, você estará oferecendo à ele ótimos exercícios. Ou seja, um simples jogo de puxar um objeto agarrado na boca é extremamente desafiador tanto fisicamente quanto mentalmente para os nossos companheiros.

Qual a brincadeira favorita do seu cachorro?

Brinquedos para cachorros: Vizsla brincando de fetch com uma bolinha de tênis.
Brinquedos para cachorros: Vizsla brincando de fetch com uma bolinha de tênis. (Crédito/Copyright: “Por Peggy Woods Ryan”/Shutterstock)

Uma pesquisa aponta que 43% dos donos de cachorros notaram que o popular jogo de fetch (jogar um objeto para o cachorro trazer de volta) é a atividade favorita dos seus cachorros. As outras seriam perseguir e puxar objetos (tug) e rolar como se estivesse lutando (wrestling). De acordo com o mesmo estudo, as bolas de tênis são o brinquedo favorito deles seguido dos brinquedos de borracha, outras bolas e brinquedos de cordas.

O ideal é escolher algo que o seu cachorro goste de fazer e que envolva correr, nadar ou brincar com bolas. Além disso, algumas atividades divertidas que exijam que ele procure por pequenas recompensas escondidas dentro destes brinquedos. Como alternativa, você pode também se esconder e chamá-lo para te procurar. Ou seja, o jogo de esconde-esconde é uma excelente forma do cachorro usar a sua mente.

Quando o tempo e o espaço não colaboram

Sabemos que nem sempre há tempo, espaço suficiente, ou condições climáticas necessárias para ir à algum lugar para brincar com eles. Nesse caso, há uma infinidade de brinquedos hoje no mercado capazes de estimular a mente deles e suprir as necessidades do cachorro. Principalmente, quando você não estiver disponível, não houver espaço suficiente ou o clima apropriado.

É verdade que alguns cachorros não ligam para brinquedos ou não se interessam por nenhum deles. Mas a maioria dos cachorros adora! Os brinquedos de cachorros podem oferecer conforto, exercícios, estímulos mentais e companhia. E para aqueles que costumam passar longos períodos sozinhos, uma boa quantidade de brinquedos pode evitar o tédio. Consequentemente a destruição do lar e o bom relacionamento entre vocês.

Por que os brinquedos para cachorros são necessários

Brinquedos para cachorros: West Highland White Terrier brincando com bola no parque.
Brinquedos para cachorros: West Highland White Terrier brincando com bola no parque. (Crédito/Copyright: “Por Kangaru”/Shutterstock)

É importante ressaltar que revigorar a mente é tão importante quanto atividade física. Portanto, jogos que envolvam brinquedos quebra-cabeças e técnicas de resolução de problemas precisam ser incorporados no dia-a-dia. Visto que são excelentes formas de gastar energia. Estes tipos de brinquedos são úteis para os cachorros de caça e guarda.

Brinquedos possuem muitas utilidades

Os cachorros precisam de brinquedos porque eles fornecem estímulo mental, permitem uma mastigação apropriada e servem como ferramenta importante para modificar o comportamento.

Embora os cachorros hoje sejam basicamente criados para ser animais de companhia, eles precisam de algo para fazer.

Na falta de um “trabalho ou tarefa”, eles saem a procura de coisas para ocupar o tempo, a mente e o desejo de mastigar. Se você não quer que eles escolham seus próprios brinquedos para cachorros de mastigar, como seus móveis, almofadas ou sapatos, é preciso providenciar válvulas de escape mais apropriadas.

Os brinquedos para cachorros são excelentes estimuladores mentais. Assim, eles encorajam a brincadeira e diminuem os períodos de tédio, reduzindo drasticamente o risco de destruição ou comportamentos para chamar a sua atenção.

Brinquedos para cachorros interativos são excelentes opções

Existem companhias de brinquedos para cachorros que desenvolvem soluções para evitar que eles fiquem entediados. São os famosos “brinquedos para cachorros interativos”, feitos e desenvolvidos especialmente para aguçar os sentidos e os instintos naturais de caça do cão.

Nesse sentido, os brinquedos para cachorros interativos não só ajudam a entreter o animal, mas também ajudam a construir uma relação mais forte entre o cachorro e o seu dono. Estes brinquedos para cachorros “interativos” são uma espécie de quebra-cabeças. Pois, ocupam a mente deles e enriquecem o ambiente deles quando não estamos disponíveis. Desta forma, os brinquedos para cachorros interativos encorajam o cachorro a se auto entreter.

Muitas vezes, esses brinquedos também ser preenchidos com biscoitos, ração e outras guloseimas, e o cachorro tem que gastar um tempo rolando e correndo atrás do brinquedo para pegar estas “recompensas” de dentro dele. Ou seja, os brinquedos para cachorros interativos não só encorajam os cães a pensarem por si mesmos, como também ensinam a resolver um problema.

Jogos são como brinquedos para cachorros

O jogo de pegar e trazer de volta (fetch) é uma das brincadeiras que você pode recompensar o cachorro cada vez que ele largar o objeto ou entregá-lo à você. Brinquedos de mastigar funcionam de forma similar, mas é preciso que o cachorro mastigue o brinquedo para chegar à comida. Os brinquedos de ossos de couro crú também podem ser oferecidos, pois além de saborosos, eles também são estimulantes.

O jogo de “tug”, uma atividade que consiste em puxar um objeto da boca do cachorro, é considerada por treinadores uma ferramenta incrível para treino de obediência. Pois, dessa forma, o animal aprende a controlar a si mesmo.

Cachorros medrosos, sem autoconfiança ou ansiosos podem melhorar muito ao aprender a manipular estes brinquedos para ganhar autoconfiança. Há uma enorme variedade de brinquedos interativos no mercado, como:

  • Bolas (as de tênis são as favoritas);
  • Bastões;
  • Mastigadores Dentais;
  • Brinquedos de corda;
  • Kongs ou brinquedos de mastigar ocos para esconder comida dentro;
  • Brinquedos que fazem barulho.

Os melhores brinquedos para cachorros são os mais adequados à raça

Brinquedos para cachorros: Golden retriever roendo um brinquedo de mastigar no gramado.
Brinquedos para cachorros: Golden retriever roendo um brinquedo de mastigar no gramado.(Crédito/Copyright: “Por Julija Sapic”/Shutterstock)

Existem muitas variedades de brinquedos para cachorros inteligentes, mas para citar alguns temos por exemplo o Cagey Cube que é conhecido por aprimorar a coordenação do cachorro enquanto ele tenta pegar com a pata brinquedos dentro de um cubo.

Outro brinquedo, o Dog Smart é um ótimo brinquedo tanto para o cachorro como para o dono, pois o dono precisa segurar o brinquedo no colo e mostrar como faz para empurrar os blocos para a comida sair de dentro deles.

O brinquedo Dog Turbo é outro brinquedo inteligente para cachorros que aprimora a inteligência dele enquanto o dono mostra como o quebra-cabeças funciona. O cachorro deve tentar resolver a medida que vai progredindo. Há muitos outros brinquedos de cachorros como estes, como o Intellicube, Snoggle, Bob-a-Lot, todos com compartimentos para colocar comida dentro deles.

Se o seu cachorro for do tipo retriever:

Labradores, Golden retrievers e muitos outros cães de caça e apontadores, são cães considerados do tipo retriever. Portanto, seu o seu cachorro for uma destas raças ele provavelmente gosta de “retrieve” (trazer coisas de volta) objetos. Por esta razão, as bolas de todos os tipos são perfeitas, assim como os bastões, discos, etc.

Se o seu cachorro adora mastigar:

Ele vai gostar muito de roer brinquedos de mastigar como o Kong. Só evite brinquedos de borracha que fazem barulho ou pequenos brinquedos de vinil – eles não foram feitos para aguentar a pressão e o poder de um mastigador profissional. Ossos de roer e outros produtos de longa duração promovem relaxamento e mastigação focada.

Os cachorros costumam deitar pra roer estes brinquedos e mastigá-los. Se você tiver um mastigador poderoso em casa, considere os brinquedos Jolly Ball e Jolly Egg feito pela Jolly Pets. Estes brinquedos foram desenvolvidos de forma criativa com uma superfície externa lisa, que pode ser puxada, esticada, perseguida e até pisada. Porém, nunca mordida, pois quando eles tentam morder o brinquedo escorrega da boca deles.

Se você tem um cachorro pequeno (ou grande):

Um cachorro de colo com uma mandíbula pequena não consegue arrastar um brinquedo de corda enorme. Do mesmo jeito, um cachorro de porte grande irá ignorar ou até se engasgar com um brinquedo muito pequeno. Se você tiver cachorros de tamanhos diferentes, compre brinquedos do tamanho adequado para cada um deles.

Regras básicas para uma brincadeira saudável

Brinquedos para cachorros: Yorkshire no sofá de casa com seu brinquedo de cachorro favorito de mastigar.
Brinquedos para cachorros: Yorkshire no sofá de casa com seu brinquedo de cachorro favorito de mastigar.

A segurança do brinquedo depende de como seu cão interage com ele e essa interação pode mudar com o tempo. Um brinquedo que foi seguro para o seu filhote de 10 semanas pode não ser uma boa escolha para o cachorro que já estiver com 5 meses.

Variedade de brinquedos é fundamental

Os cachorros são como as crianças, também enjoam dos seus brinquedos rapidamente. Tire os brinquedos antigos de vez em quando e troque por novos. Os treinadores recomendam selecionar de 6 a 8 brinquedos para cada cachorro variando em textura, tamanho e formato.

Os brinquedos devem ser dados um de cada vez, e mais tarde bote os antigos de volta alternando-os sempre para que eles pareçam novos toda vez. Como nós, os cachorros gostam de variedade e alternar os brinquedos é a melhor maneira de mantê-los eficazes.

Supervisão sempre

Se você tiver mais de um cachorro, sempre mantenha-os supervisionados enquanto estiverem interagindo com os brinquedos para evitar que eles briguem entre si. Supervisione também quando eles estiverem brincando com um brinquedo novo e monitore a interação regularmente para garantir que o brinquedo continue sendo uma escolha segura.

Não estimule a competitividade

Não use os brinquedos dele para brincar de forma competitiva com algum outro cachorro mais agressivo. Não é bom para o cachorro associar a disputa com o brinquedo. Aliás, não é bom estimular a agressividade e a disputa entre os cães nunca. Não faz bem ao animal esse tipo de comportamento.

Faça escolhas conscientes

Tenha consciência do que você vai dar ao cachorro para brincar. Se você der meias pra ele brincar, chinelos ou peças de roupas, ele vai sempre enxergar estas coisas como brinquedos. Os cachorros não são capazes de diferenciar quais objetos podem ser usados como brinquedos. É melhor manter as suas coisas separadas dos brinquedos para evitar confusão e que ele destrua o que você não quer.

Escolha com cuidado o tamanho dos brinquedos para que nem a mandíbula e nem a língua deles fique presa neles. Selecionar o tamanho certo e o tipo de brinquedo mais adequado à ele é muito importante.

Brinque junto com o seu cachorro

Brinquedos interativos foram feitos para ser usados em conjunto, e idealmente devem estar acessíveis quando vocês puderem brincar juntos. Depois de brincar, guarde-os para que o cachorro sempre fique ansioso para voltar a brincar como brinquedo.

Alterne os brinquedos para mantê-lo engajado

Se o seu cachorro tiver um brinquedo novo que não o interessa mais, tente engajá-lo em alguma brincadeira com o brinquedo. Se não der certo, esconda o brinquedo por um dia e tente novamente. Guarde os brinquedos numa cesta ou caixa para não sair tropeçando neles pela casa, e vá dando aos poucos ao cachorro. Às vezes, objetos que possuem o cheiro do dono são mais atraentes ao animal. Se mesmo assim não der certo, considere ser culpa do material, formato ou tamanho do brinquedo, descarte-o e não compre nada similar.

Preze pela segurança do cachorro

Remova qualquer botão ou decorações que o seu cachorro possa mastigar ou engasgar. Jogue fora qualquer brinquedo que estiver muito destruído, especialmente os de mastigar e roer. Assim como os que costumam ficar pequenos demais. Os mastigadores devem ser sempre grandes o suficiente para que não sejam engolidos.

Não permita que o seu cachorro se machuque com o próprio entusiasmo dele. Alguns cachorros ficam obsessivos com seus brinquedos. Não deixe que ele mastigue por horas um brinquedo até que a sua gengiva sangre. Do mesmo modo, não permita que ele fique trazendo bolas de volta até ficar exausto.

Conclusão

Em suma, brincar é saudável tanto para os seres humanos quanto para os cachorros. A brincadeira é uma excelente forma de se exercitar, aliviar o stress além de um descanso mental.

Nesse sentido, é uma ótima forma para o cachorro expressar o seu comportamento natural. Além disso, é uma maneira simples de fortalecer os laços entre o donos e cachorro, além de ser muito divertido. Isto é, um cachorro que possui estímulos físicos e mentais suficientes durante a sua vida, é um cachorro feliz. E cachorros felizes, igualmente possuem donos felizes.

Para saber mais sobre o assunto, acesse as fontes externas abaixo:

Dogington post – “Benefícios dos brinquedos”
Fofuxo – “Obesidade canina”
Dogplay – “Jogos caninos”
In relation with dogs – “A importância da brincadeira”
PFMA – “A importância dos exercícios”
Puppy Leaks – “A importância de brincar para os cachorros”
Pets World – “Porque os brinquedos e as brincadeiras diárias são pimortantes para os cães”
Paws in training – “Porque os cachorros precisam de brinquedos”
Canine Concepts – “Porque os jogos e os brinquedos caninos são importantes”.

Categorias
Atividades & Adestramento

Como adestrar cachorro filhote para a vida toda

Todo mundo já ouviu falar que é importante treinar o filhote desde cedo, mas você sabe a razão?

O mais importante para o sucesso no treinamento de um filhote é enxergar o mundo através dos olhos dele.

Por que devemos treinar os filhotes?

Entre em qualquer website de treinador de cachorro e você encontrará uma discussão sobre como é importante treinar os filhotes. Uma das alegações mais comuns feita por treinadores é a de que eles são capazes de ensinar o seu cachorro a não ter comportamentos indesejáveis como pular nas pessoas, morder e fazer cocô e xixi pela casa. Eles aconselham também um monte de métodos de treinamentos diferentes:

Treinamento de dominância adicional, reforço positivo, modificação de comportamento, treinamento para “socializar” com outros cachorros, e muitos outros.

No entanto, não importa qual o método de treinamento for recomendado, a maioria dos treinadores de cachorro oferecem cursos focados em obediência, principalmente no papel de subordinação do cão em relação ao seu dono.

como-treinar-filhotes-buldogue-frances-preto
Buldogue francês roendo um pedaço de madeira na areia da praia. (Crédito/Copyright: “/Shutterstock”

Por que é preciso ser o “líder do bando” para o cachorro?

Uma das frases mais comuns é que os cães, como os lobos, são animais de bando, e que o dono deve se tornar o líder dominante desse bando. Este treinamento de obediência é feito para dar o controle ao dono sobre as ações do cachorro, e se concentra em um número limitado de “ações” que incluem em vir quando for chamado, deixar um item, agachar e permanecer no lugar.

A teoria por trás de todo treinamento focado em obediência é que ao ensinar o filhote estas ações, o cão estará a salvo e seguro, tanto dos outros como de si mesmo. Mas há duas fraquezas cruciais em todos os treinamentos baseados APENAS em obediência:

1. A falsa suposição que cachorros e pessoas fazem parte de um mesmo bando. Cães não são lobos. Eles têm sido criados para viver em um contexto humano em base de respeito mútuo e interação ao invés de domínio e submissão.

2. O foco concentrado nas necessidades percebidas pelos humanos ao invés de na experiência vivida pelo cachorro

como-treinar-filhotes-chesapeake-bay-retriever
Chesapeake Bay Retriever filhote correndo pelo jardim florido livremente. (Crédito/Copyright: “/Shutterstock”

O verdadeiro propósito de um treinamento de filhote significativo e efetivo é preparar cada cãozinho para alcançar uma gama completa de obrigações e desafios que ele terá que enfrentar vivendo com uma família no mundo humano. Por si só, treinamento de obediência é insuficiente para atingir este objetivo, pois não corresponde com a experiência total do cachorro. Um treinamento verdadeiro e efetivo exige perceber o mundo através da perspectiva do cachorro e depois utilizar o conceito de “bem estar comportamental”.

O que é Bem Estar Comportamental?

Nós todos temos um certo conhecimento no que diz respeito ao conceito de bem estar no que se refere a nossa saúde física. Nós sabemos que quando comemos os alimentos certos, nos exercitamos e dormimos bem estamos aumentando as oportunidades de sermos saudáveis e nos sentir bem. Em resumo, alcançar o bem estar físico exige o desenvolvimento de um plano completo de cuidados com uma implementação sistemática e contínua de uma programa.

Acredite ou não, esta mesma relação entre ação e resultado pode ser vista no comportamento!

Entenda como o ambiente pode influenciar o comportamento

No sentido mais amplo, comportamento é qualquer coisa que um cachorro, pessoa ou qualquer outra criatura possa fazer em reação ao seu ambiente. Bem estar comportamental, portanto, é o estado final positivo de um plano bem concebido e ativamente implementado destinado a gerar um grupo desejado de comportamentos.

Mas, assim como obter bem-estar físico requer uma abordagem holística para toda uma gama de necessidades do indivíduo, o bem-estar comportamental em relação aos animais é muito mais do que introduzir uma simples obediência.

Bem estar comportamental também melhora a ligação entre a pessoa e o cachorro e a qualidade de vida no animal levando em consideração toda a gama de suas experiências e desafios vividos.

como-treinar-filhotes-chihuahua
Filhote de Chihuahua no meio das folhagens. (Crédito/Copyright: “/Shutterstock”

Onde é que o bem estar comportamental pode ser implementado?

Bem estar comportamental tem sido prioridade em cuidados animais e treinamento em zoológicos e aquários por muitas décadas. Os profissionais que cuidam destes animais possuem a obrigação de criar ambientes físicos que permitam que eles prosperem, e devem também interagir com eles sob uma série ampla de circunstâncias, desde durante a hora de alimentação a tratamentos veterinários, e todo o resto.

Por exemplo, cuidadores de zoológico possuem uma rotina consistente de limpar os dentes de animais grandes e potencialmente perigosos como leões, lobos e hipopótamos. Antes do desenvolvimento do bem estar comportamental como uma característica definidora dos cuidados dos animais, os cuidadores do zoológico tranquilizavam os animais para se aproximarem deles, às vezes até causando lesões significativas.

Hoje em dia, os zoológicos modernos quebram todo e cada aspecto de um procedimento veterinário em seus mínimos componentes, e assim os animais são treinados sob estes componentes desde cedo, desde vir a sentar em uma posição quando chamados, a abrir a boca sob o comando de um sinal, e a permanecer parado sem reação enquanto está sendo escovado.

Este processo de treinamento antecipa todos os desafios que o animal irá enfrentar na vida dele dentro do seu próprio ambiente, e depois foca em ensiná-los a desempenhar as tarefas necessárias passo-a-passo. Consequentemente, o animal acaba se beneficiando ao receber um serviço veterinário, e isso acontece sem precisar de ações forçadas que poderiam ser potencialmente perigosas para ambos, humano e animal.

Como trazemos o tal bem estar comportamental para o treinamento de filhotes de cachorro?

Primeiro, bem estar comportamental exige que os filhotes sejam treinados a entender seus próprios corpos antes de aprender tarefas mais complexas ou até simples.

Se eles pudessem ficar com suas mães e irmãos, os filhotes ganhariam consciência de seus corpos através de interações naturais. Mas a separação e o desmame forçado com pelo menos 8 semanas significa que ele não tem ideia de nada, nem sabem onde estão suas patas e pra que servem ou se a cabeça é na frente e a cauda atrás.

Quando passamos a entender o mundo sob a perspectiva do filhote, fica claro pra gente que eles precisam aprender sobre o corpo deles primeiro. Eles estarão prontos para aprender novas habilidades e experienciar novas sensações uma vez que tiverem completado uma consciência corporal.

Uma vez que o treinamento de uma habilidade específica começa, é crucial continuar pensando através do ponto de vista do filhote, e imaginar a gama inteira de experiências e desafios que ele irá enfrentar pela frente.

como-treinar-filhotes-lulu-pomerania-spitz
O Lulu da Pomerânia é uma raça muito amorosa com o dono, mas não é fã de crianças – o treinamento e socialização para esta raça é fundamental para não desenvolver problemas comportamentais. (Crédito/Copyright: “/Shutterstock”

Tome como exemplo, o sinal para o cachorro sentar. Se você levar o seu filhote a um treinador de cachorro, você irá para uma sala e aprenderá técnicas para fazer com que o cachorro se sente no meio da sala. O treinador pode ser excelente ao ensinar à você e seu cachorro como atingir este objetivo. Mas qual a lição de vida o seu cachorro estará aprendendo?

Quando é que o seu cachorro precisará sentar no meio do chão durante a sua vida “normal”? Este é um ambiente completamente artificial sem relação nenhuma com a experiência de vida dele, e não irá prepará-lo para operar efetivamente no mundo real.

Quando se aplica os princípios de bem estar comportamental, o treinamento é criado para preparar o cachorro para realizar tarefas com sucesso que ele precisa saber fazer durante a sua vida, como permanecer sentado na calçada em frente de casa enquanto carros passam na rua, pássaros cantam e outros cachorros ladram em jardins próximos à ele. Até os fatores mais mundanos podem distrair o seu filhote. Aprender a sentar no chão no meio de uma sala com o mínimo de estímulo não irá preparar o seu cachorro para nenhum desses desafios.

Você não tem como pegar um filhote e simplesmente obrigá-lo a sentar do lado de fora do portão de casa em uma rua movimentada ou querer que ele passe a ignorar a tentação de brincar por exemplo com a flexibilidade de um batente de porta.

Como com o hipopótamo ou o leão do zoológico, treinamento de filhotes de cachorro exige um conhecimento do comportamento real que você precisa que ele demonstre, dividir este comportamento entre suas partes componentes, e depois ensiná-lo a como desempenhar cada um destes passos individuais para construir o objetivo final.

como-treinar-filhotes-leao-rodesia
Os filhotes de Leão da Rodésia devem ser treinados e socializados desde cedo para não se tornarem agressivos com estranhos. (Crédito/Copyright: “/Shutterstock”

No caso de fazer o seu cachorro sentar e permanecer parado, o treinamento deve começar ensinando-o a sentar por um período mais curto perto da porta. Uma vez atingido o objetivo, aumente a duração do tempo em que ele permanece sentado no local. Depois que ele estiver desempenhando a tarefa com perfeição, gradualmente vá aumentando a duração do exercício e o estímulo no ambiente. Por fim, aumentos consistentes e graduais no desafio levará ao resultado desejado, que é o cachorro se sentar tranquilamente por longos períodos de tempo mesmo que ele tenha que lidar com um ambiente altamente cheio de estímulos.

O que se pode fazer para ajudar o filhote a ter sucesso?

O seu filhote está sempre aprendendo: com você, com outros cachorros e com o seu ambiente físico em que convive. Para dar uma chance melhor dele viver uma vida enriquecedora e próspera, é crucial enxergar o mundo com os olhos dele e direcionar o seu aprendizado para que ele possa obter o sucesso ao se deparar com os desafios que encontra no curso de sua vida. Com isto em mente, o primeiro e mais importante passo é encontrar um treinador que entenda como fazer do bem estar comportamental o foco principal do treinamento do seu filhote.

(Versão traduzida do artigo original escrito por Teena Patel, bacharel em ciência e psicologia comparativa e MBA)

Categorias
Atividades & Adestramento

7 Melhores raças de cachorro para caminhadas

Melhores Raças de Cachorros para caminhadas ao ar livre

A caminhada é uma das melhores formas de manter e fortalecer o vínculo de afeto com o cachorro

Quer você costume caminhar sozinho ou adore fazer longas caminhadas com um grupo de pessoas, na maioria das vezes quase não há oportunidade para levar o seu companheiro de quatro patas junto. Na realidade, qualquer atividade que possa ser feita ao ar livre é uma excelente oportunidade para levar o seu cachorro, e a caminhada é uma das melhores atividades e mais simples de engajar nossos cachorros junto conosco nesta atividade.

Mas lembre-se que há algumas coisas para se considerar antes de se embrenhar por trilhas com o seu cachorro. Por exemplo, por quanto tempo vocês dois irão caminhar, pois algumas raças de cachorros não possuem a mesma resistência que outras para longas caminhadas, além disso, deve-se considerar também se a raça é adequada para o clima do local, ou temperatura em determinada hora do dia.

Se você considerar tudo isso não haverá demais restrições com relação aos tipos de cachorros que irão alegremente se juntar à você nesta aventura, mas estas 7 raças em particular abaixo, possuem a força e energia para tal atividade como ninguém. Se você estiver procurando por um cachorro que seja capaz de manter o ritmo de uma boa e vigorosa caminhada ou até uma corrida, você definitivamente deve começar por esta lista.

Segue abaixo nossa lista das melhores raças para caminhadas ou hiking que estão preparadas para a atividade e que ainda manterão o ritmo nas mais variadas aventuras.

1. Border Collie

racas-cachorro-hiking-border-collie
Border Collie deitado em momento de tranquilidade. (Crédito/Copyright: “Por Kate Grishakova/Shutterstock”)

O Border Collie é um cachorro trabalhador vigoroso de tamanho padrão. Conhecido pela sua energia escalante, agilidade inacreditável e inteligência extraordinária, o Border Collie é profissional em muitas atividades ao ar livre, hiking ou caminhadas vigorosas é definitivamente uma delas. O Border Collie tem consciência do seu ambiente e também é capaz de traçar o seu caminho e direção muito bem, o que excepcionalmente vital para esta atividade. É capaz de aprender em um nível avançado e é um cachorros trabalhadores mais fortes prosperando em admiração. O Border Collie é um dos líderes em níveis de competições caninas e diversos esportes, se destaca em obediência, agility, Frisbee e pastoreio. O Border Collie é um presente do céu para quem desejar obter os mais altos níveis em esportes caninos. Fazendeiros também costumam ficar muito satisfeitos com esta raça de cachorro, já que inicialmente Border Collies foram desenvolvidos para ajudar em tais tarefas. Assumindo que eles tenham boas oportunidade e exercícios suficientes para se manterem engajados, o Border Collie terá sempre um comportamento alegre com outros animais e crianças, mas se você não for capaz de mostrar 100% de liderança, ele pode se tornar hostil com outros cachorros do mesmo gênero.

2. Leão da Rodésia

racas-cachorro-hiking-leao-rodesia
Leão da Rodésia filhote brincando no parque em meio as plantas. (Crédito/Copyright: “Por Tatiana Katsai/Shutterstock”)

O Leão da Rodésia é um cachorro de força, comprometimento e bravura impressionantes. Apesar dele confirmar uma herança pré-histórica, o Leão da Rodésia, no entanto, é de ascendência comparativamente atual em linhas de padronização da raça. Nos dias de hoje, o Leão da Rodésia descendem de uma variedade de raças de cachorros que foram cruzados por Rodésia com cachorros locais das tribos de Hottentots e colonos da África do Sul. A sua crista acabou sendo a sua marca registrada. O Leão da Rodésia resistiu a formas diferentes todos estes anos por causa das suas excelentes habilidade de caça. Além de seguir e rastrear animais selvagens enormes, ele era muito utilizado para manter a sua presa encurralada. Ele era o guardião das famílias em fazendas, supervisionava caças e caçadores tudo na África do Sul e Central, onde a raça se desenvolveu até ter a sua forma recente. Desde a sua terra Natal na África, o Leão da Rodésia não perdeu nenhuma das suas habilidade como guardião ou caçador e continua sendo um coorte excepcional. O Leão da Rodésia é um animal de estimação dedicado e muito leal ao seu dono. Ele é um tanto distante e impaciente com estranhos.

3. Vizsla

racas-cachorro-hiking-vizsla
Vizsla em posição de caça em um dia de outono. (Crédito/Copyright: “Por Bildagentur Zoonar GmbH/Shutterstock”)

Esta raça de cachorro, originada na Hungria, é famosa pelas suas habilidades de caçador. Uma porção da raça é retriever e parcialmente apontador; ele é uma excelente combinação de algumas das melhores raças para se viver ao ar livre. Nunca subestime o Vizsla uma vez treinado e ensinado. No entanto, eles ainda podem ser excessivamente teimosos e autodeterminado, mas ao reconhecer o seu dono como seu superior eles tendem a ficar submissos sem hesitar. Eles também possuem grande força e resistência, e adoram estar com a família em qualquer atividade, seja uma caminhada curta ou longa. Eles se destacam em velocidade, saltos e até obstáculos. Por outro lado, eles tendem a ser curiosos e desconfiados, por isso é vital supervisioná-los principalmente durante as caminhadas durante a noite.

4. Pointer Alemão de Pêlos curto

racas-cachorro-hiking-pointer-alemao
Dupla de filhotes de Pointer Alemães juntos deitados na caminha deles. (Crédito/Copyright: “Por Nils Versemann/Shutterstock”)

O que faz o Pointer Alemão de Pêlos curto se destacar dos demais é a sua versatilidade e inteligência. De acordo com a AKC, o Pointer também se destaca em provas competitivas caninas como apontar, retriever e trailing, uma forma de se mover rasteiramente. Além disso, o seu incrível faro faz dele um excelente caçador de codorna, faisão, aves aquáticas, gambá, cervos e guaxinins. Esta raça é capaz de desempenhar de tudo, não importa qual seja a sua abordagem de caça. Esta raça de cachorro altamente dinâmica e inteligente é outra opção maravilhosa para famílias que gostam de caminhadas vigorosas. Ele é apto para qualquer atividade e todo tipo de hobby. Ele normalmente precisa de pelo menos 1 a 2 horas e exercícios diariamente, pois ele tem uma energia que dura um dia inteiro. Antes de levar esta raça para uma caminhada, não de esqueça que ele possui uma um forte instinto de presa. Animais pequenos como coelhos, esquilos e outros bichinhos de florestas podem atraí-lo para uma perseguição, por isso eles devem ser bem adestrados e treinados a não sair correndo por aí atrás de outros animais. De modo geral, eles são protetores e podem ser ótimos cães de guarda, além de adorarem uma caminhada ao ar livre.

5. Cão D’água Português

racas-cachorro-hiking-cao-dagua-portugues
Cão D’água Português deitado sob o banco da praça. (Crédito/Copyright: “Por Scott F. Smith/Shutterstock”)

Se a caminhada for perto de qualquer forma de água, como numa praia, próximo a um riacho, então Cão D’água Português é o seu par perfeito. Estes cachorros são conhecidos por duas características: o senso do humor e suas habilidades na água. Eles eram utilizados em Portugal para pastorear e pescar peixes com redes, recuperar equipamentos de pescadores e iscas e transmitir mensagens entre os barcos de pescas. Eles eram considerados pelos pescadores como parte do time e podiam consumir os peixes e ainda eram pagos pela ajuda e serviços prestados. A ligação criada entre ele e os pescadores os tornaram sociáveis. Por isso, eles adoram passar o tempo com seus donos, estar sempre à vista e fazer parte de todas as atividades em família. Eles nunca se cansam de aventuras! O Cão D’água Portugues possui força e atitude de sobra. Estes cachorros podem correr e caminhar o dia inteiro e ainda pedir mais. Eles são excessivamente grandes para viver em apartamentos e mais adequados à locais com mais espaço. Por outro lado, eles possuem a reputação de serem cães hipoalergênicos, embora não exista tal coisa, mesmo assim são boas opções para quem sofre de alergias.

6. Cão Montanhês de Bernese

racas-cachorro-hiking-bernese
Cão Montanhês de Bernese em dia ensolarado. (Crédito/Copyright: “Por Grigorita Ko/Shutterstock”)

O calmo e tranquilo Cão Montanhês de Bernese é um cachorro extremamente trabalhador e um dos melhores raças de cachorro para caminhadas. Estes cães gigantes eram criados para puxar trenós. Eles possuem a reputação de ser intensamente leais e devotados. Eles são capazes de carregar coisas de aproximadamente 10 vezes o peso deles, o que significa que eles podem ajudar qualquer um a carregar qualquer coisa durante uma aventura. Eles são inteligentes, amáveis e adoram ser desafiados a aprender novos truques. O Cão Montanhês de Bernese ainda vem com pelagem extra brilhante capaz de aguentar climas frios; ideal para altas altitudes. Por outro lado, eles tendem a ter problemas cardíacos; por isso é preciso manter o seu cachorro resfriado por dentro quando estiver extremamente quente do lado de fora. Eles são desbravadores de montanhas naturais; obviamente está até no nome deles. Eles adoram brincar na neve e ficar na companhia da sua família humana.

7. Vira-latas ou SRD (sem raça definida)

racas-cachorro-hiking-vira-latas
Cachorro sem raça definida ou o famoso “vira-lata” demonstrando todo o seu charme. (Crédito/Copyright: “Por Pitchapron J/Shutterstock”)

O Vira-latas é uma misturas de raças não definidas com descrições e características imprevisíveis. Estes cachorros estão disponíveis em todos os tamanhos, cores, formas e padrões. Eles podem ter orelhas caídas ou eretas, caudas longas ou curtas, patas alongadas e uma mancha escura sobre o olho esquerdo. Toda essa mistura de raças se destaca onde um pedigree deixa a desejar. Como um dos melhores cães de família, delineado por um conjunto de genes mais amplo e mais variado, a sua ferocidade é mais submissa em comparação aos parentes de raça pura, seus desejos e impulsos são dominados. A sua afetuosidade, lealdade e avidez para agradar ainda estão intactas como em outros cachorros. Eles são ótimos em muitas coisas e possuem todas as características de um dos melhores cachorros para grandes aventuras ao ar livre. Você pode procurar por um no seu bairro ou em abrigos de adoção e você será recompensado com um amigo capaz de acompanhá-lo a grandes aventuras pelo resto da vida.

Categorias
Atividades & Adestramento

Como adestrar um cachorro: 8 erros comuns de adestrador de cachorro

A chegada de um novo filhote é sempre um grande acontecimento. Não há quem não fique entusiasmado com isso. Mal podemos esperar para começar a ensiná-lo todo tipo de truque. No entanto, tenha muita calma nessa hora. Saber como adestrar um cachorro da maneira correta é muito importante. Principalmente, se não temos a experiência e o conhecimento de um adestrador de cachorro.

O fato é que podemos cometer muitos erros sem querer e até sem perceber que estamos cometendo. Um adestrador de cachorro experiente tem o conhecimento necessário para saber como adestrar um cachorro. Mesmo assim, se você não tem como arcar com um adestrador de cachorro e prefere fazer o serviço você mesmo, se informe antes sobre como adestrar cachorro da maneira correta.

Como adestrar um cachorro sem errar

Há vários truques de como adestrar um cachorro, mas também vários erros muito comuns que até o melhor adestrador de cachorro pode sem querer cometer. Por esta razão, tome um maior cuidado e tente evitar esses erros na hora de ensiná-lo alguns comportamentos básico e truques. Para ajudar, listamos abaixo 8 erros muito comuns que cometemos ao tentar adestrar o cachorro:

1. Usar correção ao invés de reforço positivo

Como adestrar um cachorro: Cachorro sendo corrigido verbalmente durante o treino
Como adestrar um cachorro: Cachorro sendo corrigido verbalmente durante o treino. (Crédito/Copyright: “Kzenon/Shutterstock”)

Focar nos pontos negativos com punições não é nem um pouco eficaz comparado ao método de reforço positivo. Ou seja, fazer uso de castigo e dominância pode levar a vários outros problemas de comportamento para o filhote no futuro.

Além disso, se você misturar reforço negativo com positivo, fica mais difícil para o cachorro determinar se ele vai ser castigado ou recompensado. A solução é antecipar o comportamento do seu cachorro.

Se o seu cachorro for fazer algo que não seria apropriado, como por exemplo latir, distraia-o com algum outro comando. Assim, ele poderá responder e ser recompensado de acordo. Saber como adestrar um cachorro leva tempo e prática.

2. Treinar por longas horas

Como adestrar um cachorro: achorros sendo treinados juntos.
Como adestrar um cachorro: cachorros sendo treinados juntos. (Crédito/Copyright: “Vista Photo/Shutterstock”)

As sessões de adestramento devem parar logo após obter resultados positivos e só continuar algum tempo depois. Se você treiná-lo por longos períodos de tempo, o seu cachorro ficará entediado e não vai mais se interessar em aprender mais nada.

Além disso, ele poderá ficar sobrecarregado com tanta informação nova e não conseguir absorver o que ele tem que aprender. Você também não deve insistir na mesma lição o dia inteiro. Muito menos tentar que fazê-lo aprender tudo em um único dia. Todo treinamento é um processo, e como adestrar cachorro leva tempo, tenha paciência.

3. Ficar no mesmo local

Como adestrar um cachorro: cachorro sendo treinado no parque através de brincadeiras.
Como adestrar um cachorro: cachorro sendo treinado no parque através de brincadeiras. (Crédito/Copyright: “Elena Efimova/Shutterstock”)

Você provavelmente irá treinar o seu cachorro bastante na sua casa, já que é onde vocês moram. No entanto, não se limite apenas à sua casa ou um único local. O seu cachorro irá aprender a se comportar em casa, mas assim que ele sair de casa, ele terá muito mais dificuldade para prestar atenção.

Tente treiná-lo do lado de fora da casa, em parques, na praça, onde há várias outras distrações. Desta forma, o cachorro irá aprender a manter o foco e o comportamento consistente, não importa o que tiver acontecendo ao redor dele.

4. Abusar muito do “Clique”

Como adestrar um cachorro: Shiba Inu sendo treinado pelo método de clicking
Como adestrar um cachorro: Shiba Inu sendo treinado pelo método de clickin. (Crédito/Copyright: “supercat/Shutterstock”)

O treinamento por “cliques” está ficando muito popular nos dias de hoje, e é uma ferramenta de treinamento muito eficaz quando usada da maneira adequada. Muito adestrador de cachorro usa a ferramentas, mas às vezes exagera. Saiba como usar antes de sair por aí clicando tudo.

O seu cachorro deve aprender a associar o clique com uma recompensa, mas se você parar de recompensá-lo, o clique perde o significado. Assim, você deve se manter consistente com apenas um clique por comportamento desejado. Se você começar a clicar demais enquanto ele estiver fazendo algo, ele não vai ter ideia do que está sendo recompensado. Para saber como adestrar um cachorro, uma boa comunicação é chave do sucesso.

5. Depender de “recompensas” comestíveis

Como adestrar um cachorro: cachorro sendo recompensado por comida durante o treino.
Como adestrar um cachorro: cachorro sendo recompensado por comida durante o treino. (Crédito/Copyright: “larstuchel/Shutterstock”)

Estes pequenos mimos comestíveis são ótimos se o filhote for bastante motivado por comida, assim são muito eficazes no início do treinamento. Mas tente variar as recompensas entre elogios, brinquedos para cachorros ou brincadeiras além de comida.

Se você acostumá-lo só dessa maneira e passar a depender muito de comida, o seu cachorro começará apenas a se comportar quando você tiver comida para oferecer. Até porque, nem sempre você vai estar andando por aí com o bolso cheio de guloseimas para ele. Por esta razão, é melhor garantir que o cachorro seja capaz de responder a elogios e associar a sua aprovação com recompensas.

6. Não ajustar o treino a personalidade do cachorro

Como adestrar um cachorro: Golden Retriever sendo treinado de acordo com a sua personalidade.
Como adestrar um cachorro: Golden Retriever sendo treinado de acordo com a sua personalidade. (Crédito/Copyright: “Soloviova Liudmyla/Shutterstock”)

Cães são indivíduos, e nem todo método de treinamento ou recompensa vai funcionar para o mesmo cachorro. Assim, algumas raças são mais motivadas por brincadeiras que comida, e outras possuem uma necessidade natural para agradar. Já outras raças são conhecidas por serem simplesmente teimosas.

Compreenda o que motiva o seu cachorro e como ele aprende melhor. Desse modo, tente mudar o ambiente ou a forma como você dá os comandos. Se um método de treinamento não está funcionando, não é necessariamente culpa do seu cachorro. Ou seja, talvez você tenha que mudar a sua técnica e experimentar encontrar aquilo que funcione. Para aprender como adestrar um cachorro, temos que ser pacientes.

7. Repetir muito os comandos

Como adestrar um cachorro: achorro sendo treinado através de métodos  repetidos
Como adestrar um cachorro: achorro sendo treinado através de métodos repetidos. (Crédito/Copyright: “Mark Mondaini/Shutterstock”)

Esse é o tipo de erro mais comum entre adestradores inexperientes com relação a como adestrar cachorro. Por exemplo, o comando “senta”, muitas vezes é repetido exaustivamente por quem não tem experiência até que o cachorro seja vencido pelo cansaço.

A estagnação pode se tornar um comportamento aprendido, e o cão pode achar que terá que se sentar apenas depois que o comando é repetido. Se o seu cachorro não responder, não repita o comando. Leve-o para algum outro lugar e em seguida, tente novamente. Se ele ainda assim não responder, é hora de recomeçar o treinamento e reaprender o comando.

8. Não praticar

Como adestrar um cachorro: cachorro praticando o seu treinamento.
Como adestrar um cachorro: cachorro praticando o seu treinamento. (Crédito/Copyright: “takayuki/Shutterstock”)

O seu cachorro pode até aprender rápido, mas não adiantará nada se ele não praticar. Como você, o seu cachorro não pode se lembrar de tudo o que aprendeu se não praticar. Mantenha o treinamento sempre, não só na fase de filhote. Ou seja, você deve praticar com ele pelo resto da vida, e ele ainda irá apreciar o estímulo mental mesmo adulto ou em idade avançada. Com todas estas dicas você vai saber adestrar o seu cachorro filhote para o resto da vida!

Categorias
Atividades & Adestramento

Descubra as melhores atividades para cada raça de cachorro

Em “Dicas pra se divertir ao exercitar o cão” podemos aprender um pouco sobre cada tipo de exercício que os cães podem desempenhar, mas é sempre bom saber quais os exercícios mais adequados para cada raça, pois nem toda atividade pode ser desempenhada por todos os tipos de cachorros. Cada raça é capaz de desempenhar uma atividade melhor que outras.

Os cães de caça, como por exemplo o Cocker Spaniel Inglês e Cocker Spaniel Americano, Brittany, Golden Retriever, Labrador Retriever, Pointers, Bracos, Vizlas, Weimaraners, Setter Inglês e Setter Irlandês, são o tipo de cães que topam de tudo, pois são cheios de energia e foram criados exatamente para aguêntar o tranco por longos períodos de tempo. Eles são capazes de fazer longas caminhadas, ser companheiros de corridas, gostam de água e podem nadar e ainda jogar o frisbee.

atividades-caes-caca
Beagle participando do agility (Crédito/Copyright: “L. Nagy/Shutterstock”)

Já o agility é mais recomendado para os Cockers e para o Brittany, por terem estruturas mais leves, sendo que as raças mais pesadas precisam de cuidados extras, pois é o tipo de exercício que força as articulações com os saltos. Os hounds, como por exemplo o Basset Hound, Beagle, Dachshund, Greyhound Italiano, Leão da Rodésia, Borzoi, Saluki, também são cães de caça, mas que costumavam caçar em bandos.

Portanto, como todo cão de caça, energia é o que não falta pra eles (com exceção do Dachshund e do Basset Hound que são menos energéticos), o problema é que eles adoram ficar com o rosto no chão, mas a caminhada e a corrida poderão ser ótimas aliadas, e a natação também é uma boa. Já o agility e o Frisbee devem ser feitos com muito cuidado pelos Dachshund e pelo Basset Hound, porque toda essa movimentação pode prejudicar a coluna deles.

atividades-caes-trabalhado
Cão Pastor Alemão trabalhando como cão policial (Crédito/Copyright: “Grisha Bruev/Shutterstock”)

Os cães trabalhadores como o Akita, Cão Montanhês de Bernese, Boxer, Cane Corso, Cão D’Água Português, Doberman Pinscher, Dogue Alemão, Dogue de Bordeux, Fila Brasileiro, Husky Siberiano, Mastife Inglês, Pastor Alemão, Pastor Belga Groenendeal, Pastor Canadense, Rottweiler, São Bernardo, como o próprio nome já diz, estes cães estão acostumados a trabalhos pesados, principalmente, de força, tração e proteção de propriedade.

Estes cães de grande porte só precisam ter mais cuidado com alguns tipos de exercícios, pois quanto maior e mais pesada a raça, maior serão os cuidados. Exercícios como caminhadas e natação, por exemplo, podem ser praticados por todos deste grupo de raças, já o agility, o Frisbee e a corrida devem ser feitos apenas pelos mais leves.

atividades-caes-pastores
Cachorro Border Collie em competição canina (Crédito/Copyright: “L. Nagy/Shutterstock”)

Como os trabalhadores, os cães de caça e hounds, os cães pastores, como o Border Collie, Bouvier des Flandres, Collie, Pastor Alemão, Pastor Belga, Pastor de Shetland, Old English Sheepdog, Beauceron, também possuem níveis alto de energia, principalmente o Border Collie, por isso eram e ainda são usados para guiar e pastorear outros animais. Estes cães podem desempenhar qualquer tipo de exercício, eles são incansáveis.

E por falar em altas doses de energia, os cães do tipo Terriers, como o Airedale Terrier, Staffordshire Terrier Americano, Boston Terrier, Bull Terrier, Cairn Terrier, Terrier Brasileiro,Fox Terrier, Jack Russell Terrier, Miniatura Pinsher, Pit Bull Terrier, Schnauzer, Terrier Escocês, Welsh Terrier>, West Highland Terrier, Yorkshire Terrier, são simplesmente excessivos e precisam de muito exercício físico para não se comportarem mal e sairem destruindo tudo pela casa. Eles são capazes de se dar bem com todos os tipos de exercícios.

atividades-caes-terrier
Jack Russel Terrier brincando com bola (Crédito/Copyright: “alexei_tm/Shutterstock”)

Já os chamados cães Toys, como o Bichon Frise, Cotton de Tulear, Lhasa Apso, Maltês, Shih-Tzu e Poodle, por exemplo, apesar do porte pequeno e de não precisarem de tantos exercícios como os outros grupos acima, precisam gastar o mínimo de energia para se acalmarem. Uma boa caminhada funciona, o agillity e o frisbee também podem ser praticados. Já a natação não seria um exercício muito recomendado, por causa da pelagem muitas vezes longa e por não serem muito fãs de água na sua maioria.

atividades-caes-braquicefalicos
Buldogue francês esperando para passear com sua coleira (Crédito/Copyright: “Javier Brosch/Shutterstock”)
Não podemos esquecer também de algumas raças especiais como o Buldogue Inglês, Buldogue Francês, Chow Chow, Shar-pei e o Pug, apesar de suas formas, tamanhos, e pelos bastante variados, todos eles possuem uma coisa em comum: são cães braquicefálicos, ou seja, de focinho curto, e precisam tomar muito cuidado, pois sua capacidade respiratória é limitada, além de não resistem ao forte calor e de se cansarem facilmente. Portanto, o agility, frisbee e corridas não são exercícios recomendados, nem mesmo a natação. Já uma boa caminhada ou voltinha ao redor do quarteirão em um horário mais fresco bastam.