Para saber o que um bicho de estimação pode ensinar a seus filhos, precisamos primeiramente voltar no tempo e entender como surgiu a vida na Terra, e como começou esse relacionamento entre humanos e animais até os dias de hoje.

A vida na Terra começou há cerca de três bilhões de anos, sendo que os animais multicelulares surgiram há mais ou menos 700 milhões de anos.

No início a Terra era habitada apenas por eles, sendo então os animais os primeiros a estabelecer uma rotina de vida e criar relações entre si para a sobrevivência.

Com o passar das eras, surgiu então o primeiro homem, mais ou menos há três milhões de anos. Desde então, a relação entre homens e animais começou a se estreitar, à medida que surgiam as necessidades de interação. Portanto, um precisa do outro e um completa o outro. Foi assim que a natureza determinou.

No começo, a relação era apenas complementar, sendo que eram usados para o trabalho, para fornecer comida e aquecimento através do uso das peles.

Mesmo assim, já havia uma espécie de admiração e gratidão do ser humano pelos animais, visto que encontramos nas cavernas os desenhos de várias espécies feitos há milhares de anos.

Na pré-história já haviam bichos de estimação?

O bicho de estimação existe desde os primórdios dos tempo.

O bicho de estimação existe desde os primórdios dos tempo.

Muitos são os animais identificados nos desenhos das cavernas, mas alguns são os que mais aparecem.

Um dos mais representados nos desenhos rupestres são os auroques, uma espécie de bovídeo que deu origem ao gado atual, e cujo último exemplar morreu na Polônia em 1627. Outros que aparecem são, cavalos, veados, cabras montanhesas e peixes.

Podemos dizer que mesmo na pré-história, os animais já eram considerados de estimação, dada a estreita convivência que tinham com o ser humano, sendo que ambos estavam muito mais ligados à natureza do que atualmente.

Era ao ar livre que o homem fazia seus cultos à natureza e, por conseguinte, era no mesmo ambiente que se desenvolviam os santuários ecológicos.

Os animais participavam juntamente com o homem dos cultos e viviam em harmonia entre si e com a natureza. Portanto, o relacionamento tinha uma base natural, sem os artifícios impostos pela vida moderna.

Ao longo da história, com o advento das tecnologias, conforme os animais foram perdendo espaço para desenvolver suas habilidades, suas funções foram sendo substituídas, e hoje são poucos os animais que ainda são usados como auxiliar no trabalho, sendo que até mesmo esta função, passou as ser realizada com mais critério e cuidado em relação à saúde do animal.

E então surgiu o cachorro

O cachorro é o bicho de estimação mais adorado há séculos.

O cachorro é o bicho de estimação mais adorado há séculos.

Até agora falamos dos primeiros animais surgidos na Terra que acompanharam o ser humano durante os primeiros períodos geológicos, em sua jornada de evolução.

Eram animais de grande porte, que por mais que fossem estimados por seus donos, só poderiam viver do lado de fora das habitações, exceto quando o homem ainda vivia nas cavernas.

Foi então no período paleolítico que surgiu o cão. Esse auxiliar indispensável, que passaria a ser o eterno companheiro nas horas de trabalho e laser do ser humano.

Pesquisas apontam para o surgimento do lobo cinzento no continente asiático há cem mil anos. Dele descende o cão atual, o qual ao longo dos séculos passou pela domesticação e aprimoração da espécie.

Essa seleção artificial resultou numa grande variedade de raças, com as mais variadas características de tamanho e cor de pêlo, além do comportamento e habilidades. No Brasil, dos cruzamentos entre raças resultou o SRD que em Portugal é chamado de Rafeiro.

As muitas aptidões que possui, somadas à facilidade de aprendizado, e à lealdade nata que possuem, fez surgir a famosa frase de que o cachorro é o melhor amigo do homem.

Dotado de excelente olfato e audição, consegue desempenhar com excelência trabalhos de caça, busca, guarda e pastoreio.

Com o avanço da medicina veterinária, a expectativa de vida dos cães vem aumentando, sendo que alguns conseguem chegar aos vinte anos de vida, portanto, esse é um elemento a ser pesado na hora de adquirir um cão que será parte da família.

O melhor amigo do homem

O cachorro é o bicho de estimação melhor amigo do mundo.

O cachorro é o bicho de estimação melhor amigo do mundo.

Não existe na história registro de laços mais fortes entre espécies diferentes do que entre cães e seres humanos. A dedicação, o afeto e a lealdade que dispensam ao dono é algo que transcende a compreensão humana por mais que seja pesquisada.

O que faz um cão dar a vida por seu dono? De onde então vem esse sentimento, essa decisão? De alguma área do cérebro ou de algum recanto em sua alma? De onde sai tanta gratidão? São perguntas que até hoje não encontramos respostas, por mais racionais e inteligentes que sejamos.

E foi assim que o cão entrou na nossa vida. Não só por suas qualidades, mas muito mais por sua afeição desinteressada, que muitas vezes não somos capazes de possuir.

Por isso possuem tantos defensores. Tentamos desesperadamente preservar algo de muito bom que sabemos não existir em nós sem que haja um retorno.

As homenagens a eles se multiplicam através de livros, filmes e desenhos, e as crianças são as que mais guardam na lembrança a figura de um cachorro.

Portanto, quando se dirigem aos pais para pedir a presença de um em suas vidas, cabe a eles a responsabilidade de informar o quanto isso significa. O quanto vai precisar abrir mão de si mesma para cuidar do outro.

Vemos todos os dias na internet vários apelos na época de festas como Natal, Páscoa e Dia das Crianças, chamando a atenção para o fato de que animal não é objeto.

A linda cestinha com um lindo filhote com laço vermelho no pescoço pode emocionar na hora da entrega, mas, será que essa mesma emoção vai perdurar?

Ter um animal de estimação é se emocionar todos os dias, mesmo quando ele faz suas travessuras e adoece, seja ele um cachorro, um gato, coelho, passarinho ou qualquer outro.

O que um bicho de estimação pode ensinar

O bicho de estimação faz bem para o convívio familiar.

O bicho de estimação faz bem para o convívio familiar.

Feita a escolha do animal a ser adquirido, ao ser levado para casa, começa ali uma relação que pode durar muitos anos, e com certeza, uma criança tem muito a aprender com seu animal de estimação.

A presença do adulto nesse momento é de grande importância, para que sejam informados à criança quais as necessidades do bichinho e como ele deve ser tratado e socorrido. Principalmente se a criança for muito pequena ainda.

O maior valor que um animal pode ensinar a uma criança é o respeito. Em geral os animais domesticados, e principalmente os que melhor respondem ao adestramento, possuem bom comportamento em relação ao ser humano, e com as crianças costumam ter muita paciência.

O animal vai saber demonstrar de forma sutil o que lhe agrada ou não. No caso dos cães e gatos, a maioria não se sente confortável com a manipulação de suas patas, boca e rabo. Portanto, precisa ser ensinado à criança o conceito de respeitar a individualidade de cada animal.

Dessa forma, ao longo do relacionamento ambos vão saber as preferências um do outro e se respeitarem mutuamente.

Outros valores muito fortes no instinto dos animais são a resiliência, a resignação e a compaixão, e com a ajuda de um adulto, a criança pode absorver esses valores através da convivência e observação.

Um bicho de estimação faz bem a saúde

bicho de estimação pode melhorar a saúde

Um bicho de estimação pode melhorar a saúde de uma pessoa.

Um bicho de estimação é capaz de proporcionar a melhora de problemas de saúde, principalmente em crianças com problemas psicológicos e problemas de mobilidade. Nesse caso, os cavalos são muito utilizados. E no caso de crianças cegas, os cães são grandes auxiliares.

Algumas crianças que sofriam de falta de apetite tiveram o problema resolvido quando passaram a se alimentar junto com o animal de estimação.

Ao ver o bichinho comendo se sentiam impelidas a se alimentarem também. Nos casos de depressão, os animais são os melhores guias espirituais por causa de seu amor incondicional e de seu carinho.

Muitas vezes sabem a hora certa de chamar para brincar ou simplesmente deitar ao lado e ficar em silêncio. Vai depender do que seu dono estiver sentindo, e é essa percepção que nos encanta. Essa capacidade de distinguir um momento do outro apenas por observação.

Enfim, são muitos os benefícios da convivência com um animal de estimação. Basta que haja cumplicidade, respeito à individualidade do animal, paciência e uma boa dose de observação, além do grande amor e certeza de querer dividir a própria vida com outro ser que apesar de diferente espécie, é muitas vezes muito semelhante.