Nenhum outro gato ou cachorro é como aqueles que possuímos e amamos, e uma apólice de seguro animal para proteção da saúde deles também varia tanto quanto.

De fato, as coberturas no seguro animal variam bastante, e entender essas diferenças entre elas ajuda a fazermos a melhor escolha para o seu animal de estimação.

A primeira decisão é quanto ao tipo de apólice, que vai determinar a cobertura de uma forma geral no seu plano. Segundo a Associação Americana de Plano de Saúde Pet, a maioria dos tutores opta por planos de saúde pet que cobrem tanto doenças quanto acidentes.

Alguns até adicionam cobertura extra, para cobrir também procedimentos de rotina e vacinações. Mas você sempre terá opções de diminuir as coberturas e economizar nas apólices, ao contratar apenas cobertura para doenças, acidentes ou bem estar (exames e vacinas).

Na maior parte das vezes, as seguradoras combinam as coberturas principais, de maneira semelhante. Mas os benefícios específicos e restrições em cada área podem ser diferentes para cada companhia.

Por exemplo, enquanto a grande maioria das companhias cobrem displasia, uma condição genética que costuma afetar raças de grande porte, outras impõe limite de idade no tratamento e podem negar cobertura a cães mais velhos. Já outras, podem não ter restrição nenhuma quanto à mesma condição.

Continue lendo abaixo sobre a apólice de seguro animal, e entenda o que pode estar coberto ou não em cada uma delas!

Confira!

O que não está coberto na apólice de seguro animal

Uma apólice de seguro animal pode variar bastante nas coberturas.

Vamos começar com as despesas médicas que a sua apólice de seguro animal não vai estar disposta a cobrir, não importa a seguradora que você escolher.

Essas omissões incluem qualquer cuidado veterinário de rotina, como vacinações, limpeza dentária ou cirurgia para castração.

Estes procedimentos não fazem parte de apólices comuns, como regra, mas algumas seguradoras oferecem coberturas através de um custo extra adicional, chamado de “bem-estar”.

Condições pré-existentes também não estão incluídas nas apólices. Por exemplo, se o veterinário diagnosticar alguma condição médica antes da contratação da apólice, a seguradora não irá cobrir o tratamento para tal problema de saúde.

Mas há exceções para doenças curáveis recorrentes. Ou seja, provavelmente não irão negar a cobertura para uma infecção de ouvido, caso o seu animal já tenha tido o problema antes da contratação do seguro.

Lembre-se que as apólices também exigem a escolha de certos limites para cobertura, que incluem um limite vitalício em despesas reembolsadas, sendo que quanto maior o limite, maior o valor da apólice.

Além disso, a apólice de seguro animal pode não pagar a despesa por completo por qualquer cuidado; sendo necessário escolher a porcentagem da cobertura de custos (70%, 80%, ou 90%).

E como em todo plano de saúde, é preciso selecionar uma franquia que deverá ser paga anualmente antes do reembolso ser creditado.

Apólices de seguro animal recém contratadas podem não cobrir já de imediato, tendo que ser esperado por um período de carência (cerca de 14 dias), até que a apólice comece a valer.

Então, o que a apólice de seguro animal pode cobrir?

A apólice de seguro animal pode cobrir certas situações, dependendo das coberturas escolhidas.

Como vimos, as apólices de seguro animal podem variar em suas coberturas. Isso significa ser muito importante escolher a cobertura certa para o seu animal.

Então, faça a sua pesquisa de forma minuciosa e compare os benefícios. Normalmente, as apólices de seguro animal costumam cobrir:

Perda ou roubo:

As coberturas devem cobrir o preço que pagou pelo animal, que deve possuir alguma prova, senão a seguradora vai colocar um preço de “mercado”.

A seguradora poderá pagar pelo custo do anúncio pela perda do animal e da recompensa oferecida para a sua recuperação.

Apesar de insubstituível, pois são como membros da família, algumas apólices oferecem cobertura suficiente para repor o animal, quando não são encontrados.

Tratamento para problemas comportamentais:

Deveria estar incluído na apólice de seguro animal, sendo oferecido por uma organização profissional ou veterinário.

Morte por doença ou dano:

Neste caso, é necessário cobrir o preço pago pelo animal. Além disso, será preciso um laudo de veterinário qualificado para atestar a circunstância da morte. Normalmente, um limite de idade se aplica a este tipo de cobertura por conta de doenças. Uma boa apólice de seguro animal deve cobrir procedimentos de eutanásia, caso seja necessário.

Responsabilidade:

Está disponível para cachorros cobrindo qualquer custo que você seja legalmente responsável a pagar, caso alguém ou a propriedade alguém seja distorcida ou prejudicada em um acidente envolvendo o seu animal.

A maioria das apólices de seguro animal especificam que você não deve admitir responsabilidade. Você pode contratar um seguro apenas para cobrir a situação de terceiros ou como parte de uma apólice mais abrangente.

Além disso, cobertura para dias em canil ou hospedagem caso você tenha que se ausentar por mais de 4 dias seguidos, alguma emergência médica caso o animal precise quando estiver fora do país.

Por Equipe Editorial

O Vidanimal.com.br acredita que compartilhar um bom conteúdo é a melhor maneira de fazer com que a informação chegue ao seu destino ou público alvo. Educar e conscientizar as pessoas é a nossa missão. Procuramos criar parcerias com profissionais empenhados em fazer parte dessa missão. Contamos com uma equipe de colaboradores que amam aquilo que fazem e se dedicam todos os dias para levar até você um conteúdo informativo de qualidade.

Deixe uma resposta