Terrier Tibetano

cao-terrier-tibetano
(Créditos/Copyright: "Por manfredxy/Shutterstock")
Terrier Tibetano

Origem: China, Tibete
Data de origem:
Grupo de Raças: FCI Grupo 09 – Cães de Companhia / Pastoreio, AKC Cães não-esportistas.
Função original: cão de guarda e pastoreio
Função atual: cão de companhia
Outros nomes ou apelidos: Tsang Apso, Dokhi Apso
Tamanho: porte médio
Altura: de 36 cm a 43 cm
Peso: de 8 kg a 13 kg
Cores: todas as variações
Pêlos: longos, desgrenhados.
Manutenção: moderada à alta, escovações semanais.
Expectativa de vida: cerca de 12 a 15 anos.
Filhotes: cerca de 5 a 8 filhotes de Terrier Tibetano por cria.
Reconhecimento (Canil): ACA / ACR / AKC / ANKC / APRI / CKC / CKC / DRA / FCI / KCGB / NAPR / NKC / NZKC.

Introdução à raça Terrier Tibetano

cao-terrier-tibetano-intro
Terrier Tibetano adulto deitado no gramado do parque exibindo toda a sua exuberância de “cão sagrado”. (Créditos/Copyright: “Por manfredxy/Shutterstock”)

O Terrier Tibetano é uma raça canina de pelagem longa que cobre os olhos e lembram muito o Sheepdog miniatura. Oriundos da região do Tibete, eles foram criados em conventos de lamas ou monges budistas para fazerem companhia não só a estes homens sagrados mas também a pastores nômades enquanto vagavam pelas altas planícies com seus rebanhos. Eles costumavam vigiar o rebanho e guardar suas tendas.

Estes cães eram considerados sagrados na China, tidos como talismãs da sorte, felicidade e da prosperidade em algumas aldeias do Tibete, e eram dados de presente ou em agradecimento, nunca vendidos. Ao imperador, alguns machos foram dados como presente, bem como para chefes de aldeias durante o trajeto do tributo entre Portala e a Grande China. Com o medo de que fossem extintos, estes animais foram cruzados com a única raça tibetana de mesmo porte: os Spaniels do Tibete. Levados ao interior dos vales, cães ainda menores desenvolveram-se para gerar os conhecidos Lhasa Apsos. Alguns historiadores acreditam que eles iniciaram todas as raças tibetanas. Hoje, Terrier Tibetanos não são comuns e ainda raros.

Apesar do nome, o Terrier Tibetano não faz parte do grupo terrier e também não possui nenhuma das características da raça como a tendência a cavar ou temperamento explosivo. O seu nome foi dado por viajantes ingleses por causa do seu tamanho e da sua semelhança com algumas raças terrier. Vívido e amável, eles são, mas estas características são temperadas a uma natureza doce e gentil. Debaixo de toda a sua pelagem, seus olhos brilham com bom humor.

O nome Tibetano para a raça, “Tsang Apso”, se traduz aproximadamente para cão “desgrenhado ou barbudo (“apso”) da província de Tsang”. Alguns viajantes antigos até se referem à eles como “Dokhi Apso” ou Apso “ao ar livre”, indicando um cachorro trabalhador de pêlos desgrenhados ou barbudo que vive ao ar livre.

Como todos os cães, Terriers Tibetanos prosperam com a companhia humana. Não é à toa que eles se sobressaem como cães de terapia. Dito isso, Terrier Tibetan precisam viver dentro de casa e nunca do lado de fora. Um Terrier Tibetano relegado ao jardim sem a companhia humana será um cachorro triste e infeliz. Eles podem se adaptar a diferentes tipos de lares e são uma escolha excelente para famílias com crianças mais velhas que entendem como tratar um cachorro. E se adaptarão ao estilo de vida da sua família facilmente, sempre com bom humor, seja dentro de casa ou ao ar livre. Estará sempre animado para uma aventura no campo, uma brincadeira no jardim ou uma soneca na sala aos seus pés.

Embora não sejam amantes de atividades, eles são ativos o suficiente para lhe fazer companhia em caminhadas ou corridas, além de serem perfeitamente capazes de competir em agilidade, obediência e rally. Treine-o com paciência e consistência usando técnicas de esforço positivo como elogios, brincadeiras e recompensas com comida.

Remetendo ao seu passado como cães de alarme no monastério, eles são alertas a tudo que seja diferente da sua rotina e são capazes de serem ótimos vigias, mas o seu comportamento gentil não permite que sejam cães de guarda. Embora tranquilos, não é estranho serem reservados com desconhecidos, apesar de demonstrarem muita afeição à pessoas em geral.

Está sempre ávido para agradar, é corajoso, nobre e leal, mas detesta ser deixado sozinho, podendo até desenvolver certa ansiedade e começar a mastigar coisas, mas acabam amadurecendo o comportamento com a idade. Além de ser um tanto teimoso, o Terrier Tibetano não se dá bem com cães dominadores, e costuma latir bastante.

O Terrier Tibetano possui uma manutenção moderada e precisa ser escovado algumas vezes na semana para remover os pêlos mortos e evitar pêlos embaraçados. Ele solta pelos duas vezes ao ano, e durante este período, deverá ser escovado mais vezes para manter o controle. Terrier Tibetanos são uma raça durona, cabeluda, desgrenhada e versátil que não só pode ser uma excelente companhia; mas também muito capaz de guardar, pastorear e proteger o seu lar.

Origem da raça Terrier Tibetano

cao-terrier-tibetano-origem
Terrier Tibetano adulto castanho e cinza. (Créditos/Copyright: “Por manfredxy/Shutterstock”)

Com o seu terreno montanhoso, o Tibete é as vezes chamado de “Telhado do mundo”. E foi nesta terra remota de geografia difícil, dura e de grande altitude, que o Terrier Tibetano foi criado há quase 2.000 anos atrás. Premiados como companhias, estes cães foram criados por monges Budistas, chamados de lamas, e de quem receberam o nome de “Cães Sagrados”. Mas estes cães de porte médio e pelagem desgrenhada não se limitavam à vida nos monastérios onde nasceram. Considerados “mensageiros da sorte”, eles viajavam pelos altos platôs com pastores nômades, guardando suas tendas, e quando não eram mantidos como trabalhadores, eram companhia para as famílias e ocasionalmente ajudavam com o pastoreio e outras tarefas nas fazendas.

Temendo contrariar o destino ao “vender a sorte”, nem os lamas ou os pastores se atreviam a vender estes cães. Ao invés, eram dados de presente em troca de favores ou serviços, ou presenteados a oficiais em sinal de estima.

Muito da história da raça é especulação ou mito; uma das histórias conta que uma das principais rotas de acesso para o vale deles havia sido totalmente destruída por um terremoto no século XIV. Poucos visitantes se aventuravam a arriscar suas vidas em uma viagem traiçoeira ao “vale perdido” depois deste acontecido; os poucos que iam recebiam um “cão da sorte” para ajudá-los no caminho de volta para casa.

O Terrier Tibetano podia ter permanecido uma raça obscura se não fosse por um Tibetano que deu um exemplar a uma médica indiana chamada Agnes R. H. Greig, em agradecimento por ter salvado a vida de sua esposa. A Dra. Greig deu o nome de Bunti ao filhote tornando-se uma fã da raça. Eventualmente, ela adquiriu um macho, também como presente do próprio Dalai Lama, e começou um programa de reprodução ao voltar para a Inglaterra, estabelecendo a linhagem “Lamleh” de Terrier Tibetanos, originalmente registrados como Lhasa Terriers. Os Terrier Tibetanos são uma raça antiga que contribuiu para o desenvolvimento de todas as outras raças Tibetanas, incluindo o Shih-Tzu, Lhasa Apso e o Spaniel Tibetano.

Não sendo um cão esportista nem uma mistura, a raça foi chamada de Terrier Tibetano, apesar de não ser um terrier realmente, nem em instinto, nem em temperamento, lembrando apenas no tamanho. Um padrão de raça foi estabelecido por um clube de raças da Índia em 1930, e o Terrier Tibetano foi oficialmente reconhecido por um Clube de raça inglês em 1937 onde começou a ser exposto. O primeiro Terrier Tibetano importado para os Estados Unidos, chegou em 1956. O clube de raça americano foi formado em 1957, e a AKC reconheceu a raça em 1973.

Aparência do Terrier Tibetano

cao-terrier-tibetano-aparencia
Terrier Tibetano adulto castanho de barbicha cinza.(Créditos/Copyright: “Por manfredxy/Shutterstock”)

O Terrier Tibetano evoluiu para um cachorro para todos os propósitos, capaz de acompanhar o seu dono em qualquer tarefa. O Terreir Tibetando possui porte médio e estrutura proporcional, compacta e poderosa. Adulto, eles lembram muito os Old English Sheepdogs miniatura.

Sua cabeça é de tamanho médio, com um crânio nem redondo nem achatado, uma parada moderada, e um focinho forte de comprimento médio. O nariz é preto. Os dentes se encontram em nível, mordida de tesoura ou tesoura reversa (em que a superfície interna da arcada inferior toca a superfície externa dos dentes de cima). Seus olhos são grandes, escuros e separados. As orelhas são pendentes, em formato de “V”, caídas na lateral da cabeça, peludas. A sua cauda é alta, peluda e encaracolada caindo nas costas.

As patas traseiras do Terrier Tibetano são levemente mais longas que as patas da frente. Mas uma das suas características mais distintas é a sua pata larga, achatada e redonda com pêlos entre os dedos, ideal para escalar montanhas e com tração suficiente para terrenos difíceis, como sapatos naturais de andar na neve.

O Terrier Tibetano possui uma pelagem de dupla camada; uma externa longa, grossa e abundante (lisa ou levemente ondulada, não sedosa ou encaracolada) que possui uma textura de cabelo humano, e outra interna lanhosa e macia, fornecendo proteção aos climas mais severos. A pelagem pode ser de várias cores, exceto vinho e chocolate, sendo dourado a mais rara. As combinações podem ser várias: sólida, parti-color, tricolor, rajada, ou malhada, desde que o nariz seja preto e o olhos escuros.

A pelagem longa cai sobre a face, os olhos e testa, mas seus cílios evitam que os pêlos atrapalhem a sua visão, e não deve tocar o chão como é típico em raças como o Lhasa Apso ou Maltês. Até o seu focinho é coberto por uma barba que normalmente é cinza em Terrier Tibetanos pretos. As orelhas também são completamente cobertas por pêlos. O seu corpo e patas são largos, mas a maior parte da sua largura é devido a toda essa abundância de pêlos cobrindo ele inteiro.

Ambiente Ideal para o Terrier Tibetano

terrier-tibetano-ambiente
Terrier Tibetano filhote relaxando no conforto de sua casa. (Créditos/Copyright: “Por Elfgrados/Shutterstock”)

O Terrier Tibetano é um cão divertido e amável capaz de lidar com quase todo tipo de ambiente. Eles podem viver tanto em uma casa como em um apartamento desde que tenham oportunidades suficientes de se exercitar. Eles são relativamente inativos dentro de casa e um pequeno jardim seria suficiente, mas eles gostam mesmo é de espaços abertos para brincar e gastar energia, por isso não os larguem em alguma área confinada por muito tempo. Embora capazes de viver do lado de fora em climas temperados ou frios, eles devem viver dentro de casa, nunca nos fundos de um quintal ou em um canil. O Terrier Tibetano deve ter um dono que possa estar em casa com eles a maior parte do tempo, pois se tem uma coisa que eles detestam é ficar sozinhos. Um Terrier Tibetano entediado ou solitário, late em excesso, e um Terrier Tibetano realmente infeliz é um verdadeiro artista em escapar perfeitamente capaz de escalar, pular ou cavar a sua rota de fuga por cima ou por baixo da cerca.

Temperamento & Personalidade do Terrier Tibetano

cao-terrier-tibetano-temperamento
Terrier Tibetando adulto em meio a uma floresta coberta de neve. (Créditos/Copyright: “Por manfredxy/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Como todo cão, o Terrier Tibetano precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Terrier Tibetano cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

O temperamento tem sido um dos aspectos mais atraentes da raça desde que foi estabelecida. Terriers Tibetanos possuem um temperamento moderado, o que faz deles excelentes companhias para todos os tipos de famílias. Eles não são nem ativos demais, nem tão preguiçosos. Eles são vívidos, divertidos, de grande agilidade assim como resistência.

Terrier Tibetanos são cães corajosos, inteligentes, dedicados, doces, amáveis, afetuosos e extremamente leais aos seus donos. Por causa da sua origem como vigias, Terrier Tibetanos tendem a ser reservados com estranhos, mas não devem ser agressivos ou muito tímidos. Embora tenham esse comportamento com desconhecidos, eles são sensíveis e reagem ao humor, sentimentos e emoções dos seus donos. Eles são bons em ler estas emoções e adaptam o humor deles para se adequar ao humor da sua família. Se você precisar se animar, ele fará de tudo para alegrá-lo, e se você estiver já de excelente humor, ele ficará feliz de se juntar à você. Ele vai sempre querer estar envolvido em tudo o que seus donos estiverem fazendo. O que ele mais gosta é estar junto da sua família.

Terrier Tibetanos são gentis com crianças mais velhas se propriamente introduzidos e prosperam com a interação humana. E embora normalmente bons com outros animais, eles precisam aprender a aceitar gatos. Alguns podem ser até ciumentos, o que pode tornar difícil a convivência com outros animais de estimação.

Eles também são firmes, determinados e muito espertos, o que pode levar à teimosia. O Terrier Tibetano é altamente inteligente e pode ser traiçoeiro, portanto preste atenção ao seu senso de humor. Certifique-se de ser um líder para o seu Terrier Tibetano. Cães que costumam dominar o espetáculo acabam acreditando que são “alphas” em relação aos humanos, tornando-se teimosos, cabeças-duras demais, podendo começar a latir mais que o normal ao tentar controlar tudo, dizendo o que ELES querem que VOCÊ faça.

O latido desta raça é alto e profundo como uma sirene. Embora eles são ótimos vigias, Tibetanos que latem demais precisam saber a hora de parar. Após te alertá-lo, ele precisa ficar quieto e saber que você pode lidar com a situação à seguir. Se o seu cão acreditar que é o seu líder, ele ficará chateado quando você deixá-lo sozinho.

Instintivamente, os líderes do bando são autorizados a deixar seus seguidores, no entanto os seguidores não estão autorizados a deixar o líder do bando.

Ele se dará bem com todos da casa, inclusive crianças, desde que a família INTEIRA seja o líder do bando. Logo que o cão começar a questionar a ordem deste bando, ele pode não ser mais confiável ao redor de seus filhos e podem se tornar ainda mais reservados com estranhos ao tentar acessar este papel entre os humanos. Ele pode também tentar dominar outros cachorros.

Estes problemas costumam surgir quando a pessoa não consegue distinguir um comportamento natural canino e confunde com emoções humanas, acabando com um cão que pensa que é o dono da casa. Mesmo sendo uma raça de porte pequeno, a pessoa PRECISA entender e seguir à risca o conceito de como manter um cachorro na linha em casa.

Terrier Tibetanos equilibrados que possuem donos que não permitem que eles desenvolvam Síndrome do Cachorro Pequeno, comportamentos induzidos por humanos em que o cão acredita ser o líder dos humanos, não irão apresentar estes comportamentos negativos. Terrier Tibetanos que possuem líderes firmes, confiantes e consistentes e que recebem estímulos mentais e físicos suficientes serão sempre excelentes companhias para a família.

O Terrier Tibetano perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cãozinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seus estilo de vida e personalidade.

Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Escolha sempre o filhote que seja um meio-termo, não aquele que estiver mordendo ou judiando dos outros filhotes, nem aquele que estiver timidamente acuado em um cantinho. Tente sempre conhecer um de seus pais — normalmente é a mãe que fica disponível — para garantir que que ele tenha um temperamento que te faça sentir-se confortável com ele. Conhecer irmãos ou outros parentes também ajuda a avaliar como o filhote será na idade adulta.

Cuidados e Manutenção do Terrier Tibetano

cao-terrier-tibetano-cuidados
Terrier Tibetando deitado no gramado do parque. (Créditos/Copyright: “Por manfredxy/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Terrier Tibetano à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Uma introdução cedo mostra para o independente Manchester que manutenção é um hábito normal da sua vida, e o ensina a aceitar com paciência todo o processo.

Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde. Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento de dentes precoce.

Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente para evitar lágrimas dolorosas e outros problemas. Se você pode ouvir suas unhas batendo no chão, elas estão longas demais. Unhas caninas possuem artérias, se você cortá-las demais causará sangramento — e o seu cão pode não querer cooperar nas próximas vezes. Por isso, se você não tiver experiência ou não se sentir confiante para a tarefa, procure ajuda profissional. Cheque também suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mau cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

O Terrier Tibetano exige uma quantidade extensa de manutenção, devendo ser escovado pelo menos a cada 2 a 3 dias para remover pêlos soltos e evitar embaraços. Nunca escove pêlos secos; umedeça com condicionador e água para facilitar a escovação e reduzir a estática elétrica, além de evitar que os pêlos quebrem. Comece pelas patas da frente e vá subindo, depois passe para trás, terminando na cauda. Escove na mesma direção dos crescimento dos pêlos. Dê mais atenção debaixo das juntas das patas, na barba e na parte traseira. Procure por nós ou emaranhados na área onde as patas se juntam com o corpo e atrás das orelhas, locais comuns que costumam embaraçar. Tire-os antes que fiquem piores, ou apenas corte os pêlos das patas para reduzir a chance de formar nós.

Terrier Tibetanos devem tomar banhos regulares — uma ou duas vezes na semana, ou a cada 7 a 10 dias, se quiser, usando um shampoo suave. Remova o excesso de pêlos da passagem das orelhas. Corte qualquer excesso de pêlos entre as almofadas das patas. Se o cão não for ser exposto em competição, ele pode ser tosado, principalmente no verão. Embora não seja considerada uma raça que não solta tanto pêlo, eles costumam soltar anualmente, mas não diariamente. O Terrier Tibetano é ótimo para quem sofre de alergias quando sua pelagem for bem mantida. Escovar e dar banhos frequentemente não só mantém a pelagem limpa, mas ajuda na aparência e no seu crescimento.

Saúde do Terrier Tibetano

cao-terrier-tibetano-saude
Terrier Tibetando adulto esparramado pela grama do jardim. (Créditos/Copyright: “Por manfredxy/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Terrier Tibetanos são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos eles terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

Terrier Tibetano é suscetível a uma variedade de problemas de saúde, especialmente relacionadas aos olhos e as juntas. Estes problemas podem incluir displasia de quadril, uma condição em que o fêmur não se encaixa direito na cavidade pélvica da articulação do quadril; luxação patelar; hipotireoidismo; e problemas de visão como cataratas; atrofia progressiva da retina (PRA), uma doença degenerativa dos olhos que eventualmente pode causar cegueira pela perda de fotorreceptores detrás dos olhos e luxação das lentes, doença hereditária em que as lentes ficam posicionadas de forma incorreta. O deslocamento pode ser parcial ou completa, sendo às vezes tratada com medicação ou cirurgia, e em casos severos os olhos precisam ser removidos.

Além disso, Terrier Tibetanos podem também carregar doenças genéticas como doença de Batten ou lipofuscinosis ceroidal neuronal canina, uma doença rara causada por depósitos de pigmentos de gordura no cérebro e nos olhos, tendo como primeiro sintoma cegueira noturna, sendo que a cegueira e sinais neurológicos como epilepsia, anormalidades motoras, demência e agressão inesperada seguem anos depois. Terrier Tibetanos também possuem histórico de surdez congênita, sopros cardíacos e alergias a laticínios, trigo e grãos.

Todos os cães possuem o potencial para desenvolver problemas genéticos de saúde, assim como todas as pessoas possuem potencial para herdar doenças. É sempre uma boa ideia perguntar a criadores quais os problemas que possam existir em suas linhagens. Um criador honesto sempre estará a disposição para discutir a saúde de seus cachorros, seja boa ou má.

Criadores cuidadosos costumam investigar e testar seus cães para evitar doenças genéticas e reproduzir apenas as espécies mais saudáveis e de melhor aparência, mas às vezes a Mãe Natureza possui outros planos. Um filhote pode desenvolver uma destas doenças mesmo em reproduções cuidadosas. Avanços na medicina veterinária hoje garantem que na maioria das vezes os cães podem ter uma qualidade de vida. Se estiver pensando em comprar um filhote, pergunte ao criador sobre as idades dos cães em sua linhagem e as causas mais comuns de morte.

Lembre-se que depois de levar um filhote para casa, você tem a responsabilidade de protegê-lo de um dos problemas caninos mais comuns: a obesidade canina, inclusive uma das tendências da raça. Manter o seu Terrier Tibetano em um peso adequado é uma das maneiras mais fáceis de manter a saúde do seu cachorro e a vida dele saudável para a vida inteira. Em geral, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde. O Manchester Terrier costuma viver cerca de 12 a 15 anos.

Atividade & Exercícios do Terrier Tibetano

cao-terrier-tibetano-atividade
Terrier Tibetando em pleno vôo, em um salto no jardim. (Créditos/Copyright: “Por manfredxy/Shutterstock”)

O Terrier Tibetano adora correr e explorar, por isso precisa de exercícios diários em área segura. Naturalmente, filhotes e adolescentes são cheios de energia e excitação, por isso precisam de níveis mais altos de estímulos e exercícios. Uma vez adultos, eles são felizes tanto prostrados no sofá ou ativos pela casa. Suas necessidades podem ser supridas com jogos vigorosos ou algumas caminhas de 15 minutos ou uma única longa caminhada, sempre na coleira.

Eles são companhias excelentes para hiking e adora corridas vigorosas em jardim seguramente cercado ou espaço aberto seguro. O Terrier Tibetano pode competir em atividades caninas como agility, obediência, rally, showmanship, flyball, tracking e até eventos de pastoreio.
O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo ao seu lado.

Treinamento do Terrier Tibetano

cao-terrier-tibetano-treinamento
Terrier Tibetando e toda a sua pelagem exuberante, quase toda branquinha, desfilando pelo jardim. (Créditos/Copyright: “Por f8grapher/Shutterstock”)

Treinamento e socialização (o processo em que filhotes ou adultos aprendem como ser amistosos e se dar bem com outros cachorros e pessoas) são essenciais para o Terrier Tibetano. Comece a treinar o seu filhote no momento que trazê-lo para casa. Mesmo com 8 semanas de vida ele é capaz de absorver tudo o que você puder ensiná-lo. Não espere até que ele faça 6 meses de idade para começar o seu treinamento ou você terá que lidar com um cachorro muito mais teimoso e difícil de controlar.

Terrier Tibetanos normalmente são amáveis, mas muitas vezes, eles possuem uma própria agenda. Eles possuem uma natureza auto-confiante e independente que pode levá-los a recusar fazer coisas que eles já aprenderam. A boa notícia é que eles aprendem tudo muito rápido e são extremamente ávidos para agradar. Mas o Terrier Tibetano não irá responder a métodos de treinamento duros e são muito sensíveis ao tom de voz do seu treinador, por isso uma abordagem calma é tão importante.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

O treinamento dentro de casa pode levar tempo, e você obterá sucesso se for paciente e dar à ele uma rotina regular e muitas oportunidades de fazer suas necessidades do lado de fora, sempre elogiando ele quando ele fizer tudo direitinho. O treinamento da caixa é algo também fortemente recomendado para o Terrier Tibetando. Não só ajuda no treinamento dentro de casa, mas também serve como um espaço para se acalmar e relaxar, além de evitar que ele saia mastigando tudo por ai enquanto você estiver fora. A caixa é apenas uma ferramenta, não uma jaula, por isso não mantenha-o preso ali por longos períodos. O melhor lugar para o seu Terrier Tibetano é sempre com você.

Ensinar o seu cachorro a deitar, sentar e ficar no lugar é vital para o treinamento de um filhote, procure se informar sobre como adestrar o seu cachorro, é muito comum cometer erros durante o processo de treinamento.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Terrier Tibetano”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *