São Bernardo

O cão de salvamento capaz de ser leal pra vida inteira!
(Créditos/Copyright: "Grigorita Ko/Shutterstock")
São Bernardo
5.00 out of 5 based on 2 customer ratings
(2 avaliações de clientes)

Origem: Suíça
Data de origem: século XVII, 1.660
Grupo de Raças: FCI Grupo 02 – Cães de tipo pinscher e schnauzer, molossóides, cães montanheses e boieiros suíços – Molossóides / Mastiff / AKC Grupo de Cães Trabalhadores.
Função original: cão de guarda protetor e resgate
Função atual: cão de companhia
Outros nomes ou apelidos: Santo ou Saint
Tamanho: porte grande
Altura: de 61 cm a 70 cm
Peso: de 50 kg a 91 kg
Cores: branco com vermelho, vermelho ou malhado com branco com máscara escura.
Pelos: longos, ásperos e levemente ondulados, ou curtos macios e lisos
Manutenção: escovar três vezes na semana
Expectativa de vida: cerca de 07 a 10 anos
Filhotes: de a filhotes.
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça São Bernardo

sao-bernardo-intro
Dupla de São Bernardos juntos no jardim. (Créditos/Copyright: “Grigorita Ko/Shutterstock”)

O São Bernardo é uma raça canina muito antiga natural dos Alpes Suíços que data de meados de AD 980. Foi desenvolvida a partir de cruzamentos de antigos cães molossoides levados à região por tropas Romanas durante as conquistas do Império. De acordo com historiadores a sobrevivência da raça foi garantida graças à monges, que, desde 1660, passaram a criá-los em um mosteiro chamado “Hospice du Grand St. Bernard”, localizado num dos pontos mais altos das montanhas Suíças, local por onde muitos viajantes costumavam passar ao cruzar os Alpes.

Originalmente o São Bernardo foi criado com o intuito de proteger propriedades, e depois usado para missões de busca e resgate, durante o século XVIII. Os cruzamentos visavam obter um cão robusto, de pelagem isolante e com um excelente faro, que pudesse trabalhar em condições climáticas rigorosas.

As missões de busca e resgate costumavam usar dois cães, cuja função era encontrar vítimas soterradas e buscar auxílio junto aos monges. Com isso, a raça já recebeu o crédito de salvar mais de 2.500 viajantes perdidos na neve. Durante as Guerras Mundiais, a raça quase desapareceu e, para evitar a sua total extinção, foram cruzados com os Terra Nova, o que resultou em uma variação de pelos-longos, não muito adequada para os salvamentos na neve, já que acumulavam neve e umidade. Foi então que os monges passaram a dá-los de presente, e com isso a raça acabou se espalhando pelo mundo afora.

O São Bernardo é uma raça gigante poderosa, proporcionalmente alta, musculosa, de pelagem curta ou longa, bem rente à pele, e de comprimento médio e levemente ondulado. Suas cores são branco com vermelho, ou vermelho com branco, sempre com marcas no peito, patas, ponta do rabo, cabeça e pescoço. Possui um temperamento calmo, tranquilo e paciente, embora não seja muito brincalhão.

Costuma ser muito devotado a sua família, adora companhia e gosta de agradar, mas tudo no seu próprio ritmo. É doce e protetor, com um coração tão grande quanto o seu tamanho, mas pode ser um pouco teimoso. É também um excelente cão de guarda, pois possui uma enorme habilidade em pressentir perigos eminentes, além das habilidades de faro e direção. Embora tenha muitas qualidades boas, também possui alguns problemas de temperamento e saúde, como uma expectativa de vida baixa.

Apesar do seu tamanho, é moderadamente ativo e suas necessidades de exercícios são modestas. Não costuma comer mais que qualquer outra raça de porte grande, e se satisfaz com algumas poucas caminhadas ao dia. É sensível a climas quentes, devendo ficar em ambientes com ar refrigerado em temperaturas muito elevadas, em contrapartida é capaz de suportar os mais rigorosos invernos e neve densa.

Origem da raça São Bernardo

sao-bernardo-origem
(Créditos/Copyright: “everydoghasastory/Shutterstock”)
O cão São Bernardo originou-se na Suíça junto a várias outras raças, incluindo o Cão Montanhês Bernese, Cão de Gado Entlebuch e Appenzell, e o Grande Cão Montanhês Suíço. Eles provavelmente foram criados quando cães nativos dos Alpes eram cruzados com Mastifes vindos dos exércitos romanos durante o período do imperador Augustus. Sendo que, durante o primeiro milênio, os cães na Suíça e nos Alpes eram agrupados e conhecidos simplesmente por “Talhund” (Cão do Vale) ou “Bauernhund” (Cão Fazendeiro).

O São Bernardo dos Alpes

Havia um trecho bastante conhecido e traiçoeiro localizado nos Alpes a cerca de 2,44 km acima do nível do mar chamado de “Passagem Saint Bernard” que só podia ser ultrapassado entre os meses de julho e setembro. Ainda hoje há resquícios da grande estrada romana que podem ser vistos, bem como provas do cruzamento de Napoleão pela passagem.

De acordo com historiadores, o Arquediágono Bernard de Menthon chegou a esta passagem, que acabaria levando o seu nome em 962 AD, e encontrou o mosteiro, um refúgio e abrigo de viajantes que costumavam cruzar as fronteiras entre a Suíça e a Itália e acabavam se perdendo ou se ferindo durante o percurso traiçoeiro. Não é muito claro quando estes cães do tipo São Bernardo foram usados pelo mosteiro, mas uma pintura retratando cães que se pareciam muito com eles hoje foi pintada em 1695, embora a primeira menção escrita da raça nos recordes do monastério tivesse sido feita apenas em 1703.

Acredita-se que Bernard de Menthon junto aos monges do mosteiro acabaram cruzando antigos Mastifes Tibetanos com outros cães montanheses nativos dos Alpes como o Great Dane, o Grande Cão Montanhês da Suíça e o Grande Pirineus. Mas não foi até 1660 e 1670 que a raça se desenvolveu para se tornar o magnífico cão responsável por salvar tantas vidas.

Durante estes anos todos, os primeiros destes cães enormes que chegaram ao St. Bernard Hospice, foram usados pelos monges para guardar o local, mas quando estes saiam em busca de viajantes perdidos, talvez tivessem levado os cães junto como proteção e descobriram por acidente que eram excelentes desbravadores com habilidade de localizar pessoas pelo faro.

E assim, os São Bernardos passaram a ser usados como cães de busca e salvamento, trabalhando para salvar pessoas de avalanches em áreas próximas ao Hospice. O isolamento do monastério provavelmente contribuiu para o refinamento da raça que era capaz de aguentar duros invernos e possuir as características físicas necessárias para o trabalho de busca e salvamento destas vítimas. O São Bernardo também era conhecido por conseguir pressentir tempestades e avalanches através das suas habilidades de ouvir sons em baixa frequência.

Os cães eram capazes de farejar uma pessoa soterrada sob a neve espessa, e puderam salvar milhares de pessoas procurando e achando viajantes perdidos ou machucados. Eles costumavam trabalhar em bandos ao procurar pelas vítimas. Quando achavam, lambiam e se deitavam ao lado delas para mantê-las aquecidas. Enquanto um ou mais ficavam ali deitados ao lado da vítima, outro voltava ao mosteiro para alertar a todos sobre o que encontraram, e uma equipe completa de salvamento saía em busca da vítima.

No início de 1800 muitos cães foram perdidos por causa do frio rigoroso, doenças e cruzamentos indevidos. Os que restaram foram cruzados com Terra Novas em 1830 em uma tentativa de melhorar a sua pelagem. Como resultado, acabaram surgindo os primeiros São Bernardos de pelos longos.

Embora a nova variação fosse capaz de aquecer ainda mais o cão, acabou atrapalhando na atividade acumulando neve e congelando os pelos, tornando-se não muito adequada aos salvamentos e, por esta razão passaram a ser presenteadas às pessoas.

O São Bernardo pelo mundo

Os primeiros São Bernardos chegaram ao Reino Unido em 1810 na tentativa de revigorar a raça dos Mastifes e foram chamados de vários nomes diferentes, entre eles “cão sagrado”. Na Alemanha, o nome “Alpendog ou Cão dos Alpes” foi sugerida em 1820. E em 1833, um homem chamado Daniel Wilson sugeriu que a raça fosse chamada de Cão São Bernado sendo que, por volta de 1865, este nome acabou sendo o mais usado, tornando-se o nome oficial da raça em 1880 e sendo reconhecido pelo Clube de Canil Suíço.

Quando a raça passou a ser conhecida em outros países, o tipo do São Bernardo começou a mudar – se tornou mais fino e mais alto devido a outros cruzamentos. Em 1887, o Congresso Internacional de Zurique estabeleceu o primeiro padrão para a raça, e todos os países com exceção do Reino Unido, aceitaram. Em 1888, a raça começou a chamar a atenção também nos Estados Unidos, e o Clube São Bernardo da América (SBCA) foi fundado, aceitando o padrão da raça estabelecido pela Suíça.

A sua popularidade aumentou gradualmente, e por volta de 1960 e 1970 os São Bernardos eram um dos cães mais populares nos Estados Unidos. Foi então que os cruzamentos em demasia acabaram por levar a raça a ter sérios problemas de estrutura e temperamento, que levaram décadas para serem repararados. Hoje, os São Bernardos foram aprimorados e podem ser vistos em lares, nas telinhas do cinema e em exposições de cães.

Ainda existem São Bernardos no mosteiro Saint Bernard na Suíça, e eles podem não sair mais em busca de viajantes em perigo, mas ao invés, são representantes ao vivo da história do local. Alguns de seus talentos incluem busca e salvamento, cão de guarda, cão vigia, entre outros.

Aparência do São Bernardo

sao-bernardo-aparencia
São Bernardo adulto de perfil. (Créditos/Copyright: “Vera Zinkova/Shutterstock”)

O São Bernardo é um cão gigante, forte e musculoso. Desde que o seu peso permaneça proporcional a sua altura, quanto mais alto ele for, mais valorizado costuma ser. O seu crânio é massivo e poderoso. O focinho é curto e mais largo que comprido, e a testa é enrrugada. O nariz é largo, com narinas abertas, e como os lábios grandes, são negros. Os dentes se encontram em mordida de tesoura ou em nível.

Seus olhos de tamanho mediano são levemente localizados aos lados do rosto e de cor escura, com olhar tirstonho e meigo. As orelhas são medianas, altas, pendurando-se levemente distantes da cabeça. Suas pernas são musculosas, e as patas são grandes com fortes dedos arcados. A sua cauda é larga e poderosa na base e caída para baixo quando relaxado. O rabo é coberto de pêlos densos que vão ficando mais curtos em direção a ponta.

Há dois tipos de pelagem: áspera ou longa e macia ou curta, mas ambas densas em textura e resistentes à água, com marcas em castanho, vermelho, mahogany, malhada e preto, em várias combinações. São vários os tons de vermelho com branco, ou branco com vermelho. As partes brancas se apresentam no peito, ao redor do pescoço, do nariz e nas patas e pontas do rabo. A face e as orelhas são no geral pretas. Nos cães de pêlos ásperos a pelagem é levemente mais longa e com mais penugens nas coxas e pernas.

Ambiente Ideal para o São Bernardo

sao-bernardo-ambiente
Filhotes de São Bernardo brincando juntos em almofadas. (Créditos/Copyright: “dezi/Shutterstock”)

O São Bernardo pode viver perfeitamente em um apartamento se for exercitado de forma apropriada e suficiente, mas se adapta melhor se tiver acesso a um jardim que seja de tamanho suficiente para que ele possa ter suas necessidades físicas cumpridas. A raça é relativamente inativa dentro de casa e até pode viver fora de casa em climas temperados a frio, mas seria mais adequado tê-lo perto da família, pois costuma ser muito devotado e adora ter companhia. Eles possuem baixa tolerância a climas quentes, locais aquecidos e carros.

Temperamento & Personalidade do São Bernardo

sao-bernardo-temperamento
São Bernardo adulto e seu temperamento dócil e amável com filhotes de gatinhos. (Créditos/Copyright: “Grigorita Ko/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas.

Como todo cão, o São Bernardo precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu cão cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável. Fiéis a sua herança de cão de mosteiro, os São Bernardos são extremamente gentis, amigáveis e acolhedores.

Possuem um temperamento estável, benevolente e bondoso, além de serem muito tolerantes e cuidadosos com crianças e se darem bem com outros cães e outros animais de estimação. Eles se movem devagar, são pacientes, obedientes, extremamente leais, ávidos para aprender e sempre dispostos a agradar. Possuem uma expressão tristonha e meiga, mas são de excelente natureza. São sensíveis e podem ser ótimos animais de estimação. Adoram atenção mas não são tão exigentes e carentes como outras raças.

São brincalhões e aventureiros. Possuem um instinto protetor com relação a sua família e são excelentes cães de guarda ou vigília, pois o seu tamanho já costuma ser um bom impedimento. Possuem um senso de faro muito bem desenvolvido e um sexto sentido sobre perigos, tempestades e avalanches.

Podem ser um pouco teimosos, por isso é necessário donos pacientes, e costumam prosperar com grandes quantidades de amor e atenção. Eles são suscetíveis a ficarem ansiosos se deixados sozinhos por muito tempo e podem destruir a casa inteira e seus pertences se ficarem entediados. Os São Bernardos são geralmente muito cautelosos, e esta cautela toda pode virar timidez.

Socialização desde cedo e frequente é essencial para prevenir que eles se tornem muito desconfiados e medrosos sobre qualquer coisa nova ou diferente. Socialize-o bem desde filhote com diferentes pessoas e outros animais.

É uma raça altamente inteligente e fácil de ser treinada; mas seu treinamento deve começar cedo, enquanto ele tem uma tamanho fácil de lidar. Ensine-o a não pular nas pessoas já desde filhote. Tenha em mente que um cão destreinado deste tamanho pode ser um problema até para um adulto se estiver em áreas públicas e na coleira, por isso tome o controle desde o início, ensinando-o a obedecer.

O São Bernardo perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que for que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Qualquer cachorro pode ser um desafio para a convivência durantes os seus anos de “adolescência”, e no caso do São Bernardo, os seus anos “teen” começam aos 9 meses e continuam até os 18 meses. Felizmente, São Bernardos são sensíveis, inteligentes e adoram agradar. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos.

Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do São Bernardo

sao-bernardo-cuidados
São Bernardo fêmea e seu filhote deitados no jardim. (Créditos/Copyright: “Grigorita Ko/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu São-bernardo à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde.

Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento de dentes precoce. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. E cheque suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mal cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

Escove o seu São Bernardo três vezes por semana com uma escova de borracha ou luva própria de hound para os de pelagem curta ou escova de grampos para os de pelos longos. Durante o período em que os pelos caem, use uma lâmina apropriada para remover os pelos mortos. Se ele tiver nós ou embaraços atrás das orelhas ou nas patas, espirre uma solução desembaraçante na área e ajude a desembaraçar com os seus dedos ou pente.

Os São Bernardos não precisam de banhos frequentes, mas quando der banhos, é mais fácil fazer do lado de fora da casa, exceto durante o inverno. Use um shampoo feito para cães para que os pelos não fiquem secos. Você pode usar um shampoo embranquecedor para manter os pelos mais brancos e mais brilhantes. O shampoo pode tirar o óleo natural dos pelos ou suas propriedades repelentes, por isso use sabão suave. Os São Bernardos também desenvolvem manchas ao redor dos olhos, que precisam de atenção especial para manter a área limpa e evitar irritações. Mantenha os olhos livres das manchas limpando diariamente com um pano úmido ou usando um produto formulado especialmente para isso. Eles costumam perder pelos duas vezes ao ano, na primavera e no outono.

Atividade & Exercícios do São Bernardo

sao-bernardo-atividade
São Bernardo adulto deitado do gramado. (Créditos/Copyright: “Florin C/Shutterstock”)

O São Bernardo exige uma quantidade moderada de exercícios ao ar livre, mas é importante que se exercite para evitar a obesidade. Carregar muito peso é ruim para as juntas e isso pode causar artrite ou outros problemas ortopédicos. São Bernardos gostam de caminhadas diárias e sessões de brincadeiras. Para ficar em forma é necessário se exercitar diariamente, podendo ser através de caminhadas moderadas e corridas curtas. Limite a quantidade de exercícios enquanto filhote até que atinja um tamanho maduro.

Não deixe que ele ganhe peso rapidamente ou corra ou pule em chão escorregadio, isso pode causar problemas no quadril. Os São Bernardos também são suscetíveis a exaustão e ataque cardíaco. Evite que eles se exercitem quando está muito calor ou quente demais durante o dia, e garanta que ele tenha acesso a muita água fresca e sombra. Cuidado com os sinais de fatiga e exaustão, que inclui respiração pesada ofegante, gengivas vermelho-escuras, e fraqueza ou colapso.

Os esportes caninos que eles podem se dar bem é empurrar carros de tração, carregar peso e competições de obediência. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos que devem ser tomados na hora de exercitar o seu cachorro.

Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do São Bernardo

sao-bernardo-saude
Dupla de filhotes de São Bernardo na neve. (Créditos/Copyright: “Grigorita Ko/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os São-bernardos são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

O São Bernardo é suscetível a algumas questões de saúde como Síndrome de Wobbler, problemas de coração e de pele, displasia de quadril, tumores, epilepsia, cardiomiopatia, câncer de ossos, osteocondroses, hipotiroidismo e alguns problemas das pálpebras dos olhos como entrópio e ectrópio, uma dobra do lado de for a da pálpebra, geralmente na pálpebra de baixo. Eles também não possuem intolerância ao calor. E devem evitar o inchaço de estômago, sendo melhor alimentá-los com duas ou três pequenas refeições ao invés de apenas uma grande refeição.

Por causa do seu tamanho, o São Bernardo pode sofrer problemas nas juntas e estruturais. É importante que ele cresça e seja mantido em forma e não se exercite demais ou coma demais. Tudo isso pode levar a lesões e problemas que podem ficar sérios com o passar dos anos. É realmente necessário que eles se mantenham em forma com exercícios e dietas adequadas, pois obesidade canina aumenta as chances de desenvolver problemas estruturais os tornando mais dolorosos quando ocorrem.

Treinamento do São Bernardo

sao-bernardo-treinamento
Filhotes de São Bernardo juntos no parque. (Créditos/Copyright: “Grigorita Ko/Shutterstock”)

O São Bernardo deve ser socializado desde filhote enquanto o tamanho dele seja fácil de se lidar. Eles possuem um enorme desejo de agradar o seu dono e responde melhor a um treinamento gentil, paciente, firme e consistente. Comece o treinamento logo que trazer ele pra casa. Os São Bernardos são doces, mas podem ser teimosos.

Ensine o seu cãozinho a olhar para você por orientação e seja paciente. O São Bernardo gosta de pensar antes de agir. Eles devem aprender a não puxar a coleira quando são pequenos, pois quando forem maiores será muito mais difícil de segurá-los. Um São Bernardo destreinado pode causar grandes estragos na casa e arrastar pessoas pelas ruas na vontade de ir a algum lugar ou saudar alguém. Treine-o usando uma abordagem alegre e relaxada. Coloque as regras e seja consistente ao garantir que ele as siga. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas por comida. Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo.

Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. Socialização e obediência são essenciais desde cedo. Além de ser muito importante ensiná-lo desde filhote quem é o líder. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto. Um São Bernardo bem treinado é uma companhia maravilhosa e muito agradável para toda família.

2 reviews for São Bernardo

  1. 5 out of 5

    :

    Adorei ler! Tenho uma São Bernardo de oito anos, a Sharon, que é ainda muito ativa, além de ser meiga e amorosa. Mas ela é extremamente carente, provavelmente porque fico bastante tempo fora de casa, trabalhando – quando eu chego, tenho que ficar fazendo carinho na barriga dela por horas. Infelizmente a adotei quando já tinha três anos, então nem todos esses cuidados e técnicas eu pude usar. Tenho uma curiosidade: um criador de São Bernardo me disse que ele é o único cão que gira o rabo quando está muito feliz – isso é verdade? Obrigada!

    • :

      Interessante a sua observação, nunca soube disso, mas olha só, um bom tópico a ser explorado. Vamos procurar saber mais sobre isso. Obrigada e volte sempre!

  2. 5 out of 5

    :

    Bem completo a descrição do São Bernando

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *