Maltês

Uma raça de pelagem glamurosa e aparência nobre e altiva
(Créditos/Copyright: "/Shutterstock")
Maltês
4.50 out of 5 based on 2 customer ratings
(2 avaliações de clientes)

Ficha Técnica
Origem: ilha de Malta, Itália.
Data de origem: 300 B.C., século XV
Grupo de Raças: FCI Grupo 09 – Cães de Companhia – bichons e raças semelhantes / Cão Apontador / AKC Grupo Toy.
Função original: cão de companhia
Função atual: cão de companhia
Outros nomes ou apelidos: Bichon Maltês, Cão Melitae, Ye Ancient Dogge de Malta, cão das damas romanas, “o consolador”, Spaniel Gentil, Bichon, Cão Leão Maltês, Terrier Maltês.
Tamanho: pequeno porte
Altura: Machos de 21 cm a 25 cm / Fêmeas de 20 cm a 23 cm
Peso: de 3 kg a 4 kg
Cores: branco
Pêlos: liso, comprido, sedoso e grosso
Manutenção: média
Expectativa de vida: cerca de a anos
Filhotes:
Reconhecimento (Canil):CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Introdução à raça Maltês

maltes-introducao
Dupla de Maltêses filhotes no colinho da dona. (Créditos/Copyright: “Andi Berger/Shutterstock”)

O Maltês ou Maltese é considerado o cão mais velho das raças Toy Européias, além de ser também conhecido por vários nomes e apelidos diferentes. Famoso pela sua pelagem branca sedosa que desce até o chão dando a impressão de que está flutuando debaixo da sua “nuvenzinha de pelos”, o Maltês vai muito além desta pelagem glamurosa e aparência nobre e altiva. A raça, oriunda da Ilha de Malta no meio do Mar Mediterrâneo, ao sul da Itália e ao norte da África, ganhou popularidade entre nobres, realeza e aristocracia graças a sua personalidade afetuosa, alegre e corajosa, sua inteligência, seu bom comportamento e atitude graciosa.

O Maltês é uma raça que é ao mesmo tempo gentil e corajosa, e que costuma cumprimentar a todos como se fossem amigos. É também enérgico e vigoroso apesar da aparência delicada e aristocrática, e ainda possui um lado selvagem que adora correr e brincar.

Embora pareça inocente, o Maltês é ousado e até agressivo, e pode desafiar cães maiores. Por terem um longa história como cães de companhia, o Maltês exige muita atenção e ama estar com o seus donos. Costuma ser tão leal que pode até sofrer de ansiedade por separação. Se deixado sozinho por longas horas por dia, pode latir em excesso e se tornar destrutivo. O Maltês foi desenvolvido exclusivamente como cão de companhia, e por esta razão precisa viver dentro de casa e nunca do lado de fora. E como é uma raça de pequeno porte, pode perfeitamente se adequar a ambientes pequenos, como apartamentos e residências menores.

O Maltês também pode ser um pouco intolerante com crianças pequenas e outros cães, especialmente se forem mimados pelo dono. E se este for o caso, eles podem até se tornar protetores demais, latindo e até mordendo se animais ou pessoas forem percebidas como ameaças, se estiverem com medo ou forem machucados por eles. Os Maltêses são capazes de armazenar muito amor dentro desses corpinhos pequeninos, e não tem nada mais no mundo que deixe eles mais felizes que deitar no colinho do seu dono. Mas isso não significa que ele não precise de exercícios ou de treinamento. Eles costumam aprender rápido, principalmente se forem recompensados pelos seus esforços.

O Maltês evolui ainda mais ao aprender truques, pois adora se mostrar. Como todo cão, o Maltês deve saber qual o seu lugar na casa, e exige socialização adequada e treinamento de obediência. Por ser uma raça vigorosa, ele se destaca não só como cão de companhia, mas também como cão de terapia e competidor em esportes caninos como agilidade, obediência, rally e tracking. Hoje o Maltês está entre as raças mais populare e mais vendidas, sendo que toda essa sua popularidade acabou levando o cachorro também para a lista das raças mais visadas por ladrões.

Origem da raça Maltês

maltes-origem
Maltês filhote no campo de flores amarelas. (Créditos/Copyright: “DragoNika/Shutterstock”)

O Maltês é a raça de Toy mais antiga da Europa, e está entre as mais antigas de todas as raças. Embora sua origem seja controversa, a sua história pode ser traçada há quase dois milênios atrás. Artistas, poetas e escritores já imortalizaram este pequeno cão em várias culturas antigas da Grécia, Roma, e Egito, até mesmo já foi mencionado por Aristóteles – desenhos, pinturas e esculturas datados de 4 000 a.C, mostram o cão Maltês como inspiração.

Com relação ao seu “local de nascimento”, alguns afirmam que o Maltês seja de origem Asiática sendo parte do desenvolvimento de vários cães asiáticos menores, enquanto outros afirmam ser nativo de Malta, no Mar Mediterrâneo, de onde recebeu o nome, desenvolvido a partir de cães do tipo Spitz e Spaniels, sendo esta última a hipótese a mais aceita.

O Maltês de Malta

A ilha de Malta era um antigo porto de negociações, comércio e troca, visitado por navegantes fenícios por volta de 1500 B.C. O Maltês foi especificamente mencionado em escrituras que datavam de 300 B.C. A arte grega inclui Malteses desde o século XV, e há evidências de tumbas construídas para eles, enquanto representações desse tipo de cão em artefatos egípcios sugerem que eram apreciados por esta cultura antiga.

Até mesmo antes da Era Cristã, a raça já havia sido espalhada por culturas Mediterrâneas. Embora os cães eram muitas vezes exportados e subsequentemente largamente distribuídos por toda a Europa e Ásia, o núcleo populacional em Malta permaneceu relativamente isolado de outros cães, resultando neste cão distinto que permaneceu puro por séculos.

Os egípcios, e séculos depois muitos europeus, pensavam que o Maltês possuía a habilidade de curar pessoas de doenças e por esta razão costumavam colocá-los no travesseiro da pessoa doente, acabando por inspirar um de seus apelidos — “O Consolador”.

O Maltês na Inglaterra

Embora a marca registrada do Maltês seja o seu longo pelo branco, sedoso e deslumbrante, os antigos Malteses tinham várias outras cores além do branco. No início do século XIV, os Malteses foram trazidos para a Inglaterra durante o período das Cruzadas, onde se tornaram muito populares e os “queridinhos” entre os nobres e a realeza. Por volta do século XV, se tornaram muito populares entre a aristocracia francesa.

Ao final do século XVI, o Maltês já havia se tornado o animal doméstico favorito da Rainha Elizabeth I, Rainha Maria da Escócia, e Rainha Victória que ganhou o dela de presente, e depois espalhou seus filhotes pela Europa, que mais tarde se tornaram os primeiros a serem exibidos na Inglaterra. A raça passou a ser propriedade da realeza por todo o mundo. As mulheres costumavam carregá-los dentro da roupa e dormiam com eles em suas camas.

O Maltês da Inglaterra para o resto do mundo

Embora eles tenham sobrevivido ao declínio do Império Romano e a Idade Média, o Maltês foi quase destruído durante os séculos XVII e XVIII quando foram feitas tentativas de cruzamentos para diminuir ainda mais o seu tamanho. Após estes experimentos desastrosos, criadores misturaram poodles, miniatura de spaniels, e miniatura de cães asiáticos para salvá-lo – tal feito acabou resultando em uma enorme variedade de raças, por isso acredita-se que o Maltês é ancestral direto do Bichon Frise, Bolonhês e Havanês. Foram os criadores ingleses que acabaram por desenvolver o Maltês que conhecemos hoje.

Muitos deles nos Estados Unidos possuem herança genética destas importações. Os Malteses foram parar nos Estados Unidos por volta de 1800s, e foram registrados na AKC apenas em 1950s, e desde então têm se tornado muito populares. Ao chegar ao Brasil, alcançou o ápice de sua popularidade em 2000, tornando-se uma das dez raças mais comuns no país, além de ser uma das raças mais populares e mais vendidas no Brasil.

Aparência do Maltês

maltes-aparencia
Maltês fêmea de presilhas deitada na grama do jardim. (Créditos/Copyright: “otsphoto/Shutterstock”)

Embora a raça seja muito conhecida pela sua pelagem, a sua estrutura corporal, expressão facial e todo o resto são componentes essenciais da raça. O Maltês é um cão miniatura de corpo compacto e quadrado, levemente mais longo que comprido, inteiro coberto por uma única camada de pelos longos e lisos, de textura sedosa e brilhante, toda branca caindo até o chão dando a impressão de que flutua enquanto anda. A cor é predominantemente branca pura, variando ao máximo, para um marfim pálido.

Caso um exemplar apresente, por exemplo, um laranja pálido, a coloração é descrita como uma imperfeição, sendo portanto, indesejável. A cabeça do Maltês é de comprimento médio e em boa proporção ao seu tamanho. O seu crânio é levemente arredondado no topo com uma parada moderada. O seu focinho de comprimento médio afunila, mas não chega a ser pontudo. Suas orelhas, baixas ficam mais perto da cabeça e são mais peludas. O seu pescoço é longo o suficiente para carregar a cabeça alta. Os olhos negros são grandes e redondos. O nariz é preto com narinas bem abertas.

Alguns possuem o que chamam de “nariz de inverno” que se torna rosa durante o inverno; a mudança de cor se torna permanente em cães mais velhos. Os dentes se fecham em mordida de tesoura, e a sua expressão é gentil, porém alerta e a sua aparência geral denota vigôr, vontade de viver e afeto. A sua altura da cernelha ao chão é igual ao comprimento da cernelha à sua cauda. Eles possuem ombros enclinados e cotovelos próximos ao corpo. O seu peito é profundo e o seus membros são bem estruturados. As pernas dianteiras são retas, e as patas são pequenas, redondas e a cauda emplumada de lado.

Ambiente Ideal para o Maltês

maltes-ambiente-ideal
Maltês no sofá inclinando sua cabecinha para chamar atenção. (Créditos/Copyright: “lzbeta/Shutterstock”)

O Maltês pode muito bem viver em um locais pequenos como apartamento ou casa pequena. Inclusive é uma das raças citadas como melhores cães para viver em apartamento. Eles costumam ser ativos dentro de casa, mas não precisam necessariamente de um jardim. Eles gostam de sair para caminhar, mas não necessitam de grandes esforços para exercitá-los de maneira suficiente. Os Malteses são cães que devem ficar dentro de casa, pois não toleram climas extremamente quentes ou frios e adoram se aconchegar em uma caminha macia e quentinha bem pertinho de seu dono.

Temperamento & Personalidade do Maltês

maltes-temperamento
Maltês fêmea no colo da sua dona recebendo um afago carinhoso. (Créditos/Copyright: “MANDY GODBEHEAR/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, o Maltês precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Maltês cresça saudável para tornar-se um cão bastante sociável.

O Maltês é espirituoso, vívido e brincalhão. É também gentil, amável, confiável, inteligente, obediente e devotado. Costuma ter uma boa natureza e ama ser carregado e ficar no colo. Destemido, o Maltês assume que todos que acaba de conhecer — humano ou animal — pode ser amigo. Eles costumam tolerar outros animais de estimação, mas não são adequados para crianças que judiam de animais. Eles também costumam estabelecer uma ligação forte com uma única pessoa, e podem agir de forma super protetora com o seu dono, família e território, latindo ou mordendo se sentirem alguma ameaça. Também não gostam de serem deixados sozinhos por períodos extensos de tempo. O Maltês pode latir para estranhos, mas se acostuma com eles rapidamente.

Doces e fofinhos, são conhecidos por conseguirem tudo aquilo que querem — até com aqueles que não têm a intenção de mimá-los. Isto acaba causando vários níveis de problemas de comportamento. Se o cão passa a acreditar que manda na casa, pode surtar com crianças e até adultos. Nunca mime ou proteja demais estes cães, pois eles costumam ficar instáveis, e alguns podem até ficar ciumentos com relação a outras pessoas estranhas.

Não deixe que este tipo de cão desenvolva a Síndrome do Cão Pequeno, comportamentos humanos induzidos em que o cão acredita ser o líder do seu bando em relação aos humanos do seu convívio.

Por serem focados em sua família e muito inteligentes, eles costumam responder bem a treinamentos e técnicas de esforços positivos como prêmios, elogios, brincadeiras e recompensas, e ainda é muito bom em aprender truques. O Maltês perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Maltês

maltes-cuidados
Maltês sendo tosado no veterinário. (Créditos/Copyright: “Frank11/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Maltês à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde.

Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bacteria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento de dentes precoce. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. E cheque suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mal cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

O glamuroso Maltês é um cão de alta manutenção. A sua pelagem estonteante é branca pura, sedosa e lisa, que muitas vezes alcança o chão. Apesar de não possuirem dupla camada de peos, típica em muitos cães, ele não solta muito pelo, mas requer muitos cuidados para mantê-los brilhantes, sedosos e principalmente desembaraçados. Por serem compridos e muito lisos, os pelos do Maltês embaraçam facilmente e costumam ficar muito sujos, carregando tudo quanto é coisa que estiver pelo chão, por isso precisam de banhos mais frequêntes, mas semanalmente já é suficiente.

É preciso escovar e pentear os pelos do Maltês diariamente, as vezes até mais de uma vez por dia dependendo de onde o cão andar (se tiver o costume de brincar no jardim, folhas e outros detritos podem agarrar em seus pelos), mesmo que sejam mais curtos e não se arrastem pelo chão – isto ajudará a mantê-los desembaraçados e limpos.

Se mesmo assim o pelo embaraçar, tente primeiro desembaraçá-los com os seus próprios dedos de forma gentil, usando até mesmo um spray desembaraçante ou condicionador a óleo especiais para cães. Depois de separar os nós com os dedos, use a ponta das cerdas do pente para soltar os pelos individualmente. Nunca tente puxar o nó de uma vez com a escova ou pente, e garanta que todos os nós sejam removidos antes do banho, pois eles tendem a ficar ainda mais apertados quando molhados.

Embora haja muitos produtos no mercado para embraquecer o pelo dos cães, tenha cuidado ao usá-los ou qualquer outra receita caseira – muitos podem estragar os pelos deles, e nunca deixe que algum destes produtos caiam nos olhos deles. Muitas pessoas fazem “chuquinhas” no topo da cabeça do Maltês para que estes pelos compridos não caiam nos olhos – mas use sempre elásticos encapados para não quebrar os fios ou embraraçar ainda mais os pelos.

Sempre cheque suas orelhas semanalmente, pois eles têm a tendência a ter muito pelo nelas que precisam ser removidos. Peça para o veterinário cortá-los ou mostrar como se faz para que você possa fazer em casa de maneira adequada e segura. Manchas de lágrimas e no rosto são também bastante comuns nos Malteses, e costumam aparecer nos filhotes aos 4 ou 5 meses, quando os dentes também estão aparecendo. Para prevenir é só seguir os segunites passos:

  • Limpe os olhos diariamente com água morna, e limpe a sua barba após as refeições;
  • Ensine-o a beber água em garrafinha – água com um alto teor de minerais, causam manchas;
  • Alimente-o em prato de aço, cerâmica ou vidro, e não plástico, e limpe o prato depois de cada refeição;

Se estas medidas não forem capazes de evitar as manchas, consulte um veterinário, pois ele pode estar com as glândulas lacrimais entupidas, alergias ou outros problemas que podem estar causando a lacrimejação excessiva. Outra coisa, se você notar que o seu focinho está ficando rosado, ele pode não estar tomando sol suficiente. Leve-o para tomar um pouco de sol ao ar livre ou até mesmo dentro do carro, se estiver muito frio.

Atividade & Exercícios do Maltês

maltes-atividade
Maltês correndo feliz pelo gramado. (Créditos/Copyright: “Kimrawicz/Shutterstock”)

O Maltês não precisa de uma quantidade muito grande de exercícios. E suas necessidades podem ser supridas através de brincadeiras e atividades, ao ar livre ou até mesmo dentro de casa, desde que hajam algumas horas de caminhadas diárias para que seu instinto animal seja também exercitado. Eles gostam de caminhadas, brincar de correr atrás e corridas livres em um pequeno jardim seguramente cercado. Eles permanecem ativos até adultos, e devem ficar na coleira quando na rua ou em locais públicos.

O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo, e o Maltês é um dos cães de maior longevidade canina.

Saúde do Maltês

maltes-saude
Maltês checando suas orelhas para evitar infecção no veterinário. (Créditos/Copyright: “Lucky Business/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Malteses são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça. O Maltês costuma ter uma expectativa de vida de 12 a 14 anos, embora alguns já tenham vivido até por 18 anos, por isso é considerado uma das raças de maior longevidade canina.

A maioria é bastante saudável, mas alguns são mais suscetíveis a problemas no coração como prolapso de válvula e alargamento do ventrículo, presentes por volta dos 10 anos de vida e controlados por medicação. Outros podem dar um certo trabalho para comer por causa de uma má digestão. Muitos Malteses têm problemas dentais. Eles podem começar a perder os dentes com 8 anos se não forem cuidados e limpos de forma adequada. Oferecer alguns biscoitos caninos junto a uma boa dieta canina pode ajudar a manter os dentes limpos e saudáveis. Eles também podem ter queimaduras solares no local onde o pelo se divide (risca) no topo da cabeça e no corpo. Eles ficam com frio facilmente, mas também se aquecem muito rápido em climas muito quentes por não conseguir dissipar o calor facilmente.

A maioria dos cachorros de pequeno porte possui problemas de saúde relacionados ao tamanho, alguns genéticos outros adquiridos.

Os filhotes minúsculos são frágeis e têm problemas em manter os níveis de açúcar no sangue altos, como hipoglicemia. Na fase adulta, a cartilagem da traquéia de alguns pode enfraquecer, causando o estreitamento do canal principal de ar, o que gera uma dificuldade de respiraçao e de usar qualquer tidpo de coleira. Há também uma condição chamada de “espirro em reverso”, que ocorre quando o cão está muito excitado, tenta comer e beber ao mesmo tempo ou quando o ar possui muitos alergênicos que podem irritar ou causar alergias respiratórias.

Suas bocas pequenas ficam mais suscetíveis a doença peridontal, e as rótulas dos seus joelhos podem se deslocar mais facilmente, uma condição conhecida por “luxação patelar”. Além disso, alguns problemas de visão também podem ocorrer como glaucoma, atrofia progressiva da retina; e ainda um defeito congênito de fígado chamado “portosystemic shunt” , que ocorre quando um vaso anormal faz com que e o sangue contorne o fígado e não seja purificado. Os Malteses também podem sofrer de “síndrome do cão tremedor” que afeta principalmente os cães brancos, que resulta em tremedeiras incontroláveis pelo corpo inteiro, perda de coordenação e movimentos de olhos rápidos.

Treinamento do Maltês

maltes-treinamento
Filhote de Maltês no meio das folhagens de outono. (Créditos/Copyright: “Jim Larson/Shutterstock”)

Encorajamento ao invés de palavras duras deve sempre ser usado ao treinar o Maltês. Eles são muito sensíveis, por isso o treinamento nunca deve ter uma natureza dura. O seu treinamento deve ser feito com amor, consistência, recompensa e paciência. Eles são adeptos a aprender truques e aprendem rápido. Eles não costumam precisar de treinamento de obediência extenso, pois são naturalmente obedientes. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando.

É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Eles são um pouco difíceis de serem treinados a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa, por isso, muitos optam pelo método de caixa ou papel. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto. Eles se adaptam melhor se forem socializados desde cedo.

2 reviews for Maltês

  1. 4 out of 5

    :

    Essa fofura de cachorro merece premio. Todo branquinho ele e bem docil.

  2. 5 out of 5

    :

    Nós compramos nosso primeiro pequeno maltês a aproximadamente vinte e cinco anos atrás,. Ela era o cachorrinho mais fofinho e de coração suave que eu já tive… Depois que ela faleceu, meu marido me surpreendeu com um filhote novo.

    Ela novamente era o mais fofinho, amoroso e de grande coração. Ela estava satisfeita apenas por estar onde estava. Seu peso era de quase dois quilos por maior parte de sua vida.

    Atualmente ela está com um pouco mais de 2 kilos. O cães Maltes estão felizes enquanto estiverem com os seus donos. Não são cachorros que você quer ter se possui crianças pequenas, pois são frágeis e delicados. Eles são cães pequenos e não acreditam que eles saibam que são pequenos.

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *