Dogo Argentino

Uma raça de natureza gentil -  porém um lutador nato
(Créditos/Copyright: "Eric Isselee/Shutterstock")
Dogo Argentino
5.00 out of 5 based on 1 customer rating
(1 avaliação de cliente)

Origem: Argentina
Data de origem: 1920
Grupo de Raças: FCI Grupo 02 – Cães de tipo pinscher e schnauzer, molossóides, cães montanheses e boieiros suíços – Molossóides / Mastiff / AKC Grupo de Cães Trabalhadores.
Função original: cão de caça e cão de briga
Função atual: cão policial, cão de guarda, cão guia, cão de companhia.
Outros nomes ou apelidos: Mastiff Argentino, Argentine Dogo
Tamanho: porte médio a grande
Altura: de 61 cm a 69 cm
Peso: de 36 kg a 45 kg
Cores: branco
Pelos: curto, liso, rente à pele.
Manutenção: fácil
Expectativa de vida: cerca de 10 a 12 anos.
Filhotes:
Reconhecimento (Canil):FCI, NKC, APRI, ACR, ACA, FCA, DRA, BBC, NAPR, AKC/FSS, ACA.

Introdução à raça Dogo Argentino

dogo-argentino-intro
Dogos Argentinos filhotes interagindo juntos. (Créditos/Copyright: “Aneta Jungerova/Shutterstock”)

O Dogo Argentino é uma raça canina oriunda da Argentina e de origem bastante recente. Foi desenvolvida por volta de 1.920 por dois irmãos, Antônio e Augustin Nores Martinez, que desejavam um cão eficiente nas caçadas de grandes presas como pumas e javalis, e que mais tarde se tornaram imbatíveis em arenas de brigas caninas.

Foram necessários anos de cruzamentos seletivos começando com os extintos Cães de Briga de Córdoba, ou como eram conhecidos, Viejo Perro de Pelea Cordobés, seguidos de outras raças de melhores qualidades como Boxers, Great Danes, Mastins dos Pirenéus, Pointers Ingleses, Wolfhound Irlandês ou Galgos irlandeses, Dogue de Bordeaux, Dogues Alemães, Buldogues Ingleses, Mastifes Espanhóis, e Bull Terriers, todas com o intuito de acrescentar características particulares, como peso e tamanho, resistência, insensibilidade à dor, inteligência, vivacidade, melhor faro e adaptação a todos os tipos de climas, melhor mandíbula e potência.

Por anos, os Martinez cruzaram estes cães até que em 1928, finalmente atingiram o padrão desejado resultando em um excelente animal de caça do tipo hound de corpo e mente sã, dotado de um temperamento estável, habilidade de farejar (herdada dos Pointers) e de surpreender pumas, e ainda capaz de trabalhar em grupo. O Dogo possui uma cabeça massiva com orelhas cortadas ou ao natural e um pelo branco liso, curto e suave, com marcas na cabeça ou ao redor dos olhos (como um tapa olhos), de fácil manutenção. No geral costuma ser saudável, apesar da surdez ser comum na raça.

Ele é grande, poderoso, inteligente, energético e teimoso. É uma raça bastante versátil, valorizada pelos seus muitos talentos, incluindo cão de corrida, cão policial, cão de guarda, cão guia, assim como de companhia. Um Dogo pode muito bem ser um cão de guarda quando necessário, mas acima de tudo é um cão muito amigável, extrovertido, corajoso, gentil, que adora crianças.

Apesar de leal, o Dogo exige um dono firme e de treinamento consistente sem fazer uso de força ou crueldade. Por ter sido um cão de caça, o Dogo Argentino é energético e precisa de exercícios diários como longas caminhadas, corridas ou muita brincadeira, para se manter ocupado. Ele não ficará satisfeito apenas deitado sem fazer nada.

O Dogo Argentino também deve ficar ao redor da sua família, pois se deixado sozinho por muito tempo ou sem atenção suficiente pode ter comportamentos agressivos e destrutivos. Se você deseja ter um Dogo Argentino terá que se comprometer em achar um criador de boa reputação e a treiná-lo, socializá-lo e exercitá-lo por toda a sua vida para que ele cresça e viva de forma saudável.

Origem da raça Dogo Argentino

dogo-argentino-origem
Dogo Argentino jovem deitado na grama do parque. (Créditos/Copyright: “dean bertoncelj/Shutterstock”)

Em 1920, o Dr. Antonio Nores Martinez e seu irmão Agustin, resolveram desenvolver uma raça de cão que pudesse ser uma companhia versátil, um caçador nato capaz de caçar em bando, controlar vermes, e ser um excelente guardião. Para tanto, fizeram uma série de cruzamentos seletivos usando diversos tipos de raças diferentes afim de conseguir extrair de cada uma delas as melhores qualidades. Foram usados os hoje extintos Cães de Briga de Córdoba, assim como Boxers, Great Danes, Mastins dos Pirenéus, Pointers Ingleses, Wolfhound Irlandês ou Galgos irlandeses, Dogue de Bordeaux, Dogues Alemães, Buldogues Ingleses, Mastiffs Espanhóis, e Bull Terriers para acentuar a sua altura, habilidade de faro, velocidade, instintos de caça e natureza sociável, entre outras características.

Assim nasceu o Dogo Argentino, de origem Argentina, uma raça de cão intimidadora, corajosa, cheia de energia capaz de caçar enormes presas como javalis selvagens e pumas nos mais diversos terrenos do país como montanhas rochosas, duras planícies e até em lagos. A sua pelagem branca ainda desviava o calor ao invés de absorvê-lo.

O início como Cão de Briga

Apesar das suas excelentes características de caçador, coragem e temperamento intimidador, o Dogo Argentino não é um cão de natureza agressiva, mesmo assim acabou herdando uma má reputação quando pessoas passaram a usar a raça para cão de briga, uma atividade ainda muito popular em muitas partes da América do Sul e outros lugares. Isso resultou em seu banimento em diversos países como Reino Unido, Nova Zelândia, Noruega, Dinamarca, Islândia, Portugal, Romênia, Cingapura e Ucrânia.

Já o Reino Unido, ao invés de caçar os cães lutadores, passou uma legislação em território nacional para controlar estes tipos de cães em público. Chamada de “Lei de Cães Perigosos”, impulsionada em 1991, a lei baniu por completo três raças de cães: o Fila Brasileiro, o Dogo Argentino e o Tosa Japonês. Uma quarta raça, o Pit Bull Terrier Americano, é permitido, mas sob inúmeras restrições.

Os cães devem ser registrados, neutralizados, tatuados, microchipados e os donos devem possuir seguro. Os cães não podem ser criados ou importados e quando em público devem usar focinheira, coleira e segurados por uma pessoa maior de 16 anos de idade o tempo inteiro. Tal reputação se espalhou por vários países, que apesar de não possuírem as mesmas legislações, muitas vezes adotam o mesmo comportamento. Uma verdadeira vergonha, pois quando criados de forma adequada, socializados desde filhotes, e bem treinados costumam ser excelentes cães.

Um cão é o que o seu dono faz dele. E nem todas as raças são para todos. As pessoas os ensinam a lutar e acabam criando uma péssima reputação para a raça. Banir a raça não resolve o problema.

O Dogo pelo mundo até os dias de hoje

O Dogo Argentino foi introduzido aos Estados Unidos em 1970 pelo Dr. Raul Zeballos que ganhou um exemplar do seu amigo Dr. Antonio Nores Martinez em 1950, e vem desenvolvendo a raça de maneira exemplar seguindo os padrões originais desde então. A Argentina e outros caçadores da América do Sul passaram a usar estes cães para caçar javalis em longas distâncias, então encurralá-los e segurá-los até que o caçador chegasse.

Infelizmente o seu criador acabou morrendo antes de poder ver a raça ser reconhecida pela Federação de Cinologia da Argentina e pela Sociedade Rural da Argentina em 1964. O Clube de Canil da Argentina reconheceu a raça em 1973. Hoje, os Dogos são muito ativos em muitas atividades além da caça. Já trabalharam como cães policiais e militares, cães guia, cães de terapia, cães de salvamento e resgate e ainda participaram em eventos de obediência, corrida e rastreio. O Clube de Dogo Argentino da América foi fundado em 1985 e a raça é atualmente membro do Clube de Classes Miscelâneas Americano, o passo final antes de ser completamente reconhecida pela AKC.

Aparência do Dogo Argentino

dogo-argentino-aparencia
Filhote de Dogo Argentino com sua mancha escura nos olhos bem característica da raça. (Créditos/Copyright: “MarcinSl1987/Shutterstock”)

O Dogo Argentino é uma raça elegantemente construído, de porte grande e musculoso. Eles possuem um peitoral largo, profundo que lhe empresta uma aparência geral de poder. Há uma certa abundância de pele no pescoço musculoso. A cabeça é convexa, massiva com um formato arredondado da frente para traz. O focinho cava para cima levemente, com uma leve parada aproximadamente do mesmo comprimento que o cérebro. Os dentes se fecham em mordida de tesoura.

O nariz é preto, os olhos bem separados podendo ser marrom escuro, claro ou castanhos com a iris rosa ou preta. As orelhas são colocadas ao alto e geralmente cortadas para que fiquem em pé, em formato triangular. As coxas são muito musculosas com as juntas curtas. O rabo é longo e naturalmente baixo, alcançando as juntas. O Dogo Argentino exibe uma pelagem grossa e lustrosa. Os pelos são curtos e costumam cair moderadamente.

Não é incomum um Dogo ter marcas pretas na cabeça ao redor dos olhos como um “tapa olho de pirata”, porém esta característica não é aceita por todos os clubes de raça. Mas é aceitável em seu país. A despigmentação no focinho também não é bem vista em competições, sendo o Dogo 100% de pelos brancos sempre preferível. Estas possíveis marcas nos pelos são provavelmente heranças genéticas do Pointer, um dos ancestrais em sua linhagem.

Ambiente Ideal para o Dogo Argentino

dogo-argentino-ambiente
Dogo Argentino de coleira enforcadeira em seu passeio. (Créditos/Copyright: “Stanimir G.Stoev/Shutterstock”)

O Dogo Argentino se contentará em viver em um pequeno apartamento ou casa se puder se exercitar diariamente. Eles são mais felizes em um jardim de pequeno porte onde possam ter espaço para correr e se exercitar de forma adequada. Eles precisam de uma grande quantidade de exercícios.

A raça é sensível a climas frios, e não devem ser mantidos fora de casa em invernos muito rigorosos. O Dogo possui um forte instinto de caça, de proteção e natureza territorial, por isso ele precisa de um local seguramente cercado para mantê-lo dentro da sua propriedade.

Temperamento & Personalidade do Dogo Argentino

dogo-argentino-temperamento
Dogo Argentino em casa relaxado recebendo o abraço carinhoso da sua dona. (Créditos/Copyright: “Iakov Filimonov/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, o Dogo Argentino precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Dogo cresça saudável para tornar-se um cão sociável.

O Dogo Argentino é uma raça que aparenta dignidade e imponência. Ele é atlético e vigoroso podendo até ser barulhento, especialmente quando novo. É um cão altamente poderoso com dupla personalidade. Ele é um leal guardião da sua família, incluindo crianças, e um caçador implacável e destemido capaz de enfrentar animais grandes. Ele é gentil e feroz, mas nunca agressivo sem uma boa razão. Exercícios diários são importantes para mantê-lo estimulado mentalmente e fisicamente.

O Dogo não é uma raça para qualquer um, muito menos para um dono inexperiente. A raça é extremamente dominante e exige um dono ainda mais dominante. Porém, por serem altamente inteligentes e poderosos, os Dogos são fáceis de serem treinados se o dono for consistente, e souber usar a sua autoridade de forma amável, porém firme. Os Dogos precisam de regras para serem seguidas e limites para que eles entendam o que podem e o que não podem fazer.

Com os donos certos, até os Dogos mais dominantes são capazes de serem submissos o suficiente com relação a outros humanos e outros animais. A raça precisa de alguém que saiba mostrar liderança: humanos que sejam firmes, confiantes e consistentes.

Os Dogos adultos podem ser agressivos com outros cães; contudo, o Dogo não costuma provocar o confronto, mas poderá se pressentir um outro animal instável. Eles são bons com outros animais de estimação se forem socializados desde filhotes. Ele precisa de socialização desde cedo e de treinamento de obediência. O Dogo Argentino é um excelente guardião e irá proteger a sua família com extremo fervor.

O Dogo, embora feroz quando preciso, é conhecida por ser excelente com crianças e por adorar ficar perto delas, até ser abraçados por elas.

Contudo, por serem grandes, deve-se tomar cuidado com as crianças pequenas para não se machucarem por acidente durante as brincadeiras. Com os membros da família, o Dogo possui um desejo forte de tocar neles e estar perto o tempo todo. Ele adora participar de todos os eventos e atividade familiares, mas pode agir de forma brusca e partir para a ação se pressentir qualquer ameça.

O Dogo Argentino perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar.

Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Dogo Argentino

dogo-argentino-cuidados
Dogo Argentino deitado nagrama sob a sombra fresca. (Créditos/Copyright: “Aneta Jungerova/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Dogo à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar.

Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde.

Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento de dentes precoce. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. E cheque suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mal cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

O Dogo Argentino possui um pelo branco suave que costuma cair em moderação. Escove-o pelo menos uma vez por semana para remover os pelos mortos e manter a sua pele saudável. Banho apenas quando necessário. Eles não costumam ter cheiro forte. Você pode ter ouvido falar que esta é uma raça hipoalergênica, o que não é verdade.

Nenhuma raça canina é. Alergias não são causadas por um tipo de pelagem em particular, mas por um tipo de caspa (células de pele morta que caem dos cães). Não há nenhuma evidência científica de que qualquer raça seja mais ou menos alergênica que qualquer outro cão. Apenas algumas pessoas com alergias reagem menos com relação a um tipo de cão.

Atividade & Exercícios do Dogo Argentino

dogo-argentino-atividade
Filhotes de Dogos Argentinos correndo livremente pelo gramado. (Créditos/Copyright: “Aneta Jungerova/Shutterstock”)

Esta raça almeja por atividades atléticas e exercícios vigorosos. É muito importante que eles se exercitem diariamente, e tenham muitas oportunidades para correr livremente em local seguro e principalmente cercado. Ele é um bom companheiro para caminhadas, corridas sempre na coleira, de forma segura, e com focinheira em público. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro.

Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos ao exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Dogo Argentino

dogo-argentino-saude
Dogo Argentino todo albino fazendo carinha de meigo. (Créditos/Copyright: “Ivanko80/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Dogos são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Nem todos eles terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça. O Dogo Argentino costuma viver de 10 a 12 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo.

Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde. Contudo, o Dogo é suscetível a surdez. Cães surdos costumam ser muito irritados e não se dão bem ao redor de crianças ou donos inexperientes. Se forem deixados exposto ao sol podem ter queimaduras. Eles podem também ter displasia de quadril, alguns problemas de coração tireoide, assim como alergias de pele, hipotiroidismo, glaucoma e paralisia da laringe.

Treinamento do Dogo Argentino

dogo-argentino-treinamento
Dogo Argentino de orelhas cortadas deitado no parque.(Créditos/Copyright: “otsphoto/Shutterstock”)

Socialização desde cedo e de forma intensa, além de treinamento de obediência é uma enorme exigência. Esta raça é altamente inteligente e fácil de ser treinado, por isso o seu treinamento deve ser feito com respeito, amor, firmeza, segurança e consistência. Além de ser muito importante ensiná-lo desde filhote quem é o líder. O Dogo Argentino responde bem a recompensas. Comportamento imprevisível pode ocorrer se o treinamento for feito com dureza, isolamento em canil ou em regime de treinamento duro.

Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas. Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando.

É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto. Os Dogos se destacam em competições caninas de agilidade, como cães guia e trabalho policial.

1 review for Dogo Argentino

  1. 5 out of 5

    :

    Dogo são dóceis, inteligentes e territorialistas, precisa de um dono presente e dedicado

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *