Dálmata

O elegante cavaleiro incansável
(Créditos/Copyright: "Eric Isselee/Shutterstock")
Dálmata
5.00 out of 5 based on 1 customer rating
(1 avaliação de cliente)

Origem: Croácia
Data de origem: desconhecida
Grupo de Raças: FCI Grupo 6 – Sabujos Farejadores e Raças Semelhantes / Cão Apontador /
AKC Não-esportistas.
Função original: cão trabalhador, cão de resgate, cachorro de briga, cão pastor, cão de tração, caçador de ratos, e cão de circo.
Função atual: cão de companhia
Outros nomes ou apelidos: Dal, Cão pudim-de-ameixa, pau-manchado e Cão bombeiro
Tamanho: porte grande
Altura: Machos de 50 cm a 60 cm / Fêmeas de 50 cm a 55 cm
Peso: cerca de 25 kg
Cores: branco c/ manchas pretas, ou branco c/ manchas chocolate
Pelos: curto, liso, fino, lustroso rente à pele
Manutenção: fácil
Expectativa de vida: cerca de 10 a 12 anos
Filhotes: até 15 filhotes Dálmata em uma única cria.
Reconhecimento (Canil): ACA; ACR; AKC; ANKC; APRI; CKC; CKC; DRA; FCI; KCGB; NAPR; NKC; NZKC; UKC.

Introdução à raça Dálmata

dalmatas-filhotes
Dupla de Dálmatas filhotes brincando juntos no jardim (Créditos/Copyright: “Bildagentur Zoonar GmbH/Shutterstock”)

O Dálmata é uma raça canina muito conhecida pela sua pelagem branca cheia de manchinhas, pretas ou chocolate apesar da sua origem e história não serem exatas e motivo de disputas: alguns historiadores reivindicam evidências encontradas no Egito Antigo; outros na Grécia Antiga; e outros na região da Iugoslava, além da província da Dalmácia, hoje Croácia. De qualquer forma, a sua origem foi atribuída à nação Européia, e seus exemplares já foram utilizados para inúmeras tarefas desde a sua criação – guardar estábulos, escoltar carruagens, além de caçar pragas e pássaros, pastorear, servir como cão de resgate para bombeiros e trabalhar no circo.

A popularidade dos Dálmatas foi tanta que eles ainda ficaram mundialmente famosos através do cinema e da literatura, com o filme 101 Dálmatas – uma animação da Disney de 1961 que lhes rendeu fama internacional até os dias de hoje.

Mas, apesar de atrair muitos fãs, o Dal não é para qualquer um, muito menos para donos de primeira viagem. Embora os Dálmatas amem estar junto de seus donos para qualquer atividade e serem capazes de ser companhias maravilhosas, a sua enorme energia pode ser exaustiva. A sua personalidade é tida como super ativa, brincalhona e dedicada. Ele adora correr e sair para vaguear, e precisa obter exercícios diários em áreas seguras para se comportar bem dentro de casa. Pode ser também um pouco agressivo com cães desconhecidos, mas geralmente se dão bem com outros animais de estimação e cavalos. Pode ser um tanto energético demais para crianças mais novas e tendem a ser mais reservados com desconhecidos, além de teimosos.

Dálmatas foram criados para correr por kilômetros ao lado de carruagens, evitando que outros cães interferissem com os cavalos, ajudando a afastar salteadores, tomando conta da carruagem nas paradas para descanso e adicionando um toque de elegância ao veículo com os passageiros aristocráticos, por esta razão o Dal ainda mantém um entusiasmo incansável.

O Dálmata é protetor do lar e da sua família e prefere viver em locais com bastante espaço para correr. Além disso, os Dals amam ficar perto das pessoas e devem viver dentro de casa. Deixar um Dálmata infeliz é renegá-lo ao jardim sem companhia humana. É importante que os Dals sejam parte da família em todos os momentos. Se estiver considerando um Dálmata, saiba que além de energético ele é super inteligente. Eles precisam de treinamento desde cedo para estabelecer regras para comportamento, ou eles decidirão o que fazer. Eles podem ser teimosos, por isso o treinamento deve ser firme e consistente. Ao mesmo tempo, eles são sensíveis e não toleram métodos duros, sendo sempre necessária uma abordagem positiva com recompensas. Eles não costumam esquecer ou perdoar maus tratos.

É importante resslatar a incidência de surdez na raça, e exigências especiais quanto ao seu sistema urinário para evitar complicações de saúde. Sua dieta nunca deve ser rica em proteína, e ele deve ter sempre acesso a muita água.

Os Dals também soltam muito pelo, e precisam de escovações semanais para mantê-lo saudável e macio, além de evitar que os pelos soltos se espalhem pela casa. Com a sua energia e entusiasmo por jogos, você vai poder participar em vários tipos de esportes e atividades com ele. O Dal ainda adora atenção e possui um enorme desejo em agradar, por isso se dá bem em competições caninas como de obediência com o treinamento motivacional adequado, assim como em agilidade por ser uma raça bastante atlética. O seu alto nível de atividade faz dele um excelente companheiro para quem gosta de treinar para maratonas, correr de bicicleta, e andar de skate. Ele ainda é capaz de desempenhar vários truques e exibir seus taletos – pois já foi cão de circo – tudo o que você pode ensinar, ele é capaz de aprender. E se ele ainda tiver a combinação perfeita de aparência e personalidade, ele ainda pode se dar bem nas exposições. O que quer que seja que você faça com o seu Dal, seja ele seu melhor amigo ou competidor, certifique-se de que com a combinação certa de exercícios, disciplina e amor ele será uma ótima companhia para a sua família.

Origem da raça Dálmata

cachorro-dalmata-origem
Dálmata adultona posando com seu melhor ângulo na floresta (Créditos/Copyright: “Sergey Fatin/Shutterstock”)

O Dálmata, famoso pelas suas manchas, é a raça que mais se destaca de todas as outras por causa da sua aparência inconfundível, mas sua origem é desconhecida e ainda gera muitas controvérsias.

Origem controversa

Apesar de haver evidências artísticas indicando uma origem antiga, não se sabe ao certo a época e o local de seu surgimento. Cães manchados são conhecidos ao longo da história da África, Europa e Ásia. Traços de cães manchados foram encontrados em baixos-relevos no Egito durante a era Helênica, o que faz dela certamente uma raça raça bem antiga. Cães manchados eram conhecidos por viajar com tribos nômades romanas, popularmente chamadas de ciganos. O Dálmata pode ter obtido o seu nome durante uma das suas estadas na Dalmácia, um província da costa oriental do Mar Adriático, uma área hoje conhecida por Croácia, antiga Iugoslávia. Contudo, em 1700, um cão conhecido por Pointer de Bengala, similar ao Dálmata, existiu também na Inglaterra, derrubando talvez a teoria da origem Iugoslava. Esforços para que a raça fosse reconhecida como Croata sempre foram rejeitados, até que em 1993, a FCI finalmente reconheceu suas raízes Croatas, embora ainda continuem desmentindo os direitos de patrocínio do padrão Croata sobre a raça. Já o Dálmata moderno foi sobretudo desenvolvido na Inglaterra. Entre seus ancestrais pode-se apontar o Great Dane Manchado ou Pointer, o que também é mera especulação.

Função original

Até mesmo a função original da raça é desconhecida, pois o Dálmata já foi usado para as mais variadas funções e nunca ficou sem emprego, embora nunca tenha se especializado em uma única área. Estas funções incluem cão de guerra, sentinela, cachorro de rinha, cão pastor, cão de tração, caçador de ratos e pássaros, e até mesmo cão de circo. Na Idade Média, foi usado como cão de caça. Mas foi como cão de carruagens na Inglaterra Vitoriana em 1800 que ele se tornou tão popular. O cão de carruagem tinha função tanto prática como estética. Os Dals costumavam proteger os cavalos de ataque de outros cães e saqueadores, tomar conta da carruagem nas paradas para descanso e ainda davam um toque de estilo ao veículo que levava passageiros aristocráticos. Seguiam ao lado, na frente ou atrás da carruagem (posição considerada a mais elegante).

Atléticos, fortes e cheios de energia, eram capazes de aguentar facilmente quer seus donos estivessem em à pé, à cavalo ou na carruagem.

O Dálmata nos dias de hoje

Com a chegada do automóvel, o Dálmata perdeu seu lugar na sociedade e a sua popularidade caiu. Ele ainda continuou como cão de carruagem só que para carros de bombeiros puxados por cavalos, e até hoje possui uma afinidade natural por estes animais. Toda essa afinidade o levou para uma carreira diferente nos Estados Unidos. O Dálmata acabou se tornando um “cão de bombeiro”, correndo com os cavalos para incêndios, tomando conta dos equipamentos durante a brigada, e as vezes até resgatando pessoas de locais em chamas. Quando tudo terminava, ele acompanhava o carro de bombeiros de volta à estação e ali ficava de cão de guarda. Sua brilhante colaboração e sua aparência distinta e elegante sempre garantiu que ele fosse visto como um cão de estimação e de exposição muito popular. Entretanto, foi o seu aparecimento em filmes infantis, como 101 Dálmatas – uma animação da Disney de 1961, que o transformou em uma das raças mais queridas da América e famosas nos anos seguintes. A AKC reconheceu a raça em 1888, e o Clube dos Dálmatas da América foi formado em 1905. Hoje, a maioria dos Dálmatas são cães de companhia e membros da família, mas muitos Corpos de Bombeiros ainda possuem Dálmatas como mascotes.

Aparência do Dálmata

cachorro-dalmata-aparencia
Dálmata jovem com sua pelagem linda (Créditos/Copyright: “David Porras/Shutterstock”)

O Dálmata é facilmente identificado pela sua pelagem branca manchada. Mas não são apenas as manchinhas que fazem do Dálmata um cão tão atraente, ele possui muitas outras características incríveis – o Dal é um cão de porte médio, de proporção quadrada e simétrica, atlético, de boa substância e musculatura, e enorme energia. Elegantemente construído e com uma silhueta e estrutura de corpo similar ao Pointer, o Dálmata é uma visão de agilidade e elegância. A sua expressão é sempre alerta e inteligente. O seu crânio é tão largo quanto longo e reto no topo. O focinho é cerca do mesmo comprimento que a parada do crânio. Sua parada é moderada, mas bem definida. O nariz pode ser preto, marrom, cinza ou cinza escuro, quase preto. Seus dentes se fecham em mordida de tesoura. Seus olhos, médios e redondos podem ser marrom, cinza ou âmbar. As orelhas são macias, afuniladas, altas e caídas afinando gradualmente em uma ponta arredondada. O peitoral é profundo, e a base da cauda é nivelada e fina na ponta. Os pés são arredondados com dedos arcados que se correlacionam com as cores das manchas de seu pelo. Seus pelos são curtos e densos, sedosos e finos. O topo da cabeça parece veludo de tão macio. A pelagem é simetricamente branca com manchas redondas bem definidas. As cores podem variar entre branco com manchas pretas bem definidas ou marrom escuro que variam de tamanho e distribuem-se de maneira exata. As manchas são menores nas patas, cabeça e cauda. As manchas também podem ser limão, cinza escuro, tricolor, malhado, branco sólido, mas nem todas são aceitas em competições, apesar de se apresentar na raça. Quanto mais definidas e bem distribuídas as manchas, mas valioso é o cão nas competições. Os filhotes nascem brancos por completo e as manchas aparecem mais tarde, com o passar da idade.

Ambiente Ideal para o Dálmata

cachorro-dalmata-ambiente-ideal
Dálmata adulto em uma fazenda (Créditos/Copyright: “volofin/Shutterstock”)

O Dálmata não é uma raça ideal para apartamentos, à não ser que seja levado para caminhar ou correr por várias vezes consecutivas ao dia. Eles podem ser bastante ativos dentro de casa e preferem um local com um jardim de tamanho padrão. Não é adequado para ele viver do lado de fora em climas muito frios. Embora possam ficar do lado de fora da casa em climas amenos e temperados, precisam de abrigo, cama macia e mais que tudo, companhia humana. Por isso, é melhor que ele viva dentro da casa com os donos por perto e possa brincar no jardim quando desejar.

Temperamento & Personalidade do Dálmata

dalmata-temperamento
Dálmata adulto deitado tranquilo no deck sob a luz do sol (Créditos/Copyright: “Steve Licata/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, o Dálmata precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Dal cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

Criado para correr por muitos quilômetros acompanhando carruagens no passado, o Dálmata tem uma empolgação inesgotável, por isso exercícios e estímulos são obrigatórios para o seu desenvolvimento saudável e bom temperamento.

Ele é um companheiro divertido e impaciente, que precisa de muito exercício em área segura para se comportar bem em casa. Ele ama correr e adora poder perambular por aí. Não gosta de ficar parado sem fazer nada por muito tempo. Eles são brincalhões, alegres, tranquilos e muito dedicados. O Dálmata gosta de brincar com crianças, mas se não forem bem estimulados tanto mentalmente quanto fisicamente podem ficar excessivamente muito agitados para crianças menores. Toda essa energia acumulada pode deixá-los instáveis e tímidos se não tiverem sido socializados de maneira suficiente. Geralmente se dão bem com outros animais da casa, mas necessitam desta socialização desde filhotes, e sem a comunicação adequada com o seu dono, na qual o cão entende qual é a hierarquia na casa, podem se tornar agressivos e muito desobedientes. Apesar de teimosos, eles amam chamar atenção e possuem um forte desejo de agradar, por isso é fácil treiná-lo através de métodos de esforços positivos com recompensas por comida, elogios e brincadeiras. O Dal é um cão inteligente, com muito senso de humor, e fará de tudo para fazê-lo rir. Em público, pode ser quieto e reservado, mas com sua família gosta de mostrar o seu lado brincalhão e divertido. Ele é cordial com convidados, mas será protetor se for preciso. O mais importante para ele é estar com a família.

Os Dals gostam de estar envolvidos em tudo que acontece na família. No entanto, o Dal precisa de muita liderança além da companhia humana. Ter um Dálmata significa dispensar a ele tempo, autoridade e energia que eles precisam.

Eles não ficam felizes se deixados sozinhos no jardim o dia inteiro, e costumam destruir coisas e cavar por todo lado. Eles podem ser bem difíceis de lidar se pressentirem alguma fraqueza ou passividade de seus donos ao se comunicarem com ele. Mas são treináveis a um alto nível de obediência. Se você conseguir dar a eles o que precisam instintivamente como caminhadas diárias onde ele deve estar sempre ao seu lado na coleira, nunca na frente, com uma liderança firme e consistente, eles se tornam excelentes animais de estimação.

Sem tempo e dedicação, assim como uma liderança necessária, o Dal pode se tornar muito difícil de lidar e destrutivo.

Esse é um dos motivos que levam o Dálmata a estarem na lista das raças caninas mais abandonadas. Pense muito antes de comprar ou adotar um cachorro, pesquise sobre a raça, há muitas coisas que se deve considerar antes de ter um cachorro. Se você for uma pessoa muito ativa que possui tempo e sabe como ser um líder, então o Dálmata é perfeito para a sua família. O Dálmata perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Dálmata

cachorros-dalmata-cuidados
Dálmata ainda filhote brincando no gramado do jardim (Créditos/Copyright: “Annette Kurka/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Dálmata à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde. Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento de dentes precoce. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. E cheque suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mal cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas. Dálmatas são cães limpos com pouco odor ou nenhum, e sua pelagem ainda é repelente à sujeira. Mas tenha em mente que eles soltam bastante pelo, o ano inteiro. Escove-os semanalmente com uma escova macia para mantê-los macios e saudáveis e ainda evitar que se espalhem por todo lugar. Com escovações regulares, não será necessário dar banhos mais que 3 ou 4 vezes ao ano. Banhos muito frequentes removem os óleos essenciais da pele e dos pelos fazendo-os ficar secos e escamosos.

Atividades & Exercícios para o Dálmata

cachorro-dalmata-atividades
Casal de Dálmatas correndo soltos pelo gramado (Créditos/Copyright: “Grigorita Ko/Shutterstock”)

O Dálmata precisa de muitos exercícios e atenção regularmente. Ele precisa de muito mais que uma leve caminhada na coleira; ele pode ser uma excelente companhia para correr. Ele pode sanar suas necessidades com boas corridas e jogos vigorosos. Ele é um cão altamente energético e atlético capaz de correr por horas se tiver oportunidade. Uma corrida de 1/2hr ou 1hr diariamente é o mínimo que se pode dar a ele para suprir todas as suas necessidades. Se ficarem entediados, ou não forem exercitados diariamente, podem se tornar destrutivos e começar a apresentar uma série de problemas comportamentais. Contudo, apesar de amar correr, podem perfeitamente se adaptar ao nível de atividades da sua família. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular a mente do seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Dálmata

cachorro-dalmata-saude
Dálmata jovem brincando de roer uma pinha (Créditos/Copyright: “Bildagentur Zoonar GmbH/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Dálmatas são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça. Como algumas outras raças, o Dálmata está também predisposto à surdez; e deve ser testado com 5 a 6 semanas de vida. Aproximadamente, 8% deles costumam nascem completamente surdos e 22% a 24% nascem com pelo menos um ouvido surdo. Todos os filhotes nascem com as duas orelhas fechadas, que devem abrir com 12 a 16 dias de idade. É também suscetível a pedras no sistema urinário, devido a níveis de ácido úrico altos, muitas vezes causados por bloqueio urinário. Uma dieta de baixa proteína pode prevenir maiores problemas no sistema urinário. É essencial prestar atenção se o Dal está urinando regularmente e ainda fornecer a ele muita água fresca a todo momento. Eles também soltam pelos o ano inteiro, e podem sofrer queimaduras severas de sol por causa da sua coloração. Ele pode ter também alergias de pele, como alergia a fibras sintéticas de carpete ou móveis. Ele também costuma ter problemas de visão como displasia esfincteriana, uma doença na íris dos olhos que causa sensibilidade a luz, visão noturna pobre, cegueira total ou parcial e cataratas. Além disso, há também o perigo de displasia de quadril e até paralisia da laringe. Lembre-se também que quando você leva um filhote para casa, você tem o dever de protegê-lo de um dos problemas de saúde mais comuns nos cães: a obesidade. Manter o Dálmata em um peso apropriado é uma das maneiras mais fáceis de prolongar a vida dele. Dálmatas costumam dar grandes crias, com mais de 15 filhotes, e podem viver cerca de 11 a 13 anos, alguns vivem até 16 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde.

Treinamento do Dálmata

cachorro-dalmata-treinamento
Dálmata adulto nadando no rio (Créditos/Copyright: “DragoNika/Shutterstock”)

O Dálmata exige treinamento consistente. Eles respondem de forma positiva a elogios quando executam alguma tarefa ou trabalho bem. Dálmatas são muito sensíveis e costumam manter memórias por muito tempo — eles lembrarão dos maus-tratos se forem maltratados ou treinados de forma dura. Métodos duros não costumam obter sucesso, e correções consistentes e gentis são mais recomendáveis. O Dálmata possui um senso forte de hierarquia e é muito obstinado, por isso um treinador experiente é recomendado. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas. Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. Socialização e obediência são essenciais desde cedo. Além de ser muito importante ensiná-lo desde filhote quem é o líder. Consistência também é importante, mas por ser super sensível ao tom de voz da pessoa, é importante tomar cuidado para não ser enérgico e agressivo com ele e colocar tudo a perder. Eles não respondem bem à métodos duros e severos. O treinamento deve ser feito com firmeza, paciência, consistência, elogios e recompensas. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto.

Adaptabilidade

Alta

Adestramento

Fácil

Afetuosidade

Alta

Ambiente ideal

Casa, Fazenda ou Campo

Amistoso c/ crianças

Muito

Amistoso c/ estranhos

Normal

Amistoso c/ idosos

Pouco

Amistoso c/ outros animais

Normal

Amistoso c/ cães

Normal

Expectativa de vida

Normal

Função ou Tipo

Caça, Esportista, Farejadores, Guarda, Hound, Pastor e Boieiro, Trabalhador

Manutenção

Baixa, Fácil

Necessidade de exercicios

Alta

Nível de energia

Alto

Nível de inteligência

Alto

Nível de Socialização

Alto

Pelagem

Curta, Lisa

Porte

Grande

Propenção à latidos

Média

Proteção e Guarda

Média

Saúde

Estável

Territorialismo

Moderado

Tolerância à brincadeiras

Muito

Tolerância ao calor

Moderada

Tolerância ao frio

Alta

Troca de pêlos

Muita

1 review for Dálmata

  1. 5 out of 5

    :

    Eu já tive muitas raças de cães e agora tenho um Dalmata. Eles são cães muito leais e orientados para a família. Nunca tive um cachorro tão inteligente e amoroso, quer ter você sempre do lado dele e estar com você a cada minuto do dia. Eles são tão inteligentes e aprendem truques em minutos e não dias. Nunca tive um cachorro que nos fez rir tanto na minha vida. Eles parecem viver para agradar você. Nunca terei mais nenhuma raça além de Dalmata.

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *